Silas Malafaia: “Temor a Deus” (parte 3)

Atentemos para o que é dito no Salmo 112:

Louvai ao Senhor! Bem-aventurado o homem que teme ao Senhor, que em seus mandamentos tem grande prazer. (…) [segue o salmo]

O QUE É TEMER A DEUS?

(p. 8)

Pronto. Agora o homem vai explicar o título do livro. Algo importantíssimo, porque, de acordo com o subtítulo, isso é a “base de uma vida vitoriosa”.

A maioria das pessoas pensa que temer a Deus é ter medo dEle. Entretanto, neste texto, temor não é sinônimo de medo. (…)

(p. 9)

Neste texto, temor não é sinônimo de medo”. Engraçado que o salmista não se preocupa em esclarecer isso; e deveria, ainda mais quando se sabe que “a maioria das pessoas” (eu diria “qualquer um”) pensa que temer é ter medo.

Eis o raciocínio do pastor: a frase “que em seus mandamentos tem grande prazer”, imediatamente após “Bem-aventurado o homem que teme ao Senhor”, impede que se atribua o significado de “ter medo de” a esse verbo “temer”:

pois o medo não traz prazer, alegria, felicidade;

(p. 9)

Alguns aventureiros de esportes radicais, ou até mesmo só quem adora montanha-russa ou filmes de terror, vão discordar dele. Mas não há porque invocá-los, uma vez que o autor do livro se enrola sozinho no seu próprio argumento, quando conclui:

Logo, temer a Deus não é ter medo de Deus, como se Ele fosse um Ser iracundo, perverso, que está sempre pronto a exercer o juízo, e nunca a misericórdia; um Ser implacável que, ao primeiro erro, lança o homem no inferno. Esse não é o Deus justo, amoroso, bondoso e misericordioso revelado na Bíblia. (…)

(p. 9)

O Novo Testamento é sobre Jesus Cristo. A Bíblia de Deus é a do Antigo Testamento, e nela, por mais que se esforce, você não vai encontrar nenhum Deus justo, amoroso, bonzinho, ou misericordioso. Pelo menos não pelos padrões terrenos. Talvez lá na galáxia M87 as pessoas considerem um exemplo louvável de justiça condenar todos pelo erro de apenas dois, ou punir apenas um para absolver todos. Aqui no meu bairro isso é um exemplo de imbecilidade.

E, então, o homem dá o golpe final. Já tendo dito que o verbo “temer” não significa “ter medo”, ele agora esclarece o seu significado divino:

Temer ao Senhor é reconhecer que existe um Deus único, verdadeiro, Criador e Senhor absoluto sobre todo o universo.

(p. 9)

Temer é… então… “reconhecer”! Se você “reconhece” uma coisa na sua essência e plenitude, você pode dizer que “teme” essa coisa. Um exemplo claro e em cores berrantes da “desonestidade intelectual” que é preciso para manter toda essa farsa de pé. E se ainda restasse alguma dúvida de que é essa desonestidade em 3D que permite às pessoas de fé continuarem com sua brincadeirinha ridícula, o pastor Silas Malafaia tratou de eliminá-la quando completou sua desastrosa explicação:

Temer ao Senhor é ter consciência de que a nossa vida e tudo quanto existe dependem daquele que vive e reina para sempre, que tem o controle de tudo e de todos.

(p. 9, 10)

Deus, então, está no controle de tudo e de todos? Sério?

Se você é uma pessoa religiosa, e se tivesse a coragem de ponderar durante uns 5 minutos as implicações que essa afirmação traz a reboque, você iria sentir o seu mundo espiritual começar a feder. A menos que (o que não é nada improvável) você seja um exímio fabricador de desculpas.

Só os que perdem a capacidade de fingir para si mesmos estão aptos a perceber a ilusão tola que chamam de religião, e todo o processo estúpido que, ao longo dos séculos, tem servido para sustentar a sua fé em uma fantasia mais estúpida ainda.


<<Parte 1

About these ads

6 Respostas

  1. ser temente a deus é reconhece-lo como criador absoluto.

    ser temente a deus não é ter medo dele.

    deus é misericordioso e bom.

    ele vai me castigar mesmo se eu não for “temente” a ele????
    a biblia diz que , sim, ele vai me castigar com o fogo e tortura infinitos, eternos… pq ele me ama. :S

  2. Já concluímos isto mil vezes, e então? Vamos tb passar uma eternidade constatando a canalhice? O que é preciso ser feito é: Dispor à Sociedade outro modelo. E esse modelo já foi elaborado, e desde quando se tentou mostrá-lo vem sendo imposta violenta e intensa pressão, tanto no autor quanto na Sociedade. Covardias, roubo e plágios de fiapos do modelo, com tudo os usurpadores seguem tentando a todo custo manter o Sistema Falido.
    Esse elemento aí que zanza de avião conseguido com a desgraça do povo também fez estardalhaço no Rio de Janeiro como pop-star desse tipo de ‘literatura’. Mas, e então, temos com o que compor a mentalidade civil, ainda que pelo menos nos âmbitos mais essenciais à vida? Vc mesmo Barros, teve a comunicação de uma iniciativa e nem se deu conta de conhecer para prover suporte aos leitores do seu site.
    Porque qual é o fundo dessa situação?
    É como ficar repetindo pra um moribundo com fome mil palavras, mas a fome tá ali, roendo o estômago. Se vc der um tico de coisa pra ele comer, ele na hora pensa no que vc tá falando. Fora isso, ele fica como também como a pessoa que tá importunada com um ruído forte; vc pode ficar usando toda a psicologia, e todo o paiol de munição de razoabilidade pra fazê-la “esquecer” o ruído, mas o tormento só aumenta; basta acabar com o ruído, e pronto, a pessoa fica disposta e pronta para pensar.
    O que isso tem a ver ainda mais com a canalhice que estamos lidando? Imergidos num caldo psicológico nocivo fortíssimo, submissos numa penúria civil em descomunal falta de dignidade, os indivíduos todos que não aderem ao esgoto, além de ficarem expostos, são penalizados brutalmente.
    E como o manejo inescrupuloso disso se dá? Os que parasitam os produtores na nossa Sociedade vêem logo entre os desesperados aqueles que já tão no ponto de vender até a mãe, eles sabem que tais indivíduos já estão sem força alguma, fragilidade completa, aí eles não dispõem o anzol e a linha, até porque os que estão em frangalhos psicológicos e/ou de subsistência não têm nem como se mover mais, então eles jogam: “Tua vida não vale nada”; claro que o indivíduo concorda (tem alguns que ficam a ponto de comer até merda, essa é a palavra mesmo, dita até por mulheres nessa situação); e criando e aproveitando-se desse ponto dramático, eles jogam um prato-feito pro coitado. E vestem a fantasia no prato.
    Isso vai desde bolsas-família ao invés de salário decente até a estupração do nosso direito natural de conviver com pessoas de nossa escolha sem precisar de “assentimento” de pulhas nenhuns. Foi o que a Lady Gaga quis dizer acerca da perda de criatividade dela: Ela prefere ficar ‘sem’ do que se formatar ao ‘feijão-com-arroz’ repetido, ditado e midiatizado como “benção”, que mata a criatividade de qualquer um.
    Mas então temos o foco da questão: Você está reprimido ou completamente sequelado no campo psicológico, sua educação é precária; vc pode até não estar debilitado fisicamente, mas seus atributos naturais de questionamento foram solapados desde tenro; aí vc incorre na incompetência da mão, que precisa do cérebro bem acionado. E vc vê no dia-a-dia, como fazer aquele garoto resolver aquele problema simples de matemática? Como fazer ele laborar direito? Se a ‘literatura’ juvenil também como essa aberração aí desse crápula que voa de avião em cima da desgraceira que fomenta, é de tentar fazer a garotada suspirar pela horrenda fajutice de vampiros? É um atolamento sem fundo.

  3. A teologia utilizada para dar um novo sentido às palavras como “temor”, é a “novilingua” de Orwell que ja tinha sido descoberta ha muitos e muitos seculos antes da obra “1984″, pelos teologos e pastores, ao perceberem que tinham de enganar mais ainda a plateia do circo da religiao. Providenciaram novos narizes de palhacos para farta distribuicao, e novos truques circences para entretenimento, com a finalidade funesta de surrupiar-lhes os bolsos e ainda por cima, serem objeto de eterna gratidao pela vilania.


  4. Isso é caso pra QUÊ?
    Mas invadiram meu Projeto, roubaram, queimaram, arrebentaram tudo que puderam. E todas as pessoas com que tento me comunicar eles chegam em cima. seja onde for, até na Internet. Travam tudo, Roubaram um aparelho Claro DENTRO DOS CORREIOS, roubaram minha exposição de lógica DENTRO DO CBPF, roubaram meu livro de matemática DENTRO DE UMA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO, roubaram a identidade que agora já me desfiz completamente DENTRO DE UMA DELEGACIA, impediram-me de conversar com estudantes DENTRO DE UNIVERSIDADES. Esse tipo de coisa aí foi o que teve voz e “proteção” para roubar tudo que fiz. Não vou esperar mas muito tempo não. Vou tomar posição dramática contra esses canalhas. É o meu tempo e o deles, eles e os asseclas deles onde estiverem, não vão desgraçar mais ninguém. Vamos ver.

  5. Belíssima argumentação.

    Aproveitando o gancho do 1984, o grande problema é que os crentes, assim como no livro, são pessoas que esquecem completamente declarações anteriores e que praticam sem constrangimento o duplipensar. Sendo assim, os crentes, ao se depararem com qualquer argumentação, contra-argumenta com os mesmos trechos decorados de sempre. Nem todo mundo anseia pela verdade, infelizmente.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 287 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: