O ateu e o acéfalo

Deus está em todos os lugares. Isso é o mesmo que dizer que ele não está em lugar nenhum.

Ah, você é religioso e vê Deus numa manhã, num pôr-do-sol, no vento, na chuva, no mar? Bom, nesse caso, só posso dizer que damos nomes diferentes para as mesmas coisas.

Mas como Deus, que está em toda parte, não está em lugar nenhum, o religioso traz para si a obrigação de vê-lo e revelá-lo. E isso é uma tarefa inglória, pois só surte efeito naqueles que já acreditam naquilo que se pretende revelar.

Para cumprir sua missão, o religioso recorre aos mais desesperados artifícios e recursos. Apela até para a etimologia das palavras.

O que significa “ateu”? É a pessoa que nega a existência de Deus? É uma pessoa sem Deus? É uma pessoa que não acredita em Deus?

Em qualquer desses casos, o religioso enxerga o inevitável: Deus existe. O fato de haver quem o negue, quem não acredite, etc., é, justamente, uma prova de sua existência.

“Acéfalo” é o que não tem cabeça. Chama-se de “acéfalo” àquele ser que nasceu sem uma cabeça, quando era esperado que tivesse uma. O indivíduo acéfalo não tem cabeça, mas a cabeça existe nos indivíduos normais, sendo essa palavra, acéfalo, usada para descrever o indivíduo que nasceu sem uma, e é, por si só, uma prova incontestável de que a cabeça existe.

O argumento do crente é que se dá exatamente o mesmo com a palavra “ateu”. É preciso, então, rebater com as mesmas armas.

A palavra “ateu” foi cunhada na Grécia antiga com o objetivo claro de contraposição. No meio de seus muitos deuses, ateus eram aqueles que não acreditavam em nenhum.

Segundo o dicionário Aurélio, ateu é aquele que não crê, mas apresenta, também, a palavra “ímpio” como sinônimo, que é, no fim das contas, o herege, aquele que pratica heresia, ou seja, que não segue a cartilha imposta pela Igreja. Vê-se, assim, que a palavra “ateu” nasceu já impregnada com a ideia de Deus e, com o passar do tempo, só teve aumentada a sua significação religiosa.

Muitos teístas se esforçam para divulgar que o ateísmo, bem pesado e bem medido, também é uma religião, pois os ateus “acreditam” que Deus não existe. Isso não deixaria de ser um tipo de fé. O ateu seria, então, uma pessoa sem Deus, embora Deus esteja presente nas pessoas “normais”, como uma cabeça está presente nas pessoas não acéfalas.

O problema com a palavra “ateu” é justamente sua origem. Mas uma palavra é criada para descrever, “batizar” algo. Real ou imaginário. Deus não vai passar a existir por causa de uma análise etimológica.


Anúncios

8 Respostas

  1. O ateu seria, então, uma pessoa sem Deus, embora Deus esteja presente nas pessoas “normais”, como uma cabeça está presente nas pessoas não acéfalas.

    BArros!!! são palavras suas!!! felismente vc está começando a entender… Jesus ti ama!

  2. Jesus TE ama!

    Foi mal.

  3. Anônimo,

    O que o Barros escreveu apenas mostra que qualquer um pode inventar o “delirante deus” na sua imaginação, mas que não tem fundamento na vida dos que pensam. Então não tem ingerência, interferência, força, é impotente para o mundo dos ateus. A fé e a etimologia não provam nada além de se “embrenhar” nas contradições.
    Apenas uma questão etimológica!

    Ou seja, Deus existe na cabeça dos anecéfalos e naqueles que têm cabeça, mas não raciocinam!

  4. Sim, são minhas palavras. Por um pequeno detalhe, fazem parte do texto, do post de hoje… só que você selecionou apenas um trecho e tirou uma conclusão apenas sobre ele. Assim não vele, né?

  5. Pra interpretar a Bíblia “precisa de contexto”, mas quando o negócio inverte, aí pode pegar só um trecho a dedo e ignorar o resto? =P

  6. […] Texto complementar: O Ateu e o Acéfalo […]

  7. […] O Ateu e o Acéfalo […]

  8. Pra que serve tanta divergência entre ateu e crente, parece que as duas correntes ideológicas se odeiam. Se ver que essa divergência não serve para nada! Pois Deus nunca apareceu a um ateu para dizer a ele, eu existo, como também nunca apareceu a um crento para dizer a ele eu existo,pois está escrito no evangelho de João C.1,18 ninguem jamais vio Deus. É confuso. É melhor ficar neutro do que ficar na internet falando milhares de bobagem e ninguem tem razão vam todos para o mesmo buracão.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: