Jesus, o Charlatão [4]

Deixando claro que Satanás era um rival, Jesus admite sua existência, é carregado no ar e tentado por ele durante 40 dias, e se refere a ele com frequência: “Disse também o Senhor: Simão, Simão, eis que Satanás vos pediu para vos cirandar como trigo” (Lucas 22:31). Ele cura uma mulher a quem diz: “E não convinha soltar desta prisão, no dia de sábado, esta filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás tinha presa?” (Lucas 13:16). Jesus também declara que o Inferno foi preparado para o Diabo e seus anjos, que são muitos (Mateus 25:41). Jesus deixa claro que eles são poderosos antagonistas de Deus. Satanás, na verdade, é tratado por Jesus e pelos apóstolos como um mal e poderoso (“ele está em toda parte”) enganador que compete com Deus pelos corações dos homens, na maioria das vezes sendo melhor sucedido. O Inferno é descrito como tendo portões e como sendo tanto um lago como uma fornalha. 

JESUS GASTA A maior parte do seu curto ministério expulsando demônios ou espíritos imundos. Ele não é muito conhecedor da medicina, atribuindo muitas enfermidades, da epilepsia à insanidade, à possessão do corpo por demônios. Ele tem poder sobre eles e tenta dar um pouco disso aos seus seguidores, embora os discípulos não se saiam tão bem. Às vezes, o toque da mão de Jesus cura também; outras vezes, um pouco de seu cuspe, ou a bainha de sua túnica. (Tal transferência de poder é um conceito originário da mágica pagã.) 

Muitas histórias improváveis abundam os Evangelhos sobre Jesus curando através da expulsão de demônios que habitavam nas pessoas naquele tempo. Um dos relatos mais elaborados é encontrado em Lucas. Logo depois do episódio em que ele acalma as ondas, Jesus entra numa cidade e encontra um homem “que tinha demônios há muito tempo”, um homem que não tinha casa e andava nu pelas ruas (uma prática bíblica nada incomum). Jesus ordena ao espírito imundo para que abandone o homem, mas o espírito grita (ah, sim, eles podem falar): “Que tenho eu contigo, Jesus, filho do Deus Altíssimo?” (O nome do homem era Legião, porque haviam muitos espíritos nele.) 

Os demônios suplicam a Jesus para que os jogue dentro de uns tantos porcos e, após serem atendidos, os bichos se precipitaram num despenhadeiro e morreram todos (Lucas 8). (Uma grande perda para o proprietário.) 

Continuando nessa linha, os discípulos tentam curar uma criança possuída e falham. Jesus pede, impaciente, para que a criança seja trazida até ele. “E, quando vinha chegando, o demônio o derrubou e convulsionou; porém, Jesus repreendeu o espírito imundo, e curou o menino” (Lucas 9:38-42). De novo: “E também de muitos saíam demônios, clamando e dizendo: Tu és o Cristo, o Filho de Deus. E ele, repreendendo-os, não os deixava falar, pois sabiam que ele era o Cristo” (Lucas 4:41). Mas: “E os espíritos imundos vendo-o, prostravam-se diante dele, e clamavam, dizendo: Tu és o Filho de Deus” (Marcos 3:11). 

Obviamente esses espíritos imundos (os anjos do Diabo que habitavam, antes, o Paraíso?) são uma boa fonte de obras miraculosas de Jesus, e é útil que eles frequentemente anunciem a identidade dele. Por exemplo, alguns deles fizeram de morada um homem numa sinagoga, dizendo:  

“E estava na sinagoga deles um homem com um espírito imundo, o qual exclamou, dizendo: Ah! que temos contigo, Jesus Nazareno? Vieste destruir-nos? Bem sei quem és: o Santo de Deus. E repreendeu-o Jesus, dizendo: Cala-te, e sai dele. Então o espírito imundo, convulsionando-o, e clamando com grande voz, saiu dele. E todos se admiraram, a ponto de perguntarem entre si, dizendo: Que é isto? Que nova doutrina é esta? Pois com autoridade ordena aos espíritos imundos, e eles lhe obedecem! E logo correu a sua fama por toda a província da Galileia” (Marcos 1:23-28). 

Jesus parece não ter nenhuma dificuldade em expulsar esses demônios menores, mas alguém poderia se perguntar para onde eles vão quando não há nenhum animal desafortunado por perto. Para dentro de outras pessoas, aparentemente, pois Jesus diz a seus discípulos “ressuscitai os mortos, expulsai os demônios” (Mateus 10:8). Quão fácil isso pode ser? 

9 Respostas

  1. […] 2 – parte 3 – parte 4 – parte 5 – parte 6 – parte 7 – parte 8 – parte 9 – parte 10 […]

  2. Caro Barros, preste bem atenção no que você está lendo e desmerecendo. Não faz sentido monter uma visão limitada e restrita à parte do texto que você lê (sem levar em consideração o todo da mensagem de Jesus). Jesus condenou a prática dele: expulsar demônios e fazer milagres (eram atos de exceção). Você identificou uma doença como epilepsia (pelos sintomas). Mas, sabes que nem todo sintoma dispensa uma análise mais detalhada (você é médico?). Quem expulsa seus demônios é você. O espírito falava pela boca dos possuidos (espíritos não são visíveis).
    De que adianta expulsar demônios se eles podem voltar para quem eles possuiam?

  3. É uma festa quando o dono do blog aparece! Cristo nos ensinou a não chingar e nem a despresar a ninguém. Percebo que muitos dos que se dizem ser cristãos estão longe de Cristo. Isto prova que a fé pela fé vem do Diabo! O Cristão devia retribuir o mal recebido com o bem! Difícil encontrar alguém que ouve e aplica 100% do que Cristo nos ensinou. Triste!

  4. Quem prega a tal da felicidade desconhece a Cristo. A vida aqui é cheia de atribulações e quem não pega a sua cruz não é digno dele. O que há são momentos de felicidade e outros de tristeza. Quem foge de quem é mau nunca poderá ajudá-lo e continuará com medo de tudo, sectarista e cego. Falo isto para os que se consideram adultos de espírito.

  5. O autor(a) do texto faz uma analise da “letra” do evangelho de Cristo. Quando fazemos uma analise do evangelho sem a inspiração do Espirito Santo de Deus não é possível ir alem da letra, ou seja, entender o evangelho como uma historia ou estoria não sendo possível absorver o conteúdo espiritual enriquecedor que ele traz. Concordo que a religião pode ser usada de forma perniciosa, Jesus alertou sobre isso quando disse que apareceriam falsos profetas e enganadores interessados em tirar proveito do evangelho para fins pessoais,há muitos por ai. Seguir o Cristianismo é diferente de ser cristão, ser cristão e buscar ser como Cristo, livre de dogmas, preceitos e religiosidade na sendo portanto pernicioso. Já o cristianismo, que engloba toda crença que envolve cristo em suas idéias, é por vezes manipulador, usando o evangelho para criar conceitos humanos que não tem nada a ver com a palavra de Deus e nem tão pouco com o evangelho. O evangelho foi escrito para todos mas o entendimento dele e para os poucos que creem que Jesus Cristo é o messias e receberam o Espirito Santo de Deus como promessa.

  6. Mano Tavares, parece que temos pensamentos em comum acordo. O Espírito Santo é nosso advogado , conhecedor de toda a verdade e se assemelha à sabedoria divina. O autor do blog, o Barros, se colocou no lugar de Deus e não se conforma dele permanecer invisível e não mostrar as caras! Ele ignora que o Pai não vê a si, mas sim, a seus filhos. Portanto, em vão, nunca verá o Pai!

  7. Percebo que muitos sites da internet deixaram de existir. As vezes os sites ainda existem, mas, muitas páginas foram deletadas ou o usuário as modificou. Pessoas mudam seus ícones ou seus modos de pensar. Os governos se sucedem. Enquanto muitos morrem, outros tantos nascem. Só o que nos sobram são as nossas boas inteções e as nossas boas obras. Acredito que cada pessoa tem a capacidade de se formar, de superar a todas as suas limitações e de respeitar a integridade de todos os seres pensantes deste planeta. Respeitar o próximo não é concordar com o este faz ou pensa, mas sim acreditar que este seja capaz de entender a si e ao outro, de ser capaz de crescer com seus próprios recursos ou com o mínimo de artifícios (ou muletas). O Pai conhece quem ele é e não precisa de nossa bajulação. Ele não quer que o vejam, mas sim a quem é visível.

  8. Descobri que o corretor ortográfico do Google impera sobre qualquer pesquisa. Textos com erros ortográficos dificilmente serão pesquisados! Pobre coitado dos meus textos! Se eu não me ajusto ao padrão oficial meus textos vão depender do acaso! Isto é uma forma de colocar minha luz (opinião) em local bem visível?

  9. O Barros julga-me como um ditador. Ele já me colocou um chapeu de louco. Só falta chamar a polícia ou os psiquiatras e suas camisas de força. Se não lhe sou útil, fique em paz.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: