A próxima refeição

CRIATURA CRIADORA

A próxima refeição

autor: Tho Alexandrino


Há tempos, estava a bordo de um navio atracado no cais. Da amurada, observava um cardume de sardinhas. Nisto apareceu um cardume de anchovas que rodeou as sardinhas, as sitiando e fazendo saltar, pelo que imaginei haver mais anchovas atacando por baixo. Eram tantas e tão grandes as anchovas, que – supus  – logo não haveria mais sardinhas. Ledo engano!… Tão logo saciadas, as anchovas se afastaram deixando as sardinhas.

Chegou então um pescador na sua canoa e lançou uma tarrafa sobre as sardinhas, capturando o restante do cardume. Ao recolher a rede, cheia de peixes, remou ao encontro de novos cardumes.

É este o modelo “feito à imagem e semelhança”… um modelo estúpido e egoísta de uma matriz burra. Melhor fora que o tal Criador tivesse a imagem e semelhança de uma anchova. Dizem-me que é o livre-arbítrio.

O ser humano é  estranho mesmo… acha-se o rei da Criação, melhor que todo o resto… nós consideramos o que nos rodeia como resto!…

O cardume de anchovas ataca o cardume de sardinhas. É a cadeia alimentar… mas a anchova “sabe” que não pode comer as sardinhas todas: ela tem de deixar uma boa parte das sardinhas para que cresçam e se reproduzam, caso contrário, a anchova não terá alimento no futuro e morrerá.

Nós nos consideramos inteligentes e esquecemos que o que importa mesmo na vida é tão somente: ‘a próxima refeição’.

Um animal indefeso e frugívoro, acidentalmente, passou a devorar restos carbonizados (cozinhados) de outros animais que, antes disso, não podia digerir.

Com essa pré-digestão (ou cozimento) de carnes e vegetais, descobriu uma fonte rica em proteínas, desenvolveu o cérebro e diminuiu o estômago.

Criou armas e meios de defesa… e atacou animais aparentemente mais preparados que ele. Destruiu uns e aprisionou outros.

Assim, aprendeu a transformar certos elementos naturais não próprios em alimentos não naturais próprios. Com isso desenvolveu uma falsa sensação de fartura. E se reproduziu fartamente…

Não podendo controlar outras forças naturais maiores do que ele passou a imaginar que, se havia algo que ele não podia dominar, é porque alguma coisa maior e mais forte que ele também estaria presente.

Começou a cogitar sobre a sua origem… e criou Deus!

Eis o mistério da fé: a criatura que criou o Criador, ou seja, o segundo vem sempre antes do primeiro.

Um exemplo simples disso: só se começou a falar em Primeira Guerra Mundial depois da Segunda Guerra Mundial. Antes da Segunda, a Primeira era chamada apenas de “A Grande Guerra”. Por isso é que o segundo vem antes do primeiro.

Mas o homem se arroga os direitos a ser filho do Criador, quando, na verdade, ele mesmo criou Deus à sua imagem e semelhança.

Com a prerrogativa de ser o rei da Criação, pode destruir o resto.

Os animais são mais espertos, mais simples… Apenas se preocupam com a próxima refeição quando acabam de digerir a anterior. Enquanto estão saciados, se acasalam e se reproduzem. Nada fazem para destruir o seu meio.

Assim sobrevivem e se perpetuam. Protegem as suas crias apenas enquanto estas não podem subsistir por elas mesmas. Em seguida as abandonam, para que possam iniciar novo ciclo, novas famílias, não se apossam delas… Chamamos isso de instinto. Nós é que somos inteligentes!…

Acredite: o importante na vida é mesmo a próxima refeição. Mas essa refeição não está garantida, porque comemos todo o cardume das sardinhas.

Somos estranhos mesmo. Criamos nossos filhos e os mantemos dependentes para perpetuar a nossa posse. E, assim, estamos sempre esperando que alguém nos dê aquilo que julgamos precisar. Se não o obtemos, culpamos o provedor.

Daí a necessidade de criar Deus para o fazermos culpado pelos nossos próprios erros e iniquidades.

Pense nisso.

A grande tragédia da Humanidade é a transmissão de conhecimentos.


Anúncios

5 Respostas

  1. Tens aqui uma experiência de vida real ou ficticía (?)impressa , muito interessante! Gosto da comparação com os animais!!!

  2. Un caro saluto!

  3. Gostei do texto!!!Alias adorei!!!

    Tudo isso é devaneio sim. Fantasias de mentes limitadas que não dão a menor importancia pela busca do “verdadeiro” conhecimento.
    É isso.

  4. Como gostam de enganar-se com suas próprias palavras! Fantasias de mentes limitadas que não dão a menos importância pela busca do verdadeiro conhecimento?
    Não me preocupo ter conhecimento terrestre! enquanto esse me serve apenas para essa vida!
    Prefiro o conhecimento divino, que é para a eternidade!
    Que Deus abram seus olhos, e não se afoguem no mar de suas palavras…
    Paz a todos.

  5. Né até hoje tem gente que jura que a Terra é plana e viu isso na bíblia.Quem quer acreditar em contos de fada não precisa de conhecimento só vontade de se enganar.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: