Nada a ver com Deus (parte 5)

 

Depois que aqueles bichos feios que nós fomos passaram a se estruturar melhor como um bando social bem definido e coeso, e desenvolveram uma forma de comunicação verbal rudimentar, mas bem eficiente, as fêmeas da espécie começaram a fazer, então, algo que nunca tinha sido visto nesse planeta antes: passaram a escolher os machos com quem iam acasalar através de outros critérios além dos que lhe garantissem a sobrevivência pura e simplesmente.

Talvez elas fofocassem pelos banheiros na época:

Mas você não tá ficando com o Tonhão? Ele é um tremendo caçador, é o mais alto e o mais forte do bando…

Eu sei, mas ele é um grosso! Não vou ficar com ele. Vou ficar com o Barros… ai, o Baaarros… ele é atencioso, carinhoso, divertido, inteligente… ouve as minhas confidências… ai, ai… E não preciso dos músculos do Tonhão: tenho meus pais, meus irmãos pra cuidar de mim, pra me ajudar a criar um possível bebê. Não vou me sujeitar àquele brutamontes mal-educado só por causa de sua habilidade em conseguir comida. O Barros… ai, o Baaaarros… ele me faz rir!!! Me faz me sentir mais… mais… mais mulher!

Pronto! Isso deve ter sido o começo. De tudo.

A partir desse ponto, as mulheres passaram a escolher os homens não mais apenas pelo seu porte físico, pela sua capacidade evidente de lhe conseguir comida, de lhe defender de predadores e do assédio de outros machos. Uma vez “inventada” a linguagem, uma vez que a estrutura social começou a identificar grupos menores entendidos como famílias, uma vez que não era mais extremamente necessário se contar apenas com a força bruta do parceiro, os homens que tinham a inteligência intelectual necessária para agradar uma mulher começaram a ter precedência sobre os machos-alfa.

As mulheres passaram a escolher homens pela sua inteligência, revelada e exibida como um atrativo sexual.

Se nunca reparou antes, repare agora: quando homens estão sozinhos, em bando, eles falam e se comportam de uma determinada maneira. Coloque sutilmente uma mulher bonita entre eles, ou mesmo só por perto, e você vai ficar de boca aberta. A postura muda, é fato. Mas outra coisa também muda: eles vão competir entre si, não para mostrar para a moça bonita qual deles é o mais forte, mas quem é o mais inteligente. E como eles fazem isso? Estruturando melhor suas frases, escolhendo palavras mais “interessantes” e expressivas, elaborando melhor seus argumentos, e tentando ser “divertido”. O humor é uma forma incontestável e não falsificável de inteligência.

Mulheres adoram homens que as fazem rir!

E as gerações seguintes só fizeram aperfeiçoar mais e mais essa nova técnica de sedução. As mulheres tinham filhas que herdavam a tendência em selecionar homens que tivessem uma competência mental diferenciada para cortejá-las, e filhos homens que herdavam essa habilidade. Mas como era a mulher que julgava, ela precisava ser tão inteligente quanto o homem para exercer esse julgamento. Como avaliar uma obra literária, se você mesmo é um analfabeto? O mundo do sexo não permitiria um intermediário que fizesse a leitura em voz alta.

Assim, segundo a teoria da seleção sexual, nossa espécie ganhou esses cérebros, essas máquinas pensantes e criadoras que, embora tenham evoluído para atrair e conquistar uma parceira, também são capazes de fazer coisas maravilhosas para o deleite e usufruto de toda a humanidade; coisas que seriam completamente supérfluas — quando não inúteis — se tudo se resumisse apenas a sobreviver e procriar: arquitetura, engenharia, medicina, matemática, música, arte, poesia…

Citando Geoffrey Miller, “Essas conquistas não são efeitos colaterais de termos cérebros grandes que podem aprender tudo, mas de termos mentes cheias de adaptações para a sedução, que podem ser treinadas e redirecionadas para inventar novas ideias, mesmo quando não estamos apaixonados”.

 

<< Parte 1

Anúncios

15 Respostas

  1. eles vão competir entre si, não para mostrar para a moça bonita qual deles é o mais forte, mas quem é o mais inteligente. E como eles fazem isso? Estruturando melhor suas frases, escolhendo palavras mais “interessantes” e expressivas, elaborando melhor seus argumentos, e tentando ser “divertido”. O humor é uma forma incontestável e não falsificável de inteligência. Mulheres adoram homens que as fazem rir!

    Taí algo que assino embaixo. Pra “conquistar” minha fêmea (rs) utilizei esta tática, e ainda utilizo deste artifício pra poder manter o relacionamento agradável.

  2. A mesma coisa Stranger_Land mulheres adoram homens que as fazem rir, ou que mostrem vídeos de filhotes de gatinhos fofos hahaha com a minha sempre funciona.

  3. Além do fazê-las rir e o sentido de “provedor” que o homem ainda tem que manter?. Bens e posses, dinheiro e poder sensibilizam qualquer fêmea, mesmo que elas não admitam, por ser pouco delicado! rsrsrs..

    Todas querem seus descendentes num ambiente bem propício, longe da insipiência da “subsistência”, onde o glamour e posses as diferenciarão…

    Nestas horas, nem os religiosos ficam de fora! Ter torna-se mais importante que ser “divertido”. No final, tenta-se transformar o divertido em possibilidade de obter posses….rsrs

    Imagine, vocês, que o objetivo de um pastor seja ficar rico, para ter boa fêmeae o resto que se dane! rsrs

  4. Saracura

    Bens e posses, dinheiro e poder sensibilizam qualquer fêmea

    rs…mais uma realidade.

  5. Aí mêrdinha, tu ingãna us prêibóizin, mais nóis fica ruin di tu arturá; aí pádi, dis pá ni nóis quáu u spíritu qui tá impurrânu ni tu pur tráiz. (Si isquicí di comu colocá u pontu di iscrámassãoum)
    Como para garantir reservas de energia, se comesse quando quero seria igual boi, e gordo como os muitos religiosos americanos tão mal educados que nem sabem comer condizente com o instinto. E aliás, sem instinto não se faz sexo bom, porque sexo não é só intelectual, nem é só platônico.
    Quanu eis vê uns pácêru “injuado” arnsim inguál u Bárru, u SáraCurado, u StrangiLând, u Leornádu, us cára fica márlucu, cumpádi.
    Esse sofista fajuto, o Mêida, que aparece aqui no Deusilusão vem lá do blog que chama o Pat Condell de falastrão. É a velhaca confraria que intenta transformar os ateus em “mocinhas delicadas” submissas à vigarices (Essa “esperteza” ficou apavorada quando viu o novo censo indicando o número de céticos nos EUA; a mamata da fé está pra acabar). Em Portugal também tem umas trincas que entram na blogosfera não para somar idéias não, eles entram com fajutice. O negócio deles é sabotar e ‘ajeitar’ os comentários pra no final deturpar tudo, multiplicar bastante estupidez pra parecer que estão com um montão de condição de debater (mas não têm idéia nenhuma).
    Ni na lárji num tein papu intortádu naum cumpádi. Nóiz num tâmu mais gostânu dissu mais naun. Pegamu us pastô mandânu us cára levá nóssaiz mãe pu mátu inquantu nóssus pai trabalhavum; i botânu us olhãun ni nóssais mulé dirzênu qui eis tein prânu pá erlas. Eis péga u dinhêru di nóssus pai pa putalhar nossaiz mulé, marlucu.
    Ninguém denuncia na internet esses sofistas e os canalhas junto com eles, mas até videntes ViGaristas denunciam sites como o Ceticismo Aberto, e os fiéis ‘abençoados’ que correm pra salvar o jogador esquartejador, amontoam denúncias contra perfis do Orkut (como fizeram quando divulgamos a página as ‘frases teístas’ postadas no Deusilusão).
    Us muléqui qui istúda fica qui nein iscrávin qui nein nóiz da lárji, eis num tein tamém pa ôndí corrê naun. Naiz favela nóiz sâmu tudo vigiadu; e nas prássinha us ômi vigia eis tudo tamém. Agenti sâmu tudo qui nein mêrmu boi. Quânu eis xâma agênti pa formá cum eis nóiz tein qui colocá us pulçu nu troncão du arçoguêru (irnguáun a firgúra qui u cára boto aí tremênu nu tronco du aultá); têmu qui dá órguém qui gôstâmu pá eis. Mermão eh a lêin da trairagi. Eis diz qui si nóis gostâmu di jersuis têmu quir dá tudu pa êrli. Si dé urma criança pa eis , eis ri muito. Urza nóiz mêrmu pa matá us zôtu, e eis mêrmu fica di fora rinu.
    Só sofistas e dissimulados com cargos inúteis de vigiadores são capazes de fazer estudantes de Física não se darem conta de quanto covarde era ter de estudar no calabouço subterrâneo das aulas da UFSC enquanto padrerastas e pastrófilos se esbaldavam em mansões e mordomias pra passar o dia em vagabundice, jogando os pobres contra os ricos, e os empresários contra os funcionários e professores contra alunos.
    O norteamento biológico que o Barros mostra é a praticidade que nem homem nem mulher podem esquecer por conta das figurinhas de enganar da carochinha, porque na hora da realidade da separação (muitas) é que se vê cruelmente o fator biológico, olhando friamente o que foi ‘amor’ ao lado na cama. E nessa hora correm pra igreja pra jesuis ajudar fazer planos pra livrar um da vida do outro (pois jesuis é o ‘único’ fiel e verdadeiro que você deve amar, o resto, irmão, irmã, mulher, mãe, filho, isso tudo é de ‘somenas’ diante de ‘deus’); aí aparece aquela frase pródiga que cai como uma luva: “tirar do injusto de dar pro justo”; pra dar “grande livramento”, e dez ou mais um pouco pra igreja que fizer a façanha de arrumar até um outro pra colocar no lugar. Isso se não foi a gang de intermediários do deus que botou o olho na mulher e escorraçou o marido do bairro, ou que usou a sua filha e depois colocou-a na prostituição.
    Também não é uma “arrumação” intelectual que os parceiros carinhosos fazem para se suportar quando velhos não, Saracura. É sentimento; e velhos (ou pessoas com mais idade) que souberam fazer seus traços serem agradáveis à vista como uma árvore frondosa antiga é, sabem o calor que os faz aquecer; e essa aula, podem ter certeza, não está presa na cama junta (a cama de casal – a da morte lenta), nem na ostentação dos dotes da beleza, nem da riqueza; é o supra-sumo de querer bem uma pessoa por tudo que ela é e condiz com o que faz você ser você.
    Nós estamos empenhados é saber o que é que estão imaginando fazer com os planos kombos, as “firmas” de ‘segurança’, a venda explícita de racismo em favor dos negros contra os europeus(principalmente, pelo alto índice de afastamento de crenças na Europa), com a transformação de associações de moradores e condomínios em feudos sitiados com mandantes de crenças tutelando e monitorando até a vida íntima de todas as pessoas.

  6. Pois é Leonardo…
    Filhotes sempre funcionam….rsrsrsrs

  7. Cara, eu casei muito jovem e sempre minha família teve grana. Minha mulher me deu uma filha linda que eu amo, mas, depois de 2 anos de casamento, nos separamos depois que soube que ela me traía. Então, acho que o conceito biológico de “acasalameno”, “escolha da fêmea” e tudo omais ainda esteja válido, isto é, você pode ser rico e atrair mulheres interesseiras que querem apenas o seu status, mas elas vão aproveitar o seu dinheiro, os seus presentes e se enfeitar para atrair os caras com quem realmente vão transar de verdade.

  8. Eu falei que se tocassem no assunto sexo, isso aqui ía ficar “caliente” … Mas também as garotas sofrem na mão dos mimadinhos, que pensam que todas as garotas querem transar com o carro deles(emprestado do pai), ainda mais se forem pobres e apaixonadas mesmo.

  9. Ó, concordo com o SM aí: uma mulher que case, namore ou fique com um cara pelo dinheiro dele, pelo seu status e tal… bom… te prepara pois, já que ela tá com você pela grana e não pelo tesão… talvez precise de uma válvula de escape de peitoral bem definido e olhos verdes, como os meus, pra descarregar as tensões… é muita pressão…

  10. […] em Nada a ver com Deus (parte…VANDERLEI em Eu acredito em dinossauro…Barros em Nada a ver com Deus (parte…VANDERLEI em Nada a ver com Deus (parte…VANDERLEI em Nada a ver com Deus […]

  11. Eu vou encerrar essa série na terça-feira… acho que já escrevi o suficiente sobre o assunto… Na segunda é o novo dia do Saracura publicar seus textos… Pra semana começar quente! rsrs

  12. Shere W., por falar em sexo, essa moça que eu escolhi pra colocar na foto do texto é um tesão!!!! rsrsrs

    É um exemplo clássico de fêmea que atrai qualquer macho. Eu faria tudo pra ser “selecionado” por ela, nem que fosse por apenas uma tarde! KKKKKkkkkkkkkkkkk

  13. eu tow estressada com esses textos. depois q a gente le e analisa, verifica q o negócio faz sentido mesmo e muito provavelmente seja mesmo isso. como eu disse, é uma coisa estressante.

  14. dá pra liberar aí a parte 6?????????????? rápido!!!! ok? obrigadinha…..

  15. Alícia, querida, hoje é o dia do texto do Saracura, o outro autor do blog.

    Amanhã eu publico a parte final dessa série. Espero que goste. Eu queria ainda falar de traição, ciúme, e coisas que deixam um relacionamento “morgado”, mas acho que não ia ter competência pra isso… daí que finalizo amanhã.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: