Religiões querem o Poder sobre todos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um assunto fartamente debatido nas últimas semanas nos traz às claras a gana desmesurada de religiosos de tentar influenciar pela política. Isso não só ocorre nos votos direcionados do rebanho manobrável, como também no entendimento  dos teístas, de que há a necessidade de terem participação na câmara e no Senado Federal. Justamente os poderes que votam, propõem e discutem as leis, que servirão para todos os brasileiros. Embora se considere que no Brasil este direito dos religiosos de exercerem mandatos  é a própria  consolidação do regime democrático de direito, não se traduz este exercício, para o bem comum e satisfação da sociedade brasileira. O que temos visto, como já discutido anteriormente, é um notório desejo de ingerência, quase  sempre sectária, por parte dos cristãos e teístas, para satisfazerem seu eleitorado, implantar seus dogmas como leis e discriminar boa parte dos brasileiros, além de atravancar o progresso das instituições e das leis em nome dos seus ensinamentos antiquados. Faz vergonha os projetos de lei de iniciativa dos religiosos. Da mesma forma que propõem leis de favorecimento tão somente aos seus cultos, discriminando os diferentes credos, ainda barram projetos importantes para o bem coletivo da sociedade brasileira. O projeto que previa penas para discriminação de opção sexual, foi duramente combatido. As pesquisas com células-tronco embrionárias foi combatida veementemente pelos católicos, mesmo assim foi liberada pelo STF.

Não estou querendo julgar os processos pura e simplesmente pelo lado teísta e ateísta, mas sim discorrer sobre a relevância e abrangência e utilidade pública. A minha preocupação é justamente querer que o Estado brasileiro seja, de fato, laico. Quando um deputado propõe que sua bancada evangélica, cristã, espírita ou qualquer outra não vote em tal lei porque feriria seus princípios religiosos, não está separando efetivamente o exercício democrático do mandato e sim  favorecendo a sua denominação ou credo. Será que, só porque diz no seu livro sagrado que homossexuais devem ser combatidos, então eles tem que tornar isso uma lei? A constituiçao é clara quanto aos direitos dos cidadãos. Devemos ter a liberdade de consciência e de crença. Mas também a não crença é garantida. Se vivêssemos sob a batuta das incoerências religiosas estávamos em piores condições. Não dá mais para viver na época em que se pedia autorizaçao para publicar descobertas científicas, sob o pretexto de que algumas leis prejudicaria os ensinamentos cristãos. Aconteceu com Galileu, que teve várias publicações vetadas, ou modificadas o título, por ordem do papa Urbano VIII. Nem seria fácil listar as inúmeras decisões absurdas de quando a igreja mandava efetivamente em tudo, sob a pena de escrever um livro de dez mil páginas. Posso dizer que coitados como Giordano Bruno morreu apenas por proclamar que o universo é infinito; pessoas foram mortas por serem consideradas bruxas; queimaram livros considerados hereges. A Inquisição foi um marco, mas houve outras perseguições em nome de religiões, credos e ideologias. Todas absolutistas, opressoras e com grande penetração na política e no Estado.

O grande problema do crente é querer se infiltrar em tudo. Esta necessidade de estar em tudo e em quaquer lugar chega a ser ridículo para os evangélicos. Tem o pagode de Jesus, sertanejo cristão, mpb do Senhor, banda gospel, Marcha para Jesus – com trios elétricos, em imitação às “micaretas” . Só falta criar as “garotas de programas” divinas, os “bandidos em cristo” -o presídio tem muitos desses- “segura o tchan de Jesus”, as gostosas em cristo, na cadeia os “estupradores divinos” e os pedófilos sagrados. este último já existem em quantidade! Além disso, a moda agora é estar no poder. Incrustrados no legistativo, para ter benefícios materias e se perpetuarem nas benesses da “vaca profana”.

Voltando à questão, a laicidade tão custosa aos pensadores e implantadas na Revolução Francesa, parece ser a conquista mais perseguida pelos religiosos. Eles não aceitam não terem mais o controle dos desejos e das ações da população, sob o julgo e paternidade dos seus deuses. É desejo deles de controlar tudo, da obrigação de doar ao comportamento sexual, de como se vestir e viver longe do conhecimento e cultura. Não aceitam que o rebanho diminua, com isso a arrecadação, o esquecimento e a perda da capacidade de manobra e submissão. Como podemos separar estas influências sem entrarmos na restrição dos direitos dos próprios religiosos? Simplesmente exercendo o secularismo justo. Não queremos acabar com as igrejas e dogmas e religiões, esta droga do povo – pelo menos para aqueles que não se desvencilham dela. Queremos que estas manifestações sejam exercidas com toda emoção e  afinco necessários nos seus cultos, igrejas, templos, mas que não sejam empurradas nas nossa mentes ou nos obrigue a ouvir a aceitar seus dogmas como verdadeiros, ou como únicos. Eu particularmente, gosto do assistir a execução dos ritos religiosos, como sendo de natureza cultural, como arraigada na mente, memória, que perfazem sua cultura. Acho bonito os toques do candomblé, umbanda, afoxé, mararatus, as danças, o “rebolado” sensual,  mas não me envolvo emocionalmente e espiritualmente, como dizem, até porque não sinto as emanações dos deuses em mim. he!he!

Se uma sociedade em que religião, seja qual for, detenha o poder sobre as pessoas, já priva aquela da liberdade. Não queremos ficar enclausurados nas idéias ultrapassadas e de ritos sem sentido, só para agradar justamente em  quem não cremos. No ateísmo, que é apenas a falta de deuses, exercemos bem esta liberdade. Alguns como eu, proclamam a ciência como solução e liberdade em todos os sentidos. Condenamos o preconceito e a discriminação e procuramos conceber a  ação da  humanidade para a própria humanidade. Tendo dito antes,  a energia deve se gasta para o ser humano e não para os deuses! Todas as minorias tem seu papel e seus direitos que esbarram quando ferem os direitos alheios, embora essa fronteira seja difícil de definir. No caso de religião, eles não tem limites e não tem bases científicas, justas  para descobrir a verdade acima das paixões. Não se importam com os direitos e garantias individuais mesmo que  consubstanciadas na carta magna, desde que os favoreçam. Não medem esforços para emendar a constituição para exorbitar a seu favor.

Eu gostaria que os tais valores cristãos – que se depender da bíblia nem são valores pra mim – fossem um exercício de foro pessoal. Que entendam os cristãos que existem milhões de entes com pensamentos diferentes, de crenças diversas e que não querem se submeter aos desíginios do deus judaico-cristão. Que as leis devem ser feitas para  atender ao universo das pessoas bem maior que o seu “nicho” evangélico. Que a sociedade quer determinar para os seus, o entendimento plural e justo de viver socialmente , condignamente e com liberdade de escolha. Isso é um desejo para qualquer outra crença que pacificamente conviva entre nossa sociedade.

Viva a iberdade! Viva a educação! Viva a ciência! Viva as diferenças!Viva o Estado Laico e justo!

Saracura do brejo

 

 

Anúncios

21 Respostas

  1. Imaginem leis com um teor religioso! Basta ver os países muçulmanos como exemplo. Com tempo aqui seria a mesma coisa. Os direitos seriam restringidos.

    Tomara que a população, pelo menos a maioria, perceba os males advindos disso. Basta voltar ao passado não muito distante ou ver os países com velada interferência da religião.

    Não podemos aceitar decisões que nos afetam o progresso e cortam nossa liberdade, além de serem preconceituosos com as minorias.

  2. Amigos. Peço perdão por ter atrasado o texto hoje! rsrs

    Ainda não vi nenhum comentário crente aqui!

    abração a todos

  3. E vai piorar Saracura. Os líderes religiosos arrastam verdadeiras multidões e os candidatos têm que fazer acordos, sob pena da perda de eleitores. E aí que a ICAR ganha apoio, as igrejas são isentas de impostos e ganham até terreno público.

    Fico triste que em pleno século 21, a bíblia ainda é maior que a constituição:

    http://3.bp.blogspot.com/_ltmye-oggK0/Sp8tTS28GmI/AAAAAAAABy0/pKAC9SFykiE/s400/Untitled%2B3bv.bmp

  4. Dhiogo
    Amigo. Isso é uma preocupação a mais em quem tem consciência…porque tivemos progressos, mas não podemos mudar o rumo…ter um retrocesso, não dá!

    Enquanto muitos países há século tem evoluído neste sentido, ainda temos esse tipo de problema. A religião católica saindo de cena e os evangélicos, com sua natureza xiita entrando!

  5. grandes líderes religiosos = grandes fascistas

  6. Nós podemos ter, no mínimo, uns 4 anos bem cinzentos pela frente, em termos de direitos humanos. Um bando de religiosos conservadores infiltrados no poder público não é sinônimo de boa coisa. O país corre o risco de ficar mais doente do que já está.

    É incrível, mesmo pipocando os casos de escândalos envolvendo líderes religiosos (pedófilia, tráfico de armas, dinheiro dentro da cueca), as pessoas ainda confiam na palavra desses elementos.

    Que falta faz a esse país uma educação de qualidade. O povo iria saber como a mistura de religião e política é maléfica.

    Eu compartilho da tristeza do Dhiogo. Mas não vamos desanimar. Vamos continuar agitando todas as bandeiras que o Saracura agitou no texto: a bandeira da liberdade, a bandeira da educação, a da ciência, a das diferenças. E a do estado laico, que parece que vai ter dor de estômago com tantos vermes na barriga (são mais de 60 agora).

  7. Fábio Paiva,
    Amigo. Houve muitos escândalos realmente.. Até do desvio dos “sangue-suga, tinha a bancada evangélica, parece-me…Então vemos que querem mesmo é se locupletar e usufruir…

    E se acham o tal, quando aparece na TV, pastor fulano, Missionário Sicrano…Evangelista beltrano..

    O camarada querendo fazer marketing com a escolha religiosa…..eu mesmo não voto em gente assim…

    Quanto mais vejo estas coisas, mais sou ateu militante! rsrs.
    abração

  8. .Isto Saracura!

    Ontem já começamos mostrar um pouco do domínio eminente!

    Ana Paula Valadão pela 1ª vez no Faustão.

    Vai ficar para História!

    Agora pode dizer que é comercio que é ladroagem, que a Ana Paula é feia!
    Ao gosto do Freguês, que a Som Livre só quer lucrar!

    É LÓGICO! KKKK

    Mata-se de inveja e ódio!

  9. O Brasil em poucos anos não será mais

    LAICO!

    Escreva isso! Tenha memória de elefante para quando esse tempo chegar vc poder lembrar!

    Há! kd o Paulo que me desafiou?

    Eu salvei na minha própria memóriao desafio Dele en!

    Ele disse que até 2012 a nossa FÉ cairia por terra!

  10. Ah Agnaldo quer dizer que daqui a pouco vai ser normal matar gays por aqui por exemplo ?

    Romanos 1

    31 – néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia;

    32 – os quais, conhecendo a justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem.

  11. Bem ficou bem clara a intolerância do Agnaldo por aqui, como eu sempre digo aos cristãos então siga ao pé da letra isso:
    [II Jo 9-11] “Todo aquele que prevarica e não persevera na doutrina de Cristo não tem a Deus; quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto o Pai como o Filho. Se alguém vem ter convosco e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis. Porque quem o saúda tem parte nas suas más obras.”

    E boa sorte ao ignorar 5 bilhões de pessoas hahaha.

  12. Caraca Agnaldo!!!!
    Quer dizer que as profecias estão se concretizando só porque esta banda foi tocar no Faustão?!
    kakakkaka!!!

    Não sei o que é pior, a banda ou o Faustão….

  13. De novo essa mesma estória de que um estado teocrático seria o ideal, Hagnus? Como é que ele seria? Seguiria os ditames da bíblia cristã?

    Se a bíblia se tornar a carta magna, teremos que instituir pena de morta para situações como

    – Adultério (Levítico 20:10 manda matar)

    – Blasfêmia (essa é risível) (Levítico 24:16 manda matar, mesmo que seja estrangeiro; não sei você, mas eu acho que isso poderia ter impacto negativo no turismo)

    – Trabalhar no sábado (Êxodo 31:14-15 e Êxodo 35:2 mandam matar; você trabalha no sábado?)

    – Crianças desobedientes (Êxodo 21:15-17 e Levítico 20:9 mandam matar; pra quê tentar educar? melhor matar a criança peste, não é? dá menos trabalho)

    – Não ser virgem na noite do casamento (Deuteronômio 22:13-22 manda fazer assim: se o homem disser que a mulher não é e ela for, ele é multado e vai ter que ficar com ela; mas se ele estiver certo e ela não for, então ela morre.)

    Já imaginou como seria o sistema de saúde? Primeiro que, se você ficar doente a culpa é sua (Êxodo 15:26). E vai ter que confiar só na fé e na oração (Tiago 5:14-15). Ou então pode tentar tocas nas roupas de padre e pastores pra tentar se curar (Atos 19:12). Mas faça o que fizer, não vá a um médico, pois deus não vai gostar (2 Atos 16:12). Eu duvido que alguém em sã consciência quisesse uma coisa assim.

    Num estado teocrático cristão, haveria uma verdadeira caça às bruxas. Os que não são cristãos não tem a deus (2 João 1:9), são anticristos (2 João 1:7), devem ser isolados do convívio – talvez em guetos – (2 Coríntios 6) e mortos (Deuteronômio 13:6-10).

    Agora faça a seguinte associação na frase acima:

    – “estado teocrático cristão” por “estado nazista”,
    – “não cristão” por “judeu”

    Pense no isolamento de convívio e assassinato, consulte um livro de história, volte uns 70 anos no tempo e lembre daquele sujeito com um bigodinho esquisito que propunha coisas parecidas.

    Religião tem que ficar bem longe de política. O religioso conservador é o tipo de gente a quem jamais se deveria dar poder.

  14. Aliás, religião deveria ficar de fora de qualquer coisa que não fosse de foro privado. As coisas que a religião já fez de bom ou as coisas que ela ainda faz podem ser feitas sem ela; não quero dizer que as religiões devam para seus programas assistenciais. O que eu quero dizer é que se elas não tivessem programas assistenciais, outra instituição ou agremiação de pessoas poderia tomar seu lugar.

    E levando em conta todo o mal que a religião já causou ao mundo e ainda causa, a balança pesa mais pro lado ruim.

  15. Leo,
    Eu ri demais da reportagem. Já havia visto…rsrs

    Fábio Paiva,
    Teocracia = ditadura religiosa = desgraça do povo.
    Não consigo entender como o Hagnus acha que terá vida boa….ele poderá ser vítima…

  16. Ele pode ser mesmo, Saracura, mas não atentou para isso, dada a vacuidade analítica dele.

  17. Fabio Paiva infelizmente o espinheiro quer sempre reinar.
    (Não duvido que se estabeleça um estado nazista)

    Hi Hitler

  18. Stranger_Land,

    A Banda é apenas um detalhe, consequências.

    A LÓGICA!

  19. Fábio Paiva,

    Carta Magna?

    Uai é só reparar como funciona em outros países onde a maioria é protestante.

    Por sinal países bem desenvolvidos. Eita coincidência?
    Religião fora de política? IMPOSSÍVEL!
    Veja essa imagem abaixo que elaborei no Orkut para certo dia responder isso:

    http://www.orkut.com.br/Main#AlbumZoom?uid=16354437669073771308&pid=1287241066294&aid=1$pid=1287241066294

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: