Deuses se assemelham. São Ilusões Com Poderes Sobre-Humanos

 

 

 

 

.

Para os deuses o tempo não existe. São inventados exteriormente à passagem do tempo, cuja existência não se faz sentir ao passar, mas é tão inexorável  para os seres, coisas e para o universo. Deuses também são criações com poderes mágicos, advindos da faculdade de provocar curas milagrosas. Como prerrogativa básica de um deus encontramos também a característica básica de não ter nascimento e também não ter um fim. Se quiser criar um deus, super-poderoso, super-homem, terá que constar estas características cruciais, sem as quais não poderá ser chamado de divino, como também não irá concorrer com os deuses antigos, gregos, egípcios, africano, indiano e outros. Ninguém que seja um criador decente de um deus, vai querer as crianças discutindo que o deus dos seus pais não tem um destes poderes. Seria utrajante!

Que relações podemos encontrar entre essas características básicas? Apenas a projeção do desejo humano num ser mitológico, para solucionar suas impossibilidades e fraquezas, dada sua impotência diante da morte, do envelhecimento e da doença, sofrimento. Porque o homem não consegue se desvencilhar da fatalidade, ele tenta criar a solução, mesmo que uma ilusão, sonho, lenda.

Parece unanimidade. Não existe grupo étnico, cultural que não tenha criado um deus. Associam a estes a criação do mundo, das plantas, animais, acidentes geográficos, sempre com uma força absurdamente sobre-humana. Desde a existência do homem, esta tem sido a tônica. Com uma variação cultural ou assimilaçãos de mitos, sempre lá haverá um super-herói com poderes para nos livrar do mal, da morte, doença, amém!

Para criar um ser divino, basta a imaginação. Os mitos são conforme os costumes, a cultura e superstições regionais, são forjados com o que tem à mão. Então, basta incrementar com histórias fabulosas, extraordinárias, tragédias e lições de moral, crime, castigos e será confeccionado a novela sagrada. vejamos exemplos:

1-Os nórdicos achavam que o mundo começara num embate no gelo, do calor contra o frio;

2-Para os gregos os deuses viviam numa montanha, assim como para os  indianos;

3-Na África o povo acha que o mundo veio do grande ovo cósmico, como também alguns chineses;

4-O homem pré-colombiano achava que viemos do milho. Outros de argila, da madeira, do barro ou do sopro divino;

Há muitas variações para explicar a origem do universo, conforme o lugar e cultura, no entanto, há uma projeção em força e poder , das fragilidades e desejos puramente humanos. As relações com os deuses são um misto de sentimento humano, raiva, vergonha e também de interações esdrúxulas, complicadas. Um hora os deuses dão a energia para a vida, noutra eles tem a cólera,a vingança. Vemos inundações, terremotos, pragas, guerras, como sendo ato das emoções divinas, nem sempre tão bondosas. Punições são bem frequentes e sempre constando o fim do mundo, das narrativas astecas às indianas, influenciadas por características de seus costumes.

O mito, sejam de deuses ou de superstições muitas vezes misturam-se na história. Muitos relatos são passados por gerações, com variações diversas, revelando um modo de agir ou se misturando aos costumes. Nem sempre são escritos, mas muitos se propagaram devido a registros escritos de poetas épicos como Hesíodo e Homero – mitologia grega. Outros, como o cristianismo, não tem muitos registros além de não ter concordância com a história. Mas assim são cultuados, mesmo que os relatos de personagens nunca tenham existido.

Um fator a incrementar as histórias de deuses é a assimilação de outras culturas. Os gregos foram absorvidos pela cultura romana. É o sincretismo religioso que houve com os africanos do candomblé/umbanda e a religião católica. Estas assimilações que estão em qualquer das religiões existentes.

Além disso, há  cópia de mitos passados –  utilizados para ornamentar os relatos – em muitas religiões. O cristianismo claramente copiou idéias oriundas de épocas mais remotas e de outras religiões. Veja se alguém já ouviu isto:


O humano Manu salvou o deus avatar em forma de peixe Vishnu. Depois apareceu a Manu e pediu que ele construísse uma grande arca e guardasse um monte de sementes dentro dela para escapar de um dilúvio.  (uns 1000 aC)

O deus Osíris engravida a virgem Ísis, esta dando à luz Hórus. Hórus lutou 40 dias no deserto. Hórus foi batizado por ANUP e tinha 12 discípulos.

Mitra nasceu em 25 de dezembro,de uma virgem,  também teve 12 discípulos, morreu crucificado, ressuscitou ao 3º dia. Era chamado a “Verdade e a Luz”. Veio para lavar os pecados da humanidade. (1200 aC);

Krishna nasceu em 25 de dezembro, de uma virgem, uma estrela avisou sua chegada, fez milagres, morreu e ressuscitou. (900 aC);

Dionísio, nasceu de uma virgem, foi peregrino, tranformou água em vinho, “alfa e ômega” era chamado, ressuscitou. 500 aC;

 

Muitas explicações simbólicas, alegóricas nos dão a idéia da criação do homem e do mundo. O homem ora vem do barro, ora da água, do sal, do milho. Em gêneses: “E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou em seu nariz o fôlego da vida, e o homem se tornou ser vivo”. Mas este relato é bem parecido com as de outras, nas culturas gregas, asiáticas, ioruba. Os mitos são partilhados pelas diversas regiões e povos.

Os deuses seriam heróis para os adultos. Com poderes e vida infinita. Criamos e ficamos debaixo de suas neuroses e sob sua proteção, às vezes vacilante. Quando não encontramos correspondência na vida para suas atitudes, criamos outros personagens e situações para “encaixar” na vacância da coerência. Um dos maiores problemas que advém dessa criação dos deuses é justamente colocar a humanidade como protagonista deste filme de ficção. Neste caso, mentes esquecem que o absurdo é absurdo, que o impossível é impossível e tenta-se provar com todos os métodos não científicos, apaixonado e com emoção exagerada,  que estão inseridos na trama do romance mitológico.

Muitas destas historinhas se mantém em quase todo mundo. O cristianismo, como todas as fábulas da bíblia, não só viceja, mas penetra na sociedade de muitos países de tal forma a interferir na vidas dos cidadãos, social e politicamente. Tudo porque uma crença vinda do oriente médio, feita para alguns poucos da palestina e adjacências, foi proclamada religião oficial pelo poderoso Imperador Constantino no ano 312. De império a império, de conquista a conquista, invasões e imposições religiosas, essa tal religião cristã chegou aos mais distantes povos, chegando ao Brasil pela colonização e mais tarde com a vinda de missionários pregadores evangélicos. Pode fazer a pergunta mais difícil a um crente: Por quê ele crê no deus Cristão e não no da Índia. Vai enrolar, tentar fugir da pergunta mas não vai responder o certo: crê apenas porque passaram de gerações até chegar no crente, dizendo que seria a correta e não que deus desceu à Terra e se apresentou.

O que diferencia das demais religiões? Das características do deus poderoso, invisível, irascível catastrófico, nada. É apenas mais uma religião e o seu deus só mais um criado pelo povo do deserto. As histórias contadas pelos seus seguidores carregam seu relativismo cultural, costumes, como qualquer outro credo. A única diferença é que pela catequização de grande parte da população e a não compreensão de que se trata de mitos e eventos imaginados para vencer as fragilidades humanas, torna esta como sendo a correta a que deveria ser professada.

O fato de um deus da Índia e do Egito, ter os mesmo poderes do deus cristão, seria de se esperar que todos os deuses do mundo sejam bastante parecidos. Então eu poderia dizer que todos tem o mesmo direito, de culto de adoração. Mas aí vem a doutrinação ao longo de muitas gerações de ignorantes e pastores impedindo que as pessoas tenham suas escolhas, impedindo que as pessoas pensem, sob o efeito da droga religiosa e das ameaças.

Deuses são todos iguais. São fruto da criação humana. São fruto do desejo de não morrer e não sofrer e ser protegido em qualquer momento e lugar. O desejo da vida eterna fez o homem criá-los, com todos os ritos e sacrifícios e manias divinas.

Se foi o homem quem criou os deuses, não posso afirmar que o meu é melhor. Porque nunca teríamos o embate de forças dos milhares de deuses, que não existem e só podem ser sonhados, imaginados em alucinações.

 

 

Anúncios

34 Respostas

  1. É difícil aceitar que deuses são fruto da nossa imaginação e desejo…desejo de ser infinito e ser protegido.
    Abração amigos…com atraso, mas vale…
    rsrs

  2. Todos os Deuses revelados são antropoformizados. É como diz a frase “Se as girafas fossem conscientes, seu deus seria uma girafa.”

    Não há nada de transcendental em Jeová, ele é só um ser megalomaníaco com debilidades humanas. Ele é cruel, vingativo e rancoroso e auto-indulgente. Arrepende-se de sua criação e a destrói, para se arrepender depois de novo. Mente e não cumpre as próprias promessas.

    Há claras semelhanças entre mitologia bíblica e Greco-romana:

    – Jeová, o rei dos exércitos, luta madrugada adentro com Jacó e ganha aplicando golpe abaixo da linha da cintura. Diomedes luta e fere Ares, o deus da guerra.

    – Zeus também tem o seu dilúvio.

    – Após o dilúvio, deus faz uma aliança de que isso não acontecerá novamente. O símbolo é o Arco-íris .Na mitologia ele representava o elo de ligação e o canal de mensagens entre a terra e o Olimpo.

    – Assim como Jesus, Hércules desceu ao Inferno\Tártaro este para resgatar Teseu.

    O que há de diferente é que mitologia grega é muito mais rica e poética que a hebraica. Constantino “viu” uma cruz no céu e assim a mitologia virou verdade.

  3. Dhiogo,
    Seu comentário é enriquecedor…gostei…o único que não percebe que o deus dele é apenas mais um é o crente…e todas essas características humanas só serve para provocar medo. Como disse uma hora é bom, outra hora é mau, mas sempre está livre da crítica à sua loucura. É perdoado sempre por agir sem sentido…valeu

  4. Saracura, é que mitologia é a religião do outro. O crente acha graça de Zeus virar boi para esconder sua infidelidade de Hera, mas não fala nada de Anjo incorporando em mula.

    Hahahahaha!

  5. Dhiogo,
    Chega a ser divertido, a epopéia dos deuses..As confusões, os incestos, as desgraças…mas o crente não essa projeção pro seu próprio deus…

    Demônio entrar numa vara de porcos é sério, mas um deus casar com a própria irmã e gerar deuses é um absurdo! Veja que doideira maior o deus matar o próprio filho!!! rsrsrsrs

    valeu e abraço

  6. EXCELENTE TEXTO…segue a minha contribuição!

    Como tudo começou – a primeira religião e os primeiros deuses

    A origem da Religião e o primeiro Deus, são assuntos de controvérsia. Provavelmente, a primeira atitude religiosa do homem foi o naturalismo religioso, isto é, a adoração de objetos e fenômenos da Natureza. A seguir, em vez do culto do objeto físico passou a reverenciar o espírito ou a alma do objeto ou fenômeno.

    Mas a teoria mais aceitável, parece ser a seguinte:

    Suponhamos que morreu o chefe de uma tribo, que em vida foi um líder temido. Mas depois de morto, passou a ser ainda mais temível, porque seu corpo-sombra ficou invisível e ninguém sabia quando iria atacar as infelizes criaturas que por ventura lhe caíram em desagrado. Para cair nas boas graças dele, fazia-se necessário cativá-lo com muitos presentes e orações. Ele era um espírito terrível e poderoso. Trovejava e relampejava (na tempestade), ocorriam eclipses, trazia doenças e mortes aos que lhe desagradavam e assegurava a vida aos recém-nascidos. O homem primitivo, naturalmente, não suspeitava que o ato sexual tivesse relação com a produção de uma nova vida.
    Além disso, esse poderoso espírito-sombra controlava ainda alguma coisa de misterioso que pairava no ar: a Sorte. Às vezes ele vinha ajudá-los, outras vezes, não vinha. Um dia dois amigos partiram para a caça ou à batalha: um morria e outro se salvava. A sorte fora favorável a um e desfavorável a outro. Por quê ? Talvez por causa de um ato importante que um deles praticara ou deixara de fazer. Mas quem podia afirmar ? Ora, havia sábios na tribo que se propunham descobrir esse mistério e se tornaram peritos na previsão da Sorte, mágicos Sagrados, e, por fim Xamã – uma mistura de bruxo, feiticeiro e sacerdote. Passaram a informar o que se devia fazer ou deixar de fazer para conseguir a graça aos olhos do seu chefe-sombra, seu Deus e obter uma dose razoável de boa sorte. Esses sacerdotes deviam ser rigorosamente obedecidos, pois a desobediência se pagava com a morte.
    Os primeiros deuses foram os espíritos gloriosos dos chefes mortos quando esses tinham alguma sensibilidade especial. Fincaram no solo um poste, ou uma pedra, no lugar do encontro, e disse para o homem-animal: esteja aqui na próxima vez que a luz que muda (a Lua) estiver redonda, e nos encontraremos de novo. O marco era uma espécie de presente misterioso para entrar em contato com Ele. Passaram a ajoelhar-se e orar diante Dele e matavam seus semelhantes que se recusassem a acreditar Nele. Os vestígios arqueológicos mostram que os corpos eram sepultados junto a ornamentos, armas e comida, o que demonstra que nossos antepassados não encaravam a morte como um fim definitivo.
    O homem passou a reverenciar o espírito ou a alma do objeto ou fenômeno. Possivelmente, foi durante um desses longos períodos (para ele) de espera, que o homem-animal achou que, se ele trouxesse algo para o local do encontro e deixasse ali um presente, talvez o Visitante fosse induzido a descer do céu um pouco antes da época marcada, e assim ele poderia pedir um conselho ou resolver um problema antes da data marcada. Foi assim que o homem tinha feito o seu primeiro sacrifício e oferendas.
    Passou também a venerar os animais que caçava e que eram foram simbolizados em pinturas rupestres e pequenos entalhes. O sacerdote começou a vestir a pele dos animais e se adornava com cornos de animais. Tentava, como acontece ainda hoje com o Homo sapiens, obter boas caçadas e um destino próspero para a tribo através de promessas e magias. Surgiu assim a primeira e a pior profissão do mundo.
    Foi nesse período animista que surgiu a adoração e o culto dos antepassados: dos deuses manes, como diziam os romanos. A divinização do espírito, duplo ou alma das coisas e dos antepassados, foi o passo seguinte, um pouco mais abstrato, na evolução religiosa.
    Na ilha isolada do Oceano Pacífico, a Ilha de Páscoa temos um exemplo muito claro da cultura Rapa Nui, com as enormes esculturas de pedra – os – moai. O culto ao homem pássaro. O ritual era realizado entre os competidores, quando o primeiro homem apanhava um ovo e retornava a ilha com ele intacto. O vencedor era recebido com festa e como semideus. O homem-pássaro era considerado “intermediário” dos deuses durante seu reinado. Os monumentos megalíticos, foram erguidos na Idade da Pedra, e encontrados também em diferentes regiões da Europa.
    Em Stonehenge, Salisbury, Inglaterra, encontramos um famoso círculo de pedras enormes, no meio de um imenso campo verde, monumentos formados por enormes blocos de rocha. Acredita-se que seja tão antigo quanto as pirâmides do Egito.

    Os nórdicos achavam que o mundo começara num embate no gelo, do calor contra o frio. Para os gregos os deuses viviam numa montanha, assim como para os indianos. Na África o povo acha que o mundo veio do grande ovo cósmico, como também alguns chineses. O homem pré-colombiano achava que viemos do milho. Outros de argila, da madeira, do barro ou do sopro divino;

    Seja qual for o ritual, ou a teologia que envolve, o homem-animal ainda procura induzir seus deuses a descerem do céu para ajudá-lo – ou no caso dos que são reconhecidos como Santos por seus companheiros, meramente pelo prazer de sua companhia. Essa última prática é chamada de Misticismo, e é muito apreciada entre os seres humanos já que o verdadeiro Místico não busca qualquer recompensa – ele se acha pura e simplesmente “em amor com o Deus”. O homem confundiu suas idéias com o sobrenatural, e daí não saiu da magia, supertição ou religião, até hoje!

    Das culturas primitivas , lentamente resultaram novas idéias e o homem passou da infância do barbarismo das religiões politeístas, para o jardim da infância da civilização até a chegar a Disneylândia com homens bomba da religião monoteísta da civilização atual. Foi desse modo que, a princípio, o homem ignorante criou um Deus de acordo com sua própria imagem até os nossos tempos.
    Sob essas infelizes circunstâncias desenvolveram-se duas castas. Os que assumiram o lado legislativo do homem-animal, conforme a idéia do seu irmão do Céu, tornaram-se líderes religiosos e formaram a classe dos sacerdotes. E os que assumiram o lado administrativo da idéia do homem-animal, incutido pelo Irmão do Céu – aqueles que se tornaram controladores e líderes pela força e formaram os seus exércitos. Estava feita a união entre Igreja e Estado com privilégios para ambos, para conquistar uma massa de rebanho, sem força, individualidade ou autonomia, através de uma moral massificadora de fracos e de escravos que através de regras limitam o ser humano.

    Nas aulas de religião passaram a ensinar que Deus tinha criado o mundo e muitos se contentaram com isso. Mas e o próprio Deus quem criou? Teria ele se criado a partir do nada absoluto? Dificilmente ele poderia ter criado a si mesmo, sem antes possuir um “si mesmo” através do qual pudesse criar. Se Deus sempre existiu, Ele tinha que ter tido um começo.
    Então dizem os sacerdotes ao povo: Em nossas transes (visões e alucinações) e por meio de nossas orações e nossos sacrifícios para vocês (e algumas vezes de vocês), entramos em contato com o Céu e Ele nos fala. Foi isso o que ele disse, e vocês devem obedecer a mim a Ele e ao filho único JC. A maior parte disso sai diretamente de nosso subconsciente sacerdotal, mas não importa. Eles conseguem o poder pelo qual anseiam, principalmente apresentando um ritual destinado a impressionar os crédulos – uma forma de hipnotismo de massa. E, em parte, em nossos dias mais civilizados eles conseguem seguidores, prometendo o inferno e a danação eternos aos que discordam deles e a salvação através do arrependimento.
    O sacerdote passou a ser olhado como uma pessoa capaz de construir uma ponte sobre as águas, ou espaço, existente entre a Terra e a morada do além. Os sacerdotes declararam-se capazes de se comunicarem com essas entidades e colocaram-se na posição de organizar e transmitir conselhos, leis, regras, regulamentos, promessas e até de fazer profecias. A crença de que era possível transmitir o poder de comunicação levou à criação das Ordens Sagradas adaptadas em seus objetivos em diferentes épocas. Moisés subiu no monte Sinai e falou diretamente com Deus. O arcanjo Gabriel visitou Maomé em sua caverna.
    O próprio Papa é chamado Pontífice termo derivado da palavra latina que significa ponte (pons), porque se supõe que ele atue como elemento de ligação entre o Céu e a Terra, entre o Altíssimo e a Humanidade. A idéia da ponte aparece em outros lugares nas religiões da humanidade, no sistema escandinavo, onde na ponte do Arco-Iris, a passagem celestial por sobre a qual os valentes guerreiros que morriam em combate eram levados para o Vahala, onde desfrutavam da companhia dos deuses.

    Até mesmo o famoso psicanalista austríaco Sigmund Freud (1856-1939), em seu livro Totem and Taboo (Totem e Tabu), tentou explicar a origem da religião. Freud explicou que a mais primitiva religião surgiu do que chamou de neurose e temor ligada à figura do pai. Espelhado no que o pai representava quando criança, desesperado em busca de proteção e que não virá da sociedade que o cerca, o homem se volta para aquela figura plena de força (uma entidade): onipotente, amoroso, porém duro. Teorizou que, como se dava no caso de cavalos e gado selvagens, na sociedade primitiva o pai dominava o clã. Os filhos homens, que tanto odiavam como admiravam o pai, afirmava Freud, “estes selvagens canibalistas comiam a sua vítima”. Mais tarde por causa do remorso, eles inventaram ritos e cerimônias para reparar a sua ação. Segundo a teoria de Freud, a figura do pai virou Deus, os ritos e as cerimônias passaram a ser a mais primitiva religião.
    Na presença real de Cristo na eucaristia, bebem, comem, digerem e defecam o corpo de Cristo, transformar vinho em sangue e pão em carne, passou a ser a comunhão, tradição praticada em muitas religiões. Crença absurda e espantosa! E, afinal de contas, por que não? Se Deus pôde criar o mundo, seria bobagem prender-se as detalhes.
    Entre tantos livros geniais , Freud escreveu: “O Futuro de uma Ilusão”, um estudo sobre como a religião é subproduto da Civilização. Discorre acerca do desamparo do ser humano diante das forças da Natureza.

    Sem qualquer conhecimento sobre o que realmente foi dito e feito pelos verdadeiros mestres da Humanidade (os avatares-Buda, Jesus, Krishna.,..), crentes de fé cega, seja pela condição miserável de suas vidas, seja por falta de acesso a outros escritos que confrontam as versões “oficiais” desses credos, nem suspeitam que tais doutrinas, longe de promoverem a elevação espiritual do ser humano, ocupam-se em tomar para si o monopólio da Verdade, produzir mentiras metafísicas, acobertar crimes contra a Humanidade, promover guerras contra os opositores de suas convicções, impedir o avanço do conhecimento e do autoconhecimento (pois, com a iluminação interior e exterior, suas tramas falaciosas viriam à luz), entre outros delitos do mesmo cunho.
    Não faltam no mundo seitas e religiões que abrigam em seu seio a pior espécie de homem, os piores assassinos, os maiores corruptores dos mesmos valores que fingem defender: a vida, a honra e a dignidade. Dos pedófilos da cristandade aos radicais do Islã, ainda resta um cortejo de falsos milagreiros teatrais, profetas do fim do mundo, santos dos últimos dias, gurus de Rolls-Royces, corretores das moradias celestiais, sacerdotes do capital ilícito, não faltam homens cuja indecência , perversidade e ambição se escondem sob o manto sacerdotal.
    Apesar de alguns exemplos valiosos e meritórios que tivemos no cristianismo. E não faltam multidões de fiéis e incautos, que sofrem a usurpação de seus bens ou que são iludidos com o fato de que foram tocados por uma encarnação divina e se deixam enganar com bênçãos e milagres.

    Lucrécio, via “a religião como uma doença derivada do medo e como fonte de tristeza incalculável para a raça humana”.
    Para Nietzsche, o cristianismo representa uma moral dos fracos, pois valoriza o servilismo, a humildade, a aceitação, o conformismo com um tipo de sofrimento que só retrai, submete.
    Nas palavras de Bertrand Russsel e sua crítica s religião institucional: “ A igreja é perniciosa não apenas no que diz respeito à intelectualidade, mas também à moralidade”.

    E assim começaram as confusões mentais da sociedade, a idolatria e o apego a imagem acerca de Deus imaginário benevolente que escreveu ou ditou um dos nossos livros oferecendo o Paraíso, o céu, o “além-túmulo”, o inferno, purgatório.
    O mito do “pai nosso que está no Céu” – Deus ( o nascimento virginal de Jesus, seus milagres, e sua ressurreição) e no qual bilhões ainda acreditam, assim como recorrem a magia negra, cartomancia (tarôs), necromancia (consulta aos mortos), adivinhos, astrólogos, para saber a sorte, o futuro e receber ajuda de primitivas formas de adoração e crenças em qualquer coisa.

    ****************************

  7. Oiced,
    Daria um ótimo texto…muito grato pela maravilhosa contribuição…legal demais..valeu..vou publicar o seu texto….posso?

  8. Realmente tenho que me desculpar com todos referente a determinado assunto:

    A possibilidade de a Bíblia ter seus dados adulterados durante o passar dos tempos.

    Nesse ponto praticamente tapei os olhos e sempre acreditei que nada na palavra foi burlado.

    Exemplo: O INFERNO pode sim ser uma invenção dos CONCÍLIOS católicos para ganhar os fieis pelo medo, prova disto é que antes da Reforma Protestante os fieis não tinham acesso a Bíblia e a palavra no templo era ministrada em Latim, como entender em Latim?

    A igreja Católica vendia as Indulgências: Terreno no céu, e para se perdoar pecados era necessário o fiel pagar com bens.

    Ou seja! Se isto foi possível! Com certeza para benefício próprio foi possível também mudar a versão original da Bíblia.

    Hoje certo irmão me disse: Veja estes livros Judaicos,

    veja este livro> O QUE JESUS DISSE E O QUE JESUS NÃO DISSE,

    Nós temos que ter uma critica textual!
    ___________
    Percebi que o ateu age mais pelo lado da razão e não pelo emocional, deve ser pelo fato de não acreditarem em Deus, Isto é um ponto positivo para vocês.

    Os filhos das trevas são mais prudentes que os da luz (Lucas 16:8) KKK…

    LIVROS:

    ESTUDO SOBRE OS MANUSCRITOS DO NOVO TESTAMENTO

    http://www.webartigos.com/articles/20192/1/Critica-Textual-do-Novo-Testamento/pagina1.html

    O QUE JESUS DISSE E O QUE JESUS NÃO DISSE

    Ateus para mim é uma espécie de contrapeso.

    Continuo acreditando na palavra, porém me sinto agora menos alienado.

  9. Devo acrescentar não só o NT mas AT também tem misturas de várias outras culturas.

  10. Saracura!
    À vontade para publicar e reproduzir …e com liberdade de corrigir.
    Forte e Fraternal Abraço a todos os leitores Agnósticos, Ateus,
    Humanistas, Filósofos, Pacifistas, Livres Pensadores, Evolucionistas… e irmãos religiosos que irão se reconverter para tambem se tornarem livres de credos e superstições!

    Filme recomendado: A CRIAÇÃO
    Um filme memorável sobre um Homem brilhante!

    Aguardem os próximos Capítulos (os melhores) do meu Blog em fase final de publicação diária, visitem
    Meu Blog: http://livrodeusexiste.blogspot.com/

  11. Muito interessante o Link Leonardo. Não dá para negar a contribuição da Igreja Católica à arte e arquitetura.

  12. Recomendo a leitura de “As Mascaras de Deus”, de Joseph Cambel. Em especial o primeiro volume, “Mitologia Primitiva”.

  13. Despindo mitos
    Boa dica.. Vou lê-lo.

    Oiced,
    Publiquei…achei muito bom! abraço

    Dhiogo,
    Sempre bomns comentários..valeu

  14. ISRAEL, NAÇÃO MAIS ODIADA DO MUNDO!

    •Marmud Armadinejad Disse: “Israel deve ser riscado do mapa.
    •QUE VENHAM GOGUE e MAGOGUE no vale de MEGIDO.
    •O inimigo que vem do norte pode ser a Rússia, parceira do Irá.
    •A Rússia foi fornecedora de armas para o Afeganistão e países Árabes.
    •Irã sonha em lançar uma atômica sobre Israel!
    Apagaram a força do fogo, escaparam do fio da espada, na fraqueza tiram forças, na batalha se esforçaram e puseram em fuga os exércitos dos estranhos… (Hebreus 11:32 a 34)

    REPLAY: puseram em fuga os exércitos dos estranhos

    •Vejam 1º OS FATOS DO PASSADO: JOSUÉ 11: 4 ao verso 9.

    Saíram, pois estes, e todos os seus exércitos com eles, muito povo, em multidão como a areia que está na praia do mar; e muitíssimos cavalos e carros.
    Todos estes reis se ajuntaram, e vieram e se acamparam junto às águas de Merom, para pelejarem contra Israel.

    E disse o SENHOR a Josué: Não temas diante deles; porque amanhã, a esta mesma hora, eu os darei todos feridos diante dos filhos de Israel; os seus cavalos jarretarás, e os seus carros queimarás a fogo.
    E Josué, e todos os homens de guerra com ele, veio apressadamente sobre eles às águas de Merom, e atacou-os de repente.
    E o SENHOR os deu nas mãos de Israel; e eles os feriram, e os perseguiram até à grande Sidom, e até Misrefote-Maim, e até ao vale de Mizpá ao oriente; feriram até não lhes deixarem nenhum.
    E fez-lhes Josué como o SENHOR lhe dissera; os seus cavalos jarretou, e os seus carros queimou a fogo.

    OUTRO EXEMPLO DO PASSADO:

    * Ah! nosso Deus, porventura não os julgarás? Porque em nós não há força perante esta grande multidão que vem contra nós, e não sabemos o que faremos; porém os nossos olhos estão postos em ti. 2 Crônicas 20:12

    * Esforçai-vos, e tende bom ânimo; não temais, nem vos espanteis, por causa do rei da Assíria, nem por causa de toda a multidão que está com ele, porque há um maior conosco do que com ele. 2 Crônicas 32:7

    * E a multidão dos teus inimigos será como o pó miúdo, e a multidão dos tiranos como a pragana que passa, e num momento repentino isso acontecerá. Isaías 29:5

    _____________________________________________

    •FATO CONTEPOR: Guerra dos 6 dias 5 DE Junho de 1967.

    ISRAEL em menor número Poe 6 nações em fuga! SORTE? ehehehe…

    Vai sonhando! Só em filmes e novelas que existem aqueles mocinhos que batem em vários brutamontes e ainda sai ilesos para beijar as mocinhas!
    _ How… meu heróiiiiiiiiiiiiiiiii……
    _____________________________________________

    REPLAY: puseram em fuga os exércitos dos estranhos! (Hebreus 11:32 a 34)
    FATO RESCENTE!
    ISTO NÃO FOI Há 2 MIL ANOS ATRÁS! FOI AGORA! E TÁ FRESQUINHO NA MEMÓRIA DO MUNDO.

    •1967 ISRAEL PELEJOU 6 DIAS E NO 7º DIA DESCANÇOU… kkkkkk

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_dos_Seis_Dias

    ISSO É TEORIA?

    Musica tema:

  15. Agnaldo isso tudo é invenção de crente pois Jesus não voltou em 1 geração, isso se existiu hahaha.

  16. As coisas de Deus são inesplicáveis acredito sim que Deus existe.O meu Deus é único unipotente o inicio e o fim ele pode todas as coisas ai daqueles que blasfemam contra esse Deus!!!!!

  17. Deus existe e suas obras são inesplicáveis!Eu amo o meu Senhor ,que criou o céu o mar e a Terra

  18. Fernanda,
    Está certa! Pode amar até o espírito do carrapato fantasma…Mas não prova que existe e que este fez o mundo!

    Queremos provas, indícios, evidências. Se os deuses existem ou são alucinações, como a sua, quando diz que ama um ser mitológico e que, na sua mente ele quem manda nas desgraças do mundo.

  19. hudson,

    Sensacional notícia….esta da conversão do americano..gostei..

  20. Fantástico. Esses “selvagens” são mais inteligentes do que muitos “civilizados” que eu conheço.

  21. Realmente é “inexplicável” hahaha esse amor.

  22. E como eu já disse tentei acreditar mas nunca cai nessa conversa mole hehehe.

  23. Ops respondi no post errado hahaha.

  24. Valeu Hudson pelo link eu ouvi a entrevista do cara muito legal.

  25. Esse texto está, há semanas, no topo da lista dos mais lidos… Pena que não é meu… rsrsrsssssss

  26. Aí pessoal. Estou vendo que estão lendo, mas comentem..abração a todos

  27. Saracura, esse seu texto é o mais acessado do blog há meses. Em março, eu só aumentei o tamanho da fonte dele e destaquei as citações sobre os deuses. Espero que não tenha se importado por eu ter feito essa ediçãozinha sem o seu consentimento.

    Abraço.

  28. Barros,

    Nem precisa se preocupar.pode fazer o que achar necessário pro povo ler…valeu a ajuda…

    legal que o povo tenha visto mesmo….alguém deve ter gostado e espalhado

  29. Resposta para Agnus
    •Vejam 1º OS FATOS DO PASSADO: JOSUÉ

    A destruição de Jericó

    Os historiadores há muito discutem a realidade histórica (como tudo na bíblia) por trás dessas narrativas. Não há provas arqueológicas, por exemplo que sustentam a alegação da completa destruição de Jericó no século XIII a. C.
    O que me consola , é que, esses fatos e crueldades nunca aconteceram e não passam de mitos.
    Lei mais no Blog:

    http://livrodeusexiste.blogspot.com/2010/10/capitulo-57-lendas-e-mitos-no-antigo.html

    http://livrodeusexiste.blogspot.com/2010/10/capitulo-56-arqueologos-contestam.html

  30. gente esta coisaque vcs estão fazendo com deus e injusto por ele ressusitou entre os morrotos ele sofreu muito imagina se uma sintada de cirto doi imagina com chicotes e casvos na cabeça

  31. Pooorra nenhuma caraí deus só exite um. “JESUS CRISTO”

  32. ANO NOVO – NOVO ANO

    Obrigada natureza, por mais um movimento de translação da Terra. A vida continua, sejamos luz. Mudanças vêm de dentro para fora, é disso que o mundo precisa.

    Que os deuses, sejam eles o Deus-judaico, Deus cristão, o “grande” Deus Alá dos muçulmanos, não promovam mais mortes, miséria, guerras, fome, que abram seus cofres e olhem para a miseráveis, que ajudem a curar, que deixem de acumular fortunas em honra e glória do seu deus, porém, aqueles que já promoveram guerras como conta a história, que pelo menos ajude a aliviar a fome e as doenças do mundo em que vive, somos todos irmãos, temos o mesmo formato físico, somos todos fractais, completamente imperfeitos e geometricamente perfeitos dentro de um mesmo padrão, possuímos as mesmas dimensões e padrões no nosso organismo.

    MENOS ARROGÂNCIA E SOBERBA

    Certamente que, daqui a milhares de anos serão lembrados como mitos, da mesma forma como os tantos da primeira fase do Universo como os deuses primordiais, gregos, egípcios, titã; Rá , Apolo, Thor, Hórus, Mitra, Osíris e tantos mais.

    Não se iludam: os deuses de hoje farão parte da mitologia do amanha e outros virão depois desses.

    “O homem, na sua arrogância se considera uma grande obra… digna de intervenção de uma divindade.” anotou Darwin em seu caderno de notas

    MAIS PERGUNTAS, MENOS CERTEZA

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: