O Problema é o medidor da Fé!

 

 

 

 

 

 

 

 

Amigos. Temos observado em textos e discussões anteriores fatos notáveis da fragilidade do poder divino. São falhos e desonestos. Estes fatos foram bastante discutidos, mas parece que os crentes não querem aceitá-los, sob pena de ter suas convicções, a priori, destruídas. Dependem destas condições esdrúxulas para tornar sobreviventes os absurdos dogmas religiosos.  Falo da recorrência do religioso a uma desculpa, que chamo de blindagem, quando não encontra guarida nos fatos verídicos, ou reais.Vejamos!

Em qualquer área de atuação humana tem lá seus enganadores e espertos que trabalham simplesmente para um propósito, valendo-se do nosso pouco conhecimento nesta referida matéria de atuação. Já coloquei exemplos de como empresas enganam, como propagandas nos contagiam com mentiras, como pesquisas direcionadas nos afastam da verdade, de bancos a empresas de cosméticos que tem lá suas enganações. Umas mais amenas, outras escancaradas, mas que tem um objetivo claro, normalmente a obtenção de lucro fácil através da conquista pelo “marketing” ou até mesmo pelo estelionato. Mas para tudo isso, temos nossas defesas. Podemos descobrir, podemos nos valer da ciência e do conhecimento para nos livrarmos destes charlatões.

Mas quando nos deparamos com problemas muito técnicos, então ficamos a mercê da condição ética de quem vai solucionar nossos imbróglios. Imagine que sua TV deu pane e o técnico diz que foi apenas uma “impedância” estranha ao circuito! Não podemos estudar o problema, podemos mandar pra outro técnico que poderá dizer que um dos Capacitores, ligados ao CI(circuito integrado) da imagem, queimou. E não temos como saber, porque afinal ele vai desmontar e fazer o que quiser. E se o carro enguiçou, o mecânico diz que a bronca é no relé da ignição, também fica difícil saber, para quem não entende. Mais uma vez temos que confiar nestes profissionais. Se contratamos advogado ele tende a dizer que a causa está amparada numa lei qualquer. Como vou saber se está com a razão? E médico? Normalmente nos consultamos com dois, três, diferentes porque nos preocupamos com nosso bem-estar.

Mesmo com tudo issso, o fato de estarmos reféns da honestidade do avaliador, ainda podemos saber o resultado da intervenção, se ele foi ou não eficaz para a solução do caso. poderiam ter-nos enganado no valor da consulta ou orçamento, mas pelo menos poderemos saber se foi realmente resolvida  a bronca. Muito embora, ainda poderia surgir alguém tão desonesto ao ponto de por a culpa nos procedimentos da própria pessoa, para explicar o porque do não funcionamento, já depois do conserto. Acontece com quem não dá garantia dos serviços prestados.

Agora partamos para as religiões. Elas surgem já com algo definitivamente absurdo que é creditar nossa existência a um deus, invisível, que detém nossos corpos, além de imputar-nos uma dívida – pecado – mesmo sem termos feito nada e sem nunca ter comunicado da sua boca, que diabo de erro cometemos. Alguém numa époa remota, onde poucos sabiam ler ou escrever,  ouviu falar que certa pessoa  tinha contado uma historinha, para, passando por gerações, então escrever um livro que representaria a verdade, mesmo que algumas vezes só servissem para povos mais antigos, ignorantes, maldosos, preconceituosos e atrasados. E este livro mesmo imutável, atravessou épocas sem contar as conquistas sociais e cientificas.

Então, está escrito no livro que o Deus – serve o da sua região- obra milagres. Basta cumprir alguns procedimentos, rituais, deixando de lado uns crimes sujeitos a pena de reclusão – como matar homossexuais, o filho, invadir terras matando os moradores, estuprar virgens…- e então o próprio deus agirá para modificar as forças da natureza. Estamos aqui falando de tudo: curar, parar o Sol, Fazer sumir doenças, criar olhos, pernas, braços, desfazer efeitos de doenças estabelecidas, sem a utilização de equipamento nenhum, só com o pensamento, às vezes um toque e pronto.

Por esta possibilidade maravilhosa de fazer mágicas benéficas ao ser humano, poderíamos resolver todos os problemas insolúveis para a ciência, nos dias atuais. Em vez de hemodiálise, porque não fazer nascer um novo rim no paciente? Em vez de especialista em reprodução, porque não fazer um útero novinho e zerado, pronto para geração? Tomar insulina é bobagem diante da magia de fazer o pâncreas funcionar! Tem um parente esquizofrênico? Pode deixar, os neurônios defeituosos serão substituído pelos do Einstein! Pressão alta com remédio? Nada. Seus problemas acabaram! Chegou o revolucionário magic milagrator revolution Tensimetric. Basta uma reza e tá tudo bem, pode comer sal.

Pois bem. Tudo está definido para a humanidade não ter mais nenhum problema, nem de saúde, nem financeiro, nem psicológico. Mas então dando uma passada nestes cultos milagrosos, onde se cura de AIDS à doença de Chagas, e o que vemos é uma grande mentira. No exemplo do último texto, um rapaz se achando curado, acabou morrendo da doença! E quanto às doenças sem cura como Lúpus, AIDS, esquizofrenia, pelo que vimos, ainda não houve nenhuma cura.

Para os crentes que não foram curados, para as doenças que não foram debeladas, para os problemas que não foram resolvidos,  surge o paroxismo da desonestidade, agindo sobre as mentes coitadas, sofridas e necessitadas:    ATRIBUIÇÃO DA CULPA AOS PRÓPRIOS DOENTES! Semelhante às empresas inidôneas que não ofercem garantias para o conserto, o pastor “curandeiro”, utiliza do mais absurdo e claro proceder torpe, vil. Com isso estão livres para os casos que nunca darão certo. Para qualquer resultado negativo, a culpa foi da pessoa que não teve FÉ. Então os casos de cura natural pelo organismo é creditada ao poder divino – estes são poucos. E aqueles que não tem solução, foi a própria pessoa que não atingiu um nível de FÉ suficiente para a consecução do desejo. Por isso se eximem de realizar curas nos hospitais!

Mas como mediremos a FÉ? Deveríamos entrar na justiça para sabermos se a fé é boa, total ou é pouquinha. Porque do jeito que está  é moleza. Quando houver qualquer melhora, isso foi deus, e se não houve, foi falta de fé. além desta maneira absurda, ainda tem uma segunda maior saída para, pelo menos explicar as mortes e sofrimento alheio: dizer que deus quis isso para aquele ente! E ele sendo o dono, pode tudo. E ainda dizem que não podem zangar-se com ele, porque o referido ainda vai julgar sua morte, podendo levá-lo ao inferno. Então ninguém questiona!

Portanto, os crentes coerentes poderia cobrar um aparelho de medição de fé, para saber de antemão se serão ou não curados. Assim evitaria de passar pelo constrangimento de ir a um culto errado, pagar o dízimo à igreja errada, ou até mesmo tentar se submeter a tanto ritual contraproducente. Instituindo o medidor, ou um pastor que afere  a fé pela mente, então poderíamos saber se a cura iria funcionar; agora tentar na pura sorte e depois receber a culpa, não dá.

Estas absurdidades surreais e impossíves são criações dos religiosos, que de tanta infantilidade, é motivo de piada para alguém com um mínimo de inteligência. Quando não rimos, nos escandalizamos. E assim que transcorre a vida dos pobres coitados que se sujeitam a entrar numa determinada igreja, pagar o dízimo e ser ludibriado com promessas de um deus ausente, onde os milagres a ele atribuídos são de natureza aleatória e difícil, confundindo-se muitas vezes com efeito placebo. Se o placebo curasse em todas as situações, doenças tidas incuráveis, aí seria milagre. Infelizmente nunca ocorreu até hoje um milagre assim. James Randi continua dando U$ 1.000.000,00 para quem demonstrá-lo.

Da maneira que os crédulos realizam seus supostos milagres, eu mesmo poderia ser um deus, desde que recorrendo às mesmas condições do deus adotado. Quando não der certo, a culpa é do coitado que não tem fé. E se existir um crente com muita fé, afirmaremos que deus resolveu matá-lo porque está precisando dos seus préstimos no céu! Pronto, mais uma saída sensacional. Porque a  desonestidade é tamanha, que essas saídas são apenas uma forma sobrenatural de explicar que o sobrenatural nao funciona na realidade! Ainda por ser sobrenatural, não está sujeita às condições de provas humanas, não sendo permitido nenhuma tentativa de refutação! Então não há lugar para “medidor de fé”, Medidor do poder divino”. Pronto, foi completada a esperteza!

abração

Saracura do brejo

 

 

Anúncios

11 Respostas

  1. Os pastores sabido inventam de tudo pra enganar os desavisados! Milagre só com muita fé. Mas como se sabe disso? Simples, se funcionar é porque tiverem muita fé, se não, foi falta de fé..

    Coitados dos humilhados…

    abração

  2. Vale ressaltar que esse artifício não é usado apenas por pastores, mas por qualquer tipo de charlatão que explora a ingenuidade e a fragilidade alheia. Pais e mães de santo, paranormais e videntes, cirurgiões espirituais, leitores de sorte de qualquer tipo, etc.

  3. Milagres de cura só parecem acontecer quando há ambiguidade de causas.

    Fulano vai ao médico e descobre que tem câncer. O médico quer tratá-lo com cirurgia e quimioterapia. Fulano fica com muito medo, pois não quer morrer. Sendo religioso, Fulano vai rezar todo dia por uma cura. Então, Fulano faz a cirurgia e passa seis meses em quimioterapia. O médico o examina e dá a notícia de que o câncer foi embora. Fulano acredita que deus o curou.

    Mas o que curou mesmo fulano? Foi deus ou foi o tratamento?

    Essa é uma situação onde se diz que pode haver ambiguidade de causas: ou foi deus, ou foi a combinação cirurgia/quimioterapia ou, sei lá, o próprio organismo se encarregou do processo. Pode-se supor que o tratamento o curou e o fato de ter rezado entrou como simples coincidência. Poderia ser um exemplo da falácia Post hoc ergo propter hoc (depois disso, logo causado por isso). Pra saber a verdadeira causa da cura, o jeito seria eliminar a ambiguidade. Aí teríamos um meio de saber se deus (supostamente existente) respondeu à oração.

    Bem, lembrando do que a bíblia diz em que em Marcos 11:23-24, Mateus 7:7-10, Mateus 21:21 e das palavras de Jesus em Mateus 18:19-20, Fulano teria, então, seus motivos para acreditar que deus o curou. Agora, vamos eliminar a ambiguidade. Suponhamos que Fulano tenha perdido a perna. Se ele rezasse com bastante fé, deus o curaria?

    Por que deus não cura amputados?

    Quando se reza a deus em uma situação onde não há ambiguidade, nunca há resposta. Pode-se dizer que deus ouviu, mas não quis curar, mas há uma resposta mais simples: deus é imaginário e rezar é falar para o vazio.

    Mas há muitas situações em que há ambiguidade e é somente nessas que o “milagre da cura” parece acontecer. E isso é um filão. E como o povo não para pra pensar nessas coisas, já viu o resultado.

  4. Daniel Sugui,
    Sim. É verdade que isto serve para muitas outras maneiras enganadoras…e para tal não se tem contraprova. Ou culpa-se o coitado pedinte, ou diz que deus quer aquele mal….assim é bom e fácil demais. eu mesmo sou um deus!

    Fábio,
    Algumas curas, como dor-de-cabeça, ou psicológicas são causadas pela auto-sugestão….é verdade…mas curas não se aplicam a coisas como amputações e doenças incuraveis…..

    Como se deus fosse puto com fabricar peça de reposição, com eu disse antes…

    Eu queria ver o que o crente tem a dizer…Se alguns concordam com exploração de uma criança, que coitada nem sabe o que tá fazendo, imagine o que dirão dos milagres inexistentes…

  5. as igrejas perderam as eleições. deus levou pau.

  6. Ainda bem que as igrejas perderam.. Os deuses não tiveram força pra mudar nada…devem estar ocupados com algum churrasco dos “sacrifícios” de fogueiras….

  7. Me lembrei da Michelle Bachelet. Atéia, divorciada, com filhos de dois casamentos diferentes. Durante a campanha, o candidato adversário fez uma campanha apelando à religiosidade dos chilenos, criticando o ateísmo dela e seus divórcios, tendo a ICAR como aliada, parecido com o nosso Bush genérico. Bachelet ganhou e a ICAR, que sempre teve muito poder no Chile, levou pau por lá também. Ela governou só dois anos, mas saiu com aprovação de uns 70%. Muito bom que o adversário aliado de facções obscurantistas não tenha saído vitorioso. Só resta torçer para que a cadidata vitoriosa faça um governo bom.

    Li em um comentário aqui no DeusILUSÃO que a fé das pessoas está aumentando, mas lembrando da Michelle Bachelet (que era atéia), da Dilma (que dizem que é atéia) e dos blogs ateus que pipocam pelo mundo, alguns inclusive em países islâmicos, como é o caso da Somália, eu me pergunto: será que está mesmo?

  8. Revista Época:

    Igreja Mundial- O novo Império Evangélico

    Imperador Valdemiro Santiago! srsrs…

    A principal é a ênfase na cura. Diferentemente da Universal, que cresceu preconizando o exorcismo, ou da Renascer, que concentra o foco na prosperidade, a Mundial promete soluções divinas para doenças terrenas. O discurso não é novo. Nos anos 50, milagres de cura eram o mote da Igreja do Evangelho Quadrangular e da igreja O Brasil para Cristo, de Manoel de Mello. Valdemiro remasterizou o tema. Para dar credibilidade ao discurso, às vezes recorre ao médico Wandemberg Barbosa, que sobe ao altar para dizer que a medicina não explica certos fenômenos. “Há casos que só podem ser milagres”, diz Barbosa. “Tomo cuidado com o que falo porque existe a fiscalização do CRM (Conselho Regional de Medicina), mas Valdemiro não provoca a descrença na medicina. Ele nunca manda ninguém interromper o tratamento.”

  9. O Valdemiro (assim como outros do gênero) joga um jogo no qual ele tem pouquíssimas chances de perder: deixa a medicina fazer o serviço e leva o crédito, e se a vítima morrer, foi falta de fé. As pessoas de bom coração, com muita fé e pouca instrução caem direitinho na conversa dele.

    E ele afirma ter poderes até sobre animais selvagens, como quando disse que nadou entre tubarões brancos e estes não o atacaram por ser um “homem de deus”. Está no Youtube, é só procurar.

  10. Quantos xipófagos ele já separou ?
    E quantos membros cresceram ?
    Forjar laudos é muito fácil…

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: