De olhos bem fechados (7ª parte)

clique para ler informações sobre o filme

À espera de um milagre

Programas religiosos fervilham na tevê. Eu vejo alguns, sempre que posso. Padre Marcelo Rossi, padre Fábio Melo, pastor Valdemiro (da Igreja Mundial do Poder de Deus), bispo Edir Macedo (da Igreja Universal do Reino de Deus), R.R. Soares, pastor Malafaia… essa gente toda. Vejo, também, uns que pertencem ao terceiro ou quarto escalão, cujos programas passam nas emissoras de tevê do quinto ou do sexto escalão. Mas eu só assisto a programas religiosos enquanto está passando uma das minhas duas partes favoritas: a da propaganda de Deus e a dos “testemunhos”.

A que chamo de propaganda é porque me lembra muito os anúncios das Organizações Tabajara: “Seus problemas acabaram!!!!” Só que, antes  disso, antes de apresentar para os fiéis o que está vendendo, o pregador em questão vai sempre querer mostrar para eles o quanto o seu produto é necessário.

Eles fazem isso através de um discurso que, em geral (pois o Deus do R.R. Soares cura por partes: “Hoje, só os membros inferiores… só quem tem problema nas pernas…”), tem um roteiro fixo:

Você aí, meu irmão, minha irmã, que está se sentindo deprimido, cansado, triste, desmotivado, desiludido com a vida; você que tem câncer, que tem AIDS, úlcera, trombose, diabetes; você que tem problema no coração, no rim, no fígado, no pulmão, no estômago; você meu irmão, minha irmã, que está sofrendo de reumatismo, de dores na coluna; que está com tuberculose, com enxaqueca, com a gripe suína, com dengue, com erisipela, com asma; você que está com a unha encravada, com coceira, resfriado, dor de dente; você que está com o colesterol alto, você que levou uma topada…”

Daí, depois de vasculhar cada centímetro quadrado do corpo humano em busca de mazelas, ele parte para outro nível:

…você, meu amado, minha amada, que está agora na cama de um hospital, num posto de saúde, na fila do SUS; você que está num presídio, num manicômio; você que está num motel, numa rodoviária, num lixão, numa funerária…”

Cabô  não, peraí:

…você que está pensando em cometer suicídio; você que perdeu o emprego, que perdeu um ente querido; que foi traído pela sua esposa, pelo seu esposo; você que está vivendo um casamento falido; você que está com um problema na família; você que está sendo perseguido, jurado de morte; você que está se sentindo humilhado diante da vida; você que não tem amigos, que se sente abandonado e sozinho; você que só encontra as portas fechadas, meu irmão, minha irmã… [nesse ponto, geralmente, o pregador está com uma voz de choro e muita gente na plateia já está chorando mesmo (também…) — alguns pastores até se ajoelham e se curvam até quase a cara roçar o chão; acho que para mostrar, de forma cênica, o quanto os filhos de Deus são desgraçados, ou como devem rastejar…].”

Pois é. Depois disso tudo, depois de englobar, no seu discurso, 117% das pessoas que o estão ouvindo, depois de “tocar o coração da multidão”, dando a impressão, a cada um, de que está se dirigindo a ele/ela em particular, o pastor, então, rasga o papel de embrulho e mostra o que ele trouxe pra vender: Deus.

A outra parte interessante é a dos testemunhos. Os “milagres”. Não vou falar dos paralíticos que voltam a andar porque, hoje em dia, depois da crise global, o preço dos paralíticos que podem voltar a andar caiu pela metade. Por qualquer cem reais você pode conseguir um milagre desses.

Eu quero falar dos milagres mesmo. Eu já vi o testemunho de uma velhinha que disse que ficou curada dum zunido que tinha no ouvido desde a infância. Ali mesmo, durante o culto. Outra ficou curada de uma coceira que a acometia de 8 em 8 horas. Um senhor descobriu que tinha ficado bom de um câncer, porque não estava sentindo mais o tumor na barriga. Uma mulher, que relatou que estava passando muito mal com uma forte crise de sinusite antes de entrar na igreja, tendo passado quase toda uma latinha de Vick Vaporub no nariz — sem sucesso — , foi milagrosamente curada durante as orações.

Eu poderia, então, suspeitar de três coisas: 1) ou que essas pessoas estão honestamente iludidas, ou seja, elas acreditam mesmo no que testemunharam; 2) ou que estão enganando os outros de forma deliberada, forçando a barra e mentindo descaradamente para aumentar a fé que os outros têm em Deus, na esperança de que o próprio Deus as recompense por isso; 3) ou que elas só querem aparecer na televisão.

Mas eu fico ansioso pela parte dos milagres porque eu sempre espero que venha um amputado que teve os membros repostos pelo criador do universo. Com as provas, lógico, tipo aquelas fotos de antes e depois. Pois é… por algum motivo, Deus não faz esse tipo de milagre. Deus ressuscita mortos, divide mares, manda pestes, consegue emprego, faz com que uma encomenda de alto valor que a gente comprou pela internet chegue aos nossos apartamentos, acha documento perdido… mas deve ter alguma coisa contra amputados…

E quando acaba a parte dos testemunhos, eu vou cuidar da minha vida. Mas sempre torcendo para que, da próxima vez, possa ouvir e ver um testemunho de um ex-amputado, porque reimplante sobrenatural de membros amputados é o meu milagre preferido.


 

 

<< Início

Anúncios

12 Respostas

  1. É por isso que não funciona assim como vc pensa: se Deus sabe que você não acredita nEle nem Ele tendo feito o Universo todo porque Ele acharia que vc se convenceria da existência dEle se fizesse nascer um dedo numa pessoa? E existe um caso sim de uma pessoa que perdeu um dedo mindinho e começou a nascer células no lugar e o dedo se recompõe sozinho. Mas eu não me interessar por membros amputados. Deus já fez um sol pra mim que explode hidrogênio só pra me dar luz e calor. Você quer uma prova maior do que essa?

  2. Hahahahaha, excelente o Post.

    É minha parte favorita também, Barros. Outra boa é a dramatização canastrona da IURD (que infelizmente é cada vez mais rara), os exorcismos (que saiu de mercado) e as respostas do R.R Soares.

  3. A irmã deveria estudar um pouco mais antes de afirmar que o sol “explode” hidrogênio “só” para lhe dar luz e calor. Aliás: Como ela sabe que “deus fez um sol” pra ela?

  4. “Programas religiosos fervilham na tevê. Eu vejo alguns, sempre que posso.”

    Isso tem nome… masoquismo…

    kkkkkkkkkkkkk

    Brincadeira, meu caro…

    Falando em amputados… nem iria tão longe…

    Puxando a sardinha pra minha formação.

    Há casos (mais comuns do que imaginamos) de pessoas que nascem com os chamados “dentes extre-numerários”, uma anomalia do desenvolvimento quie faz com que o indivíduo tenha um ou mais dentes extras, além dos nossos 32 normais (geralmente, ficam inclusos, dentro do tecido ósseo da mandíbula e/ou maxila).

    Pois bem, visto que a existência de dentes extras é relativamente comum, que tal um mísero milagre simples para nascer dentes em pelo um dos milhões de parcialmente (ou totalmente) desdentados do nosso país???
    (ah, não vale dentes extra-numerários que já existiam e nascem tardiamente)

  5. “E existe um caso sim de uma pessoa que perdeu um dedo mindinho e começou a nascer células no lugar e o dedo se recompõe sozinho.”

    Por favor, Agnes, “em nome de Deus”, passe pra gente essa informação mais detalhadamente. Cite suas fontes. Mencione as evidências científicas que atestam que, de fato, foi operado esse milagre. A propósito, passe pra gente o nome exato da fonte de onde você retirou essa informação. Mais fácil, não? Aguardo, ansiosamente, sua resposta.

    Barros, novamente, parabéns pelo tópico. Fácil de entender, acessível a qualquer pessoa. Quanto a esses supostos “milagres” relacionados à cura de doenças, eu sinceramente só posso rir. Mesmo desconsiderando a hipótese do efeito placebo, não há evidência alguma de que essas curas propagadas pelas igrejas sejam milagrosas, resultado de alguma interferência de planos superiores. O que ocorre, em boa parte dos casos, é que o crente, além do “tratamento espiritual”, submete-se também ao tratamento médico convencional, tomando medicamentos, às vezes até realizando cirurgias… Mas, quando o crente melhora… HÁ! Foi Deus o responsável pela compensação da doença, e não os diversos meses (às vezes, até anos) de procedimentos médicos aos quais ele esteve submetido. O “Discovery Channel” abordou esse tema, inclusive. Eles usaram o exemplo de uma senhora que, depois de passar por uma cirurgia para resolver uma deficiência no joelho, atribuía a sua cura a uma suposta santa não sei das quantas. E não adianta tentar argumentar. Foi a santa e ponto final.

  6. Eu acho que seria mais honesto se o circo evangélico cobrasse ingresso na entrada como os circos convencionais e anunciasse os espetáculos da noite: “Exorcizando EXU”, “O maravilhoso milagre do câncer reverso” e “O mistério da pomba-gira”.
    Dá uma olhadinha nisso daqui e me diga que não é piada:

  7. Agnes, querida, não sei como rebater esses seus argumentos. Acho que, se você continuar nessa linha, eu vou acabar perdendo minha fé ateísta no deus Acaso e me tornar um cristão.

  8. Caramba Vikermes o cara fala claramnte , TEM ROLA AINDA , o cara ta pensando em comer varias irmãzinhas depois do show.

    SAFADÃO

    Só da putaria mesmo nestas religiões fanáticas ; sei disso porque freguentei anos a fio.

  9. Deus tb não cura braço, nem perna quebrada, o sujeito fica 2 meses com o gesso sem reclamar

  10. Agnes realmente aprenda sobre o Sol http://ciencia.hsw.uol.com.br/sol.htm e mais um detalhe eu adoro ler no Gênesis como as plantas aparecem antes do Sol por exemplo hahaha,
    Agora se é fato que a Terra 4,5 bilhões de anos assim como o Sol, imagino que as plantas são mais antigas que a Terra hahaha.

  11. O cristianismo é a religião-empresa que possui maior penetração no mundo, por permitir uma série de modificações na embalagem da mercadoria original, cujas negociações iniciais foram feitas por Constantino que dou 10% da sua renda.
    Entretanto, esses “aprimoramentos” foram, na verdade, modificações realizadas de modo a fazer com que as pessoas se viciassem na mercadoria, trazendo, assim, um grande mal ao mundo. Mas na verdade, um dos colaboradores do livro, um tal de Deuterônio, pregava a morte de quem não seguisse as ordens descritas no livro, escravidão, submissão do sexo feminino, e o domínio de povos ao redor da sua vila.

    O grande problema é que as religiões-empresas atuais nunca entregam a mercadoria prometida, pelo menos não se tem tal conhecimento. E apesar disso, este mercado não é regulado por leis de proteção ao consumidor, nem tão pouco por leis de comércio internacional. Embora alguns entrem na justiça para reaver o prejuízo.

    Para os pentecostais, a pobreza é resultado do fracasso pessoal, não de um sistema econômico injusto. A todos a igreja oferece consolo e, muitas vezes, também uma porta de saída para escapar do crime, do vício e da solidão. Mas cobra caro por isso. Baseada numa particular Teologia da Prosperidade, a Universal, fundada, chefiada e liderada pelo bispo Edir Macedo, emprega quase dez mil pastores e milhares de obreiros, prega que a maior expressão da fé são as oferendas de dinheiro (10% de seus ganhos mensais- o dízimo), além de cheques pré-datados, tíquete-refeição, vale-transporte, 13º salário e cartões de débitos maiscedo (e créditos). A idéia de que, “toma-lá, dá cá” e “quanto mais se doa, mais Deus dá de volta”, levada ao paroxismo pela eloqüência dos bens treinados pastores da Universal, já fez com que almas crédulas arruinassem suas finanças, seu casamento, sua vida.
    Quando a graça divina não é concedida, a culpa nunca é do bispo, de Deus ou Jesus, mas do próprio cristão, que teve pouca fé e não se empenhou como deveria. Como se redimir? Aumentando o ritmo das doações financeiras (o trizímo) à igreja, 10% para o Pai, 10% para o Filho e 10% para o Espírito Santo, como prova a Deus, é claro. Duas vezes por ano, para o rebanho de 8 milhões de fiéis, é organizada a Fogueira Santa de Israel. Trata-se de uma campanha, para estimular as pessoas a fazerem doações altíssimas, jóias, carros e até imóveis, para mostrar a Deus que aceitam se sacrificar pela igreja.

    A luta pela hegemonia dos mercadores de Deus sempre foi ferrenha, e está longe de terminar. Como todos reivindicam que a sua é a verdadeira mercadoria, sobre a qual teriam todos os direitos, naturalmente surgiram conflitos. Nesses embates, alguns tentam ser mais diplomáticos, mas muitos são mais radicais, o que gerou, e continua gerando, muitas mortes pelo mundo. Um belo exemplo foi o do mercador internacional Osama Bin Laden, que, numa demonstração de pompa e orgulho, tentou pousar seus aviões dentro de dois prédios em Nova Iorque. Este ato imprudente custou a vida de muitas pessoas.

    Os religiosos não gostam quando uso o termo “mercado da fé”, por considerá-lo ofensivo e depreciativo. Sinto muito, mas não há como não reconhecer que existe mesmo um mercado da fé: são contribuições, campanhas, bandas, discos, livros, editoras, programas de rádio e TV, anúncios, cursos, escolas, venda de santinhos e “souvenir”, universidades, gravadoras gospel, shows de cantores gospel e agora até (pasmem!) turismo e cruzeiro marítimo religiosos (este último, o mais novo filão descoberto pela Empresa Vaticano).

  12. […] parte – 3ª – 4ª – 5ª – 6ª – 7ª – 8ª – 9ª – 10ª – 11ª – 12ª – 13ª – 14ª – […]

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: