Religião faz Mal

Sempre deixei claro, apesar desta contribuição ao blog ateu, que não somos contra os religiosos de qualquer denominação ou credo. Há uma condenação prévia dos crentes pelo simples fato de combatermos as idéias ultrapassadas e a impossibilidade da existências de deuses. No entanto, temos razão e estamos sendo sinceros quando falamos que não sentimos deuses, nem suas existências conseguem se “encaixar” nas explicações científicas, estas comprovadamente explicitadoras do fenômenos naturais.

Não adianta dizermos que o exercício de culto é perfeitamente aceitável, quando este se restringe aos seus respectivos templos, porque os adeptos não aceitam não fazermos parte. Tenho observado um falso entendimento de que estamos cerceando o direito de exercício religioso, entretanto, ocorre o contrário, nós nunca seremos contra as escolhas, apenas desejamos que suas escolhas não interfiram nas nossas vidas.

Vi um depoimento do Dr. Dráuzio Varela, justamente sobre isso. A igreja não erra em cobrar os seus afiliados um postura virtualmente cristã, bíblica. O que enoja é justamente que a própria igreja seja contraditória em acatar crimes e pensar no aumento de fiéis e sentir-se dona das “almas” de todos os cidadãos. Outro fato envolvido na questão religiosa é sua influência e dominação dos políticos, que não ousam criticá-la, temendo perder os votos da maioria da população. Esta dominação desproporcional influencia diretamente nossas vidas perpetuando atrasos e atravancando progressos científicos.

Aí que a religião faz mal. Não só pelos fundamentalistas, mas, no meio democrático pela dominação dos palanques e políticos que jamais intentam contra padres, pastores, igreja, religiões com medo de perder o voto dos crédulos,  mais ainda não permitindo o progresso humanístico, científico e cultural do nosso povo.

Então somos obrigados a obedecer às leis votadas e emendadas por políticos descompromissados com os direitos da população, apenas para agradar ou não ferir os dogmas ultrapassados das religiões. Somos ateus, mas querem nos enfiar sua convicções que nao têm sentido para nós.

Citando um exemplo do prefeito de Jaboatão dos Guararapes-PE, que no carnaval, atendendo ao seu eleitorado claramente religioso, já que é evangélico, proibiu bebidas e a permanência das pessoas depois da meia-noite! Chegou a ser engraçado, os agentes perseguindo os vendedores de bebidas e instituindo o toque de recolher em pleno carnaval! Apenas para agradar a maioria que é cristã evangélica. Apesar de não gostar muito do carnaval, achei uma interferência absurda no direito das pessoas de curtirem esse feriadão. Quando questionado, o prefeito afirmou se tratar de uma medida para evitar violência, mas na verdade, era para satisfazer seus eleitores e pastores.

Outra maneira de a religião fazer mal é nao avisar aos crentes que aquele exercício trata-se apenas de uma realização mitológica, uma reedição de dogmas ultrapassados da idade do bronze. Deveriam avisar que as curas são aleatórias e que não abandonem seus respectivos tratamentos médicos, porque eles não tem poderes pra fazerem novos órgãos! Seria correto afirmar que o seu deus jamais vai estar ali por se tratar de um ser ilusório, sem vida nem forma, apenas uma alegoria para tratar o bem e o mal. Causa males nas mentes das pobres crianças indefesas que não conseguem discernir as verdadeiras intenções por trás daquele culto cheiro de horrores.

Queridos crentes! Enquanto o exercício de culto de suas religiões se mantiverem no seus respectivos Templos estaremos aplaudindo suas escolhas, desde que depois não tente usar suas lavagens cerebrais para arrebanhar mais contribuintes! Fariam um grande benefício à humanidade que as lições aprendidas nos seus cultos não sejam comentadas já que se trata de algo mitológico e parte da alucinação a que se permitiu injetar.

Não queiram que estes dogmas invadam as mentes de crianças despreparadas, ou que nos importunem com sua mitologia barata! Sigam os seus deuses!Falem em línguas “estranhas”, gritem, recebam seus demônios, Façam encenações no palco,Inventem presença dos deuses, curtam as músicas, orem, emocionem-se, mas façam o um favor de encerrar  esse transe  ali mesmo, no final do culto até no pagamento dos seus 10%.

Saracura do Brejo

Anúncios

23 Respostas

  1. Queria ver se os irmãos concordam comigo neste aspecto! Se tiverem seus argumentos, por favor é aqui mesmo que devem por.

  2. DEUS Bíblico não existe. QUEM CRIOU O PROJETISTA?

    Alguns tipos de argumentação são sólidos apenas na aparência são chamados de falácias. A afirmação de que deuses existem, constitui a falácia da ignorância: só porque se ignora a existência de respostas alternativas a um problema, isso não significa que possamos adotar a resposta que bem entendemos. Por exemplo, até muito recentemente na história humana, era perfeitamente lícito usar argumentos como “mas se Zeus não existe, de onde vêm os raios?”. Aqui fica claro que o desconhecimento de meteorologia e eletromagnetismo não é uma prova da existência de Zeus. O mesmo se dá quando o argumento se refere a outros deuses, ou a outros fenômenos de origem desconhecida para o interlocutor.
    Este é um dos mais populares “argumentos” pela existência de deuses, embora os valores de Y dependam muito do lugar e da época. Fenômenos climáticos e sísmicos já estiveram muito em moda, mas atualmente estão em baixa. Hoje em dia os mais comuns são “o homem”, “a vida”, “a Terra” e “o universo”, e o motivo é claro: já é de conhecimento geral que existem explicações 100% naturais e até triviais para o clima e os terremotos.

    Deuses sempre foram chamados para explicar o desconhecido, e todo deus que cumpre essa função tem um nome: deus das lacunas. Isso porque esse deus preenche as lacunas do conhecimento de uma época. O problema é que à medida que o conhecimento científico avança, ele inexoravelmente preenche essas lacunas, tomando lugar dos deuses e deixando cada vez menos espaço para eles. Quem acredita no divino porque não sabe de onde veio a vida, está agindo de maneira idêntica a quem acreditava no divino por não saber de onde vem a chuva. Só muda o objeto da ignorância. Dar nome de “Deus” à própria ignorância não parece ser uma boa idéia.

    Além disso, existe o agravante de que já existem respostas bastante sólidas, apoiadas em um amplo espectro de evidências independentes que se confirmam mutuamente, a respeito da formação de nossa espécie, assim como de estrelas e planetas, inclusive a Terra e o nosso sol. A ciência do século vinte foi extremamente útil para dar as primeiras respostas sobre o surgimento da vida e do universo, que permanecem hoje na fronteira do conhecimento. Assim que essa fronteira for rompida, se o passado nos serve de guia, parece que o argumento da ignorância continuará popular e as pessoas que crêem em deuses se agarrarão a outro mistério ainda não desvendado, perfeitamente imunes às incontáveis lições que a história nos deu sobre os cada vez menores deuses das lacunas. O fato de os deuses encolherem quando a ciência avança é um dos diversos motivos pelos quais muitos ateus e agnósticos entendem que ciência e religião são incompatíveis.

    A questão da existência não tem nada a ver com a visão: trata-se de provas ou ao menos evidências. E há muitos tipos de evidências além das visuais. Temos todos os sentidos além da visão, e ainda a lógica e uma enorme variedade de aparelhos e técnicas que nos ajudam a coletar evidências e provas sobre o ar, as bactérias, os átomos e todas as coisas cuja existência damos como certa. Só na esfera místico-religiosa existem entidades cuja existência sobrenatural, há quem aceite pacificamente sem evidências, ou mesmo apesar de evidências contrárias: deuses, anjos, espíritos, fantasmas, almas, “energias”, a explicação simbólica e mito da criação do homem. “E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou em seu nariz o fôlego da vida, e o homem se tornou ser vivo,” clonagem de da primeira mulher Eva da costela de Adão; Maria, era virgem e deu à luz depois de receber a visita do espírito de Deus; a história do Dilúvio; Deus mandou um peixão engolir Jonas (apesar de Jesus ter dito que era uma baleia…) às vezes a onisciência e onipotência divina falha, normal. Etc, etc…

    Como se explica , como em Mateus:10:34, 35., existe algo mais idiota do que isso? “Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada.
    Pois vim causar divisão entre o homem e seu pai; entre a filha e sua mãe e entre a nora e sua sogra”. Ah, existe sim em Lucas 20:27. Quanta bondade, quanto amor!

    Ainda tem a questão do Concílio de Constantinopla,, em 381,. Dali em diante os fiéis passaram a ter 3 informações essenciais,. A ideia de um Deus que é 3 entidades ao mesmo tempo. Um desafio a lógica, mas aceita como verdade inquestionável pelos fiéis. Foi formulado o dogma mais importante do cristianismo. A Santíssima Trindade. O Pai é Deus, o filho é Deus e o Espírito Santo é Deus. UM DEUS ÚNICO, AINDA QUE FORMADO POR 3 PESSOAS”. As principais dúvidas sobre o Criador já estavam esclarecidas.

    O Novo Testamento revela que um dia (não se sabe exatamente quando), Deus dará fim a este mundo. Os mortos irão “ressuscitar” (não se sabe com qual corpo, aparência, idade…) e todos serão “julgados”. Aqueles que forem absolvidos no julgamento irão para o céu, no paraíso cristão, para viver ao lado de Deus, dos anjos e dos santos (só não sabe o que farão pelo resto da eternidade…). Aquele belo recanto agradável que os amantíssimos religiosos – ciosos de seu amor cristão – fazem questão que nós, céticos, sejamos jogados para nunca mais sairmos de lá. Infelizmente, para os religiosos, aí está mais um sério problema teológico: O que é o Inferno? Onde ele fica? De onde veio esse mito? Os pecadores, por outro lado, serão mandados para fazer um tour no inferno e sofrerão por toda a eternidade. Parece um roteiro de filme de ficção, mas é de terror. RRsss! Nada pode ser mais perverso, traiçoeiro e nefasto do que a crença na adoração, submissão e julgamento final cristão, herança do Livro dos Mortos dos egípcios. Mas se explica: atualmente não haveriam igrejas e os cléricos estariam desempregados, se não pregassem essas blasfêmias, para que o rebanho tenha medo da morte.

    O Velho Testamento, por exemplo, aceita o trabalho escravo, o infanticídio, o marido que bate na esposa, a punição com a pena de morte. Hoje, sabemos mais sobre o mundo e nós mesmos. Não me importo que as pessoas acreditem em Deus, o que me incomoda são esses argumentos idiotas e distorcidos. Me incomoda essa idéia de um Deus super descontrolado que sai castigando a torto e a direito por qualquer coisinha besta. Na verdade essas pessoas acreditam num Deus super pedante, ególatra, raivoso, vingativo, rancoroso, injusto, homicida, que faz questão de ser idolatrado dia e noite, com o seu santo testículo sendo puxado pelos crentes medrosos!

    Você não consegue explicar um “ser” que existe desde de sempre e deixou um livro para explicá-lo? Mas vamos lá, mostre suas evidencias tão fáceis de comprovar. Tente fazer isso sem citar a bíblia pois lá também não há uma comprovação de verdade científica da existência de deus e nós não a aceitamos como prova irrefutável.
    Desculpe-me mais isto par mim é fé cega e não lógica. E fé não é argumento aplicável à razão. Sua alegação mostra que você sabe pouco sobre ceticismo e ciência, pois todas as evidências científicas apontam que deus não existe. Não aceito a possibilidade de sua existência, Ou me prove que Ele existe, para que possa me reconverter!

    Em milhares de anos de teísmo, essa prova ainda não foi encontrada, e não há sinal de que um dia venha a ser. É verdade que existem os chamados argumentos de existência divina, mas todos eles são falhos. Com muita frequência se afirma que a fé dá provas, ou que a própria fé é uma prova. Mas é fácil perceber que ter fé é somente uma atitude, interna e pessoal como todas as atitudes. Ela nada nos diz sobre a realidade externa ao indivíduo. Se eu tiver fé que o Papai Noel existe, isso mostra que ele existe ou que eu me recuso obstinadamente a aceitar sua inexistência?

    “A palavra Deus, para mim, é nada mais que a expressão e produto da fraqueza humana; a Bíblia, uma coleção de lendas honradas, mas ainda assim primitivas, que são bastante infantis.” (Albert Einstein)

    Com os conhecimentos científicos que temos nesse começo do século 21, ninguém é capaz de contrariar seriamente a idéia de que processos naturais, agindo ao longo de bilhões de anos (e não 6 ou 10 mil anos da bíblia), deram origem ao Universo, ao sistema solar, à Terra e à vida que existe nela. NÃO HÁ PROVAS DE QUE DEUS TENHA INTERFERIDO DIRETAMENTE EM NENHUMA DESSAS ETAPAS. Não há provas de que uma inteligência teria programado o Universo. Nós simplesmente fomos sortudos o suficiente para vir à existência num pedaço do Multiuniverso que permite o surgimento de seres vivos. E só por isso, existimos e somos o que somos. Sabemos que o objeto mais complexo do Universo conhecido, surgiu por meio da seleção natural, e o mesmo vale para todas as incríveis adaptações dos seres vivos ao nosso redor (do vôo das aves aos tentáculos dos polvos). Essa complexidade foi construída aos pouquinhos, passo a passo, começando com moléculas orgânicas e células extremamente simples que se tornaram mais elaboradas ao longo do tempo.
    PORTANTO, seria absurdamente improvável que coisas tão sofisticadas surgissem de repente, sem antecedentes nenhum, como se tivessem sido criadas pelo sopro divino narrado nas Escrituras. Ora, supondo que Deus fosse capaz de projetar intencionalmente os detalhes das leis do Universo, ELE precisaria ser um prodígio de complexidade, muito superior ao mais sofisticado dos cientistas humanos. Para os ateus, a idéia de que Deus sempre existiu, tendo emergido por si só de alguma forma, é tão improvável “quanto uma rocha se transformar instantaneamente numa pessoa”. O astrônomo Carl Sagan, perguntou-se certa vez por que o Todo-Poderoso não quis deixar provas mais claras de sua existência, como uma inscrição gigante dos 10 Mandamentos na Lua, por exemplo. Alguns dizem que a falta dessa prova demonstra que Deus não existe, ou pelo menos não estava interessado na humanidade. Rrsss!!!
    PROVAS DA NÃO EXISTÊNCIA de um Deus Bíblico. AQUI VAI UMA DELAS: GÊNESIS, 3:9

    “E chamou o Senhor deus ao homem e lhe perguntou: Onde estás?”

    UMA RESPOSTA SIMPLES para suas questões criacionistas (ateus mais radicais tambem chamariam o Jorginho de “burroCionista”) bem como o João Paulo do DI;

    QUEM CRIOU O PROJETISTA? E digamos que sim um ser Projetista, tenha dado “inicio” ao Big-Bang (uma conseqüência inevitável das leis da fisica), e depois disso o que ele fez? Mas, sentou a bunda na cadeira cósmica e assiste? Completamente “deus otiusus” e se divertindo com a sua criação. Mas claro, vc acredita na obra divina, num design inteligente, etc etc etc, em todos as suas experiências pessoais e todas as profecias dos seus falso profetas.

    O Universo não apresenta qualquer evidência de uma mente dirigente (…) Todos os bons intelectos têm repetido, desde o tempo de Bacon, que não pode haver qualquer conhecimento real senão aquele baseado em fatos observáveis. (Auguste Comte)

    Me diga o seguinte, se basta ter fé para mover um monte e mandar ele se precipitar no mar, criar um dilúvio para exterminar com a raça humana. Jesus curou leprosos, fez exorcismos e chegou a ressuscitar um homem.(assim como, Apolônio de Tiana ou Esculápio). Porque ninguem nunca fez nada infinitamente menor que isso? Como por exemplo, recuperar uma amputaçãozinha de nada?

    “Se as pessoas são boas só por temerem o castigo e almejarem uma recompensa, então realmente somos um grupo muito desprezível.” ( Albert Einstein)

    Ah, afirmarás que,todo mundo acredita em Deus. Isso mostra que Deus existe.”Não, não mostra. Uma mentira repetida mil vezes não vira verdade, assim como um erro muito popular não se torna um acerto. Só mentiras, como sempre. Honestidade e religião nunca andam juntas! Apenas 2,2 bilhões de pessoas seguem as religiões baseadas em Jesus. Todos os demais, em um total de 3,8 bilhões de pessoas, não sabem quem é esse mito cristão. Onde fica o cemitério dos deuses, que já foram venerados no passado?

    Palavras do papa Leão X: “Quantum nobis prodeste haec fabula Christi”! (“Quanto nos é útil esta FÁBULA de Cristo!”)
    “A fábula de Cristo é de tal modo lucrativa que seria loucura advertir os ignorantes de seu erro.” – Papa Leão X

    “Não creria nos Evangelhos, se a isso não me visse obrigado pela autoridade da Igreja”. São palavras de Santo Agostinho. Com sua cultura e inteligência, poderia hoje estar no rol dos que não crêem.

    Nós céticos estamos (livres pensadores, irreligiosos, humanistas seculares e ateus) longe de sermos entendidos de tudo, mas pelo menos somos coerentes e não ficamos dando respostinha fácil para as maiores duvidas da humanidade.
    Um ser onipotente e onisciente que se presta a fazer o que o seu livro sagrado diz que ele fez é tão somente ridículo. E eu nunca desvirtuo nada sobre ele. Eu apenas leio o que está escrito na Bíblia e posiciono com dogmas e doutrinas. Como a humanidade aprendeu muito sobre tudo, e superou a xenofobia em certo grau, nos tornamos capazes de refletir sobre nossas tradições e de identificar nelas os “defeitos” que precisam ser reparados. Assim, universalmente, a humanidade foi mudando seus conceitos.

    BUDA, fundou uma “religião” no qual o debate sobre a existência de Deus é irrevelante. No Budismo: a refutação da existência de um Criador é um ponto chave para distinguir uma visão budista de uma não budista. Historicamente a religião surgiu como uma “resposta” ao complexo hinduísmo. Aos milhões de deuses hindus, no entanto, o budismo contrapôs uma filosofia simples, que prefere não tocar no assunto Deus. Buda evitou o debate tragicômico sobre a existência de Deus para se preocupar com questões muito mais importantes. O que importa é, livrar se de todos os desejos, eliminar o sofrimento e alcançar a felicidade.

    Leitura recomendada para suas dúvidas :
    LIVRO: “Deus um Delírio” de Richard Dawkins – Companhia das Letras

    Minha opinião completa em:
    http://livrodeusexiste.blogspot.com/

    Religião faz mal, leia no site deusIlusão :
    https://mail.google.com/mail/?shva=1#inbox/12fb8fabd89b0025

    Comentário postado no site em :Hypescience:
    http://hypescience.com/campanha-ateista-sofre-%E2%80%9Cperseguicao%E2%80%9D/

    OICED MOCAM

  3. oiced Mocam,

    Seu recado é um texto completo e de grande reflexões, claras e reveladoras……daria um texto sem dúvida, além de mostrar várias coisas que eu nem sabia como expressar…obrigado..

  4. O Saracura voltou botando pra quebrar! gostei do texto ta certissimo (Deus ficticio ou não) deveria ser pra melhora da sociedade no geral; mas não é !!! ocorre o contrário que é justamente isto ai descrito no texto.

  5. ADAM,
    Amigo. Não consigo tirar algo positivo das religiões…nao sei….é apenas um clube sedento de afiliados, pra ouvir mitologia sem futuro….mas o pior é a infestação disso….valeu amigo

  6. RELIGIÃO FAZ MAL

    Pensamento mágico e a realidade.
    A Blasfêmia em nome de Deus

    – A primeira prece que o homem primitivo elevou aos céus, buscando a proteção divina e a misericórdia de seus deuses, foi uma tentativa de dominar o acontecimento que escapa ao seu controle: a chegada da chuva, a cura de uma doença, a proteção contra os perigos da vida.
    A necessidade de proteção, alimento, abrigo, amor, enfim-impõe-se desde o nascimento e é sentida pela criança como vital: sem tais aportes, não há sobrevivência. O desamparo do animal humano ao nascer é total. Sem o outro (e o amor do outro) não sobrevive. Tal desamparo cria a necessidade da crença em pais fortes, poderosos e protetores. Na vida adulta, permanece a necessidade dessa crença em poderes maiores que os nossos para nos fazer enfrentar as vicissitudes da vida. Entre essas, a morte é a mais temida; daí, a necessidade de negá-la: a religião é uma dessas formas de negação.
    Atribuir a uma divindade poderosa nossa origem (diferentemente dos outros seres da natureza) nos dá ilusão de proteção e amparo e a “possibilidade” de que tal divindade nos acolha, como nossos pais nos acolhiam e acate o nosso desejo. Afinal, em todas as crenças religiosas há sempre uma forma (como a oração, o sacrifício ritual etç.) de convencer os deuses a agirem a nosso favor. E não nós damos conta, usualmente, do quanto somos governados por crenças (conscientes e inconscientes) que não têm nenhuma lógica, isto é real.
    Exemplos: a crença em horóscopos, promessas, “simpatias”, “bater na madeira”, “bater na madeira” para evitar a madeira para evitar algo prejudicial, a repetição em dadas situações, de um gesto que “deu certo” uma vez etç….Tais crenças e/ou atos não têm o menor sentido no mundo real, mas povoam nosso dia sem nos darmos conta. E tais crenças não são o apanágio dos menos cultos ou pouco letrados. Os mais letrados e mais cultos tendem a pensar lógica e realisticamente apenas numa estrita área (em geral profissional). Fora dela, o raciocínio lúcido quase desaparece e as crenças mágicas tendem a dominar.

    O que há de comum nessas crenças? A ideia de que podemos agir sobre fatos que não estão ao nosso alcance de que somos impotentes diante do que nos ameaça ou prejudica. Se fizermos tal ou qual coisa (um gesto, uma promessa, uma oração, um “pensamento positivo”, uma consulta aos astros etç.) conseguiremos o que desejamos. E se isso não acontecer agora, na próxima vez acontecerá.. Porque não podemos aceitar nossa impotência nossa limitação.
    Até aqui Você leu sobre a opinião (com a qual concordo), do renomado Psiquiatra e Psicanalista Manuel J. Pires dos Santos, conforme publicado no jornal Zero Hora edição de 16 de agosto de 2009, que transcrevi em parte por ser sempre atual para reflexão.

    E vamos à questão do título desse Site, agora na opinião do brilhante jornalista e escritor do mesmo jornal (vivas à liberdade de imprensa), FLÁVIO TAVARES, que dispensa elogios.

    EM NOME DE DEUS

    …Não fossem os jovens do Ministério Público, porém tudo estaria sob a névoa. E, nós, cegos no nevoeiro.
    O grande embuste desponta agora em São Paulo, no escândalo dos bilhões arrecadados, em nome de Deus, pela Igreja Universal e que enriquecem seus chefes. Desbaratado por cinco promotores paulistas integrantes do Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), supera todos os já conhecidos: a fraude invoca a intermediação direta com Deus, num delito infinito.
    Sim, pois, aí, o embuste lida com a visão mais profunda a atávica do ser humano- a relação com o divino, na intimidade da boa-fé e na crença da palavra fé.
    A conclusão da minuciosa investigação sobre as atividades de Edir Macedo, fundador e chefe da igreja, é aterradora. Do volume de dinheiro arrecadadado no Brasil (cerca de R$ 1 bilhão 500 milhões ao ano, livres de impostos) até a transformação do pagamento do dízimo em única visão teológica, tudo desemboca em algo terrível: os fiéis são levados a interpretar Deus como um investimento, como se Cristo fosse uma empresa de capitalização.

    Em termos teológicos, a blasfêmia é mais infamante do que a chacota em termos históricos. A denúncia, acolhida pelo juiz criminal paulista, mostra como Edir Macedo e outros nove usaram a igreja como ponta de lança para um vasto império de negócios pessoais. No mesmo estilo dos grandes fraudadores, o dinheiro das doações dos fiéis era (ou é) enviado a “paraísos fiscais” nas ilhas Cayman ou no Canal da Mancha. E, no caso, sempre em dinheiro vivo e em aviões a jato próprios.

    A blasfêmia consiste em pedir em nome de Deus e fazer-se de deus do óbolo dos fiéis. Inúmeros “fiéis arrependidos” confessaram-se “lesados” pela igreja, inclusive um ex-pastor: nada se cumpriu do que lhes fora prometido em nome de Deus…”Nos diziam que pela oferta de dinheiro é que se demonstra a fé”, contou uma senhora de Minas, cujo filho (com distúrbios mentais) entregou todos os bens à igreja para conseguir casamento e melhor emprego!

    Conheceu-se , inclusive, o diploma de “dizimista”, entregue aos contribuintes e “assinado” nada menos do que pelo “Sr. Jesus Cristo”, em excelente caligrafia!
    O Conselho de Controle de Atividades Financeiras avaliou o patrimônio pessoal de Edir Macedo em mais de US$ 2 bilhões (hoje R$ 3,8 bilhões), valores não declarados à Receita Federal. Seu avião privado, de US$ 65 milhões, é um dos 20 jatos Global Express do planeta. Os outros são de xeiques árabes, adquiridos com dinheiro do petróleo, não em nome de Deus.

    Enviado por Oiced Mocam

    SARACURA&BREJO&GOOGLE
    os novos deuses (a Santíssima Trindade 3 em1) da Web!!! RRssss!

    Você tambem poderá gostar desse artigo sobre o Vaticano:
    http://livrodeusexiste.blogspot.com/2010/10/capitulo-52-opus-dei-e-os-escandalos-do.html

  7. Oiced Mocam

    Agradeço todos os comentários em forma de texto..são de grande ajuda pra todos nós….muito bons..eu queria colocar alguns dos seus textos por aquui

  8. site fraco de conhecimento, vocês criticam o que não conhecem, reproduzem o que a midia ressalta, estão sendo influenciados por jornalzinho e televisão, cuidado com a globo ela manipula a mente das pessoas…. estudem sobre as religiões depois revejam o que andan citando, falaram de varios pensadores como Comte, Bancon e outros fazem citações sem ao menos conhecer a tese destes..

  9. Nill, você está coberto de razão. Quando esses jornaizinhos e essa imprensa diabólica começam a divulgar algum tipo de conhecimento sobre o mundo, sobre a vida e sobre as leis naturais e outras culturas, que têm mitos semelhantes aos nossos, a tendência é que as pessoas cada vez mais comecem a utilizar o raciocínio, a inteligência, o senso crítico, em detrimento da fé, e aí acabam se tornando ateias mesmo. Um horror isso!

  10. Nil,

    Aí é que está o problema. Se quiséssemos filósofos, cientistas, psicólogos, antropólogos, todos com PHD nas suas ciências, nós faríamos teses, estariamos dicutindo na faculdade em congressos….

    o que na verdade colocamos´é justamente a capacidade de mostrar nosso ponto de visto com o conhecimento que temos..

    Se quiser, nos dê uma aula Sobre Bacon, spinoza, poe criticar. É pra isso que o blog existe. Agora diga que pontos não concorda, que acha ruim, errado, ninguém é obrigado a pensar igual..

    Seja bem-vindo e nos ensine…e dê seus argumentos..abração

  11. engraçadinho o sr. Barros, heim? mas se é para brincar posso tambem trollar:
    Eu vou dizer qual o real significado do ” Bacon” uma grande “porcaria” hahahahaha!

  12. Vanderlei, tem tudo a ver você fazer graça: seu Deus é uma PIADA!

  13. Quel tal David Hume (Ensaio sobre os Milagres), J.-P. Sartre, Espinoza, Russell…?

  14. … Saracura, Barros… etc.

  15. Alguém já viu isso?

    O tapa na cara é tão engraçado quanto a cara de tacho do padre.

  16. Desculpem, era pra ver isso

  17. MMSOARES,

    Vi sim.legal o vídeo. O padre bobão!

  18. Pe MMSOARES
    como vai o Show da fé?
    hehehe!

  19. Toma Cavalo!!!!

  20. Caso você queira ser livre rejeite todas as religiões isso é para idiotas e também já fui um. Hoje sou agnóstico.

  21. Eu queria saber quando é que a religião faz mal ao homem

  22. Eu poderia começar apontando terríveis doutrinamentos morais que os crentes copiam de seu Deus e que se incrustam no modo de agir das pessoas, como o sexismo (porque Deus é um deus de homens), pelo que as pessoas se habituaram a tratar a humanidade como se ela fosse composta apenas de homens: “a chegada do homem à Lua”; “a evolução do homem“; “quando a religião faz mal ao homem?”, etc.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: