O Apocalipse. Fim da Terra. Armagedon! Medo(1)

Do livro de Marcelo Gleiser “O Fim da Terra e do Céu”

Durante toda a história da humanidade, a passagem do tempo sempre foi vista com um misto de fascínio e terror. Como todos os seres vivos, nós nascemos, atingimos a maturidade, procriamos e morremos. Mas, aparentemente, apenas nós temos consciência de nossa mortalidade. Essa consciência é uma bênção e uma maldição. Na tentativa de produzir um legado que, esperamos, sobreviva à nossa curta vida, nós criamos obras de arte e teorias, temos filhos e ajudamos aqueles que sofrem necessidades. No entanto, indiferente às nossas criações e paixões, a morte continua a causar desespero, lágrimas e gritos contra a injustiça, comprovando nossa derrota final diante da onipotência da Natureza em criar e destruir.

Para ailiviar o medo da morte e da dor de perder uma pessoa amada, as religiões do Leste e do Oeste tranformam o fim da vida em um evento que vai muito além da mera incapacidade de um corpo continuar a funcionar. Algumas designam a vida e a morte como estapas igualmente importantes de um eterno ciclo de existência, enquanto outras prometem a vida eterna no Paraíso para aqueles que seguirem seus preceitos. em geral, a transição entre a morte e a eternidade é marcada por eventos extremamente dramáticos, cataclismos de proporções horrendas, que balançam a própria estrutura da Terra e dos céus. Os Druidas acreditavam em uma sucessão de eras, que terminavam, cada uma, queando os céus caíam sobre a cabeça deles; o masdeísmo acreditava no dia do julgamento Final, quando aqueles que seguiram uma vida moral e digna seriam abençoados com a vida eterna, ao passo que os fracos de espírito seriam destruídos por dilúvios de fogo e metais derretidos. O último livro do Novo Testamento , o Apocalipse, anuncia a futura destruição da Terra e do firmamento, perpetrada por uma sucessão de desastres cósmicos, incluindo colisões com “estrelas flamejantes”, o obscurecimento do Sol, da Lua, que se tingirá de sangue, e a queda das estrelas.

Na maioria dos casos, essas religiões forjaram uma profunda relação entre fim do tempo – quando “deus” ( ou deuses) irá determinar o destino de cada um de nós por toda a eternidade – e a destruição da ordem cósmica. Em consequência, os céus, que servem de canal de comunicação ativa entre Deus e as pessoas, foram ( e ainda são) observadosao mesmo tempo com  esperança e temor, já que os “sinais” do fim poderiam aparecer a qualquer momento.

Eis um breve relato inicial que denota o  grande medo das pessoas e a consequente criação de mitos sobre os céus caindo, apenas para deixar o povo perplexo, com temor e fiel a um determinado credo. Vê-se que este entendimento não é novo. Outros povos anteriores começaram a entender a morte e mistificá-la para tornar a vida suportável, ou permitir uma tranquilidade ao homem. No caso do homem moderno, ele se desvia um pouco com arte, música, ciência, filhos, compreensão e ajuda aos semelhantes como forma de amenizar a morte certa. Nos textos posteriores veremos que a alusão a deuses e prolongamento da vida pós morte é uma constante no decorrer da civilização antiga. Alguns relatos bíblicos são cópias de mitologia mais antiga ou influência de culturas anteriores. O fato de ter chegado até nós não tem o condão de tranformar em verdade, apenas pela repetição de rituais antigos, mas é apenas uma assimilação e transmissão cultural.

Saracura do Brejo

Anúncios

6 Respostas

  1. Pra viver bem será que precisamo criar tantas ilusões que nos retira tanta energia. como os deuses??? Penso que não…

    Abraço a todos..

  2. a morte continua a causar desespero, lágrimas e gritos contra a injustiça, comprovando nossa derrota final diante da onipotência da Natureza em criar e destruir.

    R: a Onipotência tem nome Deus.
    Eu não vejo a morte como uma injustiça, antes uma sabedoria permitindo que a partida de alguns seres possibilitem a chegada de novos seres, isto é correto, é justo é Deus.
    A morte tambem faz parte da vida! Eu diria que ela é quem possibilita a existencia da vida.
    pois sem imperfeição não haveria Perfeição:
    luz escuridão
    amor-odio
    criador-criatura
    crente-ateu

  3. A morte é natural, o problema é pensar que vai sobreviver a ela hehehe.
    E quem criou o seu deus Vanderlei ?
    Se ele existe ele não pode ter vindo do nada como prega.

  4. leo
    as vezes voce faz perguntas inteligentes e filosoficas:
    vejamos, existem seres viventes dentro de nós, sim as bacterias!
    Elas possuem consciencia em qual grau para saberem que estão vivendo dentro de outro ser vivo (humano) muito mais evoluido do que elas ?
    obs: não se esqueça que toda bacteria são ateias de seres humanos.
    sds

  5. Voces gostariam que todo ” o mundo’ fosse ateu?

  6. Vanderlei,

    Nós poderíamos ser mais felizes com todos ateus no mundo, como isso não acontece respeitamos as escolhas, mas não somos discriminadores, não gostamos do “apartheid” que a religião quer.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: