Espiritismo: sua alma é reciclável (parte 5)

<< Parte 1

clique

.

Ouvi de uma colega que ela havia se convertido (se filiado? aderido? — não sei, de novo, que palavra usar) ao Espiritismo porque presenciou uma médium de 40, 45 anos incorporar o espírito de uma garotinha, durante uma sessão, e passar a falar feito criança. Ela disse que ficava arrepiada só de lembrar, e me garantiu que eu também ficaria, se tivesse visto a cena. Eu rebati que esse tipo de coisa não é pra mim: não tenho medo de demônios, nem de almas penadas, nem de vampiros, mas pode apostar que jamais permaneceria no mesmo ambiente com alguém que fosse querer me convencer de que espíritos existem, e, pior, que acabou de ser possuída por um…

Um velhinho uma vez me perguntou se eu teria coragem de entrar numa sala onde houvesse uma pessoa possuída pelo Diabo. Como eu lhe garanti que não cometeria tal imprudência, ele erradamente concluiu que eu também acreditava no sobrenatural. Eu precisei explicar que não era o Capiroto que me metia medo: era a “pessoa”.

Eu sou — como já confessei — um completo ignorante sobre o Espiritismo, assim como sobre praticamente tudo. Quanto à doutrina de Allan Kardec, porém, o termo “ignorante” refere-se tão somente ao que eu não sei sobre o conjunto de crenças que compõem o Espiritismo, e que os espíritas, claro, devem conhecer bem. A minha ignorância, portanto, não é acerca de algo que não tomei conhecimento, ou de um aspecto da realidade que eu, por algum motivo, não estou apto a perceber ou entender, enquanto os iniciados no espiritismo estão.

Um erro grosseiro que as pessoas de todas as religiões fazem questão de cometer e propagar é o de confundir duas noções bem distintas: fé e conhecimento. O fato de você acreditar que eu tenho uma alma que, antes de habitar o meu corpo, pertencia a uma outra pessoa (ou, como fiquei sabendo, a qualquer outro ser vivo inferior, como uma lombriga) não significa que você “sabe” que as coisas são assim. Desse modo, quando eu rejeito essa sua alegação como algo que pertença à realidade, você não pode dizer que eu “ignoro” o que você “sabe”, porque você não “sabe”. Você não tem conhecimento. Tudo o que você tem é fé. 

Não, não importa o quanto você esperneie, não importa quantos versículos da Bíblia você saiba de cor, nem quantos livros do Allan Kardec você tenha lido: a realidade não se curva a vontades, nem atende a desejos, nem se remodela de acordo com aquilo que nos parece ser o mais conveniente. Acreditar em reencarnação, em cartas psicografadas, em garotinhas mortas falando através de matronas com poderes mediúnicos faz parte das coisas nas quais você achou por bem acreditar; não significa dizer que isso tudo faça parte da realidade.

Vocês apenas “acreditam” que eu tenho uma alma que está dentro de um determinado processo de evolução (ou purificação) do qual vocês tomaram conhecimento através de um homem que, por sua vez, ficou sabendo dele — desse processo — através dos espíritos. Ótimo. Acontece que tudo o que já se usou para reafirmar essa crença, angariar mais seguidores, ou combater argumentos dos descrentes acabou virando uma coleção de fraudes. Dos espíritos cobertos com filó branco de Chico Xavier e de suas cartas psicografadas, até às manifestações duvidosas de seres desencarnados, seja através de copos deslizantes sobre folhas de cartolina, ou de performances histriônicas de pessoas adultas dando voz a crianças mortas.

.

Anúncios

10 Respostas

  1. Isso lembra o documentário Seance, do ilusionista Derren Brown, onde ele conseguiu convencer um grupo de pessoas que estavam acontecendo coisas sobrenaturais por causa da presença de um espírito. O final é surpreendente.

  2. Que 10 Gustavo; cara se não mostra este final no video eu iria ficar com duvidas kkkkkkkkkkkk
    Como diz o Sivio Santos : Bem boladooooooooo; bem boladoooooooo

  3. Gostaria de complementar; no trecho:

    ” … a realidade não se curva a vontades, nem atende a desejos, nem se remodela de acordo com aquilo que nos parece ser o mais conveniente. ”

    A percepção de realidade do crente nesses fenômenos é sem dúvida promovida pela fé e/ou vontade de acreditar conforme é bem lembrado no discurso cético. Outro problema que eles não admitem ou não aceitam é que esse mundo no qual todos nós habitamos é o ‘natural’ . Eles partem de coisas eventualmente difíceis de entender como a morte, misteriosas como sonhos ou corriqueiras e banais como calafrios. Isso sem falar dos olhos virados que tanto assustam os mais desavisados. Essas “manifestações são automaticamente associadas como não naturais e portanto sobrenaturais. Coisas do outro mundo. Do mundo dos espíritos e toda aquela conversa fiada que a gente já conhece. No mundo natural temos muitos nomes pra isso …

  4. Gustavo, você é parente do Alamire? :-)
    Curiosos sobrenomes musicais…

  5. Hudson, não conheço ninguém com esse nome.

  6. Então pesquise sobre esse nome, e sobre Guido D’Arezzo.
    “A la mi re” indica as sílabas de solmização (la, mi, ou re) da altura musical “A”, na mão guidoniana. Alguns músicos (como “Pierre Alamire”) gostaram da sonoridade e usaram como pseudônimo…
    …o que me faz associar seu sobrenome às alturas “mi lá ré”.

    Vai ver que você é reencarnação do Pierre :-D

  7. […] Parte 2  –  Parte 3  –  Parte 4  –  Parte 5  –  Parte final Divulgue:EmailTwitterFacebookOrkutPrintLike this:LikeBe the first to like this […]

  8. Não sei o quanto as pessoas podem se arrepiar, mas cabe

    ao ser humano encarar qualquer que seja o que tivermos

    de nos deparar daqui por diante. Acontece é que devido

    aos inumeráveis casos de arrebentamento anal de

    criançinha de até 03 anos dentro de igrejas (ressalte-se

    não é nem de 13 para os 17, quando a Natureza já

    possibilitou alguns cartões de entrada para a vida sexual),

    então mexeu-se pra lá,mexeu-se pra cá, e tudo que agora

    a Sociedade vê é p “pontudo” expedir na mídia um

    “CONTROLE”, “RÍGIDO”, sobre as pessoas; saindo-se à

    moda descarada alegando que a Sociedade e as igrejas são

    responsáveis por todos esses escândalos, ou seja, esses

    crimes hediondos. Enfim: Nem as igrejas sofrem pena

    alguma, como também nem pederastas chefetas-de-

    crenças(no caso, pastuto, pastrófilo, nenhum recebeu pena

    nenhuma; mas se pegou um bobo aqui, outro ali, para

    incendiar a encenação de “combate”). O que vemos é

    aumentar um ferrenho encarceramento dos jovens nas

    escolas, e o entupimento das religiões nos esportes, nos

    governos, e em tudo. E a Sociedade cai nessa, e ainda

    ajuda, enganada pelos lacaios-escorados-em-favores nas

    organizações de crenças.
    Não é apenas uma carta a um Ministério Público dominado

    que vai modificar coisa alguma, isso só os alerta a

    fincarem mais o ferrão na Sociedade.
    Temos de colocar os fatos na cara de todo mundo e

    resolver de vez o que é que tem por trás desse troço de

    “deus”, e que palhaçada é essa de tentarem nos pregar

    “fuligem-vagante”.
    Estamos sob um domínio com intentos parasitas, e parece

    que não é só o arrebentamento anal de criancinhas que

    nos espanta, mas parece que nossos cérebros podem ser

    drenados. Não importa que nem sobre muitos de nós ao

    pormos um término nessas organizações mentirosas que

    conhecemos como igrejas e centros de baixação de

    fuligens, e etc; importa é que consigamos sobreviver como

    seres ‘humanos’ mesmo.
    Não sei o quanto as pessoas podem se atemorizar, mas

    testes com imagens de várias pessoas mostram um padrão

    característico, mesmo com efeitos de tons; foram feitos

    registros e comparações de várias imagens encontradas

    nesses vídeos que pregam “espíritos” “bonzinhos”, e por

    trás delas sempre apareceu nos testes isso que se vê nessa

    amostra anexada aqui nesse comentário. Urge que

    tenhamos explicações sobre isso, e não um monte de

    retórica evasiva ou imbecil ou dissimulada. Temos de

    saber em que pântano estamos afundados, temos de saber

    por que transformam nossa Sociedade num pântano de

    violência e aberrações, enquanto desfilam na nossa cara

    os que nos impõem as piores torturas civis. Então uma

    pergunta faz urgir uma resposta premente: “Por que essa

    organização que chamamos Governo é de mando,e não de

    composição de esforços e produtos?”. E, o que nos faz

    encurvar como escravos? Também sabemos que as igrejas

    batistas, presbiterianas, assembléias de deus, etc, têm os

    mesmos traços esquisitos em seus líderes e em suas

    construções. porque repartem-nos em currais, porque nos

    socam em um covil fechado e pregam-nos um monte de

    enganação?
    Qual é o tamanho de toda essa mentirada?
    Afirmo, nenhum ser humano precisa ter mêdo de nada,

    temos valor suficiente para sermos uma espécie livre, que

    almeja, com todos entretantos que tivermos que lidar com

    nossa consciência, que almeja ser feliz.

  9. Essa imagem colhida aqui e postada no Diário Ateísta, passada em teste de tonalidade. Vejam e tenham coragem.
    http://www.ateismo.net/2011/11/26/equivocos-parte-13-a-imagem-de-deus/

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: