Espiritismo: sua alma é reciclável (fim)

<< Parte 1

.

.

Não vos voltareis para os que consultam os mortos.”

(Levítico 19:31)

Ora, mas se nem Saul, que viveu numa época em que Deus falava diretamente com os homens, deu ouvidos às ordens do seu Senhor e consultou uma necromante (1 Samuel, 28:7), imagine os que nasceram num tempo em que Deus não dá mais sinal de vida há dois mil anos!

Eu não sei como os espíritas conseguem conciliar sua seita/religião/doutrina com a Bíblia sagrada dos cristãos, uma vez que o Deus bíblico era claramente contra essa prática. Também não sei como reagiram à reportagem de Hamilton Ribeiro (atualmente na rede Globo), publicada em 1971 pela revista Realidade, em que, dentre muitas outras coisas interessantes, a matéria revela a transcrição de uma frase psicografada por um falso espírito. Isso mesmo: Chico Xavier psicografou uma mensagem de um espírito inventado pelo repórter. Era um teste jornalístico, e o ícone do Espiritismo no Brasil não passou.

Não sei um sem-número de coisas sobre o Espiritismo. Mas você não precisa beber um caldeirão de sopa inteiro pra saber se ela está salgada ou insossa: basta provar com a ponta de uma colher.

Dito isso, fico à disposição de qualquer um para possíveis “correções” dessa minha visão limitada do assunto. Se for o caso, posso publicar textos de leitores espíritas que estejam interessados em prestar os devidos esclarecimentos para os pontos que abordei. Claro que o texto assim publicado virá junto com os meus comentários, e eu nunca vou ficar mundialmente famoso pela minha sutileza em criticar a fé alheia.

Mas como disse uma vez Richard Dawkins, era de se esperar que alguém que teve sua fé criticada, ou diminuída, ou achincalhada — embora não tenha sido exatamente essa a intenção dos meus textos — , pois bem, era de se esperar que as pessoas rebatessem esse tipo de abordagem nos termos de “Você está errado aqui, aqui, e aqui”.

O que as pessoas religiosas costumam fazer, em vez disso? Ah!, elas costumam incorrer no pecado da ira, costumam ameaçar o dissidente com torturas indizíveis no Inferno, costumam reclamar aos berros para que o mundo tome conhecimento de que estão sendo ofendidas na sua fé.

Fé: a vontade que a gente tem de que as coisas sejam como a gente gostaria que fossem.

.

Anúncios

13 Respostas

  1. […] Espiritismo: sua alm… on Espiritismo: sua alma é recicl…Espiritismo: sua alm… on Espiritismo: sua alma é recicl…oalfaeomega on Espiritismo: sua alma é […]

  2. Mas espíritas consideram a Bíblia? Os que eu conheço só consideram o evangelho de Jesus segundo o espiritismo (que, obviamente, é uma versão inventada para defender a doutrina de Kardec), além de usar também a história de Buda e o livro de criação Hindu (não sei se como verdade ou puramente como fonte de reflexão).

    Claro que isso varia, então deve ter muitas seitas que usam a bíblia. O espiritismo é tão polimorfo quanto o cristianismo.

  3. Fé: a vontade que a gente tem de que as coisas sejam como a gente gostaria que fossem.

    Ótima definição. Eu não sei se posso classificar o espiritismo como algo ameaçador, mas creio que posso afirmar que é um sistema muito cruel e a mim não me parece nada com uma doutrina em que deus é o ser perfeito de amor absoluto. O espiritismo transforma a vítima em culpado. É anti-humano por isso. É ruim.

    Talvez não seja ameaçador porque ainda não tem (e acho que nunca terá) muitos adeptos no mundo. Os franceses é que foram espertos e rejeitaram, em sua grande maioria, mais essa fábula. Aliás, eles também foram muito espertos quando desligaram a religião e o estado, coisa que nós no Brasil deveríamos aprender a fazer imediatamente.

    Continuarei acompanhando o blog.

    Um abraço.

  4. Alguém mais notou o pequeno smile no canto direito da tela, um pouco acima do eixo horizontal imaginário que passa por “Clique pra seguir”? :)

    Essa série de textos deixou a desejar, sei que você poderia ter feito melhor. Existe uma religião espírita fascinante (pela definição de Kardec, seria espiritualista, mas isso não vem ao caso) chamada União do Vegetal. Procure assistir algumas sessões dela; estou muito interessado em saber quais seriam suas opiniões a seu respeito. Suspeito que essa seja a mesma religião do mala “Deus e Ciência”, pois já o vi algumas vezes postando “Luz, Paz e Amor”, o lema da União.

  5. Falei besteira… O mala que fala de Luz, Paz e Amor é um tal de Renan Moreira

  6. Desculpem se me intrometo, mas… vegetal? Ah, o Ayahoasca. Não seria uma grande ignorância achar que um chá libertaria a mente para experimentar a experiência sobrenatural? (se é que isso faz algum sentido)

    Tomar alucinógenos não parece levar a nenhum tipo de “esclarecimento espiritual” ou de autoconhecimento. Tomar alucinógenos pode fazer com que pessoa veja dragões, mas isso não significa que eles existam. Privação de sono por muito tempo também causa alucinações, sendo, de certa forma, equivalente a tomar alucinógenos.

    Eu acho que a diferença entre o alucinógeno e a religião é que a religião é uma droga social (quer dizer, legalmente aceita).

    Eu, por mim, prefiro o que dizia Belchior: (…) a minha alucinação é supertar o dia a dia, e meu delírio é a experiência com coisas reais.

  7. Eddie, Gabriel M., Gustavo Milaré, obrigado a todos pelos comentários.

    Mas espíritas consideram a Bíblia?

    Gustavo, meu nobre, os espíritas levam em conta os Evangelhos e alguns livros do Antigo Testamento, a gosto, como o livro de Jeremias, citado no capítulo 11: Falsos Cristos e Falsos Profetas. Portanto, eles consideram, sim, a Bíblia.

    Aparentemente, os espíritas tiveram mais coragem do que os cristãos e enterraram de vez o odioso Deus do Antigo Testamento.

    Gabriel M., concordo com você. Mas o motivo é o meu quase que completo distanciamento da doutrina espírita. Espero que apareça alguém que possa corrigir/esclarecer os tópicos abordados.

  8. Caro Eddie, não está se intrometendo de maneira alguma.
    De certa forma, o chá liberta sim. Claro que isso depende do quão amplo é a sua definição de liberdade. Mas definitivamente ele tem uma ação “terapêutica” sobre a mente, ele é relaxante. Eu não atribuo isso a forças espirituais, existe uma explicação química para isso. Mas também não vejo como ignorantes (no sentido pejorativo da palavra) aqueles que atribuem; vejo como uma interpretação pessoal para o fenômeno, e interpretações não precisam ser corretas nem estar de acordo com a realidade. Repito: a União é uma religião fascinante, bem diferente da religião tradicional; se tiver a oportunidade de assistir uma sessão, assista.

  9. Da uma olhada ai no que o Gabriel ta falando!! TO FORAAAAAAA

  10. Qual seria, na prática, a diferença entre a União do Vegetal e os Rastafari?

    As duas utilizam substâncias que provocam alterações da mente para “atingir o divino”…

    Ora, assim, até uma rave, regada a LSD e Ecstasy pode ser uma experiência religiosa :-)

  11. Falou tudo Alex da uma olhadinha nisto aqui que legal!! vou colocar a primeira parte vc pega o resto no youtube

  12. Alex Rodrigues, realmente ambas as religiões usam alucinógenos pra entrar em contato com o “místico”, o “sobrenatural”. Não sei o que é ensinado no culto Rastafari, mas com certeza existem diferenças bem marcantes nas doutrinas de cada uma.

    Acho que ninguém na rave está interessado em “atingir o divino” (pelas suas próprias palavras). Então acho que não podemos chamar exatamente de experiência religiosa.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: