A Teoria do Barro (primeira parte)

Não aparece na capa, mas há um subtítulo para esse livro: “por meio da seleção natural”. Eu menciono isso para poder explicar, de uma forma bastante superficial, o que é mutação, o que é seleção natural, e o que quer dizer, de fato, o título da obra que foi o “Gênesis” de uma das mais brilhantes teorias científicas do nosso tempo: A Origem das Espécies, de Charles Darwin.

Chama-se de “mutação” a mudança nas características genéticas de um indivíduo que pode ser repassada aos seus descendentes. “Seleção natural” é o resultado da interação entre os indivíduos que sofreram aquela mudança e o meio ambiente ao qual pertencem.

Tome o seguinte exemplo, irresponsavelmente concebido por mim mesmo. Digamos que, há muito, muito tempo, um indivíduo de uma tribo do deserto do Saara tenha sofrido uma alteração genética que lhe tornou praticamente imune aos danos causados pelos raios do Sol. Esse indivíduo teve filhos, e eles herdaram aquela “mutação”, bem como os filhos dos seus filhos, e assim por diante, de forma que, com o passar do tempo, quase todos os membros da tribo tinham incorporado aquela mutação aos seus próprios genes.

Lado a lado comigo ou com você, qualquer pessoa daquela tribo em particular não teria, hoje, nada de diferente de nós, além das muitas características que distinguem, por exemplo, um japonês de um indiano, um esquimó de um pescador de lagostas no litoral do Nordeste, ou um carioca de outro carioca. A mutação genética sofrida, portanto, não teria feito nem bem nem mal.

Agora imagine que, nos séculos por vir, além da diminuição da proteção atmosférica da Terra, o Sol passasse a disparar uma quantidade mais intensa de raios nocivos ao ser humano. O que poderia acontecer?

Ora, à medida que as gerações se sucedessem, mais e mais pessoas morreriam vítimas dos mais variados tipos de câncer; mais e mais pessoas teriam descendentes com mutações genéticas terríveis que lhes impossibilitariam a sobrevivência; e mais e mais pessoas morreriam cada vez mais cedo na vida, até mesmo antes de terem seus próprios filhos.

Em alguns milênios, se tanto, o nosso planeta não teria mais, em nenhum lugar, seres humanos iguais a mim e a você, com a nossa mesma “carga genética”. Por infelicidade, no caso, nossos corpos não poderiam contar com uma resistência extraordinária aos raios do Sol, exibida apenas por umas poucas centenas de indivíduos de uma certa tribo do Saara. Esses sortudos, mesmo sem precisar se dar conta disso, teriam sido favorecidos por uma mutação genética que, embora aleatória, possibilitou que eles adquirissem a condição necessária para sobreviver no ambiente em que se encontravam, e, mais importante ainda, passar essa característica para as gerações futuras.

Os que não tinham a mesma condição, como eu, você e os seus descendentes, teriam sido extintos.   

2ª Parte  –  3ª Parte  –  4ª Parte  –  5 ª Parte  –  Parte final

Anúncios

15 Respostas

  1. Gosto muito do seu BLOG, posso me aventurar e fazer vídeos, com as devidas adaptações e publicá-los no YOU TUBE ??? Tanto no início com no final darei os créditos a você. O que acha da idéia ?

  2. Carlos Souza, fique à vontade! E manda o link pra divulgação aqui no blog. Seria bem interessante ver os meus textos em vídeo… rsrs Um abraço.

  3. Já ouviu falar em protetor-solar????

  4. Eu uso FPS 60 da Natura. Muito bom.

  5. Eu ordeno em nome de Jesus que esse blog seja desativado e que todos os seus seguidores aceitem a Jesus como Salvador…
    Amém!

  6. […] A honestidade do ateísmo …jephsimple em A honestidade do ateísmo …FILHO DE DEUS em A Teoria do Barro (primeira…Lídia em A Teoria do Barro (primeira…rosalys2 em A Teoria do Barro (primeira…nayara […]

  7. Eu ordeno em nome de Jesus que esse blog seja desativado e que todos os seus seguidores aceitem a Jesus como Salvador…
    Amém!

    Hahahaha! Tua moral anda bem baixa lá com a galerinha celestial.

  8. Pronto. Veja lá o resultado. A medida que for perdendo a vergonha…vou aperfeiçoar o seu trabalho. Obrigado pela confiança.

  9. Carlos, fiz um comentário lá na página do YouTube. Continuando — que lá tem limitação de espaço — sobre a leitura, lembro que é mesmo uma coisa muito difícil de se fazer. Richard Dawkins dizia que as pessoas mais aptas a esse tipo de leitura são os atores profissionais. Ele pedia sempre à esposa, que é atriz, para ler os textos dos seus livros em voz alta pra ele, antes de mandar para a editora.

    E, rapaz, você me lembra o Paulo Coelho, quando jovem… Devia se aventurar como escritor também, que a “imagem” desse artista de sucesso iria se impregnar na sua…

    Abraço

  10. FILHO DE DEUS, em 04/10/2012 às 11:01 disse:
    “Eu ordeno em nome de Jesus que esse blog seja desativado e que todos os seus seguidores aceitem a Jesus como Salvador…
    Amém!”

    Tá aí a prova que esse papo de usar o “nome de jesus” e as coisas acontecerem não passa de mais uma mentira…

  11. […] A Teoria do Barro(s) […]

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: