Deus e o “complexo de Baby”

VOCÊ  TEM  QUE  ME  AMAR!!!

VOCÊ TEM QUE ME AMAR!!!

Se eu acreditasse em Deus, haveria uma pergunta que certamente iria me incomodar muito antes de conciliar o sono, logo após ter feito as minhas orações noturnas… Uma pergunta que, por algum motivo, não incomoda os crentes que eu conheço: “Por que Deus precisa assim tão desesperadamente ser amado?”.

Eu andei pensando nisso ultimamente, enquanto apanho cocô de gato do jardim da minha mãe. É uma pergunta até filosófica, eu acho, e eu tenho filosofado muito esses dias, até porque tem muita merda de gato pra apanhar todo dia de manhã.

A primeira coisa que me ocorreu, como resposta, foi que a necessidade de ser amado talvez seja diretamente proporcional à nossa vaidade. Daí eu considerei esse modelo aí do anúncio.

Pois bem. Eu pensei “Como um cara bonitão desse jeito iria se sentir se nenhuma mulher se interessasse por ele? Se não tivesse nem mesmo nenhum amigo ou amiga? Se ninguém gostasse dele?”. Na certa o cara ia ter que fazer terapia. Entretanto, seria preciso admitir que, se esse modelo fosse um rapaz interessante, inteligente, divertido, educado, afetuoso, não tivesse mal hálito e coisa do tipo…, ele não teria nenhuma dificuldade em fazer amigos(as), muito menos em despertar interesse (sexual/afetivo) no sexo oposto.

Aí desmoronou minha tese. Ora, mesmo que ele fosse extremamente vaidoso (e com motivos para isso), não haveria por que cultivar uma necessidade doentia de despertar interesse nas pessoas, porque tal interesse seria apenas uma consequência de uma realidade inegável: ele é bonito, charmoso, boa-praça, inteligente, engraçado, gentil, etc. Sendo assim, ele já teria há muito se acostumado com o “amor voluntário” que as pessoas demonstrariam ter por ele, nos mais diversos níveis em que o amor pode se apresentar.

Será que eu seria capaz de imaginar que esse modelo da Ralph Lauren só conseguiria ser aceito numa turminha de faculdade se vivesse rastejando em volta das pessoas, pedindo companhia e se humilhando por um pouco de atenção? Será que dá pra imaginar esse cara bajulando as pessoas para obter afeto e as ameaçando com algum tipo de punição caso não fossem capazes disso? Não. Não dá.

Fui, então, meio que obrigado a inverter a lógica da minha proposição inicial: quanto menor a vaidade, quanto mais estilhaçada a autoestima, maior será a necessidade de se sentir amado; maior será o desejo de ser aceito. Seria como um bálsamo para uma ferida purulenta; um alívio para uma dor insuportável; um remédio para uma doença terrível.

Foi então que percebi que Deus teria que ser uma criatura muito, muito doente. Uma divindade com um perigosíssimo distúrbio mental, talvez tratável apenas com medicação pesada. E isso seria suficiente para me fazer perder o sono, todas as noites depois das minhas orações, se eu acreditasse que ele existe.

Como me sentir feliz num universo criado e governado por um ser assim tão carente, cuja primeira lei é a de que as pessoas devem amá-lo acima de tudo? Que deus em sã consciência exigiria ser amado por decreto? Que divindade é essa que dá-se ao trabalho de criar um universo para nele pôr uma raça cujo único propósito seria o de adorá-lo incondicionalmente? Como eu seria capaz de viver em paz num mundo em que seu Criador ameaça expressa e subliminarmente aqueles que não lhe devotem amor? Como eu iria poder dormir à noite, tendo acabado de orar a um tirano cósmico carente de afeto? Um ser todo-poderoso com sérios problemas mentais? Um Deus tarja-preta digno de pena?

 

 

Anúncios

17 Respostas

  1. As religiões em geral são histerias, uma forma de neurose. Nas neuroses , aliás somos todos neuróticos, há uma necessidade básica para cada tipo. Uma delas é ser amado o que comumente se chama carência afetiva. Sendo assim, se todos somos criados a imagem DELE, então o mundo é neurótico pois todos temos a necessidade de afeto. Uns mais, outros menos. No caso de deus, mais, muito mais. Por isso o mandamento “amai-vos uns aos outros” não é válido para a humanidade.Primeiro queremos ser amados. O egoismo é marca registrada do ser humano. O deus não amou nem o próprio filho tendo que sacrificá-lo para ser mais amado ainda. O amor de deus é neurótico e , como nos casamentos, o que mantém as pessoas unidas não é o amor e sim a neurose. Somos ligados ao deus por um amor neurótico (ou o que se pensa ser amor).

  2. O efeito que o suposto deus dos hebreu provoca na mente de um adulto, é o mesmo efeito que causa um urso de pelucia numa criança que tem medo de dormir sozinha.
    Eu já nem discuto mais sobre as pseudo personalidades de tal suposto deus, visto que isto é inutil ,tal coisas deve ocupar somente a mente dos crente.

    Ps: Não alimento os trolls

  3. Tente viver sem ele meu amigo. Embora o negue, precisas e dependes de tudo o que Ele criou. Basta apenas lhe faltar ar para que seu cérebro pare de funcionar. Apenas um organismo microscópico já é letal para o ser humano. Podes até negar a Deus, mas negar a vida e tudo o que lel fez, jamais.

    As pessoas que negam à Deus deveriam usar esse livre arbítitrio para negar também as coisas que Ele fez. Mas acontece que ela possuem uma inteligência que as tornam vivas. Porque não usar essa mesma inteligência para de prostrar diante de Deus e o adorar?

  4. Juca. Você ama a seus filhos por neurose?

    Entenda bem o que quer dizer: fez o homem à imagem de Deus.
    Imagem de Deus quer dizer seus atributos comunicáveis que são: bondade, santidade, amor, fidelidade, longanumidade. Conhecidos também como os frutos do Espírito. SEm eles o mundo entraria em um caos. Algumas pessoas, mesmo negando a Deus preservam alguns desses atributos de sua “imagem”. è porisso que podemos encontrar alguns ateus”comportadinhos” socialmente. Eles estão fazendo uso de alguns atributos comunicáveis de Deus. Mas eu o convido a utilizar-se da graça de Deus, fé, esperança, confiança, temor, sabedoria divina. Tudo isso está disponível nas prateleiras de Deus conforme diz o apóstolo Tiago: “Ora, se algun de vós tem falta de sabedoria, peça-a à Deus, que a todos dá liberalmente, e não sensura e lhe será dada.”

  5. Juca. Você está enganado quando diz que Deus entregou seusfilho para morrer por nós.

    Em Jo 3.16 e17″porque Deus amou o mundo de tal maneira que “deu” seu único filho para que todo aquele que nele crêr não pereça mas tenha a vida eterna.Porque Deus enviou o seu filho ao mundo não para que condenasse o mundo mas para que o mundo fosse salvo por Ele.

    Em João 10.17 e 18 diz:”Por isso o meu pai me ama, porque dou a minha vida para tornar a tomá-la. Ninguém a tira de mim, mas eu espontaneamente a dou. Eu tenho autoridade para dá-la e autoridade para tornar a toma-la. Este mandato recebi de meu Pai.

    Cristo se ofereceu expontaneamente. Ele sabia que não havia outro meio de o homem ser salvo, então se entregou para nos salvar.

    Ao invés de ficares questionando quem entregou, porque, onde, quando, etc, passe a refletir: “Ele se entregou” e sendo eu ainda pecador. Obrigado meu Deus por entregar-se por mim. Eu aceito o seu sacrifício”.

  6. O ton se emputeceu quando eu disse que se Deus dependesse do meu temor ia se fuder. Não posso expressar a minha opinião, ora? E por que é ele que tem que se emputecer? Se Deus não ficou puto, por que o ton ficou? Será que eu o ofendi? Claro que ofendi, e por isso peço desculpas. Não gosto de ofender ninguém. E veja: se alguém ofendesse o Sherlock Holmes, eu ia ficar puto também. Não é só porque Deus é um mito imbecil que as pessoas podem sair por aí falando qualquer coisa dele… Há sempre os fãs que merecem o devido respeito.

  7. É colega. Segundo postagem de alguns amigos seus, parece que você já “andou” frequentando as igrejas. Se isso realmente for verdade, o caso é mais sério do que eu pensava e possui estreita relção com o que eu disse anteriormente sobre blasfêmias:

    Vamos ao significado:
    Significado: Falar de uma coisa espiritual e falar que é demoníaca.
    Blasfémia ou blasfêmia é a difamação do nome de um ou mais deuses. Isto pode incluir o uso de nomes sagrados em expressões vulgares ou imprecações, sem a intenção de rezar, ou falar de assuntos sagrados sem o devido respeito. As vezes a palavra blasfémia é usada para significar qualquer insulto.

    Deus desconsidera esses atos a pessoas que não o conhece, mas, como foi o caso descrito na bíblia em Lucas 12.10 Cristo diz: “E todo aquele que disser uma palavra contra o Filho do homem(Cristo), isso lhe será perdoado, mas ao que blafemar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado”

    Em Lucas 15.11-32, Cristo fala sobre o filho pródigo. Em nenhum momento vemos o filho pródigo blasfemando de seu pai terreno, quanto mais o celeste. O filho voltou para o pai.

    Mas Cristo não estava falando sobre a blsfêmia contra o Espírito Santo com pessoas ignorantes, ele estava falando com fariseus e saduceus, doutores da lei de Deus, pessoas que conheciam ou qconheceram à Deus.

    Poranto, Barros, se realmente já fostes cristão, não é a mim que deves pedir desculpas ou perdão mas sim à Deus.

    Quanto a outros artistas, que mal eles podem fazer a você ou a qualquer um que deles blasfemar? No máximo um processo judicial, mas com Deus o negócio é diferente.

  8. “Com Deus o negócio é diferente?”

    Ai, que meda!

  9. Barros, em Mateus 10.28 Cristo diz: “Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma. Temai antes aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo”.

    O que Deus ou Cristo fez ao homem senão todas as coisas para o agradar? Se Cristo fosse um mero homem, o que Ele fez a você, ainda que como homem, senão ensinar sobre o amor, respeito e sobre a fé em Deus. E como não bastasse, se entregou a si mesmo por nossos pecados, sofrendo a morte de cruz e ressucitou ao terceiro dia. E o que fez o Espírito de Deus a você? Ele apenas te convence do pecado, da justiça e do juízo. Nada mais. Não te bateu ou espancou, não falou mal de seus entes queridos, ou do modo em que penteias o cabelo ou de como cuidas de sua aparência. Ele apenas convence e se isso o incomodou, daqui para frente Ele não o incomodará mais. Podes ficar tranquilo (eu duvido que realmente poderás) que o singelo Espírito de Deus não incomodará mais.

    Um abraço e boa sorte.

  10. Nossa, ton, eu estou impressionado como você conhece bem o Espírito Santo, a divindade mais moita do Catolicismo… Aproveita e pergunta pra ele — eu sempre quis saber, mas não tenho o e-mail dele… — pergunta se ele tá se divertindo com essa gincana que Deus montou nesse universo. Pergunta aí, vai…

  11. E aproveita e responde por que Deus é tão carente de amor. Você só fica trollando e não responde as perguntas dos textos, nem mesmo se atém ao tópico.

  12. Eu descobri aqui o cumulo da burrice, fazer proselitismo para ateus.

    Ps: Não alimento os trolls

  13. Misericórdia, misericórdia.

  14. “Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória pois a ele eternamente. Amém.” Rm 11:36

    As respostas estarão sempre lá, mas apenas para quem, de fato, as quiser. E, mesmo se houver dificuldade para chegar até lá, sugiro um estudo sério sobre as explanações de Descartes. No mais, não devo deter-me na roda dos escarnecedores. (Salmo 1:1-3)

    http://www.educ.fc.ul.pt/docentes/opombo/seminario/descartes/existenciadedeus.htm (O Cogito de Descartes: “Penso, logo existo”)

  15. E quem disse que Deus tem a necessidade de ser amado? Ele é pleno em si mesmo e não precisa de nada, nem de ninguém, mas Deus é amor, demonstra o amor dele em que mesmo com toda a sua onisciência e prevendo a arrogância de seres como você, permite que venham à existência, talvez até mesmo para o aperfeiçoamento daqueles que venham a crer nele, ele é longânimo e permitirá que os que não creem vivam como queiram, afinal no juízo, receberão apenas um justo julgamento poro terem desprezado e não haverem recebido sua Palavra. E o que você alegará em seu favor? que ele deveria ter se apresentado fisicamente a você, seria como colocar um fio de barbante podre da superfície do sol. Além disso inúmeros que não o viram creram e deram suas vidas em nome dele, então meu caro não haverá desculpas. Comparar seus pensamentos tacanhos com os de Deus é como compara o universo com um quark.

  16. No entanto a ordenação de Deus para todos é esta:

    “arrependam-se e creiam no evangelho”!
    Deus não lhes levará em conta o tempo da ignorância de vocês contanto que se arrependam e voltem e o busquem. Ele não tem prazer em destruir os que não se submetem a Ele, é apenas justiça , nada mais, ele oferece o escape , mas quem pode culpá-lo se vocês resistem e resistem e resistem até à morte. Ele lhes deu leis para que vejam o quanto nós somos falhos em atingir o nível de justiça Dele, por isso ninguém se justificará diante Dele por obras, mas por crer que Ele , em Cristo cumpriu toda justiça que a Justiça Dele requeria de nós (a morte por nossa desobediência a suas leis), contanto que creiamos no que Ele fez.
    Essa é a proclamação do evangelho, a boa nova da salvação, para todos o que creem.

  17. “Fui, então, meio que obrigado a inverter a lógica da minha proposição inicial: quanto menor a vaidade, quanto mais estilhaçada a autoestima.”

    “Vaidade”, se o senhor quisesse, de fato, aprender mais profundamente, como filósofo que pretendes se apresentar, mais uma sugestão: Eclesiastes 1:1-9

    “A Vaidade de todas as coisas terrestres

    Palavras do pregador, filho de Davi, rei em Jerusalém.

    Vaidade de vaidades, diz o pregador, vaidade de vaidades! Tudo é vaidade.

    Que proveito tem o homem, de todo o seu trabalho, que faz debaixo do sol?

    Uma geração vai, e outra geração vem; mas a terra para sempre permanece.

    Nasce o sol, e o sol se põe, e apressa-se e volta ao seu lugar de onde nasceu.

    O vento vai para o sul, e faz o seu giro para o norte; continuamente vai girando o vento, e volta fazendo os seus circuitos.

    Todos os rios vão para o mar, e contudo o mar não se enche; ao lugar para onde os rios vão, para ali tornam eles a correr.

    Todas as coisas são trabalhosas; o homem não o pode exprimir; os olhos não se fartam de ver, nem os ouvidos se enchem de ouvir.

    O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que nada há de novo debaixo do sol.”

    Amá-lo não é algo obrigatório quando reconhecemos que as maravilhas nos cercam, e ainda sabermos que ele nos quer para sempre, mesmo que o planeta venha a sucumbir. De nenhuma forma um ser perfeito teria a imperfeição da carência afetiva, e muito menos ainda seria ele eleito à psiquiatria, uma vez que tais ciências existem justamente para tratar dos imperfeitos. Digamos, ordinariamente, que fôssemos perfeitos. Certamente, jamais teríamos Aristóteles, Sócrates, Platão, Descartes, Schopenhauer, Nietzsche, que pensaram precisamente a respeito de nossa imperfeição.

    Eis aí a maior prova da existência: sabermos que existe aquele perfeito. Se pensamos, cogitamos. Até que concluímos (Descartes): Como saberíamos de nossas imperfeições sem referências da perfeição? O imperfeito jamais poderia imaginar (criar) o perfeito.

    Questão lógica e matemática.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: