Brincando de Deus (fim)

fileira_florida_no_jardim_86758dde86b3f5713e484394b9d629d4_jardim (56)

Um mundo melhor

Se eu estivesse prestes a criar um mundo para os meus filhos, como ele seria? Bem que poderia ser muito parecido com esse; mas esqueça os terremotos, vulcões, furacões, tornados, tsunamis, tempestades solares, meteoritos, efeito estufa, secas, pragas, enchentes, eras glaciais. Num mundo criado de acordo com a minha vontade, essas coisas só existiriam no cinema, que era para onde as pessoas iriam se quisessem ver como seria um mundo sem um ser supremo que as amasse.

Valendo-me da minha perfeição, eu teria criado o ser humano perfeito. E de uma vez só, como, aliás, era o que se achava que Deus tinha feito. Nada de deixar tudo à mercê de um processo evolutivo que levaria bilhões de anos e infestaria seu DNA de erros e mutações sem fim, que teriam como consequência previsível o surgimento de todo tipo de doenças e disfunções que só causariam sofrimento desnecessário. Não que haja sofrimentos necessários, mas, talvez, sofrimentos inevitáveis, como o da rejeição de um amor não correspondido, ou o provocado pela ausência de alguém que foi embora ou faleceu. 

No meu mundo as pessoas viveriam duzentos anos, e só morreriam de velhice. Recorrendo aos meus poderes supremos, eu jamais permitiria que ninguém sofresse um acidente, um machucado, um arranhão que fosse. Ninguém se afogaria, ninguém seria atropelado ou assassinado. Todas as pessoas do mundo me conheceriam e saberiam da minha presença, porque eu estaria dentro da mente de cada uma, fazendo com que elas se enxergassem como um todo, como parte de algo infinitamente maior chamado humanidade, vendo a si mesmos em cada um de seus semelhantes.

E se, por algum motivo impensado, uma pessoa levantasse a mão para outra, eu apareceria a tempo de impedir que essa mão baixasse. Quando um carro perdesse os freios, ou um avião perdesse a força das turbinas, eu surgiria do nada para evitar uma catástrofe. E se um vaso despencasse de um prédio, eu o conduziria suavemente até a calçada, ante os olhares agradecidos dos transeuntes, já tão acostumados a me ver apelar para a minha onipresença e onipotência de forma a nunca deixar que nada de mal acontecesse a ninguém. 

Eu não iria interferir no livre-arbítrio da minha criação, exceto se essa prerrogativa fosse usada para ferir ou prejudicar seu semelhante. Mas isso seria uma raríssima exceção. Como eles veriam o outro como a si mesmos, não haveria crimes nem ofensas, nem motivo algum pelo qual matar ou morrer, como diz uma certa canção. Ninguém em sã consciência usaria de seu livre-arbítrio para ferir-se ou prejudicar a si mesmo. E eles teriam suas consciências sãs, porque seria a consciência herdada de seu Criador. Além do mais, eles seriam todos sãos. Nada de câncer, AVC, epilepsia, Alzheimer, cegueira, surdez, loucura, autismo, gripe, infarto, AIDS, cáries, torcicolo, dor de barriga, bicho-de-pé.

Abolidos a dor, o sofrimento, as doenças do corpo e da mente, a indiferença e o desamor de cada um por seu semelhante, todos os hospitais, presídios, quartéis, delegacias e manicômios seriam transformados em praças; cada farmácia, numa sorveteria. As pessoas se importariam umas com as outras, e se ajudariam mutuamente como um irmão ajuda outro irmão. E todos cuidariam do planeta e do seu futuro coletivo como quem cuida de um jardim.

Um jardim livre de pecados, de serpentes, e de qualquer maldição.  

shutterstock_47799625

Anúncios

40 Respostas

  1. Barros, parabéns (mais uma vez).
    Talvez, seu melhor texto escrito até hoje. Simples, objetivo, com uma boa pitada de humor e que coloca os crentes numa verdadeira sinuca de bico. Quais argumentos podem refutar este desenho perfeito de um mundo perfeito criado por um Deus perfeito? Que motivos o levariam (ou levaram) a criá-lo de modo diferente? Se bem que nós já sabemos a resposta: os “místérios” de Deus.
    Um abraço!

  2. Bah tchê!

    Mais um para sua lista de melhores textos!

    Parabéns!

  3. Sr. Anônimo o Sr. só esqueceu um detalhe:

    Quem criou e montou o circo todo foi Deus.

  4. Anonimo:

    Portanto Deus fez um mundo mal feito de propósito.

  5. Um dia esse mundo que você sonha existirá mas a questão é: -Será que você será um dos escolhidos por Deus para viver nele ?
    Pense bem ! Aceite a Jesus como seu Salvador que um dia poderá viver nesse mundo descrito por você. É só querer. Esse mundo vai um dia existir.

  6. Não há provas científicas de que Deus existe. Nós todos sabemos disso.
    Por exemplo:
    . Deus nunca deixou qualquer evidência física de sua existência na Terra.
    .Nenhum Jesus “milagroso” deixou qualquer evidência física também.
    •Deus nunca falou para o homem moderno, por exemplo, assumindo todas as estações de televisão e transmitiu uma mensagem racional para todo mundo.
    •O suposto Jesus ressuscitado nunca apareceu para ninguém.
    •A Bíblia que temos é comprovadamente incorreta e é, obviamente, o trabalho de homens primitivos em vez de Deus. Quando analisamos a oração, não encontramos nenhuma evidência de que Deus está “respondendo as orações”.
    •Jesus mente (está na Bíblia e na vida real) e não atende orações!
    •Enormes atrocidades incríveis como o Holocausto e a AIDS ocorreram sem qualquer resposta de Deus.
    •E assim por diante…
    Vamos concordar que não há provas empíricas de que Deus existe.
    Se você pensar sobre isso como uma pessoa racional, essa falta de evidência é impressionante. Não há um pouco de evidência empírica indicando que hoje o “Deus”, nem qualquer outro deus contemporâneo, nem qualquer deus do passado, existe. Além disso, sabemos que:
    1.Se tivéssemos a prova científica da existência de Deus, que iria falar sobre a “ciência de Deus” em vez de “fé em Deus”.
    2.Se tivéssemos a prova científica da existência de Deus, o estudo de Deus seria um esforço científico, em vez de uma teológica.
    3.Se tivéssemos a prova científica da existência de Deus, todas as pessoas religiosas iriam se alinhar ao Deus que tinha sido cientificamente comprovado. Em vez disso, há milhares de deuses e religiões.
    4.Se você acredita em Deus, você optou por rejeitar a Deus, Vishnu, Buda, Brahman, Shiva e todos os milhares de outros deuses que as pessoas adoram no mundo hoje. É bastante provável que você rejeitou estes outros deuses sem nunca olhar para as suas religiões ou lendo seus livros. Você simplesmente absorveu e seu submeteu a fé dominante em sua casa ou na sociedade em que cresceu.
    5.Da mesma forma, os seguidores de todas essas outras religiões escolheram rejeitar a seu Deus. Você acha que os seus deuses são imaginários, e eles acham que o seu Deus não existe. Os ateus rejeitam o seu e todos os outros.
    6.Em outras palavras, cada pessoa religiosa na Terra hoje arbitrariamente rejeita milhares de deuses como imaginários. Muitas das quais eles/elas nunca sequer ouviram falar, e arbitrariamente escolheram “acreditar” em um deles.
    7.A seguinte citação de Stephen F. Roberts resume a situação muito bem:
    8. “Afirmo que ambos somos ateus. Eu só acredito em um deus a menos que você faça. Quando você entender por que rejeita todos os outros deuses possíveis, entenderá por que rejeito o seu.”
    9.Uma pessoa racional rejeita todos os deuses humanos igualmente, porque todos eles são igualmente imaginários. Como sabemos que eles são imaginários? Basta imaginar que um deles é real. Se um desses milhares de deuses eram ou fossem, na verdade reais, em seguida, seus seguidores estariam experimentando benefícios reais e inegáveis. Estes benefícios seriam óbvios para todos. Os seguidores de um verdadeiro Deus iriam orar, e suas orações seriam respondidas. Os seguidores de um Deus verdadeiro, portanto, viveriam mais, teriam menos doenças, teriam muito mais dinheiro, etc. Haveria milhares de números estatísticos que mostrariam os seguidores de um verdadeiro Deus.
    10.Todo mundo iria notar todos esses benefícios, e eles gravitariam em torno deste verdadeiro Deus. E assim, ao longo de vários séculos, todos estariam alinhados com o único Deus verdadeiro. Todos os outros deuses falsos teriam caído no esquecimento há muito tempo.
    11.Quando olhamos para o nosso mundo de hoje, vemos nada disso. Há dois bilhões de cristãos e há mais de um bilhão de muçulmanos, e suas religiões são mutuamente exclusivas. Há milhares de outras religiões. Quando você analisar qualquer uma delas, todos elas mostram uma notável semelhança – não há nenhuma evidência de que qualquer desses deuses existirem. É assim que nós sabemos que eles são todos imaginários.
    A razão para esta falta de provas é fácil para qualquer observador imparcial para ver. A razão pela qual não há nenhuma evidência empírica para Deus é porque Deus não existe.

    Compreender as racionalizações da Razão Humana
    A racionalização mais comum para a falta de evidência científica é o argumento “Deus deve permanecer oculto”.
    Muitos crentes tentam racionalizar a existência de Deus, dizendo algo como: “A existência do universo prova a existência de Deus. Alguma coisa tinha que criar o universo A ciência não tem explicação para a criação do universo, portanto, Deus o criou..”
    O modo de compreender que esta é uma racionalização é olhar para trás na história. Os povos antigos, antes que eles tivessem ciência, explicavam muitas coisas que eles não entendiam como “deuses”. Houve deuses do sol, deuses do trovão, deuses da fertilidade, deuses da chuva, etc…

    A Bíblia funciona da mesma maneira. Ela “tenta” explicar muitas coisas que seus autores antigos não entendiam, atribuindo-as a Deus. Por exemplo, se você ler Gênesis 9:12-13 você vai encontrar isso:
    E Deus disse: “Este é o sinal da aliança que faço entre mim e vós e todo ser vivente que está convosco, por todas as gerações futuras: eu definirei o meu arco nas nuvens, e ele será um sinal da aliança entre mim e a terra …”
    Esta é a explicação bíblica do arco-íris. É claro que nós sabemos agora que o arco-íris é um efeito prismático das gotas de chuva. Da mesma forma, Gênesis capítulo 3 tenta explicar por que o parto humano é tão doloroso e Gênesis, capítulo 11 tenta explicar por que há tantas línguas humanas. Estes são mitos, nada mais.
    Da mesma forma, Gênesis capítulo 1 contém mito bíblico da criação. A criação do universo e da vida é atribuída a Deus. Nós já sabemos que Deus não teve nada a ver com a criação da vida, mas as pessoas religiosas ainda tentam atribuir literalmente a criação do universo por Deus.
    O fato é que Deus não teve nada a ver com a criação do universo, da mesma forma que Deus não tem nada a ver com o sol nascente ou arco-íris aparecer. A ciência não tem uma explicação completa para a criação do universo, ainda. Se for verdade que a ciência ainda não sabe tudo o que há para saber sobre o universo, os cientistas acabarão por descobrir. Quando o fazem, o que eles vão encontrar é que a natureza criou o universo, não um ser imaginário.

    https://deusilusao.com/2010/11/19/a-historia-do-mundo/

    Saudações Irreligiosas
    Oiced Mocam

  7. Estudar é Bom!, e Anônimo (1), muito obrigado. Parece que eu imaginei um mundo tão melhor do que o que Deus criou que já tem gente aí que se julgou indigno de viver nele.

    Eu só acho que as pessoas deveriam falar apenas por si. Anônimo (2), “Nós somos maus”, vírgula! Você é uma pessoa má. Talvez mesquinha, talvez fomentadora de guerras. E seu argumento de que existem “outros mundos” é simplesmente brilhante! Só não me atrevo a perguntar como você ficou sabendo disso…

  8. Eu iria fechar essa série somente depois de amanhã, mas o último texto vai ser esse mesmo. Amanhã eu explico o motivo, aqui mesmo nos comentários.

  9. “Tomô?”, Anônimo (2)? Vai mexer com quem tá quieto… rsrsrs – Você é mau!!! Gostei…

  10. Anônimo das 11:23
    ” Não há somente este mundo. Aqui ficou para nós, homens maus e imperfeitos, homens desconfiados e ateus. Homens mentirosos e fazedores de guerras. Este é o mundo perfeito para nós pecadores”

    Eu pensei em pedir a você que explicasse como é que você consegue acreditar num ser que pela descrição disponível deveria ser como o Deus-Barros (rsrsrs) mas que na verdade, ao que parece, inaugurou o apartheid e o sistema de gueto, mas pensando bem, deixa pra lá.
    Ao que parece, você é mais um ou uma que se esconde atrás de todo esse imenso amor e bondade divinos para destilar ódio reprimido.

  11. O crente é igual o corno que chega em casa e pega a mulher na cama com outro ou a mulher que descobre a traição do marido e pensa “Ele /Ela deve ter um bom motivo que eu desconheço para fazer isso”….

    É brincadeira…

    Abraço
    Cristiano

  12. Barros,
    O ateu de verdade,admirador do Silas Malacheia e do conde depilocu, juntamente com seus seguidores, vêm reproduzindo integralmente o que você escreve apensado de “ácidas” e “convincentes” críticas. Poderíamos identificar aí uma “rotina” ou um padrão neo-crente não humanista ultrarreacionário anti-gaysista ou é só frescura mesmo?

    Abraço.

  13. […] O fato é que hoje é terça-feira, 16/01, e somente ontem, terça-feira, 15/01, Barros concluiu o desafio (que ele havia prometido para o dia 09/01), com os posts Brincando de Deus (parte 5), e  Brincando de Deus (parte 6) e  Brincando de Deus (fim). […]

  14. Washington da Cruz, rapaz, parece que ele pagou a uma antiga leitora do Deusilusão pra dissecar meus textos, analisá-los e criticá-los à luz da… da Bíblia!!! rsrsrssss

    Quer dizer, da Bíblia não: daquelas partes da Bíblia que eles sabem que não são simplesmente alegorias, textos inseridos sem autorização, nem mal interpretados, nem para uso apenas da época em que foram escritos, etc. À luz daquelas partes que são realmente a mensagem de Deus.

  15. E a propósito, esse mundo novo do Barros é plágio, pois ele já ouviu falar que depois do Juízo, haverá a Nova Jerusalém

    Ou seja, usando os argumentos dele, Deus criou um Paraíso que não faz o menor sentido.

    Segundo a concepção do católico Luciano Ayan, você só pode experimentar o prazer de um sorvete de casquinha se, antes, tiver comido umas duas ou três colheradas de cocô de gato.

  16. Barros,

    É impressão minha ou o ateu de verdade tá reclamando que você levou 6 ou 7 dias para fazer um mundo melhor.Creio que você esteja na média teísta,né não.

    Abraço.

  17. Washtington, o Ateu de Verdade é católico!! rsrsrssss

    E tem uma pessoa que foi contratada por ele para ler e comentar meus textos. Aí essa pessoa tá usando a Bíblia e os argumentos do Ayan pra “me esculachar”. Segundo o próprio Ayan, o mundo que eu criei não faz o menor sentido. Aí, depois, ele diz que eu copiei esse mundo da Nova Jerusalém, que é o Paraíso que Deus criou para os cristãos que tiverem se humilhado e lambido o saco de Deus durante toda a vida.

    Conclusão: o Paraíso para o qual os cristãos acham que vão depois de morrer não faz sentido.

  18. Anônimo,

    Em que o sublime parágrafo do ateu de verdade refutou o asqueroso parágrafo do Barros?

    Você é tão diligente em nos “refutar”, está sempre atrás de nós até ‘ao’ fim, parece que nunca está tranquilo.E esta sua ideia fixa de babar o ovo do ateu de verdade não te corrói?

    Beijundas(sei que você gosta).

  19. Até porque assim como há ateus éticos, há também homossexuais honrados”

    Ou seja, para o Anônimo, os ateus normalmente não têm ética, assim como os homossexuais normalmente não têm honra.

    Quem foi mesmo que disse que o peixe morre pela boca?

  20. Uma coisa que eu sei sobre psicologia humana é que nosso subconsciente tende a nos fazer enxergar nos outros os nossos próprios defeitos. Talvez seja você que tenha por hábito se passar por outra(s) pessoa(s).

  21. Anônimo,

    [[Olha, meu caro, burrice não, por favor! Essa citação sobre comer as fezes dos gatos que Barros limpa no jardim todos os dias (como ele
    mesmo disse) foi dita aqui e agora. ]]
    R:?????

    [[Quanto a refutar a “não existência do Mal” foi dada uma pala acima:
    “E o mais fulminante de todos: X é um mundo onde bem e mal podem ser visualizados e comparados, mas Y é um mundo onde sequer teríamos esta noção.”]]
    R:coincidentemente este mundo Y é o mundo que o deus bíblico criou e fez questão de destruir pondo um fruto irresistível e uma cobra falante para convencer dois seres completamente puros que, portanto,em nenhuma hipótese, poderiam ser responsabilizados por seus atos,isto é,o pecado original é um engodo lógico cuja principal premissa,a desobediência,é auto-refutante;

    [[(Por que não lê todo o texto lá no blog? Medo?)]]
    R:sim,estou em pânico;

    [[Não me interessa refutá-los, pois nada há aqui para tal exercício; o que faço é apoiar a racionalidade, você pode compreender isso?]]
    R:se não nos quer refutar,por que você não apoia a racionalidade do ateu de verdade lá no seu blog(dele)?

    [[Essa expressão “babar o ovo” é típica de quem faz alusão a homossexualismo masculino, e não estou afirmando nada sobre você, apenas analisando ontologicamente; da mesma forma que a expressão “beijunda” relaciona-se com tal postura sexual.]]
    R:suas frustrações e limitações sexuais não deveriam ser assim tão expostas por você.As meninas que babam o meu ovo e nas quais faço cunete não são homossexuais,ontologicamente falando,mas,se fossem,convidaria-as para um menáge ontológico;

    [[E não venha falaciar]]
    R:não seria felaciar?Cuidado com estes lapsos,Freud explica;

    [[com acusações do tipo “homofobia à vista!” Até porque assim como há ateus éticos, há também homossexuais honrados.]]
    R:esta o Barros já respondeu;

    [[Mas no seu caso, seja você o que for, pelas suas palavras, não mereceria nem essa resposta. Não fique mal acostumado, pois não debato com homens de sua laia.]]
    R:que chato,não sabe o que está perdendo;

    Beijundas(experimente,você vai gostar).

  22. Anônimo,

    [[E essa dobradinha Barros/Washington é falsa, ao menos segundo Freud, “se dois indivíduos estão sempre de acordo em tudo, posso assegurar que um dos dois pensa por ambos”. Por que o tal do Washington não se defendeu?]]
    R:a psicologia neocrente acaba de criar um novo complexo,o de Narciso,aqule que vê nos outros o que realmente é.

    Beijundas ontológicos.

  23. “Quando um carro perdesse os freios, ou um avião perdesse a força das turbinas, eu surgiria do nada para evitar uma catástrofe.”

    Não concordo que um deus que agisse assim (e de maneiras similares a outros trechos) estaria contribuindo para um mundo melhor do que o atual. Eu, como engenheiro, sabendo que o deus evitaria catástrofes, jamais me preocuparia em fazer um avião seguro. Para quê esquentar a cabeça se o deus não vai deixar nada de ruim acontecer? Nossa vida seria como a de “deficientes por opção”: pessoas normais usando muletas por comodidade. Isso não condiz com um ideal de vida plena, pois faltaria motivação de todos os lados. Sem contar que seria um ambiente que prima sempre pela irresponsabilidade e pelo descaso.

    O que eu faria no seu lugar?

    Sei lá, é difícil imaginar como seria um mundo criado por um ser perfeito. Talvez eu aumentasse a inteligência das pessoas e incentivaria sempre a responsabilidade (algo que o Deus “não faz”). Mas agora, evitar todas as mortes ditas “não-naturais”, não concordo que seja compatível com o mundo ideal criado e mantido pelo ser perfeito. Lógico que o mundo atual se parece menos ainda como a obra prima de um ser perfeito e praticamente descarta qualquer possibilidade de Deus existir, só acho que discordamos quanto aquilo que seria o melhor mundo possível para nós.

  24. Anônimo,

    [[Acho que você deveria ser objeto de estudo de Freud! Começo novo estudo? O neoateísmo parte do homossexual? Ou melhor, do “heterossexual” que engana a esposa, namorada, noiva para se deleitar no que sente mais prazer? Sendo assim, neoateus são os mais temerosos, pois não assumem sua forma mais gostosa de sentir
    prazer sexual. Mulheres, cuidado com os neoateus: Podem ser bichas disfarçadas!]]
    R:ainda que isto fosse verdade,ao menos eu não fico pregando contra o homossexualismo sendo homossexual incubado.Há pessoas que você admira que se dizem ateus mas que são na verdade cristãos incubados e vivem a atacar o ateísmo alheio.
    Uma pergunta:por que o prazer homossexual te incomoda tanto?
    Minha sexualidade é bem resolvida.Sou hétero e nada tenho contra os homossexuais.E a sua,está bem resolvida.Não seria o momento de se consultar com um especialista em Psicologia analítica.Talvez sua sizígia esteja lutando contra sua persona e você ainda não tenha se dado conta disto.Caso você seja este especialista,desconsidere o conselho pois trata-se sua demência de esquizofrenia e só um psiquiatra poderá ajudá-la,visto que, até para ser louca, você precisa estar fincada nas inevitáveis desconstruções,seja lá o que isso signifique;

    [[E não seria: “Beijundas ontológic(A)s? Até para ser homossexual precisamos estar fincados nas inevitáveis desconstruções! Uou!]]
    R:beijundas=beijos na bunda,consequentemente é masculina a expressão,Uou!

    [[Especialmente para Washington que tem fetiche por bunda:
    “A felicidade é um problema individual. Aqui, nenhum conselho é válido. Cada um deve procurar, por si, tornar-se feliz”.
    Freud contra neoateus?]]
    R:ou seja,a bunda é minha e eu faço dela o que eu quiser.
    Freud contra homofóbicos?

    Cunetes profundos e cunilínguas clitoridianas.

  25. Day,

    Falarei em meu nome,não em nome do Barros ou de qualquer outro leitor,pois me senti atingido pelo seu último comentário,afinal,o esquerdista aqui sou eu.
    Não se faça de tonta,nós já sabíamos que era você desde o início.
    Você também xingou e tripudiou sobre nosso ateísmo e em nenhum momento nós a ameaçamos com o envolvimento de “poderes”.Você se encontrou num outro blog.Permaneça por lá.Não venha aqui nos acusar de totalitarismo intelectual ou de postura ditatorial em relação aos comentários.A democracia aqui viceja,não há sequer moderação.Sua acusação não procede.
    Outra coisa:o ser humano é político por natureza,portanto é impossível dissociar o nosso ateísmo de qualquer postura política.
    Se seu pai foi militar durante a ditadura e você ainda apoia um blog golpista e ultrarreacionário,eu só posso desejar sinceramente que você se ilumine e reveja seus conceitos.
    Não mais me dirigirei a você,nem mesmo para me defender.

    Seja feliz e adeus.

  26. Psicanálise, mano! Psicologia é a matéria das crianças, hê!

    Ô, Anônimo, compra um dicionário. De preferência o Houaiss (uáis). Ou isso, ou aprende a ler, que eu escrevi “psicologia”, que deu origem à psicanálise, e não “pedagogia”.

  27. Comentando num outro post, eu disse que para nosso próprio bem e para o bem de certa pessoa, deveríamos parar de responder a seus absurdos, mas acho que é a típica sinuca de bico.
    Se ignorada, tal pessoa assume identidades falsas e/ou posta como anônima, de lugares diferentes, o que revela frieza e cálculo. Ataca a quem escolhe como alvo impiedosamente, faz acusações e discursos ofensivos que parecem insanos mas não são. Refletem na verdade todos os preconceitos e limitações intelectuais a respeito de variados temas. Inventa situações familiares diferentes com o intuito de apelar à piedade ou provocar empatia daqueles mesmos a quem tão intensivamente atacou.
    E como devem se portar os leitores desse blog? Volta e meia alguém se vê enredado numa discussão que facilmente tende a descer o nível, provocada pela falta de educação e senso de limite de quem bem sabemos, quando então se é acusado de ser intolerante, fascista, potencial assassino de crentes, provocador de guerra, o escambau. E ainda por cima somos obrigados a aguentar bravatas ridículas sobre “poderes” e senado, e o autor do blog, de processos judiciais.
    Já não se trata mais, se é que em algum momento se tratou, para essa certa pessoa, de discutir teísmo, ateísmo, direito a livre manifestação, respeitar ou não respeitar a fé de alguém, direito ou não direito de se apontar as inconsistências das religiões, falar seriamente sobre isso ou zombar, etc, etc, etc. mesmo sendo tão vasto o potencial argumentativo contido nos temas mencionados.
    A certa pessoa está tentando transformar esse espaço numa lavanderia para suas neuroses, preconceitos, frustrações e o que mais seja.
    Nunca levei muito a sério a falação sobre o chamado bullying, pois entendo que dentro de certos limites, todos estamos sujeitos a situações que cabem no conceito, sem que se deva por isso fazer tanto auê. Ninguém é de vidro.
    Mas há a questão dos tais certos limites. A certa pessoa os ultrapassou de longe.
    Então repito a pergunta: como deveremos nós, leitores desse blog, nos portar?
    A cada vez que surgir alguém diferente aloprando precisaremos primeiro nos certificar de que não é a tal pessoa? E depois o quê?
    Ignorar, ou ficar tateando, procurando pelo bicho-papão que pode estar a espreita no próximo comentário, dependendo do que se escreva? Ou evitar comentar os textos aqui e criar algum outro meio inacessível a certa pessoa?
    Certa pessoa deveria já ter percebido que aqui não encontrará ressonância aos seus anseios de resposta sobre questões tais como nossa origem divina, nosso pai bondoso, nosso pai/ irmão mártir que se sacrificou por amor de nós, para nos salvar do amor do nosso pai perfeito que criou a Terra como ante-sala do inferno para nós seres maus, desconfiados, mentirosos fazedores de guerra e imperfeitos, criados por ele que é perfeito, esse mesmo papai amoroso que reservou outro lugar, esse sim nos conformes, para todos que se dispuserem a babar seu sagrado ovo, não por medo e interesse, nada disso, por amor.
    Certa pessoa não encontrará ressonância para toda essa mixórdia por aqui porque aqui ninguém acredita em Deus, ou nalgum colega de profissão dele, entendemos que estamos por nossa conta e risco e assim está bem.
    Não dá para desenhar mais claro que isso.

  28. Eu vou tentar resistir à tentação de comentar os textos desse “Anônimo”. Talvez “ele” se canse e vá atazanar outro blog.

  29. Para diminuir as tensões,um pouco de humor:

    Até.

  30. é bem isso mesmo.

  31. O desafio era criar um mundo perfeito ou um mundo melhor que o atual?

    Um mundo perfeito: um mundo constituído unica e exclusivamente pelo deus dos filósofos (que quem propôs o desafio acredita ser Javé): o que haveria de errado com este mundo no qual um ser racional, onipotente, onisciente e onibenevolente opta livremente por desfrutar de sua própria perfeição por toda a eternidade?

    Um mundo melhor do que o atual: dançando segundo a música de quem propôs o desafio, um mundo sem esquerdistas/humanistas! Um mundo em que todas as pessoas tivessem consciência do caráter trágico da condição humana, da incompatibilidade intrínseca de alguns dos valores que mais prezamos e da impossibilidade de superarmos por nós mesmos este conflito!

    Pronto, resolvido o desafio!

    Quanto à pretensa refutação de sua proposta de um mundo melhor, parei de ler logo nas primeiras linhas, ao me deparar com esta obra-prima do nonsense:

    “…a ‘prova’ de que Deus é um personagem de ficção está no fato das ‘limitações dos coautores humanos’, que seriam “repassadas a Deus”. Mais ou menos é o seguinte: se o ser humano é imperfeito ao observar as características de objeto X (seja o Big Bang, uma abstração, ou qualquer outra coisa), então esse objeto é de ficção.”

    Ele próprio jura por Deus, com a mão sobre a Bíblia, que é ateu (e certamente acredita que sua descrença é devida aos efeitos noéticos do pecado). Na qualidade de ateu, deus para ele se resume a, na melhor das hipóteses, uma idealização abstrata (e na pior, justamente a um personagem antropomorfico da literatura da Idade do Bronze. Ops, usei uma rotina que ele já mapeou.). E no entanto, sua natureza de abstração (ou de personagem de uma obra de ficção) não lhe basta para que ele o considere fictício! Talvez ele seja um platonista, e deus e as infindáveis miríades de formas ideais (unicórnio-cor-de-rosa, monstro-do-espaguete-voador, papai noel, fada do dente, saci pererê, a raiz quadrada de 2, a relação de igualdade, o Estado mínimo, a regra número x de não-sei-quem Alinsky, etc. etc.) povoem o clímax de suas contemplações intelectuais.

    Numa boa, até assistindo BBB 13 eu lucro mais.

  32. “Porém sempre que você comenta, seja a respeito de quem for, sua nódoa viscosa enjoa.”

    ‘Sempre’ é uma palavra que me define razoavelmente bem, seja emanando minha enjoativa nódoa viscosa, sendo espírito de porco, arrogante e mais alguns epítetos com que muitas pessoas têm me agraciado ao longo da vida. Mas sempre sabem com o que estão lidando.

    “As relações humanas estavam indo bem, até começar essa birra entre religiosos e ateus, ou neoateus, sei lá.”

    A espécie humana tem brigado entre si desde sempre, por comida, por território, por água, e por deuses. E desde o advento do deus cristão, de onde derivou a versão islâmica, tem brigado muito mais.
    E sobre a ‘birra’ entre religiosos e ateus, ela é reflexo do ressentimento e da raiva que os crentes têm pelo que consideram audácia abusiva dos ateus em se manifestar claramente, em alto e bom som. De fato, tal birra não era tão visível enquanto os ateus se mantinham num relativo e ‘decoroso’ silêncio.
    É resultado também, em grande parte, do medo e do sentimento de insegurança que os crentes sentem sendo cada vez mais confrontados com fatos que fogem totalmente da versão confortável de mundo que esteve à disposição por tanto tempo.
    A diferença é que ateus não pegam, digamos, um livro de Richard Dawkins ou de Christopher Hitchens e saem batendo á porta das pessoas, incomodando-as tentando convencê-las da “nossa verdade”, aliás diferentemente dos pregadores de bíblia, tais autores não são, para os ateus, profetas ou arautos, são pensadores, passíveis de questionamento.
    Não nos valemos de isenção de impostos para construir estabelecimentos onde serão gritadas nossas verdades, acompanhadas de música ao vivo, sem proteção acústica, de tal forma que num sábado a noite os vizinhos sequer consigam conversar num tom normal na sala da própria casa, ou dormir um pouco mais nas manhãs de domingo.
    Não vamos a casa das pessoas tentar cooptar crianças usando como atrativo festinhas, balas e doces.
    Também não temos líderes que fazendo uso do poder de pressão que a massa confere, se põe a pressionar o legislador para que se torne obrigatório o ensino do ateísmo em escola públicas, que são mantidas com os recursos do total da população, não de segmentos.
    Ateus se limitam, até por uma questão de segurança pessoal, tendo em vista a capacidade do amor cristão em atuar contra quem dele discorda, a usar métodos de alcance seletivo para se expressar.
    Compra livro escrito por ateu quem quiser, visita blog ateu quem quer, assiste palestra ou entrevista ateia quem quiser.
    O ateísmo não está sendo imposto a ninguém e a propósito, se algum dia isso acontecesse, eu seria totalmente contrária a tal prática e falaria contra com a mesma energia.
    Portanto, se conflito há, deriva da intolerância daqueles que não querendo aceitar uma visão diferente de mundo, no que estão em pleno direito, tentam suprimir o direito alheio, usando mentiras, agressões, ofensas.
    Melhor fariam tentando extrair o pouco de bom senso que há no livro que tanto veneram e pondo-o em prática.

  33. vao todos se converter em nome de jesus. eu profetizo.

  34. se deus nao criou o mundo entao foi quem? vc? jesus esta voltando creia, pq um dia estaremaos juntos com ele.

  35. Anônimo e la se vão 2013 anos qeu ele esta voltando!!
    Sera que errou o caminho?
    Deveria comprar um GPS

  36. Adamantdog
    Essa é ótima!
    O problema é que ele deve estar com uma defasagem de tempo, melhor aconselhar uma bússola…

  37. ssrodrigues,

    Bússola,sextante,astrolábio e quetais.Mas shyrlei,e se ele estiver voltando a pé?

    Até.

  38. Espero não estar sendo prolixo,mas eu não consigo deixar de dividir com vocês estes vídeos:

    Até.

  39. Washington
    pqp…a pé? Quantas vezes ele morreu e teve de ressuscitar em 2013 anos de caminhada, coitado!…

  40. “Negócios podem ir e vir, mas a religião vai durar para sempre, pois em nenhum outro empreendimento o consumidor se culpa pela falha do produto.”

    Texto do Harvard Lamphoon

    http://ateismoepeitos.tumblr.com/

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: