O Alquimista ~ 1 ~

o alquimista

“Você não é derrotado quando perde.

Você é derrotado quando desiste.”

(Paulo Coelho – Manuscrito encontrado em Accra)

Responda rápido: o que você sabe sobre alquimia? Eu acho bem provável que o primeiro pensamento que lhe ocorreu tinha a ver com a transformação de chumbo em ouro. Esse não era o único objetivo da alquimia, mas sem dúvida é o que está mais fortemente associado à palavra. E Paulo Coelho não poderia ter escolhido um título mais conveniente para o livro que iria transformar em realidade o sonho que o acompanhou durante toda sua vida: tornar-se um escritor mundialmente famoso.

Eu também sempre sonhei em ser escritor. Mas como eu nasci muito muito pobre, meu primeiro contato com a literatura foi por intermédio de uma amiga da minha mãe, que me emprestou o livro Recordações de um Agente Secreto, quando eu tinha uns doze, treze anos. Lembro que, tendo me apaixonado por uma das personagens, uma garota de catorze anos chamada Léa Nécil (ou coisa assim), e como praticamente não havia cenas românticas entre ela e o garoto que se achava agente secreto, resolvi eu mesmo reescrever todas as cenas em que os dois apareciam juntos.

Pouco tempo depois, um outro livro também faria eu me apaixonar por uma personagem: Helena, de Machado de Assis, que eu achei no lixo de um vizinho, sem capa e contracapa, sujo e desbeiçado. Diferentemente do outro, desse eu não me atrevi a reescrever nenhuma linha. E foi desde esse tempo que venho sonhando em escrever uma história como aquela: apaixonante, e sem precisar de retoques para ser considerada perfeita.

Quando li uma resenha sobre a biografia de Paulo Coelho, logo percebi que, se quisesse realizar o meu sonho um dia, teria que saber o que levou o autor de O Alquimista a conseguir realizar o dele. Li O Mago duas vezes. Seu autor, Fernando Morais (o mesmo de Olga), é um escritor de primeira grandeza, e a vida que levou o seu biografado lhe deu o material necessário para criar uma obra excepcional e também irretocável. Foi a leitura e releitura dessa biografia que me fez segurar um livro de Paulo Coelho pela primeira vez: O Alquimista, que li em dois dias.

Como admitido logo nas suas primeiras páginas pelo próprio autor, O Alquimista se baseia numa fábula persa (presente em As Mil e Uma Noites) sobre um homem rico que ficou pobre e, acreditando num sonho, conseguiu encontrar um tesouro e tornar-se rico de novo. Essa fábula é, como quase todos as fábulas, uma estória envolvente e bem curtinha, com um final surpreendente e inesquecível. O que Paulo Coelho fez foi esticá-la até que ela ficasse com quase duzentas páginas.

Quando ainda fazia parte de uma seita satânica, Paulo Coelho redigiu com uma caneta esferográfica vermelha um pacto com o Diabo, pelo qual ele entregava sua alma em troca de realizar seu sonho de ser um escritor famoso no mundo todo. Lido o contrato e assinado por uma das partes, Paulo Coelho saiu para dar um passeio, mas voltou rapidinho. Como o Diabo ainda não tinha assinado, ele desistiu de vender sua alma, escrevendo por cima do documento, em letras de forma: “PACTO CANCELADO”.

Não pretendo ler mais nenhum livro de Paulo Coelho, porque se todos os outros forem tão ruins quanto O Alquimista, eu seria obrigado a chegar à inevitável conclusão de que Satanás não aceitou o cancelamento daquele contrato.

O Alquimista ~2~                                                  O Alquimista ~fim~

18 

Anúncios

13 Respostas

  1. Eu pensei que eu era o único que não gosta de Paulo Coelho (obra e pessoa)…

    Fiquei completamente decepcionado com o “O Alquimista”… péssimo!!!

  2. Foi a única coisa que li (lamento ter lido e perdido esse tempo) desse autor.
    Na época achei o livro uma maneira disfarçada de impingir religião.
    Também não li nem pretendo ler mais nenhum livro de Paulo Coelho.

  3. É o tal de encantar-se pelo que se quer ouvir :

  4. Deus o abençõe Fernando, por trazer essa palavra ao espaço!!!!!!

  5. Esse “Cuelho” é um plagiador, começou assim e continua assim, mas como “canta” farofas a “mídia pinoquinho” adora enfeitá-lo. Na Universidade Castelo Branco tinha no corredor um aviso BEM GRANDE postado por alunos sobre como esse “cavanhaquezinho do além” fez igual ao lula-LADRÃO, COMEÇOU PREGANDO MENTIRAS, roubando dos outros.

    Uma coisa: Tanto na Venezuela quanto no Brasil o Judiciário foi “tomado”. Na Argentina a vaca botou o povo todo no brejo. A “mídia”, no Brasil, já colocou “no saco” toda a arengação circence da “justiça” do “herózinho” que julgou o Mensalão”. O FATO é: A mesma “lei” da “moral” e da “ética” (do vê tudo e não fala NADA) pregada agora na cara do povo do Rio de Janeiro é a mesma cartilha dE pregação do RACISMO. A jogada é aliciar os escuros como capatazes (as igrejas evangélicas tão cuidando de fazer isso bonitinho) e enrolar os pardos e outros, os “brancos” eles fingem meter o pau em cima; mas isso é só pra dividir o povo e jogar todo mundo contra todo mundo.

    Aconteceu uma bazófia policialesca de fazer inveja a palhaço:

    Uns “puliças” vieram com aquela algazarra das sirenas atrás de um carro já parado no sinaleiro. “Interceptaram” o veículo (sem fechar sua passagem); um dos “puliça” atirou em direção aos prédios (não apontou pra cima, o energúmeno mirou pra direção da janela dos prédios), depois outro saltou da viatura e deu mais tiros de “doze” pra cima das calçadas (não apontou pros pneus do carro abordado); e o carro saiu em disparada (do lado da viatura e saiu ILESO), e a viatura foi como “segurança” BERRANDO SIRENE (com aquele desfile de armas pesadas) atrás dos “supostos” bandidos. Todo mundo correu. Os “marrentinhos” marombados , transeuntes; já queriam ir atrás “pegá” os “bandidos”. Uma SALADA de PALHAÇADA. Mas tudo, era apenas uma insuflação de VIOLÊNCIA; para colocar o bairro em polvorosa; de preferência que as balas atingissem um pedestre ou algumas pessoas dentro de seus apartamentos naquela hora. Um pormenor: NESSE DIA ESTAVA ABRINDO UMA NOVA IGREJA NO LOCAL.

    Não tem mais “oposição” em lugar nenhum, o que tem hoje é só o grupo dos políticos CONTRA O POVO, seja na Rússia, seja nos EUA, seja no Brasil, etc.

    A CRENÇA é a ARMA.

    O povo é o OTÁRIO.

  6. Amanhã pretendo publicar a continuação.

    Grato

  7. Acabei de ler Esse artigo na Veja online, e decidi que “O Alquimista” não foi o último livro que li de Paulo Coelho. Eu quero ser um escritor também! Se os acadêmicos me odiarem, mas se meus livros fizerem sucesso, eu já me daria por satisfeito.

    Acho que o grande segredo de Paulo Coelho é que ele escreve para quem o lê, e não para quem o critica.

    Vou ler “O Diário de um Mago”.

    Como costumava dizer o papa João Paulo II: “Foda-se!!!”.

  8. Num país em que é natural um semianalfabeto receber Honoris Causa de baciada, colocar Paulo Coelho como representativo de boa literatura faz todo sentido, uai.
    “Na Margem do Rio Piedra eu Sentei e Chorei”: o único livro em 30 anos de leitura quase diária que não consegui terminar de ler.
    Boa sorte na sua empreitada com o “Diário de um Mago”

  9. Shirley, eu devia começar com O Demônio e a Srta. Prim, mas O Diário foi o primeiro livro dele que “deu certo”.

  10. Olá, Barros!

    Se desiludir alguém for pecado… Pecarei, Senhor rsrsrs. Sério, vim para dizer duas coisas sobre Paulo Coelho. Ele não é escritor, apenas um oportunista que se agarrou a um tema em voga quando se lançou: o misticismo e a magia, quer dizer, ciências ocultas. A segunda é que, de fato, ele fez pacto com Satanás, daí sua “brilhante” carreira. E você ainda possui uma vantagem sobre esse embusteiro, pois sua escrita é bem razoável e pode ser literária, ao contrário do calhorda lá que cometia tantos erros gramaticais que chegava a embrulhar estômagos dos ghost Writers. Mas agora vem o balde de água fria. Você terá que crer em Satã e certamente ele o atenderá (mas vc é ateu, porra!) E também deverá escolher um tema contínuo e de aceitação mundial. A má notícia é que se estiver pensando em “neo-ateísmo” como base, vais fracassar de cara. Tal tema está desgastado, cheio de “escritores” iludidos mundo a fora. Entrementes, caso sirva como sugestão, parta para a ficção, permitindo, claro, que seus ideais apareçam nos personagens, todavia, aconselho-o a ler um livro FUNDAMENTAL para quem quer escrever romances de ficção, cinema. Caso seja sua vontade mesmo virar escritor de livros, o livro é “A jornada do escritor”, de Christopher Vogler, que ensina estruturas míticas para escritores. Digamos que ele seja o “papa” da coisa.

    http://elsaniaestacio.wordpress.com/tag/jornada-do-escritor/

    Ou leia o livro em PDF

    http://leandromarshall.files.wordpress.com/2012/05/christopher-vogler-a-jornada-do-escritor2.pdf

    Quem sabe assim não precisará fazer pacto com o demo, né não? rsrs

    Abraço!

  11. Zé, eu já baixei o livro. Muito obrigado pela dica. Obrigado mesmo! Parece ser um material bem interessante e útil, apesar de eu acreditar que, para escrever um bom livro, não há esse negócio de “fórmulas”.

    Aconteceu o mesmo com a “gramática”, que era, originalmente, uma compilação dos recursos que os grandes oradores usavam em seus discursos. Como esses primeiros “manuais” eram escritos, apareceu alguém que achou interessante aplicar a mesma coisa à linguagem no seu formato gráfico. Daí que, muito muito tempo depois, houve quem cometesse o equívoco de achar que para “escrever bem” era preciso saber “gramática”. Ou seja, inadvertidamente se inverteu o sentido da coisa.

    Mas vou ler muito atentamente a dica do senhor Vogler.

    Grande abraço, e mais uma vez obrigado.

  12. Você está com o mapa da mina nas mãos. Na América, escritores saem vitoriosos e cineastas de roteiro também, graças a esse gênio do Vogler. Quanto à escrita, seu português é ótimo.

    Boa sorte.

  13. Não seja tão bobo ao perguntar indiretamente às pessoas se você escreve bem. Seu blog é visitado porque tem uma coisa “sua” que as pessoas procuram: Ateu & Honestidade, com um “pouquinho” de vaidade esparramada junto com o café na mesa.
    Mas junte lá: Bastante elogios ao super-mega-holístico-paranormal-Obama, e deite banha em BBBs, some porradas do UFC gamezado, cubra tudo com sexo tipo 300 tons de castração e brochura, cole um gay estrilado, e uma “sapata” bipolar.
    Tá aí … Não precisa nem pagar pela aula.
    Só deixe este comentário passar sem-censura:

    A máfia dos pulhíticos coloca o Exército nos morros pra matar “bandidos”, mas não coça a
    cara com o Genoíno CONDENADO (pela “justiça”, a do barbozinha “herói” das quotas no STF) sentadinho na CÃMARA DE DEPUTADOS.

    TUDO ISSO SÓ ESTÁ ACONTECENDO PORQUE OS PASTUTOS AMARRARAM AS PESSOAS COM CORDAS DE GROSSAS MENTIRAS nas favelas e nos bairros.
    Eles enriquecem, e os pulhíticos os “abençoam”.
    E o povo come ESMOLA do governo corrupto e mentiroso.

    A lei de “ética” e “moral” e “espiritualidade” (que visa “ferrar” os ateus e as pessoas “diferentes”) é uma ferradura pro burrico que não tem vez nem mais na presepada social..

    Petistas, serristas, malufistas, malafistas, macedistas, waldemistas, soaristas,garotistas,
    etc, não são brasileiros; são os que com covardia jogaram um balde de esgôto no solo brasileiro.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: