Qual o sentido da vida? (parte 1)

sentido_da_vida_traduzido

Eu sei a resposta.

.

MAIS ABAIXO, ANTES DOS COMENTÁRIOS, VOCÊ SEMPRE ENCONTRARÁ O LINK PARA O TEXTO SEGUINTE:

Anúncios

80 Respostas

  1. Se você acha que também sabe, deixe sua resposta.

    O gabarito sai em alguns poucos dias.

  2. Deixe sua resposta = encontre-a na Bíblia / fé
    O gabarito sai em alguns dias = Jesus está chegando

    O crente também “sabe” …

  3. Resposta: Quem disse que a vida tem sentido?

    Afirmações equivocadas levam a respostas equivocadas

    A vida não tem sentido, não o sentido que queremos, mas se você for uma pessoa inteligente, vai procurar uma maneira de simular um sentido a sua vida… um sentido que englobe prazeres e emoções, que infelizmente são apenas química confundida com sobrenatural…

    E religioso, quando você diz que encontra o sentido da vida em jesus você sabe que não consegue enganar nem você mesmo, quem dirá os outros…

    Abraço
    Cristiano

  4. Mas eu podeira dizer que a sobrevivência dos seus herdeiros seria um sentido razoável para a vida…

    Abraço
    Cristiano

  5. Cristiano, Sir… estou de olho em você. Mas reconheço sua postura ética ante debates sérios.

  6. “A vida não tem sentido, não o sentido que queremos”

    Parece um discurso político! cara, fala logo: Vocês querem imaginar um mundo novo, certo? Ou me diga qual sentido seria bom para ti? Não cometa o erro de querer falar pelas massas.. Exemplo: PARA MIM A VIDA TEM SEINTIDO, otário. Fale por ti, não por nós, a massa! Eu, hein!

  7. Cristiano:

    “E religioso, quando você diz que encontra o sentido da vida em jesus você sabe que não consegue enganar nem você mesmo, quem dirá os outros…”

    Essa foi a SUA experiência, mané! Nem querendo muito, você conseguirá tirar dos corações o Amor que você não recebeu. Fale por você, otário. Esse joguinho inverso de pregar ao contrário NÃO funciona! Quando o CARA toca já era! Se eu fosse você, pediria mais uma chance, pois, dessa foma, você se mostra uma pessoa vazia, e uma pessoa vazia, nem respirar mereceria, porém Deus te ama, garoto indecente.Ah, Jesus tem que ser com J maiúsculo, ou até nisso você peca? Annnnnnn Nome próprio? Cai na real, cumpadre! Caia de joelhos, antes que, além de mim, que nada sou, seu pecado chegue LÁ.

  8. Uma visão…

    Mesmo achando que sei quem é você… vou me dar ao trabalho de responder… não deveria, mas vou…

    Se você me acha otário, essa informação só tem valia para você e no suporte que isso te dá perante sua crença…

    Quanto a encontrar Jesus com letra maiúscula (eu sei que nome próprio é assim que se escreve, não confunda um pequeno engano com moral) eu passo… uma crença que tem um ser que é pai e que é também um filho, que se sacrificou ficando morto apenas por 3 dias, é perfeito mas quer que eu ame ele acima de qualquer coisa não merece nem consideração

    Mesmo que pareça uma falta de educação eu preciso te dizer: sua crença é ridícula…

    E uma crença ridícula não engana ninguém, só quem quer ser enganado…

    Abraço
    Cristiano

  9. Míope

    Já passou pela sua cabeça que eu não preciso nem quero receber amor inventado em uma crença infantil justamente porque eu tive o amor materno e paterno que todos precisamos?

    O amor vive na boca dos cristãos, por isso o mundo é essa maravilha…

    Abraço
    Cristiano

  10. Oxe Barros, querendo complicar as coisas a essa altura do campeonato? rsrsrs
    Mas falando sério, o sentido da vida pode ser muito subjetivo.
    Para mim é viver. E enquanto isso, aproveitar tudo que aconteça, pois sejam boas coisas, sejam más, tudo é experiência e sensações.

  11. O SENTIDO DA VIDA
    Qual o Sentido da Vida?
    Sentido da vida é opinião?
    Sentido da Vida é variável?

    Existe sentido da vida ou isso é passatempo para não morrermos de tédio neste sem sentido de tudo?
    Tais questões sempre me deixaram travado durante dias, travado diante aos mistérios da vida. Resolvi levar esta reflexão à sério, pois muitos, na preguiça de pensar, decidem ignorar por completo o sentido ou sem sentido das coisas.

    Porque não acredito em deuses!
    Não acredito neste deus inventado pelos judeus porque é um mau exemplo de dignidade, tolerância e desconhece o significado da palavra Amor. Mas acredito sim, numa Inteligência (memória) a quem prefiro chamar de Sentido da Vida. Essa é generosa, paciente e transborda amor a todos os seres sem dividi-los entre eleitos ou não, pecadores ou não, adoradores ou não. Acredito na natureza das coisas, na qual acredito. Essa dá o fruto, a água, o sol e o ar que respiramos a justos e injustos, pecadores ou santos diferentemente do vingativo e cruel deus bíblico que reflete apenas a ignorância dos homens que o criaram.

    Vale recordar. Para compor o sincretismo religioso do Ocidente, o cristianismo assimilou diversas tradições dos povos por ele tidos pagãos (leia e pesquise sobre Serápis). Em quase todas as culturas nas quais se inspirou existia o mito do parto, por mãe virgem, de um deus; sua imolação para pagar os pecados do mundo e a ressurreição, ao terceiro dia. Exatamente como nos relatos bíblicos sobre Jesus. E ainda. Se Jesus não é deus; se não é, como crêem os cristãos, o salvador da humanidade; se não foi concebido pelo Espírito Santo (terceira pessoa); se os episódios miraculosos contidos nos relatos evangélicos são apenas ressignificações mitológicas, e uma grande fraude moral e intelectual? Por que eu deveria acreditar nisso tudo, em dogmas e doutrinas impostas?

    Não acredito no Deus da Bíblia ou do Alcorão, porque nenhuma criatura por mais cruel que fosse, se deleitaria em criar seres “imperfeitos” (Adão e Eva) para colocá-los num suposto paraíso e ao mesmo tempo criar uma “serpente falante” (ser que simboliza o mal) para induzir a mulher ao “pecado original” condenando estes mesmos seres criados, ao sofrimento eterno nas labaredas do inferno. A inteligência infinita na qual acredito, não perderia tempo criando seres “diabólicos” só para sua diversão e sadismo no futuro e nem esperaria por milhares de anos para enviar o seu único filho para morrer esmagado pela crueldade dos seres humanos, suas outras criaturas. Porque Jeová Deus onisciente e onipotente não resolveu logo essa tragicomédia criando seres iguais ao seu pretenso filho, evitando o banho de sangue. Parece inacreditável que ao fim de alguns milênios o Senhor Jeová expiando uma mea culpa insuportável, envia um ser a quem milhões de pessoas acreditam ingenuamente ter existido e o chamam de Jesus, para salvar o mundo – que permanece perdido e sangrento.

    Não acredito no deus bíblico, ou deuses, porque suas ações, sua personalidade, suas atitudes, são iguais aos dos reis bárbaros da antiguidade e dos tempos modernos que mandam degolar seus desafetos ou exigiam adoração e obediência cega, sem contestação. A Inteligência racional em que acredito está acima dessa barbárie que continua existindo entre aquele mesmo povo inventor de um Deus Jeová, em nome do qual cometiam atrocidades e vão continuar cometendo enquanto acreditarem que essa é a vontade do Senhor.

    Não me é possível crer num Deus que vire as costas a alguém, por nenhuma razão, porque não há lógica nem amor genuíno num ser que é capaz de matar ou deixar matar alguém que diz ser seu próprio filho, (Jesus) para salvar a humanidade, que Ele mesmo criou cheia de vícios, maldade e ignorância. Um deus que fosse capaz de ser impiedoso ao próprio filho, só poderia ser produto da mente doentia e patriarcal de cristãos e seus descendentes daquela época (e até dos nossos dias) que são capazes de matar ou mandarem matar seus próprios filhos e filhas que lhes desobedecerem, sem qualquer dó ou piedade. Certamente se tivessem a inteligência de inventarem uma Deusa Mãe, Ela jamais imolaria o único filho por quem quer que fosse, por nenhuma razão do Universo. Um ser bondoso e misericordioso, iria ele mesmo dar a própria vida pela humanidade, seria ele mesmo o grande exemplo.

    Mas esse Deus castrado, meio-eunuco, hermafrodita e estúpido, fruto da imaginação de homens incultos e bárbaros, não tinha a capacidade de enxergar além de um homem comum e destituído do amor de uma mulher-mãe.

    A Inteligência Cósmica ou DI na qual não acredito não precisaria fazer uma mulher ( Maria) mentir para enganar seus familiares e amigos. Nem a um homem dito justo (José) engravidada de um pretenso Messias gerado por um Fantasma batizado de Espírito Santo. Uma mulher que declarou-se grávida de um ser que não era seu marido e foi aceito por este para não ser apedrejada como era costume da época, tinha como esposo um verdadeiro anjo, este sim, merecia o título de Discípulo do Bem e prova de amor, no mínimo maritral à mulher que cometera o deslize carnal tão abominado pelos judeus.

    Não posso crer num Deus, nem em seu dito suposto filho Jesus, porque não reconheço a hierarquia familiar inventada por analfabetos da ciência (biologia evolutiva), que naquela época achavam que apenas o homem podia produzir filhos e filhas (preferencialmente homens, pois as mulheres eram inferiores) e que a mulher apenas recebia o sêmem do varão (desconheciam o óvulo) e era apenas ele, o homem , responsável pela gravidez; por isso mesmo construíam a árvore genealógica considerando apenas o pai, porque as mães não tinham qualquer valor. Uma inteligência suprema, jamais admitiria tal estupidez.

    Finalmente, não posso crer nesse Deus-Hitler. Nem num iletrado Jesus mitológico “meio-retardado” em nome de quem pediram adoradores para esse verdadeiro monstro do apocalipse, fruto da maldade e ganância judaico-cristão e que continua florescendo nos corações e mentes ávidas pela “salvação-eterna”, “só Jesus salva”, amedrontadas pelo fogo do inferno e confiantes na promessa de um paraíso inexistente..

    Meus “deuses” são a Inteligência e a Razão, o Amor à vida, Compaixão, Solidariedade, a Alegria Autêntica, os seres vegetais e animais, montanhas e rios, mares e céus, e especialmente os homens e mulheres comprometidos com a Verdade, com o Bem, com a construção de uma humanidade consciente, livre dos deuses fantasmagóricos, dos ídolos fracassados, dos ícones e referência infantis mitológicas que povoam o imaginário por milênios. Meus verdadeiros deuses são independentes de crenças. O Louvor à Vida, Humanismo, A Vida Familiar Feliz, os Bons Livros, a Música, a Dança, Bons Filmes, os Alimentos bem Preparados, os Perfumes, os Orgasmos provocados pelo Sexo pleno de entrega, os Esculturas, as Pinturas, as artes em geral e tudo que produz algum tipo de encantamento aos sentidos.

    Deixo as religiões com suas “revelações” para os religiosos, que têm abdicado das suas verdadeiras existências, por um céu povoado por seres acéfalos, que tem como líder um Deus no mínimo confuso e esquizofrênico. Deixo para eles o mito das cavernas, a tribo e o sacrifício do sangue. Esse culto à morte que se recusa a perder força, embora tenhamos todas as razões para pensar que as “coisas terrenas” são tudo o que temos ou que iremos ter. Em nossas mãos e o ao alcance dos olhos há todo um universo de descoberta e esclarecimento, que é em si um prazer de estudar, que dá à pessoas medianas acesso a conhecimento que nem mesmo Darwin e Einstein tinham e oferece promessas de avanços quase milagrosos na cura, na energia e no intercâmbio pacífico entre diferentes culturas.

    Dedicarei meu tempo e minha vida a ajudar a esclarecer as mentes das crianças com a Verdade da Vida e não intimidá-las ou encantá-las com estórias de Papai-Noel, bichos-papões, saci-pererês e boitatás, Alah, Shiva, Brahma, Buda, Jeová… e Cristo ensanguentado morrendo por eles para lhes dar “salvação, inferno, vida eterna num paraíso imaginário de governo no Reino dos Céus”. Dedicarei meu tempo para falar de coisas que estão de acordo com a Inteligência Racional, inspiram bondade eternas, preservação da vida na terra, este sim o maior presente da Vida. Defenderei a Teoria da Evolução às discrepância e mitos da gênese bíblica. Refutarei a existência de um ser superior, defenderei o Estado Laico, reprovarei o preconceito contra não-crentes, contra a homofobia e o racismo.

    Até mesmo para físicos e coisas parecidas, se somos uma das várias combinações de átomos, temos agora o fardo da consciência e nos achamos realmente importantes nisso tudo. Por mim o sentido estaria aqui: Não há sentido para nós, queremos um sentido, mas para a vida, o sentido é existir e continuar existindo, independente da constante morte de suas partes.

    Se um dia formos capazes de alcançar imortalidade, seja pelo meio que for, nosso sentido de vida mudará para algo como: “O que fazer agora que somos imortais?” Aí se resolve este dilema e encontraremos outro, claro, se no meio da viagem, a Vida perecer por outros motivos e não pudermos nem ao menos lutar por nossa sobrevivência.

    Deus está morto e não foi morto pelos ateístas (que não acreditam em mitos e deuses), foi morto pelos crentes. Desliguem os aparelhos que o mantém vivo!

    “Carpe Diem”

    Leitura recomendada, sobre um dos mais célebres neurocientista cientistas do mundo Eric Kandel: Livro, “A memória é o sentido da vida”

    https://tyrannosaurus.wordpress.com/2007/12/27/o-maior-estelionato-da-historia/

  12. Eu deixo o Gonzaguinha responder!!

    Eu fico com a pureza das respostas das crianças é a vida é bonita e é bonitaaaaaaaaaaa
    Viver e não ter a vergonha de ser felizz ; cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz…

  13. Oiced Mocam disse:

    Não me é possível crer num Deus que vire as costas a alguém, por nenhuma razão, porque não há lógica nem amor genuíno num ser que é capaz de matar ou deixar matar alguém que diz ser seu próprio filho, (Jesus) para salvar a humanidade, que Ele mesmo criou cheia de vícios, maldade e ignorância.

    R: O dia que Deus deixar de dar importância ao seu mundo ele deixará de existir, mas o mundo que você idealiza conforme sua vontade ,não existirá nunca.
    Mas a morte tambem faz parte da vida para todos os seres vivos, neste mundo material a morte, todos os sentimentos agradáveis ou não, a ignorância dando vida a liberdade a ações e os sacrifício, são fatores necessários a uma providencial inteiração entre todos os seres vivos, para que um dia eles consigam perceberem que a individualidade faz parte de um Todo Deus.

    Finalmente, não posso crer nesse Deus-Hitler. Nem num iletrado Jesus mitológico “meio-retardado” em nome de quem pediram adoradores para esse verdadeiro monstro do apocalipse.

    R: a sabedoria de Jesus foi muito alem das suas palavras e ações, mas é a sua emoção que não demonstra muita sabedoria.

    Meus “deuses” são a Inteligência e a Razão, o Amor à vida, Compaixão, Solidariedade, a Alegria Autêntica, os seres vegetais e animais, montanhas e rios, mares e céus, e especialmente os homens e mulheres comprometidos com a Verdade, com o Bem, com a construção de uma humanidade consciente,

    R: aprendeu admirar as obras chegará o dia em procurará pelo autor .

    Dedicarei meu tempo e minha vida a ajudar a esclarecer as mentes das crianças com a Verdade da Vida e não intimidá-las ou encantá-las com estórias de Papai-Noel,

    R: veja: http://religiaodeuslivre.wordpress.com/2010/08/29/ateu-o-homem-que-matou-o-papai-noel-inicio-i/

    Defenderei a Teoria da Evolução às discrepância e mitos da gênese bíblica. Refutarei a existência de um ser superior

    R: ja pensou que a evolução pode fazer parte natural da criação ?
    Se Deus existir voce sentirá -se ridiculo.

    Esse culto à morte que se recusa a perder força, embora tenhamos todas as razões para pensar que as “coisas terrenas” são tudo o que temos ou que iremos ter.

    R: apenas Crenças não mudam realidades.

    Se um dia formos capazes de alcançar imortalidade, seja pelo meio que for, nosso sentido de vida mudará para algo como: “O que fazer agora que somos imortais?” Aí se resolve este dilema e encontraremos outro, claro, se no meio da viagem, a Vida perecer por outros motivos e não pudermos nem ao menos lutar por nossa sobrevivência.

    R: independente da sua crença materialista,talvez ja sejamos imortais , neste caso o sentido da vida sera o prazer do aprendizado eterno do trabalho alimentando nossa alma.

    sds

  14. ss:
    Mas falando sério, o sentido da vida pode ser muito subjetivo.
    Para mim é viver. E enquanto isso, aproveitar tudo que aconteça, pois sejam boas coisas, sejam más, tudo é experiência e sensações.

    R: concordo experiências agradaveis ou não , são necessarias a foramação do ser “eu”.

  15. E aih, Cristiano, beleza ?

    Me parece que voce não esta tendo uma boa “visão” he..he…he…he
    Fique com Deus, acreditando ou não, rindo ou chorando ele estara sempre com voce.

    sds

  16. Criaturo

    ” ja pensou que a evolução pode fazer parte natural da criação ?
    Se Deus existir voce sentirá -se ridiculo.”

    Como se coaduna a noção do ser perfeito com a noção do processo evolutivo fazendo parte da criação, dados os percalços e falhas desse processo?

  17. ja disse: o sofrimento causado pela ignorância, são necessários a livre criação do ser “eu”.
    alem do mais perfeição é apenas um conceito humano, uma referencia para diferenciar Deus e a criação.

  18. Adam: Viver e não ter a vergonha de ser felizz ; cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz…

    concordo, vida eterna aprendizado eterno, este é sentido que da prazer a vida.

    sds

  19. “ja disse: o sofrimento causado pela ignorância, são necessários a livre criação do ser “eu”

    Se houve, de antemão, o desígnio do sofrimento, a revelia daquele que iria sofrer, onde estaria a liberdade de ser-se?

  20. Não sei se deveria mencionar isso aqui, e agora, nem sei se vou colocar isso nos textos que eu vou escrever sobre esse assunto, mas imagina só!! Uma pessoa, ao saber que eu sou ateu, quis “me abrir os olhos” dizendo que “A vida só faz sentido com Deus”.

    Eu nem me dei ao trabalho de querer conversar com a criatura, porque não vale a pena discutir com crente-fanático, mas, depois, eu acabei me lembrando que eu já tinha prometido publicar esse texto aqui no blog, e só agora surgiu a oportunidade, não de escrever sobre, mas de pensar no assunto.

    E foi então que me ocorreu, também, que as pessoas não têm essa resposta, não porque elas não souberam responder, mas porque nunca se preocuparam em perguntar.

    Sejamos sinceros: quantas vezes você se perguntou qual seria o sentido da vida, e quantas vezes realmente você se preocupou em encontrar a resposta?

    Pois eu fiz isso uma vez. Numa cidade longínqua em que passei apenas uma noite, e a menos de 12 horas de sofrer um acidente que quase me tirou a vida.

  21. E ai Criaturo tudo bem? anda sumido!! ja coloquei teu blog nos meus favoritos; perdi todos meus favoritos tive qeu formatar o PC varias vezes.
    Mas o bom aqui do Barros é que o povo converge pra ca e voce os encontra aqui.

  22. Biologicamente o sentido da vida é a reprodução.
    Filosoficamente o sentido da vida é complicar tudo com trilhões de supostos sentidos para a vida.

  23. Vou dar uma resposta bem curta à pergunta do Barros, mas, absolutamente verdadeira e conclusiva, (segundo a minha capacidade de ver a antropologia do desenvolvimento humano nos ùltimos dois séculos e meio) mais a projeção que consigo fazer a partir do estágio atual…

    ((((((O Sentido da vida, e o motivo da odisséia humana na terra, é a conquista do “CONHECIMENTO ABSOLUTO”))))))

    Apenas para refletirmos, enquanto analiso o maravilhoso comentário do Oiced Mocam e complemento a resposta…

  24. Oiced Mocam…

    Seu texto postado acima, nesta coluna, esta maravilhoso, você tem uma capacidade incrível de perceber a realidade da existência humana face às religiões… Lembrou-me daquele outro que você escreveu há algum tempo, “A bíblia Verdadeira”…

    “Se um dia formos capazes de alcançar imortalidade, seja pelo meio que for, nosso sentido de vida mudará para algo como: “O que fazer agora que somos imortais?” Aí se resolve este dilema e encontraremos outro, claro, se no meio da viagem, a Vida perecer por outros motivos e não pudermos nem ao menos lutar por nossa sobrevivência.”

    No entanto meu ilustre Oiced Mocan, no pequeno trecho acima, quando você se refere à conquista da imortalidade, se expressa com dúvidas : “Se um dia formos capazes…” Oiced, a antropologia da ciência e do conhecimento, nos últimos dois séculos e meio, quando observada com rigor, mais a projeção que se pode fazer a partir do estágio atual, não deixa dúvidas, a conquista da morte é coisas pra séculos, quando muito, mas muito mesmo, milênio… Digo mais, a conquista da morte é apenas um pequeno passo perto do verdadeiro motivo da nossa odisséia na terra: a conquista do “CONHECIMENTO ABSOLUTO”. Este é o verdadeiro alvo da nossa odisséia terrena.

    Temos que entender uma PREMISSA de uma vez por todas, para o bem da ciência, da liberdade e do avanço da imaginação e do conhecimento humano: “OS MISTÉRIOS COM QUE CONVIVEMOS HÁ MILHÕES DE ANOS SÃO FINITOS, E NÃO INFINITOS”, assim o conhecimento absoluto, por exemplo, é apenas uma questão de tempo; assim como é uma questão de tempo o conhecimento e a compreensão do Cosmos, o domínio de todas as doenças, da genética e da própria morte, conquistas eminentes, para um futuro relativamente mais próximo.

    Assim como a eletricidade foi um “mistério” para a humanidade durante milênios e, apenas, a mais ou menos dois séculos a dominamos e começamos a explorá-la em benefício de raça humana; assim como a metalurgia foi “mistério” por milhares de anos e somente na idade do Bronze começamos a dominá-la e a explorá-la em benefício da raça humana; assim foi o conhecimento que possibilitou o fim do geocentrismo; Assim foi a aviação; assim foram as vacinas e outros medicamentos e as demais conquistas na área da medicina e todas as demais áreas dominadas até agora…

    ASSIM FOI, ABSOLUTAMENTE, UMA A UMA, TODAS AS CONQUISTAS, TODOS OS CONHECIMENTOS ADQUIRIDOS E ACUMULADOS, DESDE QUE COMEÇAMOS A ANDAR ERETOS E USAR FERRAMENTAS…

    Esta antropologia da ciência e do conhecimento nos diz de forma clara, convincente e indubitável: O RESTANTE DE TODOS OS “MISTÉRIOS” QUE PERSISTEM, (eu disse todos)TERÁ O MESMO DESTINO, ou seja, O DESVELAMENTO … Aí estaremos no estágio do “conhecimento absoluto”.

    Pra resumir esta dissertação, que poderia ser longa e se tornar, assim, ilegível, digo que o ante-final dessa odisséia evolutiva, será o momento em conseguirmos nos transformar em energia ou ondas eletromagnéticas (desmaterialização), sair voluntariamente e voltar voluntariamente à matéria. Pra isso estamos vivendo, no momento, a “pedra lascada” da Física Quântica e de muitas outras ciências e conhecimentos como a manipulação Genética, a Nanotecnologia e o Cosmos, por exemplo…

    Não vou cogitar agora acerca do final do estágio evolutivo, porque ficaria muito longa a postagem…

    Ainda sobre outra pergunta do Oiced … “O que fazer agora que somos imortais?”

    Imaginem alguém com conhecimento, bom senso, cultura, dinheiro e liberdade e espírito de aventura para viver no mundo de hoje, o que esse indivíduo faria? Conheceria outros países, outras culturas, museus, obras de arte, escalaria o Evereste, daria uma volta ao mundo sobre uma possante motocicleta, faria uma obra filantrópica etc., etc., Tudo, porém, seria feito no nosso pequeno planeta Terra.
    Agora imagine você tendo o Universo inteiro ao seu dispor, onde somente na via Láctea, existem, segundo descoberta recente da NASA, 17 bilhões de “Terras”, à sua disposição, Já que você pode se desmaterializar e viajar à velocidade da luz, pra qualquer um desses planetas, possivelmente habitados, e, em estágios evolutivos variados…

    O universo é infinito porque é o lugar de exploração e deleite dos seres imortais que seremos um dia, e, é isso que faremos quando chegarmos lá, meu Caro Oiced…

    O Status dos Deuses que estão por trás da nossa aventura terrena, e o nosso encontro com eles, é o que nos reserva, o “CONHECIMENTO ABSOLUTO” que estamos construindo, obstinadamente, de geração a geração, há milhares de anos…

    Antonio Ferreira Rosa.

  25. A ANTROPOLOGIA DO CONHECIMENTO…

    “A ignorância escraviza o ser humano até confrontar o conhecimento, a partir daí, mesmo lentamente, o conhecimento expulsa a ignorância gerando o saber; este promove a independência gerando a liberdade; e esta, ávida por avançar, volta buscar novos conhecimentos… Tenho uma espécie de convicção que essa dinâmica, muito provavelmente, nos levará ao CONHECIMENTO ABSOLUTO, (Status de DEUS) ou dos DEUSES que estão por trás do nossa odisséia terrena.”
    Antonio Ferreira Rosa.

    Quem tiver interesse, as postagens de números: 95, 88, 87, 85, 84 e 83, 79, 65, 56, 52,51, e 42, do meu Blog, complementam as respostas à pergunta do Barros e às perguntas do Oiced Mocam…

    http://antonioferreirarosa.blogspot.com.br/

  26. Barros,

    Acredite quem quiser no que estou dizendo. Eu não tenho culpa de ter visualizado, com base na história e na antropologia, uma possibilidade muito coerente e real da jornada evolutiva da humanidade, com aspectos como a imortalidade, a desmaterialização e a volta à matéria, pelo conhecimento, e de forma voluntária, e, a ocupação do Universo, viajando na forma de ondas eletromagnéticas, por exemplo. Digo ainda, não relatei esta jornada toda, até ao seu final…

    Na história humana, todos os que anteciparam alguma possibilidade de avanço ou realidade futura, foram duramente criticados. Assim foi com o fim do geocentrismo; como foi com as navegações; com a conquista da eletricidade; com a conquista dos ares (aviação); com a conquista do automóvel; com a conquista e a descoberta das ondas eletromagnéticas (as comunicações); com a conquista da Lua etc., etc., etc.

    Toda descoberta ou novidade quando visualizada no futuro distante causa impacto discordância, ceticismo, pra não dizer outros tipos de reações. Tai a história e a antropologia geral e, em especial, a do conhecimento, pra comprovar tudo que estou dizendo…

    Antonio Ferreira Rosa.

  27. Caro Oiced Mocam,

    Ou admitimos as possibilidades que estou aventando ou admitimos que seremos eternos escravos do Tempo, do espaço e da matéria, o que, como visionário da ciência e do conhecimento, não concordo…

    Antonio.

  28. Comentário publicado sem vínculo a e-mail, no nome de J.Cruz, recortado e redirecionado para o texto dessa página por Barros. O post onde o comentário foi postado originalmente foi substituído pelo atual.

    RESUMO DO QUE ACHO.
    Para um Espirita, é nascer, crescer, ajudar os outros para quando morrer voltar numa vida melhor! Acreditam que Jesus Cristo foi um grande e sábio mestre, filho de Deus igual a todos.
    Para um Catolico, é nascer, crescer, viver, adorar os santos de barro, metal, plastico e etc e pagar promessas pra eles, morrer e ir para o purgatório para ser julgado e saber se vai pro céu ou inferno. Acreditam que Jesus Cristo é o filho de Deus e um dos intermediadores pra chegar até Deus.
    Para um Crente é nascer, crescer, servir um unico Deus que chamam de SENHOR DOS EXERCITOS, CRIADOR do universo, estrelas, planetas, homens e etc, viver trabalhando pra esse Deus, cantam pra ELE, sofrem com Ele, amam por Ele, segue as intruções Dele da qual está escrito num suposto MANUAL DE SOBREVIVENCIA NA TERRA ou BIBLIA (devido ser vários libros) e evitam o erro que chamam de pecado pra quando morrer entrar no REino Dele. (acreditam que não somos um corpo que possui um espirito e sim um espirito que possui um corpo. Ah! acreditam em vida após a morte – a tal vida eterna) Acreditam que esse Deus é o Santo dos santos, e so entram no céu os justos sem pécados Acreditam que Jesus Cristo é Deus que se fez carne para nos servir na Terra, sendo o filho unigenito de Deus e o unico intermediador pra chegar até Deus.
    Para um Macumbeiro/ Bruxo: é nascer, crescer, a maioria não aprende a escrever, tem uma sensibilidade espiritual, aprende a deselvolve-la para realizar trabalhos como amarração, despacho, recebe espiritos caídos, falam com eles, dependendo do grau de aprendizado tem acesso ao dono do trono negro.
    São chamados de cavalos, rabo de saia e as vezes, os homens quando precisam fazer trabalho pra mulher conseguir um homem casado, baixam a pomba-gira e duarnte o trabalho sentem vontade de se relacionar com homens, sentido da vida deles: alguns acham que vão pra um lugar bacana, outros dizem que o exu, preto velho, belzebu vao dar um lugarzinho bacana no inferno / ades. Eles acreditam que Jesus Cristo existe e não gostam Dele. Dizem que esse Criador chamado Deus é um grande injusto pois, só porque Satanas se rebelou almejando o seu trono, foi expulso do Reino Dele..
    Uns dizem que trabalham so com mesa branca (não faz o mal e nem mexe com magia negra) ajudando os anjos caídos a fazerem o bem para voltarem pro ceu.
    Todas acreditam que existem o sobrenatural.
    Vida após a morte do corpo físico. Digo isso porque acreditam que temos um outro corpo dentro do nosso corpo chamado espirito e que esse não morre (Uns não acreditam no ceu e inferno, outros acreditam em reencarnação.
    OBS: Esse povo é louco.
    ATEU: EU NÃO SEI o SENTIDO DA VIDA pois, não temos o após a morte!
    ACHO que nascemos, crescemos, fazemos o que quisermos, afinal não nascemos das mãos de um DEUS que nunca vimos, pra obedecer as suas leis!
    Viemos de um cruzamento de bacterias, germes, com H2O + umas quimicas, explosão e etc… Somos a geração coca-cola dos mamacos superdesenvolvidos, somos donos dos nossos negocios e depois morremos.
    Pra nós não existe mais nada, alem da morte.
    Pra nós, quem morreu, seja justo, seja um malfeitor, já era!
    (desculpe-me por não corrigir o texto, estou com preguiça)

  29. RR: Se houve, de antemão, o desígnio do sofrimento, a revelia daquele que iria sofrer, onde estaria a liberdade de ser-se?

    R: Voce acusaria o masoquista por qual crime ?
    a existência dos sentimentos é antes uma necessidade a conscientização da vida.
    primeiro o sentido depois a racionalidade consciente, “sinto, logo existo!”
    A liberdade do ser”eu” consiste na livre escolhas das ações que determinarão sua personalidade e também sua posição dentro a faixa dos sentimentos desejáveis ou indesejáveis.

    Cristiano
    O sentido da vida é virar pastor!!!!!!!!!!!!!
    http://topassada.virgula.uol.com.br/2013/01/28/pastor-que-abusava-de-fieis-dizendo-ter-penis-abencoado-e-preso-no-interior-de-goias/
    Abraço

    R: eu sempre digo que os pastores sempre acabam comendo a “carne” das suas ovelhas vivas, mas assim ja é demais……he…he…he…he

    ADAMANTDOG, em 31/01/2013 às 00:41 disse:
    E ai Criaturo tudo bem? anda sumido!! ja coloquei teu blog nos meus favoritos; perdi todos meus favoritos tive qeu formatar o PC varias vezes.
    Mas o bom aqui do Barros é que o povo converge pra ca e voce os encontra aqui.

    R: Beleza! Cara! voce deixou de ser evangélico ,mas ainda continua sendo um fiel, só que agora do ateu Barrros….he..he…he..he…he.. com certeza voce deve ser um dos mais antigos deste blog.

    Antonio

    tenha fé que o Oiced responderá suas questões

    sds

  30. Putz que legal era este link mesmo que eu queria por!!
    Greg clica ai neste link do criaturo e vai ver que resume bem o que vc falou sobre a sexualidade.
    Eu penso que se proibe tanto se exige tanto qeu as pessoas ficam subindo nas paredes.
    Ai vem o pastor o maioral a moça nunca viu ou chupou ou pegou em um bingulim pensa o seguinte: É minha chance e não vai ter problema porque ninguem vai me entregar pra ninguem ele é o maioral se alguem falar algo estou protegida (ninguem vai ter coragem de falar)

    Porque eu não creio que sejam tão inocentes assim !! se forem mesmo tem problemas mentais.

  31. Criaturo
    Eu disse:
    “Se houve, de antemão, o desígnio do sofrimento, a revelia daquele que iria sofrer, onde estaria a liberdade de ser-se?”

    O que eu escrevi também pode ser lido assim:
    Não há sentido em atribuir a criação de nós, humanos com tudo que nos caracteriza, a um ser que pela própria definição, estabeleceu de antemão como seríamos e o que faríamos e que nos julgaria de acordo com dados que não foram de nossa escolha, mas dele. Caso em que ele seria o único responsável por quaisquer ações nossas e não poderia nos julgar e muito menos condenar ou absolver. E dessa forma, igualmente não há sentido em afirmar que esse ser é a personificação da bondade, amor e justiça, conforme está colocado pelas religiões. Dito de outra forma, as religiões descrevem uma personagem que pode ser definida no mínimo como portadora de dupla personalidade.
    Um equívoco comum das pessoas crentes é entender que os ateus questionam a personagem Deus, quando o que está sendo questionado é a crença de seres humanos nessa personagem e a determinação daí decorrente de pretender organizar a vida de todos baseado nessa crença. Deus não existindo fora da imaginação das pessoas, não poderá ser questionado como entidade com existência própria e nem se poderá atribuir a tal personagem desígnios sobre nossas escolhas e o sentido que dermos ou não à vida estará restrito ao âmbito da duração dessa mesma vida.
    Então você me responde perguntando de qual crime eu acusaria o masoquista.
    Entendi que você está comparando os seres humanos, como um todo, aos masoquistas; espero estar supondo corretamente que você não se atém à definição de cunho estritamente sexual, mas pensando em termos da pessoa que busca a humilhação, o sofrimento e que sente prazer com isso.
    Bem, essa descrição cabe adequadamente aos crentes das mais diversas denominações religiosas, de forma geral, no entanto não cabe aos ateus.
    Fico perplexa quando vejo alguém que escreve algo como:
    “A liberdade do ser”eu” consiste na livre escolhas das ações que determinarão sua personalidade e também sua posição dentro a faixa dos sentimentos desejáveis ou indesejáveis”, mas atrela isso à condição da criação divina, sem perceber que essa afirmação demonstra perfeitamente a inutilidade da ideia de Deus.

  32. Só há uma resposta cabível: Para ateus a vida não tem sentido. Segundo sua filosofia de vida, as pessoas têm que viver essa vida ao máximo, pois envelhecerão, morrerão e virarão adubo. Então, pela lógica ateísta a vida não tem sentindo, já que o homem vale tanto quanto um cão, um lagarto, um mosquito, uma pulga. Essa é a resposta mais lógica. Para ateus a vida não tem sentido. :P

  33. “… pela lógica ateísta a vida não tem sentindo, já que o homem vale tanto quanto um cão, um lagarto, um mosquito, uma pulga.”

    A vida de um cão, lagarto etc, tem valor por si próprias e caso se pudesse perguntar a qualquer dos animais citados sobre o fato de certos humanos acharem que sua vida é mais importante que a deles, a priori, eles certamente demonstrariam grande indignação.
    Usar isso como parâmetro de comparação do valor que ateus deem à própria vida diz muito sobre quem afirma.
    Mas é sempre interessante ver demonstrado na prática o exercício da caridade e do amor cristãos.

  34. uuhhhhhhhhh! esculaachouuuuuuuuuuu! Shirley- resposta ala Hitchens! —– a verdade é que os crentes sempre acgam que a vida deles vale mais do que a das outras especies!
    tomara que Ets nao pensem assim da gente, se nao estamos fudidos!

  35. Shirlei, bom dia!

    “A vida de um cão, lagarto etc, tem valor por si próprias e caso se pudesse perguntar a qualquer dos animais citados sobre o fato de certos humanos acharem que sua vida é mais importante que a deles, a priori, eles certamente demonstrariam grande indignação.”

    Gosto de suas ideias, pois elas me ajudam em minhas convicções. “caso SE pudesse perguntar…” Eis aí a realidade: eles NÃO podem responder e nem pensar, não são racionais. Isso nos diferencia deles ou não? E se sim, há um propósito para sermos inteligentes e pensarmos. Por que temos que pensar? Certamente (Barros arrasou na enquete) o pensamento é uma ferramente com grande propósito, caso contrário não o usaríamos para a ciência, filosofia e busca do nosso criador e da origem de tudo e o por quê.

    Acho que você não entendeu. Não sou eu quem afirmo isso, mas vocês mesmos. Se eu achasse que viveria apenas essa vida e fim, assumiria na boa que a vida não fazia sentido e que eu viraria humus, sem o menor problema ou afetação. Essa de sentir-se magoada e coitadinha é artimanha manjada, vai.

    A caridade do amor cristão é justamente essa: procurar mostrar que a vida humana tem um propósito com seu Criador. Ou você acha que o amor cristão é beijá-la e afagá-la como um bebê, se acreditados que Deus existe e nos quer por perto? É preciso falar sério.

    Abraço.

  36. GREG,

    Eu vi que sua experiência religiosa de fato foi traumática, meu amigo. E pior, de lá você pulou para o neo-ateísmo, o que causa grande impacto, posso entendê-lo. Ler seus líderes, como Hitchens, Davkins… é perda de tempo. São teóricos oportunistas. Essas coisas sempre acontecem quando a sociedade se torna um caos. Loucos aparecem para tirar proveito de suas mazelas pessoais. Não é que nossas vidas valham mais que a das outras espécies, ao contrário, a natureza é equilibrada e nada é por acaso, não só na fauna como na flora, entretanto, é impossível não nos perguntarmos por que somos racionais e inteligentes como nenhuma outra espécie? isso não é ser superior, mas algo especial para quem idealizou a vida. Não pensamos que somos melhores que ateus porque cremos. Na verdade devmos sentir, não raiva ou hostilidade, mas compaixão e amor. mas não amor de bebê. Vocês são bem crescidinhos para entender que é impossível negar a Deus. Se o fazem, sempre é por questões pessoais, jamais científicas ou racionais.

    Abraço.

  37. D…
    ” Eis aí a realidade: eles NÃO podem responder e nem pensar, não são racionais”

    Eis aí a soberba humana em ação. Porque não há comunicação entre as espécies no nível humano, decreta-se que as demais não são racionais. Qual o parâmetro usado para definir ‘racionalidade’? O humano.
    O valor que atribuímos à racionalidade é totalmente relativo, se pensarmos que não há qualquer outra espécie em condições de nos contradizer.
    Não significa, entretanto, que isso (a racionalidade) nos faz especiais e superiores em relação às demais formas de vida.
    Evidentemente que houve um propósito quando nossos ancestrais mais primitivos desenvolveram a capacidade de pensar, já que essa foi nossa vantagem evolutiva.
    Tudo que veio depois foi consequência, inclusive o desenvolvimento da muleta mental/emocional de “busca do nosso criador”.
    De fato, ateus entendem que vivemos apenas essa vida e fim.
    Mas justamente por isso, procuramos dar a ela todo o valor e sentido possível.
    Você, como muito crente por aí, tem o vezo de atribuir ao outro o seu modo de pensar/sentir.
    Quando alguém se dedica a ficar procurando sentido na própria existência por meio da existência de um ser nunca visto e sem qualquer prova tangível de já haver existido, está demonstrando que não vê sentido na vida que vive e nem dá a essa vida valor per se.
    A artimanha de se sentir magoado e coitadinho, no sentido de achar que merece ser recompensado se for um bom menino ou boa menina é hábito contumaz dos crentes, que não sentem o menor pudor em ficar transacionando com um ser imaginário e na eventualidade de que lhes aconteça quaisquer dos problemas e dores que acontecem indiscriminadamente a todo ser humano, se porem a perguntar “porque eu, o que eu fiz para merecer isso, meu pai/senhor, meu Deus?”
    Os autopropalados caridade e amor cristão são, as mais das vezes, grossos mantos de hipocrisia usados para encobrir soberba, mesquinhez, autopiedade e outras mazelas.
    Nesse contexto, faz sentido a afirmação de que esse amor e caridade cristã tem um propósito com seu criador, já que o dito criador é a projeção da mentalidade típica de muita gente por aí.
    De modos que fica claro que não, não acho que mereça ser alvo de beijos e afagos oriundos do amor cristão. Que Rá me livre disso!
    E NÃO, você não gosta de minhas ideias; que você minta para si mesma, é problema seu, mas não se dê ao trabalho de mentir para os outros. É preciso falar sério.

  38. SS

    O que eu escrevi também pode ser lido assim:
    Não há sentido em atribuir a criação de nós, humanos com tudo que nos caracteriza, a um ser que pela própria definição, estabeleceu de antemão como seríamos e o que faríamos e que nos julgaria de acordo com dados que não foram de nossa escolha, mas dele.

    resumindo voce não crê na existência do livre arbítrio.
    -se Deus existir é um sádico criador de robôs destinados ao sofrimento

    Caso em que ele seria o único responsável por quaisquer ações nossas e não poderia nos julgar e muito menos condenar ou absolver.

    Minha teoria diz que Deus é tudo, logo ele é o responsável também por todas as ações, o único juiz que ouviremos e consideramos como sendo justo: “É o tribunal da nossa própria consciência.” e somente a ela desejaremos prestar contas.

    E dessa forma, igualmente não há sentido em afirmar que esse ser é a personificação da bondade, amor e justiça, conforme está colocado pelas religiões.

    isto não passa de conceitos humanos tentando diferenciar Deus da sua criação.

    Dito de outra forma, as religiões descrevem uma personagem que pode ser definida no mínimo como portadora de dupla personalidade.

    de fato religião apresenta um deus bipolar isto fica muito claro comparando o deus apresentado por moisés e o Deus apresentado por Jesus.
    Se entendi bem o seu ponto de vista, a religião apresenta um deus incoerente criando escravos sob a imposição do “divino” sofrimento e contraditoriamente atribuem a ele conceitos humanos de amor e bondade.

    Um equívoco comum das pessoas crentes é entender que os ateus questionam a personagem Deus, quando o que está sendo questionado é a crença de seres humanos nessa personagem e a determinação daí decorrente de pretender organizar a vida de todos baseado nessa crença.

    ha ateus e “ateus”
    -os radicais são puramente materialistas e resumem suas existências a leis físicas cegas e burras com capacidade de criar seres inteligentes que os mantém vivos por um curto período de tempo.
    -Agnósticos : não acreditam nem duvidam, são toméistas a procura de evidências contra ou a favor.
    -Deístas: Acreditam na existência divina, porem desprezam todas religiões.

    Me encontro na posição de teísta livre pensador, pois possuo uma visão espiritual , não muito tradicional.
    Qual seria seu posicionamento quanto a existência da espiritualidade ?

    RR: Se houve, de antemão, o desígnio do sofrimento, a revelia daquele que iria sofrer, onde estaria a liberdade de ser-se?
    R: Voce acusaria o masoquista por qual crime ?
    Então você me responde perguntando de qual crime eu acusaria o masoquista.
    Entendi que você está comparando os seres humanos, como um todo, aos masoquistas; espero estar supondo corretamente que você não se atém à definição de cunho estritamente sexual, mas pensando em termos da pessoa que busca a humilhação, o sofrimento e que sente prazer com isso.

    Voce argumentou que o livre arbítrio não existe pois o inicio da vida ja teria sido uma “arbitrariedade divina” impondo o sofrimento a criação sem o consentimento desta.
    A liberdade de ser é total , pois Deus manifesta a sua vida ao mesmo tempo na forma divina e na humana.
    o- Se Deus é a vida, como poderia ir contra sua própria natureza, ou deixar de existir, Deus não poderia pedir para ele mesmo permissão para não existir, ou deixar de existir na forma humana.
    1- como Deus poderia pedir o consentimento para seres ainda inexistentes ?
    2- o sofrimento , melhor dizendo os sentimentos é a unica condição capaz de possibilitar a existência do ser”eu”. (sinto logo existo), pedras existem mas ainda não sentem, logo não possuem o ser”eu”.
    3- Estou comparando Deus como sendo o: “Tudo, todos e o Todo” fora dele não a existência, o “nada” seria o contrario de Deus
    4- o masoquismo humano foi apenas para chamar atenção que um “mesmo” sentimento pode ser classificados pelos nossos sentidos dentro da faixa do desejável ou indesejável, conforme afinidade do ser”eu”.
    5- Deus vivencia infinitas experiências através de cada um de nós, nós somos a parte infantil de Deus. (nós somos crianças que acham que nossos pais nunca foram crianças), assim consideram que Deus também não tem o direito de poder vivenciar o prazer de uma infância livre, através das suas “criancinhas” humanas.

    mas pensando em termos da pessoa que busca a humilhação, o sofrimento e que sente prazer com isso.
    Bem, essa descrição cabe adequadamente aos crentes das mais diversas denominações religiosas, de forma geral, no entanto não cabe aos ateus.

    Não usei o exemplo do masoquista para ofender ninguem, apeanas para argumentar que sentimentos como o sofrimento, não podem evidenciar a inexistência divina, caso contrario o “prazer” deveria justamente evidenciar a existência de um Deus bom.
    he…he..he…he..he….assim atacar a crenças alheias não dará mais razão as nossas.

    Fico perplexa quando vejo alguém que escreve algo como:
    “A liberdade do ser”eu” consiste na livre escolhas das ações que determinarão sua personalidade e também sua posição dentro a faixa dos sentimentos desejáveis ou indesejáveis”, mas atrela isso à condição da criação divina, sem perceber que essa afirmação demonstra perfeitamente a inutilidade da ideia de Deus.

    Sim! partindo da premissa que a partir da criação o livre arbítrio “não existe”, de fato minha afirmação se torna incoerente, mas…..minha : “Teoria da formação do ser”eu” ,argumenta que voce pode estar equivocada.

    sds

  39. Greg

    a verdade é que os crentes sempre acgam que a vida deles vale mais do que a das outras especies!
    tomara que Ets nao pensem assim da gente, se nao estamos fudidos!

    isso me fez lembrar de uma piada:
    Um homem muito religioso vagava perdido por uma mata, ao avistar um leão faminto correndo para cima dele, ajoelhou e orou:
    “senhor fazei com este Leão seja tambem um crente”
    foi aih que aconteceu um milagre! o leão parou ajoelhou e tambem começou a orar:
    “o brigado Sr. pela primeira refeição do dia! ”

    no filme guerra dos mundos, a mulher perguntou para um ET, porque voce deseja destruir o meu mundo?
    Ele disse: Não desejamos destruir o seu mundo e sim salva-lo, para isso teremos eliminar toda raça humana.

  40. “… pela lógica ateísta a vida não tem sentindo, já que o homem vale tanto quanto um cão, um lagarto, um mosquito, uma pulga.”

    interessante, a moral biblica da gênese de Moisés nos ensina que o aumento da racionalidade humana o torna o homem soberbo e o afasta do paraíso divino.

    Em alguns casos o ser humano agi irracionalmente , por excesso de racionalidade ou pela total ausência dela ?
    Classificamos um animal que come outro mais fraco de irracional, quando comemos este animal nós entramos tambem para a classe dos animais irracionais ?

  41. é criaturo a resposta a sua pergunta nao tem saida, seguimos a lei da natureza como qualquer outro animal, seguimos uma cadeia alimentar, como somos mais inteligentes e descobrimos formas de matar outros animais nos tornamos sim igual a eles. Ou todos sao racionais ou todos sao IRRACIONAIS. nao podemos separar os humanos desta cadeia, como querem os religiosos, nao dá.
    Na verdade a desculpa é: somos escolhidos de Deus, agraciados e especiais, blá, blá, blá. Final da historia: podemos matar os outros animais. Deve ser porque eles nao tem “deuses” né?
    Inventamos esta desculpa para nos sentirmos bem, só isso.
    Posso comer aquele bifinho porque Deus me permite, imagine se um Et tiver o mesmo raciocinio nosso e acreditar que o Deus dele permite que ele faça o que quiser com outros menos adiantados, vamos ser vitimas da nossa propria falacia. No Guerra dos Mundos ficou claro que os Ets estavam nos tratando como bois no abate! Eles nao estavam simplesmente nos matando mas nos devorando, consumindo. Talvez essa fosse a intençao do filme, mostrar isso tambem

  42. é Day , se vc acha Dawkins e Hitchens oportunistas, imagine entao qual o termo para designarmos os Televangélicos multi miliionarios?
    nao sei se vc viu, ate postei aqui num dos textos do Barros a pesquisa feita pela Forbes sobre a fortuna destes pastores. Vai na EXAME na internet, http://exame.abril.com.br procura la que vc vai encontrar.
    Edir lucramaiscedo esta entre os 100 mais ricos do pais – 1,5 bilhoes de $ . Mas é assim, quem vende mentiras e ilusoes lucra muito, quem conta a verdade ganha muito , muito menos e as vezes nada. As pessoas nao querem pagar pela verdade, nao a aceitam.
    e Só estou escrevendo esse texto para os outros leitores sérios também que gostam de ler, se fosse só por vc com suas experiencias e convicçoes tolas e iludidas se fazendo passar por muita gente, com nomes fakes e tal, nem perderia tempo de te responder!!
    Nem perca tempo de escrever sermão pra mim, nao perderia tempo de ler tendo em vista os posts da Shirley que sao sérios de se ler.

  43. Day e outros leitores, principalmente outros leitores:
    Eu vi que sua experiência religiosa de fato foi traumática, meu amigo.
    R – Nao foi traumatica, foi esclarecedora – vejo desta forma, nao estou fazendo terapia por causa disso.

    E pior, de lá você pulou para o neo-ateísmo, o que causa grande impacto, posso entendê-lo. Ler seus líderes, como Hitchens, Davkins… é perda de tempo. São teóricos oportunistas.
    R – Presta atençao, só mais 1 vez: nao existe esse troço de neoateista.
    Ateu é Ateu. Nós ateus nao temos líderes – papas – bispos e afins.
    Oportunista é os religiosos que vendem uma mentira.

    Essas coisas sempre acontecem quando a sociedade se torna um caos.
    R – a sociedade sempre foi um caos, quando na humanidade foi diferente?
    Loucos aparecem para tirar proveito de suas mazelas pessoais.
    R – pastoress e bispos – o papa tambem, nao vou ser preconceituoso.

    Não é que nossas vidas valham mais que a das outras espécies, ao contrário, a natureza é equilibrada e nada é por acaso, não só na fauna como na flora, entretanto, é impossível não nos perguntarmos por que somos racionais e inteligentes como nenhuma outra espécie?
    R – EVOLUÇAO. só voce e outros bitolados enchergam equilibrio no caos! vc mesmo disse acima que o mundo é um caos, vc nao lê o q vc escreve nao?

    isso não é ser superior, mas algo especial para quem idealizou a vida. Não pensamos que somos melhores que ateus porque cremos.
    R – Mentira. Seja honesta. nao somoos idiotas.

    Na verdade devemos sentir, não raiva ou hostilidade, mas compaixão e amor. mas não amor de bebê. Vocês são bem crescidinhos para entender que é impossível negar a Deus. Se o fazem, sempre é por questões pessoais, jamais científicas ou racionais.
    R – Nao precisamos de sua falsa compaixão e amor. é possível negar a Deus sim. Nós negamos e pronto. Voce tambem nega todos os outros deuses fictícios dos outros povos.

    jamais científicas ou racionais.
    R – é piada isso?

  44. CRIATURO:

    “interessante, a moral biblica da gênese de Moisés nos ensina que o aumento da racionalidade humana o torna o homem soberbo e o afasta do paraíso divino.

    Em alguns casos o ser humano agi irracionalmente , por excesso de racionalidade ou pela total ausência dela ?
    Classificamos um animal que come outro mais fraco de irracional, quando comemos este animal nós entramos tambem para a classe dos animais irracionais ?”

    R – Que interessante. Fui vegetariana por anos, depois larguei tudo – eu era monja -. Hoje, há algumas horas, cheguei à conclusão de que a pior merda que fiz foi voltar a comer meus semelhantes. Olha que coisa!!!! Volto ao vegetarianismo a partir de hoje. Valeu pela bronca ;)

    besos

  45. E ai lindona ve se não escreve comentários aqui qdo beber vinho kkkkkkkkkkkkkkkkk;

  46. Aproveitem, meninos e menina! Como disse, estou de bobeira hoje. Há uma lista de mais de 20 livros pra eu ler. Francamente, repito com todo meu amor. Hoje não vou responder a nada. Entretanto, se liguem. Hei de responder essas bobagens porque tenho fé que um dia vocês retomem a caminhada, crianças.Fui. Beijos…..

  47. é criaturo a resposta a sua pergunta nao tem saida, seguimos a lei da natureza como qualquer outro animal, seguimos uma cadeia alimentar, como somos mais inteligentes e descobrimos formas de matar outros animais nos tornamos sim igual a eles.

    negativo! voce mesmo afirma que somos mais inteligentes, logo animais tem a desculpa da irracionalidade involuntária, enquanto nós só nos resta admitir uma maldade voluntaria, saciando desejos que poderiam ser evitados facilmente sem prejuízos a espécie humana, nem abreviar a existência de outros seres vivos.
    A ironia é desejarmos controlar a vida alheia, quando não possuímos o poder para controlar a nossa própria vida.

  48. D:
    R – Que interessante. Fui vegetariana por anos, depois larguei tudo – eu era monja -. Hoje, há algumas horas, cheguei à conclusão de que a pior merda que fiz foi voltar a comer meus semelhantes. Olha que coisa!!!! Volto ao vegetarianismo a partir de hoje. Valeu pela bronca ;)
    besos

    R: Menos sou meio vegetariano, porque ainda como semelhantes e alguns deles até me agradecem por isso ….he..he…he..he…he..he

  49. D: Não é que nossas vidas valham mais que a das outras espécies, ao contrário, a natureza é equilibrada e nada é por acaso, não só na fauna como na flora, entretanto, é impossível não nos perguntarmos por que somos racionais e inteligentes como nenhuma outra espécie?

    R: voce se refere , atualmente mas ao longo da evolução a raça humana tambem ja foi irracional, sobrevivendo apenas pelo instinto e ainda hoje o ser humano tem algum tipo de recaídas neste sentido.
    Talvez o ser irracional de hoje seja tambem o ser racional de amanhã.
    Alias qual é o nivel racional de um ser humano recém nascido ?
    Greg:

    EVOLUÇAO. só voce e outros bitolados enchergam equilibrio no caos! vc mesmo disse acima que o mundo é um caos, vc nao lê o q vc escreve nao?

    R: como o caos pode sobreviver por milhões de anos sustentando a a existencia da vida? Não seria ele apenas uma visão humana limitada ? Dificil é para nós pegarmos um uma poeira cósmica e através dela querer deslumbrar um infinito lógico.

  50. SS:

    De fato, ateus entendem que vivemos apenas essa vida e fim.
    Mas justamente por isso, procuramos dar a ela todo o valor e sentido possível.
    Você, como muito crente por aí, tem o vezo de atribuir ao outro o seu modo de pensar/sentir.

    Penso que ninguém seja totalmente, ateu ou crente , assim viver como se fosse a ultima vez, não seja exclusividade de crenças, pois todos tem a duvida da continuação da vida,até os ateus la no fundo guardam tal esperança, mas afirmaram o contrario até a morte.

    Evidentemente que houve um propósito quando nossos ancestrais mais primitivos desenvolveram a capacidade de pensar, já que essa foi nossa vantagem evolutiva.

    um propósito só pode ser considerado a seres inteligentes e racionais, se não foi um propósito humano, só pode ter tido uma origem inteligente e externa a ele.

    Tudo que veio depois foi consequência, inclusive o desenvolvimento da muleta mental/emocional de “busca do nosso criador”.

    o procura por Deus é instintiva ao ser, devido ao sentimento de vazio a procura pelo complemento do ser, não trata-se de carência afetiva e sim das observações naturais manifestando uma inteligencia externa ao homem :
    Ao contrário do que alguns dizem, a origem da crença divina não é de natureza apenas emocional e sim por observações vivenciadas vida pratica da maioria.
    Inicie uma nova civilização totalmente isenta da cultura religiosa, para alguns “isto seria um mundo ateu perfeito”, mantenha os assim por alguns anos, certamente e instintivamente aparecera uma crença “em um Deus” e depois crenças em “deuses”, pois para olhos diferentes , impossível será termos visões idênticas.
    Esta natural busca pela necessidade de suprirmos nossa Ausência Divina;é incentivada pelo sofrimento e também pelas evidências pessoais como, sonhos proféticos tornando-se realidades, aparições de espíritos de entes queridos e também por algumas preces serem atendidas, tudo isso evidencia a existência de forças imateriais e inteligentes agindo e influenciando nas nossas vidas praticas.

    Quando alguém se dedica a ficar procurando sentido na própria existência por meio da existência de um ser nunca visto e sem qualquer prova tangível de já haver existido, está demonstrando que não vê sentido na vida que vive e nem dá a essa vida valor per se.

    Diante da crença de um final muito próximo, não importa qual o sentido que voce da a sua vida se o final sera o mesmo para todos.
    Ao meu ver acreditar no breve final da existência, torna a vida sem sentido algum, não importa como voce aja, sinta ou pense.

    se porem a perguntar “porque eu, o que eu fiz para merecer isso, meu pai/senhor, meu Deus?”
    Os autopropalados caridade e amor cristão são, as mais das vezes, grossos mantos de hipocrisia usados para encobrir soberba, mesquinhez, autopiedade e outras mazelas.

    Bem ensinou Jesus: ” quando derem vossas esmolas, não vos gloriei nem toquei trombetas diante de si, porque assim fazem os gentios, vós o que deres a sua direita ignore a tua esquerda, pois teu Deus que te ve em secreto te recompensará ,tambem em secreto.” alguem ja viu uma obra da natureza autografada por Deus ?
    Quando voce nasceu la esta seus pais a te esperar, voce viu Deus por la reclamando seus direitos autorais pelo conjunto da “sua” obra?

    Sim todos nós somos hipócritas pois de alguma formas damos com uma mão e pedimos com a outra,mesmo dentro dos laços familiares é tudo interesse a politica humana é nata assim tambem, como é natural a dependência mutua interagindo e unindo os seres.
    Quando crentes ajudam seus proximos, certamente esperam tambem serem ajudados na suas necessidades, mas onde esta a injustiça nisto ?
    Da mesma forma quando ateus realizam suas obras sociais, esperam desfrutar de uma sociedade melhor.
    Como disse se tratando de seres humanos , tudo resume-se a interesses, a não ser do sacrifício do amor verdadeiro, onde doamos nossa vida em favor do outro, visto que findam aih, nossos interesses materiais.
    Mas seja um crente negociante, ou um ateu metido a altruísta todos tem a obrigação moral de ajudar a construir uma sociedade mais justa e humanitária, independente de suas crenças e convicções ja formadas e para isso não pode haver desculpas se quem pratica caridade é considerado um hipócrita, quem não pratica pode ser considerado um egoísta.
    Apesar de acreditar que na lei da ação e reação, que colhemos conforme plantamos, não faço na crença que me sera pago com juros e correção e sim faço apenas como forma de agradecimento por ja estar na condição de faze-lo,mas quem se considera tão pobre ao ponto de não ter nada de si para doar ao outro ? Se até os ditos irracionais conseguem ser uteis aos ditos racionais ?

    E NÃO, você não gosta de minhas ideias; que você minta para si mesma, é problema seu, mas não se dê ao trabalho de mentir para os outros. É preciso falar sério.

    só conheceremos a sinceridade das pessoas contrariando o ego delas, quando ela é maior que a amizade ele cresce e amizade desaparece.

    sds

  51. “E NÃO, você não gosta de minhas ideias; que você minta para si mesma, é problema seu, mas não se dê ao trabalho de mentir para os outros. É preciso falar sério.”

    R – Eu gosto de suas ideias. Como construir algo, crer em algo, acreditar em algo, sem parâmetros? A dualidade das ideias é de um valor incalculável. Algo tão importante na filosofia que até Platão em Fredo amou o discurso errôneo, pois a partir dalí, cresceu. O antagonismo não é pernicioso, ao contrário, faz crescer a verdade e a justiça. Como poderia eu mentir, sendo amante de Sócrates e Platão? Ou então, cara mia, defina “mentira”. Quem sabe o rumo do diálogo tome outro rumo. Estou aberta como uma cancela que não fecha-se. Quanto mais dialogarmos, mais encontraremos, eu e você, horizontes inimagináveis.

  52. Fedro, foi mal.

  53. “Criaturo, em 02/02/2013 às 18:57 disse:

    D:
    R – Que interessante. Fui vegetariana por anos, depois larguei tudo – eu era monja -. Hoje, há algumas horas, cheguei à conclusão de que a pior merda que fiz foi voltar a comer meus semelhantes. Olha que coisa!!!! Volto ao vegetarianismo a partir de hoje. Valeu pela bronca ;)
    besos

    R: Menos sou meio vegetariano, porque ainda como semelhantes e alguns deles até me agradecem por isso ….he..he…he..he…he..he

    Você me lembrou o da Cruz… Fui irônica, ironia hehe. Segundo a teoria lá, somos todos iguais. mas continue comendo o que não precisou ir para a panela ;)

  54. GREG:

    ” – Nao precisamos de sua falsa compaixão e amor. é possível negar a Deus sim. Nós negamos e pronto. Voce tambem nega todos os outros deuses fictícios dos outros povos.

    R – Não! Não nego a nenhum deus, pelo simples fato de que eles existem, ainda que fora do meu conhecimento de Deus. Minha compaixão não é inerente a mim; ela traspassa por mim porque vem dos céus, meu tolinho.

    jamais científicas ou racionais.
    R – é piada isso?

    Não.

  55. Criaturo
    sob a interpretação divina, não, não creio no livre arbítrio porque para mim (meu entendimento), não há nada que o sustente de pé, é pura incoerência não percebida pelas pessoas que tentam justificar a existência de Deus em face da vida real.
    Quando você diz que conceitos como perfeição, bondade, amor, justiça, são estratégias humanas para diferenciar Deus da sua criação, está deixando transparecer, ainda que involuntariamente, essa mesma incoerência; a quem está de fora da crença, parece mais uma forma de tentar combinar o mundo real com a ideia de Deus.

    “Se entendi bem o seu ponto de vista, a religião apresenta um deus incoerente criando escravos sob a imposição do “divino” sofrimento e contraditoriamente atribuem a ele conceitos humanos de amor e bondade.”

    Meu ponto de vista é que Deus não existe,concretamente, sendo uma projeção dos medos e desconhecimentos humanos, funcionando como anteparo entre o nível em que todos sabem que não existe nenhum ser criador dessa ou daquela feição e uma maior ou menor capacidade de lidar com o fato de que estamos por nossa conta, enquanto durar nossa existência.

    “Penso que ninguém seja totalmente, ateu ou crente , assim viver como se fosse a ultima vez, não seja exclusividade de crenças, pois todos tem a duvida da continuação da vida,até os ateus la no fundo guardam tal esperança, mas afirmaram o contrario até a morte.”

    Uma coisa seria ter dúvidas acerca de uma possível existência pós-morte, outra coisa é levá-las a sério.
    Começando pelo fato de que uma “continuação da vida” é impossível. Vida é o estado em que estamos agora. Acompanhando esse estado, temos a autoconsciência, (aqui sob o sentido kantiano, que considero de melhor síntese na relação do indivíduo com o que o cerca) que depende da materialidade de nosso corpo.
    Indubitavelmente esse corpo tem um fim; com ele, nossa autoconsciência.
    Então, não há sentido em especular acerca de um estado consciente pós-morte; seria experiência tão diversa, que dela não podemos ter qualquer noção.

    “um propósito só pode ser considerado a seres inteligentes e racionais, se não foi um propósito humano, só pode ter tido uma origem inteligente e externa a ele.”

    Quando usei a palavra propósito, me referia ao processo de seleção natural, que nos distinguiu das demais espécies até o ponto em que estamos. E desculpe-me, não quero ofender, mas a sua ‘origem externa e inteligente’ não se mostrou muito inteligente afinal de contas, quando paramos para pensar nas falhas apresentadas pelo produto criado, nós.
    De tudo que você escreve a partir de ” a procura por Deus é instintiva…”, até “…existência de forças imateriais e inteligentes agindo e influenciando nas nossas vidas praticas.”, eu posso discordar tranquilamente.
    Nada jamais sequer parecido aconteceu comigo, então eu seria um dado discordante na sua equação, por assim dizer. E considerando que pela simples lógica não sou a única, há muitos e muitos dados discordantes.
    Enfim, para mim, meu entendimento, a crença serve a que dela tem necessidade ou vê utilidade; alguns não se enquadram.
    Mas concordo com você nisso:

    “Mas seja um crente negociante, ou um ateu metido a altruísta todos tem a obrigação moral de ajudar a construir uma sociedade mais justa e humanitária, independente de suas crenças e convicções ja formadas…”

    sds

  56. SS

    sob a interpretação divina, não, não creio no livre arbítrio porque para mim (meu entendimento), não há nada que o sustente de pé, é pura incoerência não percebida pelas pessoas que tentam justificar a existência de Deus em face da vida real.

    R:o que torna o livre arbítrio aparentemente incoerente é que ele representa o direito que todos tem em expressar suas vontades, mas como o direito de um termina onde começa o do outro, muita vezes ocorre interferências contrarias ao direito de exercer o livre arbítrio, sendo este anulado ou subjugado momentaneamente.

    a quem está de fora da crença, parece mais uma forma de tentar combinar o mundo real com a ideia de Deus.

    R: afirmar que Deus não pode ser representado pelos limitados conceitos que caracterizam os seres humanos o distingui de nós ou seja ou seja o tornas um Deus amoral.

    não existe nenhum ser criador dessa ou daquela feição e uma maior ou menor capacidade de lidar com o fato de que estamos por nossa conta, enquanto durar nossa existência.

    R: neste caso todos os crentes não passam de seres iludidos e carentes e esquizofrênicos, criados por um acaso aleatório de leis físicas cegas e burras com capacidade para criar seres inteligentes e complexos,mesmo que por um curto período de existência ?
    Da mesma forma que Deus poderia ser uma muleta imaginaria inventada pela carência humana na criação de uma uma ilusória proteção ou algo que de sentido a suas vidas.
    o fato de acreditar-se orfãos desamparados pelo acaso criador, nos faz achar que somos deuses de nós mesmos., isto tambem pode ser apenas uma ilusão alimentando o ego humano.

    Uma coisa seria ter dúvidas acerca de uma possível existência pós-morte, outra coisa é levá-las a sério.

    R: na verdade todos querem possuir uma maior razão, porque isso é instintivo a todos os seres, então dissipar duvidas que põe em risco a nossa razão, torna-se também instintivo na preservação do nosso ser “eu”.

    Começando pelo fato de que uma “continuação da vida” é impossível.

    R: afirma essa premissa amparada por quais argumentos lógicos ? Talvez a continuação da vida no plano invisível, seja tão impossível quanto a formação dela a partir do plano invisível da matéria.

    Indubitavelmente esse corpo tem um fim; com ele, nossa autoconsciência.

    Como pode ter essa certeza convicta ?

    Então, não há sentido em especular acerca de um estado consciente pós-morte; seria experiência tão diversa, que dela não podemos ter qualquer noção.

    R: se de fato ja possui essa certeza, então perde o sentido procurar algo tendo o conhecimento de causa da sua inexistência.

    Quando usei a palavra propósito, me referia ao processo de seleção natural, que nos distinguiu das demais espécies até o ponto em que estamos.

    R: continua sendo um propósito inteligente de origem externa ao homem.

    E desculpe-me, não quero ofender, mas a sua ‘origem externa e inteligente’ não se mostrou muito inteligente afinal de contas, quando paramos para pensar nas falhas apresentadas pelo produto criado, nós

    R: desculpa-la ? Só se for pela sua baixa estima,mas eu tenho certeza que voce pode ainda pode alcançar uma razão bem maior .

    De tudo que você escreve a partir de ” a procura por Deus é instintiva…”, até “…existência de forças imateriais e inteligentes agindo e influenciando nas nossas vidas praticas.”, eu posso discordar tranquilamente.
    Nada jamais sequer parecido aconteceu comigo, então eu seria um dado discordante na sua equação, por assim dizer.

    R: tem certeza que seus bens recebidos como :Vida, Família, saudê, inteligencia, aptidões , oportunidades de aprendizado,te foram concedidos pelo acaso aleatório ?
    Bom é uma boa maneira de sentir-se independente e livre de prestar contas ao termino do contrato entre a vida e a materia.

    De tudo que você escreve a partir de ” a procura por Deus é instintiva…”, até “…existência de forças imateriais e inteligentes agindo e influenciando nas nossas vidas praticas.”, eu posso discordar tranquilamente.

    R: sou todo olhos.

    Enfim, para mim, meu entendimento, a crença serve a que dela tem necessidade ou vê utilidade; alguns não se enquadram.

    R: alguns veem nas crenças um desejo de evoluírem moralmente, se alguns acham que podem conseguir a mesma coisa independentes de crenças, ótimo!
    Porque somos o que fazemos e não o que apenas acreditamos.
    sds

  57. Criaturo,desculpe, não respondi antes porque não tinha visto

    ” R:o que torna o livre arbítrio aparentemente incoerente é que ele representa o direito que todos tem em expressar suas vontades, mas como o direito de um termina onde começa o do outro, muita vezes ocorre interferências contrarias ao direito de exercer o livre arbítrio, sendo este anulado ou subjugado momentaneamente.”

    Criaturo talvez você tenha entendido errado o que escrevi; não me referia a um conflito derivado das relações entre os indivíduos mas ao dogma que diz ser o livre arbítrio dado por Deus.
    Há, parece, sempre um impasse entre crentes e ateus, o que torna muito difícil um diálogo.
    Um crente pensa sobre tudo a partir dos limites impostos por sua crença, de forma que por mais que se diga que ateus não “acreditam” ter sido criado o mundo, universo ou que nome se queira dar, por conceitos como acaso ou leis físicas burras, o crente parece não poder ir além da relação criador/criatura.
    Evidentemente não posso falar por todos os ateus, falo apenas por mim e por aquilo que sei dos poucos ateus que conheço.
    Não saber, para nós, nunca foi o problema. Então, enquanto você, por exemplo, está-se preocupando com perguntas como de onde viemos, para onde vamos, como foi que viemos parar aqui e tudo mais em volta disso, nós estamos abertos às perguntas, ás descobertas.
    Falando por mim e essas poucas pessoas, de forma alguma nos achamos deuses de nós mesmos. Há um texto do Barros que fala algo sobre sermos nossa consciência e do fato de que a nossa percepção de mundo existe apenas nessa consciência.
    Uma vez, tem algum tempo, ouvi uma coisa que achei muito interessante e que tem a ver com esse texto do Barros.
    O mundo só existe porque nós existimos. Claro que se nunca tivéssemos existido, o planeta, o sistema solar, o Universo, enfim, estariam aí, mas não seria o ‘mundo’. Esse existe, repito, apenas porque existimos nós. E quando não existirmos mais, esse mundo não mais existirá.
    O que quero dizer é que nossa transitoriedade não me preocupa. Hoje estou aqui, amanhã não estarei. Bilhões antes de mim vieram, estiveram, se foram, não mais estão. Assim igualmente, bilhões depois de mim.
    Quando eu disse que uma continuação da vida é impossível, é porque é mesmo. Já escrevi, mas repito. Vida é esse estado agora. Quando, seguindo o encadeamento natural do estado vivo, passarmos ao estado morto, nosso corpo se desintegrará; nem mesmo as múmias chegaram inteiras aos dias atuais, já que os corpos passaram por um processo de evisceração para serem embalsamados.
    Não há como fugir da constatação de que, uma vez no estado morto, possamos reiniciar ou até mesmo inaugurar outro tipo de existência usando o corpo que tivemos enquanto no estado vivo.
    Eu não tenho baixa estima Criaturo, eu só estou tranquila sabendo que sou transitória.
    Não acho que acreditar no cristianismo ou no islamismo, para ficar naqueles mais próximos da nossa cultura, seja condição para ter um comportamento moral, amoral ou imoral. Os humanos primitivos anteriores ao culto monoteísta iniciado com os antepassados dos judeus já dispunham de seus próprios códigos de ética e moral; essas coisas são inerentes ao ser humano, em qualquer tempo e lugar.
    Somos predadores, Criaturo; se não tivéssemos desenvolvido esses códigos de conduta, entre outros comportamentos, é provável que nossa espécie bem depressa teria se extinguido.
    Não é tão simples quanto você diz, sobre sermos o que fazemos e não apenas o que acreditamos.
    Não raras vezes, o que um indivíduo faz está diretamente ligado àquilo em que ele crê.

    sds

  58. ss

    Criaturo talvez você tenha entendido errado o que escrevi; não me referia a um conflito derivado das relações entre os indivíduos mas ao dogma que diz ser o livre arbítrio dado por Deus.

    R: Crentes acreditam que tudo é Deus, assim o livre arbitrio faça parte da sua inteligencia.

    Um crente pensa sobre tudo a partir dos limites impostos por sua crença, de forma que por mais que se diga que ateus não “acreditam” ter sido criado o mundo, universo ou que nome se queira dar, por conceitos como acaso ou leis físicas burras, o crente parece não poder ir além da relação criador/criatura.

    R: o ateu Richard Dawkins acredita que o mundo tenha sido criado por lei físicas cegas e burras.
    Sim teistas acreditam que que a origem do universo tenha uma causa inteligente e proposital.

    Não saber, para nós, nunca foi o problema. Então, enquanto você, por exemplo, está-se preocupando com perguntas como de onde viemos, para onde vamos, como foi que viemos parar aqui e tudo mais em volta disso, nós estamos abertos às perguntas, ás descobertas.

    R: exato a filosofia faz parte do meu ser, enquanto cientistas trabalham pelo descobrimento fisico , eu sinto prazer em conjecturar possibilidades antes que elas sejam descobertas ou se manifestem naturalmente por si mesmas, fico muito feliz ao ver minha racionalidade “intuitiva” tipo do Julio Verne, sendo descoberta e comprovada .

    Falando por mim e essas poucas pessoas, de forma alguma nos achamos deuses de nós mesmos. Há um texto do Barros que fala algo sobre sermos nossa consciência e do fato de que a nossa percepção de mundo existe apenas nessa consciência.

    R: nossa consciência pode ser comparada a um receptor pré ajustado de fabrica a captar e interpretar sinais referentes apenas a realidades deste mundo físico, semelhante a uma tv embora sua antena esteja mergulhada em um oceano de realidades distintas, ela só permite a captar e transformar em uma realidade “observável”apenas um sinal pre-sintonizado.
    Mas essa nossa atual limitação não implica que outras realidades não existam e sim que ainda precisamos aprendermos a ajustar melhor o nosso receptor humano, sob pena de permanecemos limitados.

    O mundo só existe porque nós existimos. Claro que se nunca tivéssemos existido, o planeta, o sistema solar, o Universo, enfim, estariam aí, mas não seria o ‘mundo’. Esse existe, repito, apenas porque existimos nós. E quando não existirmos mais, esse mundo não mais existirá.

    R: Jesus: “o sábado existe por causa do homem e não o contrario”

    apesar de ser polemico eu concordo, pois “matéria sem consciência não existe.” pois como voce mesmo disse , mesmo que continuasse existindo , sem ninguém para ter a consciência da sua existência é como se não existissem.Se ninguém tivesse uma consciência divina, então a possibilidade Deus não poderia ser conjecturada, fazendo parte da não existência.

    Quando eu disse que uma continuação da vida é impossível, é porque é mesmo.

    R: são nosso limites temporários que determinam os impossíveis ?

    Não há como fugir da constatação de que, uma vez no estado morto, possamos reiniciar ou até mesmo inaugurar outro tipo de existência usando o corpo que tivemos enquanto no estado vivo.

    R: não são poucos os casos noticiados em que pessoas constadas como “mortas” levantaram-se no dia do seu velório , voce acredita que em tais casos a ciência falhou ao considera-las como “mortas” ?

    Somos predadores, Criaturo; se não tivéssemos desenvolvido esses códigos de conduta, entre outros comportamentos, é provável que nossa espécie bem depressa teria se extinguido.

    R: onde esta a racionalidade de mantermos vidas destruindo vidas ?

    Eu não tenho baixa estima Criaturo, eu só estou tranquila sabendo que sou transitória.

    R: viver sem acreditar na possibilidade da continuação é viver irracionalmente, nada do que pensamos,fazemos, ou acreditamos faz sentido , quando acreditamos que tudo levará a perda de todos os sentidos.

    sds

  59. Criaturo,

    Você disse:

    “””viver sem acreditar na possibilidade da continuação é viver irracionalmente, nada do que pensamos,fazemos, ou acreditamos faz sentido , quando acreditamos que tudo levará a perda de todos os sentidos.”””

    Concordo plenamente contigo… Além do que, se fizesse sentido uma vida finita, aqui, conspiraria contra toda a dinâmica do universo que é pura vida e transformação permanente…

  60. Pois é Criaturo…
    muitos precisam acreditar num Deus-pai que reservou benesses e punições a serem distribuídas além-vida de acordo com o merecimento individual, para que esta vida de agora tenha sentido.
    Você precisa acreditar que existe um ser de certa forma além de nossa intelecção, mas que ainda assim se importa, para dar sentido a esta sua vida
    O Antonio Rosa já acredita numa coisa mais cósmica, digamos assim, que dá sentido á vida dele.
    Eu não preciso acreditar em ser nenhum, tradicional ou alternativo, para ver todo o sentido nesta única vida que tenho certeza de estar disponível para mim.
    Você está confortável no seu ponto de vista, eu no meu.
    E é isso aí.

  61. valeu Antonio! viver a espera de um fim é para quem não esta muito satisfeito com sua vida, triste muito triste.

  62. Oi Shirley,

    Você disse:

    “””Eu não preciso acreditar em ser nenhum, tradicional ou alternativo, para ver todo o sentido nesta única vida que tenho certeza de estar disponível para mim.
    Você está confortável no seu ponto de vista, eu no meu.
    E é isso aí.”””,

    Sem ser sem educação, nem ofender por discordar do ponto de vista pessoal das pessoas que pensam diferentemente da gente, mas, já que todos aqui fazem isto vou fazer também… Sabe o que eu penso desse tipo de afirmação que você fez?

    Penso que todos os ateus, realmente convictos, não estão, verdadeiramente confortáveis no seu ponto de vista, quanto a finitude de si mesmo… Deve ser horrivel pensar que hoje somos um monte de areia viva e amanhã, apenas um monte de areia morta e nada mais…

    Acho que isso pode ser motivo de depressão, e em alguns casos extremos, até mesmo de suicídio…

    Abraço.

    Comente:

  63. RR
    Pois é Criaturo…
    muitos precisam acreditar num Deus-pai que reservou benesses e punições a serem distribuídas além-vida de acordo com o merecimento individual, para que esta vida de agora tenha sentido.

    R: nem todos acreditam nisto, eu mesmo sou grato por tudo de bom que ja tenho em vida, amo a vida e meu otimismo me faz acreditar na possibilidade da minha razão vir a sobreviver após a decomposição do meu corpo fisico.

    Você precisa acreditar que existe um ser de certa forma além de nossa intelecção, mas que ainda assim se importa, para dar sentido a esta sua vida
    O Antonio Rosa já acredita numa coisa mais cósmica, digamos assim, que dá sentido á vida dele.

    R: na verdade o que tira o sentido da vida é acreditar que ela em breve deixará de existir,até o altruísmo pra quem acredita na possibilidade da inexistência, faz sentido ja que a morte para eles significa exatamente a perda de todos os sentidos.

    Eu não preciso acreditar em ser nenhum, tradicional ou alternativo, para ver todo o sentido nesta única vida que tenho certeza de estar disponível para mim.

    R: se voce estiver certa lamento informar que o que voce pensa , acredita ou faz, não tem a minima importância ja que em breve voce perderá todo esse seu sentido da vida.
    Alias eu diria que para todos os seres que vivem hoje em muito pouco tempo nada terá mais importância, pois todos também perderão o sentido da vida.

    Você está confortável no seu ponto de vista, eu no meu.
    E é isso aí.

    De fato crenças não alteram realidades, se voce estiver certa infelizmente nunca saberemos , pois a existência torna-se inconsciente banal, vivemos na ilusão dando total importância a um materialismo passageiro.
    se eu estiver certo podemos ainda deslumbrar um oceano de possibilidades , onde a vida experimenta infinitas experiências, onde o impossível se torna o possível, onde os limites apresentem-se como novos recomeços, assim só me resta Deseja a voce tudo de bom e uma ótima vida eterna.

    sds

  64. R: na verdade o que tira o sentido da vida é acreditar que ela em breve deixará de existir,até o altruísmo pra quem acredita na possibilidade da inexistência,(não) faz sentido ja que a morte para eles significa exatamente a perda de todos os sentidos.

  65. conspiraria contra toda a dinâmica do universo que é pura vida e transformação permanente…

    Que declaração mais sem sentido! Isso soa como dizer que alguém pode matar a sede bebendo duas moléculas de água. Quanto à parte de que tudo está em permanente transformação, eu concordo. Quando morrer, você vai se transformar em adubo.

  66. Criaturo, Antonio Rosa

    Pelo tom usado, fica evidente que ambos sentiram-se profundamente incomodados com meu modo de pensar, até mesmo ofendidos.
    Nada posso fazer quanto a isso.Lendo vocês, parece que ambos desejam a toda força me convencer de que eu na verdade estou péssima.
    Ao contrário do que vocês afirmam, quando dizem que eu tenho tendência à depressão, que tenho baixa estima, que, enfim, sou um trapo ambulante (rsrsrsr), eu gosto muito da vida que tenho e a prezo muito, até porque eu a construí. Eu vivo a vida que planejei para mim, lutei muito por ela.
    Nunca precisei depositar minhas esperanças ou procurar dar sentido na vida por meio de seres quaisquer.
    É por isso, por ter construído minha vida, por ter dado a ela todo o valor, por pensar que ainda posso fazer mais alguma coisa, que me sinto em paz quando penso na morte. Não peço desculpas se pareço arrogante; já tive minha quota de sofrimentos e sei que enquanto estiver viva, eu os terei novamente. Mas sei também que farei o que sempre fiz: assumirei que não sou diferente nem mais privilegiada que ninguém. Tudo que puder fazer para superar, farei; o que não puder, mesmo com raiva, dor e sofrimento, procurarei superar e aproveitar as lições que restarão. Aproveito e aproveitarei sempre os pequenos prazeres e as grandes felicidades.
    Vida para mim é isso; caminhar rumo a um ou vários objetivos, tropeçar, cair, se machucar, levantar e continuar. Toda caminhada um dia termina e é natural que assim seja.
    Posso estar errada? Posso. Se algo algum dia acontecer que me prove isso, no problem.
    Errar também faz parte da vida, assim como se reconhecer que errou.
    Até lá, eu continuo confortável no meu ponto de vista.

  67. Barros,

    “Quanto à parte de que tudo está em permanente transformação, eu concordo. Quando morrer, você vai se transformar em adubo.”

    Eu nunca vi uma declaração mais redundante e óbvia e ao mesmo tempo mais imcompleta…

    Primeira pergunta: Como você sabe que corpo humano é composto apenas de matéria?

    Segunda pergunta: Como você sabe que a consciência humana não sebrevive a morte do corpo?

    Terceira pergunta: como você sabe que o espírito não existe?

    Não precisa responder, eu sei que você não tem as respostas; só perguntei pra provar que a sua declaração é infinitamente mais sem sentido do que a minha…rsrsrsrsr

  68. Respostas: porque espírito, alma, vida pós-morte são invenções da mente humana; porque nossa consciência é produto exclusivamente da matéria da qual nosso cérebro é formado e, portanto, não pode subsistir a ele; e porque não há, nem nunca houve, nada que nos fizesse pensar minimamente que as coisas não são exatamente assim, exceto as inúmeras tentativas de fraude, os equívocos, as superstições, quando não a pura ignorância propagandeada por religiosos que querem que suas crenças tolas sejam parte da realidade.

  69. Barros,

    Agora você deu pra não “entender” o que se pergunta…

    Eu não perguntei o “porque disso” ou “porque daquilo”…

    Eu perguntei “Como” você sabe disso e daquilo…

    E, isso nenhum ateu sabe tudo, sabe…

    Desculpa te colocar numa “saia justa”, só estou usando a técnica de fazer perguntas que aprendi contigo… rsrsrsr

  70. Se você me disser que Jesus “subiu aos céus” no seu corpo físico, eu posso argumentar que isso é impossível porque x, y, z… Aí você vem e me diz que não quer saber de x, y, z, mas de “como” eu sei que é impossível Jesus ter subido aos céus?

    Parabéns! Você acabou de ganhar a discussão. Por W.O.

    Um abraço!

  71. Shirley,

    você disse:

    “””Pelo tom usado, fica evidente que ambos sentiram-se profundamente incomodados com meu modo de pensar, até mesmo ofendidos.
    Nada posso fazer quanto a isso.Lendo vocês, parece que ambos desejam a toda força me convencer de que eu na verdade estou péssima.
    Ao contrário do que vocês afirmam, quando dizem que eu tenho tendência à depressão, que tenho baixa estima, que, enfim, sou um trapo ambulante”””

    Primeiro nunca afirmei, e jamais afirmaria que você é depressiva que tem baixa auto estima ou coisa parecida; eu disse que penso que pode levar, em alguns casos a depressão, mas de forma genérica(alguns ateus e, eu mesmo, se, também pensasse assim)

    Segundo não me sinto incomodado porque você ou qualquer pessoa pensa como ateu, sinto-me apenas curioso acerca da origem e da petulância da convicção de voces…

    Abraço…

  72. SS
    Pelo tom usado, fica evidente que ambos sentiram-se profundamente incomodados com meu modo de pensar, até mesmo ofendidos.

    R:Negativo! muito pelo contrario se todos concordassem comigo quem iria contrariar o meu ego ? por isso eu sou grato aos ateus, por estimularem minha fé.

    Nada posso fazer quanto a isso.Lendo vocês, parece que ambos desejam a toda força me convencer de que eu na verdade estou péssima.

    R: não, apenas digo que viver a espera do fim não faz sentido, que devemos ser otimistas vivendo na esperança de continuar vivendo, quem sabe em outra forma bem mais agradável.
    Temos apenas duas opção : vivermos acreditando na possibilidade da continuação, ou entregar-se no pessimismo a espera de um breve fim.

    Ao contrário do que vocês afirmam, quando dizem que eu tenho tendência à depressão, que tenho baixa estima, que, enfim, sou um trapo ambulante (rsrsrsr),

    R: se tivesse dito isto teria sido leviano, apenas temos pontos de vista divergentes.

    É por isso, por ter construído minha vida, por ter dado a ela todo o valor, por pensar que ainda posso fazer mais alguma coisa, que me sinto em paz quando penso na morte. Não peço desculpas se pareço arrogante;

    R: da baixa estima a arrogância em apenas dois paragrafos, conforme as suas palavras……he…he…he..he..he
    digamos que o partidarismos extremo não seja a melhor opção:
    -acreditar em tudo
    – duvidar de tudo
    Se crentes são iludidos carentes paternais e esquizofrênicos, ateus podem ser ingratos e arrogantes, acreditando se auto suficientes, quando sua vida antes de existir ja dependia de outros seres, fica muito facil dizer “eu construí minha vida”, quando na verdade a tenha recebido com todas as providências necessária para mante-la, a partir da sua existência, família, amigos,inteligencia, dom profissional, saude, bens materiais, mas voce pode continuar alimentando o ego acreditando-se auto suficiente.
    Se voce ao pensar na morte fica em paz , demonstra estar com a consciência tranquila , isto é muito bom.

    já tive minha quota de sofrimentos e sei que enquanto estiver viva, eu os terei novamente.

    R: talvez pense na morte como uma forma de escapar do sofrimento,mas se estiver errada sua consciência , seus pensamentos continuaram existindo com todos os seus sentimentos.
    Não se iluda até mesmo os sentimentos indesejáveis são necessários ao sentido da vida.

    Toda caminhada um dia termina e é natural que assim seja.

    R: porque o final de uma não pode ser um convite forçando ao inicio de outra ? Parece que inconsciente ou conscientemente as pessoas procuram ver na morte o descanso eterno.

    Posso estar errada? Posso. Se algo algum dia acontecer que me prove isso, no problem.

    R: com certeza um dia todos nós teremos esta resposta , ou não se voce estiver certa e eu errado,mas acredito que algumas pessoas precisam vivenciar esta experiência do ateísmo, pois existem pessoas que ja nascem com a intuição Deus, enquanto outras realmente parecem ser sinceras quando afirmam não sentirem Deus presente em tudo e todos.
    algumas pessoas são mais sensíveis a percepção Deus se manifestando de alguma forma, assim é desde o começo da existência humana.

    Errar também faz parte da vida, assim como se reconhecer que errou.
    Até lá, eu continuo confortável no meu ponto de vista.

    R: continue sendo feliz!

    sds

  73. Criaturo
    Eu desisto de continuar conversando com você pela mesma razão que desisto de conviver com muita gente que crê no que quer que seja.
    É impossível, para vocês, sequer pensar num mundo em que a pessoa se veja livre de crer em algo. Confrontados com isso, vocês ouvem o que querem, leem o que querem, não o que foi falado ou escrito.
    É cansativo o hábito que vocês têm de se permitir serem irônicos e condescendentes, se arrogando o direito de ‘permitir” que outras pessoas não creiam em nada, sejam deuses, seja vida pós-morte, seja ETs, ou sei lá que mais, desde que, claro, não ultrapassem os limites. E também de “interpretar” tais pessoas de forma a caberem na noção que vocês têm.
    Isso realmente cansa.

  74. Antonio Rosa
    Se você tivesse escrito: “…sinto-me apenas curioso acerca da origem da convicção de vocês…”, eu o levaria a sério.
    Mas você acrescentou a palavra ‘petulância’.
    Façamos o seguinte: me apresente alguma prova documentada de seus encontros imediatos de qualquer grau com qualquer que seja o objeto da sua crença e depois, só depois, eu te dou o direito de me chamar de petulante.
    Da origem da convicção de outros ateus nada posso dizer, mas a minha se baseia na vida real.

  75. ss
    Criaturo
    Eu desisto de continuar conversando com você pela mesma razão que desisto de conviver com muita gente que crê no que quer que seja.

    ok! Shirley!

    aceito a sua desistência !

    É impossível, para vocês, sequer pensar num mundo em que a pessoa se veja livre de crer em algo. Confrontados com isso, vocês ouvem o que querem, leem o que querem, não o que foi falado ou escrito.

    R: Divergências são naturais e necessárias, pois até o mais orgulhoso logo se cansa de pieguices, talvez seja esse o motivo inteligente que o Barros de liberdade aos crentes, para manifestarem suas divergências.
    Não costumo levar divergência para o lado pessoal, apesar de não concordar com sua visão da vida , ou melhor dizendo do final que espera para ela, respeito-a e apesar das minhas convicções , seria também hipócrita se a desconsiderasse totalmente, mas assim como voce também consigo viver confortavelmente com as minhas crendices, até que a vida me mostre que eu estou equivocado.

    É cansativo o hábito que vocês têm de se permitir serem irônicos e condescendentes, se arrogando o direito de ‘permitir” que outras pessoas não creiam em nada,

    R: ironia é um ateu dizer que os crentes são irônicos, esqueceu de dizer que somos também iludidos , esquizofrênicos e carentes afetivos.

    Isso realmente cansa.

    R: mal nos conhecemos e ja estressou ?…he..he..he…he…he…he
    pena que a troca de idéias teve um final precoce,mas é sempre assim a minha sinceridade não conquista muitos amigos, mas os que poucos que ficam são sinceros.

    sds

  76. Vê o que eu digo?
    eu escrevi: cansei. Você leu: estressou.

  77. […] Qual o sentido da Vida? […]

  78. […] Parte 1 […]

  79. […] Qual o sentido da vida? […]

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: