Qual o sentido da vida? (parte 9)

torta alemã

— Isso significa o quê? Que a vida só faz sentido se a gente tiver posses?

— Significa que a vida só faz sentido se — e enquanto — conseguimos obter prazer dela.

— Ah! Uma professora já me explicou como se chama isso: hedonismo. E ela mostrou que é um pensamento bem equivocado.

— Foi mesmo?

— Mas é claro! Tem várias coisas na vida que a gente faz sem sentir prazer.

— Por exemplo?

— Por exemplo… Assim: eu detesto química, sabe? Detesto. E tenho que estudar mesmo sem gostar. Logo, essa estória de hedonismo não cola.

— Isso porque você está vendo as coisas de uma forma superficial. Quer ver só? Se você não sente prazer estudando química, por que simplesmente não para de estudar essa matéria?

— Você tá louco? Se eu não estudar química eu sou reprovada!

— Hummm… Então você estuda química pra passar de ano?

— E não é?

— Por que você quer passar de ano?

— Ah, que tava demorando isso…

— Eu quero completar meu raciocínio. Você só vai ajudar se responder.

— Eu já sei disso. Eu quero passar de ano pra poder terminar o Ensino Médio, fazer faculdade…

— Pra quê?

— Ora, pra ter uma profissão, pra ganhar meu dinheiro…

— Pra que você quer o dinheiro?

— Ai, ai… Pra que serve o dinheiro?

— Me diga você.

— Pra comprar coisas.

— Como uma torta alemã?

— Por exemplo, sim.

— E pra que você compraria uma torta alemã?

— Pra matar a fome, me alimentar, não é óbvio?

— Será? São duas e meia da tarde. Muito provavelmente você almoçou há menos de três horas. Fome não é o caso aqui. Como não é o caso quando você come torta alemã imediatamente após ter almoçado, como sobremesa. Sem um pingo de fome. A pergunta é: por que você comeria uma fatia de torta alemã logo depois de ter almoçado fartamente?

— Me diga você.

— Pra sentir prazer, Sofia. O mesmo prazer que você pretende obter comprando coisas com seu próprio dinheiro, depois que tiver uma profissão, que é o que te faz querer passar de ano e, pra isso, estudar uma matéria que você detesta. Como química, por exemplo.

Anúncios

26 Respostas

  1. É mesmo Barros, naquele video : Quem somos nós, fala sobre isto ai do prazer e a quimica do nosso corpo.
    (Quem se interessar é só por no youtube: Quem somos nós, que ai vem todo ele em capitulos, a parte 7 e 8 trata disso ai que o Barros disse no fim do texto.)

  2. Barros,

    A busca do prazer pode ser o apogeu e o resumo de todas as buscas do ser humano, nesse sentido, acho que, enfim, convergimos filosoficamente, para um ponto comum…

    Uma única coisa nos restringe o prazer pleno e permanente: a ignorância. Quando chegarmos à ignorância “zero”, teremos prazer permanente, sem recheios de desprazer; quando tivermos o conhecimento absoluto nada poderá nos restringir a esse “prazer” permanente que buscamos há milhões de anos…

    Essa é a realidade que estamos construindo, ao longo da odisseia terrena; esta a realidade que nos espera após esta avida; este é o status dos Deuses que estamos elaborando, geração após geração, século após século, milênio após milênio usando como ferramenta a curiosidade no início, e a ciência e o conhecimento cumulativo em progressão geométrica, nos últimos séculos…

  3. Antônio, meu querido.

    Eu discordo de você quanto a essa tão sonhada ignorância zero. Como já escrevi antes, quando a gente encontra a resposta para “uma” pergunta, o que geralmente ocorre, é surgirem mais um monte de perguntas vinculadas àquela resposta. Veja, quando se achava que a Terra era plana e era o centro do universo, a gente tinha uma quantidade de perguntas a serem respondidas. Uma vez que descobrimos que a Terra é “esférica” e que gira em torno do Sol, que gira em torno da galáxia, que faz parte de um sistema ainda maior, você acha que nossas perguntas aumentaram ou diminuíram?

  4. Barros, você disse:

    ((… quando se achava que a Terra era plana e era o centro do universo, a gente tinha uma quantidade de perguntas a serem respondidas. Uma vez que descobrimos que a Terra é “esférica” e que gira em torno do Sol, que gira em torno da galáxia, que faz parte de um sistema ainda maior, você acha que nossas perguntas aumentaram ou diminuíram?”))

    O fato das “perguntas” aumentarem em determinada fase da “ignorância” não é garantia de que o número de “questionamentos ou mistérios” seja Infinito. Além do mais, pode-se dizer que esse paradigma do geocentrismo teve origem lá onde o conhecimento era igual a zero e a ignorância era absoluta, portanto, tudo que veio depois levou-nos ao progressivo geométrico conhecimento imenso que temos hoje sobre o universo. Isso aponta para a compreensão plena do cosmos dentro de um tempo indeterminado, podendo ser daqui uma semana, daqui um ano ou daqui a cinco séculos; isto não importa, o que importa é que a cosmologia é uma ciência sobre uma realidade física, com leis determinadas por natureza e quantidade, portanto, tende a ter complexidade finita, ou você acredita em “mistérios” eternos???…

    A questão das doenças, por exemplo, estão diminuindo e não aumentando, e, pode-se dizer que dentro um século ou no máximo dois, com o domínio pleno do genoma humano, serão todas erradicadas da história humana, ou você tem dúvidas disso? Por acaso você pensa que as doenças serão “mistérios” eternos? Se pensar, está pensando como os crestes, que já me afirmaram que as doenças nunca vão acabar porque é castigo proveniente do pecado…

    Além do mais dizer que a questão do geocentrismo gerou mais dúvidas… Desculpe-me, discordo completamente de você, foi um passo gigantesco em direção à compreensão que temos, hoje, do universo e tudo indica que levará à finitude dos mistérios que persistem sobre o tema…

    Assim como foi à finitude o desconhecimento das leis que regem a eletricidade; das leis da aerodinâmica e da mecânica que possibilitaram o domínio dos ares (aviação); assim como foi finito o desconhecimento das condições que impediam a ida do homem à lua; assim como será finito o desconhecimento que impede, hoje, a ida do homem a Marte, e, centenas de outros impedimentos que tínhamos e não temos mais; dessa mesma forma, penso, será finita a totalidade da ignorância queira ou não queira, você e os demais ateus desse Blog.

    Digo isso, porque penso que a totalidade do desconhecido (ignorância) é finita e não infinita… E, a ignorância é finita porque os mistérios são finitos… Ainda nesta vida você vai se convencer do que estou dizendo, não porque eu quero, mas porque, dado o ritmo atual do conhecimento, outras descobertas com poder de convencimento, ocorrerão…

  5. Barros,

    Você disse O QUE É o sentido da vida, apontando o PRAZER como uma hipótese possível e bastante coerente, entretanto, inatingível e infrutífera da forma como você a concebe, isto é, tendo a morte do corpo como o fim de tudo…

    Eu disse COMO CHEGAREMOS ao PRAZER que você sugere, de forma plena, contínua, permanente, eterna, isto é , tendo a morte do corpo como uma mera transcendência…

    Te digo, portanto, a sua tese só tem sentido, se você aceitar a minha… rsrsrsr.

    Abraço…

  6. “Uma única coisa nos restringe o prazer pleno e permanente: a ignorância. Quando chegarmos à ignorância “zero”, teremos prazer permanente, sem recheios de desprazer; quando tivermos o conhecimento absoluto nada poderá nos restringir a esse “prazer” permanente que buscamos há milhões de anos…”

    Receio que isso seja uma utopia. A mente humana é movida a desafios e abomina o tédio.
    Saber tudo que há para saber eliminaria o desafio.
    Além disso, seria impossível existir um estado de prazer pleno e permanente, dado que só reconhecemos o prazer pelo contraste com o desprazer.
    Veja o exemplo que Barros está construindo. No momento “José” tem uma tendência bem menor de acionar o mecanismo já que está numa situação em que pode fruir vários prazeres, embora privado da liberdade. Arrisco dizer que chegará um momento em que esses prazeres não mais serão suficientes, ou deixarão de sê-los pois se tornarão rotina. A menos que sejam introduzidas variantes de estímulo, logo José se tornará inquieto e insatisfeito; ainda que demore algum tempo, aquele mecanismo será objeto de muito mais atenção por parte dele.

  7. Shirley, minha cara oponente, você disse:

    “””reconhecemos o prazer pelo contraste com o desprazer.”””

    Tenho afirmado que esta presunção é o motivo pelo qual estamos na odisseia terrena… Conhecer o MAL para que o BEM se torne evidente… Penso inclusive que já vivíamos essa realidade “perfeita” e só estamos aqui, na odisseia terrena para nos reciclarmos e voltarmos a perceber o BEM absoluto pelo contraste com o MAL que vivemos aqui nesta vida, quando voltarmos, após a morte… Essa é uma das minhas teses… http://antonioferreirarosa.blogspot.com.br/2011/05/resumo-de-uma-nova-teologia-para.html

    Quanto ao tédio a que você se refere, será impossível que ocorra, não pela suposta rotina, mas, porque um motivo de prazer será sempre substituído por outro, porém, jamais, pelo desprazer(MAL) como ocorre na vigência da ignorância ou na ausência do conhecimento…

    A exploração do Universo infinito, com sua renovação permanente e aleatória, com suas infinitas possibilidades de vidas semelhantes, além e aquém da nossa, será, possivelmente, o maior motivo de deleite da outra vida depois dessa; a possibilidade de existirmos em planetas diferentes, de galáxias diferentes, num universo infinito e fantástico, JAMAIS, possibilitará o tédio a que você se refere…

    É, essencialmente, o status dos Deuses ou de Deus a que tenho referido constantemente…

    Espero ter convencido a você, o Barros e os demais papas do ateísmo desse Blog, pelo menos, enquanto possibilidade filosófica… rsrsrsr

  8. ss
    se me permite gostaria de discordar, se bem vejamos:
    esse pensamento seu é bem tipico ateu, pois ele insinua que Deus seria um projetista incompetente.
    Digo que Deus fez tudo da melhor forma possível, provavelmente como no filme Matrix esses super seres que voce gostaria de ser, morreriam de tédio.

  9. Shirley minha amiga!! outra coisa para se pensar é sobre a salvação dos crentes, ja parou pra pensar nisso?!
    Eles falam que DEus vai enxugar dos nossos olhos toda lagrima e não vamos lembrar de mais nada aqui deste mundo etc e tal …
    Ai eu penso: Vamos ser todos lobotomizados e capados, em outras palavras: Não vai ser eu qeu vai estar la!! apenas uma carcaça minha (esta salvação pra min não serve e nem quero)

    Neste porém acho melhor a doutrina espirita que prega a evolução espiritual.

  10. ADAMANTDOG, eu já escrevi uma série sobre esse assunto: RACIONALIZANDO A ETERNIDADE. Nenhum crente apareceu por lá pra comentar nada.

  11. Antonio Ferreira Rosa
    Li o artigo linkado e percebo que você deseja que as coisas sejam como você deseja.
    Esse estado de coisas que você descreve baseia-se em nada mais que uma concepção pessoal, sem nada para servir de âncora na realidade, nada que possa ser baseado em conhecimento adquirido ou que esteja dentro dessa perspectiva.
    Não posso considerar suas alegações como válidas, assim como não poderia levar a Xuxa a sério quando ela disse que viu um duende aos pés da cama.
    Embora não seja minha intenção soar de forma rude sei que é assim que está parecendo, pelo que peço desculpas, mas sua concepção de mundo para mim, mesmo como possibilidade filosófica, só é apreciável em autores de ficção científica.

  12. Criaturo

    sinta-se livre para discordar quanto quiser.
    Evidentemente que meu pensamento é tipicamente ateu…rsrsrs
    Se existisse Deus, tal como é descrito, que tivesse intencionalmente criado tudo que conhecemos, sua incompetência estaria na mesma medida de seus poderes e seria uma incompetência de nível cósmico.
    Não entendi a que super seres você se refere.
    Mas se formos entrar no campo da ficção, escolheria ser Ororo.

  13. Adamantdog!
    Ri com gosto agora. Lobotomizados e capados, seríamos os zumbis do céu….
    Embora respeitando sua inclinação religiosa, como não penso que tenhamos alma ou espírito, viver bem essa vida já está de bom tamanho.
    abração

  14. Olha, sabe o que eu penso sobre você ateus, penso que na realidade nenhum de voces, assim como eu, tem tem convicção absoluta do que diz ou pensa… Acho que no fundo, no fundo, todo ateu esconde seu ladinho crente e gostaria, imensamente, de estar errado…rsrsrs Concordam?… Sejam honestos!…

  15. Deixa eu ver… Será que eu iria gostar de, depois de morrer, ressuscitar e ir viver para sempre ao lado de um Deus filho da puta, mesquinho, exibido, carente, assassino, chantagista, opressor, cruel, volúvel e infinitamente poderoso?

    Não, obrigado. Eu prefiro o vácuo. E estou sendo sincero.

  16. Shirley, minha querida filósofa oponente, você disse, referindo-se a minha hipótese:

    “””sua concepção de mundo para mim, mesmo como possibilidade filosófica, só é apreciável em autores de ficção científica. “””

    Eu concordo em número, gênero e grau contigo, mas, eu, você, e todos os demais filósofos desse blog, sabemos que isso não é mera coincidência. Todas as realidades tecnológicas tão comuns, hoje, foram ficção no passado recente.

    Por exemplo: há três séculos, a eletricidade; há um século, a aviação; há oito décadas a televisão; há seis décadas a viagem a lua; há cinco décadas o telefone móvel. Há quatro décadas a rede mundial de comunicação. Hoje, a cura de todas as doenças; a nanotecnologia; o nascimento de membros amputados e a reposição de órgãos a partir do domínio das células troco, da manipulação e do domínio pleno do genoma humano, etc., etc.

    Assim será com o que considero, irreversível, domínio da ciência sobre a morte (vida eterna); com transferência da consciência de um corpo velho para um corpo novo, feito, possivelmente a partir de uma única célula do corpo velho; com a desmaterialização da consciência ( alma ou espírito, religiosamente falando), para que possamos nos deslocar pelo universo à velocidade da luz… etc., etc.

    Contudo, estas “realidades futuras”, ficções ou devaneios, como queiram chamar, ainda não constituem o fim da evolução humana, o que também já antevi, ventilei por aqui, e vou revelar mais amplamente em breve…

    Meus caros filósofos oponentes, Shirley, Barros, Oiced Mocam, Alfredo, Cristiano, Admantdog, Marcio, Fernando, e demais frequentadores desse “útero do pensamento” chamado deusilusão, qual a dificuldade que vocês tem para visualizar a “realidade” que eu visualizo?

  17. Barros,

    (desculpe-me, estou sem assentos no teclado) Quanto a possiblidade de voce morrer e “”ressucitar”” , se prepare, porque, segundo aminha hipotese pelo menos, e grande…

    Quanto ao fato de Deus ser um filho da puta… Não acredite muito nisso…Alem do que, voce esta falando do Deus biblico, que não e real…

  18. SHIRLEY & ANTONIO

    se me permite gostaria de discordar, se bem vejamos:
    esse pensamento seu é bem tipico ateu, pois ele insinua que Deus seria um projetista incompetente.
    Digo que Deus fez tudo da melhor forma possível, provavelmente como no filme Matrix esses super seres que voce gostaria de ser, morreriam de tédio.

    SS: Não entendi a que super seres você se refere.

    desculpe-me refiro-me ao texto que voce postou pois não havia reparado nas aspas, na verdade e ironicamente estou concordando com voce e discordando do Sr. Antonio onde afirma isso :

    “Uma única coisa nos restringe o prazer pleno e permanente: a ignorância. Quando chegarmos à ignorância “zero”, teremos prazer permanente, sem recheios de desprazer; quando tivermos o conhecimento absoluto nada poderá nos restringir a esse “prazer” permanente que buscamos há milhões de anos…”

    R:se me permite gostaria de discordar do seu ponto de vista “Antonio”, se bem vejamos:
    esse pensamento seu é bem tipico ateu, pois ele insinua que Deus seria um projetista incompetente.
    Digo que Deus fez tudo da melhor forma possível, provavelmente como no filme Matrix esses super seres que voce gostaria de ser tipo anjos no paraíso, morreriam de tédio.
    portanto na minha visão se Deus criou a ignorância é por que ela seja necessária, embora diminua com tempo , como bem disse a Shirley o ser humano precisa de desafios, por isso penso que eles devam ser eternos, enquanto voce sonha com utopia de que todos viverão felizes para sempre no paraíso, como ja disse esta sua visão embora otimista e bem intencionada, acaba sendo um tiro no seu pé, pois insinua que :
    Deus criou seres ignorantes e sofredores justificando como sendo a unica forma deles conhecerem o prazer eterno.
    isso seria mais ou menos um deus sádico criando todos seus filhos com sapatos apertados por anos, só para que um dia eles percebam como é bom se livrar desse sofrimento.
    Então todos deverão serem gratos por deus ter livrados os de um sofrimento imposto por ele mesmo ?

    Se deus tem o poder de poupar sua criação do sofrimento e não o faz, é um deus sadico ?

    Se não tem esse poder é um incompetente ?

    na sua utopia do mundo feliz para sempre, onde deus se arrependerá de ter imposto o sofrimento ,assim compensando a todos bons e maus com o prazer da ignorância zero, neste paraiso todos serão iguais a Deus, esta não seria a ideologia do anjo Lucifer ? Se ele estava certo então por que teria sido castigado por deus ?

  19. Criaturo,

    Somos, ambos, Deístas, porém, a sua visão de Deus te aproxima muito dos crentes convencionais, ou do Deus Bíblico, ao contrário da minha visão que, se quer, é definida…

    Essa ideia que o ser humano precisa de DESAFIOS que a shirley coloca, não é muito correta, o ser humano quer ser FELIZ, quer o PRAZER permanente, nesse particular concordo com o Barros, só isso…

    Se você leu o meu texto no endereço que segue: http://antonioferreirarosa.blogspot.com.br/2011/05/resumo-de-uma-nova-teologia-para.html verá que o sofrimento é uma necessidade de aprendizagem do ser inteligente não uma mera invenção sádica de Deus, mas, um recurso didático absolutamente necessário ao processo de aquisição de conhecimento.

    Nesse sentido, “Deus” não tem nenhuma culpa pelo sofrimento humano… Se você existi, e quer ser pleno, ser feliz, ter prazer, terá que pagar o preço dessa lei da aprendizagem que diz que o ser inteligente só aprende pelos opostos ou antíteses. Se o ser humano não tivesse necessidade vital do PRAZER, se não tivesse a curiosidade nata (busca do desafio) pelo conhecimento estaria, ainda, lá na pedra lascada ou quem sabe, depois dela, ou, nem existisse…

    Portanto, o DESAFIO a que se refere a shirley é apenas um meio não um fim, concorda comigo?… Assim como o sofrimento, também é apenas um meio, nesse caso didático, para se atingir e perceber o FIM que é o PRAZER que será proporcionado pelo CONHECIMENTO ABSOLUTO ou pelo fim da ignorância, o que chamo de IGNORÂNCIA ZERO. Se o desconhecimento é zero o que poderá impedir o PRAZER e a FELICIDADE total e permanente sem intervalos de desprazer…?http://antonioferreirarosa.blogspot.com.br/2012/11/a-interinidade-do-mal.html

    abraços…

  20. Antônio
    Somos, ambos, Deístas, porém, a sua visão de Deus te aproxima muito dos crentes convencionais, ou do Deus Bíblico, ao contrário da minha visão que, se quer, é definida…

    R: meio deísta, bíblico, ateu , livre pensador mas estou bem longe de um tradicionalismo religioso.
    Quanto a sua visão podemos estuda-la então defini-la com alguma razão.

    Essa ideia que o ser humano precisa de DESAFIOS que a shirley coloca, não é muito correta,
    R: compartilho esta visão com ela

    o ser humano quer ser FELIZ, quer o PRAZER permanente, nesse particular concordo com o Barros, só isso…

    R: tipo o primeiro projeto virtual para vida humana feita pelas maquinas em Matrix, ou uma abelha morrendo dentro de um melado, ou um peixinho no aquário comendo até a morte, ou um gamba bebendo até morrer.
    Ou ainda um drogado fumando craque até a morte.

    verá que o sofrimento é uma necessidade de aprendizagem do ser inteligente não uma mera invenção sádica de Deus, mas, um recurso didático absolutamente necessário ao processo de aquisição de conhecimento.

    1- a sua necessidade de aprendizagem = precisar de desafios (SS)
    2- sua teoria insinua que deus não teve capacidade para criar o homem sabio ,por isso a incompetência divina causa no homem inocente um sofrimento injusto como unica forma do homem futuramente reconhecer o bem que vem de deus.
    interessante Deus deu a capacidade a animais irracionais reconhecerem seus pais e gostarem deles, mais sua teoria diz que nós seres mais racionais não temos condições de reconhecer o bem que vem de Deus.
    3- por que Deus não evitou o sofrimento humano criando homens com conhecimento nato do bem e todos viveriam felizes no “seu paraiso”, isto pouparia o sofrimento humano na sua “odisseia humana na terra” ?
    4- uma necessidade de aprendizagem e sofrimento causada por deus ?
    5 – a questão é por que Deus não nos poupou do sofrimento ? porque não pode ou porque não quer ?

    Nesse sentido, “Deus” não tem nenhuma culpa pelo sofrimento humano… Se você existi, e quer ser pleno, ser feliz, ter prazer, terá que pagar o preço dessa lei da aprendizagem que diz que o ser inteligente só aprende pelos opostos ou antíteses.

    R: neste caso seu deus é um ser limitado incapaz de criar seres felizes sem precisar impor sofrimento a eles, sua teoria insinua que o nosso sofrimento é somente devido a incompetência divina.

    Se voce insinua que o sofrimento imposto por deus tem a unica função de nos ensinar a reconhecermos o bem, então o prazer que também sentimos teria qual função ?
    Conhecermos o mal ? Se pelo mesno voce afrimasse que nem todos irão para o seu paraiso, poderia fazer uso da mesma lógica dizendo que:
    “Deus impõe ao homem o prazer apenas para quando eles forem para o inferno, possam saber reconhecer o mal que tambem vem de deus (isto seria muito sadismo).

    Portanto, o DESAFIO a que se refere a shirley é apenas um meio não um fim, concorda comigo?… Assim como o sofrimento, também é apenas um meio, nesse caso didático, para se atingir e perceber o FIM que é o PRAZER que será proporcionado pelo CONHECIMENTO ABSOLUTO ou pelo fim da ignorância,

    R: na boa ? Discordo! Acredito que o paraiso eterno que voce idealizou seja na verdade o eterno caminho na busca por ele, este caminho é construído por lagrimas sorrisos, perdas e conquistas , vitórias e frustrações, sofrimento x prazer.
    Jesus: ” o reino dos céu esta dentro de voce”
    Veja se Deus tivesse criado a ignorância o sofrimento o mal, para depois anula-los, estaria assinando uma atestado da sua própria burrice divina,
    Este paraiso eterno o qual voce idealizou na minha visão, seria “o fim” mesmo, como aconteceu no filme Matrix todos os seres humanos nesta sua condição parasidiaca no eterno prazer total começaram a morrer de tédio.

  21. CRISTIANO,

    Você disse:

    (((R: meio deísta, bíblico, ateu, livre pensador, mas estou bem longe de um tradicionalismo religioso.)))

    RESPONDO: Honestamente não entendi a sua resposta… Que negócio é esse de meio deísta, bíblico, ateu…?

    (((Veja se Deus tivesse criado a ignorância o sofrimento o mal, para depois anula-los, estaria assinando uma atestado da sua própria burrice divina,)))

    RESPONDO: O sofrimento e o mal não são criação divina, são frutos da ignorância (falta de conhecimento)… Estabelecido o CONHECIMENTO ABSOLUTO que estamos construindo de geração a geração, século após século, milênio após milênio, extinto o mal para sempre…
    Deus não é INCOMPETENTE nem BURRO, seria, se nos desse tudo de mão beijada (Você e todo mundo, sabe que o que se ganha de graça não tem valor). “Deus” é SÁBIO, por isso criou a odisseia terrena para que nós, com o próprio suor, com o próprio sofrimento e com a própria inteligência, construíssemos o CONHECIMENTO ABSOLUTO, e com ele acessássemos a felicidade e ao prazer eterno, enfim ao seu próprio status (status de Deus).
    Daí, a importância de cada ser humano nesse processo, desde o que construiu a primeira ferramenta de pedra lascada, até aqueles que inventarem os processos e as máquinas que possibilitarão a desmaterialização da consciência e as viagens do ser humano pelo universo na condição de ondas eletromagnéticas ou energia quântica ou outro nome qualquer que vier ter essa condição existencial resultante da evolução…

    (((Este paraiso eterno o qual voce idealizou na minha visão, seria “o fim” mesmo, como aconteceu no filme Matrix todos os seres humanos nesta sua condição parasidiaca no eterno prazer total começaram a morrer de tédio.)))

    Já argumentei contra essa alegação de tédio, e, vou usar o mesmo argumento anterior:

    Quanto ao tédio a que você se refere, será impossível que ocorra, não pela suposta rotina, mas, porque um motivo de prazer será sempre substituído por outro, porém, jamais, pelo desprazer (MAL) como ocorre na vigência da ignorância ou na ausência do conhecimento…
    A exploração do Universo infinito, com sua renovação permanente e aleatória, com suas infinitas possibilidades de vidas semelhantes, além e aquém da nossa, será, possivelmente, o maior motivo de deleite da outra vida depois dessa; a possibilidade de existirmos em planetas diferentes, de galáxias diferentes, num universo infinito e fantástico, JAMAIS, possibilitará o tédio a que você se refere…

    Como pode alguém sofrer de tédio tendo o universo inteiro ao seu dispor???…

    Abraços

  22. CRIATURO,

    DESCULPE-ME A TROCA DO SEU NOME NO POST ACIMA PELO NOME DO CRISTIANO… FOI UMA DISTRATAÇÃO…

  23. CRIATURO,

    Você pergunta:

    (((5 – a questão é por que Deus não nos poupou do sofrimento? Porque não pode ou porque não quer?)))

    RESPONDO: Penso que nenhuma coisa nem outra, mas, porque não DEVE… Se a mitologia ou a estória do arcanjo Lúcifer fosse verdadeira, poderia ser a explicação para o verdadeiro motivo para que Deus criasse a odisseia terrena… Quem constrói seu próprio CONHECIMENTO ABSOLUTO e seu próprio acesso ao status de Deus, como nos estamos construindo, certamente não se rebelaria contra “ele”. Ao contrário de quem ganha o status de graça, como foi o caso de Lúcifer e os outros anjos do “motim celestial” bíblico.
    Além do que, se assim fosse, essa estória poderia sugerir que a humanidade fosse o resto dos “anjos” existentes no paraíso naquela época, e agora fazendo um aperfeiçoamento (odisseia terrena) da sua natureza, para existir na perfeição absoluta, sem novas atitudes vinculadas a qualquer tipo de mal, (novos “motins”, por exemplo)…

    Trazendo essa “estória” para a realidade, pode significar que, nós que estamos construindo a nossa própria condição de Deuses, não retrocederemos em atitudes egoísticas ou que tenha qualquer tipo de relação com o mal, depois de construído e acessado, o CONHECIMENTO ABSOLUTO e o status de “Deus”…

    Também, penso e acho mais provável, que nós (humanidade), podemos ser membros de alguma civilização que já esteja de posse do conhecimento absoluto e fizemos alguma lambança por lá, e por isso temos que passar pela odisseia terrena para repetir o processo de acesso ao conhecimento absoluto, novamente…

  24. Antonio

    RESPONDO: Honestamente não entendi a sua resposta… Que negócio é esse de meio deísta, bíblico, ateu…?

    R:não sigo nenhuma religião mais aproveito o melhor de todas, não sou fanatico biblico mas aproveito o melhor dela, não sou ateu mas tambem não defendo crendices e fanatismos religiosos e biblicos, por isso não me considero um crente tradicional como voce afirma.

    RESPONDO: O sofrimento e o mal não são criação divina, são frutos da ignorância (falta de conhecimento)… Estabelecido o CONHECIMENTO ABSOLUTO que estamos construindo de geração a geração, século após século, milênio após milênio, extinto o mal para sempre…

    R: Deus nos criou ignorantes, logo todo sofrimento causada pela ignorância é uma imposição divina nata.
    Se estamos sofrendo a milenios e ainda continuaremos sofrendo por milenios , devemos ser gratos a Deus por ter nos imposto milenios de sofrimento ?
    Deus não teria nos poupado de tanto sofrimento simplesmente nos criando com o conhecimento necessario para isso?

    Deus não é INCOMPETENTE nem BURRO, seria, se nos desse tudo de mão beijada (Você e todo mundo, sabe que o que se ganha de graça não tem valor).

    R: Deus nos deu a ignorância e o sofrimento de graça, pior que isto nos impôs tal condições .

    e com ele acessássemos a felicidade e ao prazer eterno, enfim ao seu próprio status (status de Deus).

    R: esta insinuando que o destino de todo homem é ser Deus ?

    Quanto ao tédio a que você se refere, será impossível que ocorra, não pela suposta rotina, mas, porque um motivo de prazer será sempre substituído por outro, porém, jamais, pelo desprazer (MAL) como ocorre na vigência da ignorância ou na ausência do conhecimento…

    R: seguindo o raciocínio da sua teoria da “antítese” o mal a ignorância e o sofrimento só existem para fazerem o homem enxergar a existência do bem, do conhecimento absoluto, da ignorância zero e do prazer absoluto .
    Assim voltando do fim para o começo da criação, o conhecimento absoluto, a ignorância zero e finalmente o prazer total não sera possível se ao final da “sua ” odisseia na terra o mal for extinguido as pessoas eleitas ao seu paraíso eterno, perderão a a referencia do seu estado atual de prazer total, por falta da extinta referencia do mal ou seja sua teoria da aquisição do conhecimento pela antítese torna-se uma lógica redundante.
    Simplificando se todos forem totalmente felizes a felicidade perdera o valor por falta de referencia do que é o mal.
    Resumindo, o bem e o mal são um eterno desequilíbrio que mantem a a vida em movimento, equilibre esse dois potenciais e a vida volta ao estado antes da criação onde só existia um Unico potencial Deus.

    A exploração do Universo infinito, com sua renovação permanente e aleatória, com suas infinitas possibilidades de vidas semelhantes, além e aquém da nossa, será, possivelmente, o maior motivo de deleite da outra vida depois dessa; a possibilidade de existirmos em planetas diferentes, de galáxias diferentes, num universo infinito e fantástico, JAMAIS, possibilitará o tédio a que você se refere…
    Como pode alguém sofrer de tédio tendo o universo inteiro ao seu dispor???…

    R: a sua teoria diz que alcançaremos o conhecimento absoluto, ignorância zero e que isto nos dará o prazer total, ou seja obrigatoriamente ela nos impõe a condição se sabermos e conhecermos todo o universo infinito.mas se ainda teremos que conhecer o o universo e descobrir novas coisas a sua teoria do conhecimento absoluto cai por “Terra” literalmente. Pois contraditoriamente afirma que ainda somos ignorantes por tanto continuamos sendo sofredores vitimas de tal ignorancia.
    Alem do mais como ja expliquei, se na terra precisamos do mal para conhecermos o bem, fatalmente no seu paraiso precisaremos da existência do mal para poder continuarmos sentido o bem eterno.
    ou seja isso seria a lógica redundante que afirma que bem e o mal não podem existir individualmente, digo mais que são a mesma energia Deus manifestando-se em níveis de potenciais diferentes.
    Entendo assim:
    Homem= mal = Deus no seu menor nivle potencialde cosnciência
    Deus= Bem= Maior nivel potencial de consciência

  25. antonio
    Também, penso e acho mais provável, que nós (humanidade), podemos ser membros de alguma civilização que já esteja de posse do conhecimento absoluto e fizemos alguma lambança por lá, e por isso temos que passar pela odisseia terrena para repetir o processo de acesso ao conhecimento absoluto, novamente…

    R: esta sua visão tem uma versão espirita que seriamos espiritos expulsos e condenados a encarnar em corpos de animais (homens) por termos nos rebelados em um outro planeta muito evoluido (Capela) e agora sonhamos e trabalhamos para podermos voltar para o nosso “paraiso perdido”, por comparação assim como Adão e Lucifer, Moises e a sua terra prometida por deus e agora tambem a sua mais nova versão Antonio da “antítese” na odisseia humana na terra. (Depois eu que sou tradicional….he….he..he..he….he)

    (((5 – a questão é por que Deus não nos poupou do sofrimento? Porque não pode ou porque não quer?)))
    RESPONDO: Penso que nenhuma coisa nem outra, mas, porque não DEVE…

    R: então sofremos por desejo dele, caso contrario nos teria criado ja no seu paraiso eterno, ou voce afirmaria que ele não “pode” nos poupar da ignorancia e do atual sofrimento nato ?

    sds

  26. […] Parte 9 […]

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: