Qual o sentido da vida? (parte 12)

garota paquistanesa

Começava a chover fino, e Sofia acompanhava com interesse os pingos que escorriam pelo vidro que nos separava da rua.

— Você tinha prometido não se demorar nesse assunto depressivo.

— Eu me empolguei, eu acho. E você ainda nem me respondeu.

— O quê? — ela perguntou voltando-se novamente para mim.

— Qual o sentido da vida?

— Segundo você, é sentir prazer.

— E segundo você mesma?

— Eu não estou certa. E ainda não sei como você pode estar tão certo disso.

— Para perceber como eu estou certo, basta abrir os olhos para o mundo à nossa volta. Nós somos animais, Sofia; mas não somente isso. Nós evoluímos como os outros bichos, com o mesmo propósito de apenas perpetuar nossos próprios genes. Acontece que um subproduto da evolução nos dotou com uma centelha de inteligência que começou a evoluir descontroladamente. Aquela centelha acabou se tornando tão poderosa que se libertou dos caprichos do processo evolutivo que a criou. Ela se transformou em nós, e nós somos essa consciência que vive apenas de instantes e se alimenta de prazer. Nossa vida é tão somente o agora. O resto é lembrança e imaginação.

— Não sei por que, mas isso ainda me parece errado.

— Mas não está errado. Tudo e qualquer coisa que você faça, em última análise, visa a obtenção de prazer. Digo “em última análise” porque há coisas que a gente faz para evitar, superar, minorar, etc., situações de “desconforto”.

— Situações de desconforto?

— Coisas que certamente impediriam você de sentir prazer, ou que fariam você aproveitar menos os prazeres disponíveis. Você estuda química pelo mesmo motivo que vai ao dentista, por exemplo: evitar situações desconfortáveis, imediatas ou futuras. Seja um emprego mal remunerado, um sorriso feio, ou uma velhice aprisionada a dentes postiços. Você se preocupa com a sua própria saúde e com a saúde e bem-estar daqueles a quem você ama? Claro que sim. E por quê? Ora, porque você os ama. Mas também porque se sua mãe estivesse muito doente, você certamente não estaria aqui comigo aproveitando sua torta alemã e filosofando sobre a vida.  

— Não mesmo.

— Prazer. É o que dá sentido às nossas vidas. Situações de desconforto te impedem de sentir prazer, ou reduzem a sua capacidade de senti-lo. Por isso você faz coisas que, à primeira vista, não estão relacionadas a ele. Quando perceber uma, tente identificar de que “desconforto” essa coisa está te livrando, e você vai ver como eu estou certo.

— Acho que descobri o que me parecia errado nesse pensamento…

— E o que é?

— Um mendigo…

— Sim?

— Um mendigo desses que vivem na rua… Extremamente miserável… Que sentido a vida dele pode ter? Se ele come do lixo, não tem casa, dorme no chão… Onde tá o sentido da vida dele? De onde ele tira prazer? Se prazer é o sentido da vida, a vida de alguém assim não teria sentido. Então por que ele não se mata, igual ao prisioneiro da sua estória?

— Um mendigo não se mata porque ele ainda pode obter prazer com sua vida miserável. Quantas vezes, Sofia, você bebeu água quando estava com muita sede? Ou fez uma refeição quando estava morrendo de fome? Ou dormiu quando estava quase desmaiando de sono? Ou descansou quando estava exausta? Quase nunca, não é? Agora imagine o prazer que um banho, um descanso, uma refeição ou um simples copo d’água podem dar a uma pessoa para quem essas coisas são um luxo. São esses prazeres que dão sentido à vida dos miseráveis. É isso que, aliado ao instinto de sobrevivência do nosso lado animal, impede alguém nessas condições de tirar a própria vida.

— Nossa!, eu morro de pena de gente assim...

— Então você deve ter pena de toda a humanidade…

— E por quê?…

— Porque quase todos nós somos um mendigo miserável dentro de uma prisão.‘f

Anúncios

26 Respostas

  1. Não existe sentido para a nossa vida aqui na Terra nem em lugar nenhum. Somos apenas como uma árvore que brota de uma semente, cresce vive e morre. Cabe a nós apenas, fazer isso o melhor possível e transformar essa vida em prazer e frutificar antes de morrer. Só isso e mais nada. Mais nada, nada, nada… Não se iludam pensando diferente. Ilusão, quando passa, maltrata mais do que a própria vida.
    Alfredo Bernacchi

  2. Barros,

    parece que essa conversa tranquila da série não dá tanta audiência quanto a típica acidez dos outros textos. Pelo menos é o que penso por observar a quantidade média dos comentários; não sei pelos pageviews. Acho que até crente gosta de ser provocado pois eles aparecem aqui aos montes. Enfim, acho que a maioria do povo adora mesmo é coisa “pesada” e porque não dizer fast food, gore … KKKK !

    Se seu livro sair, quando sair, essa série pode perfeitamente constar nos capítulos não recomendados para pessoas sensíveis.

    Já que estou viciado nessas ‘coisas’, você pode dizer se ainda tem armas convencionais para usar ?

  3. Sobre a questão do livro, na verdade eu quis dizer justamente o contrário do que escrevi. Ou seja, essa série pode ser perfeitamente lida por crentes “sensíveis”, ao contrário da maioria dos outros textos.

  4. Aos ateus que ignoram, por falta conhecimento geral e específico, que a ciência esta dominando a morte a cada dia, e o fara totalmente mais ou menos em cinco séculos, só me resta perguntar aos mesmos quem vai pagar o MICO HISTÓRICO dessa “convicção” absurda e irracional? Daqui há cem anos, a possibilidade da imortalidade poderá ser visualizada pela antropologia do desenvolvimento humano, de forma nítida e convincente, pela maioria, não como hoje, apenas, por alguém como eu e outra meia dúzia por ai que não tem coragem de se manifestar…

    Vamos tributar o GRANDE MICO histórico, com muita justiça, aos PAPAS do ateísmo como o Sr. Alfredo, Sr. Oiced, Sr. Barros e seus dicípulos Cristiano, Fernando, Adamantdog, Saracura, Shirley e cia Ltda? Só pode né… rsrsr.

  5. Antonio Rosa
    Cinco séculos, é? Puxa…
    Mas, como é só daqui a cem anos que se vai começar a vislumbrar, pela “antropologia do desenvolvimento humano” a possibilidade da imortalidade; e como por esse tempo nem meus ossos restarão mais, eu é que não vou pagar o tal do mico. Caso em que você precisará eleger outro ‘papa’ do ateísmo.

  6. Oi Shirley, valeu o senso de humor, mas…

    O Mico será histórico, logo quem participou da ideia pagará da mesma forma, na posteridade, historicamente…

    Tudo que vocês escreveram permanecerá e poderá ser visto como um grande equívoco, resultante da falta de conhecimento de uma parte expressiva da humanidade…

    Tal como são vistos, hoje, os papas e outros mais que defendiam o geocentrismo querendo queimar as pessoas que combatiam a ideia; tal como são vistos, hoje, os críticos e os descrentes das tecnologias e te todas as grandes descobertas e invenções, assim também, serão vistos os ateus… Tá em tempo de você sair dessa estatística, mal vista, do futuro…
    Basta você desistir da ideia, já que, ela nunca esteve tão ameaçada pela ciência e pelo conhecimento, como hoje… rsrsrs.

  7. O julgamento da posteridade não me faz perder o sono não, pode descansar sossegado.
    Agora vamos a algumas considerações acerca de suas visões do futuro.
    Em algum lugar por aqui você escreveu que o conhecimento absoluto geraria prazer permanente. Quando eu o contradisse, argumentando que nessa hipótese morreríamos de tédio, você contra-argumentou dizendo que não haveria tédio já que teríamos todo o Universo a nossa disposição para ser explorado. Se estiver incorreto, desculpe, cito de memória.
    A todo momento você saca o exemplo de coisas que já foram consideradas impossíveis e hoje são reais ou factíveis.
    Isso que você escreveu hoje me fez pensar sobre a a sua ideia de viagens intergaláticas.
    Na ficção científica isso acontece por meio da dobra espacial ou do salto hiperespacial, formas imaginadas para se vencer as distâncias incomensuráveis em questão, além do fator tempo.
    Fica empolgante na ficção, mas na vida real pode ser impossível por uma questão básica: os limites da Física, aos quais estamos sujeitos.
    Você nos apresenta o conhecimento absoluto e a vida eterna como panaceia para todos os nossos problemas e angústias mas não percebe que essas mesmas coisas seriam motivo de angústia e sofrimento; volto a dizer-lhe que saber tudo tiraria nossa motivação. E pior que saber tudo seria viver eternamente sabendo tudo que há para saber.
    Tenho certeza que você extrai grande prazer idealizando esse futuro de que fala e sente-se estimulado pelo desafio de imaginar formas de concretizá-lo. Um estímulo subjacente importante é a consciência de sua finitude, de que tudo tem um prazo de validade, que é a duração da vida.
    No seu mundo ideal não haveria o estímulo de se pensar nem no minuto seguinte quanto mais em termos de meses ou anos. Não haveria o prazer do planejamento, da conjectura. Não haveria a grata sensação por uma coisa boa acontecendo em seguida a alguma desventura, já que não haveria a desventura para proporcionar o contraste.
    Me parece Antonio que seus deuses imortais sofreriam de depressão eterna.
    Será que foi por isso que Deus nos criou? rsrsr

  8. Antonioooooooooo !! Antonioooooooooo!!

    Olha aqui seu desejo se realizando!! clica ai neste link, tem legenda vc pode escolher a legenda.

  9. Antonio, me esqueci de falar qeu vc clica no show transcript em baixo do video ai abre uma veneziana de opções e vc escolhe portugues ai vem toda a palestra dela em portugues(da até pra vc copiar pra teorizar em cima rrss)

  10. Shirley,

    Você disse:

    (((A todo momento você saca o exemplo de coisas que já foram consideradas impossíveis e hoje são reais ou factíveis.)))

    É exatamente essa percepção que falta aos ateus, essa é a dinâmica das conquistas e da evolução humana… Tudo que podemos pensar, hoje, poderemos fazer a manhã, não tenha dúvidas disso. Obviamente que o domínio da morte, pela ciência, é só mais um problema a ser resolvido pelo conhecimento e, portanto, não se exclui. Conhecimento, é questão de pesquisas e de tempo…

    (((Fica empolgante na ficção, mas na vida real pode ser impossível por uma questão básica: os limites da Física, aos quais estamos sujeitos.)))

    A Física que conhecemos não possui limites em si mesma, mas, na falta de conhecimentos sobre os elementos de que ela trata… Além do mais, o conhecimento sobre a física quântica (a física do futuro, do cosmos, da nanotecnologia) é, ainda, muito rudimentar e primitivo, não conhecemos seus limites, vamos pensar daqui há dois ou três séculos e veremos resultados de cair o queixo, se vistos, hoje…

    (((volto a dizer-lhe que saber tudo tiraria nossa motivação. E pior que saber tudo seria viver eternamente sabendo tudo que há para saber.)))

    Shirley, “CONHECIMENTO ABSOLUTO”, saber tudo, não significa necessariamente, prever o futuro ou ter uma “bola de cristal”, que te desobrigaria de se levantar de uma poltrona, mas, resolver um problema de forma perfeita quando ele se apresentar… Por exemplo, para você conhecer um novo planeta do universo você teria que se deslocar até ele e visualiza-lo minunciosamente. Assim, uma das características marcantes do universo, a aleatoriedade, jamais permitirá a inexistência do NOVO para o seu deleite e ocupação, certo?

    (((Não haveria o prazer do planejamento, da conjectura. Não haveria a grata sensação por uma coisa boa acontecendo em seguida a alguma desventura, já que não haveria a desventura para proporcionar o contraste.)))

    Esse é um pensamento invertido da realidade. Digo mais, é muito pelo contrário. A curiosidade permanecerá no ser humano, portanto, a diferença em relação a hoje, está apenas na capacidade de resolver os problemas que se nos apresentam… Imagine você vivendo em um planeta que, pela aleatoriedade do universo, entre em rota de colisão com outro. Você poderá com naturalidade e conhecimento, desde migrar para outro planeta em outro sistema solar ou em outra galáxia até desviar a rota de colisão, tudo com conjecturas, planejamento etc etc., porém com conhecimento de causa, competência técnica e tudo que for necessário para garantir o sucesso da missão…

    Quanto às desventuras e os contrastes a que você se refere, não serão mais necessários de nenhuma forma, você os terá muito bem armazenados na sua consciência, eterna, que levou da odisseia terrena…

    Abraços Shirley…

  11. Oi Adamant…

    Obrigado pela indicação da pesquisa, é muito interessante, já vi outras pesquisas semelhantes… Recentemente vi uma reportagem numa TV aberta, não me lembro em qual, descobriram uma agua viva imortal e estão encima pra descobrir o segredo do animalzinho vitalício…
    Todas essas tentativas de conhecer os segredos da longevidade são muito válidas, pois constituem partes importantes da construção do conhecimento e do domínio sobre o assunto. Depois em genética, desenvolvida a tecnologia, basta transferir o Genes de um desses animais para o genoma humano e o avanço estará garantido…

    Acredito, entretanto, que os estudos específicos sobre o Genoma humano vão dar respostas mais concretas sobre essa questão.
    A solução estará, também, em eliminar os genes contrários à longevidade e acrescentar genes favoráveis, venha eles de aguas vivas de vermes, ou de que animal vier, não importa, o que importa é a construção da “eternidade”. E, isto, estamos fazendo objetivamente, através da curiosidade e da ciência…

    O que a natureza pode levar milhões de anos pra fazer através da seleção natural e das mutações acidentais e resultantes da evolução, a ciência pode fazer em décadas… É só dar tempo ao tempo…

    Um ponto interessante a lembrar no curso dessa marcha evolutiva, no entanto, é, nós que vivemos hoje, e todos os que viveram no remoto passado da humanidade, obviamente, não teremos acesso aos benefícios desses estudos e da evolução da ciência. Como ficaremos?

    Vamos filosofar dizendo que, o que estamos fazendo é apenas uma replicação, “monitorada” à distância, de conhecimentos e de realidades já existentes, possivelmente, em milhões de planetas de outros sistemas solares da Via Láctea e de outras galáxias do universo.

    Acredito que “Deus” ou os “Deuses” do CONHECIMENTO ABSOLUTO, resgatam a nossa consciência após a morte para a continuação da vida na perfeição nestas realidades já existentes, onde o objetivo é a felicidade e o prazer permanentes. Ninguém se perderá. Podem acreditar, Ateus e Religiosos do mundo. Se assim não for, vocês estão certos, mas, particularmente, acredito que vocês estão errados… rsrsrsr.

    Abraço Adamant…

  12. gentinha essa viu? querendo pousar de intelectual. Queria ver a cara de voces com essa arrogância no inferno que é pra onde vcs vão

  13. “É exatamente essa percepção que falta aos ateus, essa é a dinâmica das conquistas e da evolução humana… Tudo que podemos pensar, hoje, poderemos fazer a manhã, não tenha dúvidas disso”

    O que caracteriza os ateus é exatamente não fazer o que os crentes fazem: assumir como fato concreto algo que dependa da fé.
    Você é um crente e é nessa condição que o contesto. Você não coloca suas proposições na condicional, você afirma que elas acontecerão inapelavelmente, sustentando-se apenas no seu querer, que o leva a ter fé de que tudo se dará conforme…você quer.
    E porque você quer tanto que seja assim, Antonio Rosa, é que é a questão interessante.
    Um ateu vê o ser humano como um organismo dotado de um tipo de inteligência que foi se tornando complexa devido à demanda da sobrevivência e num ciclo que tanto pode ser entendido como virtuoso ou vicioso, aumentou os níveis de complexidade na tentativa de explicar-se a si mesma,o mundo em que vive e a consciência da própria finitude.
    O crente vê propósitos que conduzem à superação do mero organismo a um patamar diferenciado, superior em relação aos demais organismos, usando para isso mecanismos diversos: criação divina (deuses), espiritismo, ETs, ou a sua crença de que poderemos transpor os limites físicos de nosso corpo, seja viajando pelo Universo, seja superando a morte.
    Quando falei dos limites da Física, me referia especificamente aos limites do nosso organismo. É possível que em algum momento do futuro esses limites possam ser contornados, permitindo as tais viagens intergaláticas? Possível até pode ser. Não significa que vai acontecer, necessariamente.
    A proposito, você deve mudar o nome do seu ‘conhecimento absoluto’ para conhecimento relativo. O outro nome desse ‘conhecimento absoluto’ é ‘onisciência’, então você só está fazendo variações sobre um tema já conhecido…
    Sobre sua afirmação de que levarei da vida terrena a memória dos sofrimentos e problemas, para o necessário contraste, só posso concluir que um efeito colateral inevitável da eternidade será a impossibilidade de gerar filhos?

  14. A GENÉTICA E A EVOLUÇÃO HUMANA…

    No futuro a genética deverá eliminar do genoma humano os genes determinantes do egoísmo e do ódio, e, aprimorar os genes determinantes do Amor, da solidariedade, do coletivismo. Estes, estão ai na natureza há milhões de anos em pleno vigor e ação, basta verificarmos o comportamento das formigas dos cupins e das abelhas…

    Antonio Ferreira Rosa.

  15. Entendi, Antonio Rosa…no futuro a evolução da genética nos permitirá agir como formigas ou cupins. Nos alastraremos pelo Universo, totalmente solidários uns com os outros, mas destruindo tudo que não nos sirva, no caminho.
    Metáfora ruim essa.

  16. Shirley,

    Você disse:

    (((O que caracteriza os ateus é exatamente não fazer o que os crentes fazem: assumir como fato concreto algo que dependa da fé.)))

    Não creio que a percepção da evolução humana, nos termos que coloco, seja uma questão meramente de fé , mas, muito mais de visão da antropologia do desenvolvimento da ciência e do conhecimento…

    (((Sobre sua afirmação de que levarei da vida terrena a memória dos sofrimentos e problemas, para o necessário contraste, só posso concluir que um efeito colateral inevitável da eternidade será a impossibilidade de gerar filhos?)))

    Segundo a minha hipótese, formar a percepção do contraste entre o bem e o mal pelo sofrimento e o prazer experimentados na vida terrena, é um dos propósitos dessa odisseia que agora vivemos. E, a possível perda da percepção deste contraste, após a morte, tiraria todo o sentido da dor e do sofrimento que agora passamos…

    Quanto a gerar filhos na outra vida, não creio que isto será possível já que significa gerar a ignorância novamente. Esta função de reproduzir seres vivos ficará sempre para as sociedades em estágios de desenvolvimento primitivos como, ainda, é o nosso. Basta você verificar que quanto mais culta uma sociedade menos filhos tem, quanto mais ignorante, mais filhos tem.

    Essa tendência deverá valer na outra vida já que ter filhos significa gerar ignorância onde ela já se tornou igual a ZERO…

    Esse conversa sobre filhos tornou inevitável a questão do sexo na outra vida. Vai ter ou não vai ter? Haverá sexo oposto? Sabe o que penso sobre estas questões? Bem, conjecturando, acredito que viveremos na matéria novamente e, nessa condição, acredito que sim; sem egoismos, sem maldades, sem sentimentos de posse… Também cogito que o orgasmo deverá durar horas e até dias, a final, não é o prazer, o sentido da existência?…rsrsrsr.

  17. Shirley,

    Quando me referi aos insetos citados, referi apenas à possibilidade de usarmos os genes determinantes do senso de coletividade, solidariedade e espírito de equipe… Nada mais que isso…

    Abraço.

  18. Shirley, você disse:

    ((( Quando falei dos limites da Física, me referia especificamente aos limites do nosso organismo. É possível que em algum momento do futuro esses limites possam ser contornados, permitindo as tais viagens intergalácticas? Possível até pode ser. Não significa que vai acontecer, necessariamente.)))

    Penso que só é possível conceber as viagens intergalácticas a partir do momento que formos capazes de nos desmaterializarmos em um lugar e voltarmos à matéria novamente, de forma voluntária, em outro lugar. Só assim, poderemos viajar na condição de energia quântica, à velocidade da luz, de um sistema solar pra outro ou de uma galáxia pra outra… Dai a importância do conhecimento e do domínio da física quântica e das tecnologias e outros conhecimentos relacionados…

    (((Possível até pode ser. Não significa que vai acontecer, necessariamente.)))

    Não podemos esquecer uma característica determinante da evolução humana, a CURIOSIDADE e a INTELIGÊNCIA. Sempre fomos movidos por elas. Elas, nos fez atravessar eras glaciais; transpor montanhas e vales; florestas e desertos; atravessar oceanos e ocupar os cinco continentes do planeta sem nenhuma tecnologia ou conhecimento disponível… Movidos somente pelo desejo avassalador de desvelar o desconhecido e o novo…

    Assim, minha cara Shirley, continuamos, porém, com uma diferença estupenda, descobrimos e aprendemos a construir uma ferramenta indispensável e determinante para o sucesso da saga evolutiva, o CONHECIMENTO… De posse dele, hoje, saímos das cavernas e habitamos o espaço, afinal, já conquistamos os ares, a Lua e estamos em Marte. Isso é só o começo. As galáxias nos aguardam, conquistaremos o cosmos, da mesma forma que conquistamos a terra.
    Pode ter certeza absoluta disso…

    Isto é fé? Sim é, mas também é a percepção de uma realidade evidenciada pela antropologia e pela história dessa humanidade heroica e fantástica, construtora da sua própria imortalidade, e do seu status de “Deus”, destinada a ser como aqueles que estão por trás da nossa odisseia terrena…

    Abraço.

  19. Fernando, a média de visitas se mantém, mas, de fato, os crentes não se sentiram incomodados pelas minhas “filosofias”. Na verdade, eu não estava escrevendo pra eles, então…rsrsrs Quanto aos temas mais pesados, eu não faço de propósito. É apenas a ideia que vem de algum pensamento cristão imbecil, equivocado e tolo sobre o mundo que me inspira a escrever coisas que eles detestam, justamente porque mostram como seu pensamento é imbecil, equivocado e tolo.

    Abraço.

  20. “Deus não deixa você fazer nada que proporcione prazer ou satisfação física porque, em seu ego inflado, acreditar Nele já deveria ser motivo suficiente de felicidade e realização na vida. Todo o resto é inútil e pecaminoso. Na verdade, você não pode sequer OLHAR para uma mulher com desejo, pois já está pecando. Se duvida, pode consultar a Bíblia: Eu, porém, vos digo: todo aquele que lançar um olhar de cobiça para uma mulher já adulterou com ela em seu coração. (Matheus 05:28).”

    http://outrasverdadesinconvenientes.blogspot.com.br/2011/12/meu-heroi-biblico-preferido.html

  21. “Deus não deixa você fazer nada que proporcione prazer ou satisfação física porque, em seu ego inflado, acreditar Nele já deveria ser motivo suficiente de felicidade e realização na vida. Todo o resto é inútil e pecaminoso. Na verdade, você não pode sequer OLHAR para uma mulher com desejo, pois já está pecando. Se duvida, pode consultar a Bíblia: Eu, porém, vos digo: todo aquele que lançar um olhar de cobiça para uma mulher já adulterou com ela em seu coração. (Matheus 05:28).”

    http://outrasverdadesinconvenientes.blogspot.com.br/2011/12/meu-heroi-biblico-preferido.html

  22. Com quem será que o Adriano e o Carlos Eduardo estão falando…?

  23. Legal heim Carlos esse seu blog (nesse link)

  24. oi, Shirley. vc continua otima em suas respostas, adorei aquela historia sobre o homem ser um “cupim” do universo.
    sobre o “conhecimento absoluto” do nosso amigo ai, já tive esses delirios tambemn, tem muito a ver com a doutrina espirita, que prega que nos vamos evoluir ate chegar a ser “deus” tambem! – eles ate tem uma contagem de tempo para isso, bem maior do que o do nosso amigo Antonio. Falta cerca de 2 bilhoes de anos Shirley para voce ser rainha de um universo só seu que voce vai poder criar com seus megas poderes e conhecimento absoluto.
    Segundo psicografias estamos na metade do caminho da nossa jornada, voce ainda vai ter que reencarnar milhoes e milhoes de anos para chegar ao nivel de Jesus, que segundo os espiritas é o governador do nosso planeta e desta galaxia, as outras galaxias tem outros representantes para esta finalidade, é engraçado que jesus é tido como o governador e nao Alá, e Buda é um auxiliar de Jesus: tipo empregado – um gerente da empresa celeste. alguem arriscaria uma hipotese para isso ser com este tipo de hierarquia?
    Olha que viagem,; segundo o espiritismo nós vivemos no reino mineral, depois vegetal e agora no animal, a partir dai tomamos consciencia da nossa existencia e evoluiremos até o nosso galardão supremo – o conhecimento absoluto e nos tornaremos uma especie de Deus!
    sem ter mais o que fazer afinal saberemos de tudo, criaremos outros mundos e seres e daremos a esses organismos vivos a mesma dádiva que nos foi dada, a de ascender até o conhecimento absol…..
    e assim vai!
    o espiritismo criou essa logica e essa seguencia ad infinitum como alternativa para escapar da questao de: como fica esses montes de DEUSES NO UNIVERSO? NAO FICA, ELES VAO PARA OUTRO!
    REALMENTE IGUAIS CUPINS! —————– cUPINS CElestes!

  25. Greg, (anônimo)

    Desculpe a demora para responde-lo…

    Você disse, referindo-se aos espíritas…

    “””Olha que viagem: segundo o espiritismo nós vivemos no reino mineral, depois vegetal e agora no animal, a partir dai tomamos consciencia da nossa existencia e evoluiremos até o nosso galardão supremo – o conhecimento absoluto e nos tornaremos uma especie de Deus!”””

    Honestamente, não conheço a doutrina espírita a fundo, mas, o suficiente para achar que ela é mais coerente que a de vocês ateus, ou que a do cristianismo, por exemplo… Entretanto, afirmações como essa sobre a nossa relação com o reino mineral, vegetal e animal não desce mesmo, é muito “quadrada” pra engolir…

    Agora, aproveitar as qualidades genéticas de uma espécie, no genoma de outra, já é realidade há algum tempo… Vai ser, no futuro da humanidade, a solução para dezenas de problemas como as doenças humanas, as doenças dos vegetais que são alimentos, enfim o intercâmbio de qualidades genéticas de uma espécie pra outra, não é ficção é realidade, hoje.

    Qual é o motivo pelo qual você tá dando apoio à piadinha da shirley?
    Se os genes das características físicas podem ser trocados entre as espécies, o que faz vocês dois pensarem que os genes determinantes dos comportamentos (egoísmo, ódio, solidariedade, coletividade), também, não poderão ser trocados, no futuro?…

    Seriam vocês dois, analfabetos em genética?

    Particularmente, não acredito nessa hipótese, assim, qual o motivo da piada?

  26. […] Parte 12 […]

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: