“To be or not to be” (page two)

J.

Eu li com bastante atenção o seu e-mail e ponderei muito, não sobre qual seria a resposta a te dar, mas se eu saberia responder. Acabei chegando à conclusão de que não, eu não saberia te responder. Talvez seja porque eu nunca precisei dar conselhos a ninguém, talvez seja porque eu sou grosso mesmo, enfim… Motivo não falta. Portanto, fica por sua conta e risco continuar lendo a partir desse ponto.

Bom, a parte mais fácil você já fez sozinho, que é admitir que Deus é um personagem idiota de um livro idiota. A parte difícil seria, no caso, decidir se você deve deixar toda essa idiotice para trás e ir viver sua vida. Isso, claro, é só você que pode resolver. A questão toda aqui é o velho cabo de guerra de custo benefício. Como eu não posso fazer essa conta pra ti, ou seja, como não tenho condição de dizer se os custos de continuar compartilhando essa tolice valem os prazeres que você obtém com ela, vou apenas te passar um pouco da minha própria experiência. Às vezes ajuda saber como uma pessoa se deu bem, ou como ela se fudeu. Desculpe o palavrão, mas, ultimamente, sempre que eu falo sobre religião me tem baixado o espírito da Dercy Gonçalves.

Eu não tive exatamente o mesmo problema que você, porque meus pais são crentes de manada. O crente de manada, diferentemente do crente de programa, tá só seguindo o rebanho. Meio que por curiosidade, meio por estar sendo empurrado, meio porque não tem mesmo mais outro lugar pra ir. Entende?

Pois bem. Quando chegou a hora, eu não passei por esse estresse de falar pros meus pais a verdade: Deus é tão real quanto o Papai Noel. Por falar nisso, quando eu era criança, a gente nunca teve essa de cultuar o Natal, fazer jantar chique, com árvore iluminada, presentes e tudo o mais. Em parte porque a gente era uns fudidos, mas… Ups! Desculpe. De novo.

Mas, enfim. Eu não tive problema pra contar que achava que essa idiotice de Deus, Jesus, Inferno e pecado era exatamente isso: uma idiotice. Mas tive que avaliar, como você, as coisas boas que, eventualmente, eu perderia no processo. Eu coloquei no plural, mas era uma única “coisa boa”: garotas!

Se Deus serve para alguma coisa, eu posso te garantir que é pra fazer um rapaz solteiro encontrar garotas bonitas pra transar. E como mocinhas religiosas acham que Deus perdoa sempre, e perdoa tudo, elas costumavam ser as mais liberais, se é que você me entende…

Então eu estava nessa crise de achar que não teria mais acesso àquele monte de mulher, se começasse a dizer pra todo mundo que era ateu. Mas, felizmente, isso não se revelou um problema.

Eu morei dezessete anos longe da minha família, ora dividindo apartamento com colegas de trabalho, ora morando sozinho mesmo, numa capital do Nordeste que parece que tem uma porra de uma igreja em cada esquina. Menino! Você não faz ideia! Nessa época, eu mesmo me apelidei de vampiro, que era até meu nick nas salas de bate-papo do UOL. E por quê? Porque eu me sentia um predador. Quando estava com “fome”, vestia uma roupa de grife, botava uma Bíblia enorme debaixo do sovaco e entrava no culto mais promissor.

Entrava é modo de dizer, porque, na verdade, eu escolhia um daqueles cultos de subúrbio bem lotados, em que houvesse adolescentes do lado de fora. Acredite ou não, de cada dez tentativas, digamos, uma dava certo e eu acabava levando uma princesinha pro meu apartamento, pra fazer ela estourar a cota de pecados de uma vida em duas horas. Pode parecer muito dez investidas, mas eu vi no Discovery que os guepardos só se dão bem em vinte por cento das vezes, e olha que um guepardo corre pra caralho. Eu não: os cultos eram, como eu disse, quase um por esquina, e eu ia sempre caminhando.

Então, foi isso. Pra mim, me livrar dessa crença em seres invisíveis, ridículos e inúteis, como Deus e Papai Noel, nunca me trouxe problemas. Mas como sempre cada caso é um caso, você vai precisar pôr na balança se os benefícios compensarão os custos. Se não compensarem, no seu caso, aí você pode continuar vivendo sua vida confortavelmente ajustando a sua mentira pessoal a todas as mentiras inventadas, ensinadas e cultuadas pela religião.

Boa sorte, amado. 

guepardo

Anúncios

53 Respostas

  1. O quanto tem gente diferente de você (B.), que nunca precisou “se dar bem” enganando meninas, dentro ou fora de igrejas. Caráter não é crença que dá, nem para se uma pessoa honesta sem-crença é preciso perder o caráter para ganhar “garotas”. Garotas crentes são interesseiras, falsas, e muitas não-crentes são também assim, mas as melhores em tudo, são honestas consigo mesmas e com os caras, pobres ou não, e correm de cafajestes (que são legais só nos cinemas, e nas vidinhas de fachada de meia-tijela). Homens “ensinam” um pouco, ou bastante, uma garota a viver; a ponto de sozinhas escolherem o melhor para elas.
    Já pensaram numa coisa também?
    “Se o “deuzinho” ficou putinho com própria mulher que “criou” pro filhote robot dele, como ainda nessas igrejas evangélicas o pastuto vai dizer que é esse “deusinho” que vai escolher a mulher e o homem um pra o outro. Façam-me o favor. Saiam de cima da vida alheia das pessoas” (Honinha).

  2. Se essa história toda de vampiro não for um tremendo conto da carochinha (por que é o que parece !), então você investiu um bom tempo da sua vida se aproveitando da fé alheia para “se dar bem”

    Qual a diferença entre você e um Malafaia ?

    Nunca senti tanta vergonha alheia…

  3. Barros meu amigo

    Me parece que você faz uma generalização perniciosa. Não sei claro com que tipos de meninas você andou e não é isso que importa aqui.
    Do que tenho observado ao longo da vida, as moças, de modo geral, que seguem a religião católica não adotam a atitude consciente de que podem fazer tudo e no fim “Deus” perdoa. Menos ainda aquelas das religiões protestantes, que não têm o confessionário como parte dos ritos.
    O que acontece é que as religiões tentam de todas as formas inibir a sexualidade,principalmente das mulheres, tanto o impulso quanto o exercício e é claro que não dá certo. Ou você tem mulheres frustradas ou tem mulheres frustradas.
    Num caso,são frustradas porque ao tentarem obedecer a religião
    nunca se realizam sexualmente na plenitude possível.
    No outro caso, se desobedecem a religião, se sentem culpadas e nunca aproveitam realmente sua vida sexual.
    Além do quê, tudo aquilo que é proibido é muito mais tentador e é espantoso que os “líderes” religiosos não entendam isso.

  4. Religião é um instrumento de controle. E como saber se o controle está efetivamente surtindo efeito? Simples: crie certas regras, por mais imbecis ou inúteis que sejam, e veja se as pessoas estão seguindo. Tipo: não corte o cabelo, não use saia curta, não use maquiagem, etc. Se as pessoas seguem essas regras, elas vão fazer tudo o mais que você mandar. Dar dinheiro pra Deus, principalmente.

  5. qual a diferença entre o Barros e o Malafaia?
    Com o Barros as garotas nao precisavam pagar o dizimo para dar o rabicó!
    A verdade tem que ser dita: Se nao foi estrupo ; DeuS porque quis!
    Nao venha com essa estoria de que a pobre crente foi ate o apartamento de um homem enganada e nao queria fazer nada!
    Só orar!
    Me polpe!

  6. Coming back, Strodrigo?

    Não tinha visto seu comentário. Você misturou as estações. Uma coisa seria a motivação e a intenção do Barros nesse caso de ‘aventuras amorosas’, outra a disposição das garotas para aceder ou não a elas.
    O Greg expõe a coisa essencial na atitude delas, porque veja,
    é forçar a mão dizer que o Barros se aproveitou da fé de alguém; só seria o caso se ele tivesse se apresentado como “Deus” e convencido as meninas que transando com ele elas estariam fazendo a vontade divina.
    Quanto a diferenças entre um Barros e um Malafaia…
    Não cabe nem começar a comparação, porque não há termos de comparação. Novamente você forçou a mão.
    Para alguém que pretendeu aparentar uma isenção de ânimo olímpica você está voando meio ao rés do chão, hein?

  7. ssrodrigues,

    Eu de fato havia dito que não pretendia comentar mais, mas não que não pretendia mais visitar o site. De qualquer forma você tem razão, pois pisei na minha palavra ao comentar novamente e de maneira emocional ainda por cima. Porém, sinto que você está sempre esperando para me “puxar pela perna”, sempre esperando uma suposta contradição, simplesmente (isso é uma suposição minha) porque cheguei aqui no blog dando um certo “sermão” acerca de respeito e parcimônia no discurso. Como você parece ter confundido as coisas, e você parece ser uma das poucas pessoas com quem é possível ter uma conversa de fato racional e educada aqui, acho que vale apena “me defender”. Pois bem vamos por partes.

    Sobre não comentar mais…

    “1- Eu comuniquei que não pretendia mais comentar, mas continuo frequentando o site regularmente. Estou escrevendo em colaboração com mais dois amigos, um livro sobre moralidade secular e o fenômeno do “novo ateísmo” no Brasil. Estamos em processo de coleta de material para análise e venho visitando vários fóruns e blogs sobre o tema que de maneira direta ou indireta fazem referência ao trabalho dos “4 Horseman”. Sempre acabo interagindo com os membros para sondar os principais temas do livro e medir o nível de conhecimento acadêmico dos membros ativos sobre ateísmo no meio acadêmico e moralidade secular, e aqui não foi diferente, Como já havia afirmado antes, o fato de eu ser capaz de identificar um erro, não me torna incapaz de comete-lo. E mesmo que eu o cometa, ainda sim, continua sendo um erro”

    Sobre confundir respeito com “isenção de ânimo”.

    “2 – Quando cheguei eu não pretendi aparentar absolutamente nada, além de um novo usuário. Eu apenas defendi uma ideia muito simples até. Acho que você ainda não a entendeu, e dessa vez vou torna-la ainda mais clara, se não funcionar, paciência. Pois bem, eu jamais me coloquei na posição de ultra-moderado (emocionalmente) embora não tenha nenhuma dúvida que em termos de parcimônia, não tenho muitas pessoas por aqui a quem eu possa usar como inspiração.

    Eu apenas defendi o seguinte argumento :

    Suponha que eu e você estamos em discordância sobre qualquer assunto. Comunismo x Capitalismo por exemplo. E suponha também que você é pró comunismo e eu quero discursar sobre porque não acredito no comunismo e o que vejo de errado nele ( academicamente falando). A postura mais insensata que eu poderia tomar seria assumir que você é burra por defender o comunismo e construir todo meu discurso em cima disso. O Barros e outros aqui já declararam que não acreditam que valha a pena dialogar com religiosos e o que eles querem é esculhambar com a religiosidade alheia mesmo. Por essa postura eu jamais injuriei e ataquei nem a pessoa do Barros nem qualquer outra. Acredito que é de bom tom, criticar as convicções alheias com respeito,pois toda convicção tem um motivo e uma história e foi isso que defendi.”

    Sobre eu também comentar com emoção

    “3- Existe uma grande distância em criticar crenças sinceras e os atos deliberados de alguém. Se você dá todo mês, 10% dos seus rendimentos a uma instituição religiosa, acreditando sinceramente que está fazendo algo positivo, penso que devemos sim critica-lo e informa-lo sobre seu equívoco, mas com respeito. Se você se comporta como um canalha, sabendo exatamente o que estava fazendo, você deu “/quit” no jogo da moral e ética em sociedade e abriu mão do respeito, seja você religioso ou não. Fingir ser alguém que você não é e defender idéias que você não acredita para estabelecer uma relação de confiança e conduzir outros a um comportamento que lhe seja interessante, é um ato deliberado de canalhice e não uma “aventura amorosa”. Se você assume essa tática para convencer outros a pagar o dízimo ou dormir com você é apenas uma questão de gostar mais de sexo ou de dinheiro.

    “A verdade tem que ser dita: Se nao foi estrupo ; DeuS porque quis!”

    As pessoas também dão o Dízimo voluntariamente ( por isso mesmo não se configura crime. Infelizmente !). Convencer outras pessoas de algo que você próprio sabe não ser verdade é um ato extremamente anti-ético e que tem nome : aliciamento. A frase está invertida :

    Quis dar, porque acreditou no que ouviu. Ou seja tomou uma decisão sim. mas baseada em falsas informações, que foram fornecidas deliberadamente.

    ” é forçar a mão dizer que o Barros se aproveitou da fé de alguém; só seria o caso se ele tivesse se apresentado como “Deus” e convencido as meninas que transando com ele elas estariam
    fazendo a vontade divina.”

    Até onde eu saiba, Malafaia ou Feliciano, nunca se apresentaram como Deus ( até porquê se o fizessem, muito poucos acreditariam. Não é a toa que o Inri Cristo tem algumas dezenas de seguidores fiéis e o Malafaia tem milhões). É lamentável que você como mulher seja capaz de defende-lo até nisso, simplesmente por ser o dono do site. Defender “o líder” sem olhar crítico, é exatamente o tipo de coisa que se vê em religião. Defender o indefensável, em nome da causa.

    “Entrava é modo de dizer, porque, na verdade, eu escolhia um daqueles cultos de subúrbio bem lotados, em que houvesse adolescentes do lado de fora.”

    Adolescentes, Shirley ! Adolescentes ! O nome disso é aliciamento de menores !

    Se fosse a sua filha, e alguém contasse uma lorota para convence-la a ir pra cama, tenho certeza que não faria muita diferença pra você se a lorota foi “colocar uma bíblia debaixo do braço” ou uma promessa de dinheiro ou presentes. Crianças e adolescentes, são sugestionáveis e é por isso que existe o conceito de maioridade penal.

    Sou um ser humano tão passível de emoções como qualquer outro e ler isso me causou profunda repugnância. Na minha opinião, o maior horror que as religiões representam , são a sua capacidade de convencer pessoas boas e honestas a cometerem atos que beiram a psicose com total convicção de estarem promovendo o bem. Mas ver alguém que “conhece a verdade” e ainda sim é capaz de praticar um ato que requer tanta pobreza de espírito é desolador e uma amostra que ser “resgatado” da religião não é o suficiente.

    É graças a pessoas assim, que o boato de que “Quem não acredita em Deus, também não acredita em moral e ética” ainda vive em nossa sociedade.

    Aos interessados em adquirir mais conhecimento sobre ateísmo e moralidade, recomendo o fórum.

    ateus.net

    Onde não tenho a menor participação, mas classifico como o melhor site, em termos de conteúdo, sobre o tema.

    Espero ter sido bem sucedido em esclarecer o mal entendido. Pois confesso que tenho uma certa admiração por você e pelo membro Saracura.

    Um abraço.

  8. Adolescentes, Shirley ! Adolescentes ! O nome disso é aliciamento de menores !

    O cara acha que garotas de 17, 18, 19 anos, no Brasil, são todas virgens, e precisam ser protegidas pela sociedade, por força de lei, de criminosos aliciadores como eu, que querem ludibriá-las para levá-las a um motel barato… Tadinhas delas… Tão inocentes…

    Ou o cara é muito “falsa-moral” ou não bota a cabeça pra fora do quarto desde os meados do século passado, época em que o Código Penal recebeu sua última revisão e quando, de fato, era menos comum garotas de 17, 18, 19 anos transarem…

    Só lamento…

  9. ?

  10. Sr. Strodrigo não adianta voce querer ser o defensor dos frascos e comprimidos; porque a pessoa só aprende se fufu.
    Ja ouviu falar que : Cruel professor é a vida, primeiro da o teste depois ensina.
    Ta certissimo o Barros; passa o rodooooooo
    E vou usar sua idéia Strodrigues; vou falar que sou enviado de Deus e passar o rodo tb (ja vi isso acontecer aos montes e as cetenas; a pastorzada passa o rodooooo)
    Do jeito qeu crente é burro e abestado (ignorante e mongoloide)
    vai ser facil!! passa o rodooooo

  11. Strodrigo

    1 – Não é que esteja ” sempre esperando para te “puxar pela perna”; o caso é que continuo vendo o que me despertou a atenção desde o início.
    Você parece movido mais por algo ou alguém que te despertou antipatia aqui do que pelos motivos que você dá.
    Esses motivos seriam cabíveis se este fosse um site militante, o que não é o caso. Ou pelo menos é a forte impressão que tenho. As pessoas que comentam aqui (ateias) de modo geral não parecem estar empenhadas em mudar o mundo; esse espaço funciona mais como uma “penseira” (é, eu li Harry Potter e gostei, por sinal), como uma forma de expressar nossas perplexidades e indignações. E sim , ocorrem exageros, que seriam inadmissíveis se o objetivo fosse o diálogo ou debate, ou pretensão de convencer as pessoas a serem ateias. Essa compreensão de como as coisas funcionam aqui parece te escapar e talvez isso ocorra devido a já mencionada antipatia.
    Perceba que não estou afirmando isso taxativamente, é a impressão que tenho. Você poderia ter dito as mesmas coisas num outro tom e usando uma outra escolha de palavras e assim não passaria essa impressão, não direi hostil, mas áspera.

    2 – Sobre respeitar as convicções alheias. Falo apenas por mim aqui. Eu entendo a necessidade de crença das pessoas e nem discuto, claro, sobre o direito a tê-las mas serei sincera, não sinto o menor respeito pela crença em si, por seus objetos e finalidades. Posso dizer que sua postura me incomodou nesse ponto pela seguinte razão: sendo incapaz de respeitar ou entender crenças etc, e por ter sido e continuar sendo julgada negativamente em função de uma coisa que não depende da minha vontade,vale dizer, nunca esteve em mim a capacidade de sequer começar a entender coisas como fé e crença, acabei por desenvolver um certo menosprezo pela pessoa que crê, e como esse é um aspecto do lado feio da minha personalidade, vê-lo assim exposto não foi agradável…

    3 – Entendo que você está se referindo ao comportamento do Barros conforme ele o descreveu. O que achei de equivocado na postura dele, referi diretamente a ele.
    Fiz um uso proposital de dois termos, Deus e convencimento. Deus, porque seria o argumento de autoridade indiscutível; convencimento porque ele, Barros, não poderia dizer que era Deus, simplesmente, mas convencer alguma moça disso.
    Meu raciocínio é esse: quem tem o compromisso maior num caso assim, de evitar o erro? Certamente que não é o Barros, que não está compromissado com Deus, dogmas, regras religiosas. O que ele tenha feito, mesmo não sendo correto, deverá ser visto como uma questão entre ele e a consciência dele.
    Sua alegação de que ele teria estabelecido uma relação de confiança com propósitos escusos na verdade só agrava a situação de uma moça que nessas circunstâncias específicas tenha aceitado ir para a cama com um desconhecido, e não estou dizendo que transar com um desconhecido é algo imoral.
    Se os valores religiosos dessa moça dizem que sexo descompromissado é errado; se ela permanece adepta da religião que dita essa regra; se está num ambiente cujo propósito é adorar, louvar ou o que seja o inspirador das regras pelas quais vive; e ela aceita infringir tais regras com alguém que acaba de conhecer, é ela quem incorre no erro maior, já que é ela quem está empenhada num compromisso.
    Barros não é meu líder, nem figurativamente falando, Rodrigo. E não tenho que defendê-lo, não sou mãe ou pessoa próxima, diretamente interessada no comportamento dele e nas consequências desse comportamento. Repito, isso é entre ele e a consciência dele.
    Eu me atenho à lógica dos fatos. Ademais, a menos que tenha deixado passar algo aqui no blog, não me lembro de ter lido alguma afirmação do Barros acerca de que ser ateu o impede de cometer atos questionáveis.
    Sobre aliciamento de menores. Depende de que idade você está falando.
    Se minha filha de nove anos me disser que teve qualquer contato sexual com um homem, vou acionar a lei, por entender que uma violência foi cometida.
    Se minha filha de 16 anos me disser que teve uma noite de sexo casual com um desconhecido, vou perguntar se ela se protegeu e farei considerações sobre o perigo de se expor a situações de risco como seja aceitar ir transar com um desconhecido. Vai saber se ele não é algum psicopata?
    Se ela me disser que foi induzida por meio de alguma mentira, direi a ela que respeite minha inteligência. Uma moça de 15, 16, 17 anos, tem perfeita noção do que está fazendo.
    Devo agora discordar profundamente de você. Não é, de forma alguma, por comportamentos desse gênero que ateus são vistos como desprovidos de moral e ética. Equivale a dizer que somente ateus têm comportamentos antiéticos e imorais.
    Esse tipo de argumento serve apenas como forma consciente de atacar pessoas que não creem em deuses, como forma de desqualificá-las, de tentar fazê-las ser vistas como menos que humanas.
    Que um ateu faça eco a tal despropósito é incompreensível.
    Você é algo relativamente raro nesses dias que correm. É jovem, instruído, com capacidade de articular seus pensamentos, usa com muita propriedade a língua portuguesa, coisa que eu pessoalmente prezo muito. Mas parece preso de uma espécie de respeito obsequioso não tanto pelas pessoas que creem, mas pela crença em si. Vestígios talvez de um anterior período como crente.
    Apenas, Rodrigo, tenha alguma cautela em não adotar como seus posicionamentos danosos.

  12. Passa o rodo malandro!
    se quiser ajuda to dentro! – acho que vou dar um passeio pelo Nordeste
    Oh Meu Rei!

    Num trecho da resposta da perfeccionista Shirley está muito bem colocado!
    Criança é uma coisa e Menores de idade sao ;
    ====Uma moça de 15, 16, 17 anos, tem perfeita noção do que está fazendo.
    Concordo. Se um pilantra mata uma pessoa, um ente querido seu! e ele tiver 17 anos – vc nao vai querer ele solto nas ruas rindo da sus cara e cometendo crime novamente. Sao esses pensamentos de imbecis de defender os falsos oprimidos que bandidos altamente perigosos que infelizmente sao considerados de menores , indefesos, e intocaveis que a criminalidade dos pais esta assim, a nivel alarmante!
    Como houve no caso do sujeito de 17 anos que faria 18 tres dias depois que matou um jovem para roubar um celular! – tirou a vida do cara e desgraçou a familia, o pai disse que a vida dele acabou! isso em SP. Passou na tv pra todo o mundo ver!

    Pensa o seguinte : se a sua filha ou irma com uns 21 anos de idade for estuprada por um cara de 16, voce vai defende-lo tambem?? tadinho ele é de menor , nao sabe o que fazer, deu vontade de trepar, entao fez o que fez, melhor deixar ele solto na rua, quem sabe ele se arrepende e ve o erro que cometeu???!!

    Se o Barros tivesse violentado alguem, todos aqui condenariam, ´pode ter certeza, mas se foi consensual, na logica , nao há problema! se fazer sexo com gente de menor – abaixo dos 18 , resultar em prisao a todos, a cadeia vai estar cheia de gente boa e os bandidos na rua, metade dos homens desse pais vao estar no xadrez!

    E vou te dizer mais, tem menina de 12 , 13 anos aliciando homens, doidinhas pra dar, eu mesmo já passei por essa situaçao! – se quisesse comia, mas nao quis; fui ver um filme na casa da garota e quando ficou so nos dois, ela deveria saber que na hora nao tinha ninguem, eu nem percebi, elA chegou perto e me deu um beijo.
    Nao a destratei, afinal ninguem brigaria com a pessoa neste caso, pode ser um ato de amor, Paixao – cabeça de pre=adolescente, nao arrumei confusao e nem contei para o pai dela que é conhecido meu e muito amigo da minha avô.
    Simplesmente nao continuei a situaçao, depois ela pediu desculpas e tal, falou que foi impulsiva e tal, deixei pra lá, fingi que nada aconteceu e continuamos vendo o filme, nao quis constrange-la também!
    Moral da historia: com o passar de alguns dias ela ficou puta comigo, em parte porque continuei no relacionamento com a minha namorada e isso fere o ego de uma mulher que esta na disputa pelo cara. Em parte talvez porque ela quisesse algo mais que eu nao dei, e ela ficou puta, ofendida sei lá, tipo: o que essa ai tem que eu nao tenho, alem do mais as duas eram da raça negra e sei que isso gerou um certo ciume, pois com a minha namorada eu tinha relaçao, so que ela era da minha idade , uns vinte e poucos anos a outra como eu disse, uns 15 anos mais nova e com 13!! Me deu alguns problemas essa menina e ela nao olha pra minha cara hoje em dia!
    Sorte minha ; ou dela, nao sei —– srsrsrrsrsrsrsrssr!

  13. [ Shirley e Greg ]

    “2 – Sobre respeitar as convicções alheias.”

    Essa é o nó que até agora não consegui desatar ! Não é respeitar as convicções ! É respeitar a pessoa que as possui ! É saber criticar as convicções que outro tem sem precisar ofende-lo. Eu tenho sim muito respeito por religiosos (ou não religiosos) que fazem por merecer o respeito ( o que não era o caso das “adolescentes” de 18, 19 anos do conto do Barros).

    O nível de respeito que um indivíduo merece, se mede pelos seus atos e não pelas suas convicções.

    -A fructibus eorum cognoscetis eos-

    Se um indivíduo acredita em idéias que eu considero ridículas, eu posso ( e devo) alerta-lo e criticar suas convicções, sem a intenção deliberada de ofender sua pessoa ou sua honra. Foi isso que eu tentei “professar” desde o início.

    “Meu raciocínio é esse: quem tem o compromisso maior num caso assim, de evitar o erro?”

    Bem, isso é sem dúvida uma questão de opinião, mas deixe lhe propor um ponto de vista diferente :

    Um indivíduo que sinceramente crê e segue a moralidade cristã, leva uma vida bastante restritiva (o que quase sempre leva a uma maturidade cheia de frustrações, inclusive sexuais), mas ainda sim um dos dogmas centrais do cristianismo ( e também um dos mais perigosos) é o do perdão divino. Do ponto de vista cristão, se você louva a Deus e o reconhece como senhor supremo da sua vida, você pode pisar na bola indefinidas vezes e será sempre perdoado. Além do mais, tudo o que importa é ser salvo e o que acontece durante essa vida é secundário. Do ponto de vista ateu, não temos nenhum pai celeste olhando por nós e a vida que temos é uma só.

    Comparando as duas perspectivas, de que indivíduo se espera atitudes mais sensatas e uma maior responsabilidade sobre as consequências das próprias atitudes ?

    É o que eu já havia dito antes, esse é o verdadeiro horror da religião. Ela é capaz de convencer o indivíduo a fazer escolhas ridículas e irresponsáveis sem a menor culpa. Por isso mesmo, tento não perder nenhuma oportunidade de dialogar racionalmente com religiosos e conduzi-los a pensar com senso crítico sob suas próprias convicções.

    De qualquer forma, vocês parecem não ter entendido que o problema central A imoralidade não está em fazer sexo com menores (quando é consensual e ambos são maduros o suficiente para lidar com as consequências) ! Isso é mais que óbvio !

    O imoral é ser capaz de fingir acreditar em coisas que você não acredita (e até repudia) ou fingir ser alguém que você não é, para conseguir o que quer. ! É sobre essa inescrupulosidade que caiu a minha repugnância !

    Se você admira essa capacidade Greg você deve repensar antes de criticar nossos políticos, pois é assim que eles operam boa parte do tempo.

    Se não há nenhum problema em fingir ser “crente” para conseguir levar “crentes” ( de meia tigela) para cama, qual seria o problema em fingir ser crente para : pedir votos, pedir dinheiro, etc ?

    ——————————–//——-//——-//——————————–

    Eu sinceramente não havia desenvolvido antipatia por nenhum membro até então… O que me motivou de verdade a comentar foi ver o enorme volume de acessos e postagens combinado com os debates aqui levantados.

    Mas de fato Shirley, você tem razão quando diz falhei terrivelmente em entender como “as coisas funcionam por aqui”. Achei que muitos estavam “presos” num loop, nessa primeira fase do ateísmo onde sentimos raiva da religião e de quem não entende que tem algo muito errado com ela. A maioria estar aqui por gostar dessa fase e não querer sair dela.

    Ita Fiat !

  14. Rodrigo
    Os politicos so agem desta forma por causa da religiao e essa corrente religiosa espiritualista que rodeia este pais!
    Questao da subserviência ja instalada pela religiao a seculos e que encontra na politica uma boa parceira para criar uma dependencia social.
    Repare na similaridade: Voce deve orar e pedir a Deus – proteçao, saude etc. com o Estado funciona da mesma forma, temos que implorar , nos humilhar, por menos impostos, menos juros, menos corrupçao e por ai vai! como se fosse um favor o que o Estado nos oferece e quando oferece alguma coisa.
    Neste ponto é que entra a velha historia do Deus mafioso: A mafia de cobra por proteçao, Deus te cobra por proteçao, segundo as religioe;, e o Estado te cobra por proteçao e por muitas outras coisas, como se já nao fosse obrigaçao do Estado oferecer bem estar social.
    No Brasil funciona assim o Estado dá a esmola atraves de prefeitos, governadores e o pessoal de brasilia, o povo sem alternativa aceita o que tem e continua sendo enganado.

    Resumo: Lei numero 1 do pais —- CRIAR DIFICULDADE PARA PODER VENDER FACILIDADE!!!
    ESSE DEVERIA SER O NOSSO ARTIGO 1 DA CONSTITUIÇAO
    Tantas coisas erradas neste mundo e neste pais e voce esta preocupado demais com a vida sexual de garotas de 16, 17, 18 anos
    Voce esta se comportando igual crente, aposto que voce foi um daqueles bem fervorosos e ainda esta todo ferido com os castigos que a religiao te impôs!!

  15. Achei que tinha deixado bem claro que a questão não era a vida sexual de ninguém, quando disse :

    “A imoralidade não está em fazer sexo com menores (quando é consensual e ambos são maduros o suficiente para lidar com as consequências) ! Isso é mais que óbvio !”

    Aparentemente não !

    Já que você visivelmente não leu tudo que eu escrevi, vou perguntar diretamente para facilitar sua vida !

    Você considera correto, fingir ser alguém que não é ou defender idéias que você na verdade repudia para conseguir alguma coisa ?

    Não importa o que você está tentando conseguir : atenção, amigos, dinheiro, sexo, fama. Você considera ético, fingir que acredita em algo (que no fundo você considera repugnante) para conseguir algo em troca ?

  16. Uma coisa é ser enganado = e outra é deixa-se ser enganado!
    No mundo sempre existirão atores na vida real. Basta as pessoas ficarem mais espertas e nao se deixarem iludir.
    Tem gente que ganha a vida fingindo o que nao sao para as outras pessoas Rodrigo. o nome disso é: ATORES.
    Quem quiser acreditar que acredite; isso faz parte inevitavelmente da seleçao Natural das Especies.
    Ninguem chega para conquistar uma pessoa e poder ter relaçao com ela só falando verdades Rodrigo. Se bobear as pobres meninas do conto do Barros devem ate ter dito que eram virgens e nao sabiam nada da coisa. e outra coisa nem sabemos o que o Barros falou para elas nesta historia, voce é que está supondo muitas coisas.

    A vida nao é um passeio num bosque florido e cheio de frutas.
    Talvez essas meninas estavam ali para isso, arrumar homem e ser feliz.
    Tem muita coisa pior e mais seria neste mundo acontecendo.
    O ponto central , o cerne da questao é o seguinte! elas foram violentadas? NAo. Solta o Barros e vida que segue.

  17. Nossa, é tão difícil dizer sim ou não ?

  18. KKKKKKKKKKK; Rodrigão é gente boa.

    Não esquenta a cabeça com isso não Rodrigo; teve uam vez que o Barros pos um aestória aqui e começamos a discutir sobre o assunto e no fim qeu fomos ver que era um personagem do Barros, ele apronta dessas as vezes pra polemizar.
    Mas deixa eu contar uma coisa pra voce; ja qeu o vejo muito moralista com relação a sexo.
    Houve época que eu entrei nessa de querer dizer o qeu eu achava certo ou errado sobre sexo. Sabe qual foi a resposta de uma maioria?

    Meta-se com sua vida;
    Agora é hora de minhas filhas aproveitarem eqto estão novas, meta-se com sua vida(esta veio de parente kkkkkk)
    Querer controlar isso é querer controlar a natureza ; ficar sem comer por exemplo alguem fica?!

    Faço minha as palavras da Shirley e do Greg

    Shirley

    Se minha filha de nove anos me disser que teve qualquer contato sexual com um homem, vou acionar a lei, por entender que uma violência foi cometida.
    Se minha filha de 16 anos me disser que teve uma noite de sexo casual com um desconhecido, vou perguntar se ela se protegeu e farei considerações sobre o perigo de se expor a situações de risco como seja aceitar ir transar com um desconhecido. Vai saber se ele não é algum psicopata?

    (Eu faria o mesmo; mas gostaria que começasse mais tarde)

    Greg

    Ninguem chega para conquistar uma pessoa e poder ter relaçao com ela só falando verdades Rodrigo. Se bobear as pobres meninas do conto do Barros devem ate ter dito que eram virgens e nao sabiam nada da coisa. e outra coisa nem sabemos o que o Barros falou para elas nesta historia, voce é que está supondo muitas coisas.

    A vida nao é um passeio num bosque florido e cheio de frutas.
    Talvez essas meninas estavam ali para isso, arrumar homem e ser feliz.
    Tem muita coisa pior e mais seria neste mundo acontecendo.
    O ponto central , o cerne da questao é o seguinte! elas foram violentadas? NAo. Solta o Barros e vida que segue.

    Aqui eu vou mais além ainda do que o Greg; muitas estão querendo passar por isso e não acham qeum jogue o 171; vou mandar o Barros la kkkkkkkkk

  19. Outra coisa qeu eu esqueci de dizer é o seguinte:

    querer misturar sexo que é algo inerente ao ser humano com moral e ética não da certo; estas variam muito de lugar pra lugar.

  20. Mas, ADA, dessa vez é um caso “venéreo”. É de vera, sô. Esse Rodrigo é que deve viver numa cidadezinha de dois mil habitantes, cheia de costumes cristãos hipócritas!

    No bairro onde eu morei, bastava visitar as bocas de culto com uma roupa bem alinhada e ficar de papo com as guria que ficavam louvando o caralho do Deus delas do lado de fora, que as bocas de culto em bairros do subúrbio ficam lotadas sempre!

    Aí chegava o Barrinhos, todo cheio de sorrisos e fazendo um monte de elogios… Peraí! Alguém tinha que mandar as leis de Deus pra puta que pariu, uma hora daquelas, né não?!

    Mesmo porque todo mundo sabe que pode fazer o que quiser, que pode matar a mãe e jogar o corpo no lixo, que, depois, é só pedir perdão a Deus que ele perdoa…

    Ô Deus lindo, irmão!!

  21. Valdisse:

    Bom, a parte mais fácil você já fez sozinho, que é admitir que Deus é um personagem idiota de um livro idiota. A parte difícil seria…….

    R: voce conseguir entender que Deus contem e não pode ser contido.

    Essa sua historia de lobo mau vestindo pele de cordeiro para comer todas ovelhas perdidas,me fez acreditar que voce usa a fé das pessoas para saciar sua necessidades quase irracionais, mas pior do que a sua hipocrisia é de certos pastores Ateus, isso mesmo o mercenário Edir macedo e Cia. são todos ateus.

  22. ss

    é forçar a mão dizer que o Barros se aproveitou da fé de alguém; só seria o caso se ele tivesse se apresentado como “Deus” e convencido as meninas que transando com ele elas estariam fazendo a vontade divina.

    R foi desonesto fingindo ser religioso para levar vantagem,mas tambem não posso querer culpa-lo por ter vergonha de dizer o que realmente pensa…he..he..he..he

    ADAM

    é forçar a mão dizer que o Barros se aproveitou da fé de alguém; só seria o caso se ele tivesse se apresentado como “Deus” e convencido as meninas que transando com ele elas estariam fazendo a vontade divina.

    R: Por esse motivo que eu quase não leio os textos dele, alem das vulgaridades excessivas, vocabulário chulo e totalmente desnecessário para quem possui um minimo de recursos, na maioria das vezes suas historinhas não passam de contos de fadas do mundo fantástico do deus barros .
    A maior ironia do ateu é criar um deus tão ridículo conforme sua imagem e semelhança, para depois ter razão ao afirmar que ele não existe.

  23. R: voce conseguir entender que Deus contem e não pode ser contido.

    “Deus contém e não pode ser contido”. Na verdade, você está dizendo:

    “Há-há-há! Eu inventei uma frase que eles não têm como refutar! Ora, se Deus contém e não pode ser contido, o que mais eles podem dizer? Portanto, eu venci! U-huuuuuu!!!”

    Claro. Desde que ninguém se lembre de que você começa essa frase justamente com a coisa cuja existência ela quer defender. É uma atitude tão típica de crianças como aquela de perguntar, por exemplo, por que a água ferve a cem graus ao nível do mar e você respondesse: “porque sim!”.

    Eu não discuto com você porque eu vivo no mundo real, onde esses joguinhos de palavras não têm utilidade nenhuma.

  24. Strodrigo

    Eu procuro respeitar quem se dá ao respeito e mais importante, que me respeita.
    Não sei se posso concordar com você a respeito de atos e convicções. Mor das vezes estas geram aqueles.
    E se pelos frutos os conhecerei, não tenho encontrado muitas ‘árvores’ lá muito dignas do meu respeito.
    Mesmo aqui. Você nos diz que não respeitamos as pessoas crentes, que ao invés de debatermos as ideias delas, atacamo-las.
    A maioria dos crentes que vem aqui já chega atirando para todo lado, fazendo chacota, usando sarcasmo mal disfarçado e por aí afora.
    Não tenho propensão a dar a outra face.
    Assim como já não tenho mais a menor disposição de debater racionalmente nada com crente nenhum. Em geral, na vida do dia a dia prefiro o silêncio. Se há coisa que já aprendi é que pelo menos aqui neztepaiz o famoso “Deus proverá” constitui figurino do tamanho exato dos brasileiros, salvo as raras exceções.
    Você ironiza o nosso jeito, quando diz que gostamos de ter ficado estáticos na fase inicial do ateísmo.
    E o que deveríamos fazer? Doutrinar pessoas a respeito das vantagens do ateísmo? Tentar estabelecer diálogos repletos de erudição com o tipo de crente que aparece aqui?
    Nem com esses, nem com a imensa maioria deles em lugar algum. Rodrigo, sabe por que a cada dia brotam trocentas igrejas em todo canto?
    Porque é assim que é a mentalidade coletiva dominante por aqui.
    Brasileiro em geral tem horror a ser responsabilizado por qualquer coisa, quem dirá responsabilizar-se por si mesmo, deixando de lado a muleta do salvador, panaceia para todos os problemas.
    Não é por acaso que estamos sempre dando largos passos para trás em relação a outras sociedades. O brasileiro, inapelavelmente, está sempre disposto a encontrar um salvador da pátria, da vida, da morte.
    Quando você diz que a religião é capaz de convencer pessoas a fazer escolhas ridículas e irresponsáveis sem a menor culpa, você está ou sendo muito ingênuo ou tentando encontrar subsídios para sua argumentação.
    Não é a religião que faz as pessoas, são as pessoas que fazem a religião. Esta não é um ente com vida própria, Rodrigo.
    Mesmo considerando a influência que tenha qualquer papa, padre ou pastor, a instância decisória última é do indivíduo. Faça ele o que fizer, saberá em algum nível que a responsabilidade por seus atos é sua, mesmo que tente se convencer de outra coisa.
    Não é por outra razão que o crente tem esperança de ser absolvido de seus atos ou de alguma espécie de redenção. Se não tivesse consciência da própria responsabilidade, não haveria a noção de se necessitar da absolvição.
    O verdadeiro mal das crenças e por tabela do seu subproduto, as religiões, é proporcionar a via de escape ideal para a negação da responsabilidade pessoal.
    Grosso modo, “Deus” é o bode expiatório ideal das misérias humanas.
    Há um tom subjacente na sua escrita, de reprovação, a mim, e ao Greg, pois estaríamos sendo coniventes com o comportamento do Barros.
    Vou tentar explicar minha posição nesse assunto.
    Se eu soubesse que um filho meu se comportou assim, eu sei o tipo de conversa que teríamos.
    Se alguém da minha convivência fizesse algo do gênero, ainda assim guardaria minhas reservas para mim. Assim como tenho feito diante de coisas muito piores de que tive conhecimento.
    Pessoas erram, é da condição humana; ser ateu não torna ninguém imune a erros, não torna ninguém super humano.
    Acho interessante que você espere de um ateu um comportamento irrepreensível, porque ateu, mas se saia com essa coisa de que religiões removem o senso de responsabilidade das pessoas.
    O que é a pessoa crente para você então? Uma espécie de massa amorfa? Alguém que nunca sai da primeira infância?

  25. “Por esse motivo que eu quase não leio os textos dele, alem das vulgaridades excessivas, vocabulário chulo e totalmente desnecessário para quem possui um minimo de recursos, na maioria das vezes suas historinhas não passam de contos de fadas do mundo fantástico do deus barros .
    A maior ironia do ateu é criar um deus tão ridículo conforme sua imagem e semelhança, para depois ter razão ao afirmar que ele não existe.”

    Pois é…vamos debater ideias, vamos ser educados, vamos dar a outra face…

    Criaturo, nunca existiu alguma pessoa que te desse educação pelo menos nível massinha um?
    Se quase não lê os textos, está aqui para quê? Para despejar esse monte de grosserias só pelo gosto em ser grosseiro?
    Se você acha ateus tão ridículos assim, não deveria perder seu tempo refutando nada. Melhor faz você usando esse tempo para louvar seu deus tudo-todo-que-contém-e-não-pode-ser-contido.
    E você, de todos que comentam aqui, é exatamente o cara que não pode criticar ninguém por nada. Você é quem acha perfeitamente natural que seres humanos trucidem uns aos outros, em nome de uma suposta evolução planejada pelo deus tudo-todo-etc.

  26. Talvez, aquelas 10% que você “pegou” tinham tido a mesma ideia que você!

    Brincadeiras a parte, se você fez isso de verdade é bom procurar um padre para se confessar (mesmo não acreditando em Deus) ou, então, rezar (só não sei para quem) para Deus não existir mesmo!

    Não percebeste que carregaste o teu juiz debaixo do próprio braço?

    Acha que foi você mesmo que fez tudo isso sozinho, que foi tua beleza, tua lábia, tua inteligência, tua esperteza, tua competência? Será que não via o demônio do teu lado te dando elas de “presente”? Não pense que ele fez isso de graça (de graça, o demônio nada faz); mesmo sem saber e sem acreditar, já lhe deste em troca a alma!

    Acha que nem Deus e nem o Diabo existe; mas não vê que, pior que seduzido, te tornaste um demônio sedutor para arrastar as almas, junto contigo, para o Inferno? Não vê que de, mero fornicador, já te tornaste um inimigo declarado de Deus, tentando destruí-lo com seus escritos e destruir a fé de seus pobres leitores?

    Mesmo que não acredite, tens como patrão o demônio; e já está recebendo o teu salário e até mesmo subindo de cargo. Mas, lembre-se, que o salário do pecado é a morte (eterna)!

    Tinha um conhecido que também se julgava esperto, que acreditava em Deus mas era morno e vivia no pecado da carne, cometendo atos impuros, masturbação, vendo pornografia na TV e na internet, etc. E, mesmo assim, se julgava uma pessoa boa e honesta, pois não roubava e nem matava; pensava até em, um dia, voltar para a Igreja; mas sempre adiava, pois tinha vergonha de se confessar.

    Acreditem ou não, um triste dia, a taça da Justiça Divina transbordou e caiu sobre ele, se viu tomado pelo demônio e experimentou o aperitivo do Inferno em vida. Passou a sentir um calor imenso (mesmo no inverno), onde quer que estivesse escutava barulhos horríveis sobre sua cabeça, sentia gosto de enxofre na boca e no corpo, a comida passou a ter um gosto horrível, entrou em depressão profunda ficando vários dias sem dormir, passou a sentir um pavor imenso de Deus, toda vez que tentava rezar ejaculava e ficava desesperado achando que estava condenado e não tinha mais salvação.

    Depois de muita oração dos familiares, confissões, missas, terços e até exorcismos, ele se viu livre do demônio e nunca mais abandonou a Igreja e nem saiu dos pés de Deus e de Nossa Senhora. Só depois, percebeu que Deus, na verdade, lhe havia dado uma grande graça; a graça de saber que, se ele tivesse continuado naquela vida, ele iria para o Inferno quando morresse e não confiaria no perdão de Deus, na hora do juízo particular, para ser salvo.

    Eu presenciei de perto o que aconteceu com ele; e isso me influenciou demais na minha conversão!

    E só estou te dizendo isso porque, perto dos teus pecados, os dele parecem até leves demais; e temo que você está seguindo por um caminho imprudente extremamente perigoso; e, provavelmente, não terá a chance que ele teve a não ser esse testemunho.

    Nunca viste falar da Aposta de Pascal?

    Por acaso, podemos nós viver da comida que comemos ontem?

    De que vai adiantar os prazeres impuros que tiveste na juventude quando estiver velho ou, pior, quando estiver morto?

    De que adianta o homem ganhar o mundo inteiro, viver uma vida cheia de prazeres, se perder a própria vida (eterna)?

    O que realmente importa é o hoje e o amanhã, é a ETERNIDADE!

    Sem a vida eterna, a vida não tem sentido, tudo terá sido em vão! De quê vai adiantar os pecados e os prazeres, os bens materiais, as alegrias e os sofrimentos, os estudos, as orações, o nosso esforço e as nossas obras, se deixarmos de existir ou se irmos para o Inferno?

    Será que nunca leste o livro “O DIÁLOGO”, de Santa Catarina de Sena (que ela afirma ter sido ditado pelo próprio Deus), onde Deus lhe mostra os principais tormentos do Inferno? Ou sobre os “SONHOS DE DOM BOSCO”?

    Neste incrível livro, Deus ensina que no Inferno não há mais esperança, nem perdão, nem arrependimento, nem alegria, nem beleza, nem amor e nem nada de bom; só dor, tristeza, remorso, sofrimento, ódio e maldade eterna. Pois, quem vai para o Inferno, perde o pouco de bom que tinha; já que lá não chega a luz de Deus que é a fonte de todo o BEM (“Não sabeis que sois templo de Deus?”, “Onde está o AMOR, aí está DEUS; porque DEUS é AMOR”, etc).

    E que um dos maiores tormentos do Inferno é o remorso de termos dito não a Deus todas as vezes que Ele quis no salvar, através dos bons conselhos, da Igreja e dos sacramentos!

    E também ensina que, na hora do juízo, não é Deus que condena o pecador ao Inferno (aliás, rejeitar o perdão de Deus na hora do juízo é a maior ofensa que podemos cometer contra Ele); mas o próprio pecador que, diante da acusação dos demônios e do peso de sua consciência, entra em desespero, se enche de orgulho e não aceita o perdão de Deus, condenando a si mesmo ao Inferno!

    Mas não pense que para ti já é tarde demais para se arrepender e que Deus não te perdoará jamais. São João da Cruz ensina que, enquanto tivermos um fôlego de vida, ainda podemos pedir perdão a Deus e se arrepender.

    Irmão, seja humilde; se já não acreditas mais em Deus, pelo menos se cale e evite ofendê-lo e induzir os outros ao erro ou a também perder a fé; siga a Aposta de Pascal e, por prudência, viva como se Deus existisse, procurando as boas obras, as virtudes, a honestidade e a pureza de coração!

    E, se um dia, te “cair as escamas dos olhos”, faça como o apóstolo Paulo; faça o dobro de bem do que o mal que você está fazendo a Deus, a ti e ao próximo!

    Desculpe a sinceridade e a dureza das palavras; e, mesmo que você não goste ou não acredite Nele, fique com Deus; que Ele tenha misericórdia de ti e de todos nós!

    Pois, mesmo que não exista, DEUS sempre foi e sempre será a nossa ÚNICA ESPERANÇA!

    Por fim, me despedindo e para não perder o costume, indico ainda o testemunho do ex-ateu Dr. Ricardo Castañon, que se converteu devido investigações de supostos milagres:

    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=mZQQpXzWPdY#!

    E, para quem não acredita em vida após a morte, o terrível testemunho da Dra. Gloria Polo, que se converteu após ser atingida por um raio:

    http://www.youtube.com/watch?v=cQ4_L1GCJSU

  27. Indico também o emocionante filme da vida do Pe. Pio de Pietrelcina, um grande santo místico moderno da Igreja, o vídeo da sua exumação e o comentário do Pe. Paulo Ricardo :

    http://www.youtube.com/watch?v=yxxfpvR5rI8

    http://www.youtube.com/watch?v=ZsoBvDiciK4

    http://www.youtube.com/watch?v=6ocQ82Y3x1k

  28. D,R,

    esquenta não, rapaz ! A gente vive essa vida de putaria espiritual mas no final ( seu ) Deus vai nos perdoar. Te juro que é verdade ! Afinal para que servem o amor infinito, a misericórdia infinita e a paciência infinita dEle? Depois de morto, lá no purgatório podemos muito bem alegar que não fomos doutrinados bem o suficiente, sendo assim, a descrença, a apostasia e todas essas heresias que cometemos foram obra do Demônio. A infinita sabedoria de Deus vai nos julgar, reconhecer nossas fraquezas e nos absolver rapidinho.

    Veja só o caso do Barros. Esse pobre infeliz que escreve inadvertidamente sobre as coisas de Deus, insiste no pecado imperdoável da blasfêmia. Ao morrer, Deus deveria enviar essa criatura direto pro Caldeirão. Mas não. Sendo bom e justo, Ele sabe muito bem que se faltou fé a esse seu querido filho desbocado, alguma coisa no sistema precisa ser melhorada. No máximo o Barros, esse danadinho mal criado leva uma advertência e fica um dia sem poder atualizar o blog. Deus sempre agindo de maneira coerente pune então o verdadeiro responsável, o Chifrudo.

    Depois de levar uns belos cascudos de Deus, quem o Capeta vai culpar ? Isso é um grande mistério…

    SENHOR, SENHOR ! Ó SENHOR ! PERDOAI ESSAS PESSOAS !
    ELAS NÃO SABEM O QUE FAZEM …

  29. valdisse:
    Eu não discuto com você porque eu vivo no mundo real, onde esses joguinhos de palavras não têm utilidade nenhuma.

    he….he…he…he…he..he ..aceito sua desistência!

    Todos dentro da matrix dizem a mesma coisa até serem despertados por alguém conectado a outro sistema de realidade mais inteligente.

  30. ss

    Pois é…vamos debater ideias, vamos ser educados, vamos dar a outra face…

    R: seria mais honesta se tivesse escrito assim: Pois é…vamos debater ideias, vamos ser educados, vamos dar “na” outra face…

    he…he…he..he…he…uiiii!

    Criaturo, nunca existiu alguma pessoa que te desse educação pelo menos nível massinha um?

    Sim! Deus! E nós estamos aqui brincando de deuses com essa massinha divina, mas algumas crianças por terem desenvolvidos algumas habilidades a mais, tornaram se arrogantes.
    Inteligencia não é mérito e sim um presente nato e divino, como uma semente onde sera observado seus frutos, mas o desejo de praticar o bem , este sim não nasce com o corpo e sim no espirito que da vida ao corpo, logo é mérito conquistado pela experiência própria.

    Se quase não lê os textos, está aqui para quê?

    R: estou aqui pra conhecer opiniões divergentes, se gostasse de pieguismo entraria apenas em sites religiosos,mas isto “aumentaria” a minha razão ? ou apenas meu ego ?

    Para despejar esse monte de grosserias só pelo gosto em ser grosseiro?

    R: ok ! que voce seja grata pelo espaço, para expor suas idéias, também que encontre afinidade nas dele, mas ao torna-se partidária extremista corre o risco de se tornar uma advogada do diabo.

    Eu não tenho compromisso nem com religiões, nem com crentes nem com ateus, elogio o que considero justo e critico o que considero injusto, sem discriminar a fontes.

    Mas não leve as criticas tão a sério, o Barros ja entendeu que ao provocar crentes também esta sujeito a receber provocações, entenda que isto aqui é um fórum de debates e não um site de relacionamentos afins, ou é ?
    Mas se for este o caso, isto explicaria porque voce esta querendo adota-lo.

    E você, de todos que comentam aqui, é exatamente o cara que não pode criticar ninguém por nada. Você é quem acha perfeitamente natural que seres humanos trucidem uns aos outros, em nome de uma suposta evolução planejada pelo deus tudo-todo-etc.

    R:A liberdade da ação foi dada, a reação dos sentimentos provocados tambem e dessas experiências nasce a sabedoria.
    Assim penso que vida seja muito mais do que esperar por uma fatal perda da razão ,e que a morte também faz parte dela, com todos os prazeres e sofrimentos, é isto que da o sentido da vida que você espera que um dia acabe para sempre.

  31. Criaturo

    Não seja dissimulado. Você não está provocando,debatendo, naquele comentário. Está sendo mal educado mesmo. Caso você ainda não tenha notado, as palavras fazem sentido.
    Todo esse blablabla de liberdade de ação/reação, fatal perda da razão, blablabla, é a forma que você encontrou para tentar lidar com as coisas que seus sentidos te apontam e que você não consegue suportar.
    Acabou por ser mais um desses neocrentes em coisas difusas e sem pé nem cabeça.
    Mais um pouco e está fundando uma igreja com um desses nomes estapafúrdios. Como uma que vi hoje, a da Irradiação Mental. Caí na risada e nem estava querendo rir.
    Acho que vou adiantar as coisas para você e bolar um nome bem estrambótico, tá?

    Esse seu comentário sarcástico sobre eu estar querendo adotar (o quê, o blog, o Barros?) é por que?

  32. ”E você, de todos que comentam aqui, é exatamente o cara que não pode criticar ninguém por nada. Você é quem acha perfeitamente natural que seres humanos trucidem uns aos outros, em nome de uma suposta evolução planejada pelo deus tudo-todo-etc.”

    Shirley, no começo eu tentei avacalhar você, contudo, tiro meu chapéu carioca para você. A mim não me importa de que lado está a razão, desde que nos amemos. E você me amou, pois eu a agredi tanto e mesmo assim você me recebe bem. Beeeeijo!

  33. Day

    Por mim tudo está bem quando acaba bem…
    Sou do tipo enfezado mas não guardo raiva.

    Abraços

  34. FERNANDO,

    temos que lembrar que DEUS É MISERICÓRDIA, MAS TAMBÉM É JUSTIÇA!

    Aceitar a Misericórdia de Deus é fácil, mas aceitar a Justiça Divina é difícil.

    Por acaso, é justo um homem que sempre buscou a santidade e só praticou boas obras receber a mesma recompensa de outro homem que sempre viveu no pecado e só praticou obras más?

    O problema é que, na hora do juízo, não é Deus quem nos condena (rejeitar seu perdão nesta hora derradeira é a maior ofensa que podemos fazer a Deus); mas sim nós mesmos que, desesperados diante dos nossos pecados, nos enchemos de ódio e orgulho e nos julgamos indignos do perdão de Deus!

    Pelo menos é o que diz Santa Catarina de Sena em seu livro “O DIÁLOGO”, que ela afirma ter sido ditado pelo próprio Deus:

    Eis alguns trechos do livro (ACREDITEM SE QUISER):

    “…

    14.3.2 – O JUÍZO PARTICULAR

    Os pecadores não podem desculpar-se. Continuamente são por mim convidados ao conhecimento da Verdade. Não se corrigindo enquanto podem fazê-lo, uma segunda repreensão os condenará. Ela acontece no último instante da vida, quando meu Filho chamar: “Surgite mortui, venite ad judicium” (Levantai-vos, ó mortos, vinde para o julgamento)! Tu que morreste para a graça e morto chegas ao fim da vida terrena, levanta-te, aproxima-te do supremo Juiz. Aproxima-te com tua maldade, com teus julgamentos falsos, com a lâmpada da fé apagada. No santo batismo, ela foi-te entregue acesa; tu a apagaste com o sopro do orgulho e da vaidade do coração, usados como velas enfunadas às ventanias contrárias à salvação. O amor da fama soprava teu amor-próprio (egoísmo) e tu corrias alegre pelo rio dos prazeres mundanos; seguias a frágil carne, as incitações do demônio, as tentações. Tua vontade era um pano retesado e o diabo te conduziu pela estrada do mal, junto com ele, para a eterna condenação…

    Filha muito querida, esta segunda repreensão se dá no fim da vida, quando não há mais remédio. Ao chegar o instante da morte, o homem sente remorso. Já afirmei que ele é um verme cego por causa do egoísmo. No instante final, quando a pessoa compreende que não pode fugir das minhas mãos, esse verme recupera a visão e atormenta interiormente a pessoa, fazendo ver que por própria culpa chegou a tão triste situação. Se o pecador se deixar iluminar e se arrepender – não por medo dos castigos infernais, mas por ter ofendido a suma e eterna bondade – ainda será perdoado. Mas se ultrapassar o momento da morte nas trevas, no remorso, sem esperança no sangue ou, então, lamentando-se apenas pela infelicidade em que se acha – e não por ter me ofendido – irá para a perdição. Sobrevirá, pois, a repreensão pela injustiça e falso julgamento.

    Em primeiro lugar, a repreensão da injustiça e do julgamento falso em geral, praticados no conjunto de suas ações; depois, em particular, do último instante, quando o pecador considera seu pecado maior que minha misericórdia. Este (Mt 12.32) é o pecado que não será perdoado, nem aqui nem no além. O desprezo voluntário da minha misericórdia constitui pecado mais grave que todos os anteriores. Neste sentido, o desespero de Judas desagradou-me e foi mais grave que a sua traição. Também para meu Filho! É por causa deste (último) julgamento falso que o pecador sofre a repreensão, ou seja, porque acha que sua falta é maior que meu perdão. Este é o motivo da punição, indo sofrer eternamente com os demônios.

    A repreensão da injustiça acontece porque os pecadores sentem mais tristeza pelos próprios danos que por me terem ofendido. São injustos, no sentido de que não atribuem a mim o que me pertence e a si o que é deles. A mim deveriam oferecer o amor, a tristeza e contrição dos pecados cometidos. Mas agem no sentido oposto, só demonstrando autocompaixão e angústia pelo castigo que lhes merecem seus pecados. Como vês, são injustos. E por tal motivo são punidos por uma e outra coisa. Já que desprezaram meu perdão, com justiça mando-os ao castigo (Mt 25,41), juntamente com a escrava sensualidade e o tirano demônio, a quem na sensualidade serviam. Já que solidariamente me ofenderam, juntos serão punidos e atormentados. Os próprios demônios, encarregados por mim de cumprir a sentença de justiça, atormentá-los-ão.

    Filha, tua linguagem é incapaz de descrever os sofrimentos destes infelizes. Sendo três os seus vícios principais – egoísmo, medo de perder a boa fama e orgulho – aos quais se acrescentam a injustiça, a maldade e vergonhosos pecados, no inferno os pecadores padecem quatro tormentos principais.

    Primeiro tormento é a ausência da minha visão. Um sofrimento tão grande que os condenados, se fosse possível, prefeririam sofrer o fogo vendo-me, que ficar fora dele sem me ver.

    Segundo tormento, como conseqüência, é o remorso que corrói interiormente o pecador privado de mim, longe da conversação dos anjos, a conviver com os demônios.

    Aliás, a visão do diabo constitui o terceiro tormento. Ao vê-lo, duplica-se o sofrer. No céu, os bem-aventurados exultam com minha visão e sentem rejuvenescer o prêmio recebido pelas fadigas amorosamente suportadas (no mundo); da mesma forma, mas em sentido contrário, os infelizes danados vêem crescer seus padecimentos ao verem os demônios. Nestes, eles se conhecem melhor, entendendo que por própria culpa mereceram o castigo. Assim o remorso os martiriza e jamais cessará o ardor da consciência. Muito grande é este tormento, porque o diabo é visto no próprio ser; tão horrível é sua fealdade, que a mente humana não consegue imaginar. Se ainda o recordas, já te mostrei o demônio uma vez assim como ele é; foi por um átimo de tempo. Quando retornaste aos sentidos, preferias caminhar por uma estrada de fogo até o juízo final que tornar a vê-lo. No entanto, apesar do que viste, ignoras sua fealdade. Especialmente porque, segundo a justiça divina, ele é visto mais ou menos horrível pelos condenados, segundo a gravidade das culpas.

    Quarto tormento é o fogo. Um fogo que arde sem consumir, sem destruir o ser humano. É algo de imaterial, que não destrói a alma incorpórea. Na minha justiça permito que tal fogo queime, faça padecer, aflija; mas não destrua. É ardente e fere de modo crudelíssimo em muitas maneiras, conforme a diversidade das culpas. A uns mais, a outros menos, segundo a gravidade dos pecados.

    Destes quatro tormentos derivam os demais: o frio, o calor, o ranger de dentes (Mt 22,13). Como vês, repreendo os pecadores nesta vida por seus julgamentos falsos e injustiças; se não se corrigem, faço-lhes uma segunda repreensão na hora da morte; pela ausência de esperança e arrependimento, sobrevêm-lhes a morte eterna em indizível infelicidade!

    “.

    FONTE: Livro “O DIÁLOGO” de Santa Catarina de Sena.

  35. Mais trechos do livro “O DIÁLOGO”, de Santa Catarina de Sena:

    “…

    14.8 – A ILUSÃO DO PECADO

    Eu disse antes (14.7) que o demônio convida os homens para a água-morta, a única coisa que lhe pertence, cegando-os com prazeres e satisfações do mundo. Usa o anzol do prazer e fisga-os mediante a aparência de bem. Sabe ele que por outros caminhos nada conseguiria; sem o vislumbre de um bem ou satisfação, os homens não se deixam aprisionar. Por sua própria natureza, a alma humana tende ao bem. Infelizmente, devido à cegueira do egoísmo, o homem não consegue discernir qual é o bem verdadeiro, realmente útil ao corpo e à alma. Percebendo isso, o demônio, maldoso, apresenta-lhe numerosos atrativos maus, disfarçados porém sob alguma utilidade ou prazer. Adapta-se ele às diversas pessoas, variando atitudes e males conforme crê oportuno. De uma forma tenta o leigo, de outra o religioso, o prelado, os chefes; a cada um, conforme sua posição social.

    Falei dessas coisas, porque no presente estou ocupando-me dos pecadores que se afogam pelo rio do pecado. São homens egoístas, que só pensam em si mesmos. Amam a si mesmos, ofendem-me. Já disse (14.5) para onde se encaminham; agora quero mostrar-te como se iludem, pois ao tentar fugir dos sofrimentos, em sofrimentos caem. Julgam que o fato de me seguir através da ponte-Cristo seja causa de muita fadiga, por isso voltam atrás com medo dos espinhos. Na realidade tal atitude procede da cegueira e ignorância da Verdade, como te fiz ver no início de tua vida, quando rogavas misericórdia em favor do mundo, desejosa de que eu o libertasse do pecado mortal.

    Naquela ocasião, mostrei-me a ti na figura de uma árvore. Não vias onde começava, nem onde terminava; somente percebias sua raiz na terra. A “terra” era vossa natureza humana, unida à natureza divina (em Cristo). No tronco da árvore – se ainda recordas – havia alguns espinhos. Evitavam-nos os amantes da própria sensualidade, os quais corriam para um monte de palha, símbolo dos prazeres humanos. A palha assemelhava-se ao trigo. Vias que muitos ali morriam de fome; outros, ao dar-se conta da ilusão, voltavam à árvore, superavam com decisão os espinhos. Essa decisão, antes de ser tomada, parece difícil a quem deseja seguir a estrada da Verdade. Há sempre luta entre a consciência de um lado e a sensualidade do outro. Mas quando a pessoa virilmente renega a si mesma e se decide, dizendo: “Quero seguir Cristo crucificado”, então ela quebra aqueles espinhos e descobre inestimável doçura. Foi o que te fiz ver àquela vez. A doçura será maior ou menor, conforme a boa disposição e o esforço pessoal. Então eu te disse: “Sou o Deus imutável; não me escondo de quem me procura”. Embora sendo invisível, mostrei-me visível aos homens em Cristo. Fiz ver o que é amar algo fora de mim. Infelizmente os homens, cegos pela fumaça do egoísmo, não me conhecem, não se conhecem. Vê como se iludem: preferem morrer de fome do que superar um pequeno espinho. Mas não ficarão sem dificuldades. NESTA VIDA, NINGUÉM VIVE SEM CRUZ. A não ser aqueles que caminham pela estrada superior; eles também sofrem, mas sua dor não aflige. Pelo pecado, como disse acima (10.2), o mundo produziu dificuldades e dores, bem como nasceu o rio do pecado, esse mar tempestuoso; mas para vós eu construí uma ponte, de modo que não vos afogueis.

    …”.

  36. Shirley

    “Não é a religião que faz as pessoas, são as pessoas que fazem a religião. Esta não é um ente com vida própria, Rodrigo.”

    [Sem dúvida, você tem razão. As religiões são fenômenos naturais (não é a toa que surgiu em praticamente todas as comunidades humanas), frutos da nossa racionalidade cheia de limitações e mecanismos cognitivos de valoração. Assim como a evolução de vacas e ovelhas, a evolução das religiões começou a ser influenciada e conduzida por pessoas. Conforme nos tornamos mais informados sobre a natureza do mundo as religiões se tornam cada vez menos necessárias, e só resistem porque (assim como nas ovelhas) há pastores remodelando os valores e interpretações da Bíblia, reforçando bons valores e neutralizando os embaraçosos. Mas esse não foi o ponto do nosso desentendimento]

    “Mesmo considerando a influência que tenha qualquer papa, padre ou pastor, a instância decisória última é do indivíduo. Faça ele o que fizer, saberá em algum nível que a responsabilidade por seus atos é sua, mesmo que tente se convencer de outra coisa.”

    Claro que a última instância de decisão é do indivíduo. Nem a religião, nem os líderes religiosos moldam as atitudes do religioso. Elas moldam os conceitos de certo e errado. Quando um islâmico devoto decide encerrar sua vida como homem-bomba para se tornar um martírio, ninguém precisa induzi-lo a fazer nada. Pois dentro da sua mais interna consciência ele “sabe” que Alá se orgulhará dele. Eles também continuam usando o apedrejamento como punição e dentro na concepção islâmica que eles tem do mundo isso é certo. Obviamente existem os cínicos que seguem a religião só até onde convém, mas esses são tão ateus quanto eu e você, eles não acreditam em deus, eles creem na crença.

    “Acho interessante que você espere de um ateu um comportamento irrepreensível, porque ateu,…”

    [ Não espero um comportamento irrepreensível, mas no mínimo “melhor” do que o comportamento de um religioso ignorante. Espero isso porque nesse exato momento estamos em guerra. Somos uma minoria oprimida nessa sociedade extremamente cristã em que vivemos, e precisamos de exemplos de que ateus são tão providos de moralidade ( acho que você ao contrário do que muitos já demonstraram aqui sabe a diferença entre moralidade e moralismo.) quanto qualquer religioso. No campo político, a principal arma usada por teólogos e juristas é que sem religião, as pessoas perderiam motivação para serem decentes e honestas (O que obviamente não é verdade) ].

    “… mas se saia com essa coisa de que religiões removem o senso de responsabilidade das pessoas.
    O que é a pessoa crente para você então? Uma espécie de massa amorfa? Alguém que nunca sai da primeira infância?”

    De certa forma sim. Deus é a figura substituta do Pai provedor que nos mantém seguros e que perdemos ao entrar na vida adulta. E não fui eu quem disse isso, foi Freud.

  37. Mais trechos do livro “O DIÁLOGO”, de Santa Catarina de Sena:

    “…

    14.14 – CAMINHOS DA CONVERSÃO

    Passo a falar-te agora dos pecadores que, forçados pelos sofrimentos da vida e medo dos castigos futuros, procuram livrar-se do egoísmo. Envio-lhes contrariedades, para que compreendam que esta vida não constitui a meta final, que as realidades terrenas são imperfeitas e passageiras, que sou eu o fim último. Por medo da punição, tais pessoas saem do rio do pecado, “vomitando” (na confissão) o “veneno” que o “escorpião” neles injetara em forma de “ouro”. Haviam sido iludidos (v. 14.11), mas ao perceber o engano, aos poucos elas se erguem e, dirigindo-se para a margem, agarram-se à ponte.

    Mas o temor servil (medo de castigos), sozinhos, não é suficiente para fazer o pecador progredir, limpar sua casa e afastar-se dos pecados mortais. É preciso encher a alma de virtudes, sob o alicerce da caridade. Por si mesmo o temor servil não dá a vida (da graça); o pecador há de colocá-lo no primeiro degrau da ponte (v. 12.1) os dois pés do amor que conduzem até Cristo. É o primeiro degrau na escada do seu corpo. Tal é o primeiro acordar dos escravos do pecado que se convertem: o medo dos castigos! Muitas vezes, os próprios sofrimentos causados pela vida pecaminosa produzem tédio e repulsa. Quando o temor servil é acompanhado pela iluminação da fé, os pecadores passam do mal para o bem. Infelizmente, muitos deles se põem a viver em tal tibieza que com facilidade retrocedem, após ter atingido as margens do rio do pecado; ventos contrários obrigam-nos a retornar às ondas no caudal tenebroso do pecado.

    Umas vezes, é o vento da prosperidade. Sem ter atingido o primeiro degrau por negligência, ainda sem amor à virtude, o homem retorna aos prazeres desordenados. Outras vezes, é o vento da adversidade. Então, retrocede por impaciência. Tendo deixado o pecado só por medo das penas e não porque se trata de uma ofensa contra mim, retorna a ele. Em matéria de virtudes, necessita-se da perseverança. Quem não persevera, jamais realiza seus desejos, levando a termo o que começou. Sem perseverança, nada se faz; a força de vontade no cumprimento de um ideal supõe essa virtude.

    Disse antes (14.14) que os pecadores retornam ao pecado pressionados por diversos fatores. Dentro de si mesmos, por causa da sensualidade, que combate contra o espírito; a partir das criaturas, enquanto se apegam a elas com desordenada atenção ou se impacientam diante das ofensas; enfim, por tentações do demônio, em combates variados e numerosos. Neste último caso, às vezes o maligno as despreza, dizendo para confudir: “A obra que começaste para nada serve por causa dos teus pecados”. A intenção do diabo é fazer com que a alma volte atrás, abandonando o pouco que já fez. Outras vezes ele procura agradar, insistindo na esperança do meu perdão: “Por que cansas? Goza a vida! No fim, arrepender-te-ás e serás perdoado”. Com isto ele quer que o homem perca o medo inicial do castigo.

    Devido a esses e muitos outros motivos, os convertidos desanimam, não são constantes, não perseveram. Retrocedem antes de arrancar as raízes do egoísmo; por presunção, erroneamente, firmam-se na esperança de serem perdoados, continuam a ofender-me. Pensam poder contar com a misericórdia. Jamais ofereci ou ofereço minha misericórdia para que me ofendam. A finalidade do meu perdão é que, pela misericórdia, os pecadores se defendam do demônio e da confusão de espírito. Agem adversamente! Ofendem-me porque sou bom! Prova de que não houve a primeira conversão, ao se deixar o pecado por medo de castigos e sob influxo dos sofrimentos. Faltando a conversão, o pecador não chega ao amor das virtudes, não persevera. A mudança (de vida) é indispensável. Quem não progride, volta atrás. Assim os pecadores, se não progridem na virtude, passando do medo ao amor, inevitavelmente retornam ao rio do pecado.

    …”.

    FONTE: Livro “O DIÁLOGO” de Santa Catarina de Sena.

  38. D.R.

    Gosto do Santo Agostinho, é lindo e muito filosófico “Confissões”.

  39. ss

    grosso,nivel 1, dissimulado, mal educado…….
    agradeço tanta generosidade ,mas acho que nem merecia tantos qualificativos.

    Todo esse blablabla de liberdade de ação/reação, fatal perda da razão, blablabla, é a forma que você encontrou para tentar lidar com as coisas que seus sentidos te apontam e que você não consegue suportar.

    R: interessante! meus sentindo ja perceberam que posso ir bem mais longe enquanto os seus te limitam acreditar que a unica maneira de se livrar da vida que não te agrada, é acreditar no final da sua própria existência.
    me responda: você gostaria de possuir uma eterna consciência da dor e do prazer ?
    A) sim
    B) não

    Acabou por ser mais um desses neocrentes em coisas difusas e sem pé nem cabeça.

    R: de fato creio em seres inteligente que não precisem mais ter nem pé nem cabeça, talvez voces ateus tradicionais só consigam crer em seres que possuam pés e cabeças.

    Mais um pouco e está fundando uma igreja com um desses nomes estapafúrdios. Como uma que vi hoje, a da Irradiação Mental. Caí na risada e nem estava querendo rir.

    R: Não deveria ser muito engraçado rir da própria ignorância, mas a partir do conhecimento podemos formar opiniões quanto ao ridículo.
    Quanto ao abrir igrejas não me parece uma ideia muito inovadora, anão ser que seja uma igreja ateia dos ultimos dias, que tal um lugar onde voces poderão ser ouvidos,entendidos e aplaudidos pela maioria presente?
    Ja pensou na pregação: hoje iremos falar da realidade que nos aguarda, sim o final da nossa razão não tardará a chegar, e todos gritaram tem razão! (pelo menos por enquanto…he..he….he…he…que comédia!)

    Esse seu comentário sarcástico sobre eu estar querendo adotar (o quê, o blog, o Barros?) é por que?

    R: ja disse voce sente-se grata por ter encontrado um espaço para expor suas idéias de liberdade e de que o final de todo o sentido próximo pra alguns chegará antes do esperado, então defende suas afinidades com as deles,mas dai a querer defender o errado apenas por simpatizar, aih e´com voce !
    alem do mais continuo dizendo para não levar as criticas tão a sério, o dia que os divergente deixarem de comentar o Barros se sentirá entendiado com tanta pieguice atéia.

  40. Criaturo!

    Já fundaram a primeira igreja atéia – na Inglaterra, com direito a doações de ofertas, sacerdoltes e tudo mais hehe.

    http://noticias.gospelprime.com.br/igreja-ateista-louvor-ofertas/

  41. Day

    só podia ser coisa de comediante, mesmo.
    nunca pensei que essa piada pudesse virar uma realidade.

  42. Criaturo
    “grosso,nivel 1, dissimulado, mal educado…….
    agradeço tanta generosidade ,mas acho que nem merecia tantos qualificativos.”

    Bem, você sabe como é, não leve tão a sério, você já entendeu que ao provocar ateus também está sujeito a receber provocações, entenda que isto aqui é um fórum de debates e não um site de relacionamentos afins, ou é ?

    Então seus sentidos te indicaram que você pode ir mais longe? Concretamente, como foi a ou as experiências?
    Que eu quero me livrar de uma vida da qual não gosto é interpretação exclusiva sua e nem imagino de onde você tirou essa babaquice, mas não precisa se dar ao trabalho de dizer.
    E não, Criaturo, não quero viver eternamente, com ou sem consciência de dores e prazeres; faça a interpretação que quiser, só não precisa me dar os detalhes.
    Não faço mesmo ideia de qual seja o enredo de uma igreja que se alcunha da “Irradiação Mental”, mas fico bem feliz na minha ignorância.
    Igreja de ateu é imbecilidade ao quadrado, parece que em algum lugar desse mundo tem uma coisa assim. Você poderia frequentar, para obter “opiniões divergentes”.
    Só colocando os pingos nos ii ,EU disse que me sinto grata por ter um espaço onde me expressar, não foi você quem disse.
    E não defendi o Barros até porque ele não precisa de nada disso, expressei minha posição no assunto claramente.

    P.S.: sugiro que você procure num dicionário o significado da palavra ‘piegas’.

  43. Criaturo

    E aí, já está pensando num nome bem típico para sua religião?
    Sabe que eu me dei conta de uma coisa? A sua descrição desse seu deus faz pensar numa tartaruga.
    Como você deve saber, as tartarugas põem seus ovos e dão no pé, deixando as futuras tartaruguinhas por conta própria.
    Então, tenho essa sugestão:
    Igreja da Revelação da Grande Tartaruga Mística.
    E você poderia acrescentar um dístico, algo que sintetizasse sua doutrina; poderia inclusive ser em inglês, para parecer descolada e atrair os jovens, como uma igreja que se chama Bola de Neve (não estou brincando, tem mesmo) e que tem um lema assim: “In Jesus we trust”.
    O seu poderia ser algo como:
    “We’re still eggs”.
    Tudo a ver, não é?

  44. Strodrigo

    De modo geral, aprecio suas ideias. Mas indo ao específico, discordo de dois pontos na sua escrita, que redundam numa coisa só. Quando você dá o exemplo dos islâmicos e quando faz referência a Freud.
    O condicionamento mental imposto pelas religiões só encontra eco nos indivíduos justamente por que este traz embutido (exceção feita a psicopatas e que tais) noções mais ou menos desenvolvidas da alteridade. Então, quando se estabelece um sistema de inter-relações em que o objetivo é a eliminação/anulação do outro, fisicamente ou intelectualmente, e isso é aceito como valor dominante, essa aceitação condiciona-se à compreensão de que o outro tem direito natural a ser diferente, tanto quanto o ‘eu’ do sistema de valores dominantes.
    Porque esse ‘eu’ não quer aceitar esse direito natural, ele se ancora na justificativa da pretensa determinação de um ser superior. Em outras palavras, o indivíduo transfere a responsabilidade de seus atos para o ser superior, da mesma forma que diante das perplexidades, angústias, perguntas para as quais não sabe a resposta, o medo da morte etc, esse individuo nega-se a seguir em frente com essas questões e tentar viver com elas.
    É muito mais confortável, intelectual e emocionalmente, só não elimina, por maior que seja o esforço no sentido da fé, a consciência de si e do outro.
    É esse conforto, penso eu, a razão da guerra que você menciona e que está ligada ao fato de que a pessoa crente se recusa a abandonar a explicação externa para o que somos e como somos e é por isso que crentes sentem tanta ira por ateus. A existência de ateus é uma provocação, um desafio ao senso de acomodação, da pessoa crente, na fé.
    Ateus ou crentes, somos seres humanos e a questão dura de engolir é que o nosso lado ‘feio’ na maioria das vezes predomina sobre aquilo que temos de bom ou belo.
    Então, na prática você está dizendo que os ateus têm que estar num patamar acima na questão moral; isso é duro de engolir.
    Penso que posicionamentos éticos e morais não têm de estar atrelados a crer ou não crer.
    No fim das contas, desconfio que somos ambos idealistas, cada qual á sua maneira.

  45. SS

    Bem, você sabe como é, não leve tão a sério, você já entendeu que ao provocar ateus também está sujeito a receber provocações, entenda que isto aqui é um fórum de debates e não um site de relacionamentos afins, ou é ?

    R: para mim é um passatempo que me faz refletir sobre a espiritualidade e sobre o sentido da vida.

    Então seus sentidos te indicaram que você pode ir mais longe? Concretamente, como foi a ou as experiências?

    R: quando acreditamos na nossa razão a dos outros passa ser desconsiderada, assim nasce os nossos pre conceitos, sei tambem que evidências próprias não são uteis aos outros ao não ser por intermédio da fé.
    Provavelmente as minhas experiências não significaram nada para voce alem de uma oportunidade para deboches , pois é diferente o saber e o sentir, mas que perguntou vou descrever uma que para mim significou muito.

    sou muito concentrado nos sentidos e os pensamentos pipocam o tempo todo, até para dormir sinto alguma dificuldade para relaxar, as vezes sou obrigado apelar para um bom e velho chuk…chuk…he..he..he..he… aih sim, durmo que é uma beleza! Mas deixando os prazeres de lado vamos para os sofrimentos que me ensinam mais :
    Atacado por uma febre alta, após ser medicado fui levado a um hospital, chegando la a febre ja havia diminuindo ,mas não sei por que cargas d’água o medico de plantão pediu que fosse feito uma radiografia do tórax, estando em pé a mulher começou , levanta o braço, abaixa o braço ai a voz dela foi diminuindo…diminuindo a visão ficando fraca e a ultima coisa que eu disse foi: “Eu acho que não estou muito bem!………Quando comecei a recobrar a consciência me sentia em pé meio que flutuando no nada, reparei que havia uma luz branca muito forte parecida com as fluorescentes, então minha consciência daquele ambiente foi aumentando cada vez mais, primeiro observei a luz, depois que não havia mais nem frio nem calor e uma temperatura muito confortável, tão boa era a sensação de bem estar, um silencio maravilhoso daqueles que te torna capaz de ouvir a si mesmo, foi neste estagio de consciência que comecei “a raciocinar: ” Que sensação maravilhosa, paz, silencio absoluto externo e interno, uma temperatura agradabilíssima,mas onde é que eu estou, pareço estar flutuando, será que o meu espirito saiu do meu corpo ? Será que eu morri ?………..Nisto ja comecei ouvir uma voz feminina muito fraquinha dizendo…moço …moço …o Sr. esta bem ?
    Fui abrindo os olhos percebendo que estava de joelhos no chão e a enfermeira segurando o meu braço, perguntava se estava tudo bem……sim! Me sentindo como o esquilinho da era do gelo que no momento exato de morder a castanha gigante no seu paraíso, foi ressuscitado pelo Sidney, puxado de volta para o seu corpo .
    Provavelmente se tivesse conseguido ficar mais tempo neste estado de consciência, provavelmente minha visão e os outros sentidos ficariam mais despertos, então muito provavelmente iria conseguir ver , ouvir e sentir outros espíritos.
    Uma coisa é certa eu perdi a consciência total do mundo fisico, não ouvia, enxergava, nem me preocupava mais com nada deste mundo ,nem a doença que afligia o corpo não me interessavam mais, posso dizer que a minha consciência e o meu sentido da vida, naquele instante ficaram verdadeiramente na paz absoluta, este estado de bem estar duraram para minha consciência pelo menos uma meia hora,mas ao voltar para o mundo fisico fui informado que havia perdido os sentidos apenas por uns 5 minutos, para mim o tempo é relativo ao estado que a consciência se encontra.

    Acredito que quando morremos nossos espíritos ou consciências possuam vida próprias e continuam interagindo com os pensamentos dos vivos, tenho certeza que não sou esquizofrênico, pois de outra vez a resposta não foi através de pensamentos e sim de fatos visíveis a outros , porem só no intimo do meu pensamento sabia que aqueles fatos ocorreram em uma resposta quase que imediata a um pedido meu considerado justo pela espiritualidade, que não era para me premiar , nem para me punir e sim para me ensinar a ser humilde, mas esta ja é uma outra estória………….

  46. ss
    entenda que isto aqui é um fórum de debates e não um site de relacionamentos afins, ou é ?

    R: não deveria, mas a vezes parece que é , né ?

    Que eu quero me livrar de uma vida da qual não gosto é interpretação exclusiva sua e nem imagino de onde você tirou essa babaquice, mas não precisa se dar ao trabalho de dizer.

    R: tirei das suas próprias palavras, tirei do seu próprio sentido da vida ou da crença da perda deles:

    E não, Criaturo, não quero viver eternamente, com ou sem consciência de dores e prazeres; faça a interpretação que quiser, só não precisa me dar os detalhes.

    R: Exatamente é isso que justifica o seu ateísmo!

    Parabéns pela honestidade!

    Gostaria de poder falar mais, mas em respeito as suas limitações espirituais eu vou me conter, alem do mais não fara mais sentido expor a razão do seu intimo, quando ja é uma velha conhecida sua.

    Não faço mesmo ideia de qual seja o enredo de uma igreja que se alcunha da “Irradiação Mental”, mas fico bem feliz na minha ignorância.

    He…he..he…he..he…o importante é ser feliz, em saiba que a sua ignorância é divina.

    Igreja de ateu é imbecilidade ao quadrado, parece que em algum lugar desse mundo tem uma coisa assim. Você poderia frequentar, para obter “opiniões divergentes”.

    R: primeiro diz que a igreja dos outros é motivo de piadas, agora diz a dos ateus é uma imbecilidade ! Tá difícil te agradar heim ? bom, pelo menos ja ta conseguindo desapegar um pouco do extremista partidarismo ateu.
    olhando pelo lado pedagógico sim, mas tenho medo dos meus ataques de risos não serem compreendidos,das minhas idéias então…..seria praticamente um suicídio, você não perde essa mania de bancar advogada do diabo.

    P.S.: sugiro que você procure num dicionário o significado da palavra ‘piegas’.

    R: voce entendeu.

  47. ss

    sou simpatizante da doutrina espirita kardec e do verdardeiro cristianismo que ela prega e da o exemplo, mas não sou partidário radical de nenhuma religião, procuro apreciar as boas idéias sem preconceitos de fontes.

    Sabe que eu me dei conta de uma coisa? A sua descrição desse seu deus faz pensar numa tartaruga.

    R: vou me esforçar mais pois a intenção era fazer pensar no Todo, tudo e todos interagindo formando o Uno, mas ja é um bom começo pensar como um processo formado por um acaso casado com leis cegas e burras conseguem formar seres inteligentes e complexos como uma tartaruga ?

    Como você deve saber, as tartarugas põem seus ovos e dão no pé, deixando as futuras tartaruguinhas por conta própria.

    R: independente da sua falta de razão espiritual, o fato é que a razão divina cria e mantem a vida não apenas das tartarugas assim também de infinitos seres com maior ou menor complexidade que uma tartaruga, relaxa de onde saiu essas sairão outras novamente, a vida é eterna mas nunca poderá ser uma mesmice, um dia voce é a caça outro dia o caçador, até o dia que tanto a caça quanto o caçador percebam que são Unos, então conhecerão outra realidade consciênte.
    assim como Deus provem os meios necessários para a existência das tartarugas ele provem do seres mais frágeis, aqueles que nascem pelados, não andam , nem poderiam sair correndo procurando um abrigo, ou uma forma de tentar sobreviver pelo seu próprio esforço, neste caso a sabedoria divina provem as “tartarugas pais”, para acolhe-las e ensina-las a andarem com sua próprias pernas, até o dia que elas consigam reconhecer que não irão alem das tartarugas.

    O seu poderia ser algo como:
    “We’re still eggs”.
    Tudo a ver, não é?

    R: voce ta inspirada! Ovo tem tudo haver com o sentido da sua vida , afinal sua existência neste mundo não iniciou-se a partir de um egg?

  48. ss
    Em outras palavras, o indivíduo transfere a responsabilidade de seus atos para o ser superior, da mesma forma que diante das perplexidades, angústias, perguntas para as quais não sabe a resposta, o medo da morte etc, esse individuo nega-se a seguir em frente com essas questões e tentar viver com elas.

    R: com licença!Nem um juiz humano aceitará essa desculpa, talvez ateus não suportando nem a possibilidade de serem obrigado a viver eternamente com sofrimentos e os prazeres parecidos com os atuais, negam -se admitir essa hipótese e passam a crerem e até desejarem inconscientemente (assim espero) no final desses sentidos.

    é por isso que crentes sentem tanta ira por ateus. A existência de ateus é uma provocação, um desafio ao senso de acomodação, da pessoa crente, na fé.

    R: Fala sério! voce s ateus são os estímulos para minha fé, a não ser que consigam melhorar o nivel das argumenta da fatal perda da razão
    que todos voces aguardam…he…he…he…he… esta é a divina comédia humana na terra:

    Alguns acreditam no inferno da punição eterna, mas só para os outros.
    outros pensam que se transformarão em anjos no paraíso eterno.
    outros se apegaram tanto ao planeta que acreditam que a terra se transformará no paraíso eterno.
    E por fim os ateus que possuem tanto medo que a vida continue exatamente de onde parou, com as mesmas lagrima e risos que passaram dar credito a morte eterna, ou seria de fato no descanso ou um alivio da vida eterna?

    No fim das contas, desconfio que somos ambos idealistas, cada qual á sua maneira.

    R: exato ! uns na continuação da vida , outros no fim dela.

  49. Criaturo

    Deixa ver se entendi.
    Você adoeceu, foi levado a um atendimento médico, teve um piripaque et…voilá! Isso se transformou numa experiência mística.
    Então tá, né, fazer o que…
    E como pelo visto você já diagnosticou minha psique até do avesso, nem perco tempo em tentar contrapor a minha visão de vida e morte, ainda que o normal seria que a pessoa mais indicada para saber o que anda pela minha cabeça seja eu mesma.
    Coisas de Criaturo.
    Não é que eu seja difícil de contentar, Criaturo. Acontece que coisas razoáveis tem que ser…razoáveis!
    Igreja de ateus é um baita dum contrassenso. Acho até que fui comedida. Igreja de ateus não é imbecilidade ao quadrado; é imbecilidade ao cubo elevada à enésima potência.
    Eu preciso avisar minha mãe que ela é um caso único na história da humanidade: a primeira mulher a ter uma filha por partenogênese, já que meu pai só estava lá na hora H de figurante, não contribuiu com um espermatozoide na confecção da minha pessoinha. Sou fruto só do óvulo dela uau!!!
    Típico pensamento seletivo crente. A explicação das coisas tem que ser efetuada usando só a parte que combina.
    Forma um par certinho com essa estrovenga: “falta de razão espiritual”. Hoje você está inspirado!
    E está mesmo, até quando não entende o que escrevi, pois você só fez reforçar meu argumento quando diz que nem um juiz humano etc etc.
    De fato, quando um terrorista islâmico explode um bocado de gente inocente achando que está fazendo a vontade do deus dele, a Lei não dá a mínima para essa versão dos fatos. Entende que tratou-se de uma escolha entre matar ou não matar, isto é, entende que apesar da crença, o terrorista sabia perfeitamente que não cabia a ele decidir sobre vida e morte, e tinha domínio da compreensão de certo e errado.
    Valeu, Criaturo!

    Sobre ser idealista, eu estava falando com o Rodrigo.

  50. SS

    E como pelo visto você já diagnosticou minha psique até do avesso,

    R:são sua palavras que apresentaram sua psique

    nem perco tempo em tentar contrapor a minha visão de vida e morte,

    R: para fins de debates sou todo ouvidos

    ainda que o normal seria que a pessoa mais indicada para saber o que anda pela minha cabeça seja eu mesma.

    R: ok !Dra shirley

    Coisas de Criaturo.
    Não é que eu seja difícil de contentar, Criaturo. Acontece que coisas razoáveis tem que ser…razoáveis!

    he…he…he..he

    Igreja de ateus é um baita dum contrassenso. Acho até que fui comedida. Igreja de ateus não é imbecilidade ao quadrado; é imbecilidade ao cubo elevada à enésima potência.

    R: não vejo uma Assembleia dos Ateus dos Últimos Dias como uma como uma imbecilidade, apenas um grupo limitado de pessoas unidas por afinidades do mesmo equivoco.

    Eu preciso avisar minha mãe que ela é um caso único na história da humanidade: a primeira mulher a ter uma filha por partenogênese, já que meu pai só estava lá na hora H de figurante, não contribuiu com um espermatozoide na confecção da minha pessoinha. Sou fruto só do óvulo dela uau!!!

    R: isso não é uma exclusividade humana

    De fato, quando um terrorista islâmico explode um bocado de gente inocente achando que está fazendo a vontade do deus dele, a Lei não dá a mínima para essa versão dos fatos. Entende que tratou-se de uma escolha entre matar ou não matar, isto é, entende que apesar da crença, o terrorista sabia perfeitamente que não cabia a ele decidir sobre vida e morte, e tinha domínio da compreensão de certo e errado.

    R: a justiça humana não poderia agir de outra forma amar para ser amado.

    Valeu, Criaturo!
    Sobre ser idealista, eu estava falando com o Rodrigo.

    R: eu pedi licença para meter o bedelho e aproveitei a sua frase para evidenciar a divergência entre um ateu e um teista, ou seja um acredita na sua existência eterna e outro mesmo existindo enquanto ser, acredita na sua eterna inexistência .

  51. Criaturo

    A menos que o seus Deus Tartaruga esteja investindo em novas modalidades de seres humanos, partenogênese simplesmente não ocorre em humanos.
    A respeito da sua ironia: ‘ok, Dra. Shirley’, devo supor que todos nesse mundo, exceção feita a mim, andam com um psicólogo a tiracolo dia e noite, para interpretar tudo que pensam e sentem?
    E você continua não entendendo nada do que escrevi sobre os indivíduos serem os responsáveis por toda e qualquer decisão, independente da influência de qualquer credo em qualquer coisa.

  52. Criaturo

    “sou simpatizante da doutrina espirita kardec e do verdardeiro cristianismo que ela prega e da o exemplo”

    Cuidado que o vigilante do único deus verdadeiro está a postos,se o verborrágico DR te pega dizendo uma barbárie dessas, vai te atacar com um texto de trezentos metros de extensão e uns cento e tantos links de gente autorizada (leia-se padres e teólogos da ICAR) demonstrando por ‘A’ + ‘B’ que o deus católico é o único verdadeiro.

  53. SS
    Acho que me deixei levar pelas afinidades,mas o certo seria dizer que acredito que a doutrina espirita do Allan kardec seja a que mais se aproxima do verdadeiro cristianismo, ja fiz alguns questionamentos ao DR ,mas ele ignorou,parece que só esta disposto a falar,quero dizer a brincar de copy/ past.
    Pois é, nessa briga entre religiosos partidários destaca-se o orgulho, conheci alguns mórmons que afirmaram que a religião deles era a unica autorizada por Deus, pois somente eles possuíam os doze apóstolos…que piada…ha.ha.ha.ha
    Vaidade clássica de todo crente evangélico : “Tipo na minha casa só desce o espirito santo, na dos outros apenas o capeta tentando enganar as pessoas.
    Nós somos “os filhos de Deus” quem não nos seguem são apenas as criaturas de Deus, é isto que justifica o meu pseudônimo, uma afronta ao orgulho crente.
    ” supondo que Jesus reencarnasse novante em outro corpo e dissesse que veio completar seu ensinamentos comprovando a reencarnação, fatalmente esses tipos de religiosos fanáticos usariam a biblia para poder crucifica-lo novamente , falando que ele tinha sido enviado pelo diabo.

    A menos que o seus Deus Tartaruga esteja investindo em novas modalidades de seres humanos, partenogênese simplesmente não ocorre em humanos.

    R: quis dizer que muitas criaturas nascem de ovos proveniente da fusão de duas células que se complementam,mas penso que a vida iniciou-se sem a necessidade do sexo ou seja apenas uma célula que ao se dividir criou formou dois seres que se complementam, ao reunirem se formou-se entre eles um novo ser e assim segue ate´os dias de hoje.
    Esta seria mais ou menos a minha gênese humana.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: