Deus e os aviões na Terra dos Cristãos

Autora: Shirley S Rodrigues

Embora os seguidores da fé cristã estrilem sempre que acham que seu Deus foi desrespeitado, são eles que invariavelmente o expõem a situações, no mínimo, constrangedoras. E se Deus existisse, de fato, só teria duas opções: emudecer para sempre seus seguidores ou desaparecer no buraco-negro mais próximo.

Há um “argumento” que cristãos em geral apreciam muito, por suporem que com ele calam a boca dos ateus definitivamente. Levados às cordas, eles apelam para isso: “A bordo de um avião que está na iminência de um desastre, todo ateu passa a acreditar em Deus rapidinho”. Ou qualquer variação sobre o tema.

Vamos admitir que isso de fato aconteça; que um ateu, vendo-se prestes a se esborrachar contra o solo, apele a Deus. Os cristãos terão provado seu argumento. E só. O principal, que é na verdade o objetivo original — provar que Deus existe — eles não conseguem, claro.

E colocam seu Deus numa baita “saia justa”. Supondo-se que Deus existisse, o que ele teria que fazer na eventualidade de ter um ateu implorando por sua vida dentro de uma aeronave que despenca?

Se comovido (ou todo convencido) por ver alguém que sempre o negou afinal reconhecendo sua existência, ele o salvasse, evitando o desastre do avião, ele estaria demonstrando um grau absurdo de vaidade. Isso estaria muito de acordo numa personalidade como a de Zeus, mas não ficaria nada bem para Deus como dizem que ele é.

E se Deus fizesse ouvidos moucos ao ateu —  afinal, se o ateu viveu sem Deus, por que acha que poderia apelar a ele para não morrer? — e deixasse acontecer o desastre, isso seria justo para os demais passageiros, crentes dele em sua maioria?

E o que dizer dos outros desastres de avião? Quer dizer, Deus ficou impassível, deixando que centenas e centenas de pessoas morressem só porque nesses aviões não havia nenhum ateu para dar o braço a torcer?

E, assim, o pobre Deus se vê preso ao recorrente e mundano dilema de “se correr o bicho pega, se ficar o bicho come”.

Com seguidores assim, quem precisa de inimigos? Por falar em inimigos, Lúcifer deve estar aposentado há milênios, pois ninguém é mais eficiente para desmoralizar Deus do que os próprios cristãos.

Anúncios

68 Respostas

  1. Prezados,

    Tenho visto que a cada dia que passa vocês tem feito muito mais do que os evangélicos deveriam fazer que é propagar o nome de Deus e Jesus Cristo, nao parem pois esta escrito que quando todos ouvirem falar de Jesus ai sim ele volta…
    obrigado pelo ótimo trabalho que vcs tem feito…

  2. Shirley,

    Seu texto está bem legal, bem escrito… Mas é baseado em argumentos de crente ignorante. O crente ‘prensar’ o ateu com essa possibilidade d’ele chamar por Deus num avião caindo é, no mínimo, patético.

    Essa coisa de que é na dor e na iminência da morte que se procura Deus, é falacioso, isso não faz sentido. Realmente vocês, muitas vezes, fazem um trabalho melhor do que os próprios cristãos. Entretanto, existe um detalhe que meu marido sempre fala: o cristianismo não é igual no mundo inteiro, ele é adaptado segundo a cultura de cada povo, de cada país.

    Cristãos norte-americanos, por exemplo, são bem mais liberais e menos fanáticos. O cristão europeu é mais científico. Tenho um amigo que se naturalizou francês e anos depois tornou-se cristão. A diferença de mentalidade é enorme. Conversamos sobre essas diferenças.

    O cristão africano é feliz e só quer amar e ajudar o próximo.

    O povo brasileiro é irresponsável, místico demais, apolítico demais, ignorante demais; racista e preconceituoso. Isso reflete em qualquer atividade, e não é diferente no campo religioso. Portanto, esse deus aí do seu texto não existe mesmo hehehe.

    Continue colaborando com seus textos ;)

  3. Um colega de trabalho me veio com essa também:

    “Se você estivesse num avião cujas turbinas parassem de funcionar em pleno voo, eu garanto a você que você iria clamar por Deus e pedir pra ele salvar a sua vida.

    Aí eu perguntei: “E Deus me salvaria?”. Precisava ter visto a cara que ele fez. Responder com “sim” seria assinar um atestado de imbecil, visto que você teria que supor que todas as pessoas que morrem em desastres aéreos, mesmo as mais religiosas, não clamaram a Deus pelas suas vidas naquele momento de desespero. Responder com “não”, poderia suscitar mais uma pergunta: “E de que porra adiantaria um ateu pedir a Deus pra lhe salvar a vida?”.

  4. pois esta escrito que quando todos ouvirem falar de Jesus ai sim ele volta…

    Que bichona, esse Jesus, hein? Quer chegar arrasando! Xô anonimato!

  5. Segundo o Evangelho da Day só o cristao brasileiro é que é filho da puta vagabundo miseravel. O povo lá de fora é o “bom”
    so o brasileiro cristao é preconceituoso e racista, ainda bem que eu e outros aqui nao se incluem , afinal nao somos cristaos!!!
    Ate o proximo besteirol day!!

  6. Day,

    tudo, absolutamente tudo de bom ou ruim atribuído a Deus é falacioso. Não passe vergonha de novo mencionando Ciência e História, por favor… Então o que resta pro cristão além da fé ?

    Numa análise crua e simples é mesmo estranho acreditar em coisas que não se comprovam. Para muitos deve mesmo existir benefícios que justifiquem tamanho auto-engano. Na verdade bem sabemos que se Deus existe, mesmo que seja só na cabeça das pessoas, há tanto tempo, certamente há vantagens que expliquem isso. Mas admitir essa relação de utilidade da crença é o maior passo para acabar com ela. A questão é extremamente complexa e o ciclo da fé só se fecha em si mesma. Sua fragilidade tenta se disfarçar de grandeza, ou pior, de sabedoria e moral mas a razão vem para trazer desconforto e constrangimento.

  7. Greg, já disse para você ler mais. Minha colocação é antropológica. A mentalidade do brasileiro foi descrita e não a do cristão brasileiro. Você, por exemplo, é a cara do brasileiro mal educado, e nem é cristão. O brasileiro que vota sempre no inimigo é apolítico, e nem sempre é cristão. O brasileiro que aceita bolsa família e se encosta nela e até faz mais filhos para aumentar a renda, nem sempre é cristão. O brasileiro que nem sabe o que é PIB, e muito menos sabe reivindicar seus direitos constituídos, nem sempre é cristão. A má educação e formação cultural/intelectual do brasileiro nada tem a ver com fé. Por que será que a fé de vocês os cegam tanto que os impede de praticar coisas simples como um bom debate, um bom papo? Queridos, a maior falácia do ateu é atribuir a Deus (que não existe) os erros do homem.

  8. Fernando inconclusivo,

    “tudo, absolutamente tudo de bom ou ruim atribuído a Deus é falacioso. Não passe vergonha de novo mencionando Ciência e História, por favor… Então o que resta pro cristão além da fé ?”

    – Meu caro, todo mundo, com um mínimo de bom senso e conhecimento, pode e deve falar sobre qualquer assunto. Se você não concorda com Newton (!) refute-o e não a mim. Quanto à fé, nem dá para discutir, você é bem grandinho para saber disso, contudo, vituperar os direitos do outro é absolutamente imoral.

    “Numa análise crua e simples é mesmo estranho acreditar em coisas que não se comprovam. Para muitos deve mesmo existir benefícios que justifiquem tamanho auto-engano.”

    – Poderíamos fazer uma interminável lista de coisas que não se comprovam e ainda assim elas existem. E esse é o glamour da existência humana não materialista.

    “A questão é extremamente complexa e o ciclo da fé só se fecha em si mesma. Sua fragilidade tenta se disfarçar de grandeza, ou pior, de sabedoria e moral mas a razão vem para trazer desconforto e constrangimento.”

    – Que besteirol é esse?! Se o ciclo de fé se fechasse em si mesmo, a ideia de Deus não teria ganhado o mundo desde sempre. Em pleno séc.XXI a fé já estaria erradicada da humanidade. Desculpe se me valho de Estatística para refutá-lo. Fé e razão convivem muito bem nos honestos. De fato o homerm sempre buscou sabedoria e conviver dentro de preceitos morais, mas daí a provocar constrangimentos?! Para quem? Para ateus? Você nem pensa no que escreve,

    Disse Blase Pascal que a verdadeira moral não se preocupa com a moral. Ele quis dizer que a moral do juízo e da razão não se importa com a moral do espírito, pois esse não tem regras. Sabe o que significa? Que somos o que queremos ser. Não depende de religião, mas de algo que temos em nós mesmos. Se você xinga uma mulher sem nenhuma razão, essa é sua moral; mas se, por outro lado, consegue se manter educado em um debate, isso é seu também, é sua moral, mesmo sendo ateu (vide Shirley). Portanto, melhor seria conversar com as pessoas independente de suas convicções, caso contrário, caímos nas armadilhas das ofensas como você fez lá no outro post. E eu também.

    Para mim é fácil me desculpar, inclusive com o GREG que acarretou em você defendê-lo sendo baixo comigo. O homem se respeitar e se perdoar entre si, nada tem a ver com religião ou fé. Mas eu duvido que você e GREG tenham entendido tais pensamentos. Uma pena mesmo.

  9. Deus-Jesus ou Jesus-Deus criou o Universo mas como qualquer reles mortal precisa de um serviço de marketing; e nisso vale até o “falem mal mas falem de mim.”

    O Rafaelzinho ficou preocupado que não entendessem como funciona a eficiência 100% dos cristãos em avacalhar seu Deus e nos fez o favor de desenhar.

    Parabéns Rafaelzinho, ficou perfeito seu desenho, merece nota A+ com estrelinhas.

  10. Curti seu texto. Sou cristã-católica e cara..é dificil entender Deus…as vezes tenho uma certa vergonha de mostrar minha crença devido as besteirinhas que cristãos têm feito e sempre fizeram e porque parece que faz muito mais sentido discutir questões sociais e políticas sem interferências religiosas. Ultimamente não sei muito o que pensar, sou musicista e vejo muitas injustiças cometidas pelas autoridades em relação a arte e a educação e as injustiças cometidas pela sociedade (também por cristãos) em relação a homossexualidade.
    Desculpem por escrever esses fatos que me ocorrem, que acredito não interessar a vcs, mas sabe quando vc precisa de algum lugar ou alguém para desabafar sobre as dúvidas da vida? Não que esse seja um espaço para isso, mas, enfim, só sei que não sei de nada dessa vida, vou apenas viver e me preocupar com o próximo, procurar fazer o bem, defender as minorias, não importa se creio ou não em Deus, o que importa mesmo, são escolhas que faço para o bem comum sem prejulgar ninguém por ser diferente a mim.

  11. Erica

    As coisas que interessam a você fazem parte das coisas que interessam a todos.

    Se desculpa a franqueza, envolver Deus na vida nossa de cada dia é no mínimo perda de tempo.
    Vi agora mesmo uma notícia que expõe isso de forma cristalina.
    Cidades do interior de São Paulo, inclusive a Basílica de Aparecida suspenderam todas as formas do ritual que envolvam contato direto entre as pessoas, o momento da hóstia incluso, devido ao perigo de contágio do vírus H1N1.

    A maioria das pessoas concorda com isso, embora uma devota tenha afirmado que: “Quando se tem fé, nenhuma enfermidade te pega.”

    Essa situação é didática de várias formas. Por um lado deixa claro que quando se trata da vida real, nem os padres confiam no poder de Deus para livrar seus crentes de problemas, nem mesmo quando estão dedicados a louvá-lo.
    Por outro lado, evidencia como a fé tem o poder de piorar o que já é ruim.
    A fala da tal devota faz a gente ficar pensando na baderna mental que a religião provoca nas pessoas.
    Essa mulher não percebe que ou passa por mentirosa, dizendo que nunca ficou doente por “ter fé” – e não há quem nunca tenha tido alguma doença – ou está julgando as demais pessoas, dizendo que elas fingem ter fé, por isso adoecem.

    Quanto a mim, penso que é essencial, para ser uma pessoa mais razoável, não acreditar em deus de nenhuma espécie.

  12. Sim. Entendo vc perfeitamente e acho que tem razão. O próprio Ser Humano é quem deve mover o mundo, não ficar sentado “À Espera de um Milagre”. E nesse mundo onde tantas coisas acontecem, não há mais tempo para Deus e paciência para esperar as coisas aconteceram no seu tempo…E sobre essa “devota”, ela é um exemplo de cegueira e alienação religiosa… afff…espero nunca ser assim…eu vejo as possibilidades da vida, com Deus e sem Deus, mas estou em processo de análise eheh.

  13. Shirley,

    É uma visão muito individual mesmo. Há milhões e milhões – bilhões? – de pessoas razoáveis que têm fé, assim como há outros tantos (ou mais) longe de carregarem bom senso. Ainda não fiz a estatística oficialmente, mas me parece que grandes guerras e genocídios foram praticados por pessoas sem religião ou fé (ateus), principalmente nos países comunistas. Não há como imaginar um mundo sem crença ou códigos de moral. Desde que entrei aqui, já vi de tudo, mas as piores posturas e palavras, enfim, todo tipo de ofensas, partiram de ateus. Sei que a sensação de liberdade é ótima, entretanto, há um consenso subentendido de conduta moral entre todos os homens de todas as nações (exceto as comunistas). Por exemplo, e é só um exemplo. Se o que o rapaz falou para mim aqui fosse pessoalmente, ele teria apanhado, levado uma boa surra e ainda por cima um processo. Acho que alguma coisa é proveitosa na religião séria: faz com que homens se respeitem mutuamente. Já um mundo sem regras, na base do oba-oba é inimaginável.

    E como costumo provar o que falo, sei que você não o fará, mas se fosse o contrário, ou seja, você mulher, entrasse em um site religioso, eu duvido que seria ofendida de forma tão baixa. E não somente site cristão, mas de qualquer segmento espiritual. Você pode ser exceção, mas os neoateus saem cultura e educação têm feito verdadeiro estrago na rede, principalmente pela sensação de impunidade. E sabemos que atos praticados por essa razão, geralmente são atos criminosos. É só uma reflexão.

    Abraço..

  14. Day

    Preferi usar a palavra “razoável”, por efeito de síntese de várias outras coisas.
    Ainda não conheci uma única pessoa que tenha se tornado um ser humano melhor em função de crer em Deus, ao contrário. A crença acoberta ou oferece refúgio mental a uma infinidade de posicionamentos antiéticos, preconceituosos, antissociais.A crença interpõe uma barreira entre a pessoa e o conhecimento possível das motivações de seus atos, até de seus sentimentos em relação a outros.
    A noção de que basta ter uma crença em um ser jamais visto, tocado, sentido, faz justificar muita coisa torpe ou censurável; faz a pessoa não se ver, mas curiosamente a habilita a enxergar nos outros aquilo que ela mesma pratica. E vendo, condenar e afirmar que é a falta de religião, fé, Deus, whatever, que a faz ser assim.
    Sou convicta partidária da ideia de que só aceitando o conhecimento de que somos capazes de fazer coisas terríveis a nós mesmos e aos nossos semelhantes é que podemos tentar mudar essa tendência.
    Muitas vezes, na verdade na maioria do tempo, não se trata de coisas terríveis, mas de coisas do dia-a-dia mesmo.
    Você menciona os grandes genocídios e diz que a maioria foi praticada por ateus. E deixa subentendido que se tais pessoas seguissem Deus, esses genocídios não teriam acontecido.
    Fala também de consensos morais e liberdade relativa.
    Vamos por partes. Primeiro, precisamos considerar que a moral não é o norte universal da espécie humana. Moral é relativa, diz respeito a conjuntos de códigos de segmentos sociais específicos. Até entre bandidos há códigos morais.
    A ética é que é, ou deveria ser, o norte universal do comportamento humano.
    Dias atrás um ‘anônimo’ esteve falando aqui de vários genocídios. O genocídio armênio foi perpetrado por turcos sobre a minoria armênia. Os turcos otomanos da época eram muçulmanos.
    O genocídio dos nativos dos EUA foi perpetrado por cristãos.
    O genocídio promovido pelos nazistas que incluiu outras minorias além dos judeus foi praticado por cristãos e contou com a aprovação e omissão de cristãos.
    Em menores proporções, temos a Guerra dos Boêres, opondo holandeses e ingleses, durante a qual a ideia de campos de concentração surgiu; morreram cerca de vinte mil pessoas. Os dois lados eram cristãos.
    Sob a inspiração maoísta a China teve milhões de mortos; no Camboja, Pol Pot promoveu uma carnificina; Stalin dispensa apresentações.
    Esses três últimos eram ateus. Mas tinham muito em comum com seus predecessores cristãos.
    Todos eles, falando por si mesmos ou em nome de seu deus foram odiadores da humanidade.
    Nenhum tinha ética; nenhum quis reconhecer que aqueles a quem subjugaram e mataram eram seus semelhantes, valiam o mesmo que eles, tinham os mesmos direitos fundamentais. Esse reconhecimento é a ética posta em prática.
    Quando se trata das bestas humanas, acreditar ou não num deus qualquer é irrelevante.
    Você também dá a entender que há uma associação implícita entre ser ateu e se portar de forma ofensiva, como se o indivíduo optasse pelo ateísmo apenas no intuito de se ver livre das amarras e convenções sociais, das regras da boa convivência.
    Essa é uma mentalidade comum aos crentes, e preconceituosa.
    Embora saiba que você vai detestar isso, preciso dizer que nunca, jamais, fui e nem seria alvo da ofensa que o Fernando lhe dirigiu.
    Porque jamais me colocaria em posição de alvo.
    Tudo que a gente faz tem consequências; inúmeras vezes você mesma usou uma linguagem e uma forma de se dirigir aos outros que está muito próxima do que o rapaz fez.
    Em outras palavras, você deu margem a que a desrespeitassem.
    Se eu resolver adotar outra linha de comportamento, pode estar certa de que estarei à espera da reação correspondente.
    Com isso não estou dizendo que o rapaz está certo em se dirigir a você daquela forma. Foi horrível para mim ler aquilo e espero que esse Fernando não seja o mesmo que costuma comentar aqui, isso não foi digno de um homem que se respeite.
    Até palavrões e expressões chulas tem que ter um contexto

  15. Barros você disse:

    “”Com seguidores assim, quem precisa de inimigos? Por falar em inimigos, Lúcifer deve estar aposentado há milênios, pois ninguém é mais eficiente para desmoralizar Deus do que os próprios cristãos””.

    Penso que os conceitos sobre “Deus”, passados por todas as teologias, são demeritórios porque atribuem a ele a responsabilidade pela aprendizagem do ser humano (por ensaio e erro e suas desastrosas consequências), na construção do seu próprio conhecimento.

    Penso que por algum motivo não conhecido encaramos essa aventura terrena que constitui basicamente em: vir, sem memória e conhecimento, tendo que construí-los aqui; e, voltar sem saber quando, pra onde, e de forma desastrosa…

    Esquecemos que isto é apenas um jogo, cujas regras podem ter sido definidas por nos mesmos e, só podem ser reveladas ao retornarmos, ou, após a decifração desse jogo e suas regras, o que só acontecerá com a evolução do conhecimento científico e com a conquista do “CONHECIMENTO ABSOLUTO” como venho dizendo…

    http://antonioferreirarosa.blogspot.com.br/2013/05/a-origem-do-poder-de-deus.html

  16. CORREÇÃO:

    Shirley, referi ao Barros como autor do texto, sendo ele de sua autoria… desculpe-me…

    Antônio Rosa.

  17. Antonio Rosa

    Isso ficou muito confuso.
    Quando você usa a palavra ‘demeritório”, atribuindo-a a um “ele”, que no caso seria Deus, deixa implícito que acredita na existência desse ser.
    E ao mesmo tempo o coloca como uma coisa perfeitamente inútil, já que ele só teria nos largado por aí em alguma dimensão e em algum estado de matéria para que a gente se virasse conforme fosse possível.
    E tudo isso para que eventualmente estejamos na condição de dar um pé no criador, já que estaremos pelo menos em condições de igualdade com ele?

  18. Obrigada pela explanação. Você é digna de atenção. Como estou assistindo ‘Guerra dos Tronos”, replico amanhã, na boa. :)

    Boa noite, Shirley..

  19. Shirley, você disse:

    “”E tudo isso para que eventualmente estejamos na condição de dar um pé no criador, já que estaremos pelo menos em condições de igualdade com ele?””

    Minha cara debatedora, realmente acredito em “Deus” enquanto inteligência por traz da nossa aventura na terra, mas, não acredito em Deus como alguém capaz de interferir premiando ou castigando, muito menos como alguém capaz de mudar um planejamento anterior antes da efetivação do seu objetivo. Portanto, por mais estranho que possa parecer, o sofrimento da humanidade tem um propósito e, Já escrevi cogitando sobre ele em: http://antonioferreirarosa.blogspot.com.br/2011/05/resumo-de-uma-nova-teologia-para.html

    Quanto a sua última afirmação destacada entre aspas: Não creio que uma espécie que desenvolva o conhecimento até ao absolutismo tenha problemas do tipo rejeitar algum semelhante, ou como você diz “dar um pé no criador” por qualquer motivo, muito menos por estar em condição de igualdade…

    Penso que no apogeu da evolução, na condição de seres superiores que seremos, sentimentos e atitudes humanas primitivas como o ódio, o egoísmo, a rejeição, terão desaparecido a muito tempo… Apenas sentimentos de amor, alegria, prazer, paz, serenidade e harmonia ocuparão a nossa essência…

  20. Oi, Shirley, só alguns apontamentos que achei bem radicais

    “Preferi usar a palavra “razoável”, por efeito de síntese de várias outras coisas.
    Ainda não conheci uma única pessoa que tenha se tornado um ser humano melhor em função de crer em Deus, ao contrário. A crença acoberta ou oferece refúgio mental a uma infinidade de posicionamentos antiéticos, preconceituosos, antissociais.A crença interpõe uma barreira entre a pessoa e o conhecimento possível das motivações de seus atos, até de seus sentimentos em relação a outros.”

    – Você é boa na arte de escrever e argumentar, todavia, numa análise mais atenta a gente nota alguns enganos seus, o que é natural, afinal você é humana e pode cometer equívocos como qualquer um, principalmente por ser ativista ateísta que, mesmo que de forma subliminar, flerta com uma sinistra esquerda. Aprendi que um discurso de teor unilateral nunca é totalmente honesto e, não raro, é perigoso, já que é característica de práticas humanas não muito louváveis como o terrorismo (mesmo psicológico), ditadura (civil ou militar), para não citar outros exemplos. O mal do ativista ateu geralmente é se esquecer de que para todo e qualquer assunto existem argumentos que podem advogar e legitimar uma posição ideológica, política, etc. O princípio da democracia é justamente permitir a diversidade de opiniões e ideais.

    Exemplo, você afirma, peremptória

    : “Ainda não conheci uma única pessoa que tenha se tornado um ser humano melhor em função de crer em Deus,”

    Isso não pode ser verdade. Mesmo que não haja muita gente onde você mora, esqueceu dos conhecidos pela humanidade, a saber: Mahatma Gandhi , Dalai Lama, Dorothy Stang, e a lista é grande. Sem contar com a História que mostra o cristão limpo, sadio e honesto, antes de Constantino e o Catolicismo. Quando digo que é necessário ter um olhar bifocal é por isso. Nós temos a tendência de ignorar fatos que não nos interessam. A verdade é que há religiosos muito bons, realmente interessados no bem da humanidade. Como há ateus, da mesma forma, principalmente os cientistas.

    Se adentrarmos no campo das probabilidades essa sua afirmação perde o sentido. Você é inteligente o suficiente para saber que é impossível haver bilhões de pessoas de fé e todas serem ‘não razoáveis’. Desculpe bater nessa tecla, é que quando estudei Administração, Estatística foi uma matéria que salvou minha vida; passei a entender o mundo e o homem bem melhor. E a noção da relatividade é uma ferramenta indispensável para entendermos o mundo em que vivemos.

    “A noção de que basta ter uma crença em um ser jamais visto, tocado, sentido, faz justificar muita coisa torpe ou censurável; faz a pessoa não se ver, mas curiosamente a habilita a enxergar nos outros aquilo que ela mesma pratica. E vendo, condenar e afirmar que é a falta de religião, fé, Deus, whatever, que a faz ser assim.”

    – Entendo que haja mesmo incontáveis exemplos dessa odiável postura, mas não serve como argumento, pois está generalizando outra vez. Seria a mesma coisa de eu dizer que todo ateu é imoral, nenhnum deles vale nada; são sujos, antiéticos e indignos de confiança. Eu estaria generalizando e então meu argumento em um debate seria raso e sem credibilidade. Melhor afirmarmos que “grande parte… “alguns”… “tantos por cento”… Isso sempre é mais honesto. (Gostei de ‘whatever’)

    “Sou convicta partidária da ideia de que só aceitando o conhecimento de que somos capazes de fazer coisas terríveis a nós mesmos e aos nossos semelhantes é que podemos tentar mudar essa tendência.”

    – Perfeitamente! Por isso as Leis foram implantadas na sociedade humana. Eram épocas rudimentares, mas o homem já sabia do que o homem era capaz. Daí as Leis.

    “Você menciona os grandes genocídios e diz que a maioria foi praticada por ateus. E deixa subentendido que se tais pessoas seguissem Deus, esses genocídios não teriam acontecido.
    Fala também de consensos morais e liberdade relativa.”

    – Eu não afirmo ‘ a maioria’, inclusive disse que faria um estudo oficial, contudo, lembrei da Fátima Tardelli que, mesmo sendo atéia convicta e praticante, chegou à conclusão de que há homens bons e honestos nos dois lados da moeda.Diz ela que a postura moral e ética do ser humano independe suas crenças ou descrenças. A meu ver, essa é uma boa olhada simples e imparcial sobre a humanidade. Os blogs dela e do marido são fórum de discussões, mas com direito a briguinhas e ofensinhas, mas geralmente por parte de crentes (!), tamanha a honestidade dela e do marido. Eu já mencionei a semelhança da Fátima Tardelli com você, exceto pela sua leve tendência ao discurso radical.

    “Até entre bandidos há códigos morais.
    A ética é que é, ou deveria ser, o norte universal do comportamento humano.”

    – Não creio que haja moralidade entre bandidos, seus códigos só têm serventia para cercear a liberdade nossa de irmos e virmos. Sua moral, como se diz, está debaixo dos pés, bem como seus corações. Talvez não seja sua intenção, mas essa ‘defesa’ da bandidagem é prática esquerdista. Não deveríamos atribuir qualidades do homem de bem a bandidos; é disso que a mídia vive: ao focar o bandido, o marginal, ela esquece das famílias destruídas por esses miliantes e seus ‘códgos de moral’. Já a ética, como disse, é individual. Ela se estabelece em grupos sociais, mas não se responsabiliza pela individualidade, Porém esse seu pensamento sobre a ética ser universal eu concordo e sonho sempre com tal possibilidade… utópica.

    “Você também dá a entender que há uma associação implícita entre ser ateu e se portar de forma ofensiva, como se o indivíduo optasse pelo ateísmo apenas no intuito de se ver livre das amarras e convenções sociais, das regras da boa convivência.”

    – Infelizmente, em muitos casos, é o que se nota e se constata por aí. Não somente na História, mas na convivência e nas interrelações, virtuais ou não. É o chamado famigerado ‘Neoateísmo’. Não sei quantos ateus existem no mundo, isso é difícil de saber, devido à grande variante do conceitos ateístas. Há ateu político, ateu que que nega a Deus por falta de experiência empírica, enfim. Um argumento muito usado é de que países como a Suécia, por exemplo, possui em torno de 85% de ateus em sua população e é ,um excelente país em todos os sentidos. O que esquecem de mencionar é que ser ateu, para eles, é natural, vivem bem economicamente; não fazem fórum de discussão e nem montam sites na internet para falar de sua posição. Questão de civilidade, afinal, somos Brasil.

    “Embora saiba que você vai detestar isso, preciso dizer que nunca, jamais, fui e nem seria alvo da ofensa que o Fernando lhe dirigiu.
    Porque jamais me colocaria em posição de alvo.”

    – Detestar? Não, imagina! Você só esqueceu de um detalhe: Nenhum neoateu desbocado quererá xingar uma mulher que também é atéia (estão do mesmo lado), e ainda mais sendo você uma espécie de mentora intelectual aqui. Da mesma forma que eu seria muito respeitada em um site teísta.

    A ira do rapaz foi compreensível até certo ponto, uma vez que seu ódio veio à tona quando mencionei o “analfabetismo funcional” (a carapuça lhe serviu). E, obviamente, isso não foi motivo para tanta baixaria. Em um blog ateu você está bem guardada, mas em qualquer outro lugar ou segmento, pode encontrar um ser humano desses, ainda mais se for em grandes metrópolis. Por outro lado, concordo que dei corda demais. Eu já havia sido admoestada (prevenida) de que estaria me expondo. Sou carioca e muito brincalhona, mas deparei-me com duas dificuldades aqui: é um espaço virtual neoateísta, e dificilmente as pessoas entendem o modo de ser do carioca – sem querer parecer xenofóbica, amiga, mas enquanto eu brinco, o outro prepara um bote para mim hehe. Probabilidades? Muito dificilmente um religioso trataria uma mulher atéia dessa forma. Duvido muito!

    Por fim, obrigada pela solidariedade feminina. Não foi nada que me deixasse verdadeiramente abalada. Como disse, eu já vi de tudo, vivo numa cidade grande e conheço toda variedade de canalhas e velhacos.

    Não sei se é o Fernando que conheci aqui, também espero que não, sinceramente, pois a maioria aqui é gente legal, que dá para conversar.

    Desculpe se ‘falei’ demais. Seus textos são estimulantes. :)

    Um forte abraço e um bom final de semana!!

  21. A verdade é que há religiosos muito bons, realmente interessados no bem da humanidade.

    “Pessoas religiosas fazem coisas boas porque são boas; não porque são religiosas.”

    Uma frase bem conhecida de Russell diz mais ou menos isso. Sem religião, você poderia esperar que pessoas boas fizessem coisas boas, e que pessoas más fizessem coisas más. Mas para uma pessoa boa fazer uma coisa má, aí você precisa da religião.

  22. E outra. O raciocínio segundo o qual Mahatma Gandhi , Dalai Lama, Dorothy Stang, e outros “conhecidos pela humanidade”, teriam se tornado um ser humano melhor em função de Deus, é um baita de um sofisma, que é uma palavra chique para “desonestidade intelectual”.

    Como você poderia saber se essas pessoas não teriam feito as mesmas coisas sendo descrentes?

  23. Barros,

    Foi exatamente o que escrevi acima: há pessoas boas e más e ponto. Só mencionei que há religiosos de boa vontade porque Shirley generalizou, o que normalmente não traduz a verdade.

    Você é quem está me saindo um baita de um sofista. Como duvidar de um homem que libertou uma nação sem fazer guerra? Gandhi é um dos maiores vultos da humanidade moderna. Sua filosofia de vida é riquíssima e inquestionável é sua dignidade e honestidade.

    Essa sua pergunta é boa. Como saber se elas seriam boas mesmo sem fé? Quem saberia… É uma pergunta retórica e sem propósito. As pessoas são o que são, uai. O que elas têm em comum, é o amor pela humanidade e o desejo de ver um mundo vivendo em paz. Isso é ruim?

    Abraço..

  24. As pessoas são o que são, uai

    É esse o ponto que você, sofismaticamente, quis atribuir à sua divindade. Quando a Shirley escreveu “Ainda não conheci uma única pessoa que tenha se tornado um ser humano melhor em função de crer em Deus,”, você começou o seu discurso assim:

    Isso não pode ser verdade.

    Ora, ou você está escrevendo aleatoriamente, sem nenhum vínculo com suas convicções, ou você realmente discorda daquela declaração, significando dizer que, na sua opinião, as pessoas realmente se tornam melhores em função de Deus, o que invalidaria sua última afirmação de que “As pessoas são o que são”.

  25. Volto à noite. Vou escrever um texto sob encomenda… rsrsss Uma leitora quer saber quem é a pessoa por trás do DeusILUSÃO. Acho que vou escrever alguma coisa a respeito.

    Publico assim que retornar do coma que certamente eu vou ter depois de comer toda picanha gordurosa e costela de javali com arroz piamontese que aguentar.

    Mas Deus é mais!!

  26. Barros, antes de mais nada é preciso separar os contextos. De fato é impossível não haver UMA pessoa que tenha melhorado como ser humano ao encontrar uma fe, seja qual for.

    E minha outra afirmação de que ‘as pessoas são o que são’ já tem a ver com a questão da bondade. Não enrole, isso é sofisma.

    Um texto mais do mesmo? hehehe É só a leitora ler sua apresentação lá.

    Bom apetite, coma por mim.

  27. Gente, preciso confessar. Apesar de ser um pouco revisora de textos, não reviso os meus. Desculpem tantos erros, principalmente os de concordância. Mea culpa.

  28. Day

    Primeiro quero deixar claro que não estou dizendo que o ser humano originalmente é bom e belo e que é a religião que o estraga; esta tem o dom de piorar o que já é ruim.
    O “ainda não conheci” foi usado com muita exatidão pois eu falo das pessoas que conheci. Nada sei de cristãos pré-Constantino e nem poderia saber, não vivi naquela época. Das personalidades que você cita também nada posso dizer, não convivi com elas.
    A imagem edulcorada que temos deles não necessariamente corresponde ao que eram na vida diária. Se há algo que aprendi é que todo santo tem pés de barro. Definitivamente não sou do tipo que se deixa levar por historinhas bonitas e edificantes. Nunca correspondem á totalidade dos fatos.

    Tive um semestre de Estatística no curso de Geografia; sendo péssima com números não aproveitei muito, mas deu para aprender o básico. Sendo a Estatística uma ciência que serve bem à amostragem de dados, sem contudo revelar a exatidão deles, devido aos dados discrepantes, aceito que num universo de X crentes haja o dado discrepante Y. Ou seja, pode existir o ser humano que se tornou uma melhor pessoa seguindo algum deus/religião.

    Você realmente confunde ética com moral. Não fiz qualquer defesa da bandidagem, disse que eles têm seus próprios códigos morais.
    Essa “prática esquerdista” passa bem longe das minhas convicções.
    Abomino a lenga-lenga do “indivíduo vítima da sociedade, do sistema”. Aliás, se no Rio de Janeiro não imperasse essa baboseira, não estaríamos vendo esse absurdo que são as tais UPPs na prática.
    A polícia avisa que vai entrar, dá tempo para a bandidagem se mudar temporariamente; no fim voltam e fazem o secretário de Segurança de bocó.
    Mas veja exemplos de código moral entre bandidos: estupradores são persona non grata; delatores; devedores. Quem pratica tais atos entre eles é julgado e eventualmente condenado de acordo com regras estabelecidas entre eles. De modo que você pode ver que a moral pode ser relativa e derivar de pactos sociais de grupos inseridos na sociedade.

    A propósito de generalizações, você faz isso com bastante desenvoltura, em razão de ter o pensamento contaminado pelo preconceito. Associar ateus com esquerdismo/comunismo é bem típico.

    No meu caso, não deixa de ser engraçada essa associação, porque para mim o esquerdismo/comunismo é só outra forma de religião.
    Basta substituir umas simbologias por outras.
    Se os crentes acreditam num ser criador, os esquerdistas/comunistas acreditam no ideal tolo de que os seres humanos têm intrínseca a capacidade de superar o individualismo.
    Se as religiões em geral têm um ser antagonista, os esquerdistas/comunistas também têm.
    Lúcifer ou carma, ou débitos pendentes de vidas passadas para os crentes; capitalismo e burguesia e sistema dominante para os esquerdistas/comunistas.
    Uns e outros conferem a conceitos abstratos atributos de entes com vida própria.

    Seus postuladores, no meu ponto de vista, têm também outra característica em comum: querem ser donos das vontades e das mentes das pessoas, sob o falso pretexto do bem maior.
    Nenhum me serve.

    É engraçado, mas também chega a ser angustiante a forma como você separa a realidade das coisas daquilo que você quer fazer parecer.
    Homens religiosos fazem muito mais que ofender uma mulher. Matam-na a pedradas, espancadas, esfaqueadas, enforcadas…

    Já tive discussões acirradíssimas com um ateu militante esquerdista; com homens cristãos; já participei de fóruns sobre política em que as discussões ferviam.
    Nunca ninguém usou esse tipo de linguagem comigo, pela simples razão de que nunca a usei com eles, por mais enfezada que estivesse.
    Não se trata, portanto, de ser ateu ou religioso. É meio que questão de ação e reação.
    E para finalizar, que isso já está um “jornal’, não sou espécie de mentora intelectual de ninguém, nem mesmo de meus filhos, que dirá outros.

  29. a sHIRLEY JA ESTA ENJOADA DO PUXA-SAQUISMO DA dAY
    Crente é chato mesmo! sabe que esta falando merda e continua!!

  30. Shirley,

    É impressionante mesmo como as pessoas defendem seus ideais. Seu belo discurso serve para você e para pessoas que igualmente têm essa visão de mundo. Eu me sinto mais confortável quando falo o que penso porque sou livre. Posso enxergar a vida, com ou sem Deus, já o ateu… Só tem uma visão.. Vou pensar se continuo a escrever porque ainda vejo pontos aí com os quais discordo, o que é meu direito, afinal, como já disse ninguém é dono da verdade, ninguém mesmo.

    Té já. ;)

  31. Um grande defeito do homem é agir por impulso segundo suas convicções; é quando ele tropeça na escuridade de suas emoções e mostra sua fragilidade. Quando você diz:

    “Primeiro quero deixar claro que não estou dizendo que o ser humano originalmente é bom e belo e que é a religião que o estraga; esta tem o dom de piorar o que já é ruim.
    O “ainda não conheci” foi usado com muita exatidão pois eu falo das pessoas que conheci. Nada sei de cristãos pré-Constantino e nem poderia saber, não vivi naquela época. Das personalidades que você cita também nada posso dizer, não convivi com elas.”…

    No primeiro parágrafo deveria dizer: ‘EU acho que a religião piora o que já é ruim.’ Porque, neste caso, a sua visão pessimista do homem não traz proveito a uma reunião, a menos que você fosse um Arthur Schopenhauer que, mesmo ateu e pessimista, faz os homens pensarem há séculos. Sem ofensas, mas suas palavras cabem bem no blog do Barros, mas daqui não passam. É preciso a arte da filosofia para encantar as pessoas com nossas visões.

    E, no segundo parágrafo, você me pareceu honesta em dizer que ‘jamais conheceu’ e eu já disse que pode ser pelo lugar onde você mora. Quando diz, sem nenhum escrúpulo, que ignora a História – “Nada sei de cristãos pré-Constantino e nem poderia saber, não vivi naquela época”…

    Está se esquecendo que, tanto historiadores, como arqueólogos e antropólogos andam de braços unidos. Aceitar a Arqueologia para determinado fim pessoal e rejeitar a História, também por interesse próprio não é, definitivamente, honesto.

    Olha como você traz a religião para as discussões:

    “A imagem edulcorada que temos deles não necessariamente corresponde ao que eram na vida diária. Se há algo que aprendi é que todo santo tem pés de barro. Definitivamente não sou do tipo que se deixa levar por historinhas bonitas e edificantes. Nunca correspondem á totalidade dos fatos.”

    Ninguém está falando de ‘santos’. Isso é questão de dogma católico. Estamos falando de pessoas que realmente quiseram o bem comum do ser humano. Mais uma vez você despreza fatos, biografias e História. E corresponder totalmente aos fatos é radicalismo. Somos humanos, afinal, e Deus não existe!

    Com relação à Estátística, seria absurdo ignorar essa ciência, afinal é através dela que temos as resoluções mais aproximadas de questões numéricas. Há alguns teóricos que a consideram, inclusive, do ramo da Teoria da Decisão. Ou seja, banalizar algo tão importante para nossa civilização é um erro inadvertido.

    Veja esse parágrafo que confuso e sem embasamento:

    “Você realmente confunde ética com moral. Não fiz qualquer defesa da bandidagem, disse que eles têm seus próprios códigos morais.
    Essa “prática esquerdista” passa bem longe das minhas convicções.
    Abomino a lenga-lenga do “indivíduo vítima da sociedade, do sistema”. Aliás, se no Rio de Janeiro não imperasse essa baboseira, não estaríamos vendo esse absurdo que são as tais UPPs na prática.”

    Eu não confundo Ética com Moral. Neste caso, ambas fizemos confusão. Não a acusei de advogada dos bandidos. mas é preciso entender que esses valores deles não existem como ‘moral’. A moral tem a ver com valores pré-estabelecidos para uma convivência boa para todos. As regras da malandragem mudam de acordo com seus interesses. Assim, um não-estuprador se transforma em um na prisão. Um ex-estuprador pode virar chefe e condenar estupradores. Um bandido pode matar seu irmão ou o melhor amigo se isso lhe trouxer vantagens. Um cagoete pode montar um império entregando comparsas. E por aí vai. Essa é minha proposta quando digo que moral não deveria ser aplicada como atitude entre os bandidos.

    (“Considerar o outro ou o próximo é um aspecto fundamental à moralidade. Dessa forma, uma preocupação constante no debate sobre ética e moral se dá no sentido de evitar a violência em todas as suas possíveis expressões (física ou psíquica), bem como o caos social.”) – Paulo Silvino Ribeiro – Bacharel em Ciências Sociais pela UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas
    Mestre em Sociologia pela UNESP – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”
    Doutorando em Sociologia pela UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas.

    http://www.brasilescola.com/sociologia/o-que-moral.htm

    E quanto às UPPs, nota-se que você não é do Rio de Janeiro e nem de grandes metrópolis. Fatos isolados não podem neutralizar ações bem sucedidas de combate ao crime organizado. Apesar de morar nos chamados condomínios fechados, eu ando por toda part – té pelo meu envolvimento com cultura -, e posso garantir que hoje está bem diferente entrar em comunidades, pois não vemos mais armas e mais armas apontadas em nossa direção. Você, amiga, é muito teórica, eu estou mais para o empirismo.

    E… OPS!:

    “A propósito de generalizações, você faz isso com bastante desenvoltura, em razão de ter o pensamento contaminado pelo preconceito. Associar ateus com esquerdismo/comunismo é bem típico.”

    Eu não queria mais usar tal termo, mas, de novo você cai na falácia. Associar esquerda com ateísmo e comunismo é histórico e político, não é uma visão pessoal. E em nenhum momento, desde que entrei aqui, cometi a idiotice de afirmar que todo ateu é comunista. Isso foi muito infantil, tipo: “Você é quem generaliza! “Não, é você quem o faz!” “É você!” “Não!…” hehehe!

    “No meu caso, não deixa de ser engraçada essa associação, porque para mim o esquerdismo/comunismo é só outra forma de religião.”

    Ótimo!! Assim como o atéismo que está entrelaçado aí.

    “É engraçado, mas também chega a ser angustiante a forma como você separa a realidade das coisas daquilo que você quer fazer parecer.
    Homens religiosos fazem muito mais que ofender uma mulher. Matam-na a pedradas, espancadas, esfaqueadas, enforcadas…”

    Credo! Agora você acredita em História? No PASSADO? É porque agora é de seu interesse. Tenho certeza que, mesmo você seguindo a cartilha neoateísta, Shirley, você sabe que um cristão não xinga uma mulher, nem mesmo em lugares virtuais. Ao contrário disso, neoateus despreparados e ignorantes (geralmente jovens) é que xingam e ofendem horrores as mulheres e os crentes em geral por aí. Isso é fato, não é visão pessoal.

    Ao afirmar que jamais foi xingada em nenhum fórum de discussões, presumo que foram debates civilizados, o que não corresponde a blogs neoateus, e se quer saber, foi a primeira vez que aconteceu comigo, pois minha ‘moral’ aqui e em toda parte é bem conhecida. Sem falsa modéstia, conheço muita gente importante, dentre artistas, doutores, filósofos, escritores.

    Então, rsumindo, minha vida não é ser uma comentadora de blog ateu. Não me afetou o ocorrido, apenas alimentou minhas teorias. E quanto a você dizer que não se trata de ser ateu ou religioso, mas que trata-se de ‘ação e reação’, isso foi muito tolo! Eu nem havia me dirigido à pessoa e o que consideraram palavrão foi ‘analfabetismo funcional’. Se entenderam como xingamento provou que realmente são analfabetos funcionais hehehe.

    E, por fim, sua brilhante finalização:

    “E para finalizar, que isso já está um “jornal’, não sou espécie de mentora intelectual de ninguém, nem mesmo de meus filhos, que dirá outros.”

    De fato, minha não é, embora eu admire sua capacidade de raciocínio e sua cultura. Mas aconselho a você dizer isso para os gregs da vida.

    Bom final de semana! :)

  32. Day

    EU jamais me pretendi ser qualquer espécie de filósofa, pessimista ou alegrinha.
    EU sempre entendi que estava implícito que tudo que escrevo aqui fosse fruto da MINHA percepção, sem qualquer fumaça de estar instituindo verdades universais.

    EU não estou ignorando História. EU estou mesmo é dando uma banana para visões cor de rosa e bonitinhas.
    Ao que EU saiba, nenhum historiador ou arqueólogo conviveu com cristãos pré-Constantino, ou não seriam historiadores nem arqueólogos, mas cronistas. Em assim sendo, eles estão em condições de interpretar os fatos disponíveis e fazer abstrações, nada mais que isso. Não sendo EU uma crente, tenho o que EU considero o saudável hábito de nunca aceitar algo como verdade concreta e definitiva, muito menos se esse algo estiver sendo interpretado de há séculos de distância.

    Quanto ao seu Ghandi, ele livrou a Índia dos ingleses. Sem derramamento de sangue, louvável isso.
    A propósito, o que isso significou de realmente bom para os indianos, salvo uma turbinada no amor-próprio nacional?
    ME parece que a maioria deles passou da miséria sob jugo inglês para a miséria sob jugo de seus conterrâneos.
    O que ele foi como pessoa da rotina diária, você sabe? Você sabe se não havia um pingo de arrogância, egoísmo, intolerância, preconceito, nele?
    EU não sei. O que EU sei é que qualquer pessoa tem em si essas e outras características negativas em maior ou menor grau.

    A sua Dorothy Stang não passava de uma intrometida equivocada.
    Os efeitos deletérios dessas características dela e de gente como ela estão aí agora mesmo, atuando no Mato Grosso do Sul.

    Sobre ética e moral não vou mais perder tempo com isso, qualquer um tem condições de ler um pouco além das definições mais rasas e se aprofundar um pouco.
    Achei engraçado que sendo você tão claramente contra o esquerdismo vá beber na fonte de um sociólogo…esquerdista.
    E ao que tudo indica você é eleitora do Sérgio Cabral, já que aprova a política dele de reconhecer como força litigante legítima os traficantes que dominam grandes porções do território do Rio de Janeiro. Diga-se de passagem que Sérgio Cabral é alinhado com o ignorante-mor da Nação, também conhecido como Lula, que na teoria ao menos é…esquerdista. Interessante.

    Você nunca afirmou diretamente que todo ateu é comunista mas fica o tempo todo dizendo isso nas entrelinhas, ao atribuir uma relação de dependência entre as duas condições em qualquer oportunidade. Releia o que você escreve.

    Agora deixe ver se entendi isso:

    “Tenho certeza que, mesmo você seguindo a cartilha neoateísta, Shirley, você sabe que um cristão não xinga uma mulher, nem mesmo em lugares virtuais.”

    Hoje em dia não existem mais assassinatos e agressóes a mulheres, o que vemos diariamente é “fabricado pela mídia”, certo?
    Ou, todos os assassinatos e agressóes contra mulheres são praticados por ateus?
    Mas então eu tive, na semana passada, uma alucinação (e toda a vizinhança também).
    Meu vizinho, cristão praticante, espancou a mulher e a filha e tentou estrangular a mulher; só não conseguiu porque diante dos gritos da moça acorremos, eu, meu filho e dois vizinhos.
    Ah sim, enquanto batia nelas chamava uma delas, ou as duas, de “biscate filha da puta, vagabunda” e outros mimos.

    É isso o que acontece quando a pessoa estupra a própria mente para obrigá-la a acreditar em fábulas. Ela passa a balizar tudo na vida por essa ótica, a de distorcer a realidade para caber naquilo que ela suporta aceitar.
    É por isso também que não vou mais alimentar essa questão de ser ou não ser ofendida com palavrões, escrevendo em blogs.

  33. Sem ofensas, mas suas palavras cabem bem no blog do Barros, mas daqui não passam. É preciso a arte da filosofia para encantar as pessoas com nossas visões.

    Eu até hoje não sei se a Day é uma fervorosa crente que odeia ateus, ou se ela é uma ateia que odeia ateus. Sinto muito, mas o que eu tenho lido, ora me convence de que a Day é uma crente cristã, ora me convence de que ela é uma ateia. O interessante é que, nos dois casos, ela parece sempre tomar partido da crença religiosa.

    Quanto à frase destacada acima, eu preciso dizer que estou decepcionadíssimo! Sempre achei que “a arte da filosofia” se dedicava a aproximar o ser humano de sua própria natureza através do autoconhecimento e explicação das coisas que fazem parte da realidade.

    Esse negócio de “encantar as pessoas com visões” pra mim parece mais coisa de pastor de igreja evangélica.

    E, no que me diz respeito, podem me xingar à vontade!

  34. Barros,

    Quando me posiciono friamente em relação à fé, é em busca de crítica ao ser humano. Você se confunde comigo e isso é bom para mim. Eu já disse que fui cética e que odiava crentes, principalmente evangélicos. Hoje não envolvo mais ódio em meus sentimentos. Descobri que cada qual tem direito a acreditar no que quiser. Eu não estou pronta para me declarar cristã, mas também sei que não voltarei à escuridão da negação.

    Para quem ama Filosofia, sente-se encantado sim. Meu ‘pecado’ foi usar o termo ‘visão’, cara. Logo num blog ateu hehe.

    A Filosofia trata da existência humana sim, entretanto, você que a estuda, já deve saber que há várias escolas e correntes filosóficas. Por exemplo: Nietzsche, mesmo tendo bebido Wagner e Arthur Schopenhauer, teve sua própria visão de mundo, e do homem. Não sei se já teve a oportunidade de ler ‘Assim Falou Zaratustra’. É um encanto mergulhar naquela solidão de Nietzsche. Lendo dá para entender o que são visões a que me referi.

    Eu também não me importei de ser xingada. A coisa se esticou nem sei por quê.

    Abraço..

  35. Shirley,

    Notei que você fez algumas pesquisas, mas ainda ficou tudo muito vago.

    Depois comento mais. Minhas tardes pertencem ao cineminha em casa.

    bj

  36. Day: Mas aconselho a você dizer isso para os gregs da vida.
    AHH —- INVEJINHAAAAAAAAA!!!!!!!

  37. E Barro
    a Day prefere se “encantar” com as coisas e com visões!!
    eu nunca senti ódio de crentes ou pelo fato de serem religiosas de qualquer espécie, mas sim se fizeram algo que me incomodou ou prejudicou!!! Todos tem parentes religiosos e nasceram sob uma fé religiosa, se fosse assim odiariamos quase todos. vc mesmo diz que tem pais católicos e quase todos os nossos avos sao católicos pela obvia razão de que essa era a unica religião vigente por aqui!!!
    Queria saber porque alguém odeia alguém de graça??? Normalmente so vemos isso sob o aspecto da religião! —- justamente ela faz com que pessoas odeiem outras que nem conhecem..

    Mas com certeza no próximo comentário da dAy ela vai dizer que isso é falácia e estuprar novamente sua mente negando que existe inumeras divergências sociais por causa da religião, como do cara mulçumano que matou um soldado na Inglaterra. SEM JUSTIFICATIVA
    mAS NAO , ELA VAI DEFENDER QUE A RELIGIAO TORNA O HOMEM BOM E BLA BLÁ!!……. 30 LINHAS DE ENROLAÇAO!!!
    cOMO DIZ A Shirley : as pessoas sao boas porque são, não dependem de religião para isso.
    Talvez Barros a Day não aceite o fato de ser ateia!!! quer continuar a violentar a sua mente!! — temos que respeitar as vontades dos outros

  38. Shirley,

    Só uma ou duas coisas, já que não vale a pena ficarmos nesse ping-pong.

    Gandhi ter sido um grande idealista da paz mundial não significa, obrigatoriamente, que as pessoas o ouviriam, bem como tantos ensinamentos que a humanidade recebeu mas não praticou. Isso é extensivo e não cabe num espaço virtual, acho, até porque entrar na questão política da Índia é tão complicado como em alguns países africanos.

    Ah! Esse seu vizinho espancador aí. Como você pode atestar que ele é cristão? Se for pelo fato d’ele ir à igrejinha com a Bíblia na mão, você, ou está sendo ingênua, ou muito maliciosa, pois todos sabemos que nem tudo que reluz é ouro; nem todo político é desonesto; nem toda cobra é venenosa, enfim, esse tiro passou longe. Um rapaz aqui bateu na mãe várias vezes, e é ateu. Devo rotular ateu de ‘espancador de mãe’?

    E quanto ao sociólogo, Paulo Silvino Ribeiro, que me importa sua posição política? Mesmo coisas amargas podem dar prazer, como o jiló (estou desenhando para acabar a discussão). Se eu fosse pensar como você, eu não leria Nietzsche, Marx, Epicuro (que não era exatamente ateu, mas foi talvez o primeiro a rejeitar a ideia de um Deus pessoal), e tantos filósofos ateus e ceticistas. Sou livre e posso tudo. Posso ler o que quiser, de outra forma, como formar meus pensamentos senão pela arte das comparações ideológicas? Por acaso alguém nasce sabendo? Se até Nietzsche admirou alguém antes de se posicionar… Tolstói idem.

    E quato ao Sérgio Cabral, você errou longe, como quase sempre acontece quando quer me analisar hehe. JAMAIS votei em Lula, Sérgio Cabral e toda essa corja aqui. Aliás, só para constar e não acontecer mais, devo informar que não voto há mais de 12 anos. Pobre do brasileiro que se vê obrigado a votar, mesmo sem ter candidato.

    Como não existe mesmo um plano/projeto decente para qualquer segmento social, na saúde, segurança, etc., dou graças a Deus por poder entrar nas comunidades e não ser ameaçada com tiroteios. Ainda há muita coisa a se fazer por aqui, óbvio, mas esculachar as UPPs assim, achei meio pesado. Já passei temporadas fora do Rio, em cidades pequenas, no Sul, Nordeste, Minas e arredores aqui do Estado. realmente o que a mídia faz é terror psicológico. E quem não conhece minha cidade, acha que nem dá para andar por aqui hehe. O sistema midiático é podre. Exalta o bandido e seus crimes apenas.

    Boa noite..

  39. Greg,

    … Quantos anos você tem?

  40. Day

    Acho que o Barros tem razão quando diz que você parece odiar os ateus.
    Que pareça, ou efetivamente seja, problema seu.

    Depois de ver você chegar ao absurdo total de achar que pode convencer alguém de que homens cristãos não agridem as mulheres, e sacando do bolso do colete um ateu que bate na mãe (tão conveniente você conhecer ou saber de um, não é?) para mim deu.
    Cheguei a pensar em sugerir que você fizesse um estudo estatístico sobre a proporção de agressores ateus e de agressores cristãos, mas desisti. Sabe-se lá o que o conhecimento dos fatos poderia fazer ao seu mundo encantado.
    De modos que ficamos assim, todos os religiosos são puros e bons, todos os ateus são do mal.
    Agora com licença que vou ali comer umas duas ou três criancinhas.

  41. Day,

    mas você é uma tapada sem noção mesmo, hein ? Conversa fiado sem parar, escreve somente mais e mais do mesmo. Vai e volta nas esquisitices e deve achar mesmo que é foda. Você é uma fodida intelectualmente. Não posso te chamar de burra porque eu estaria ofendendo o útil quadrúpede nem posso te chamar de doida porque essa pode ser mesmo sua condição e fica chato te ‘acusar’ de ser portadora de uma doença ou mesmo debilidade mental. Chega a ser cômico te ver posando de culta quando você descarrega seu vocabulário tolo. Para piorar você perde o senso de ridículo e cita coisas idiotas como seu educado garanhão europeu, seu tempo na busca do carro novo e como sua profissão é nobre. Dentre outras tantas que nem me lembro mas que queiman ainda mais seu filme.

    Você falou :

    ” Um rapaz aqui bateu na mãe várias vezes, e é ateu. Devo rotular ateu de ‘espancador de mãe’? ”

    Veja como sua incapacidade de se confundir é grotesca. Se quisesse mesmo ser menos cretina teria colocado : ” … Devo rotular O ateu de ‘espancador de mãe’? ” .

    É difícil ter um diálogo com uma pessoa dissumulada mas como nem essa ‘qualidade’ você consegue manter acaba sendo inútil e sem sentido te dirigir a palavra com idéias um pouco mais complexas.

    Numa tentativa de me nivelar com sua inteligência tosca eu tenho a tendência de usar o linguajar que ela merece e assim surgem as palavras que te horrorizam.

    Não se faça novamente de desentendida nem de vítima ao dizer que eu ou qualquer um que pega pesado com você assim o faz porque não aceito idéias contrárias. Lembro que não é o fato de você ser uma crente demente que te coloca nessa atual posição infame aqui no blog. Minha teoria, como já disse outras vezes é que você quer a qualquer custo se enveredar em concepções dissidentes. Sem sucesso pois invariavelmente você se perde. E ainda por cima você fica ” se achando “.

  42. kkkkkkkkkkkkk!!!!!! Bom dia, lobinhos!

    Eu realmente não consegui – ainda – entender como pode existir gente assim. Reconheço que me perco mesmo. Sabe por quê? Ao mesmo trempo que é divertido observar a tacanha vida e pensamento do (falso) neoateu brasileiro, eu me pergunto o que ele espera da vida. Vida de bicho: acha que o homem nasce para se lambusar de prazeres materiais e só – quanta moral.

    Gente limitada que só acredita nos cinco sentidos do corpo. Gente que não indaga, não perscruta, gente demente que nega a “Intuição” (olha a filosofia aí). E o pior é que a maioria esmagadora nem tem vínculo com a ciência; não lê e acompanha os avanços científicos. Bitolados, decretam que Deus não existe (Nietzsche os desprezaria), enquanto estudiosos no planeta inteiro ainda querem saber e entender os mistérios do Universo. E de nossa origem.

    Gente que se esconde atrás de blogs e acha que pode compreender o intelecto alheio, sendo essa uma atividade não materialista, sorry. Neoateus como vocês são piada. São renegados até pela Associação Brasileira de Ateus. São renegados pela sociedade. São, acima de tudo, ignorados pelas religiões. Não existe um livro sequer que mencione esse tipo de gente ‘pensadora’. Shirley diz que eu odeio ateu. Não mesmo, pois conheço ateus, e muitos. O que a sociedade não engole é esse movimento presunçoso, o ‘neoateísmo’, uma mistura rara de revoltados, com esquerdistas e marabalistas da especulação.

    Para mim já deu também. A ignorância é tanta ao ‘entender’ o outro que acabam fazendo para si uma imagem da gente do que não somos. O que pode ser mais horrível e anti-humano, pra não dizer anticristo?

    As faláciasa são fracas, sem energia, sem força. Esse papo era sobre o homem ser o que é, independente de fé ou religião. Essa foi minha posição e veja como acabou: na mente doentia de vocês, eu sou a crente, a que só quero falar de religião. Por quê? Porque não existe outro assunto que os envolva. Não existe alegria em suas palavras, apenas ironia e um inocente sarcasmo. Qualquer assunto que eu queira conversar aqui, acaba em religião, a barra é forçada na maior cara de pau, basta ler os comentários meus e da Shirley e verão que ela esteve sempre puxando para a religião. O nome disso é fanatismo.

    Eu nunca falei o que realmente queria e pensava de alguns de vocês aqui, primeiro porque tenho educação de berço, e porque tenho certeza absoluta que não entenderiam, e porque, mesmo ateu não comendo criancinhas – não entendi essa débil colocação do absurdo irônico, já que essa era uma piada referente aos comunistas (?) – , existe sim, um ‘algo’ assustador em vocês. Ainda bem que tudo é virtual, senão eu teria medo de lidar pessoalmente com gente que xinga, nega valores do outro, ri da mentalidade alheia, vitupera os direitos do pensamento alheio, desrespeitando a fé do ser humano, como se tivessem algo melhor para colocar no lugar; como se o mundo estivesse no quarto milênio e o homem tivesse alcançado sua liberdade no Espaço.

    No fundo (e nem tão fundo) são religiosos ao extremo, pois professam algo que não existe: a certeza de que Deus não existe. essa ‘certeza’ é religiosa demais. Neoateus não são debatedores, não são definitivamente livres pensadores (muita pretensão). São apenas pessoas revoltadas que não suportam carregar sozinhas suas fristrações religiosas, inventando novas religiões = “Falsos Profetas do Neoateísmo”.

    Mas, se não querem ser incomodados, façam salas exclusivas para neoateus, onde não se tornem públicas suas sandices anti-ciência, antissociais e anti-humanas. Se se destacam como ‘aberração’, não culpem as pessoas.

    Aqui só há duas pessoas com um mínimo de força: Barros, por ser o dono do blog, inteligente e aspirante a escritor; e Shirley que, mesmo não admitindo, é uma neoateia ferrenha e ativa, caso contrário estaria em outros blogs ateus mais científicos e filosóficos. Não faltam na internet opções. Portanto, como dizia vovó: quem com porco se mistura farelo come. Shirley não é diferente de ninguém aqui, nem dos mal-educados e xingadores ofensores de quinta que aqui frequentam. Questão de lógica.

    A manobra ‘política’ de vocês é de teor covarde, pois começam a se juntar como bichos para me atacar, ou acham mesmo que sou tola? Não sei de onde Feranando é, mas sei de uma coisa: você não tem nada a ver com humanas e não lida com pessoas interessantes, tampouco é médico (coitado). Quando se digna a analisar as pessoas (pelo menos a mim), sabe ser isso algo impossível, ainda mais quando sugere que a pessoa é doente e usa medicamentos psiquiátricos. Que tipo de ser humano faria isso, e virtualmente? Só há uma resposta: neoateus! Gente sem escrúpulos, covardes que confiam na impunidade virtual.

    Se eu conheço a força da internet como penso, logo logo vocês serão alvo de muita crítica pela sociedade. A maldade não pode fazer bem ao coletivo. Eu, pessoalmente, não sou atingida por essas pretensas malignitudes, mas sei que a maioria das pessoas são sensíveis aos maus-tratos. Por isso o mundo olhou horrorizado para o Comunismo que sempre teve como companheiro de leito o Ateísmo. Ao invés de limparem a barra da imagem do ateísmo, vocês a transformam em algo pior do que já foi no passado. Como entender isso? Não, não é burrice, seria ofensa de minha parte.

    E, já que agora vão se juntar contra mim, não percam seu precioso tempo. Não estarei aqui servindo de saco de pancada para vocês extravazarem seus traumas e seu ódio pelo ser humano e seu Criador.

    Passar bem. Não pertenço mesmo a esse bando.

    Fui.

  43. Shirley,

    “Depois de ver você chegar ao absurdo total de achar que pode convencer alguém de que homens cristãos não agridem as mulheres, e sacando do bolso do colete um ateu que bate na mãe (tão conveniente você conhecer ou saber de um, não é?) para mim deu.

    Não sei se é pela sua idade ou por ser do Interior, mas o fato é que você se confunde com o que ‘falamos’. A linguagem na net é rápida, sem muita análise. Ou você pega ou boia.

    Quando falei da agressão, era no âmbito virtual, usando como exemplo o que Fernando e Greg escreveram para mim. mas você, como sempre se achando mais esperta, trouxe para o mundo real. Eu respondi e sei que fui racional e razoável. Porque, de fato, ir à igreja não significa que a pessoa seja mesmo cristã no sentido de seguir os ensinamentos de paz e amor oferecidos pelo Cristo. Você entendeu, mas, como mentora da enrolação dialética, obviamente teve que distorcer o que falei.

    Não preciso mentir e não gosto de mentiras, não me aproveito da virtualidade para fantasiar coisas cor-de-rosa não, e se quer saber, há vários exemplos de anticristos aqui que cometem coisas imorais como bater em mãe, mas jamais coloquei isso no blog, o papo só veio à tona porque você começou com esse seu vizinho aí. Ora, quem quis atribuir qualidades em religiosos ou ateus foi você.

    Esse lero de quem mata ou maltrata mais é kaô, falta de argumentos. O assunto não era religioso, mas você, se não levar para esse campo, emudece, pois só sabe falar disso; claro que o blog é ateu, portanto, doente seria eu se continuasse a dar corda para gente que só fala de religião, credo.

    Só andei muito por aqui nesses tempos porque estou em um computador velho (sem email, facebook, etc), o meu já era. Mas essa semana está resolvido e aí eu volto para meu mundo real: literatura, filosofia, revisões de textos. revisão de meus livros, páginas do face que frequento e que tratam de assuntos filosóficos e literários.

    Definitivamente não há com quem conversar aqui. Até os meninos teístas sumiram. É pior que cocadinha bahiana: enjoa.

  44. Destaques do dia:

    Shirley:

    “Acho que o Barros tem razão quando diz que você parece odiar os ateus.”

    – É uma piada, certo? Desculpe, mas discurso de ódio e revolta contra Deus e Seus seguidores é prática do neoateu.

    Fernando:

    “Numa tentativa de me nivelar com sua inteligência tosca eu tenho a tendência de usar o linguajar que ela merece e assim surgem as palavras que te horrorizam.”

    – Hipocrisia barata tentar se justificar depois daquela sujeirada imoral. Moleque, eu lido com as palavras o tempo todo. Eu crio personagens até piores que você. O que me horroriza é saber que na vida real existem mesmo pessoas como meus personagens.

    Para quê tanto ódio? Não é justificável, a não ser, claro, por sua revoltinha contra Deus. Quanto a desqualificar meu intelecto, pouco se me importa; você não é crítico literário; e ainda bem que sou reconhecida por muitos deles. Mas peraí… Eu tenho peça para teatro na Europa, eu tenho prêmio de contista da Língua Portuguesa da Europa, mas ficarei frustrada porque você, que me conhece bem; que já leu meus trabalhos por aí, conhece meu livro alfa, enfim, depois de seus comentários elogiosos acima, vou desistir de ser inteligente e escritora e vou me tornar uma pessoa melhor, serei como você: um neoateu estranho que, ora xinga como um favelado, e ora escreve ‘elegantemente’, e ainda há a terceira personalidade que ofende sem palavrões. Presta atenção, mano. Aqui quem fala é da Terra.

    Acho que é só.

    Boa vida a todos!

  45. Shirley:

    “De modos que ficamos assim, todos os religiosos são puros e bons, todos os ateus são do mal.”

    Você o disse, e a menos que Barros apague o que escrevi, qualquer estudante do fundamental que saiba interpretar texto, constatará que eu, nem de longe, propus tal absurdo. Já disse, aqui não é Interior. Pegar a gente pelo pé, nem na praia.

  46. no sentido de seguir os ensinamentos de paz e amor oferecidos pelo Cristo.

    É. Como esses:

    E aqueles inimigos meus, que não queriam que eu reinasse sobre eles, tragam-nos aqui e matem-nos na minha frente! (Lucas 19:27)

    Vós cuidais que eu vim trazer paz à Terra? Não, vos digo eu, mas separação; porque de hoje em diante haverá, numa mesma casa, cinco pessoas divididas, três contra duas e duas contra três. Estarão divididas: o pai contra o filho, e o filho contra seu pai; a mãe contra a filha, e a filha contra a mãe; a sogra contra sua nora, e a nora contra sua sogra. (Lucas, 12:49-53)

    Vida de bicho: acha que o homem nasce para se lambusar de prazeres materiais e só – quanta moral.

    Pois é. Eu me sinto muito frustrado às vezes com essa condição de bicho em que eu vivo. Acho que me sentiria melhor se existisse uma criatura mágica que tivesse elaborado uma lista de coisas que eu deveria cumprir para agradá-la, e que iria me recompensar por isso, ao mesmo tempo em que iria me punir caso eu as descumprisse. Isso me tornaria mais humano.

    Essa foi minha posição e veja como acabou: na mente doentia de vocês, eu sou a crente, a que só quero falar de religião. Por quê? Porque não existe outro assunto que os envolva.

    Eu vou escrever uma série de textos sobre as vantagens e desvantagens de se depilar com cera quente. Acho que você devia ler…

    Mas, se não querem ser incomodados, façam salas exclusivas para neoateus, onde não se tornem públicas suas sandices anti-ciência, antissociais e anti-humanas. Se se destacam como ‘aberração’, não culpem as pessoas.

    Vira e mexe sempre aparece mesmo um crente me mandando guardar minhas convicções apenas pra mim. Eu farei isso, sim, quando essa ideia vergonhosa de que existe um fantasminha superpoderoso que criou o universo com o único propósito de sentir prazer com o amor que somos obrigados a ter por ele. Quando os crentes mantiverem essa crença imbecil restrita à sua própria alcova, fazendo suas preces escondidos como um adolescente se masturbando com uma Playboy, aí eu fecho meu blog.

    Se eu sequestrasse e mantivesse cativa a Ísis Valverde, com o único propósito de tê-la para satisfazer meus desejos sexuais, ninguém seria louco de dizer que eu sou um cara legal.

    Ah, tá. Mas Deus pode construir um universo inteiro e me obrigar a satisfazer os desejos dele que todo crente vai achar lindo!

    KKKkkkk Cabei de lembrar que eu quase apanho outro dia, numa outra cidade, quando estava numa roda de barzinho e alguém começou a falar sobre o Papa Chico e o assunto descambou pra religião. Lá pelas tantas, com versículos e mais versículos mamão com açúcar incomodando o encosto dentro de mim, e ajudado por umas três ou quatro doses de vodka, eu — juro que não sei por quê — soltei essa:

    Rapá, Jesus dava muito era a bunda praqueles apóstolos!

    Menino, pra quê!!! KKKkkkkkkkkk O tempo fechou! Quase que eu apanho mesmo.

    Geralmente eu sou uma pessoa bem polida e educada e civilizada e tal… kkkkkkk Mas, convenhamos… É bem salutar dizer uns palavrões de vez em quando, e falar algumas besteiras quando se está com muita vodka na cabeça. E o legal é que nem beber eu bebo. Por isso qualquer três copos de vodka me faz perder a noção do perigo… rsrsrsss

    Mas, agora, sóbrio… eu olho para o céu, de onde supostamente Deus está me vigiando, e declaro calmamente em direção das nuvens:

    “Senhor Deus, se você depender do meu amor pra se sentir realizado, tu tá fudido!”

    Ah, então a minha alma vai passar a eternidade no Inferno por isso?

    Foda-se a minha alma!

  47. Barros, me desculpe. Só mais uma para Fernando, o médico inteligentíssimo:

    Por favor, esqueça meu marido, ele não está disponível. Ele é mesmo um homem raro. É cético, mas jamais travaria esse tipo de conversa com uma mulher ou quem quer que seja. Ele é educado e já me advertiu inúmeras vezes de quão prejuducial é, para mim, frequentar o blog, não pelo blog em si, mas pelos frequentadores, como você. E, se bem me lembro, eu jamais me referi às qualidades sexuais do meu marido, só o enalteci em sua educação europeia. Fazer o que se o brasileiro é piada no Exterior? Você, por exemplo, seria uma ofensa à educação deles se eu traduzisse para alguns amigos as coisas que você escreve para mim. Se eu comentar com meu marido sobre você, ele, certamente, dará de ombros e dirá: “Eu avisei.”

  48. Meu comentário entrou antes de eu vir o seu. Nada demais mesmo, Barros. Você, não sei ainda por quê, não me faz mal de jeito nenhum. Eu não inventei Deus, Jesus, regras, nadinha. E não sou evangélica de carteirinha, não tenho cabelão e não falo de Deus em bares e em nenhum lugar. portanto, você não me incomoda, mas tem alguma coisa a falar. Depois, agora vou sair.

  49. Barros, por favor faça uma forcinha para entender:

    “É. Como esses:

    E aqueles inimigos meus, que não queriam que eu reinasse sobre eles, tragam-nos aqui e matem-nos na minha frente! (Lucas 19:27).”

    – Eu não sonho e nem tenho a pretensão de mudar sua forma de pensar. Entretanto, já que quer ser escritor, deve saber que lidamos com ficção e não ficção. Isso significa que não podemos nos atrelar a pensamentos radicais. Em geral, interpretar textos filosóficos e religiosos, demanda um certo controle de nós mesmos. Se pudéssemos supor que Jesus era alguém acima de nós, certamente ouviríamos Suas palavras com certo temor. E, mesmo no caso de não crermos nele, deveríamos, no mínimo, analisar suas palavras, para então rebaixá-lo, e, mesmo assim, sem precisarmos ofendê-lo, por duas razões bem racionais: Se Ele é especial, irá perdoá-lo, e se não, que espécie de bobos seriam os humanos ao ofender o que já morreu? Hein?

    “Pois é. Eu me sinto muito frustrado às vezes com essa condição de bicho em que eu vivo. Acho que me sentiria melhor se existisse uma criatura mágica que tivesse elaborado uma lista de coisas que eu deveria cumprir para agradá-la, e que iria me recompensar por isso, ao mesmo tempo em que iria me punir caso eu as descumprisse. Isso me tornaria mais humano.”

    – Tenha a certeza de que o compreendo, cara. Apenas um erro léxico: não podemos nos garantir nas palavras, nas traduções, nas línguas, se nos tempos rudimentares não se escrevia, e se vivia na base da ‘oralidade’. Estudar a língua grega seria um bom começo (eu tenho dificuldades); se aprofundar mais na filosofia seria ótimo para nós. Não sei se você sabe – pergunte ao seu professor de Filosofia – que Sócrates usou muitas ideias do A.T. Exemplo: “O choro pode durar a noite inteira, mas a alegria virá pela manhã.” Isso é lindo, tem a ver com nossa humanidade, contudo, já estava escrito antes, na Torá dos Hebreus.

    “Eu vou escrever uma série de textos sobre as vantagens e desvantagens de se depilar com cera quente. Acho que você devia ler…”

    – Quem me dera se a vida fosse tão simples assim… Acho que teria vivido mais, amado mais, chorado mais. Infelizmente a coisa é mais, muito mais complexa. Tenho medo do meu cérebro, ainda mais agora que já sabemos que ele é semelhante ao Universo!.

    “Rapá, Jesus dava muito era a bunda praqueles apóstolos!

    Menino, pra quê!!! KKKkkkkkkkkk O tempo fechou! Quase que eu apanho mesmo”

    – Esse é seu (meu) lado infantil. No máximo somos crianças más, mas sempre crianças aos olhos de um (suposto) Criador. Se nem eu me importo com suas piadas, Barros… imagina Deus!

    Mais de Barros:

    “Ah, então a minha alma vai passar a eternidade no Inferno por isso?

    Foda-se a minha alma!”

    – O que é, para você, a Alma? Antes de mandá-la se foder, é preciso entender que “alma” somos nós. É a parte sutil de nossa existência física. Alma, acredita-se, somos nós, nossa consciência, nossa moral, nossos pensamentos, EGO. Se, por acaso, a alma queimar mesmo num lugar inóspito, certamente nossa mente saberá, ou você já conseguiu materializar o corpo sutil (alma, consciência, pensamento…). Viu? É questão de raciocínio. Sei que é mais fácil ignorar a profundidade da existência humana. Já pratiquei ateísmo ao lado do meu irmão. Nossa! É um alívio. Seria um bom alívio mesmo, se não existisse a Consciência. Quem botou essa droga em nós?

    Beijo de domingo.

  50. Dayyy ; Daaayyyyy; Dayyyyy !!

    Viu ai o que eu disse?!
    Uma hora voce é todo elogio pra Shirley!! outra hora ela é caipira e véia e burraaa?!

    Mata e beija, Jack and RAid

  51. Adamantdog

    Ara! Tem nada a ver co moço das dupra personalidade não sô!
    Cá no nosso canto a gente é simpre mas num é burro não.
    Isso aí é a tar da dissimulação memo!
    Inté procê moço, que a véia tem que botá a mesa, é hora da bóia.

  52. Já disse aqui que Deus é vendido como produto de uso coletivo mas na prática é exclusivamente de uso pessol.
    No link abaixo está uma demonstração disso à perfeição.

    O papa Francisco fez uma declaração, durante uma homilia sobre praticar o bem e ser aceito nos braços do “senhor”, mesmo sendo ateu.
    As pérolas estão nos comentários.

    http://literatortura.com/2013/05/27/papa-francisco-diz-que-nao-e-problema-ser-ateista-contanto-que-voce-seja-bom/

  53. Ô Moça Shirley e Sinhó DOg
    A Day ainda vai contestar e dizer que não escreveu nada disso, que possa ofender alguém, mas que somos burros e tal…
    Pela quantidade de bobeiras que ela esta escrevendo, ja esta quase terminando o “Evangelho da DAy” – mas não consigo ler tudo, acho que não esta bom como aqueles lá da tal bibria.

    So mais uma coisa: Tenho também uma nova definição para as pessoas como a Day que se “acham” intelectuais e que tem a cara de pau de insinuar que a ciência está de acordo ou caminhando em prol do pensamento religioso e ainda por cima buscando apoio na filisofia.
    Ela se enquadra entre os!!::: tcham,tcham,tcham ==========
    NEOCRENTES
    Aqueles que criam seus próprios evangelhos!!!
    temos que definir todas as pessoas com esse perfil assim: Neocrentes
    Porque sinceramente a Day não pode se enquadrar entre os típicos religiosos como a minha avó que ouve padre Marcelo e lè kairoz e beija imagem do menino Jesus, essa sim tem meio respeito: é crente tradicional —- não esses falsos ==== NEOCRENTES

  54. Muito bom Greg!! vamos começar a chama-los assim mesmo, porque é o que são realmente.

  55. ADAM,

    Somos bichos, todos nós. E como tais, reagimos conforme os estímulos. Leia bem e veja quem gosta de provocações. Veja a tentativa da Shirley em ser engraçada… Ela se esquece que escrevo ficção e que tenho talento para escrever comédia. Passou vergonha com essa gracinha aí. No máximo deveria fazer tal brincadeira com o marido hehe.

    Amo você, ADAM, mas aparecer logo na hora de defender um neoateu, fala sério hehe.

    Deus abençoe e liberte essas coisas, ops, almas.

  56. Barros, acho que não há problemas em publicar um artigo sobre ‘Analfabetismo Funcional’ lá em uma página no facebook. Vou linkar seu blog, mas saiba que não falarei de ti porque até agora você não me incomodou. Porém seu secto é muito cômico mesmo. Se esse greg for de menor, mais sensacional será meu artigo.

  57. Oh!, Santa Shirley cheia das moral:

    “Já disse aqui que Deus é vendido como produto de uso coletivo mas na prática é exclusivamente de uso pessol.”

    – Pronto! A Deusa já proclamou e devemos aceitar o que Ela disse. E é somente nessas horas que dou graças por ser carioca, produtora artística, poeta, e livre hehehe. Eu também seria assim se não tivesse nada para fazer na vida que me trouxesse prazer. Ela mesmo disse outro dia o quão ‘maravilhoso’ é seu trabalho, e disse que o maridão é cristão, e disse que a mãe é católica. Puxa, que vida triste para sua idade.

    bj

  58. ADAM,

    Diga-me com quem andas, bicho! A partir do momento que você ‘abraça’ uma ideia estapafúrdia como a do greg, você já se comprometeu. O que há contigo, baby? Tem medo de mandar deus praquele lugar, como faz o Barros? Pula do muro, amigo, afinal de contas, não existindo o deus bíblico e nem jesus, você não irá responder por seus atos. Anda, amore, pula! Pula! Pula do muro!; para homem é mais feio não se decidir. ;)

    beijo

    ps – Um,greg jamais conseguirá implantar nomenclaturas como “neo-crente”. Em geral, termos novos são ditados por intelectuais formadores de opinião.

  59. Greg

    A sua definição é um achado. Pode incluir também os espertinhos que diante da incapacidade de continuar mantendo a ideia Deus na base da fé, porque os fatos mostram a impossibilidade dessa existência, criaram esse monstrengo que é uma mistura indigesta de fé com ciência.

  60. Grande relação a sua, Shirley, com o Greg. Você é mesmo um espetáculo de ser humano. O que diriam os cientistas de sua admirável certeza de que estamnos sós no Universo? A galera aí dessa cidade gosta de você ou tem medo? Por que não paramos de pensar, já que existem vocês a nos orientar? Nem darwinista são, são loucos mesmo. Será que você dá atenção assim para seus filhos, como para Greg? A mim ninguém engana, muito menos você, minha santa do pau oco.

  61. Prove que a Ciência não busca origens! Indigesta são suas palavras vazias. No máximo engana os gregs da vida. Por isso você só frequenta esse blog, é mais confortável. Mais fácil vomitar suas mentiras. Desculpe, mas não dá para ser infantil o tempo todo. Porra, será que não percebe MESMO que é loucura renegar até a Ciência dos físicos, matemáticos e astrônomos, em prol de algo totalmente pessoal? Quem pensa que é para berrar na internet que Deus não existe?! Vá pregar para seu marido, mãe e filhos sobre a inexistência de Deus, uai! Como diz meu marido: pior quer mulher feia é mulher chata.

  62. kkkkkkkkk!!!

    “Porque sinceramente a Day não pode se enquadrar entre os típicos religiosos como a minha avó que ouve padre Marcelo e lè kairoz e beija imagem do menino Jesus, essa sim tem meio respeito: é crente tradicional ”

    Descobri: você é católico, A.F. (cansei de escrever ‘analfabeto funcional’), beija na boca do menino jesus, mas flerta com o espiritismo do louco Kardec; e ainda por cima é mentiroso como todo menino bobo e quer ser neoateu para chamar a atenção, quer estar na moda. “Tradicional” kkkkkkkk!

    Bota duas coisas na cachola:

    1 – Você sempre será obtuso, porque está no caminho errado, imitando os outros; pensando com a mente alheia, e pior, imitando posturas reacionárias e condenáveis pela maioria das pessoas; E não lê.

    2 – Eu me dirijo a você porque acho que tem direito à minha atenção, até por educação. Não faço distinção de pessoas, mas quando eu me for daqui, você será a última pessoa de quem me lembrarei, sabe por quê? Porque – é triste dizer – não me vale para nada, nem para inspiração na construção de um personagem dantesco ou mesmo cômico.

    ps – Tomara que a vovó cuide do bisneto, seria menos mal.

  63. Não sei o que os cientistas acham das minhas certezas, mas vou avaliar se me convém recebê-los em audiência e perguntar.
    Um dos maiores prazeres que tenho todos os dias é abrir a porta de casa e ver “a galera” debandar em pânico descontrolado. Quando ando pelas ruas da cidade, posso perceber toda essa boa gente escondida atrás das janelas, de respiração suspensa e suando de medo, até que eu esteja longe.
    E se houvesse uma premiação anual para mães relapsas, eu ganharia o primeiro prêmio sempre.

  64. Day eu não apareci pra defender ninguem, e não tomo partido apenas por pertencer ao um grupo A ou B, tento perseguir ( no sentido de alcançar) o que é certo e justo.
    Religiosos são assim!! haja vista voce que esta vendo isto aqui como uma cruzada contra o Demo rrssss
    Voce se auto projeta na Shirley, mas todos veem qeu voce esta falando de si própria como se estivesse gritando por ajuda.
    Aqui vai um versiculo pra voce (se quer seguir , siga direitinho)

    37 Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; soltai, e soltar-vos-ão (Lucas 6:37)

  65. ADAM, se o que vc quis dizer é que atribuo à Shirley características minhas, acho que não faz sentido nenhum, e só preciso dar um motivo: ela não crê, eu creio. É muito mais fácil o ateu parecer mais seguro e tal, é mais cômodo. Se eu acabar com a amizade com minha vizinha fofoqueira, eu vou me sentir mais tranquila e livre daquele peso. A fé, Deus são pesados para muita gente, quem não tiver força, desiste porque a fé, ao contrário do que se pensa, está ligada ao cérebro, e muito. Estou falando de conexão com algo desconhecido, na verdade.

    O que acontece é que se passo imagem de desespero, é porque eu não conhecia a fundo a postura neoateísta, então me surpreendo a cada dia. Vou, agora, ler livros e artigos que possam me ajudar a elucidar esse fenômeno que é o neoateísmo. Não que eu não tenha ideia do que seja, mas preciso estudar opiniões outras, mais racionais e menos espirituais.

    São muitas certezas absolutas para um mundo tão novo para nosso conhecimento. Não há verdade absoluta, ninguém pode afirmar com total certeza o que não viu, ou seja, não se tem prova de nada, então realmente me perguntei o que diabos estaria eu fazendo nesse espaço de ateus? Era curiosidade a princípio, assim como já me aprofundei em outras posturas humanas para entender, afinal lido com ser humano ao criar personagens. Por exemplo, se eu precisar criar um ateu ou neoateu, ou um personagem qualquer precisarei conhecer a fundo, entende? É só isso mesmo. Porém não dá para continuar porque essas discussões são um poço sem fundo, não levam a nada.

    É uma discussão nervosa, sem objetivo. Prefiro blogs mais científicos, que apresentem matérias mais diversificadas e sérias, com um olhar no ceticismo e outro na ciência, parece bem mais razoável. Não ficam parados no tempo, repetindo as mesmas coisas: Deus não existe, Deus não existe, Deus não existe. A repetição de um pensamento, vc sabe, torna-se lavagem cerebral, e repetição de um pensamento exposto ao público é religião, seita, essas coisas. Enfim… cada um na sua.

    Quanto ao versículo, sinceramente, você está totalmente transformado em ateu. Apesar de sugerir um versículo biblico, vc usou de falácia e hipocrisia, pois qualquer um pode ver que quem julga são os ateus: “crente é isso”, “crente é aquilo”… Mas para mim chega, já tenho minhas conclusões, só respondi para vc não ficar no vácuo. Não deve conhecer o sentido do verrsículo e nem do que se trata o verbo julgar, condenar… Leia com mais cuidado os comentários e verá que eu jamais condenei ninguém ou julguei – isso me é impossível. O que fiz foi trazer à tona algumas opiniões sobre o caráter humano. Apontar algumas realidades como no caso do Greg. Enfim, amigo. É isso. Se eu não responder mais, não se trata de nada além de minhas prioridades. estou cheia de coisas para fazer.

    Boa vida e abraços.

  66. Adam,

    A Shirley e eu somos completamente diferentes. Opostos mesmo. Sempre irei admirar sua forma de se comunicar e posicionar, mas já disse que a considero um tanto radical, séria demais. Ela é um mistério para mim, porém é inegável que é imbatível e isso acaba sendo uma virtude. mas não há como existir essa tal projeção aí hehe… Vai por mim.

    Shirley, vou te dar descanso, se exagerei, peço desculpas, sinceramente.

    Tenham uma ótima semana, lobinhos. :)

  67. kkkkkkkkkkkk, acredite Day!! eu gosto de voce rrsss

  68. Também te amo. Ó! Estou ilhada virtualmente, inclusive sem MSN. Essa semana volto às atividades, aí te add de novo.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: