Jesus Abominável (parte final)

 Jesus abominável

Recentemente entrei numa igreja católica para assistir ao batizado da minha sobrinha mais nova. Não tenho como saber se alguém mais percebeu, mas, no discurso de dez minutos que serviu de abertura para a cerimônia, por quatro vezes o padre mencionou a Danação Eterna. Uma vez a cada cento e cinquenta segundos, os pais foram lembrados da maldição que supostamente paira sobre seus filhos, e que era então o motivo de todos estarem ali reunidos: para iniciá-los num processo que lhes daria o salvo-conduto do Inferno.

Absorto em meus delírios na primeira fila, com os olhos fixos no símbolo máximo do cristianismo à minha frente, sem, entretanto, estar de fato olhando para ele, eu me imaginava correndo em direção ao altar, arrebatando o microfone das mãos do pároco, e discursando com voz calma para uma plateia atônita:

  INFERNO!!!

Eu não quero ir para o Inferno!! E também não iria querer esse terrível destino para a minha amada sobrinha. O mesmo se aplica a cada um de vocês com relação a si e aos que lhes são caros, não é verdade? Acontece que, ignorantes acerca de suas próprias convicções religiosas, vocês nunca pararam para se perguntar sobre a origem desse castigo, muito menos sobre o prêmio que vocês vieram requisitar para essas crianças: a Salvação.

Eu estou aqui para anunciar algo desconcertante. Meus Queridos! Aquele ao qual vocês fingidamente dizem amar, e mais fingidamente ainda dizem seguir; aquele ao qual vocês tão fervorosamente atribuem qualidades e sentimentos admiráveis como bondade e amor; aquele ao qual vocês suplicam a salvação do Inferno é o mesmo que ao Inferno os condenou: Jesus Cristo!

Sem Jesus Cristo não haveria Salvação. Em contrapartida, também não haveria nada do que ser salvo!

Segundo o seu próprio livro sagrado, foi com o Cordeiro de Deus que desceu à Terra essa chantagem celeste, junto com todos os demônios e essa onipresente ameaça de danação. O Deus bíblico, ainda cultuado por religiões não cristãs, parecia não ter plano algum para as nossas almas, após o nosso último suspiro. O nosso pecado original já recebia aqui mesmo a sua punição, enquanto os homens tiravam da terra o sustento com o suor de seus rostos, e as mulheres pariam seus filhos gritando de dor.

Foi Jesus quem nos apresentou a essa Boa-Nova — a recompensa ou a danação eternas estão condicionadas à aceitação ou não de que Jesus era quem ele dizia que era. E é disso que tratam os evangelhos e as cartas de um fanático que fundaram o cristianismo: uma ordem expressa para aceitar Jesus incondicionalmente como sendo o filho de Deus. A desobediência seria punida com o Fogo Eterno.   

O deus cristão, afinal, apresenta-se como um chantagista asqueroso, uma divindade malévola, depravada e carente de atenção, que só se achou capaz de angariar adoradores mediante a adoção da ameaça de uma punição eterna para quem não lhe cedesse aos caprichos. Esse Jesus bonzinho, humilde e amoroso que vocês apresentam aos seus próprios filhos sequer pode ser encontrado na Bíblia. Na verdade vocês dizem adorar a um Jesus concebido de uma forma extremamente particular, a partir de um outro Jesus bíblico que, por sua vez, foi inventado a partir de um Deus inventado segundo todos os deuses já inventados por todas as culturas humanas ao longo da nossa história. Mas toda a realidade à nossa volta não nos deixa esquecer que, ao fim e ao cabo, apenas nós existimos, juntamente com esse desejo — intrínseco à nossa humanidade — de que exista algo mais além de nós mesmos.

Vocês vieram aqui hoje para iniciar seus filhos no caminho da Salvação. E eu vim lhes dizer que, se vocês querem suas crianças a salvo do Inferno, terão que primeiro salvá-las das garras desse monstro abominável chamado Jesus Cristo.

    

  

<< LER DO INÍCIO

Anúncios

28 Respostas

  1. […] Jesus Abominável (pa… em Jesus Abominável […]

  2. E quanto àqueles meus inimigos que não quiseram que eu reinasse sobre eles, trazei-os aqui, e matai-os diante de mim.
    Lucas 19:27

  3. otimo fechamento de texto Barros
    boa serie tambem
    deixa eu te fazer uma pergunta:
    voce que ja é ateu a muito tempo, filme de terror, com espiritos , aberraçoes sobrenaturais, coisas do tipo, tem ainda alguma relevancia pra voce??? ou é sem graça pra voce tambem assistir filmes de espiritos e lugares mal assombrados?
    Assisti um filme ontem e achei bem sem graça e sem noçao essas coisas do além, sendo que minha namorada nem conseguia assistir o filme de tanto medo, todos ficaram apavorados. Nem as partes de susto em que aparecem coisas do nada me causaram suspense e apreençao, esse é um dos efeitos de ser ateu? os filmes nao causam mais medo?? quando assisti o Exorcista pela 1a vez me caguei de medo e fiquei chocado , agora, acho que se assistir nao terei reaçao alguma. tudo ficou tao sem graça! vou ter que fingir que me assustei tambem, pra entrar no clima! srssrrssrsrsrsrsr

  4. Carlospropagandas, mencionei esse versículo para um crente e ele me disse que “era apenas uma parábola”… Eu olhei pra ele com pena; e não gosto de sentir pena de ninguém.

    Greg, muito obrigado. Quanto a sentir medo com filmes de assombração, escrevi um texto exatamente sobre isso: “Porque é preciso ter medo“, logo depois da estreia de Atividade Paranormal. Mas filmes que envolvem o sobrenatural, eu assisto mesmo só por curiosidade, porque tudo é apenas uma grande ilusão.

    Abraço.

  5. Barros, você não pode culpar Jesus por todas as palavras que lhe foram atribuídas. Jesus não escreveu nada do seu próprio punho, foram os evangelistas através de contactos pessoais que elaboraram as narrativas. Numa época onde não existiam gravadores era possível alguém decorar um sermão da montanha completo? É evidente que os quatro evangelistas colaboraram com as suas ideias ou, precisamente, os seus ideais. Na cultura greco-romana não haveria filósofos ou pensadores que se tivessem debruçado sobre os temas da misericórdia, da compaixão e do amor fraterno? Possivelmente haveria. Daí, os evangelistas terem aproveitado esta ou aquela frase que ficou no ouvido do povo dita por Jesus e terem certamente dissertado à volta desta.

  6. Maria, de fato, eu não posso “culpar” Jesus por todas as falas que a ele são atribuídas na Bíblia. Acontece que você não tem como saber “quais” falas foram atribuídas a ele e “quais” falas foram mesmo ditas por ele. O que o crente faz é ESCOLHER o que lhe parece mais conveniente, de acordo com o seu tempo, com a sua cultura e com a moral aceita pela sua sociedade.

    Em outras palavras, você não pode desconsiderar o fato de que Jesus pode ter apenas dito coisas horríveis sobre o que deveria acontecer aos que não o aceitassem como filho de Deus, e que todas as outras pregações sobre amor e compaixão tenham sido posteriormente adicionadas, indevidamente atribuídas a ele.

    Ou isso, ou você estará usando dois pesos e duas medidas.

  7. Jesus, nos evangelhos, exprime bem a sua natureza humana. Ele saiu do sério quando se indignou ao ver o comércio no templo. Esse versículo de Lucas está relacionado com a realidade vivida pelo próprio Jesus em que a pena de morte era aplicada com frequência. Como podia ele fugir completamente aos códigos de conduta da sociedade judaica, aos seus castigos e às suas penas? Ele era homem e parecem-nos duras aquelas palavras dirigidas à mulher sirofenícia de nação:« Deixa primeiro saciar os filhos; porque não convém tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos.» Como homem que era, os judeus estavam em primeiro lugar. Faria primeiro os milagres entre os judeus, era o que queria dizer. Como ser divino, parece-nos incompreensível que fizesse uma tão grande acepção de pessoas. O problema é que Jesus era tão somente um Mestre rodeado de alguns discípulos como deveria haver bastantes naquela época e naquele contexto histórico.
    Jesus nem os seus discípulos lavavam as mãos. Àparte a mensagem de que o que o que está no interior do seu coração é que contamina o homem, na realidade Jesus desconhecia completamente a existência de micróbios. Os outros judeus também porque o faziam por uma questão de pureza ritual. Mas Jesus, sendo um ente divino, não aconselharia os seus discípulos a essa medida de higiene fundamental, mesmo não explicando cientificamente a razão para isso?
    Temos que nos concentrar sobre a dimensão humana de Jesus para não criticarmos com severidade a sua suposta divindade. Todas as suas profecias não realizadas indicam simplesmente um homem movido pela fé. Ao atacarmos uma divindade inexistente estamos a cometer um erro profundo: estamos a dizer que tudo está errado.

  8. Em Marcos, a parábola da figueira seca parece pouco edificante para um Jesus divino. Amaldiçoar uma figueira por não dar figos e ainda por cima fora do tempo?! De facto pode ter acontecido Jesus ter ido procurar por figos e não os ter encontrado. Por razões naturais a figueira ter-se-à secado numa outra altura não relacionada com a saída de Jerusalém. Incorporada no tema da fé em Deus está um pouco desajustada. A fé em Deus é para que aconteça coisas boas e não necessariamente para que se sequem figueiras. O crente é capaz de dar mil voltas para achar razoável esta vingança pessoal de Jesus. Quanto à minha opinião é que esta parábola foi encaixada à força no texto da purificação do templo. Não tem nada a ver nem com os acontecimentos do templo nem com a demonstração da fé. Para além de que 11: 26 fala no perdão o que não está em consonância com o castigo atribuído à figueira.

  9. São palavras do Mestre: O machado está posto no pé de cada árvore a ser derrubada. Vocês já estão condenados e não há o que se faça para mudar isso. É lamentável ver tanto tempo alguém designar a algo que lhe lançará nas trevas eternas. Eu prefiro a Vida Eterna meu amigo. Assim como o senhor ma prometeu. Você escolheu as trevas. Agora aguente

  10. Eita! Carla vem nos anunciar que é dia de cachorro louco…

  11. Em Lucas 19:39, alguns fariseus dizem a Jesus: Mestre, repreende os teus discípulos. Estes estavam a fazer um certo alarido com os louvores a Deus em alta voz. Como era Jesus visto por estes fariseus? Apenas como um Mestre. Não era algo fora do comum. A manifestação ruidosa dos discípulos é que foi considerada perturbadora.
    Jesus faz a previsão da vinda do Filho do homem numa nuvem e que não passaria aquela geração até que tudo acontecesse. A profecia cumpriu-se dentro do tempo previsto? Parece que não embora muitos por várias vezes tenham marcado datas para o efeito. Jesus não era falso, era um visionário, um homem religioso.
    Destituindo os evangelhos dos elementos do maravilhoso, vemos que a humanidade de Jesus está bem patente até pelas profecias não cumpridas. E tudo tem a sua razão de ser, até as frases mais drásticas pronunciadas por Jesus, frases quase agressivas.

  12. Carla, quando escrevemos refletimos. O resultado da nossa reflexão pode estar errado, em primeiro lugar. Estou falando de mim. Tudo não passa de uma suposição. Aqui não há verdades absolutas como nos dogmas das igrejas que além disso expressam um mistério indecifrável. Sou uma porta aberta para receber variadas opiniões mas se o Deus Eterno existir como me pode ele condenar por tentar compreendê-lo?

  13. Carla, essa é apenas mais umas das inúmeras contradições da sua religião. Ora, os evangelhos explicitamente anunciam uma condenação juntamente com a forma de se livrar dela, seja pela aceitação de Jesus como filho de Deus, seja cumprindo os mandamentos, seja praticando o bem (até aí há confusão, pois não fica claro que é preciso fazer tudo isso ao mesmo tempo, ou se isoladamente já vale).

    Ora, também nos evangelhos está explícito que os condenados já estão definidos!

    Claro que alguns alegariam que isso é devido à onisciência de Deus, o que faria dele um grande filho da puta, pois teria criado pessoas com o único propósito de mandá-las para o Inferno, já que sabia de antemão que muitos seria condenados.

  14. Claro que o crente vai precisar recorrer à mágica da interpretação para tentar ler o que não esta escrito ali.

  15. Duvido que um padre tenha dito tudo isso. E eu nem católico sou, hein! Você, na próxima vez, GRAVE UM VÍDEO e MOSTRE no seu site. Padre nenhum falaria o que você, levianamente, afirmou. Você é patético, cara, precisa se tratar. É mais cristão que muitos por aí, mas vive numa angústia tremenda. Sofreu algum revés na vida, não se recuperou e culpa Deus por isso. Patético demais! Agora deu para inventar coisas… MOSTRE um padre falando isso que você escreveu, seu PUSILÂMINE.

  16. Ateus são cristãos enrustidos, ateus como Barros são patéticos de tão ridículos. Não tem NENHUM argumento sólido, somente ataques, e mais ataques…

    Existem muitas evidências da existência de Deus: a principal dessas evidências são blogs como o seu, pessoas como você. NADA MAIS CRISTÃO DO QUE UM ATEU RECALCADO QUE VIVE DE DIFAMAR A IDEIA DO CRIADOR.

  17. O cara acredita em cobra falante, mas em padre falante não! Só com provas!!

  18. Ateu, graças a Deus, concordo em parte consigo. O Barros ao dizer tanto desaforo contra Deus e a pessoa de Jesus, quer naturalmente ser contradito até chegar a ser convencido da existência do primeiro. Até lá, vai utilizando uma linguagem chocante para chamariz dos que se dizem crentes. Mas os crentes também têm que achar argumentos convincentes para explicar os conteúdos bíblicos de modo a satisfazer a nossa ânsia por Deus.

  19. Eu recomendo que voces parem de visitar essa bosta de blogue e procurem coisas mais úteis pra fazer como ler a Palavra e se informarem do que está reservado desde o começo dos tempos para esse tipo de gente O INFERNO.

    quando voces mesmo com boa-vontade tentam abrir os olhos de tal criatura não estou certa se também nao estão se envolvendo emocionalmente à ponto de comprometerem suas salvação. O Verdadeiro Cristão não vai onde não é bem vindo e está claríssimo feito água que ninguém de Deus é bem vindo neste espaço amaldiçoado que talvez esteja contaminando a alma de alguns que estâo arriscando a própria salvação.REFLITAM. PENSEM E DENUNCIEM

  20. “O Verdadeiro Cristão não vai onde não é bem vindo e está claríssimo feito água que ninguém de Deus é bem vindo neste espaço amaldiçoado que talvez esteja contaminando a alma de alguns que estâo arriscando a própria salvação.REFLITAM. PENSEM E DENUNCIEM”

    Então o que você está fazendo aqui boa cristã vá pra outro lugar ou enfie a cara na leitura da bíblia só não se esqueça de pular as partes ruins da mesma por que senão pode ir para o inferno por começar a ignorar a porcaria da bíblia.

  21. Cristãos me expliquem porque o Jesus bonzinho manda matar as pessoas que se neguem a se prostrarem a ele?Um ser que faz isso não é ruim?

  22. Estou gostando! A Carla está animando a conversa. Primeiro se vale da “IRA” por nao conseguir bons argumentos. Expõe algo sem sentido mas não traz um alento aos dogmas já dissecados como lixo.

    Depois de tudo isso, dada a ignorância da figura, resta apenas a “alegria” de mandar os ateus ao inferno. Pra ver se ganha pelo medo.

    Coitada! Não sabe, a coitada, que ateus etão livres das imposições medonhas do cristianismo. Somos vacinados e livres disso! Os tais “infernos”, para onde sempre nos mandam quando faltam argumentos, apenas nos fazem rir, tamanha infantilidade, e o pior, não é nada novo, já estamos acostumados!

    Agora devo agradecer esse “amor” cristão, quando revelado, porque além da risada gratuita proporcionada, nos engrandece, até certo ponto nos faz mais conscientes da “encruzilhada” na qual se meteu o cristão de “manada” ou de “programa”. Não explicam quando tentam, se não conseguem mandam um “castigo” que só pega em cristão!

    Agradeço sua ingênua IRA, “AMOR” , “HIPOCRISIA” cristã e pelo momento de descontração proporcionado!

  23. É Barros, a cada vez que entro aqui me convenço de que você é MAIS CRISTÃO do que qualquer outro que frequente templos, ou igrejas. Você tem uma briga interna intensa, se questiona o tempo todo e agride, agride, agride… Chega a INVENTAR palavras ditas em missas. Só para você saber: eu NÃO SOU católico, ma DUVIDO que QUALQUER padre tenha falado essas palavras que você LEVIANAMENTE distorceu.

  24. Veja como sua mente religiosa é extremamente fértil em inventar coisas para se convencer de que está certa acerca do mundo.

    Primeiro que eu não te agredi em nenhum momento.

    Segundo que não era uma missa, era uma cerimonia de batismo.

    Terceiro que eu estava lá e você, que nem igreja católica frequenta, não estava.

    Você simplesmente botou na cabeça que o padre não disse o que eu escrevi que ele disse, e pronto! Pode o mundo desabar, que eu estou inventando e você está com a razão. Mas eu te entendo, porque é justamente isso que você precisa fazer para continuar com essa ilusão de que há um Deus cuidando de você: botar na cabeça que está certo e pronto! A realidade é apenas um detalhe inconveniente.

  25. Só que esse Jesus, a quem vocês chamam de abominável, morreu por nós!

    Só que, se não fosse esse “Jesus Abominável” e sua Igreja, nenhum de nós estaríamos aqui para contar história; pois, a história do mundo teria sido totalmente diferente e, com toda certeza, nenhum de nós aqui teria sequer nascido!

    Por acaso, algum ativista ateu já deu a própria vida por alguém?

    Por acaso, algum profeta do ateísmo já fez alguma profecia ou milagre autêntico para que eu acredite nele e para que não veja que és um falso profeta?

    Por acaso, já ocorreu algum milagre autêntico, comprovado pela própria Ciência, em alguma “igreja” fundada por algum profeta ateu, para que eu me batize nela?

    Só que esse Jesus, a quem vocês chamam de abominável, nos prometeu a vida eterna; enquanto, que os profetas do ateísmo só podem nos prometer o nada eterno após a morte!

    Por acaso, algum profeta do ateísmo já ressuscitou e voltou da morte para dizer que não há nada lá?

    Por acaso, já subiram no cume do monte da origem do Big Bang, da origem da vida e da consciência para comprovar que não há nenhum Deus lá?

    Se eu abandonar esse “Jesus Abominável” e te seguir, podes me prometer, com toda certeza e segurança, que não há juízo e nem vida após a morte? Que não há, Inferno, nem Céu e nem Purgatório?

    Sabes que não!

    Então, qual o motivo de alguém perder seu tempo, arriscando a própria alma e a dos seus seguidores, a fim de pregar com tanto afinco o ateísmo: a desreligião da desesperança?

    Será que é para querer ser, no máximo, o tio chato que contou pro sobrinho que Papai Noel não existe?

    Será que é por ódio a Deus e à sua Igreja?

    Será que é para ver se alguém te convença que estás errado?

    Será que é para chamar a atenção de Deus e ver se Ele te dá um “puxão de orelha” para descobrir que Ele existe mesmo?

    Será que é por que tomaste a Ciência (a nossa limitada ciência humana) por deus?

    Ou será que é por pura filantropia e profundo amor e aos ingênuos e incautos crentes, para livrá-los das amarradas da religião e das garras dos falsos pastores “lobos em pele de cordeiro” e levá-los ao conhecimento pleno da verdade?

    Mas, que verdade? A de que Deus não existe? Onde está a prova científica disso?

    Sabes que não há nenhuma!

    Então, lá no fundo, qual será o sentido de tanto pessimismo e imprudência, qual a vantagem, qual o mérito, qual será o verdadeiro motivo por detrás de um apologista ateu, de um profeta da desreligião da desesperança, para atacar com tanta raiva e determinação a religião e tudo o que se chama Deus?

    Sinceramente, não consigo entender o que os leva a isso; é, realmente, muito estranho!

    Com tanta coisa útil para se fazer na vida, foi querer ser justamente um apologista do ateísmo, um arauto do nada eterno, um destruidor de esperanças, uma ave de mau agouro, um sacerdote da desreligião da desesperança? Com tanta injustiça a ser combatida no mundo, foi querer combater justamente o Criador?

    Já pensastes, por um segundo, a gravidade de vocês, apologistas ateus, poderem estar errados?

    Já se imaginou no Dia do Juízo diante do Tribunal de Cristo?

    Quais a boas obras que tu vais apresentar a Ele? Tuas blasfêmias, as almas desencaminhadas por ti, teus artigos do… “Deus Ilusão”?

    Saiba que, mesmo naquele derradeiro dia, aquele a quem chamas de “Jesus Abominável” vai te perdoar! Mas, será que você vai se perdoar, será que você vai confiar na misericórdia divina?

    Não é a Deus que deves temer na hora do Juízo, mas a tua própria consciência!

    Não, não penses que ser ateu (ainda mais um ativista) é tão digno quanto ser um cristão. Pois, o cristão, se estiver certo, tem tudo a ganhar; e, se estiver errado, não tem nada a perder; enquanto que um ateu, ao contrário, se estiver errado, tem tudo a perder (a própria alma); e, se estiver certo, não tem nada a ganhar. Pois, se Deus não existe e nem a vida após a morte, então, tudo terá sido em vão: nossas vidas, nossos estudos, nossos trabalhos, nossas alegrias e sofrimentos, nosso suor e lágrimas, nossas lutas, nossas esperanças, nossos sonhos…

    Não, obrigado, prefiro seguir meu “Jesus Abominável” mesmo!

    Sabes por quê?

    Porque, mesmo que Deus não existisse, Deus é a nossa única esperança; não só de uma vida eterna após a morte, mas de um futuro para a humanidade!

    Pois, mesmo que escapemos do aquecimento global, ou de uma hecatombe nuclear, ou das máquinas e seres geneticamente modificados mais aptos e inteligentes do que nós, ou de uma invasão alienígena, ou da colisão com um asteroide ou cometa, ou da extinção do Sol, ou de sermos engolidos por um grande buraco negro; mesmo que fizermos ninho em outras estrelas e galáxias e colonizarmos outros planetas nos confins do Universo, com certeza, não conseguiremos escapar da expansão acelerada do Universo!

    E nenhuma ciência, ou tecnologia, ou ET, ou mesmo super-herói, poderá nos salvar.

    Então, toda a história da grande epopeia humana terá sido em vão!

    E, talvez, naquele triste dia, o último humano, no seu último suspiro, se lembrará daquele que abandonamos na aurora da nossa existência e que (acreditemos ou não, exista ou não) sempre foi e sempre será a nossa última e única esperança:

    O DEUS SALVADOR!!!

  26. Acho que quando morrermos vamos nos encontrar com zeus ou qualquer outro deus mitológico kkkkkk,pois se pararmos para pensar sempre somo ateus por não acreditarmos em um deus ou outro e não é por isso que vamos sair adorando todos né!

  27. bom, segundo o Hebraico a palavra “sheol” que significa= seputura, cova, morte ou profundeza. ň tem sentido de lugar de tormento, ou seja, o tal inferno que os crentes tanto tem medo. Já a palavra “geena” que no português foi traduzido como lago de fogo, traz o sentido de DESTRIĆÃO, ANIQUILAÇÃO.
    ou seja, o lago de fogo descrito no apocalipse 20-14. que diz: ” ENTÃO A MORTE E O HADES FORAM LANÇADOS NO LAGO DE FOGO. O LAGO DE FOGO É A SEGUNDA MORTE. Bom oq é ” MORTE”?
    morte significa=fim, separação. Mas separação do que e de quem? fim do que?. Outra passagem que se usa o termo “GEENA” é MT. 10.28. que diz: Ň TENHAM MEDO DOS QUE MATAM O CORPO, MAS Ň PODEM MATAR A ALMA. ANTES TENHAM MEDO DAQUELE Q PODE “DESTRUIR” TANTO A ALMA COMO O CORPO NO INFERNO. O quero dizer é q ň existe esse “INFERNO” OU LUGAR DE TORMENTO. Como já sitei, no AP.20.14. essa passagem é totalmente simbólica, pois ň tem como lançar a sepultura ou cova em um lago de fogo. O VERDADEIRO SIGNIFICADO DESSAS PASSAGENS SÃO QUE OS ÍMPIOS, OS SOFRIMENTOS, TRISTEZAS E ETC… SERÃO DE FATO ANIQUILADOS, OU SEJA Ň EXISTIRÃO.NEM TÃO POUCO FICARÃO EM UM LUGAR DE TORMENTO FRITANDO PELA ETERNIDADE.

  28. D. R. percebes que tu mesmo duvidas, tiubeias e até mesmo se contradiz? Se vc tem absoluta certeza de que cristo existe e se sacrificou por ti numa cruz (Uma cena no mínimo tétrica) como afirma que se ele não existir vc não perde nada?

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: