Jesus cura Gay

Anúncios

152 Respostas

  1. Jesus ensinava que a homossexualidade era irrelevante para a salvação e julgamento.Toda a mensagem de salvação ensinada por Jesus estava baseada em leis que não incluíam a proibição da homossexualidade.

  2. Ué deixa eu ver se eu entendi a Mariana!!
    Ela esta fazendo apologia ao homosexualismo ou é impressão minha?!

  3. ADAMANTDOG,

    Só impressão sua.rs Eu não tenho preconceito contra homossexuais.

  4. Jesus nem toca no assunto e muito menos esclarece que esta é encontrada na natureza,o que é muito estranho pois um deus devia ter falado disso.Mas pensando bem Jesus nem sabia que devemos lavar as mãos para comer.

  5. AI, AI, AI a doce e bela MAriana que nao le a BIblia!
    vive repetindo o que o padre ou pastor diz!
    deve ser uma especie de “crente papagaio” ou maritaca !!!!
    pena que nao é uma especie em extinção!

  6. Os crentes sempre querem exibir a biblia como o “livro do amor”, nem que pra isso tenham que ignorar vários trechos da própria. A biblia deixa bem claro que os gay e muitos outros (avarentos, bêbados, devassos, adulteros etc…) não entraram no céu, e que outro lugar eles ficariam se não no inferno? Se alguém puder me ajudar com o trecho exato eu agradeço.
    Alias Mariana, a biblia também diz que mulheres não devem discutir com os homens, então seja uma boa moça (de deus) e apenas concorde e vá lavar uma louça…

  7. Em geral, discussões que giram em torno do ateísmo e do teísmo são fraquíssimas nos mais diversos meios. Isso ocorre principalmente por dois motivos:
    (1) o foco nao é a busca da verdade sobre algo mas o ataque à crença ou descrença de outrem. Vide por exemplo o comentário do Greg que ataca gratuitamente a Mariana, independente da importância do comentário desta. E é assim quase sempre em discussões como a que se propõe: ateus tendo crentes como débeis mentais ou ignorantes enquanto crentes “lançando ateus no inferno”. Discussões assim são “inutel” (fazendo referência a uma música do Ultraje a Rigor :)).
    (2) não existe um questionamento sobre as próprias crenças (ou descrenças), mas uma tentativa de impor o que se acredita. Vide o comentário anterior do Carlos. Se ele se questionasse sobre o que ele mesmo escrevera, evitaria de publicar bobagens (i. o fato de a bíblia não relatar que Jesus deu algum parecer sobre o homossexualismo não significa que ele não o tenha feito e, mesmo que ele não o tenha feito, admitindo a hipótese de sua deidade, isto não o obrigaria de falar sobre o tema. ii. Atribuir a internacionalização do lavar as mãos como verdade é o extremo do ridículo e ainda com o intuito de diminuir a pessoa de Jesus (o argumento seria nulo independente da pessoa)). Percebo que falta bom senso para muitos e isso é para ambas as partes.

    Para finalizar, deixo o seguinte pensamento para reflexão:
    “A existência é por si só absoluta de modo que dispensa a convicção”.

  8. Atribuir a internacionalização do lavar as mãos como verdade é o extremo do ridículo

    Alex, você não entendeu nada. Quer ver só? Tente responder isso:

    Lavar as mãos antes das refeições é verdade ou mentira?

    Percebe que você não está sintonizado com “o foco da questão”?

    E ridículo é um Deus onisciente que não sabe que comer sem lavar as mãos certamente trará prejuízos ao indivíduo.

    E principalmente no caso da época e lugar em que Jesus viveu, em que as pessoas limpavam a bunda com as próprias mãos, usando apena um punhado de areia.

  9. Caro Alex,

    Me desculpe mas pelo que eu pude notar você é uma Suiça fadada ao insucesso, uma vez que ataca as partes contrárias e ao mesmo tempo tenta invalidar o “conflito”.

    Devo também discordar quando você sentencia que “não existe um questionamento sobre as próprias crenças (ou descrenças), mas uma tentativa de impor o que se acredita.”

    De minha parte posso lhe garantir que o que me move é o questionamento, preso a objetividade, a lógica e os fatos. Já fui cristão e hoje sou ateu. Obviamente isso não ocorre sem questionamentos diversos, não é como escolher a cor da tinta da parede da sala.

    Abraço!

  10. Warlei, eu escrevi “Em geral” e apenas no que concerne às discussões. Obviamente há pessoas, senão todas, que de fato se questionam sobre a verdade. Isso é natural. E é certo que muitas destas se encontram aqui e em outros grupos de discussão. O que friso é o fato que, em geral, numa discussão deste cunho prevalece a imposição ideológica em detrimento à reflexão temática. Apenas isso. Como você mesmo colocou, você não se enquadra neste caso.

    Barros, respondendo sua pergunta:
    “Lavar as mãos antes das refeições é verdade ou mentira?”
    Resposta: Se você lavou, verdade. Se não, mentira. rsrsrs

    Brincadeiras à parte, gostaria de me estender um pouco mais sobre suas opiniões. Sem querer defender religião (no caso o cristianismo), mas apenas tentando usar de sensatez, não precisa ser um estudioso para entender que Jesus não inventou uma doutrina de “não lavar as mãos”. Lendo a historia, é fácil perceber que Jesus estava contrapondo os religiosos da época que se vangloriavam de serem os tais a ponto de sacramentarem um simples lavar de mãos. A meu ver, é só uma questão de entender um simples texto. Não consigo entender o porquê de tanta ênfase nisso.

    Abraços

  11. A unica certeza de que temos é que nada temos, e se tem alguem olhando e mais quieto e imparcial do que um observador do bbb. Se sentindo cansado de acreditar em algo que nao ajuda a gente em nada.

  12. Greg:deve ser uma espécie de “crente papagaio” ou maritaca!!!!
    pena que não é uma espécie em extinção!

    Ataque gratuito e desnecessário contra mim! Como disse o Alex!
    Neo-Ateus costumam agir com hipocrisia, denegrindo quem pensa diferente usando especialmente Ad Hominem.Essa nova geração de ateus, chamada de Neo-ateus, age assim. As mensagens preconceituosas que ofendem os religiosos.

  13. Lendo a historia, é fácil perceber que Jesus estava contrapondo os religiosos da época que se vangloriavam de serem os tais a ponto de sacramentarem um simples lavar de mãos. A meu ver, é só uma questão de entender um simples texto. Não consigo entender o porquê de tanta ênfase nisso.

    A ênfase dada é porque Jesus poderia ter dito, por exemplo: “Lavem bem as mãos antes das refeições, para evitar doenças, não porque os fariseus mandam”.

    Ele estaria contrapondo as ordens dos seus desafetos do mesmo jeito, e ainda evitando que as pessoas sofressem desnecessariamente com doenças causadas por falta de higiene.

    Mas ele não disse isso porque não sabia, ou porque não quis?

    Qualquer que seja a sua resposta, seu deus tá em maus lençóis.

  14. Caro Barros,

    Você parece que está de brincadeira. Que é isso cara? Assumindo a deidade de Jesus, será que ele não tinha direito de falar o que quisesse? Ele tinha que falar o que você quer? E justamente sobre isso que eu escrevi num post anterior, as pessoas querem impor o que elas acreditam, e você se encaixa perfeitamente nisso. Para você, um deus deveria até te ensinar a escovar os dentes. Faça-me o favor!

    Outra coisa Barros, você determinou até minha crença cara. Em nenhum momento disse se creio ou não num Deus. Prefiro evitar revelar isso porque sei que vou ser criticado por minhas convicções como costumam-se fazer.

    Abraços.

  15. Por mais que se afirme que Jesus é a “Salvação para todos” a questão da homossexualidade ainda fica um tanto quanto confusa. Ao meu ver, Cristo não apoiou nem deixou de apoiar o homosexualismo, e pelo que eu acho ele nem tocou no assunto. PORÉM segndo o Novo Testamento (Que foi uma espécie de “filler” do Antigo, só que com um “Deus” mais light) afirma veementemente que:
    “Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte.”
    Logo, se você é ateu, é tímido(?), é abominável(cuma?), gosta de uma trepada, já fez uma macumbinha, ou simplesmente já mentiu… Sinto em lhe informar, maaaaaas… FUDEU!!!!!!!!!!!!
    Ps: a parte dos fornicadores também equivale aos homossexuais…
    Então, no final das contas, no juízo final, (Se fosse haver um) o todo poderoso EMANUEL mandaria cerca de 157,9% da população mundial pro Inferno… Se tem uma cura gay eu não sei, mas se tiver um repelente para Cristo eu tô aceitando!

  16. Pode ser Cristão, Espírita, Islamita, Hinduísta, Sikhismo, etc e tal que não tem cura. Sempre houve o homossexualismo, é um estereótipo de gênero.

  17. Assumindo a deidade de Jesus, será que ele não tinha direito de falar o que quisesse?

    Vendo por esse ângulo, sim. Mas, aí, você tem que admitir que Jesus foi um tremendo filho da puta, pois não alertou, quando podia, que a falta de higiene (e não demônios) acarreta doenças para o corpo. E os filhos amados dele tiveram ainda que sofrer por dois mil anos, até descobrirem isso por conta própria.

    Por que Jesus não lhes alertou? Era porque não sabia? Claro que não. Era apenas porque ele queria se contrapor aos fariseus…

    Uma batalha de egos, não é?

    Que palhaçada! Imaginar um deus que te ama e, ao mesmo tempo é capaz de te chantagear com torturas eternas e se lixar para a raiz dos seus problemas.

    Continue com os seus sonhos. O problema é que gente como eu vai estar sempre por perto pra te lembrar que isso é só o que são: sonhos.

  18. Barros,

    As passagens da bíblia não devem ser tomadas ao pé da letra, são metáforas, ele não quer dizer exatamente : “não lave as mãos”, ele tenta mostrar que o interior é mais importante estar limpo do que exterior,e simplesmente adota as mãos como exemplo para entendermos a mensagem.

  19. O que seria esse “interior”?

    O que significaria “estar limpo”?

    O fato mais embasbacante sobre os Evangelhos é que lá está registrado textualmente, e, dessa vez, não passível de interpretação, como Deus é incompetente.

    Veja só. Ele, Deus, desce à Terra, para entregar pessoalmente uma mensagem muito importante. Aí perceba que, mesmo sendo superpoderoso, onisciente e tal, ele não consegue se fazer entender, não consegue realizar a missão a que se propôs.

    Jesus passou 33 anos vagabundeando entre nós, fazendo mágica de circo e falando que nem o Mestre dos Magos, de forma que, ainda hoje, dois mil anos depois, ninguém ainda chegou a um consenso sobre o que realmente ele tava querendo dizer.

  20. DEIXA EU ME METER NA CONVERSA.
    TODAS as passagens da bíblia são metáforas e devem ser tomadas como tal, ou só algumas, Mariana?

  21. Barros,
    O que seria esse “interior” e estar “limpo”?

    Conta-se que indo Jesus jantar com um fariseu, e havendo entrado e sentado à mesa este o indagou sobre o motivo de seus discípulos violarem a tradição que mandava lavar as mãos antes de comer. Jesus respondeu:
    “- E vós também, por que transgredis o mandamento de Deus?”.
    Jesus se referia a todos os homens que haviam negligenciado os verdadeiros mandamentos quando deram mais importância aos atos exteriores ao invés de se reformar moralmente. E ele os chamou de hipócritas. E citou Isaias que já havia profetizado: “Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim.”

  22. Caro Barros,
    Não sei quais são tuas fontes de pesquisas históricas sobre Jesus, mas é evidente que você tem que melhorar tua biblioteca. Pelos teus argumentos, parece que você está bem preparado para “combater” aqueles crentes chatos que acreditam no que não entendem e querem empurrar goela abaixo suas crenças. Mas apenas isso. Olha só o que você escreveu. Você dá a entender que as pessoas só entenderam o que é higiene muito tempo depois de Jesus. De onde você tirou isso? Sem comentários cara.
    A disputas de egos entre Jesus e os fariseus que você supostamente credita estar presente no texto daria uma hilariante cena de um filme. rsrsrs
    Por fim, o argumento que você utilza para afirmar que um suposto deus de amor é contraditório por ser malvado é o mesmo que muito crente utiliza contra descrentes: basear-se em textos isolados para defender uma ideia. Me parece que você gostaria que existisse um deus que lhe mimasse.

  23. Pessoal o blog de nossa amiga Ana Júdice é muito bom(ja ta nos meu favoritos)

  24. Jhosh,

    TODAS as passagens da bíblia são metáforas e devem ser tomadas como tal, ou só algumas?

    Só Algumas!Nas Escrituras estão muitas metáforas acerca da Palavra de Deus.

  25. Você dá a entender que as pessoas só entenderam o que é higiene muito tempo depois de Jesus. De onde você tirou isso?

    Eu tirei dos livros que não fazem parte da Bíblia. Se você não tivesse faltado a todas aquelas aulas de História, não teria feito um comentário tão tolo.

  26. Josh, as passagens da Bíblia que não são metáforas, Deus mandou que fossem escritas em itálico.

  27. Barros, então você de fato acredita nisso que você escreveu? Se sim, basta pra mim por hoje.

  28. Não é crença. É História. Com H.

    Tchau.

  29. Só se for a história de um universo paralelo.

  30. “as passagens da Bíblia que não são metáforas, Deus mandou que fossem escritas em itálico”.

    Kkkkkkk Acho que o Barros não é ateu não viu,acho que ele é um Comediante.

    Barros,naquela época, tanto quanto hoje era importante o hábito de lavar as mãos antes de comer como forma de preservar a saúde. Mas ele nos disse: “Ouvi e entendei. Não é o que entra, mas o que sai da boca do homem que o torna imundo.” Porque sua boca fala do que está cheio o coração. Tudo que entra pela boca desce ao ventre e se lança depois os dejetos. Porém, as coisas que saem da boca vêm do coração. E saem os maus pensamentos, que darão origem a ações maldosas.
    Mas ao longo do tempo, até por necessidade, o homem foi aprendendo a dissimular e de tanto repetir pode perder o rumo. E aí começa a usar de subterfúgios. Chama maledicência (fofoca) de comentário. Julgamento passa a ser observação e assim por diante. Com isso, muitas palavras ganham sentidos diversos e o homem vai, deliberadamente, criando estratégias para amenizar a atitude.

    Meu querido,você entendeu agora?rs

  31. ADAMANTDOG

    Obrigada pela visita e indicação, volte mais vezes.
    Um abraço

  32. Barros,naquela época, tanto quanto hoje era importante o hábito de lavar as mãos antes de comer como forma de preservar a saúde.

    Errado.

    As doenças eram associadas a praga dos deuses ou, no caso do cristianismo, a possessão demoníaca.

    Durante a Peste Negra, ninguém lembrou de exigir uma infraestrutura de saneamento nas cidades. Eles chamava os padres.

  33. Não, Alex, não é a História de um universo paralelo. Como eu suspeitava, você matou aquelas aulas…

    Mas não se desespere. Dá uma pesquisada no Google: Lavoisier.

    Ao que parece, Lavoisier tornou-se mais conhecedor do Universo do que o Filho do Deus que o criou.

    #EstranhoISSO!

  34. Barros, a Mariana está falando de hábitos naturais de higiene e você contra-argumentando com as crenças das pessoas em torno das doenças? Não dá pra entender a lógica do teu raciocínio.

  35. Alex, dá uma lida nos hábitos de higiene na Idade Média, e depois põe um saco na cabeça.

  36. Barros, você quer impor suas ideias na base da intimidação, e isso é bem evidente principalmente quando seus argumentos são contestados.
    Cara, ninguém está afirmando aqui que durante a Idade Média o sistema de saúde era adequado. Todo mundo sabe que era precário. Porém você desonestamente desvirtua a discussão insinuando que afirmei coisas que eu não defendi. Releia tudo o que você escreveu e seja ao menos honesto consigo mesmo. Higiene pessoal vem de muito tempo, agora se a saúde era precária ou não isso é outra história. Agora responsabilizar Jesus pelas mazelas das pessoas utilizando o argumento de que ele “guardou o segredo da higiene” beira o fanatismo anti-religioso.

  37. Barros, oi!

    Não vi o vídeo, mas só pelo título já deu para sacar que você continua o mesmo. Por mais interessante que seja o vídeo (!), apenas o título já destrói a ‘obra’. Por quê? Por ser um apelo ao mau gosto que insiste em flertar com a filosofia. Um título que agride, antes de Jesus, os gays, é, de fato, uma pobreza. Uma manobra estúpida e tola a fim de continuar com essa malfadada intenção de induzir gays a confrontarem o que está escrito na Bíblia. Na verdade, isso não passa de viadagem.

  38. A propósito, amaria discutir os pontos de vista da galera. Alguém me desafia?

  39. Mariana:

    “Greg:deve ser uma espécie de “crente papagaio” ou maritaca!!!!
    pena que não é uma espécie em extinção!”

    Infelizmente ele é um “neo” que, de forma pragmática, irá atacar os crentes até o fim. Não o leve a sério. Se fossem um exército, ele seria um aspirante com todas as possibilidades de ser reprovado.

  40. kkk Veja como afé por si só não se sustenta, o que não faz sentido é porque é metáfora, e (só) o que é conveniente é que é real, e só o “crente” é que pode “garimpar” as passagens certas… Nem um advogado distorce acha tantas brechas numa lei

  41. Jhosh,
    Você está coberto de razão sobre o garimpo que muitos crentes fazem na bíblia para defenderem sua fé, usando este livro como lhes convêm. Entretanto, fique atento ao que você escreve pois você pode está cortando a própria carne. Explico. Primeiro, muitos ateus se utilizam da mesma estratégia (selecionar textos convenientes) ao seu favor para “combater crentes”. Analise você mesmo seu primeiro comentário aqui no tópico e perceberás que você deu uma de garimpeiro da bíblia para atacar os crentes. Logo, você não tem respaldo algum para criticar quem usa deste artifício.
    Segundo, o argumento de que a fé por si só não se sustenta também pode ser aplicado a um ateísta. Ou você acha que todas as chaves de todas as portas da nossa realidade já foram encontradas por nossos cientistas? Nem o mais cético deles ousaria afirmar isso. Portanto, a descrença em um deus, de certo modo, também não deixa de ser uma questão de fé meu caro.

  42. Só corrigindo: no lugar de “cético”, leia-se “otimista”.

  43. Barros, só para encerrarmos nossa discussão sobre higiene na antiguidade, estou te enviando dois links: o primeiro é uma dissertação de Mestrado que, na introdução, relata um pouco sobre costumes de higiene na antiguidade. Você pode ir além, caso tenha curiosidade, e pesquisar as referências bibliograficas do trabalho. O segundo link é um artigo cientifico da revista Elsevier. Leia só a primeira frase e tire suas conclusões.

    http://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/22114/3/Tese%20mestrado%20Hbitos%20de%20higiene%20em%20adolescentes%20e%20ocorrncia%20de%20diarreia.pdf

    http://www.handwashingforlife.com/files/HW%20complete.pdf

    Alias, aproveito para você me passar alguma referência confiavel de que antes de Jesus as pessoas nao tinham o habito de lavar as maos. O que vc me diz?

  44. Alex,

    Em sua resposta ao Jhosh você afirma que a descrença em um deus não deixa de ser uma questão de fé. Me desculpe a intromissão mas esse é uma afirmação apelativa e descabida. Um ateu nega a existência de deus em função ausência de evidências. Não é uma aposta e muito menos uma crença. E uma completa tolice afirmar tal coisa pois os ateus de conheço são motivados, conforme eu já mencionei anteriormente pelo pensamento objetivo.

    Tenho visto em muitos debates, a tentativa de alguns cristãos de nivelar por baixo a conversa com argumento fajuto de dizer que ateu é crente em alguma coisa, ou que a descrença seja uma crença em si, ou que ateísmo é um movimento, ou doutrina, etc. Mesmo concordando que muitas vezes o excesso de testosterona ou o período puberdade não contribuam para um debate em alto nível, acho ridículo, apelativo e desonesto esse tipo de proposição.

    De minha parte, não discuto subjetividades e até entendo que as vezes seja necessário aceitar o debate nesse nível, e fico feliz que alguns outros nos prestem esse serviço. Mas ainda assim fiquei curioso sobre qual seja o ponto falho na argumentação do Barros até o presente momento. Bem como onde haja alguma intimidação. Considerando que o interlocutor esteja apto a contra-argumentar objetivamente.

    Sua abordagem é sofisticada Alex, devo admitir. Você procurou por um tempo manter um certo distanciamento na argumentação, mas fica evidente sua posição sobre esses assuntos. Desculpe a franqueza mas pode tirar seu manto de invisibilidade. Você está nu na praça e constrangendo todo mundo. =) É um cristão um tanto quanto fanático. Nota-se.

    Quando mais cedo li no seu comentário o trecho onde você aconselha ao Barros melhorar a biblioteca para ter melhores “fontes de pesquisas históricas sobre Jesus Cristo” eu quase cuspi o biscoito que estava mastigando. É sabido que, do ponto de vista da ciência e da história enquanto disciplina do conhecimento humano não existem evidências que corroborem o que está escrito nos evangelhos. O homem Jesus no sentido estritamente histórico não se provou ter existido; senão apenas nos evangelhos canônicos e apócrifos e, nesse caso, como figura mítica. Estudos indicam que alguns evangelhos foram escritos entre 70 e 100 anos após a suposta existência de Jesus. Não sendo possível ter sido os autores contemporâneos do homem Jesus. Tendo sido a história da vida de Cristo, somente a partir dos 33, e seus feitos extraordinários transmitidos oralmente até se registrar em livros. E, como diz o velho ditado: quem conta um conto aumenta um ponto. Mas se ainda assim alguém quiser tratar esse assunto como um fato verdadeiramente histórico já uma questão pessoal, de fé, mas não de fato.

    Em outra resposta ao Barros você diz em tom de deboche que ele parece desejar que existisse um deus que o mimasse. Então, em conclusão, tomo a liberdade de responder por ele. Um ateu precisa tanto de um deus, seja bondoso ou não, coerente ou não, quanto um peixe precisa de uma bicicleta. E não encontrei nas palavras do Barros a mais pálida manifestação de tal necessidade. E sim a intenção de demostrar a ausência de consistência, algo frequente em livros religiosos.

    Até a noite!

    Abraços!

  45. Caro Alex, ao fazer a minha citação procurei uma prova que me pareceu provar que esse deus judaico/cristão/Stevie Wonder não é sumáriamente bom como atestam seus… “fiéis” isso, cogitando a hipótese (Não comprovada, mas extremamente remota) de sua existência. Então, vejamos:
    1 Deus te ama incondicionalmente, aponto de se mandar travestido de cristo para salvá-lo do Inferno, e fazer inúmeros milagres, relatados na bíblia e na I. U. R. D.
    2 Se você não o amar, ou pecar, ou o desconhecer, ou o questionar, ou o ignorar, ou o desagradar sendo gay, mentiroso tímido, etc. etc. ele te manda para o Inferno
    Supondo que 1 seja verdadeira, 2 não se sustenta, entretanto qualquer um que já leu a bíblia “sabe” que 2 é verdadeira, mas se 2 é verdadeira então 1 não se sustenta, o que não pode ser verdade, pois todo crente, católico, protestante, batista, adventista… enfim, “sabe” que 1 é verdadeira.
    Agora me responda: Se 1 anula 2 e vice-versa como pode se atribuír 1 e 2 ao mesmo deus de uma mesma religião?
    E outro ponto, se o médoto científico funcionou até agora, então ele é relativamente confiável, até que cheguemos em uma questão em que apareça outro método que anule o primeiro, logo ele é mutável e pode ser corrigido de maneira lógica, diferentemente de “Deus”, exemplo: nós vivíamos em uma terra plana, com seis mil anos, e 3 dimensões, que hoje é redonda, tem 4,5 bilhões de anos e possui 4 dimensões, das quais estima-se que sejam 11 ou 10, não me recordo no momento; mas DEUS continua inexorável, imutável, intangível, insondável e… INEXISTENTE!
    Fé é acreditar, é querer, mesmo sem uma base teórica consistente, sendo, aliás muito útil para acalmar e até mesmo “ajudar” a curar certos problemas psicossomáticos. Mas as minhas convicções estão baseadas não só em fé mas em lógica e em física. Não temos todas as respostas, mas diferente dos “crentes”, estamos dispostos a fazer todas as perguntas; e isso por si só já é um excelente começo!

  46. Na questão da higiene e do que falou Jesus a respeito, a gente percebe como funciona a mente do crente.
    O Barros está tentando raciocinar que se Jesus fosse de fato a encarnação de Deus – e não mero homem se insurgindo contra o status quo da época – além de falar sobre condutas morais e éticas o mínimo que poderia ter feito seria transmitir (ou reforçar) conhecimentos básicos de higiene, pois assim fazendo daria uma real demonstração de amor e preocupação por seus filhos/irmãos.
    Pois as consequências de atos imorais e antiéticos afetam as pessoas, é fato, mas igualmente as doenças que são ocasionadas por falta de higiene; e se a primeira situação pode ser atenuada e/ou resolvida por consensos, a segunda tem efeito letal na maioria das vezes, não só na época como até os dias de hoje. Basta ver a história de Ignatius Semmeweis e de um médico pesquisador americano cujo nome me escapa agora, para ter uma noção da importância da higienização das mãos.
    Um ser dotado do conhecimento que forçosamente deve ter o enviado divino, que confusamente é o próprio ente divino; que alega, ou sobre quem alegam terceiros supostamente possuidores de conhecimento abalizado, ser o próprio amor e justiça, deveria ter demonstrado esse amor e essa justiça relativamente àqueles que criou, em todo o espectro da existência da sua criação.
    Um crente não consegue, ou se recusa deliberadamente ver as inconsistências e contradições daquilo que afirma ser verdade e fato, ou seja, Deus existe e enviou seu filho que era ele mesmo para nos salvar. De quê?
    Ninguém parece dar-se conta de que se tal coisa tivesse mesmo acontecido, a missão teria sido um fracasso completo.
    Por um lado, Deus-Jesus ou Jesus-Deus não atingiu o objetivo declarado que era mudar o comportamento das pessoas; por outro, tudo que a humanidade fez de útil para si mesma desde sempre o fez pela própria experiência e trabalho.

  47. Mariana
    Jesus não ensinava nada sobre homossexualismo. Até por que a palavra não existia na época. Em compensação, Levítico 20,13 diz:
    “O homem que se deita com outro homem como se fosse uma mulher, ambos cometeram uma abominação; deverão morrer, e o seu sangue cairá sobre eles”.

    É bem como já escrevi num post aqui. Qualquer coisa pode ser vista á luz da hermenêutica, menos Deus, se vocês crentes pretenderem que há honestidade intelectual na crença de vocês.
    Ou Deus é ou não é. Ficar interpretando e contextualizando o que ele disse, fez ou quis dizer ou fazer não passa de oportunismo.
    Exemplificando, hoje em dia, ao menos no mundo ocidental e excetuando-se os homofóbicos criminosos, a maioria das pessoas não vai sair por aí matando homossexuais. Mas Deus transmitiu em tempos idos que isso era o certo a fazer. Daí as coisas mudaram e vêm os crentes dizer que: “ah, não é bem assim, tem que ver que os costumes eram outros, Deus levou isso em conta…”.
    O que vocês na prática estão dizendo, embora não pareçam dar-se conta disso, é que Deus se sujeita ao costume vigente e acaba que ele é quem fica em função dos caprichos ou modos de ser daqueles a quem criou. Ou seja, ele é submisso quando deveria ser o contrário.
    Para quem está de fora, é notável como a mente de vocês dá um nó em si mesma para conseguir dar um simulacro de sentido a esse tipo de conflito.
    Pior é que vocês querem fazer parecer que esse tipo de coisa é racional.

  48. BRAVO, Warlei Alves, Jhosh e ssrodrigues. Gostaria de ter o conhecimento, o talento e a capacidade de me expressar como vocês, que disseram tudo que eu gostaria de dizer. Obrigada.

    O resto é insuficiência de conhecimento e lógica, o que é uma lástima tanto gasto com palavras sem eco.

  49. Alex
    Na pressa em tentar refutar o Barros você tenta manipular a informação contida nos links.
    O primeiro demonstra claramente o costume de entender a necessidade da higiene e das práticas relativas a isso, ressaltando contudo que era um cuidado parcial e datando da era pré-cristã.
    Na sequência vemos que há retrocesso, devido ao fato de que assuntos relativos ao corpo passam a ser considerados tabus. Adivinha só por quê?
    O segundo link inicia com uma citação bíblica e continua falando sobre a importância da higienização das mãos no combate a doenças infecciosas.
    Duas coisas devem ser destacadas sobre esse texto. Primeiro que o ato de lavar as mãos, no caso de Arão e seus filhos teria muito mais significado como ritual do que como necessidade de higiene, principalmente se tal é visto à luz do que segue no texto. O fato de o autor ter usado a menção bíblica ressalta sua inclinação religiosa e o apelo ao argumento da autoridade segundo a visão de mundo do autor.
    De forma alguma serve como forma de refutação como você pretende. Ao contrário, deixa claro que quando se trata das coisas práticas da vida, das necessidades fundamentais do ser humano, é o trabalho dos próprios que resolve as coisas; Deus como de hábito é indiferente.
    Caso clássico de tentar torturar os fatos para que confessem o que se quer ouvir. Pff!

  50. Ana Júdice

    Obrigada pela parte que me toca, mas apenas parto do princípio que as palavras fazem sentido. A propósito, concordo com o Adam, seu blog é muito interessante, eu o venho lendo aos poucos.
    Me identifiquei muito com o que você escreve no seu perfil.

  51. ssrodrigues, que eu saiba o segundo link que postei foi um artigo científico da Elsevier e eu que sou manipulador e apressado?
    jhosh, se você estivesse na beira de uma estrada e perdido, e uma carro passasse pra te resgatar e mesmo depois de muita insistência do motorista você se recusasse a subir no carro, o motorista seria responsável por algum mal que te acontecesse?
    walter. Poxa cara fui descoberto e nem ao menos você jogou uma toalha. rsrsrs. Quando falo sobre história de Jesus não me limitar a bíblia. O tanto de literatura que nega sua existência não é mais importante das que a defendem. Voce optou por escolher o primeiro grupo. Agora, o cristianismo, mesmo manco, existente hoje, já seria uma evidência mais que plausível da existencia de Jesus.
    Gostaria de discutir mais pontos mas estou em viagem. Até breve.

  52. Alex

    Sim é um artigo científico, o que não impede que o autor seja religioso. Vocês crentes são engraçados; quando convém apelam para a ciência, quando não, assumem a atitude de “não tenho nada a ver com isso”.
    Ademais sua intenção, de tentar desmoralizar o Barros ficou claríssima:
    ” Leia só a primeira frase e tire suas conclusões.”

    De minha parte quero deixar claro que não estou defendendo o Barros, só não suporto esse comportamento desagradabilíssimo que se tornou corrente, de pessoas que falam ou escrevem algo e quando são confrontadas com fatos tentar escapar pela tangente e ainda por cima bancando os ofendidos.

  53. Caramba a Shirley matou a pau com isto aqui:

    O que vocês na prática estão dizendo, embora não pareçam dar-se conta disso, é que Deus se sujeita ao costume vigente e acaba que ele é quem fica em função dos caprichos ou modos de ser daqueles a quem criou. Ou seja, ele é submisso quando deveria ser o contrário.

    Shirley era só ele falar: Não quero isso; isso e isso…
    Quem iria contrariar o Sr. Onitudo?!
    Ensinar direitos humanos, micro-biologia, e por ai vai, igual naquele video dele ali com os anjinhos em uma mesa.

    Matou a pau Shirley: Eles criaram deus!! sua imagem e semelhança.

  54. Alex, se vc estivesse perdido numa estrada e passasse um carro pra te dar carona vc entrasse e depois o cara quisesse te estuprar e/ou te sequestrar? Prefiro ir andando!
    E concordo plenamente, Shirley e Adamantdog, Deus é a maior invenção humana!

  55. Alex,

    Caso seja eu o “Walter” esclareço que em nenhum momento tratei de literatura e nem de ficção. E peço gentilmente que re-leia ou LEIA o que eu escrevi na íntegra.

    Se quer debater algo comigo use de honestidade na argumentação. Do contrário dou me por satisfeito. Conforme afirmei anteriormente, não discuto subjetividades. E muito menos sofismas.

    Mas FATOS, cientificamente evidenciados, verificados e aceitos pelo meio acadêmico, são muito bem-vindos. Esclareço. =)

    Abraço!

  56. Me impressiona o fato de muitas pessoas não conseguiram se centrarem numa ideia, mas vomitarem de uma vez o monte delas, o que só atrapalha.
    ssrodrigues, desde o começo minha única contra-argumentação ao Barros é que as pessoas se lavavam as mãos na antiguidade. Só isso cara. E eu disse pra ler a primeira frase do corpo do artigo, não a citação do autor. E aí vc sò se concentrou nisso e vomitou um monte de ideais a ponto de desqualificar o autor só porque ele fez uma citação. Cara, Issac Newton cria em Deus e n em por isso sua obra deve ser jogada no lixo. Confirma o que falei no início: em discussões muitos têm dificuldades de dissociar a pessoa da ideia. Outra coisa, a literatura da história dos hebreus não se restringe somente à bíblia.

  57. jhosh, você apenas recriou uma historinha em cima da minha só com o intuito de me contrapor por contrapor. Meu objetivo não é discutir a segurança de pegar carona na estrada, mas utilzar uma inoscente abstração para revelar que seu argumento de que é 1 invalidae 2 não se sustenta. Será que é tão difícil entender isso?

  58. Warlei, já que você quer objetividade digo o seguinte: até agora ninguém foi capaz de provar cientificamente que Deus existe. Levando em conta apenas o argumento científico, de certo modo a existência torna-se uma questão de fé. Entretanto, você sabe de alguma prova científica da inexistência de um Deus? Se não, por mais que você não aceite, você precisa igualmente de fé para descrer. E por favor, não associe o conceito de fé apenas à religião.

  59. Alex

    Sem mimimi, Alex, sem mimimi.

    Que monte de ideias estive vomitando e misturando? Acaso introduzi na pauta, sei lá, que os cientistas da Nasa estão dizendo que a inexistência de metano em Marte inviabiliza a existência de vida lá?
    O assunto é lavar as mãos como medida de higiene para prevenir doenças, e disso estive falando, ao menos preste atenção quando lê alguma coisa.
    Como eu escrevi aí em cima, parto do princípio que as palavras fazem sentido.
    Se sua intenção era que o foco estivesse na epígrafe do texto, não faz sentido você ter usado isso, a menos que para você a Antiguidade vá só até o século 19 e que você não saiba distinguir o que seja uma frase. E só faz sentido você escrever:
    ” Leia só a primeira frase e tire suas conclusões.”, se você estiver se referindo à citação bíblica, primeiro porque ela é que é uma frase e segundo porque pessoas com um mínimo conhecimento do que estão falando sabem que Antiguidade não refere ao século 19.

    Dizer que o autor segue alguma confissão religiosa agora é desqualificação é?
    E em que parte sequer insinuei que a literatura a respeito dos hebreus se restringe à bíblia?

    Novamente, ao menos preste atenção ao que lê. Ou vá fazer um curso de interpretação de texto.

    Não sou “o”, sou “a”.

  60. Alex,

    A inversão do ônus da prova é o argumento mais recorrente entre aqueles que buscam impor ou justificar sua própria fé em algum mito. Seguindo esse “raciocínio objetivo” e aceitando tal desafio, eu realmente estaria encrencado, uma vez que eu não seria capaz de provar a inexistência do seu Deus em qualquer uma das suas denominações, Krishna, Odin, Thor, Zeus, Unicórnio Cor de Rosa ou da Fada do Dente.

    Carl Sagan, um dos mais proeminentes nomes da ciência do nosso tempo, e um notório ateu, escreveu certa vez que a ausência de evidências não é evidência de ausência, se referindo a busca do conhecimento, o que é usado desonestamente por alguns para justificar a inversão do ônus da prova. De outro lado ele também escreveu que alegações extraordinárias exigem evidências extraordinárias.

    Conforme antecipei, não discuto subjetividades. E alegar que algo inevidente exista é um exemplo clássico subjetividade.

    Abraço!

  61. Ai ta mais uma mentira inventada, o homem nunca foi na lua, nem em marte.quanta babela e pataquada…o homem nunca passou pela camada de ozônio e nem vai rsrsrs…sabem pq? se alguém souber me digam valeu!!!

  62. alex, não estou discutindo a segurança de se pegar uma carona, simplesmente utilizei amesma metáfora que vc pra lhe mostra o quão deus é confiável, isso se ele existisse.
    E se não a nada que comprove ou negue a existência de um ou mais deuses, dá no mesmo acreditar ou não acreditar.
    E, partindo desse conceito eu poderia muito bem lhe “provar” a existencia do papai noel, da fada dos dentes, do et de varginha ou do monstro do lago ness

  63. ssrodrigues,

    Você escreveu ” O fato de o autor ter usado a menção bíblica ressalta sua inclinação religiosa e o apelo ao argumento da autoridade segundo a visão de mundo do autor.” Sinceramente, ha uma nuance em desqualifica-lo pelo fato de supostamente ser religioso. Alias, isso é uma pratica ateista recorrente e, se você nao o fez, peço-te desculpas; Mas você seria uma rara exceçao.

    Quando eu disse: “Outra coisa, a literatura da história dos hebreus não se restringe somente à bíblia.” De fato, esse comentario nao era direcionado a você, me desculpe. Escrevi do celular quando estava em viagem e confundi o comentario.

    Com relação aos links, vejamos:

    Quando sugeri o primeiro link, foi apenas para mostrar que a higiene pessoal é uma pratica antiga, indo de encontro ao que o Barros descreveu. Isto esta relatado na introdução.

    Com relação ao segundo link, me referia à primeira frase no corpo do texto, não ao trecho veterotestamentario. Desculpe se não fui claro. O texto é o seguinte: “The importance of thorough hand washing for protection against various forms of communicable diease has been known since early recorded history”. Agora traduza-o e confronte-o com o argumento do Barros de que antes do primeiro século as pessoas não tinham o habito de lavar as maos por saude. Se depois houve uma regressao nisso, nao é mais o ponto da real discussao.

    Abraços.

    P.S.: desculpe à acentuação, meu teclado esta desconfigurado.

  64. Jhosh,

    Sua metáfora está muito bem colocada. Mas ressalto que o intuito tanto da minha quanto da sua metáfora não é demostrar nada, mas encontrar apenas uma exceçao à uma suposta regra. De fato, você mostrou pelo seu argumento que, se existir um Deus, ele pode não ser confiavel. De mesmo modo, demonstrei que, supondo a existência de um Deus, ele mesmo sendo amável, podemos rejeita-lo e arcarmos com as consequências de nossas açoes. Não estou querendo prová-lo, mas em face da possibilidade decorrente da metáfora, seu argumento de que 1 invalida 2 não é absoluto.

  65. Warlei Alves,

    Primeiro, não é muito cortez de sua parte comparar o Deus das pessoas à fada do dente, por exemplo. Chega a ser desrespeitoso. E, por mais que para você Deus seja uma grande bobagem, você no minimo deveria respeitar à crença das pessoas sendo mais cuidadoso com seus comentarios. Isso seria uma atitude apreciável.

    O fato de que o ônus da prova pertença a A ou B não é o foco da discussão. Não é meu interesse querer uma prova de que Deus não exista. Independente de quem seja o ônus, você não pode fugir da verdade de que precisa andar num quarto escuro por mais confiável que ele seja.

    Abraços.

  66. Mariana

    Ataque gratuito e desnecessário contra mim! Como disse o Alex!
    Neo-Ateus costumam agir com hipocrisia, denegrindo quem pensa diferente usando especialmente Ad Hominem
    R – ! – Nao foi ataque!
    2- Esse tipo de argumento é famoso pelos NeoCrentes, aqueles que inventaram um Deus ao seu gosto. Se algumas partes da Biblia devem ser interpretadas como metafora, porque nao todas?, ou nemhuma delas? – Porque entao amar ao proximo e as coisas guti-guti que supostamente Jesus disse tambem nao devem ser metaforas???
    Se o seu inimigo de bater na cara , de a outra face! Pode ser metafora tambem??? Sabemos que na vida real nao deve e nao pode ser assim, se fosse nem precisaria de prisao e justiça!
    Mesmo parecendo ser uma bela moça voce deve aprender a aceitar criticas e ser quetionada. so posso te dizer que voce é enganada pela sua crença, como acho que todos os ateus ja foram. Ninguem nasce crente em nada, mas tambem todos ja sofreram influencia das religioes e das crenças. Uns sairam outros nao\! — Como no filme MAtrix, uns tomaram a pilula vermelha e querem descobrir a verdade e o que pode ser real, outros tomam a pilula azul e continuam na ilusao de sua crença!

  67. Alex, uma coisa é um deus me abandonar e me deixar à minha própria sorte caso eu não o respeite; outra coisa muito diferente é ele me mandar para uma masmorra que ele próprio construiu pelo mesmo motivo. Se eu estivesse argumentando que se deus fosse bom ele não me abandonaria eu estaria completamente errado pois estaria certo qualquer pai humano que abandonasse um filho que vive lhe negando ou lhe xingando. Mas construir um tormento eterno tem requintes de crueldade.

  68. Alex,

    Não seja tão infantil. Que papo mais apelativo! Por favor, atenha-se aos argumentos. Apenas contestei sua tática rasteira e já muito conhecida de cristãos fanáticos de tentar subverter a ordem das coisas.

    Eu não tenho a necessidade de desrespeitar o seu deus ou qualquer outro que seja! Apenas, repito, considero ele tão evidente e verossímil quanto Zeus, Thor, Odin ou Khrisna, o Unicórnio Cor-De-Rosa, a Fada do dente ou Saci pererê, entre tantas outras criações míticas humanas.

    Ah! Lembrei! Era de evidências que estávamos falando. =)

    Respeito o direito de você ter fé no que quiser, desde que não me venha com faláceas, dizendo que razão é fé são a mesma coisa, ou afirmar que um mito é fato histórico só porque você acredita nisso.

    Conforme já disse antes. Eu prezo os fatos, evidentes e verificáveis. Se você não tem nada a acrescentar nesse sentido, agradeço atenção e dou a conversa por concluída nesse ponto.

    Abraço!

  69. Admantdog & Shirley

    O que vocês na prática estão dizendo, embora não pareçam dar-se conta disso, é que Deus se sujeita ao costume vigente e acaba que ele é quem fica em função dos caprichos ou modos de ser daqueles a quem criou. Ou seja, ele é submisso quando deveria ser o contrário.

    Exatamente! Ja tinha percebido isso tambem! – Em outras discussoes, outros crentes ja tinham apelado pra isso, é de costume! Porque que a Biblia diz isso e Deus aceita aquilo? Simples! è por causa da epoca!
    entao Deus é voluvel a epoca como o ser humano, tipo: hoje eu quero isso, amanha sou a favor daquilo, depois a opiniao muda e assim vai…
    por essas e outras é que é obvio que Deus é uma criaçao humana porque ele assume aspectos humanos!
    Shirley foi foda esse trecho seu! sua citação! se fosse crente eu iria passar longe deste blog por um bom tempo! mas como a crença deles nao deixa eles terem vergonha das coisas, sabe como é né??!!
    A historia fica meio assim; Deus o “Onicoisente” cria tudo e todos para serem felizes, porque ele é amor! entao uns fdps resolvem escravizar outros para obter vantagem, ai Deus apareceu e disse: Olha gente, sem querer ofender, cheio de delicadeza, acho que nao é legal fazer isso nao, blz??? ai os açoitadores responderam: mas nós achamos certo, precisamos e ainda mais; gostamos do que fazemos, se em outra epoca isso nao for legal, blz a gente fica amigo, mas agora é legal e certo e nao vamos parar de escravizar, porque se fosse o contrario seriamos escravos, compreendeu Deus, o nosso ponto de vista???
    Deus querendo ser amigo e compreensível retrucou: blz, mas escraviza com carinho ta bom!? Como voces quiserem, mas em VERDADE VOS DIGO que chegará uma epoca em que voces enjoarão disso e nao mais vao achar tao divertido e ate farao leis proibindo este tipo de coisa. Quem viver verá! Ate lá – ate esta epoca vindoura@ ! eu DEUS declaro valido este tipo de pratica, principalmente para aqueles que dizem me amar! Fiquem comigo, AMÈM!

  70. Josh & Warlei
    Respeito o direito de você ter fé no que quiser, desde que não me venha com faláceas, dizendo que razão é fé são a mesma coisa, ou afirmar que um mito é fato histórico só porque você acredita nisso.
    R – voces estao debatendo muito bem, com logica e coerencia.
    Esse lance de atribuir Fè aos ateus é a nova moda dos NeoCrentes, como de praxe eles nao tem argumento, principalmente que se baseiam em fatos reais e concretos, aí apelam para essa bobagem!
    Discuti muito tempo com um sujeito que parece bem inteligente , (nome do cara é AZETECH ) mas nao para de falar neste sentido, de que temos fé e crença na NAo existencia de Deus e que o ateismo tambem é uma crença. Nao sei se voces acompaham este blog e viram os outros posts, tem muito texto bom ai! Muitas discussoes boas e um chororô danado dos Neocrentes!
    Acho que voces ja devem ter ideia do que é Neocrentes, né?

  71. Shirley
    e o Rock in Rio, gritou muito???
    ainda esta em êxtase??

  72. Greg,

    Sou novo por aqui, conheci o blog do Barros através do blog Deus, Ciência e Religião, do Alexandre. O qual recomendo desde já, mas acredito que você já conheça também.

    Tomei sim, o cuidado de ler alguns posts anteriores e acompanhar os debates. Mas não costumo me preocupar com crenças em particular e não me apraz discutir aspectos específicos desse ou daquele livro sagrado, e não me incomoda o fato de alguém crer nesse ou naquele deus. Meu foco está na questão da imposição de dogmas e preceitos religiosos a toda sociedade como se fosse uma coisa boa.

    Fui cristão. Enfiaram isso na minha cabeça ainda criança, ponderei e deixei ser, hoje sou ateu e muito feliz. E não é propaganda da Nextel! =)

    Prezo o pensamento científico, objetivo e racional. Minha luta é para não permitir que a religião se sobreponha a razão no âmbito da coletividade. Dentro dos templos é direito de cada um, não questiono. Mas fora deles que cada um respeite o espaço do outro.

    O que os fanáticos religiosos não percebem e não entendem é que eles têm sistematicamente desrespeitado os espaço e direito dos outros. Na medida em que vêm tentando desqualificar pesquisas científicas e torcer os fatos para adequá-los às suas crenças e ainda por cima, absurdamente, querer que se ensine sua estupidez nas escolas; na medida em que tentam modificar leis e interferir na sociedade civil para atender aos seus dogmas, preceitos e pré-conceitos; na medida em que tentam fazer com que nosso estado, que já não é 100% laico, torne-se menos laico ainda. Daí que estão sendo empurrados de volta para o seu mundo desprovido da razão, respeito e tolerância verdadeiros.

    Percebi que se não passarmos a combater firmemente toda falácea dessa gente, voltaremos a idade das trevas em pouquíssimo tempo. Não quero ter meus filhos aprendendo pseudociência na escola porque um político pastor enfiou uma medida goela abaixo da sociedade. E corremos um sério risco disso acontecer um dia! A menos que todos aqueles que prezam o conhecimento humano, religiosos ou não. Estejam atentos e vigilantes desde já.

    Esse é um assunto muito sério Greg, da mais alta importância. E o problema é que as pessoas não se dão conta do risco que corremos. Inclusive aqueles religiosos que sabem separar sua busca para dar sentido a sua existência através de um caminho espiritual e pessoal, da realidade dos fatos.

    Você perceberá minha presença com alguma frequência por estas paragens daqui em diante.

    Abraço!

  73. Alex
    Não há nuance alguma no que escrevi, no sentido de desqualificar o autor do artigo.
    Haveria se eu tivesse feito um juízo de valor, se tivesse dito que o artigo não tem validade científica por ter sido escrito por alguém que professa fé no cristianismo.
    Parti do princípio de que ele é cristão por entender ser improvável que um cientista ateu colocasse citação bíblica daquela forma no próprio artigo.
    Como escrevi acima, a citação faz sentido segundo a visão de mundo dele; um cientista cristão tende a ver de forma natural usar a bíblia como argumento de autoridade ou referência e no caso do artigo isso em nada interfere na propriedade do que foi exposto, então não estava desqualificando nem o artigo nem o autor.
    Meu propósito era questionar o que entendi ser sua intenção, usar a citação no artigo aí sim como argumento de autoridade descabido. Peço desculpas pelo engano.
    Penso que você está fazendo confusão com o que tanto Barros como Carlos estavam querendo argumentar. Ao usar o exemplo do que teria dito Jesus sobre lavar as mãos, a intenção é demonstrar que um Deus (ou deidade) deveria saber algo tão básico. Aliás, tão básico que os próprios seres humanos, como você está demonstrando, já sabiam disso.
    O princípio nesse caso é colocar em evidência que se Jesus de fato existiu, foi apenas um ser humano com conhecimentos tão ou mais limitados que seus contemporâneos.
    E me dei ao trabalho de ler todos os comentários do Barros. Em nenhum momento ele está afirmando que antes do primeiro século as pessoas desconheciam o hábito de lavar as mãos por medida de higiene. Primeiro ele faz um contraste entre a necessidade justamente desse hábito tendo em vista a, digamos, ausência de papel higiênico e o fato de Jesus menosprezar o ato de lavar as mãos.
    Em outro comentário, ele faz uma afirmação sobre as pessoas atribuírem doenças a possessões demoníacas. Adiante ele menciona a situação na Idade Média. Em nenhum dos casos ele está forçando ou desvirtuando argumento. Está demonstrando que o conhecimento fundamentado de causa e efeito veio bem depois da época de Jesus. E aí voltamos ao ponto de partida: se houvesse um ser que nos criou e que estivesse interessado em nós conforme alegado nas religiões, o mínimo a se esperar seria transmitir e/ou reforçar tudo que nos ajudasse a preservar nossa sobrevivência.
    Defender uma visão de mundo é direito de todos; o que não é correto é atribuir a alguém o que esse alguém não disse. Um pouco mais de cuidado na leitura e um pouco menos de ânsia em defender a qualquer custo um ponto de vista faz parte do exercício de honestidade intelectual.

  74. Greg

    Vamos falar sério agora. Se tiver por aí alguma religião que me garanta ser o Paraíso algo parecido com um festival de heavy metal, eu juro: na horinha deixo de ser neoateia e me torno uma new neocrente mais fanática e militante que o Azetech.
    Meus pés ainda estão doloridos, minha voz está meio rouca, mas nunca me diverti tanto na vida. Foi tudo perfeito, o Rio é mesmo lindo. Não deu tempo de fazer o passeio que você sugeriu. Fiquei hospedada num hostel na Lapa, na Rua do Rezende e me encantei com aquelas construções antigas, gastei a maior parte do tempo andando pela região próxima, tirando fotos das fachadas e conversando com as pessoas. Todos são muito atenciosos aí, muito simpáticos mesmo com a vida virada de ponta-cabeça com tanta obra e mais o Rock in Rio.
    Aliás, achei impressionante a organização de tudo relativo ao festival.
    Quando entramos na Cidade do Rock, foi bem na hora em que o Tambours du Bronx estava passando o som, que sensação incrível.
    Fui ver o Sebastian Bach no Sunset e perdi meu lugar perto da grade, mas foi bem melhor ficar um pouco mais longe do aperto. E da maconha, caramba! Rsrsrsr
    Tive uma ótima surpresa com o Ghost, som poderoso. Pena que nas internets da vida estão metendo o pau na banda só por carolice. E cheguei a pensar que o Hetfield ia descer do palco e cumprimentar um por um… rsrsrs
    Pretendo voltar em 2015, sem dúvida.

  75. Warlei Alves

    concordo e compartilho do seu posicionamento. A coisa está indo tão longe que há um deputado federal, se não me engano do PSDB, evangélico, que apresentou uma PEC, que já recebeu parecer de admissibilidade na CCJ a qual permite que entidades religiosas proponham ação direta de inconstitucionalidade e ação declaratória de constitucionalidade sobre assuntos de seus interesses. Essas ações são, até o momento, prerrogativa de apenas um número restrito de entes da Federação, e mais a OAB nacional e confederações sindicais ou entidades de classe de âmbito nacional.
    Quando a gente pensa que os “interesses” das organizações religiosas não se limitam ao que lhes diz respeito diretamente, mas abrangem quase tudo da organização social, dá para ver o tamanho do estrago que podem fazer se essa aberração passar.Você não exagera quando diz que corremos o risco de viver uma idade das trevas.

  76. ssrodrigues, o que mais me assombra é a inércia de muitos. Comecei a perceber que há uma organização nefasta dessa trupe de neo-pentecostais, adeptos da teologia da prosperidade a muitos anos atrás.

    Quando fui apresentado ao cristianismo pentecostal da Assembléia de Deus me assustei com o nível de articulação daquela denominação, quando era necessário demonizar alguma outra denominação rival ou a “mãe de todas as bestas”, a igreja católica. Mesmo imaturo enquanto cidadão e ser humano politizado, percebi logo que havia algo muito impróprio naquela doutrina.

    Os neo-pentecostais extrapolaram em nível de conservadorismo hipócrita, proteção de interesses próprios e combatividade fanática daquela gente! São tão ou mais perigosos do que o mais fanático dos islamitas.

    A equação é complexa porque o argumento daqueles que pregam a razão não é tolerante a falhas, sofismas ou desonestidade intelectual. Mas as pessoas comuns não são muito afeitas aos fatos ou não compreendem bem o conceito de evidenciar-se algo. Preferem portanto, uma mentira confortável a uma verdade inconveniente. Então, quase sempre a curto prazo os mentirosos triunfam.

    Nós resta persistir.

    Abraço!

  77. Corrigindo, quando eu disse o conceito de, leia-se a necessidade de…

  78. Shirley & Warleii

    quanto ao que o Warlei disse, concordo em genero, numero e grau! Tudo! o o Warlei nao acomanhou os posts em que eu ou voce comentamos sobre isso! voce sabe que varias vezez eu posto aqui no blog noticias sobre isso, envolvendo economia e sociedade. Ate mesmo para provar que o Brasil sendo essencialemnte cristao nao esta indo bem do ponto de vista social e economico! como deveria estar, e na verdade acho que nao está avançando, mas retrocedendo!
    As ovelhas que estao na igreja, nao estao vendo que seus pastores tem interesses escusos, so pensam que a obre é de Jesus e para Jesus, sao muito cegos mesmo. Nao sabem que a coisa mais importante que uma sociedade pode ter é um estado laico. Isso acaba trazendo mais igualdade social e economica!
    Eu postei aqui memo link de uma pesquisa que mostra que os paises com pessoas mais felizes sao os de forte presença ateista. Qualidade de vida esta na Dinamarca, Suecia. Finlandia, Australia e por ai vai,,, os paises cristaos nao estao bem posicionados e pelo que deu para perceber quanto mais fundamentalista pior, Ira, Siria, Egito e afins sao os de pior qualidade de vida e de pessoas menos felizes!!
    Se o estado brasileiro continuar assim, a vida das pessoas vai piorar e a politica tambem, porque numa sociedade bem instruida e organizada diminui espaço para falcatruas e ladroagens. Segurança publica, SAude e Educaçao nao estao melhorando, e muitos estao preocupados com Deus e o culto ou missa e suas crenças esquecendo da vida real. De organizar e melhorar uma sociedade.
    Por que paises como Dinamarca, Suecia. Finlandia, Australia tem baixos indices de corrupçao, e problemas sociais??? e so coincidencia?? claro que nao, eles estao mais espertos e politizados e organizados. quando o Estado se junta com religiao da MERDA!

    tem muito religioso se metendo em politica, pra que??? o lugar deles nao sao nos templos??? ai eles jogam para as ovelhas a falacia que é para defender o direito delas e dar representatividade. Uma ova! é para beneficio proprio e para aumentar o rebanho e o circulo vicioso continua! O preconceito nasce e se prolifera facilmente dentro das crenças, canso de ver isso no dia a dia! As denominaçoes religiosas sao muito corporativistas e espalham preconceitos jogando um cidadao contra o outro, dividindo mais do que unindo! Acho que o Brasil sempre viveu periodos de caos politico com periodos mais tranquilos em decorrencia da religiao que era praticamente uma so!

    O catolicismo influenciou demais o nosso povo, afinal é questao de colonizaçao e tudo mais, nao vou entrar nesta esfera, mas o que quero dizer é que a politica se mantinha menos influenciada e ditada pelas facçoes religiosas! Hoje elas estao bagunçando a politica nacional que sempre foi e é uma bagunça, ela esta sendo mais um fator negativo! O que era uma coisa neutra em partes porque o Estado nosso a meu ver ficou mais laico ou quase isso nesses ultimos 20, 30 anos. Agora esta perdendo esta autonomia! Projeto de cura gay em brasilia mostra isso claramente, o estado esta regredindo neste ponto!
    Resumo: Nao estou vendo um futuro de progresso para nossa sociedade nao! Do ponto de vista politico e economico a coisa esta pessima, acho que nao vamos sair do lugar e a tendencia é de piora.
    Pra mim no melhor dos cenarios seremos um pais quase estacionado, andando a pessoa lentos, com problemas sociais nunca resolvidos sendo sempre maquiados. Mais fundamentalista e intolerante.
    No pior: seremos uma nova Argentina ou Venezuela, so nao somos por causa das riquezas minerais e das vantagens da tao criticada natureza!
    Clima bom, bastante terra, comodities de tudo quanto é tipo, petroleo e minerio saindo por tudo quanto é lado, garante a nós uma vantagem que nao é usada, mas desperdiçada! Se nao fosse o nosso meio ambiente, nos estavamos fudidos!
    E a religiao e o Estado, adoram um povo fudido e dependente!!

  79. Desculpem-me novamente. Onde eu digo Nós resta persistir, leia-se: Nos resta…

  80. Shirley (espero que esse seja seu nome. :))

    Admiro sua disposição em defender o Barros, mas por mais que a intenção dele fosse transmitir à ideia que você colocou, não foi o que ele escreveu. Se houve confusão, isso começou por ele; é só ver a resposta dele à Mariana postada no dia 20 às 19:47h.

    No texto que você reproduziu, revelando à provável ideia do Carlos e do Barros: “Ao usar o exemplo do que teria dito Jesus sobre lavar as mãos, a intenção é demonstrar que um Deus (ou deidade) deveria saber algo tão básico. Aliás, tão básico que os próprios seres humanos, como você está demonstrando, já sabiam disso”, o que os questionei foi exatamente o fato de usarem o texto biblico à respeito do “lavar as mãos” para tirarem esta conclusão acima descrita. Independente da existência de Jesus, o texto biblico nem de longe da margem para esta interpretação. O texto claramente apresenta um contraponto de Jesus aos fariseus, uma vez que estes ultimos tinham o “lavar as mãos” como sagrado e desprezavam os que não faziam tal pratica. Portanto, é desonesto utilizar o texto para defender a ideia de que Jesus não sabia algo tão basico ou que foi um fdp (conforme disse o Barros) por não ter alertado as pessoas. Se você ler o texto vai entender isso.

    Abraços.

  81. O autor do texto científico faz citações bíblicas? Aí, fudeu! Deixou de ser um texto científico! Agora me deu curiosidade: eu vou ler (tô precisando rir um pouco).

    E voltando a Jesus, ele não sabia porra nenhuma de nada. Ele, ou quem escreveu as falas dele, nunca deu nenhuma pista que soubesse algo sobre o mundo real, um pouco mais além de seus domínios paroquianos. Tudo o que ele sabia era sobre essas dimensões espirituais, que existiriam num mundo além da morte, e os próprios textos de sua doutrina religiosa.

    Ou seja: nada.

  82. Jhosh,

    Neste caso, devemos ao menos tentar entender o que seria este tal de “tormento eterno” ou “inferno” para alguns. Mas antes, quero deixar claro o seguinte:
    – Minha crença em Deus independe da bíblia. Assim como você, também me revolto quando crentes usam textos bíblicos selecionados a dedo para defenderem doutrinas. Isso, de fato, é ridículo. Porém, nao ouso jogar no lixo o que esta escrito lá. E é bem verdade que a atitude ignorante de muitos crentes contribuem para que alguns ateístas (e agnósticos) fortaleçam suas “convicções”. Lhe digo com toda sinceridade que, se a bíblia não existisse, eu ainda teria motivos para se crer em Deus (mas esta é outra discussão).
    – A bíblia não é um livro fácil de entender em certos aspectos, principalmente no que tange ao ensino metafórico de profecias e parábolas. Por favor, não quero ser interpretado como alguém que literaliza e metaforiza textos bíblicos quando me é conveniente. Longe de mim isso! Entretanto,é inegável a existência de metáforas na bíblia. E, por mais céticos que sejamos, isso também deve ser considerado. Além disso, as traduções, apesar de razoavelmente satisfatórias, escondem elementos de interpretação evidentes nas escritas originais, uma vez que o hebraico e o grego antigo são idiomas riquíssimos. Outra coisa que deve ser ressaltada é que a bíblia que conhecemos é o resultado de uma coleção de manuscritos, o que por si só já nos revela que ela não pode ser vista como um livro didático do inicio ao fim.

    Voltando à questão do “tormento” eterno, te digo que nem o mais eximio teologo existente ou que já existiu saberia explicá-lo ipse liter.
    Se algum crente afirma que é um lugar onde as pessoas malvadas vão queimar e gritar de sofrimento por toda a eternidade num lago literal de fogo e enxofre, diria que tal ideia não pode ser levada a sério. Eu lhe responderei que nao sei explica-lo, apesar de ter uma opinião. E ela tem que se basear no aspecto metafórico do “lugar de tormento”. Minha opinião pessoal (que fique bem claro isso), é que o inferno é a ausência permanente de Deus. Entenda como sendo uma espécie de situação em que tudo o que há de bom e sustentável no homem inexiste (por exemplo, uma sensação constante de falta de paz). Jesus, deste modo, teria supostamente feito uma analogia ao “gehenna”. Isso daria uma discussão mais longa, estou apenas pontuando de maneira simples uma opinião que não tomo como absoluta. E é claro que posso ser questionado sobre o que existe de bom e sustentável no homem provém de Deus, uma vez que Deus no AT é visto de certa forma como o “cara mau”. Isso também fica pra outra discussão.

    Grande abraço.

  83. Shirley, não ponha em jogo sua credibilidade defendendo um camarada que tem esta atitude:

    “O autor do texto científico faz citações bíblicas? Aí, fudeu! Deixou de ser um texto científico! Agora me deu curiosidade: eu vou ler (tô precisando rir um pouco).
    E voltando a Jesus, ele não sabia porra nenhuma de nada. Ele, ou quem escreveu as falas dele, nunca deu nenhuma pista que soubesse algo sobre o mundo real, um pouco mais além de seus domínios paroquianos. Tudo o que ele sabia era sobre essas dimensões espirituais, que existiriam num mundo além da morte, e os próprios textos de sua doutrina religiosa.
    Ou seja: nada. ”

    Sem mais.

    Abraços.

  84. Sem mais mesmo! Contra fatos não há argumentos.

  85. uma vez que Deus no AT é visto de certa forma como o “cara mau”.

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk (minha gargalhada não tem som de kkkkk, mas… KKKKKKKKKKKKK)

    “É visto de certa forma”…

    É muita desonestidade intelectual mesmo!

  86. Barros,

    Você é tipo de ateu que me nego a prosseguir em discussoes. Nem vale a pena adjetiva-lo.

    Tenha um bom dia.

  87. E você é o tipo de crente que me motiva a continuar mantendo esse blog.

    Obrigado pela inestimável contribuição.

    E para pensar um pouco:

    Se Deus existisse, não haveria nenhuma discussão.

  88. Alex

    Não estou defendendo Barros. Ele não precisa, sabe fazer isso por si mesmo se achar necessário.

    O problema de comunicação aqui é simples. Quem crê em Deus necessita continuamente de interpretar, reinterpretar e contextualizar tudo que vai na bíblia;quando nada disso adianta, forçar o cérebro a ignorar tudo que não dá para ser interpretado, contextualizado.

    É preciso a frieza do distanciamento para ver as coisas como são.
    Se um homem comum e ignorante diz que ” Não é o que entra pela boca o que contamina o homem, (…)”, o desconhecimento do absurdo que está falando soa natural, quando visto por quem sabe a inverdade da afirmação.
    A questão aqui é que vocês dizem que essa pessoa é Deus, ou o filho dele, o que dá na mesma. Deus deveria saber desde sempre o que nós mesmos acabamos por descobrir sozinhos. A afirmação de que Deus se importa com o que nos acontece é de vocês. Então temos que, ou Deus, apesar de ser o criador de tudo, não sabia que estava falando bobagem absurda, ou estava muito mais preocupado com o próprio ego, caso em que a vaidade divina se sobrepunha à importância que ele dava aos seres humanos. No primeiro caso, ele não era (é) tudo isso que se fala, ou por outra, nada de perfeição nesse Deus. No segundo caso, nada de amor pela criação dele.

    Eu não espero que você nem nenhum outro crente consiga perceber o absurdo disso tudo, ou vocês não seriam crentes.

    O tempo todo a bíblia e os crentes falam de um ser além e acima da condição humana, e jamais percebem que estão descrevendo exatamente a condição humana.

  89. Warlei

    “(as pessoas em geral)Preferem portanto, uma mentira confortável a uma verdade inconveniente. Então, quase sempre a curto prazo os mentirosos triunfam.”

    É a índole humana. É por isso que as religiões são sempre tão bem sucedidas. O mundo de faz-de-conta que elas criam oferecem um refúgio seguro para tudo que incomoda e para tudo que as pessoas, de modo geral, não gostam de perceber em si mesmas. Permite que de certa forma as pessoas continuem infantilizadas. Se há um ser que nos criou, em última instância a responsabilidade é dele;seja para cuidar, seja para punir, seja para recompensar. Não é a toa que se faz a analogia com a figura do pai.
    Penso que a coisa que mais incomoda o crente, nos ateus, é ver que há quem consiga viver livre dessa tutela.

    E o Greg põe o dedo na ferida, a associação promíscua entre Estado e religiões só está aprofundando o abismo em que estamos a caminho de despencar.

  90. Shirley, Jhosh e Greg, não sei se vocês já têm conhecimento desta iniciativa. Mas caso não tenham, sugiro participar e divulgar: https://secure.avaaz.org/po/petition/Pelo_fim_das_candidaturas_de_lideres_religiosos_para_cargos_politicos_ou_publicos/?wzcpJcb

    Abraços!

  91. Olha só, nunca pensei que uma dia eu tivesse de dar um conselho a um ateu. =)
    Shirley, se por acaso algum dia você desejar ser levada a sério por um teísta, fique bem longe da bíblia, para não correr o risco de passar vergonha. Pelos meus comentários abaixo você vai entender o porquê do conselho.
    Olha, não preciso interpretar, reinterpretar e contextualizar a bíblia ao meu bel-prazer para firmar minha crença em Deus. Na verdade, como disse ao jhosh, nem preciso da bíblia. Poderia passar horas discutindo com você sobre evidências de um criador inteligente utilizando argumentos de natureza filosófica, teleológica e até cosmológica, sem precisar de um versículo biblico. Mas sabe o que mais me surpreende em tudo o que vi aqui no blog? é o fato de ateus recorrerem a bíblia dos cristãos na tentativa de desmascararem o suposto farsante Deus. Shirley, isso é tão inofensivo como uma criança vista pelos pais comendo um doce e achando que não está sendo vista. Mas já que se insiste em discutir tanto os textos bíblicos, pelo menos os ateus deveriam entender o mínimo necessário do que tem lá. Percebe-se que ateu entende tanto a bíblia como uma criança de 6 anos entende a divina comédia de Dante Alighieri.
    Você insinua que os cristãos estão dentro da matrix sob uma espécie de auto-hipnose teísta e que deveria ser “desplugado” para cair na realidade. E o fato de estar sob tal efeito, torna a leitura biblica tendenciosa. Shirley, faça o seguinte: pegue os textos do “lavar as mãos” e este que você citou do “Não é o que entra pela boca o que contamina o homem, (…)” e leia como se fosse o conto da fada do dente, ou qualquer estorinha que você quiser, já que você foi uma escolhida para estar fora da Matrix, e me diga o que você consegue interpretar (interpretação de texto tá?). Tentei nao deixar o lado ateista da força te influenciar. Se você nao conseguir, peça a alguém neutro ler e te explicar.

    Abraços.

  92. Errata: onde se lê “Tentei nao deixar”, leia-se “Tente nao deixar”.

  93. ssrodrigues

    Retire esse mundo do faz de conta e você verá para onde caminhará.

    Os ateus mais sinceros reconhecem, embora não creiam em Deus, que sem fé as pessoas tenderiam a se consumirem como um câncer.

    Embora ateus não creiam no cristianismo, ao menos reconhecem sua influência benéfica na vida das pessoas.

    Muitos deixaram suas práticas pecaminosas para abraçarem a fé em Cristo. O evangelho consegue fazer na vida das pessoas o que clínicas de recuperação ou ongs não consegues: trazê-los de volta a uma vida produtiva e honesta.

    Se você realmente é ateu, é defensor de uma vida moralmente correta como solução para os problemas da humanidade.

    Então, por que rebater algo que realmente está funcionando na sociedade. O cristão como luz do mundo tem sido um referencial para muitas vidas vazias e destituídas de um horizonte, um porto seguro. Muitos enxergam a luz de cristo na vida de muitos cristãos e acabam retomando o curso de suas vidas.

    O cristão tem sido o sal da terra. Haja vista o exemplo de muitos cristãos que tem influenciado muitas pessoas e convencido-as a deixarem suas práticas imorais e abraçarem a fé em Deus.

    Antes de Cristo, havia os adoradores de Moloque que sacrificavam seus primogênitos jogando-os vivos dentro de uma criatura de madeira semelhante a um sapo, que ardia em fogo. Os adoradores de Moloque batiam com força em seus tambores para que os pais das crianças não ouvissem o choro de seus filhos e se comovessem se arrependendo de tal ato.

    Hoje ainda existem crenças semelhantes a essas mas agem no anonimato. São conhecidos como satanistas. Eles sacrificam os filhos gerados em seus cultos através de orgias sexuais. Esses bebês, quando nascem ou completam aniversários, são levados à essas entidades e oferecidas em sacrifício. Os pais, para despistarem as autoridades, simplesmente lavram um boletim de ocorrência relatando o desaparecimento da criança.

    Com a vinda de Cristo isso deixou de ser feito em praças livres como era feito antigamente. Hoje, aqueles que ainda insistem em permanecerem no erro continuam com essa prática.

    Pois bem, podes negar a Cristo, mas se passares por um beco escuro, terás um alívio em se deparar com pessoas portando bíblias em suas mão e não armas.

    Não somos a cura mas a única esperança plausível para a humanidade.

  94. Prezado Tom,

    Sugiro que de uma lida em todos os posts do debate. Creio que lhe dará uma melhor compreensão sobre o que a Shirley disse. Caso já tenha lido então me perdoe a franqueza, mas digo que você não entendeu nada.

    E, Alex, temos tempo. Adoraria conhecer as “evidências” que você mencionou em resposta a Shirley. Conforme eu disse anteriormente FATOS cientificamente evidenciados, verificados e aceitos pelo meio acadêmico, são muito bem-vindos.

    Aguardo ansiosamente a sua apresentação.

    Abraço!

  95. Nao Warlei. Infelizmente não posso lhe fornecer os FATOS cientificamente evidenciados, verificados e aceitos pelo meio acadêmico que você deseja. Se assim o fosse, eu estaria em algum simpósio discursando ou recebendo algum prêmio, você não acha?

  96. Warlei

    Talvez você não tenha me entendido. Eu disse sobre os debates sobre o mesmo tema proposto que ocorreram de 1 a 2 anos atrás neste blog.

    Se você conseguir encontrar, talvez poupará seu tempo. Lá esse tema foi bastante debatido com muitos detalhes. Acredito que podemos aprender muito com os amigos que participaram do debate.

    O problema é que algumas pessoas neste blog não abrem mão do conhecimento que tem e portanto não agregam conhecimento.

    O ateu Piaget disse que em um debate assim não ocorre o diálogo mas sim, o monólogo. Ou seja, quando algumas pessoas não querem aprender, não existe a construção do conhecimento.

    Para Piaget, o conhecimento provém da apropriação do novo. Essa nova informação se agrega ao cérebro que se apropria dela e compara com as informações já existentes. A princípio ocorre um conflito, depois, o novo é assimilado através do processo de acomodação. Então, o indivíduo cresce no conhecimento, avançando, progredindo nesse processo.

    Quando isso não acontece, encontramos pessoas nos dois extremos: fanatismo e ceticismo.

  97. SSrodrigues,

    “Permite que de certa forma as pessoas continuem infantilizadas.”

    Sério criança?

    Então o ateísmo é uma espécie de amadurecimento humano.

    Só posso concluir que a Coreia do Norte é o país mais maduro do mundo , já não são mais criancinhas…entenderam que essa vida não tem sentido objetivo… as crianças que se meterem com eles vão levar chumbo, pq com eles é papo de adulto. É o ateísmo cru e nu.

  98. SSRodrigues

    “Se há um ser que nos criou, em última instância a responsabilidade é dele;seja para cuidar, seja para punir, seja para recompensar. Não é a toa que se faz a analogia com a figura do pai.”

    Pq a responsabilidade é dele ? Qual a lógica disso?

    Tenho certeza que não é na bíblia que tu te baseia para dizer tal tolice.

    Um teísta vai te dizer :deus não criou robôs humanos, sem livre arbítrio, sem consciência do bem e do mal, do certo e errado, do justo e do injusto… é o que nos diferencia dos demais animais… Somos seres com essência peculiar temos responsabilidades que nenhuma outra espécie tem.

    A figura do Pai é pq as pessoas podem DE FATO nascer de Deus.

    Aliás a crença em Deus não é garantia para entrar no Reino de Deus.

    Mas sim nascer de Deus; é uma exigência. para se entrar em um Reino de disciplina, justiça, respeito e amor. Não o reino desse mundo que é uma baderna. E ainda querem colocar a culpa em Deus pela própria baderna que fazem.

  99. Tom,

    Concordo contigo, concordo muito.

    Isso também é uma mostra da liberdade das pessoas, elas optam em não crer, elas optam por ignorar qqr outra explicação, mesmo que essa seja tão ou mais plausível a que suas mentes aceitam.

    É o livre arbítrio, cada um escolhe no que quer acreditar.

  100. Jephsimple

    O mais interessante é que Deus não nos privou do livre harbítrio.
    Ele até poderia, sendo o todo poderoso. Assim como muitas pessoas no mundo que utilizam-se do abuso de poder para manipular as massas.

    Mas Deus não fez isso mas deixou a cada um de nós o direito de fazer escolhas. Isso o torna cada vez mais soberano pois terá a seu lado pessoas que querem estar ali porque o amam.

    É uma pena que muitos ateus criticam justamente este benefício dado por Deus a suas criaturas.

    Alguns querem ensinar Deus a trabalhar. Acham que Ele deveria utilizar-se de sua autoridade e poder para exercer o domínio sobre a humanidade e para interferir, a seu bel prazer, no curso dos acontecimentos.

    Parece até que alguns ateus são filhos de generais ou coisa parecida.

    Deus não age assim. Ele respeita nossas escolhas, mesmo que nossas escolhas venham a nos prejudicar um dia.

    A questão é que o céu deve ser um lugar que queiramos estar.
    Se um indivíduo for lançado para o céu sem sua vontade ou permissão, aquele lugar para ele não será o céu e sim o inferno.

  101. Tom,

    Reitero que se você realmente tivesse lido todas as colocações no debate e tivesse dado a devida atenção ao que foi escrito por mim notaria que esse discurso muito bonito seu não se aplica a esta situação.

    Uma coisa que não discuto são subjetividades. Quando alguém começa a falar em Deus isso, Deus aquilo, não vejo sentido em debater. Pois seria o mesmo que debater o que disse Krishna ou Odin. E veja bem meu caro amigo, isso não é radicalismo. Eu apenas sou ateu em relação a qualquer deus, e não apenas ao seu. Já você e todos os seguidores de Yahweh, certamente são ateus em relação aos outros deuses. Ou você estaria disposto a debater honestamente com alguém aspectos da natureza do deus Krishna, Zeus ou Odin?

    Acho que cada um tem o direito de acreditar no que quiser. Minha preocupação está diretamente relacionada com as implicações da imposição de dogmas e preceitos a toda a coletividade. E com as faláceas que esse tipo de comportamento produz em relação a ciência e ao comportamento alheio. Aí sim vejo uma radicalização crescente de algumas denominações evangélicas. O que justifica a minha oposição.

    O que pretendi te fazer entender é que, no ponto do debate em que a Shirley fez as ponderações que o deixaram contrariado, o debate já estava em um nível muito menos subjetivo do que o que você propôs. E considero as ponderações dela, assim como as de outros debatedores neste thread, objetivas e lógicas. O danado é que lógica e razão não combinam com fé. São naturalmente antagônicas e, apesar de alguns dizer que não sejam, não se provou o contrário até o presente momento. Principalmente considerando o comportamento de debatedores religiosos. Quase sempre, quando lhes falta argumento, apelam para esse discurso dodói!

    De outro lado, meu conhecimento e minha experiência de vida estão a serviço de qualquer debatedor interessado. Basta ler com atenção. Não seja tão pretensioso! Sou novo nesse blog sim, mas não na vida. Me perdoe por ter chegado atrasado e não ter lido todos artigos e comentários arquivados, incluindo os de dois anos atrás. Mas nesse caso estávamos falando de uma coisa e veio você com outra. Conforme muito apropriadamente o Barros costuma brincar: “Olha o avião!”

    Abraço!

  102. Warlei

    Vou ver esse link, com certeza.

  103. Alex

    Desistiu de usar um tom condescendente comigo e de me dar conselhos em tom paternalista?

    Vejamos… por que ateus têm o costume de usar a bíblia para falar de Deus? Porque estamos acostumados com a modalidade crente bíblia, sabe, são (ainda) maioria e são eles quem afirmam que toda a verdade a respeito de Deus está lá. Como você entrou aqui a defendendo, supus que também você fosse um crente bíblia, mas pela variedade elencada, vejo que você está nalguma modalidade entre o crente ciência e o crente new age.

    Bem, Alex se você dispõe de alguma versão da bíblia em que a passagem sobre o lavar as mãos e o “não é o que entra pela boca(…)” está em partes diferentes da mesma, e não como disposto nas versões conhecidas, em Mateus capítulo 15 versículos 1 a 11, demonstre-nos.
    E não se preocupe comigo, não me avexa passar vergonha.

  104. Tom

    Você não está falando com uma criança ou com uma pessoa sem conhecimentos pelo menos básicos de História.
    Sua afirmação de que antes da suposta existência de Jesus era hábito corrente sacrificar crianças em praça pública, é tão, me desculpe a franqueza, tão tosca, que não dá para dialogar.

  105. Alex,

    Concordo inteiramente com você nesse ponto! Certamente se você nos fornecesse tais evidências se tornaria um dos mais notáveis e respeitáveis ser humano de toda a história! E eu estaria pronto a aceitá-las.

    Tomo portanto a liberdade de aconselhá-lo a evitar faláceas no futuro. Tecendo comentários tipo: “Poderia passar horas discutindo com você sobre evidências de um criador inteligente utilizando argumentos de natureza filosófica, teleológica e até cosmológica, sem precisar de um versículo biblico.”

    Simples assim! =)

    Abraço!

  106. Interessante essa história da higiene, em especial ao fato de condenar Cristo por isso.
    Na verdade, algumas leis foram criadas exatamente para prevenir o povo judeu de algumas doenças. Coisas que os homens ignoraram em pleno século XV, vindo sobre eles a peste bubônica entre outras.

    No Antigo testamento, em especial no pentateuco, Deus proibiu o consumo de animais ruminante, entre eles, o porco, proibiu que os homens coabitassem com suas mulheres na época da menstruação para evitar que as mulheres contraíssem enfermidades, ditou regras e procedimentos contra os fungos e bolores nas casas e nas roupas (descrito nos textos como lepra), proibiu a ingestão de sangue, entre outros.

    Criar e exibir essa historinha foi falta de criatividade ou falta de assunto?

    Deus sempre se preocupou com a nossa higiene. E isso aconteceu a aproximadamente 3 mil anos atrás. Detalhes que ainda hoje passam despercebidos pela sociedade moderna: ainda existem pessoas que contraem doenças advindas da carne de porco, dos fungos e bolores das paredes das casas e das peças de roupa, cama ou colchão.

  107. jephsimple

    “Só posso concluir que a Coreia do Norte é o país mais maduro do mundo , já não são mais criancinhas…entenderam que essa vida não tem sentido objetivo… as crianças que se meterem com eles vão levar chumbo, pq com eles é papo de adulto. É o ateísmo cru e nu.”

    É esse tipo de raciocínio infanto-boboca que me dá certa preguiça, docinho. Mas como também é divertido ver você fazer esse tipo de coisa, vamos adiante.
    Comecemos por sua imprecisão. Ao usar “Coréia do Norte” como o todo, você fará parecer ao incauto desavisado da história daquele pais que por lá ocorre o curioso fato de seus habitantes serem a um só tempo algozes e vítimas de si mesmos, ou de que o país “manda chumbo” em habitantes de um outro país. Pelo amor à precisão, deve-se deixar claro que é a elite dirigente do país, comunista e ateia, que “manda chumbo” contra seus governados, docinho.
    Essa elite dirigente se não tem seus membros constituídos por bestas-feras age de modo tão assemelhado que não deixa espaço para a diferenciação. Você afirma que são assim por serem ateus.
    Se eu me sentisse inclinada a um exercício infanto-boboca, ou a um exercício de desonestidade intelectual deliberada (a escolha ao gosto do freguês), me permitiria fazer afirmações no mesmo sentido da sua.
    Exemplos. Eu poderia dizer que:
    As matanças levadas a cabo durante as Cruzadas se deram em razão da condição cristã e muçulmana dos combatentes.
    A mortandade ocorrida durante a Guerra dos Bôeres se deu em razão de serem os dois lados cristãos.
    O genocídio dos nativos norte-americanos aconteceu devido a serem os americanos devotos cristãos.
    O genocídio armênio no inicio do século 20 aconteceu porque quem os trucidou era muçulmano.
    A matança de grande contingente de camponeses durante a Guerra Camponesa alemã aconteceu porque Lutero e os príncipes alemães eram cristãos.
    A omissão, quando não participação ativa dos alemães no holocausto deu-se em razão de serem cristãos.
    O 11 de Setembro aconteceu porque seus causadores eram muçulmanos.
    O soldado inglês esquartejado em plena luz do dia só teve esse fim porque seus assassinos eram muçulmanos.
    Ad nauseam.
    Mas não, docinho. Eu tenho bem claro que tais coisas aconteceram devido à natureza humana.

    E devo acrescentar àquela minha afirmação mais outra. A uns as religiões permitem a infantilização, a fuga das próprias responsabilidades e das coisas que amedrontam. A outros, dá justificativas.

  108. É tão bonitinho o “livre-arbítrio”…
    Até a hora em que a gente para pra pensar que há aqueles – muitos- que jamais chegam a ter sequer a chance de exercê-lo para se defender do exercício do livre-arbítrio de outros tantos.

  109. Mariana, em 19/09/2013 às 23:53 disse:

    Jesus ensinava que a homossexualidade era irrelevante para a salvação e julgamento.Toda a mensagem de salvação ensinada por Jesus estava baseada em leis que não incluíam a proibição da homossexualidade.

    [[[[[No contexto bíblico a homossexualidade é condenada pelas leis do judaísmo primitivo com a morte , se ocidentais cristãos não não judeus e muito menos fizeram a circuncisão , a lei de nada serve contra o homossexual ocidental moderno. mariana você esta certa.

    Se esses cristãos querem cumprir a lei , a lei manda matar , mais antes é melhor eles fazer a circuncisão e também viverem de acordo com as leis.]]]]]]

  110. Tom, em 24/09/2013 às 19:20 disse:

    Interessante essa história da higiene, em especial ao fato de condenar Cristo por isso.
    Na verdade, algumas leis foram criadas exatamente para prevenir o povo judeu de algumas doenças. Coisas que os homens ignoraram em pleno século XV, vindo sobre eles a peste bubônica entre outras.

    Tom diversas culturas se quer tiveram contato com o judaísmo e aprenderam a viver sozinhas , O japão é um país aonde as pessoas vivem mais e com mais qualidade de vida ,

    Nunca vi um povo ser exterminado porque não sabiam lavar o pinto , tendo que cortar parte fora dele.

  111. A circuncisão é um requerente legalista pra quem quer viver segundo as leis do judaísmo primitivo.

  112. Mariana

    Ou será Mário?

    Não fala besteira. Cristo nunca apoiou o homossexualismo.

    Todas as vezes que Cristo tratou desse assunto, Ele nunca incluiu ou sequer sugeriu que esse tipo de comportamento seria aceitável.

    Quando disse sobre a lei de Moisés Ele respondeu: o que Deus uniu (casais) não separe o homem. Entre os judeus isso já era abominável.
    Esse tipo de questionamento (relação homossexual) sequer foi sitado pelos fariseus, nem ao menos como pegadinha.

    Essa prática, bastante comum entre os romanos, era visto pelos judeus, de qualquer facção, como algo abominável diante de Deus.

    Paulo em suas epístolas trata do assunto e diz que nos últimos dias essa prática se intensificaria. Ele também condenou esse tipo de relacionamento.

    Deus criou Adão e Eva. Ao contrário, não seria necessário criar eva mas, simplesmente, tornar Adão hermafrodita.

    Nós cristão não criticamos ou condenamos a pessoa e sim a prática.

    No novo testamento está claro que os afeminados não herdarão o reino dos céus. Precisa lembrar que Sodoma e Gomorra foram destruídas por causa desse tipo de pecado?

    Minha querida ou querido. Jesus te ama como você é. Creia Nele e o Espírito de Deus fará em sua vida uma grande obra.

  113. ssrodrigues, em 24/09/2013 às 19:04 disse:

    “Bem, Alex se você dispõe de alguma versão da bíblia em que a passagem sobre o lavar as mãos e o “não é o que entra pela boca(…)” está em partes diferentes da mesma, e não como disposto nas versões conhecidas, em Mateus capítulo 15 versículos 1 a 11, demonstre-nos.”

    Shirley, admito que não associei as duas frases ao mesmo texto, apesar de conhecê-lo. Admitir isso não me causa algum problema, nem invalida o que lhe disse. Independe da distância dos versículos que os separa. Eu sei que você entendeu muito bem a ideia que quis te passar.

    Então, vai seguir o não a sugestão de reler o texto? Se não, “tant pis”.

  114. Warlei, que falácias? Será que para se discutir evidências sobre algo precisa ter o aval da ciência? Sendo honesto consigo mesmo, tudo o que sustenta teu ateísmo já foi comprovado cientificamente? Não precisa me responder porque já sei a resposta. Te pergunto: que raios então te leva a participar de um blog de discussão como este? Se teu propósito não é trocar ideia alguma, então discuta só com ateus.

    Abraços.

  115. Alex,

    Obrigado pelas gargalhadas, estava precisando mesmo. O ato rir me faz muito bem. =)

    Fique sossegado sobre a minha honestidade, inclusive comigo mesmo. =) Mas penso que alguém afirma possuir evidências da existência de um deus, não é justo que as guarde para si. Eu acredito que o mundo inteiro estaria interessado em conhece-las.

    Questionei você novamente porque você parece ter o dom de convenientemente esquecer o que foi dito antes. A tática de inversão do ônus da prova inclusive. E agora você apresenta em uma nova roupagem, mas ainda assim persiste a incapacidade de argumentar objetivamente. Se não possui essa virtude então pelo menos não seja um chorão que apele quando arguido.

    Vou lhe refrescar a memória:

    Eu já lhe disse acima anteriormente que respeito o direito de você ter fé no que quiser, desde que não me venha com faláceas, dizendo que razão é fé são a mesma coisa, ou afirmar que um mito é fato histórico só porque você acredita nisso.

    Disse também que prezo os fatos, evidentes e verificáveis. Que se você não tivesse nada a acrescentar nesse sentido, dava o assunto por encerrado nesse ponto.

    Consequentemente, pelo fato de não ter provas do que afirma, você calou-se sobre esse assunto, mas eis que aparece novamente fazendo afirmações semelhantes. Como sou muito interessado em evidências lhe solicitei apresentá-las. Mas vejo que você tem um entendimento muito particular do que seja evidência, assim como do que seja um debate inteligente.

    Abraço!

  116. Warlei,
    Além de prolixo e arrogante, foges de questionamentos.

  117. Warlei,
    E, pra refrecar sua memória, vc me pediu evidências científicas comprovadas, algo que nunca afirmei que tinha. O que disse que há outras evidências, no sentido de manifestações, que apontam para a existência de um ser inteligente. Eu sei que você entendeu isso mas prefere ridicularizar. Por que eu deveria falar o que penso para um cara que está interessado apenas na evidêcia cientifica?

  118. Caro Alex,

    O que você afirma é subjetividade, conjectura, especulação mas não pode ser chamado de evidência em hipótese alguma. Esse é o ponto! E por este motivo é falácia falar-se em evidência.

    Me perdoe por te-lo feito se sentir ridicularizado. Não era esta a minha intenção. Mas sim provoca-lo, e desafiá-lo a ponderar sobre as suas colocações. E ansiei por uma resposta objetiva. A qual não veio.

    Abraço!

  119. Warlei,
    Quer dizer que conjecturas são falácias? Pelo seu raciocínio, conjecturas científicas são falácias. A conjectura de Riemann, de Goldbach são falácias. Ok.

  120. Poxa Alex!

    Você persiste nessa argumentação desonesta e subjetiva?

    Vejamos novamente o que eu escrevi:

    “O que você afirma é subjetividade, conjectura, especulação mas não pode ser chamado de evidência em hipótese alguma. Esse é o ponto! E por este motivo é falácia falar-se em evidência.”

    Vamos agora passemos as definições, pela ordem:

    SUBJETIVIDADE: Subjetividade é entendida como o espaço íntimo do indivíduo, ou seja como ele ‘instala’ a sua opinião ao que é dito (mundo interno) com o qual ele se relaciona com o mundo social (mundo externo), resultando tanto em marcas singulares na formação do indivíduo quanto na construção de crenças e valores compartilhados na dimensão cultural que vão constituir a experiência histórica e coletiva dos grupos e populações.

    CONJECTURA: Uma conjectura é uma ideia, fórmula ou frase, a qual não foi provada ser verdadeira, baseada em suposições ou ideias com fundamento não verificado. As conjecturas utilizadas como prova de resultados matemáticos recebem o nome de hipóteses.

    ESPECULAÇÃO: contemplação ou consideração de algum assunto.

    EVIDÊNCIA:Caráter do que é evidente, manifesto: a evidência de uma prova. Evidência de fato, a que se obtém por meio da observação. Uma evidência científica é o conjunto de elementos utilizados para suportar a confirmação ou a negação de uma determinada teoria ou hipótese científica. Para que haja uma evidência científica é necessário que exista uma pesquisa realizada dentro de preceitos científicos – e essa pesquisa deve ser passível de repetição por outros cientistas em locais diferentes daquele onde foi realizada originalmente.

    FALÁCIA: O termo falácia deriva do verbo latino fallere, que significa enganar. Designa-se por falácia um raciocínio errado com aparência de verdadeiro . Na lógica e na retórica, uma falácia é um argumento logicamente inconsistente, sem fundamento, inválido ou falho na tentativa de provar eficazmente o que alega. Argumentos que se destinam à persuasão podem parecer convincentes para grande parte do público apesar de conterem falácias, mas não deixam de ser falsos por causa disso.

    Temi por algum momento ter feito o emprego indevido de alguma palavra. Mas creio que não o fiz.

    Abraço!

  121. Alex

    “Shirley, admito que não associei as duas frases ao mesmo texto, apesar de conhecê-lo.”

    A única pessoa que você está enganando é você mesmo, se pensa que me enrola com isso. Da próxima vez em que pretender bancar o galinho garnisé, certifique-se antes de ter penas suficientes para tanto.

    E que história é essa de interpretar bíblia? Eu lá tenho cara de crente, para ficar interpretando bíblia?

    Mas tá. (supondo que Jesus existiu realmente) o fato de ele ter dado um esporro num pessoal que se preocupava mais com a aparência do que com a essência, segundo a visão de mundo lá deles bem entendido, não apaga o fato de que ele era assim uma espécie de proto-Antônio Conselheiro da Judeia. Se você acredita que esse tabaréu é o ser que criou tudo que existe, que “vê tudo que há debaixo dos céus”,é o caso de você mesmo se encarregar da interpretação. E haja interpretação!

  122. Warlei,
    Em 25/09 às 18:10, você põe no mesmo saco subjetividade, conjectura e especulação. As associa a minha afirmação e, como segundo você o que afirmei são falácias, por que então eu deveria tirá-las do saco, e deixar de associá-las a falácias?
    Como em 25/09 às 19:30h você resolveu tirá-las do saco e bem defini-las separadamente, posso concluir que no fundo minha opinião não conta por eu ser cristão? Será que é o velho problema de dissociar a pessoa da ideia?
    Bom, aparentemente diferente de alguns ateus, posso cometer erros em defender um ponto de vista. E você tem razão quanto ao uso da palavra “evidência” não ter sido apropriado. Modifique então para conjectura ou indicio. No fim das contas, a ideia que eu quis passar e que você já havia compreendido, pois é um cara inteligente, permanece.

  123. Shirley, meu objetivo nunca foi te enrolar, mas não posso mudar sua opinião.
    Você escreve:
    “o fato de ele ter dado um esporro num pessoal que se preocupava mais com a aparência do que com a essência, segundo a visão de mundo lá deles bem entendido, não apaga o fato de que ele era assim uma espécie de proto-Antônio Conselheiro da Judeia”

    Suponha que a bíblia seja um grande gibi e que Jesus seja uma espécie de super-heroi, por que ele não poderia falar da maneira que falou? Não sei se você consegue captar a analogia.

  124. Alex,

    “E você tem razão quanto ao uso da palavra “evidência” não ter sido apropriado.”

    E você arrasta a conversa até esse ponto pra quê?

    A Shirley tem toda a razão, e faço as dela, minhas palavras: se você quer bancar o galinho garnisé certifique-se de que tenha pernas pra correr.

    Qualquer pessoa inteligente, que também creio que você seja, que ler o que eu disse e ler a nossa conversa anterior perceberá que há clareza de entendimento de minha parte. Você é quem parece se esforçar para não entender.

    Nesse ponto, digo uma coisa objetiva, e você pinça uma palavra e vem com distrações, comparando evidência a hipóteses matemáticas por exemplo. Algo típico de religiosos, usar de distrações quando se esgotam seus argumentos. Como diria o leão da montanha de Hanna Barbera: “saída pela direita!” ou “saída pela esquerda!”

    Ao separar e expor as definições de cada palavra que usei, minha única intenção foi lhe mostrar de forma inequívoca que cada uma delas é pertinente, e fundamenta corretamente a minha afirmação. Inclusive que conjecturar não seja o mesmo que evidenciar, conforme o senhor sugeriu. Agora vem você com esse papinho de que eu esteja separando as coisas? Tenha dó meu amigo! Ou você quer parecer ser muito burro ou muito está sendo desonesto.

    Não tenho nada contra você ser cristão Alex, de forma alguma. Minha abordagem é assertiva, e acredito que seja a forma correta de tratar qualquer assunto. Não violo e nem pretendo violar o seu direito de crer. Apenas reajo quando vejo alguém usando de desonestidade na argumentação e tentando violar a verdade e dos fatos para afirmar sua fé.

    Abraço!

  125. Warlei,

    “Apenas reajo quando vejo alguém usando de desonestidade na argumentação e tentando violar a verdade e dos fatos para afirmar sua fé.”

    1) Você pode me mostrar exatamente onde fui desonesto?

    2) De que fatos você está falando e qual a verdade em torno deles que estou tentando violar?

    Desculpe minha burrice. =)

  126. Alex,

    Em nenhum momento eu disse que você seja burro. Mas apenas que se faz de desentendido quando lhe convém. Suas perguntas são o recibo desse comportamento. Não vou recorrer novamente ao que já foi conversado pois considero desperdício de energia.

    E, embora não o considere burro, de outro lado não creio que você esteja preparado para a debate, apenas quer ter a última palavra ou embromar. Mais distrações não me interessam. Dou o assunto por encerrado de minha parte.

    Abraço!

  127. Warlei,

    Sequer começamos um debate, pois você mesmo não esteve aberto para um quando disse que aceitaria apenas fatos cientificamente comprovados e verificados pelo meio acadêmico. Isso, por si só, já inviabilizaria qualquer tentativa de iniciar um debate, você não acha? Evidentemente, se você relaxar esta condição, podemos sim debater. E só depois do resultado de um debate é que você poderá tirar conclusões subjetivas se estou ou não preparado.

    Abraços.

  128. No novo testamento está claro que os afeminados não herdarão o reino dos céus. Precisa lembrar que Sodoma e Gomorra foram destruídas por causa desse tipo de pecado?

    [[[[Os acidentais como você tom é considerado um gentio , e para as leis você é ainda um GENTIO , você não fez a circuncucisão pra viver como um judeu primitivo.

    A tua frase é interessante , que no novo testamento afeminados não entram no céu , isto é uma questão da lei judaica primitiva , ocidentais como você nunca foram judeus e nunca viveram as leis judaicas.

    Se jesus diz ser o fim da lei e se coloca como um advogado , não há como ele condenar uma pessoa em razão da lei , póis ele estaria se negando a ele próprio e o seu sacrificio.

    Tom você acha que é um Judeu mesmo sendo um GEntio ocidental ,e que talvez por ser hetero eu não sei se você é realmente hetero , acredite que isto é o maior ingresso de entrada para o céu , mais caso você acredite que entrará no céu gratuitamente , será não porque você guarda as leis , coisa que você não faz , pois pra se guardar as leis você precisa fazer a CIRCUNCISÂO e viver sob as leis do judaismo primitivo.]]]]]

    Pra lei você ainda é um GENTIO INCIRCUNCISO.

  129. Alex.

    O problema não é tanto de eu conseguir captar a analogia. Durante os 3 minutos mais ou menos que o Tico e o Teco passam acordados, fazendo um esforço eu acho que dava conta. (Tico e Teco é como carinhosamente chamo meus dois únicos neurônios)

    O problema mesmo é o sacrilégio de comparar o tabaréu da Judeia com os super heróis. E se Stan Lee se enche de ira e manda os Vingadores atrás de mim? Pior ainda se ele apelar para o lado negro da força. Faz ideia do que é ter um Thanos atrás de você?
    Não, melhor mudar o rumo dessa prosa.

  130. Problema,

    Se você ler, ao menos o Novo Testamento inteiro, talvez começará a compreender sobre a graça, que é o assunto em questão.

    Cristo cumpriu a lei e os profetas, trazendo tanto a judeus quanto a gentius uma nova aliança e uma nova lei.

    Aliança através de seu sacrifício na cruz.
    Lei, do Espírito de vida que há em Cristo Jesus que nos libertou da lei do pecado e da morte.

    No evangelho de João capítulo 1 diz que Cristo veio para o que era seu(judeus) mas os seus não o receberam. Mas a todod quantos o receberem (judeus e gentios) deu-lhe o poder de serem feitos filhos de Deus (igreja), a saber, os que crerem em seu nome.

    A oportunidade está aberta a todos: judeus, gentios, etc. Mas quando o aceitamos como salvador, devemos permitir que o Espírito Santo faça a obra em nossas vidas (aquele que peca, não peques mais, o que adultera, não adultere mais, e assim por diante), pois Cristo nos disse que “conhecereis a verdade e a verdade os libertará”.

    Se estivermos dispostos a abrir mão de nossas paixões e de tudo o que não agrada à Deus, seremos abençoados com sua graça. Mas se insistirmos em trazer junto conosco a bagagem do pecado, como fizeram os pagão que se “converteram” ao catolicismo por ordem do imperador ou para agradar o imperador Constantino, então, seremos duas vezes amaldiçoados.

    Cristo ama a todos, seja qual for nossa origem. Nossa pré história é importante para Ele mas se insistirmos em praticarmos o que não lhe agrada, sua graça não terá efeito em nossas vidas.

    Problema. Se você entregar os seus problemas para Deus e Nele confiar, Ele fará maravilhas em sua vida.

    Fica com Deus Problema.

  131. Alex,

    Quem afirma ter evidências da existência de um deus ou que um mito seja fato histórico, para não se passar por falastrão ou parecer usar de desonestidade intelectual deve no mínimo apresentar as provas. Não concorda? Esse foi o ponto questionado! Você embromou, tentou mudar de assunto, chorou, apelou, esperneou mas não soube evidenciar suas afirmações. E não teve hombridade para assumir que simplesmente não existem evidências. Que é uma questão de fé e não de fato. Então é incorreto afirmar-se impessoalmente como fato.

    Na verdade não houve debate, concordo contigo. =)

  132. Warlei,

    Com relação ao aspecto histórico que envolve Jesus, gostaria de te fazer uma pergunta:

    Qual a sua opinião sobre relatos de historiadores antigos como Flávio Josefo, Suetônio e Tácito, e do governador romano Plinio numa carta ao imperador Tibério, a respeito da existência histórica de Jesus?

    Abraços.

  133. Alex,

    Antes de mais nada digo que fico realmente muito feliz e o agradeço por voltar ao assunto sem ponderações subjetivas. Sem ofensa. =)

    Agora vamos lá! Na historiologia, Jesus Cristo não existe senão como mito. Digo sem propriedade pois meu ramo não é a história, mas repito a afirmação de um historiador que conheço e com quem tenho a oportunidade de conversar com alguma frequência.

    Segundo ele a interpretação da Bíblia e da mitologia comparada não resiste a uma confrontação com a história. Flávio Josefo, Justo de Tiberíades, Filon de Alexandria, Tácito, Suetônio e Plínio, o Jovem, teriam feito em seus escritos, referências a Jesus Cristo.

    Todavia, tais escritos após serem submetidos a exames grafotécnicos, revelaram-se adulterados no todo ou em parte, para não se falar dos que foram totalmente destruídos. Além disso, as referências feitas a Crestus, Cristo ou Jesus, não são feitas exatamente a respeito do Cristo dos Cristãos. Seria mesmo difícil estabelecer qual o Cristo seguido pelos cristãos, visto que esse era um nome comum na Galileia e Judeia.

    Abraço!

  134. Warlei, você saberia informar quando e por quem foram feitos estes exames grafotônicos sobre os escritos de Flávio Josefo (por exemplo)?

    Abraços.

  135. Flávio Josefo foi um historiador judeu, autor de um livro de quase 1.600 páginas chamado História dos Judeus, onde Jesus Cristo é mencionado, muito vagamente, em apenas UM PARÁGRAFO.

    E há ainda quem argumente que esse parágrafo foi posteriormente enxertado no texto original, por ordem da Igreja Católica.

  136. Alex

    O blog do André (ceticismo.net) tem um artigo bem extenso e detalhado (Análise das fontes externas que mencionam Jesus)explicando as falhas não apenas relacionadas ao texto atribuído a Flavio Josefo, mas em todas as outras alegadas fontes externas sobre Jesus. O André usa uma linguagem que um cristão pode achar meio ofensiva, por isso tente ignorar isto e filtrar apenas os argumentos, pois são extremamente coerentes. (tente ler os comentários também).

    Barros

    Desculpe mencionar outro blog. Não quero tirar seu público mas é que este trabalho do André ficou muito bem montado mesmo.

  137. Uai! Mas eu vou ser o primeiro a ir lá ver!!! rsrsrsrsss

    E, pra quem mais quiser ler o texto, o link segue abaixo:

    http://ceticismo.net/2011/11/20/analise-das-fontes-externas-que-mencionam-jesus/

    Valeu pela dica!

    Abraço

  138. Warlei

    Desculpe entrar de gaiato na conversa mas, até onde eu sei, os ateus nunca questionaram sobre a existência história de Jesus. O que eles questionam é se Ele é Deus.

    C.S.Lewis, escritor renomado dos Estados Unidos, que escreveu As Crônicas de Nárnia, entre muitos outros livros, ex-ateu , convertido ao cristianismo, questionava os ateus de sua época sobre o fato de considerarem Jesus como um professor de moral.

    Ele disse:

    Eu estou tentando prevenir que continuem dizendo a bobagem que as pessoas dizem frequentemente sobre Ele: ‘Eu estou pronto para aceitar Jesus como um grande professor de moral, mas eu não aceito a sua afirmação de ser Deus’. Isso é uma coisa que não devemos dizer. Um homem que era somente um homem e disse o que Jesus disse não seria um bom professor de moral. Ele ou seria um lunático – no mesmo nível de um homem que afirma ser um ovo mexido – ou então ele seria o Diabo do Inferno. Você tem que fazer sua escolha. Ou esse homem era e é o Filho de Deus, ou um maluco ou algo pior. Você pode tentar fazê-lo passar por um bobo, você pode cuspir nEle e matá-lo como um demônio; ou você pode cair aos Seus pés e chamá-lo de Senhor e Deus. Mas devemos deixar de nos aproximar dEle falando essa bobagem de que Jesus era apenas um grande mestre. Ele nunca teve a intenção de nos dar esse tipo de escolha” – Mere Christianity, páginas 40-41.

  139. Um autêntico ateu é racional e humilde o suficiente para, ao menos, acreditar na exigência histórica de Jesus Cristo. Os cientistas ateus renomados, que fizeram história, acreditam nessa premissa.

    Eis aí Barros a primeira prova de que definitivamente você não é um ateu. Aguarde que virão outras.

    Quanto a suas intenções com esse blog, nós dois sabemos quais são.

  140. Prezado Tom,

    Seja muito bem-vindo ao debate! =)

    Se C. S. Lewis, tinha essa opinião e ela lhe parecia suficiente. Ótimo pra ele! Eu não questiono. Mas perceba que as alegações dele partem de duas premissas. A primeira é a de que Cristo existiu e a segunda é a de que ele, tendo existido, seria deus. É subjetividade, eu não tenho interesse em discutir questões de foro íntimo.

    Sou convencido por mim mesmo e ateu ao meu modo. A mim pouco importa a subjetividade alheia. Se surgirem evidências de que o Jesus Cristo homem, existiu de fato. Eu as aceitaria com prazer. E se ele existiu de fato, foi um cidadão da Judeia, território romano. Um contestador daquele tempo que teria se martirizado por se opor ao status quo e a dominação romana. A meu ver apenas isso.

    Abraço!

  141. Alex,

    Tive que me ausentar por algum tempo. Mas vejo que o Barros e o Marcos Kiyoji trataram de lhe esclarecer.

    Abraço!

  142. Warlei,

    Você disse tudo. Crer ou não em Cristo é uma opção pessoal.
    Cada um deve fazer sua escolha. Deus respeita isso. Eu não posso julgar a ninguém. Não tenho céu ou inferno para levar alguém até lá. Mas conheço alguém que pode levar-nos para o céu e você já sabe quem é.

    Mas tudo bem. Tudo a seu tempo.

    Quanto à existência de Cristo, pesquise com seriedade e você confirmará isso. Para todos os ateus isso já está claro. Assim como acreditam na existência de Sócrates, Platão e Aristóteles, os ateus cinceros acreditam na existência de Cristo. Não o adoram como Deus, mas acreditam que existiu.

  143. Fica com Deus.

  144. Tom

    “até onde eu sei, os ateus nunca questionaram sobre a existência história de Jesus”

    O caminho do seu conhecimento sobre o assunto é bem curto.
    A historicidade de Jesus é altamente questionada e questionável.
    Um autêntico ateu é racional o suficiente para buscar evidências sustentáveis da existência de alguém que tivesse se feito notar naquele contexto/período histórico.
    Como o Warlei bem coloca, se Jesus existiu, foi apenas na condição de homem, que teria se insurgido contra o sistema dominante.
    Humildade, parece-me, falta em quem cobra de outros aquilo de que não tem conhecimento.

  145. Um autêntico ateu é racional e humilde o suficiente para, ao menos, acreditar na exigência histórica de Jesus Cristo.

    É bem provável que tenha havido um Jesus que se destacou na multidão de messias que alegavam a mesma coisa que ele alegava. É bem provável que esse Jesus tenha causado desordem suficiente para atrair a ira dos seus pares e tenha sido morto crucificado. Mas a realidade provável para aí.

    O Jesus que andava sobre as águas, transformava água em vinho e voltou dos mortos é tão somente um mito idiota.

    Isso porque existem mitos que são bem legais.

    É isso. E olha que eu estou sendo bem humilde.

  146. ssrodrigues

    Percebi que tens o hábito de subestimar as pessoas. É muita presunção alguém achar que sabe tudo. Seja mais humilde minha amiga. Você pode e deve aprender com os outros mesmo que não sejam ateus.
    Deus nos trouxe ao mundo para aprendermos a conviver uns com os outros. Eu não sou idiota para fechar o meu entendimento para o conhecimento só porque a fonte de origem é atéia ou seja o que for.

    Mas você, me parece que tudo o que tem relação com algum crentinho, você rejeita de pronto. Nisto demonstras ter falta de sabedoria. Seja mais humilde minha amiga.

  147. Barros

    Partindo desta premissa: da existência de Cristo. Os cristãos não são tão ignorantes ou bitolados como você costuma postar neste blog.

    E se as outras questões sobre o quesito fé, salvação, céu, inferno, Deus, Satanás estiverem também corretos, não terás mais a perder sendo um ateu?

  148. Tom

    Meu anjo, eu sempre aprendo com os outros, não tenha dúvida disso. Diria mesmo que minha maior e melhor fonte de conhecimentos deriva de observar todos os tipos de pessoas, ler o que escrevem e ouvir o que dizem, observar o que fazem. Aprendo sempre e muito com isso, meu anjo.

  149. Warley, também estive ausente um pouco. Vou seguir o conselho do Marcos sobre o site ceticismo e depois volto pra continuarmos.

    Abraços

  150. E se as outras questões sobre o quesito fé, salvação, céu, inferno, Deus, Satanás estiverem também corretos, não terás mais a perder sendo um ateu?

    Tem razão. Vou acreditar em Deus pra livrar o meu rabo.

  151. Barros,

    Certamente, a mais conveniente opção da dicotômica e exclusiva aposta de Pascal.

    End game!

  152. Devemos respeitar os gays, pois são seres humanos dignos de atenção e carinho como todas pessoas. Eles já sabem o q a bíblia diz sobre eles e todos nós. Cada pessoa decide como viver .

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: