Deus, você não tem o meu amor

birra

Autor: Gregor Carlos

Amigos leitores, eu tenho um caso, baseado em fatos reais, que aconteceu comigo e me fez refletir. Gostaria que outras pessoas refletissem também e mergulhassem no incrível mundo da natureza humana que a maioria dos humanos teimam em não aceitar e não querer entender.

Andava eu com meu filho e a mãe dele saindo do supermercado, quando mais uma vez me veio a ideia de tentar passar umas lições básicas sobre prestar algum serviço a alguém e ser premiado por isso. Não é de hoje que eu venho aos poucos querendo transmitir essa ideia para meu filho de 4 anos.

Como ele é muito agitado, o famoso “não para quieto”, e às vezes se oferece para ajudar, eu aproveitei a deixa para fazer com que ele faça algo e seja recompensado por isso.

Um dia eu estava coando areia na obra da minha casa e ele ofereceu ajuda. “Em verdade te digo, filho, que ajudando na obra do ‘PAI’ este lhe daria um galardão espetacular que daria a possibilidade de comprar um pote de sorvete.

Antes disso, já foi passado a ele o básico do básico sobre o mundo do consumo: você precisa de moedas para conseguir certas coisas. Até aí tudo bem; lição um concluída, mas faltava ainda ele saber como se consegue essas moedas que fazem a mágica de trazer as coisas que você quer até você.

Ele já tinha passado pela experiência de pagar os outros com a moeda que ele possuía, na maioria das vezes guardada num cofrinho de criança. Ele, escolhia umas balas, biscoitos, iogurte de sua preferência e já sabia que não podia sair do estabelecimento sem antes passar pelo “moço que recebe as moedas”, e assim ser liberado, ou melhor, acredito que na mente dele seja algo tipo: “o moço não vai brigar comigo: eu dou essas moedas que ele quer e ele deixa eu levar as coisas que eu gosto de comer”. Talvez a criança até pense: “É, me dei bem: eu dou essas coisas pequenas e brilhantes e o moço me dá essas coisas gostosas. Muito estranho isso: que cara bobo, trocar iogurte por essas porcarias brilhantes. Que burro!!!”.

Anterior ao dia em que eu estava saindo do mercado com ele e tive um insight, ocorreu alguns dias antes um atrito entre eu e ele. Eu havia comprado algumas coisas e levava pra casa a pé. Eu, carregando quase tudo, queria que o mais novo filho de “Deus” carregasse um pé de alface. Somente isso, um pé de alface para ele aprender que deve ajudar com o que pode, afinal, ele vai aproveitar daquelas coisas que estão nas sacolas. Não tem graça o pai carregar o fardo sozinho, o filho tem que participar também. Mas não foi fácil. Tive que discutir e brigar muito para que ele carregasse o pesadíssimo pé de alface. Depois contei à mãe dele os desafios que passei, e todo o poder de convencimento que tive que usar para que o pé de alface viesse pelo trabalho de suas mãos e pelo suor de seu rosto.

No caminho, expliquei que ele ganharia moedas fazendo isso. Até este momento ele fez aquela cara de “fodam-se as moedas, pra que eu quero isso”. Mas eu disse também que, tendo as moedas em seu poder, ele seria capaz de fazer a mágica de trocá-las por sorvete e coisas do tipo. Foi aí que, com muito custo, ele carregou o alface — ainda reclamando — até o seu destino, e cumpriu sua missão (para o pai, naquele momento).

Voltando ao dia do supermercado, quando comecei esta narrativa, me veio a ideia novamente de passar certos valores a ele e pedi que ele carregasse o “pé de alface” (qualquer semelhança com pecados originais é mera coincidência), mas ele teve dúvidas ainda acerca da ideia. Estava sendo tentado pela preguiça e má vontade quando então eu, usando os poderes de “pai”, disse que poderia conceder a ele dinheiro, não só moedas, mas sim dinheiro — foi o termo que usei. Ele não se emocionou muito não, se recusava a carregar o fardo. Apelei para: “Você tem que querer o dinheiro, assim você compra sorvetes e coisas do seu desejo”. Ele respondeu: “Mas ‘pai’, você já me dá essas coisas; não preciso do dinheiro. Não quero dinheiro!”. E eu disse: “Você tem que ajudar para poder ganhar dinheiro, tem que querer dinheiro para você. Quanto mais dinheiro, mais coisas você compra”.

Mesmo assim ele não se mostrava feliz com esta situação. Foi então que a mãe dele disse uma coisa que me fez pensar: “ELE NÃO TEM AMOR PELO DINHEIRO. Basta dizer que ele vai ganhar sorvete por carregar a sacola com alface e pronto!”.

Cheguei à conclusão de que ele não precisava do “dinheiro” para fazê-lo feliz, assim como o ser humano não precisa de “Deus” para isso também. Ambos são coisas inventadas com um fim específico: o de fazer uma troca, dar uma recompensa, conseguir algo que se deseja. E, em se tratando de Deus, muitas são as possibilidades de benesses que o dinheiro não pode comprar. Para as vontades que vão além do materialismo, o homem criou Deus.

Meu filho ainda é pequeno demais e não entende a ideia de dinheiro, bem como a ideia de Deus. Ambos são ilusões de valor criadas pelo homem na luta de viver o mundo real!

Para o meu filho, basta o meu amor e o de outras pessoas para que ele seja feliz e tenha o que precisa para viver. Carregar o fardo dele (o pé de alface) para ganhar dinheiro é apenas a brincadeira (chata) que o PAI E OS OUTROS SERES GRANDES criaram para passar o tempo.

Anúncios

37 Respostas

  1. Greg

    Você traduz bem o que é essa relação dos crentes com o deus deles. uma relação de troca. A gente que está de fora vê isso com clareza, o crente só segue a religião dele e diz que ama o Deus dele pelo interesse de garantir algo em troca.
    Vou discordar um pouquinho sobre a equivalência entre Deus e o dinheiro.
    Se a gente parar para pensar, o significado do dinheiro pode ser muito maior que o do Deus, porque quando a gente consegue o dinheiro com o nosso trabalho, com o nosso esforço a gente vê a recompensa. Só o sossego de saber que as necessidades de sua família serão supridas com o dinheiro que se trabalha pra obter já vale qualquer coisa.
    Deus é só uma ideia mal ajambrada que mal serve pra tapar os buracos das frustrações temporariamente e olhe lá. Claro que crentes sempre vão dizer que o Deus é alimento para o espírito,mas ainda não vi um único bancando o lírio do campo.

  2. thanks shirley, que bom q gostou!
    Eu nao quis fazer uma comparaçao muito ampla em relaçao a Deus e dinheiro nao! acho tambem que nao combina em todos os aspectos. è uma analogia para o caso especifico. Enfim, gostei da ultima frase do seu comentario. Resume um ponto de vista de um versiculo que refleti muiito, nao lembro os numeros, nao sou especialista em biblia.
    ———- nao se preocupeis com o dia de amanha, veja os passaros e os lirios do campo, nao tecem, nao fiam; que Deus cuida deles e os allimenta. algo assim.
    Deus e dinheiro estao interligados num ponto:
    os valores de ambos sao criados do nada!!!
    sinto que essa discussao é profunda!!!srrsrsrsr

  3. Barros , obrigado pela ediçao, publicaçao e ilustraçao do texto!!
    ate foto de criança fazendo pirraça vc arrumou! rsrsrsrsrs
    como posta foto no blog?? jpeg tem como ???

  4. Greg

    devo adverti-lo que explorar mão de obra infantil, constitui um infração gravíssima de acordo o com o ECA, voce poderá ser punido com perda do pateio poder.
    Assim meu amigo pense muito bem quando resolver obrigar seu filho a levar alfaces novamente.
    Deus não pode ser inventado totalmente, pois partes deles são existentes.
    De forma alguma é possível inventar algo que seja totalmente imaginário, pois só conseguimos conscientizarmos coisas existentes nas suas partes, mesmo que o conjunto final seja racional ou irracional.
    Quanto a existência de Deus muito breve, todos conhecerão essa verdade, pelo menos se a vida continua ou não.
    Se bem que caso não continue, todos permacerão na ignorância , mas isto é bom ou ruim ?

  5. Criaturo, como uma pessoa que morreu “descobre” que a vida não continua?

  6. Criaturo, vc esta de sacanagem , né nao???

    ¨e segundo a sua teoria de que nao é possivel inventar algo que seja totalmente imaginario, creio que Thor que passa nos cinemas neste momento é real. acho que toda aquela historia é baseada em fatos reais, sem duvida; e sobre o meu filho e o pe de alface talvez nao seja. o mundo é uma ilusao mesmo!!!

  7. Lê só isso aqui:

    Deus não pode ser inventado totalmente

    Ou seja, Deus foi inventado “apenas” parcialmente.

    O Criaturo perdeu a fé.

  8. Barros

    Criaturo, como uma pessoa que morreu “descobre” que a vida não continua?

    r. ja disse: caso não continue, todos permanecerão na ignorância , mas isto é bom ou ruim ?

    Ou seja, Deus foi inventado “apenas” parcialmente.

    O Criaturo perdeu a fé.

    E a sua aumentou , afirmando que apenas partes de Deus foram inventadas.
    e quais seriam as partes de Deus que voce considera verdadeiras?

  9. Greg
    Criaturo, vc esta de sacanagem , né nao???

    ¨e segundo a sua teoria de que nao é possivel inventar algo que seja totalmente imaginario, creio que Thor que passa nos cinemas neste momento é real. acho que toda aquela historia é baseada em fatos reais, sem duvida; e sobre o meu filho e o pe de alface talvez nao seja. o mundo é uma ilusao mesmo!!!

    você percebeu!

    não prestou atenção no detalhe TOTALMENTE imaginario, se bem vejamos o seu exemplo:

    Thor = desenho = filho= possui características humanas, bom eu acho que a figura dele foi constituída por coisas reais ,mas se voce conseguir me dar um outro exemplo de algo ” totalmente” constituído por coisas imaginárias, sou todo olhos.

  10. Criaturo
    R – deus –
    depois o homi querendo trazer deus mais perto . inventou Jesus o novo Deus dos cristaos!!

  11. Criaturo

    A cada dia fico mais animada com você, que já está até fatiando Deus em partes existentes e inexistentes!

    Tem uma complicação no seu raciocínio aí sobre morrer; no caso de não ter outra, o que seja, vida, existência.
    Se “morreu, acabou” como poderia haver condições de considerar bom ou ruim, se não teria uma consciência?

  12. Greg

    R – deus –
    depois o homi querendo trazer deus mais perto . inventou Jesus o novo Deus dos cristaos!!

    r. ja esprava,mas descreva ai o seu deus, para ver se consegue criar um Totalmente imaginado ?

  13. ss
    A cada dia fico mais animada com você, que já está até fatiando Deus em partes existentes e inexistentes!

    Tem uma complicação no seu raciocínio aí sobre morrer; no caso de não ter outra, o que seja, vida, existência.
    Se “morreu, acabou” como poderia haver condições de considerar bom ou ruim, se não teria uma consciência?

    r. não se iluda e crença ou descrença não deve ser tratada como partidos.
    Esta questão é para agora.
    Tai uma duvida, ateus veem na morte uma fuga para suas frustrações? ou consideram a continuação da vida algo maravilhoso de mais para ser verdade ? mas no intimo da suas almas mantem alguma esperança?
    Para voces como é conviver com o ateísmo, quando alguém diz feliz natal, graças a Deus conseguiu tal coisa, foi curado, tem saudê é inteligente, Deus te ajude,tudo de bom fica com Deus ?

  14. conheço um caso raro de um ateu que virou crente!

  15. Criaturo,

    “Para voces como é conviver com o ateísmo, quando alguém diz feliz natal, graças a Deus conseguiu tal coisa, foi curado, tem saudê é inteligente, Deus te ajude,tudo de bom fica com Deus ?”

    Comigo tem uma situação meio engraçada.
    Tenho um sobrinho de 14 anos que foi ensinado pelos pais a sempre cumprimentar os mais velhos pedindo “bença” (talvez mais como uma demonstração de respeito do que por fé).
    Sempre que ele chega pra mim e pede “bença” eu respondo “Eu te abençoo”.
    Sinto como se fosse muita hipocrisia e falsidade minha responder “Deus te abençoe” só pra respeitar uma tradição cristã.

    Na maior parte do tempo, junto ao meu núcleo familiar, religião não é um assunto abordado (ainda bem).
    Sempre que sou submetido a alguma destas “expressões” religiosas eu busco ignorar para não gerar atrito, me atentando mais para a intenção da pessoa ao dizer aquilo e menos para as palavras propriamente ditas.

    Quanto ao natal, não tenho problema em desejar “feliz natal” a quem quer que seja, mas quando faço isso estou apenas desejando “boas festas” ou “felicidades”, sem o menor conteúdo religioso. Até mesmo porque o natal é um período comemorativo que já existia em diversos povos pagãos bem antes do cristianismo. Foi uma data convenientemente aproveitada pelo cristianismo promovendo sua popularidade.

  16. Marcos o abençoado

    não ta fraco não, heim ?

    quando alguém diz fique com Deus , esta desejando tudo de bom.

    quando existe algum feriado religioso voce, possui algum pre conceito ateu, para deixar de participar dele ?

  17. Criaturo,

    “Marcos o abençoado

    não ta fraco não, heim ?”

    Pois é!
    Quando meu sobrinho me pede “bença” eu me sinto um vovô com 90 anos. É a única pessoa na vida que já me pediu bença. É muito estranho. Kkkkk

    “quando alguém diz fique com Deus , esta desejando tudo de bom.”

    Normalmente sim, e eu fico grato com a intenção.

    Mas também acontece às vezes (principalmente em debates mais acalorados em blogs) de alguém terminar a conversa desejando todas as benção de deus, mas você percebe claramente o sarcasmo da pessoa, que na realidade deseja profundamente que você morra o quanto antes e que vá para o inferno sofrer as piores torturas e se perguntar eternamente “Porque não dei ouvidos a fulano de tal?”

    “quando existe algum feriado religioso voce, possui algum pre conceito ateu, para deixar de participar dele ?”

    Tá doido? Eu quero mais é sombra e água fresca. Eu aproveito para descansar.
    Mas, por exemplo, não tenho o costume de visitar o túmulo da minha mãe no dia de finados.

    No mais, sou contra a criação de mais datas comemorativas e feriados. Mesmo aquelas puramente políticas ou comerciais. Acho que já temos feriados demais no Brasil.

  18. Marcos

    mas você percebe claramente o sarcasmo da pessoa, que na realidade deseja profundamente que você morra o quanto antes e que vá para o inferno sofrer as piores torturas e se perguntar eternamente “Porque não dei ouvidos a fulano de tal?”

    questão de orgulho

    “quando existe algum feriado religioso voce, possui algum pre conceito ateu, para deixar de participar dele ?”

    Tá doido? Eu quero mais é sombra e água fresca. Eu aproveito para descansar.

    ja imaginava

    Mas, por exemplo, não tenho o costume de visitar o túmulo da minha mãe no dia de finados.

    por quais motivos?

    No mais, sou contra a criação de mais datas comemorativas e feriados. Mesmo aquelas puramente políticas ou comerciais. Acho que já temos feriados demais no Brasil.

    Tá doido ?

  19. Criaturo,

    “por quais motivos?”

    Não sei, simplesmente não tenho este hábito.
    Já fui com alguns familiares quando era criança mas sempre odiei grandes concentrações de pessoas. E em dia de finados vira a maior muvuca nos cemitérios, sem falar em estacionamento.

    Além disso, não acho que ela esteja me observando de alguma outra dimensão para sequer ter ciência desta suposta homenagem. Mesmo que estivesse, não vejo porque seria mais fácil me conectar com ela diante do túmulo do que de dentro do banheiro lá de casa.

  20. Criaturo

    “Tai uma duvida, ateus veem na morte uma fuga para suas frustrações? ou consideram a continuação da vida algo maravilhoso de mais para ser verdade ? mas no intimo da suas almas mantem alguma esperança?”

    Por que você acha que ateus veem na morte uma fuga de frustrações?
    Por que você acha que uma existência pós-morte possa ser uma continuação maravilhosa desta vida?
    O que você entende por “alma”?

  21. shirley
    o q posso dizer:
    a 1a resposta a sua pergunta ao Criatura é que : na verdade é o contrario, se nós pensamos que esta é nossa unica vida, nao temos outra chance como os religiosos acreditam, quem esta fugindo desta vida e pensando em outra sao os crentes nao a gente. Ateus veem na morte o fim, por isso querem viver o melhor possivel e torcem para que todos possam viver o melhor possivel, a religiao é que quer doutrinar, domesticar , imbecilizar o individuo para que ele aceite tudo , aceite o sistema injusto como ele é ; porq afinal Deus vai recompensá-lo e fazer justiça e igualdade que nao se encontra aqui, na terra.
    quem quer fugir daqui o mais rapido possivel é o religioso!!!

    sobre a 2a pergunta: bem que poderia ser assim, seria bom, nao somos contra, poderia ser como o ceu daquele grupo de crentes que esqueci o nome agora que deixam na sua casa aqueles folhetos bonitinhos sobre o ceu, familiaas felizes brincando com animais ferozes “doceis” – crinança rolando na grama com tigre , uma beleza, coisa linda; mas que nao ha evidencia alguma disso. Apenas um sonho!!
    a 3a pergunta, hoje , na minha vida, nao tenho condiçoes de te responder. Quando eu era espirita te responderia , mas agora NAO!!!

  22. ss
    Por que você acha que ateus veem na morte uma fuga de frustrações?

    r. sempre argumentam que se Deus existisse A vida seria bem melhor

    Por que você acha que uma existência pós-morte possa ser uma continuação maravilhosa desta vida?

    r. continuação sim, sem milagres apenas continuaremos de onde paramos, nem melhores nem piores.

    O que você entende por “alma”?

    r. consciência que sobrevive ao corpo

  23. Greg

    voce confunde Deus com religião, para mim a continuação da vida é naturalmente o mais provável e o mais desejável.
    ja que que possuo a opção de acreditar, então por que ser pessimista ?
    Penso que alguns ateus inconscientemente aguardam e creem na morte eterna, porque possuem medo de viverem eternamente a vida exatamente do jeito que ela é, com risos, lagrimas e muito trabalho.
    Da mesma forma que alguns religiosos veem na morte também uma fuga da realidade da vida para o paraíso eterno, sem lagrimas, sem trabalho , voces possuem esse ponto de vista em comum, esta insatisfação com a realidade da vida, os fazem acreditar numa fuga milagrosa para o fim dos sentimentos, pura ilusão de quem ainda não entendeu qual o verdadeiro sentido da vida.
    A realidade não esta para ser agradável.

  24. Criaturo
    a continuação da vida é naturalmente o mais provável e o mais desejável.
    o mais desejavel sim. o mais provavel NAO!!
    como eu te disse: eu ate desejo isso, mas nao é provavel ou verificavel
    todos nos desejamos um mundo melhor, mas ele fica melhor por causa deste desejo?? é a lei da selva, o menor come o maior e assim vai….
    crinças na china estao em trabalho escravo para que vc possa comprar suas bugigangas , se existesse Deus talvez ele faria alguma coisa, mas nao faz, se existe algo tipo, ele nao vale muita coisa , nao cuida da sua criaçao. E o homem so faz o que faz por causa da lei da sobrevivencia, tirar vantagem e ponto. simples!
    estou preparando um texto sobre isso, ate mesmo por causa dos seus questionamentos, mas como tem dados cientificos nele, demora um pouco.
    Aguardai-me!!!

  25. Criaturo,

    “sempre argumentam que se Deus existisse A vida seria bem melhor”

    De jeito nenhum. Nunca ouvi falar de um ateu que alegasse isso.
    Se deus existisse, qualquer um que não acreditasse nele tava na mer#$%. Os ateus seriam os primeiros a cair na frigideira.
    Principalmente se fosse o deus bíblico.

    “ja que que possuo a opção de acreditar, então por que ser pessimista ?”

    Discordo que acreditar seja uma opção.

    “Penso que alguns ateus inconscientemente aguardam e creem na morte eterna, porque possuem medo de viverem eternamente a vida exatamente do jeito que ela é, com risos, lagrimas e muito trabalho.”

    Tudo que a vida é uma só e que a morte é definitiva. Mas eu não me baseio em “medo” para chegar a esta conclusão.
    Eu até gostaria que a morte fosse apenas um recomeço, mas não existem evidencia disso.

    “voces possuem esse ponto de vista em comum”

    Nunca conheci um ateu que “desejasse” que a morte fosse definitiva só porque a vida é difícil.

    “esta insatisfação com a realidade da vida, os fazem acreditar numa fuga milagrosa para o fim dos sentimentos”

    Reitero que não se trata de fuga.

  26. ERRATA:

    Onde se lê: Tudo que a vida é uma só e que a morte é definitiva.

    Leia-se: Tudo “indica” que a vida é uma só e que a morte é definitiva.

  27. Greg

    todos nos desejamos um mundo melhor, mas ele fica melhor por causa deste desejo??

    todos desejam um mundo melhor apenas para si

    é a lei da selva, o menor come o maior e assim vai….

    classificamos um animal que come o outro de irracional se nós comemos eles, deveríamos ser classificados de que ?

    crinças na china estao em trabalho escravo para que vc possa comprar suas bugigangas , se existesse Deus talvez ele faria alguma coisa, mas nao faz, se existe algo tipo, ele nao vale muita coisa , nao cuida da sua criaçao.

    Deus faz o melhor ele mantem nossas vidas, com tanta gente se dando ao trabalho de cuidarem das nossas vidas, Deus perdeu esta função…ha..ha..ha.ha
    é a lei da compensação, nem céu nem inferno.
    talvez se não houvesse tal exploração não haveria tambem , empregos nem crianças.
    é como o consumo de animais, se não houvesse poucos animais teriam oportunidade de viverem.

    E o homem so faz o que faz por causa da lei da sobrevivencia, tirar vantagem e ponto. simples!

    ser escravizado por instintos animaliza

    estou preparando um texto sobre isso, ate mesmo por causa dos seus questionamentos, mas como tem dados cientificos nele, demora um pouco.
    Aguardai-me!!!

    Valei-me! São Google!

  28. Marcos

    “sempre argumentam que se Deus existisse A vida seria bem melhor”
    De jeito nenhum. Nunca ouvi falar de um ateu que alegasse isso.

    Greg
    , se existesse Deus talvez ele faria alguma coisa, mas nao faz, se existe algo tipo, ele nao vale muita coisa , nao cuida da sua criaçao

    Se deus existisse, qualquer um que não acreditasse nele tava na mer#$%. Os ateus seriam os primeiros a cair na frigideira.
    Principalmente se fosse o deus bíblico.

    Deus existe , voce se fez um ateu e dai ? a vida continua mal grado a ignorância humana, ela é necessária.

    “ja que que possuo a opção de acreditar, então por que ser pessimista ?”
    Discordo que acreditar seja uma opção.

    tanto quanto desacreditar

    “Penso que alguns ateus inconscientemente aguardam e creem na morte eterna, porque possuem medo de viverem eternamente a vida exatamente do jeito que ela é, com risos, lagrimas e muito trabalho.”

    Tudo “indica” que a vida é uma só e que a morte é definitiva. Mas eu não me baseio em “medo” para chegar a esta conclusão.

    baseia-se em que:
    ignorância de mais ?
    ou sabedoria de mais ?

    Eu até gostaria que a morte fosse apenas um recomeço, mas não existem evidencia disso.

    ok .! a ignorância justifica seu a ateísmo

  29. Criaturo,

    ” Greg – se existesse Deus talvez ele faria alguma coisa, mas nao faz, se existe algo tipo, ele nao vale muita coisa , nao cuida da sua criação”

    Neste texto, o Greg estava apenas abordando o argumento da existência do mal, que seria (Se deus existe, porque ele permitiria o mal?.Isso não tem nada a ver com ateus enxergando na morte uma fuga das frustrações, nem com o Greg afirmando que se deus existisse o mundo seria melhor.
    O fato é que, muitas vezes dentro de uma argumentação, usamos as premissas do próprio interlocutor para tentar demonstrar sua incoerência.
    Por exemplo, o ateu sabe que o teísta acha que deus existe e que ele é infinitamente bom. À partir destas premissas, o ateu questiona a existência do mal concluindo (Se deus existisse, ele não seria infinitamente bom). Não se trata de uma opinião do ateu de que se deus existisse o mundo seria melhor.

    Pelo menos esta foi minha clara interpretação. Está correto, Greg?

    “Discordo que acreditar seja uma opção.
    r-tanto quanto desacreditar”

    Ainda não vejo como o ato de “acreditar” possa ser uma opção.

    Mesmo se eu “escolhesse” acreditar em deus neste exato momento, eu poderia no máximo me “comportar” como teísta, ou seja, “fingir acreditar” da mesma maneira que eu fazia quando era criança, só pra poder ser igual a todos à minha volta. Com certeza isso traria inúmeros benefícios à minha convivência social.
    Contudo, não é uma escolha voluntária minha se o meu cérebro não consegue ver coerência em uma determinada afirmação.

    Algumas “escolhas” são determinada por toda uma combinação de condições sociais, históricas, culturais, influencias familiares e talvez até tendências biológicas, tais como ideologia política, time de futebol, hábitos alimentares, preferências sexuais. Religião está entre estas supostas “escolhas” involuntárias.

    Sendo hétero você não poderia escolher ser homossexual. Você poderia somente reprimir seus impulsos naturais e se “comportar” como tal. São os famosos ex-gay curados pela religião.
    Sendo comunista você não “escolhe” lutar pelo capitalismo de livre mercado sem enxergar um motivo forte que te faça mudar sua posição.
    Sendo teísta você não “opta” simplesmente por não acreditar mais em deus, mas apenas quando sua mente enxergar motivos suficientes para mudar sua crença. Isso não é voluntário. Não é como trocar de camisa.

    “baseia-se em que:
    ignorância de mais ?
    ou sabedoria de mais ?”

    Me baseio nos fatos de que nenhum tipo de comunicação com os mortos jamais me foi evidenciada, de que aqueles que fizeram tais alegações já passaram por vários constrangimentos pelas falhas apresentadas, aqueles que acreditam normalmente estavam em uma situação muito vulnerável a enganações, etc.
    Nem ignorância demais nem sabedoria demais. Só o básico.

    “a ignorância justifica seu a ateísmo”

    Até certo ponto, sim.
    Se existe alguma evidencia de que deus(es) existem, ainda não a conheço. Ignoro completamente.
    Por outro lado, quanto mais as evidencias científicas esvaziam o bolso “deus” preenchendo suas lacunas, mais eu tenho evidências (não provas) de que eles “quase” que certamente não existem.
    Portanto, meu ateísmo é justificado em parte por ignorância e em parte por conhecimento.

    Puxa! o texto ficou maior do que eu esperava.
    Espero que tenha me entendido.

  30. Criaturo

    não tente escapar pela tangente. a afirmação de que existe uma continuação maravilhosa dessa vida foi sua, eu pedi que me dissesse porque você acredita nisso. aí você me enrola. conclusão: você não tem qualquer base pra afirmar isso, trata-se só do que você gostaria que acontecesse.
    você está sempre falando que ateus querem fugir das frustrações da vida e isso já foi rebatido n vezes aqui. sei não, mas pode ser um caso de projeção. você é quem teria problemas de lidar com as frustrações da vida e além disso achar que pra compensar essa vida frustrante tem que haver outra existência melhor.

  31. Recomendo:

  32. Marcos

    Não se trata de uma opinião do ateu de que se deus existisse o mundo seria melhor.

    Pelo menos esta foi minha clara interpretação. Está correto, Greg?

    r. o argumento mais usado por descrentes em Deus é a existência do mal, por não conseguirem enxergar um sentido maior para suas vidas.
    Ironicamente criticam o Deus bom idealizado e humanizado por crentes , quando também idealizam a mesma coisa e por não verem evidências que isso seja possível tornam-se descrentes da suas próprias idealizações humanas.
    o Greg é só mais um desiludido de si mesmo.

    “Discordo que acreditar seja uma opção.
    r-tanto quanto desacreditar”

    Ainda não vejo como o ato de “acreditar” possa ser uma opção.

    Mesmo se eu “escolhesse” acreditar em deus neste exato momento, eu poderia no máximo me “comportar” como teísta, ou seja, “fingir acreditar” da mesma maneira que eu fazia quando era criança, só pra poder ser igual a todos à minha volta. Com certeza isso traria inúmeros benefícios à minha convivência social.
    Contudo, não é uma escolha voluntária minha se o meu cérebro não consegue ver coerência em uma determinada afirmação.

    r. dia virá que todos conseguiram libertar-se da matéria ao nível de perceberem que não são apenas maquinas criadas por uma irracionalidade.
    Matéria deveria ser dominada por nós e não nos escravizar.

    Algumas “escolhas” são determinada por toda uma combinação de condições sociais, históricas, culturais, influencias familiares e talvez até tendências biológicas, tais como ideologia política, time de futebol, hábitos alimentares, preferências sexuais. Religião está entre estas supostas “escolhas” involuntárias.

    r. sua primeira ação, determinará a segunda e assim por diante,mas todas serão suas escolhas, sua vida, o filme que eu recomendei acima exemplifica bem o sentido de toda uma vida, que hora vivida nos parece frutos do acaso aleatório e irracional.
    Mas que nossa vida individual apresenta sentido apenas no conjunto.
    E que céu e inferno não passa de estados momentâneos de nossas consciências.
    o meio influência ,mas não pode determinar o nosso ser, pois este depende da nossa vontade.

    Sendo hétero você não poderia escolher ser homossexual.

    r. poderia, assim como tambem passar a fumar

    Sendo teísta você não “opta” simplesmente por não acreditar mais em deus, mas apenas quando sua mente enxergar motivos suficientes para mudar sua crença. Isso não é voluntário. Não é como trocar de camisa.

    r. quais seriam os motivos que te fizeram perder a fé ?

    “a ignorância justifica seu a ateísmo”

    Até certo ponto, sim.
    Se existe alguma evidencia de que deus(es) existem, ainda não a conheço. Ignoro completamente.
    Por outro lado, quanto mais as evidencias científicas esvaziam o bolso “deus” preenchendo suas lacunas, mais eu tenho evidências (não provas) de que eles “quase” que certamente não existem.
    Portanto, meu ateísmo é justificado em parte por ignorância e em parte por conhecimento.

    r. ta confuso , heim ?
    Não existe lacunas em Deus , nenhum vácuo divino , o homem só consegue descobrir desde de sempre o todo existente Deus
    Vejamos a moral biblica de Adão:
    Enquanto inocente era suprido suas necessidades mas, em compensação não possuía vontade própria do ser humano, a partir dessa obteve o conhecimento em compensação tornou-se responsável pelos seus atos e pela sua própria sobrevivência.

    SDS

  33. Criaturo,

    “Ironicamente criticam o Deus bom idealizado e humanizado por crentes , quando também idealizam a mesma coisa e por não verem evidências que isso seja possível tornam-se descrentes da suas próprias idealizações humanas.”

    Isso me parece apenas suposição sua.
    O que eu vejo mais frequentemente é que ateus são descrentes das idealizações “dos outros”, quando estas lhes são apresentadas.

    “poderia, assim como tambem passar a fumar”

    Não, não poderia não. “Fumar” e “ser fumante” são duas coisas diferentes.
    Como já expliquei, se você não é fumante, nada te impede de acender um cigarro agora mesmo. Mas o ato de “fumar por prazer” não é escolha sua.
    “Aceitar” alguma idéia não é o mesmo que “acreditar sinceramente” nesta idéia. É esta “crença sincera” que eu digo não ser escolha.

    “quais seriam os motivos que te fizeram perder a fé ?”

    Como já disse, nunca tive fé realmente. Nunca consegui engolir a idéia de deus. Apenas me comportava como crente para não ser diferente. Seria bom se eu pudesse “escolher” acreditar. Facilitaria muito minha vida familiar, profissional, social, etc.

    “Não existe lacunas em Deus , nenhum vácuo divino , o homem só consegue descobrir desde de sempre o todo existente Deus”

    O que eu quis dizer é que muitas alegações divinas já foram feitas sobre eventos supostamente inexplicáveis, mas com a gradativa ampliação do conhecimento humano sobre esses assuntos foi-se verificando que tratavam-se apenas de eventos naturais, nada de divino. Isso é o famoso “deus das lacunas”, que só se manifesta em áreas ainda não descobertas pelo conhecimento científico. Por isso Neil DeGrasse Tyson afirmou que “Deus é um bolso cada vez mais vazio”.
    O que você chama de deus eu chamaria de universo. Neste caso, sua existência é realmente verificável. Não vamos discutir semântica de novo, vamos?

    “Vejamos a moral biblica de Adão:
    Enquanto inocente era suprido suas necessidades mas, em compensação não possuía vontade própria do ser humano, a partir dessa obteve o conhecimento em compensação tornou-se responsável pelos seus atos e pela sua própria sobrevivência.”

    Você entende o Gênese como literal?
    Em alguns momentos você passa a impressão de ter uma visão panteísta de deus e em seguida dá indícios de criacionismo bíblico.
    Ainda não entendi bem qual é a sua onda.

  34. ss

    a probabilidade para haver uma continuação da vida é a mesma para fazer existi-la, é o mesmo nível de milagre e possibilidade.
    não tenho problemas em lidar com frustrações, porque elas me são bem vindas evitam o tédio e o desinteresse pela vida.
    de fato entendo a vida como sendo um verdadeiro milagre e projeto a continuação da minha existência sem alterações como um passe de mágicas, mas viver acreditando num breve final da da existência é viver sem sentido algum, ou apenas de ilusões passageiras.

  35. Marcos

    Você entende o Gênese como literal?
    Em alguns momentos você passa a impressão de ter uma visão panteísta de deus e em seguida dá indícios de criacionismo bíblico.
    Ainda não entendi bem qual é a sua onda.

    prefiro um mar sem ondas é bom para nadar, repare que eu disse vejamos a moral biblica ou seja, a moral da história.
    A maior parte da biblia são historias para analisarmos a sua moral.
    Não sou religiosos nem crente nem descrente da biblia, apenas acho que algumas passagens servem para ilustrar fatos da vida.

  36. Marcus
    ninguem ainda entendeu qual é a onda do Criaturo!!!
    somos ateus!! —— ele quer crer em algo de qualquer maneira!!
    por isso a confusao!!
    se so existir a possibilidade de haver um unicornio rosa com asas que le mentes e cria galaxias, pode ter certeza que o Criaturo vai nessa!! o importante é acreditar em algo!!! dizer e encher o peito que existe alguma coisa no espaço!!!
    se existir ainda um disgner o que é diferente de deus, sem duvida nemhuma ele esta cagando e andando pra nossa sociedade!!

  37. Quem deixa de acreditar deixa tambem de viver.
    Viver acreditando no final da própria existência é viver sem sentido algum, ou com muito pouco sentido.
    existe:
    rosa
    cavalo
    chifre
    espaço

    Você não consegue imaginar algo inexistente nas suas partes, assim não pode inventar um Deus totalmente inexistente, nas suas partes.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: