Religião e Longevidade [Republicação]

Essa semana, as páginas amarelas da revista Veja trouxeram uma entrevista com um psiquiatra americano, autor de 40 livros que relacionam crença religiosa com saúde, o professor Harold Koenig. Sua apresentação pela jornalista que o entrevistou não poderia ser mais instigante: “nasceu em uma família católica, mas hoje, por influência da mulher, frequenta a igreja protestante”.

Selecionei alguns trechos para comentar, porque eu tenho mesmo uma certa antipatia por pessoas “influenciáveis”, e gosto de externar essa antipatia, mesmo que não possa ser diretamente para a fonte dela.

Perguntado como havia chegado à conclusão de que a religiosidade aumenta a sobrevida das pessoas em até 29%, ele respondeu que “Há uma relação significativa entre frequência da prática religiosa e longevidade. Acredito que o impacto na sobrevida seja até maior, algo em torno de 35%”.

“Acredita”? Aparentemente as conclusões do entrevistado não são baseadas em pesquisas científicas sérias, como a que divulguei no texto O Falso Poder da Oração. Quando você “faz ciência”, você não “acredita” nos dados obtidos: você os calcula.

Outra coisa, na mesma resposta, ele afirmou que “tanto os mandamentos religiosos quanto a vida em comunidade estimulam a boa saúde”. Eu gostaria que ele tivesse dito exatamente a que mandamento(s) ele estaria se referindo. Quando à vida em comunidade, divulguei também outro estudo a respeito em Eis o Mistério da Fé.

Mais à frente na entrevista, ele diz que:

As crenças religiosas precisam influenciar sua vida para que elas influenciem também sua saúde.

Quanto mais uma pessoa fosse influenciada pela sua religião, mais ela deveria acreditar que sua fé seria suficiente para manter sua saúde, ou lhe curar de doenças, e menos procurar assistência médica especializada. Isso não faz parte do mundo em que eu vivo. No mundo em que eu vivo, as pessoas religiosas vão dar depoimentos chorosos em programas de tevê com pilhas de papéis de exames clínicos na mão, que mostram como Deus as curou, através dos seus respectivos planos de saúde…

Quando a entrevistadora quis saber se havia alguma evidência que mostrasse se uma determinada religião teria mais efeitos positivos do que outra, quando se considerava os fatores saúde e longevidade, ele disse que não havia “estudos confiáveis” sobre o tema, e ainda veio com essa:

Um credo cujos benefícios são óbvios no Brasil pode não ter o mesmo efeito positivo sobre as pessoas nos países árabes.

Donde se infere o motivo que o levou a mudar para a religião da esposa: não é o sistema de crenças que importa, mas o fato de você estar “conectado” ao mesmo sistema de crenças das pessoas que o cercam. Não é à toa que sociedades diferentes, em épocas diferentes, inventaram deuses diferentes…

O senhor diz que quem vê Deus como uma entidade distante e punitiva tem menos benefícios para a saúde do que quem o vê como um ser compreensivo e que perdoa. Por quê?

A religião pode virar uma fonte de stress se aumentar o sentimento de culpa ou gerar um mal-estar na pessoa (…). Por isso, acho que faz bastante diferença acreditar em um Deus amoroso e misericordioso.

Donde se conclui que Deus é aquilo que você quer que ele seja.

Falando sobre o comportamento de pacientes em estado terminal, ele diz que aqueles que são religiosos “toleram melhor o processo da morte. Eles acreditam que não é o fim e, por isso, não ficam tão ansiosos. Sabem que vão para um lugar melhor”.

Não, eles não sabem, porque não há como “saber”. Eles têm fé; eles acreditam; eles esperam que seja como sua crença sempre lhes disse que será. E uma coisa que Richard Dawkins disse e que nunca me saiu da cabeça foi que, se esse pensamento tivesse um mínimo fundo de verdade, um mínimo de vínculo com a realidade à nossa volta, seria fácil descobrir, num velório, quais dos presentes seriam ateus e quais seriam os crentes.

Quando a jornalista quis saber o que ele pensava de ateus e agnósticos, o crente que havia nele não aguentou mais ficar escondido por trás do escritor, do professor, do pesquisador, e se revelou em toda sua idiotice:

Apenas uma fração do mundo pode ser explicada pela ciência.

Claro, em tudo mais, você enfia o seu Deus e resolve o problema.

Noventa por cento da população mundial acredita em Deus e, se você faz parte dos 10% que não creem ou não têm certeza, ao menos mantenha a mente aberta.

Eu acho que alguém deve ter dito isso para o primeiro grego que começou a desconfiar que a Terra era redonda. E incrível como o fato de 100% das pessoas não concordar com ele não foi suficiente para mudar a forma do nosso planeta.

Mantenha sua mente aberta pra isso também. 

Anúncios

32 Respostas

  1. É como eu sempre digo: crente quando tenta misturar ciência com Deus, só sai besteira.
    Esse tipo como o entrevistado é pior. O sujeito usa da autoridade de quem tem um pouco mais de conhecimento para convencer incautos das barbaridades que dá na telha falar.

  2. Da hora! Que blog cabuloso meirmão,curti.Bem,como é minha primeira visita aqui,quero tirar logo uma dúvida se Jesus foi o primeiro Hippie no mundo? Fiz essa pergunta para alguns evangélicos e católicos,ficaram putos da vida e xingaram até a minha mãe.

    Pensem bem…

    Ele não trabalhava, tudo bem que ele era carpinteiro, mas depois largou o emprego e não trabalhou mais.

    Ele não cortava o cabelo (pelo menos é como o retratam).

    Ele vivia falando e pregando sobre paz e amor.

    Ele vivia de doações e do que a vida (ou mãe natureza) lhe desse.

    Certo que ele nunca deve ter fumando um baseado, mas que ele bebia vinho isso até a bíblia relata, então me digam… Jesus foi o primeiro hippie no mundo?

  3. Seu fulano:

    Disse Jesus: ! “Veio João que não bebia bebidas fortes e disseram ele tem demônios,Eu vim como e bebo e voces dizem , não passa de um glutão e berrão,mas a sabedoria é justificada por ações e não por palavras frívolas.”

  4. Ah! Temos um hippie na Bíblia, seu nome era João Batista. Marcos, o apostolo de Jesus, o descreveu como o pregador do deserto que “ .. comia gafanhotos e mel silvestre..”. Sou apaixonado por esta descrição “zen” da figura de João, de tão desgarrado ele nem aceitava fundar uma igreja, dizia que era o preparador que anunciava as boas novas.

    Imagine se Jesus vivesse em nossa época, como seriam as manchetes? Elas descreveriam uma figura perturbadora, meio Forrest Gump, cidadão de lugar nenhum, andando por ai à pé com um monte de gente atrás dele. Com certeza, em certo momento a necessidade de preservação da paz pública iria levá-lo a algum tribunal para ser julgado e humilhado publicamente por sua generosidade e presteza; ele ficaria calado e nós omissos e então… O resto da história vocês já sabem…
    Pois é, neste meu mundo imaginário onde Jesus seria um hippie doidão, meio a mistura de Mágico de Oz com Madre Tereza de Calcutá para a maioria, me pergunto: onde os cristãos estariam? Certo mesmo estou que atrás dele nunca. Não somos este tipo de pessoa que segue este tipo de gente.

    \m/

  5. O cara não tomava banho, se drogava, se juntava com a galera e saia falando paz e amor, não é atoa que levou uma boa surra dos PMs(romanos)Jesus era doidão.rs

  6. Seu fulano
    se Jesus voltasse a pregar nos dias de hoje, provavelmente seria acusados pelos religiosos de estar possuído pelo diabo, se repudiasse o dizimo então seria novamente assassinado por eles, existe pessoas que necessitam de uma eternidade para aprender as coisas básicas da vida.
    Eu vejo sabedoria nas palavras de Jesus, quantas as suas , ainda são imaturas.

  7. Criaturo
    Se alguém aparecesse por aí se dizendo Jesus, ia virar superstar. Se um Antônio Conselheiro consegue juntar uma multidão, imagina um Jesus.
    Aí é que a gente ia ver os e as believer do cara botando Justin Bieber no chinelo…hahahahaha!

  8. ss
    Veja Inri cristo ! vai ver que é um ótimo conselheiro.
    mantenha seu bom humor.
    voce não seria do signo de aquário ?

  9. Ô tal de criaturo,se Jesus voltasse nos dias de hoje ele seria um astro Pop,assim como Deus é Punk e o Diabo é o Pai do Rock.

    … Jesus
    Jesus era filho de pais separados. Aquela coisa né, criado pela mãe, colchão e playstation na sala, mas o pai sempre aparecia nos fins de semana. Nasceu dum namoro relâmpago entre o então estudante de engenharia civil e a moça da lanchonete. Quando o moleque foi crescendo, as dificuldades e a precocidade do casal puseram fim à relação.
    Jesus não se parecia com o pai, e pairavam mesmo umas dúvidas por parte dos parentes de José. É que os dois são muito diferentes na fisionomia.
    A mãe nunca foi questionada sobre a paternidade, mas com seu humor peculiar, responderia a questão;

    _ Lógico que é de José, eu era virgem porra, de quem seria o filho, do Espírito Santo?

    Mas José era moreno, e Jesus tinha olhos claros e cabelos loiros.

    Vai saber né…

  10. Agora com 20 anos, Jesus tem uma banda bicho grilo enorme, com uma galera que só quer saber de fumar maconha, beber vinho e tocar violão. Certa vez tomaram tanto ácido, que ficaram 40 dias perambulando pelo deserto, buscando visões e mais visões.
    A namoradinha de Jesus, Mary Lena é daquelas fanzocas de músicos de bandas que não pode ver um cabeludo barbudo, e já pulam no pescoço.
    Jesus curte muito um roqueiro antigo, Abraão, que morreu na década de 70, sufocado pelo próprio vômito, depois de cheirar e tomar todas, no auge da carreira com apenas 270 anos.
    Ainda nem tinham o nome de JC e seu Bando, quando um empresário muito esperto, percebendo o talento e o carisma do grupo, e a possibilidade de sucesso e grana no bolso, pintou na área.

    _ Rapaziada, vocês estão feitos, prontos pra explodir nas paradas, da Babylonia a Jerusalém. Venham comigo que vou fazer vocês grandes. Confiem em mim. Muito prazer, meu nome é Judas Escariotes.

  11. Que blasfêmia meu filho mente vazia oficina de satanás ….. se volte pra Deus e pede perdão por tantas palavras fútil pejorativa e esdrúxulas que você escreveu,blasfemar contra o espirito santo e um pecado abominável que Deus te ilumine porque você e um pobre coitado cego e que precisa da palavra DE DEUS URGENTE………

  12. Seu fulano precisa é de mais juízo.
    pois seu jesus não passa de uma auto projeção, ah! moleque levado , isso explica suas viagens ao mundo fantástico do seu fulano.
    Fio,para com isso que o bagunho ta forte!

  13. não sei porque esse anônimo me lembrou a irmã…xi esqueci o nome,mas a agressividade dela era engraçada de tão tosca. realmente sofremos uma grande perda.

  14. Criaturo

    Esse negócio de signo eu não entendo muito, parece que depende do dia que a pessoa nasce. Sou de primeiro de fevereiro, não sei onde o aquário entra na data.
    O fulano de tal tá inspirado(a) hein?
    Também não lembro o nome da irmã, mas concordo, tão cedo não veremos alguém tão tosco, precisa talento pra ser daquele jeito…grande perda.

  15. ss

    ha..ha…ha..ha…mas um, tô me tornando um especialista em intuir signos, apenas observando traços marcantes da personalidade

    AQUÁRIO (21 de janeiro a 19 de fevereiro)
    Regente: Urano
    Elemento: ar
    Dia de sorte: sábado
    Signo oposto e complementar: leão

    Aquário é um signo progressista, vanguardista, pois é regido por Urano, planeta das mudanças súbitas, da inovação de pensamento. Signo que representa o futuro, as reformas sociais e tudo o que é alternativo. Aquarianos valorizam a liberdade, a independência, a amizade e a fraternidade. Têm como missão a abertura de mentalidade. São imprevisíveis, idealistas e criativos.
    Características: inventividade, originalidade, intuição, visão larga, sem preconceitos, humanitarismo, afeto impessoal, desejo de mudança, rebeldia, excentricidade, nervosismo. As telecomunicações, a tecnologia, as invenções, os ideais humanitários, a inovação, os grupos, e a própria astrologia possuem afinidade com a energia aquariana.

    A tal irmã , cortou me o coração, nos privando da sua “graça”, gostaria de lembrar em qual tópico ela participou,vale a pena rir de novo a sátira do Alyson possuído ficou muito engraçado he..he…he..he

  16. Aquarianos valorizam a liberdade, a independência, a amizade e a fraternidade.

    Todo o resto da humanidade que nasceu sob os outros 11 signos do zodíaco NÃO valoriza a liberdade, a independência, a amizade e a fraternidade.

    Astrologia faz sentido.

  17. o que voce entende como: traços de personalidades marcantes ?

  18. podemos estudar para descobrirmos, a inveja acentua-se mais a personalidade de quais signios

  19. alem do mais deixem que falem por si mesmos

  20. muito bom o comentario do fulano de tal!!! srrsrsrsrsrsrsrrs

    o ultimo paragrafo do texto do barros diz tudo, otimo Barros otra vez vc foi bem!! thanks pelo texto

  21. A Revista Superinteressante de novembro/2013 tem como matéria principal o tema sobre a influência da fé sobre as pessoas, tornando-as mais felizes e trás escrito na capa o seguinte título: “FÉ FAZ BEM” divulgando um estudo científico onde mostra que não é somente a fé em Deus que leva necessariamente as pessoas a serem mais felizes. “Você pode dar algo importante da vida um status sagrado, mesmo sem acreditar em Deus” e continua: “a fé e a religião são coisas diferentes, é algo pessoal, ligado à espiritualidade, à busca para compreender as respostas as grandes questões sobre a vida, o Universo e tudo mais. Isso pode ou não levar a rituais religiosos”. A questão é como trabalhar sua fé. Cientistas garantem que basta ter uma forte crença em algo – e nem precisa ser uma divindade ou força superior. Pode ser qualquer coisa realmente importante para a pessoa que ela terá o mesmo efeito de uma fé em algo sobrenatural.
    Li em um site uma postagem em que o autor cita a matéria da revista classificando todos os itens sobre a necessidade de ter sua fé apoiada em Deus ou demais crenças religiosas omitindo a conclusão de tal estudo científico.

    Em outro site, por sinal católico “Apologética Católica”, encontrei também citações da mesma matéria da revista, porém o autor desonestamente saltou a conclusão científica do estudo sobre a fé para puxar a brasa para sua sardinha –

    http://catolicismo.yolasite.com/164.php

    Sendo que, como texto chamativo na capa da revista podemos ler a introdução da matéria com os seguintes dizeres: “A ciência se curvou aos fatos: dezenas de estudos mostram que fiéis são mais felizes, vivem mais e são mais agradáveis. Mas também não há dúvidas de que é possível reproduzir esses efeitos em teus e pessoas sem religião”.

  22. Assim começou a carreira de Jesus.
    Seu primeiro hit foi “Eu sou o caminho
    … O Papa
    O Papa fazia um som pop mela-cueca, bem fácil, participava de programas de auditório e cantava no playback. Saía na capa das revistas da moda, e comia as dondocas de TV. Fazia campanhas publicitárias milionárias e vendia sua imagem de bom mocinho.
    A banda do Papa teve um outro vocalista, até um tempo atrás, o bom e velho Jonhy Paul, muito adorado pelos fãs. Quando ele morreu foi uma via crucis ao seu enterro, e ainda hoje os fãs se dividem entre a obra do antigo e do novo vocalista.
    Mas a gravadora esperta, numa fantástica jogada de marketing, não querendo perder a galinha dos ovos de ouro e os dólares no bolso, lançou um concurso em um programa de TV dominical, para escolher o substituto. Pela Internet a votação bateu recorde de acesso, e foi fechado na figura de Chick Bent, um descendente de alemães de olhinhos azuis, e esperto na dança da pélvis.
    Em algumas biografias não autorizadas, autores afirmam que Jonhy Paul foi morto pela CIA, assim como Kennedy, Morisson, Lennon e Abelardo Barbosa, o Chacrinha.
    … Deus
    Deus vivia no ABC Paulista e mesmo já bem coroa, ainda ostentava nas ruas a moda punk, coturno, camisetas rasgadas, alfinetes nos mamilos e um moicano meio ralo. Não perdia a oportunidade de dizer, com a propriedade que só ele tinha;

    _ It’s no future. Deus not’s dead.

  23. … O Diabo
    O Diabo gerenciava uma boate barra pesada, o Hell’s Club, e dizia ter sido amicíssimo de Elvis, em sua fase final, gorducho e entupido de pílulas. Quando o Rei morreu, sentadão na privada foi o Diabo que puxou a descarga.
    Suas preferências musicais e influências vinham do blues e do Rock dos anos 50 e 60; Robert Johnson, Muddy Waters, Carl Perkins, Stones, Cream e toda essa turma. Sua indumentária básica incluía quase sempre, brilhantina e jaqueta de couro. As melhores bandas, tanto as já estabelecidas, quanto as iniciantes passavam pelos palcos do Hell’s, e tanto Jesus, quanto Deus eram figuras fáceis nas festas.
    O Papa pintava às vezes, mas diferente de Deus, que cuspia no chão ao entrar, este já fazia um disfarçado sinal da cruz.
    Carolinha dizia o Diabo, fumando um cachimbo legalizado.
    Entre os ilustres freqüentadores do Hell’s Club, circulavam, Keith Richards e o Rabino Henry Sobell, que como vários outros, bebiam de graça.
    Suas alminhas já haviam pago os tragos.

    Afirmava ainda, orgulhoso, ter inspirado uma das melhores músicas do Sex Pistols, mesmo nunca tendo conhecido pessoalmente a Rainha.

    ###########

  24. VOCES Não SABEM O QUE DIZEM. JESUS É BOM E MISERICORDIOSO. ELE ENTREGOU SUA VIDA PARA NOS SALVAR. PRESTEM ATENÇÃO NO QUE VOCÊS FALAM. JESUS AMA VOCÊ.!

  25. Irmão,Igor henrique

    Ele não veio para, de alguma forma, melhorar o mundo, ou fazer alguma coisa útil pela humanidade?
    Sempre que são questionados nesse sentido, os religiosos dizem “Sim, ele veio para melhorar o mundo. O problema é o homem, com sua maldade, e Deus não interfere no livre-arbítrio, mi mi mi…”.
    Então tá, é o mesmo que eu chegar em uma mineradora, e dizer que consigo remover sozinho uma grande pedra que atrapalha o trabalho deles. Aí eu tento, obviamente não consigo, mas digo “O problema, meus irmãos, é a força peso, que insiste em não colaborar com nosso trabalho. Mas eu não interfiro no livre-arbítrio da força-peso, e esperemos que ela sozinha se converta a mim e saia do lugar…”.

  26. Sr. Igornorante!! Salvar do que?! do circo que ele mesmo armou?!
    Isso é coisa de malandro, arma a arapuca e depois chega junto pra dizer agora voce me deve.

  27. As viagens de seu fulano continuam………um verdadeiro poeta religioso.

  28. Existe um pouco de verdade no “estudo” do “pesquisador”. Quando se é ateu ou agnóstico fica difícil não se estressar com as asneiras ditas por um crente ou pseudo. Sendo assim a expectativa de vida de um crente/pseudo seria maior do que o de um ateu/agnóstico pois o primeiro concorda com todas as besteiras ditas por seus pares em quanto o segundo se estressa tentando (em vão) corrigi-los e abrir-lhes os olhos.

  29. Caros,

    Para quem quiser baixar a emprevista em PDF, é só acessar aqui: http://issuu.com/nannirios/docs/koenig_amarelas

  30. Tem razao Victor
    as vezes viver iludido faz bem!! srsrsrrsrsrsrs

  31. O pior de tudo é ver que pessoas com esse pensamento estão conseguindo se tornar profissionais que exercem grande influência sobre a mente das pessoas, como professores e psiquiatras… Pesquisador crente? Deve fazer pesquisa do tipo Data Folha, de satisfação dos crentes com o “deus todo misericordioso e bondoso”… É a velha história do Biólogo criacionista… Blergh!

  32. Renata,

    O pior mesmo é quando a religião dá as cartas na política.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: