A moral prostituída do cristianismo (Pt. 1)

Esse foi um dos melhores vídeos que já vi no YouTube. Serve para ilustrar o maior de todos os males que a Religião causa à humanidade: obrigar a cada um a rejeitar o seu próprio raciocínio, desconsiderar a própria inteligência, ignorar o próprio bom-senso, em nome da perpetuação de um sonho tolo, prejudicial, e completamente desnecessário.

Você pode se sentir tentado a achar o vídeo comprido demais e ter preguiça de vê-lo até o fim. Quando isso acontecer, basta lembrar que é justamente por conta desse tipo de sedentarismo intelectual que a ideia de Deus é tão atraente: ela “responde” a tudo bem rapidinho, ao mesmo tempo que desobriga as pessoas de refletirem sobre seus próprios atos e sobre suas próprias vidas.

Anúncios

28 Respostas

  1. O vídeo legendado foi bloqueado no YouTube por conta de política de direitos autorais, mas, nesse link antigo que eu tinha publicado no blog há algum tempo, ainda dá pra assistir com as legendas.

  2. Oi Barros!
    como vc está?
    então, não tem legenda :(

  3. Oi, Dri. Eu editei meu comentário acima. Primeiro eu tinha escrito que o vídeo legendado havia sido bloqueado, mas percebi que as legendas estão presentes nessa página do blog, embora no link original para o YouTube apareça aquela mensagem de conteúdo removido. Eu aqui consigo rodar o vídeo com as legendas.

  4. hehehe agora consegui! tinha uma configuração ocultando a legenda, legal! obrigada!

  5. Barros

    Estou adorando o vídeo e já vi 16 minutos dele. Vou arquivar o endereço nos meus preferidos para terminar porque quero ver mais vezes. Obrigada.
    É uma aula sobre a “verdadeira moralidade” e por ai vai.
    Aqui um trecho do início da palestra.

    Que o ser humano já nasce com noções de ética e moral porque o que trás sofrimento é imoral, visto e esses padrões de moral são bem maiores que Deus o que significa que ele é apenas um mensageiro. Que não precisamos de Deus para ditar regras morais.

  6. Ana, eu já vi umas 4 vezes, e vou transcrever a legenda por via das dúvidas, porque o YT talvez apague ele, por causa da violação de alguma cláusula da política de direitos autorais.

  7. Seria muito bem mesmo e, quando tiver feito a transcrição da legenda gostaria de receber uma cópia, pode ser?

  8. Religião,há milênios decidindo quem você é,o que deve pensar,o que dizer,o que fazer,a quem aplaudir e a quem odiar.

    YHVH (que é o tetragrama hebraico que representa o nome do deus Abraâmico) surge do nada, supor poderoso, inteligente e tudo mais, aí resolve criar o universo e aí pega um monte de barro e cria o homem, e dá vida com um sopro
    1) ele cria tudo do nada, mas pra fazer o homem precisa de barro?
    2) se deus assopra, ele tem pulmão. Se tem pulmão, seria ele físico? Mas se ele for físico, não pode ser onisciente, onipresente, e nem onipotente.
    3) Não existe barro em nosso DNA.
    4) A expansão do universo é contínua e funcona com base de assentamento de sistemas caóticos, e isso inviabiliza uma criação direta como diz a bíblia.

    Ok, então esse deus cria uma árvore “do conhecimento de bem e mal”, e diz pro homem barro e pra mulher costela “olha, não comam dessa fruto, senão vocês morrem”, e então vem uma COBRA FALANTE e diz “olha, ele mentiu, vocês não vão morrer”. E deus fica putinho e castiga todo mundo, inclusive os descendentes do homem barro e da mulher costela.
    1) Se eles não morreram, deus mentiu e a cobra falou a verdade.
    2) Esse deus quando criou tudo já sabia que seria assim??
    2a) Sabia – então ele é psicopata e criou todo mundo já pra errar e então ele se divertir castigando. Então seu deus é sádico.
    2b) Não sabia – então seu deus não é onisciente, nem onipotente.

    Aí ok, deus expulsa o homem e a mulher do paraíso, e deixa os filhos deles condenados pelo “crime” dos pais.
    1) Se seu pai matar alguém, você deve ser preso junto?

    Beleza, os filhos de Adão e Eva trepam um monte entre si, na maior suruba incestuosa e povoam o planeta. Aí muito tempo depois, esse deus se arrepende e resolve matar todo mundo num dilúvio
    1) Ele mata crianças inocentes. Crianças não tem como pecar, pois são inocentes, então esse deus é mau
    2) Deus sabia quando criou que tudo seria assim?? (olha, de novo!!)
    2a) Sabia – então ele é psicopata e criou todo mundo já pra errar e então ele se divertir castigando. Então seu deus é sádico.
    2b) Não sabia – então seu deus não é onisciente, nem onipotente.
    3) Se deus é poderoso, ele poderia simplesmente anular o que ele mesmo fez de criar o homem, já que ele estaria acima do conceito espaço-tempo. Ao afogar animais, ele demonstra ser sádico.

    Depois os descendentes de Noé trepam loucamente entre si, na maior suruba incestuosa (deus gosta disso, né?) e repovoam a terra, beleza, legal. Aí tudo continua na mesma putaria (e deus não previu de novo?? que burro!!), até que esse deus resolve “nos salvar”. Mas nos salvar do que? Da própria burrice dele?? Aí ele se faz homem, uau, e se ofece em sacrifício.
    1) Se Jesus também é deus, e sacrificios são homenagens ou apologias à deuses, então ele se sacrificou para si mesmo. Masturbação mental. Egolatria.
    2) Se ele fez isso e não voltamos ao Éden, e o mal persiste, então ele falhou. Miseravelmente.
    3) Se ao invés de lugar contra a misoginia e a escravidão, ele fez truques de mágica barata, ele é só um retardado.

    Fora que seu deus foi criado em 600 AC, derivado de El Elyon (ou simplesmente El), Baal e Asherah (que permaneceu no culto hebreu inicial como ESPOSA de YHVH, mas depois foi suprimida para validação de um sistema exclusivamente patriarcal) – mas ainda encontramos algumas referências a ela em Jeremias

    “Mas certamente cumpriremos toda a palavra que saiu da nossa boca, queimando incenso à rainha dos céus, e oferecendo-lhe libações, como nós e nossos pais, nossos reis e nossos príncipes, temos feito, nas cidades de Judá, e nas ruas de Jerusalém; e então tínhamos fartura de pão, e andávamos alegres, e não víamos mal algum.
    Mas desde que cessamos de queimar incenso à rainha dos céus, e de lhe oferecer libações, tivemos falta de tudo, e fomos consumidos pela espada e pela fome.
    E quando nós queimávamos incenso à rainha dos céus, e lhe oferecíamos libações, acaso lhe fizemos bolos, para a adorar, e oferecemos-lhe libações sem nossos maridos?”
    Jeremias 44:17-19

    E o pentateuco de sua bíblia, nada mais é do que PLÁGIO da Epopéia de Gilgamesh e da Enuma Elish. Ah sim, e copiando as leis do código de Hamurabi.

  9. Hesitei em ver o vídeo, pensei, será que esse rapazinho com cara de menudo vai falar algo mais profundo que Santo Agostinho, São Tomaz de Aquino e tantos outros filósofos que escreveram sobre moralidade nos ultimos 2 mil anos? Mas pensei: não julgue pelas aparências, vou dar um voto de confiança ao Barros e …. me ferrei.

    Esse é o problema da internet e dos dias de hoje, quarqué Zé Mané dá uma de filósofo em blog, quarqué Zé Mané faz um penteado a la Ace Ventura e grava um vídeo pensando estar arrasando, reinventando a roda…

    No final, não consigo extrair muito mais que a sua definição de moral de fazer o bem e evitar o mal (muito profundo) e no final, para fechar com chave de ouro “moralidade é a ciência da busca do bem-estar”, o menino é um hedonista. Não dá nem para começar a comparar com a moral cristã que valoriza a doação de sí próprio e o auto-controle aos prazeres efêmeros da vida material. É agua e vinho.

  10. André Lopes:

    Explique-nos, por obséquio, por que a moral do deus bíblico “imutável” é tão volúvel, tão relativa?

    No Antigo testamento era moralmente correto afogar quase todos os seres vivos da Terra.
    Era moralmente permitido ao povo escolhido, trucidar comunidades consideradas inimigas, fazendo passar pelo fio da espada todos, mulheres, crianças e animais.
    Era moralmente aceitável matar trabalhadores sabatinais.
    Era moralmente aceitável apedrejar até a morte uma adultera.
    Era moralmente aceitável escravizar outras tribos.
    Era moralmente aceitável trucidar crianças travessas que perturbavam
    profetas carecas.
    Etc e etc.

    E eis que de repente o deus “imutável” fica manso no Novo Testamento.
    Vem com aquele papo de ” amai aos vossos inimigos como a si mesmo”, ” dar a outra face”, enfim, vira um cordeirinho de bondade.
    (Se bem que ele travestido de cordeiro tem um ou outro ataque de pelancas e mostra as garras antigas.)

    Agora me diga:
    Devemos nós, pobres criaturas, obedecer a moral do A.T. ou do N.T.?
    Devemos obedecer ao deus dos exércitos dos hebreus ou ao deus da cruz romana?

    Ou devemos crer que nossa base moral foi construída ao longo de milênios de convívio social e que pode ainda ser muito melhorada para o bem de todos?

    Como o Santo Agostinho, São Tomás de Aquino e tantos outros filósofos que escreveram sobre moralidade nos últimos 2 mil anos conseguiram explicar essa relatividade toda?

  11. Marcio

    (Se bem que ele travestido de cordeiro tem um ou outro ataque de pelancas e mostra as garras antigas.)

    justifique!

  12. MAF:

    Eu não sou teólogo para explicar o velho testamento, como leigo, também acho que tem passagens que questiono, como os que envolvem matar pessoas, etc. Se eu pudesse, eu ficaria somente com o novo testamento, mas não cabe a mim.

    Sei que ateus tem uma obsessão por falar de velho testamento por ser um livro de dificil justificativa, e ateus também tem uma obsessão por NÃO falar da sua ideologia atéia, pelo mesmo motivo.

    De qualquer forma, eu discordo do menudo do vídeo que disse que se Deus matou, então ou matar é certo ou Deus está errado. É fácil entender que quem deu a vida tem o direito de tirá-la. Deus não é obrigado a seguir os mesmos preceitos morais nossos.

    O que os ateus têm que entender, é que seria mais honesto convencer as pessoas que o ateísmo é o correto, e não gastar TODA a sua energia tentando provar que o cristianismo está errado. Ateus parecem políticos que só fazem campanha na base do ‘vote em mim por que o outro é ladrão”. Cadê a proposta?

  13. Quando assisti o vídeo pensei: por mais que esse rapaz se esforce, e ele é muito bom, se a intenção é dialogar com quem está disposto a pensar, ótimo.
    Se a intenção é se dirigir a quem vive no cercadinho e gosta de viver nele, está pregando no deserto.
    A moral cristã é corrompida na essẽncia, porque se apoia em mentiras. Quem vive no cercadinho faz qualquer contorcionismo mental para justificar o cristianismo.

  14. André Lopes:

    Eu não sou teólogo para explicar o velho testamento, como leigo, também acho que tem passagens que questiono, como os que envolvem matar pessoas, etc. Se eu pudesse, eu ficaria somente com o novo testamento, mas não cabe a mim.

    Cabe sim á você discernir o que é correto ou não pra sua vida pessoal.
    Você naturalmente sabe identificar disparates violentos e ilógicos mesmo vindos de escritos declarados “sagrados”.
    Não há exegese e hermenêutica que consigam transformar o A.T. num mar de rosas moralmente bom.

    Sei que ateus tem uma obsessão por falar de velho testamento por ser um livro de dificil justificativa, e ateus também tem uma obsessão por NÃO falar da sua ideologia atéia, pelo mesmo motivo.

    Desconstruir a moral torta da religião dominante é um recurso lógico que derruba a concepção do deus preconizado por ela.
    No fim das contas a religião com seu deus pessoal e toda implicação moral não passa de criação humana, que justo por isso deve estar sujeita à questionamentos pertinentes.
    A alcunha de “divino” serviria tão somente para tentar manter o dogma imutável, servindo à interesses escusos.

    De qualquer forma, eu discordo do menudo do vídeo que disse que se Deus matou, então ou matar é certo ou Deus está errado. É fácil entender que quem deu a vida tem o direito de tirá-la. Deus não é obrigado a seguir os mesmos preceitos morais nossos.

    Acontece que se definiram o mentor divino de bondoso, justo e capaz de ações ilimitadas, tudo o que se originar dele deveria ser de acordo com aqueles atributos. Principalmente as regras morais.
    Por exemplo: bondade não combina com matanças, nenhuma sequer, ainda mais se o sujeito tem poderes ilimitados para resolver as querelas humanas de “n” formas que não envolvesse violência. Já que no A.T. ele parecia disposto a sempre se envolver nas questões humanas.
    Lógico, um deus pode fazer o que bem quiser. Ele pode ser amoral como o próprio Universo é.

    O que os ateus têm que entender, é que seria mais honesto convencer as pessoas que o ateísmo é o correto, e não gastar TODA a sua energia tentando provar que o cristianismo está errado. Ateus parecem políticos que só fazem campanha na base do ‘vote em mim por que o outro é ladrão”. Cadê a proposta?

    Já discutimos sobre isso e eu creio que você entendeu o ponto.
    Ou faz que não entendeu.
    As regras morais são sempre humanas, não importando a ligação que se faça delas com quaisquer seres divinos, com quaisquer dogmas religiosos ou políticos.
    Devemos entende-las e aprimora-las enquanto seres sociais que somos, para o bem da nossa espécie.

    Abraços!

  15. SS

    A moral cristã é corrompida na essẽncia, porque se apoia em mentiras. Quem vive no cercadinho faz qualquer contorcionismo mental para justificar o cristianismo.

    justifique!

  16. MAF:

    Não há que se falar em moral no ateísmo. Já que vocês querem manter a doutrina atéia em segrego para não assustar os que estão em namoro com a doubrina, deixa então que eu explico:

    Para o ateísmo o universo é fruto de uma coincidência cósmica, não há um fim na natureza, tudo é uma questão de reações químicas e fenômenos físicos aos quais não há livre arbítrio, o seu pensamento não é seu, nem o meu. O Stephen Hawkings, ateu declarado, entende assim, não existe livre arbítrio, o que estou escrevendo agora já seria previsível se uma pessoa entendesse de todas as leis físicas e químicas do universo, não coube a mim decidir se deveria responder a tí. Somos todos robôs. Esse é o mundo maravilhoso dos ateus. É por isso que ateu prefere falar mal do VT a discutir o que eu disse acima.

  17. André Lopes:

    Para o ateísmo o universo é fruto de uma coincidência cósmica, não há um fim na natureza, tudo é uma questão de reações químicas e fenômenos físicos aos quais não há livre arbítrio, o seu pensamento não é seu, nem o meu. O Stephen Hawkings, ateu declarado, entende assim, não existe livre arbítrio, o que estou escrevendo agora já seria previsível se uma pessoa entendesse de todas as leis físicas e químicas do universo, não coube a mim decidir se deveria responder a tí. Somos todos robôs. Esse é o mundo maravilhoso dos ateus. É por isso que ateu prefere falar mal do VT a discutir o que eu disse acima.

    Não é o ateísmo que diz isso, é a ciência, baseada naquilo que ela pôde observar até agora.
    Não faz sentido inventar para além do que se sabe fora do contexto do que já se sabe.
    Por hora, nada indica que algum desses deuses cantados pelos diversos povos seja real. Cientificamente não.
    Talvez filosoficamente haja uma ou outra boa hipótese.
    Mas filosofia é um tanto quanto escorregadia quando não se ancora na realidade.
    Aliás, na minha modestíssima opinião, a Teologia é aquele pedacinho da filosofia com implicações
    Essa seara da consciência humana é altamente complexa pra se deduzir que somos meros robôs somente analisando os processos que ocorrem num neurônio. Evidentemente não é só isso.

    Quanto ao V.T., ele por si só já se encarrega de ”falar” mal de si mesmo.

  18. Se eu pudesse, eu ficaria somente com o novo testamento, mas não cabe a mim.

    Quando um indivíduo admite que não cabe a ele escolher seus próprios valores morais, temos o exemplo definitivo de escravidão, irracionalidade e estupidez.
    Se bem que, em alguns casos, abrir mão do próprio raciocínio não implica em perda significativa.

    ateus também tem uma obsessão por NÃO falar da sua ideologia atéia, pelo mesmo motivo.

    Idade superior a 6 anos e saúde mental mediana. São os dois únicos requisitos para perceber que não há o que falar sobre do interior de um pastel de vento.

    eu discordo do menudo do vídeo que disse que se Deus matou, então ou matar é certo ou Deus está errado. É fácil entender que quem deu a vida tem o direito de tirá-la.

    Reafirmação de escravidão.
    Deus matando é certo, mas qualquer outra pessoa matando é errado. É moralmente correto deus ter direitos absolutos sobre sua vida porque ela é propriedade dele, ou seja, ele é seu dono.

    Deus não é obrigado a seguir os mesmos preceitos morais nossos.

    Interessante comentário.
    Quando muitas das barbáries cometidas ou ordenadas por deus no antigo testamento são evidenciadas, sempre aparece quem diga: “Mas aqueles eram outros tempos e outra cultura. Temos que considerar que naquele tempo estas coisas não eram erradas, elas faziam parte da cultura da época”.

    Ora, se a moral daquela época era errada e se deus não é obrigado a seguir os preceitos morais humanos, então ele não precisaria se submeter à “cultura da época” para orientar seu povo e demonstrar seu padrão moral absoluto.

  19. MAF:

    Pelo que entendi você confirmou que o ateísmo é o que eu disse que era, porém completou dizendo que é a ciência que diz isso. Só queria deixar claro que portanto, para o ateísmo, não tem cabimento falar em moral, em ‘dever ser’, somente no ‘ser’ natural, tudo é o que é, sem cabimento referir-se ao certo e ao errado. Sigamos simplesmente nossos impulsos, não somos responsáveis pelos nossos atos, afinal, não há vontade própria, há somente a força irresistível da física e da química que gera tudo que vemos e fazemos no mundo. Esse cenário me parece catastrófico para o desenvolvimento do ser humano, aliás só falo em desenvolvimento do ser humano por que acredito em livre arbítrio e não sou ateu.

  20. Marcos:

    O MAF pelo menos demonstra interesse em debater idéias, mas você já está recalcado pelo resultado de nossos antigos debates, já quer ir para o lado pessoal. Quem sabe um dia você me acerte.

    Se um dia você resolver sair da toca e falar do ateísmo, talvez eu volte a debater com você. Mas no momento não me sinto estimulado,

    Idade superior a 6 anos e saúde mental mediana. São os dois únicos requisitos para perceber que não há o que falar sobre do interior de um pastel de vento.

    Pronto, se nas suas próprias palavras não há o que falar, é por que você não entende nada, e portanto, eu prefiro gastar o meu precioso tempo com alguém que entende.

  21. André Lopes:

    Pelo que entendi você confirmou que o ateísmo é o que eu disse que era, porém completou dizendo que é a ciência que diz isso.

    Ateísmo é um pastel de vento, lembra?
    Veja que pode haver ateus que sequer entendam ou acreditam na ciência estabelecida.
    A ciência da física e química, se preocupam em saber como a coisa funciona sem fazer juízo de valores.
    Isso que eu quis dizer.

    Só queria deixar claro que portanto, para o ateísmo, não tem cabimento falar em moral, em ‘dever ser’, somente no ‘ser’ natural, tudo é o que é, sem cabimento referir-se ao certo e ao errado.

    Ateísmo não diz nada, lembra?
    Acha você que as ciências exatas podem tratar das questões emocionais humanas?
    Aí você liga ateísmo às exatas para desmerecer tais ciências, ou o ateísmo, assim me parece.
    Você criou um espantalho e vem insistentemente se utilizando dele.

    Ora, mas nós temos a parte da ciência e filosofia que trata sim das questões emocionais e sociais humanas.
    Elas tentam desembrulhar esse embrolho com deus ou sem no meio.

    Sigamos simplesmente nossos impulsos, não somos responsáveis pelos nossos atos, afinal, não há vontade própria, há somente a força irresistível da física e da química que gera tudo que vemos e fazemos no mundo. Esse cenário me parece catastrófico para o desenvolvimento do ser humano, aliás só falo em desenvolvimento do ser humano por que acredito em livre arbítrio e não sou ateu.

    Veja que na maioria das vezes a gente age por impulso sem se dar conta, há boas rezões naturais para isso. Veja também que nem todas essas ações são necessariamente ruins.
    Lógico que há vontade própria, entretanto isso também não garante só boas ações.
    Só que isso não isenta ninguém de responsabilidades perante seus pares.
    Não é tão simples assim André, a força irresistível da física e química gera aquilo que somos e o meio onde somos.
    E naquilo que somos está incluído um monte de coisas concretas e abstratas que regem nossa vida por meio de escolhas e consensos sociais.
    Somos um misto de impulsos instintivos e vontades, e dentro de uma certa gama de opções impostas por nossas limitações podemos fazer escolhas, sensatas ou não.

  22. André, em resumo seu ponto é:
    ”Só com um deus é possível haver noções de moral e ética no ser humano”.

    O deus no caso é o bíblico.

    Agora, com os maus exemplos violentos que há no A.T. , de ”inspiração divina”, como é possível ter-se um ótimo alicerce moral e ético?

    Como um ser que afoga quase todos os seres vivos, por puro arrependimento, poderia ser a base moral dos humanos?

    Não lhe parece então que tudo aquilo que se instituiu até hoje como sendo noções de moral e ética, seja divina ou não, é tão somente criação humana?

  23. É incrível como os crentes analisam tudo através das bases de sua própria crença. Dizer que ateísmo é ideologia, que louvamos o nada (como já vi em uma “tirinha” cristã), é de uma infantilidade preocupante. Estranho achar que livre arbítrio é seguir o que um deus supostamente ordenou através de pessoas de tribos antigas, mas se não existe um deus para agradar, você não tem livre arbítrio. (???)

  24. você já está recalcado pelo resultado de nossos antigos debates

    Vejo que ainda não tratou seu problema de Alzheimer.

    Mas no momento não me sinto estimulado

    Não há nada que possa estimular alguém com morte cerebral.

    eu prefiro gastar o meu precioso tempo com alguém que entende

    Quem? Seu terapeuta ou o seu padre?

  25. Arnaldo

    É incrível como os crentes analisam tudo através das bases de sua própria crença. Dizer que ateísmo é ideologia, que louvamos o nada

    creem na inexistência da consciência

  26. Gente…voces estao confundindo as coisas…Nós pregamos do mesmo Deus que outras religioes pregam… a diferença é que nós buscamos agir direitinho ao pé da letra o q a Biblia fala…Nos, adventistas do setimo dia, nao temos interesse algum em ser arrogantes, mentirosos e muito menos fanáticos..na verdade se vcs acham errado o fato de apontarmos os erros dos outros entao pq fundaram esse site? estao fazendo a msma coisa.. o nosso Deus eh o msm..porém os princípios que regem cada igreja eh que sao diferentes.. além do mais somos SERES HUMANOS e por mais que tentemos seguir a Biblia somos dignos de erro.. Voces devem estar na igreja por Deus e nao pelos membros..lembrem-se sempre disso..eu nao to querendo criticar ninguem..mas a salvaçao eh importante demais pra eu ler coisas como essas e nao dizer pra vcs que DEUS É QUEM IMPORTA.. se o amarmos de coracao faremos naturalmente, sem sentir nenhuma dificuldade, TUDO o que ele pediu…e esse tudo que Ele pediu é tao pouco em relação ao que Ele nos deu.. Pensem um pouco nisso.. fiquem com Deus!!!

  27. E o que ele nos deu Anônimo?!

  28. […] A moral prostituída do cristianismo (Parte 1) […]

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: