Deus é uma ilusão [Republicação]

Are you real?

— VOCÊ É REAL?

Dei ao meu blog o nome de Deusilusão porque “Deus é uma ilusão”. Os crentes, entretanto, não leem dessa forma. Eles entendem que eu me tornei ateu porque tive alguma “desilusão” com Deus. Algo como se eu tivesse pedido ao meu pai terreno um BMW de presente de Natal e, não sendo atendido, deixasse de falar com ele. Claro que isso é tudo o que eles podem fazer, visto que seu raciocínio envolvendo assuntos celestes é apenas uma imitação ridícula das coisas mundanas.   

A minha proposição sempre foi a de que Deus, assim como fadas, duendes e vampiros, é um produto da imaginação humana. O que eu me acostumei a colecionar como argumentos contrários a essa minha constatação só vieram a reforçá-la, uma vez que tais argumentos também são ilusórios, frutos da ignorância, superstição, comodismo, medo e, muitas vezes, doença mental mesmo, resultado de décadas de exposição sem trégua a um confronto interior entre um conjunto de alegações que um religioso precisa, obrigatoriamente, assumir como sendo verdadeiras e úteis, mas que se revelam, ao longo de sua vida, falhas, contraditórias, inúteis e sem sentido. 

O que o crente me diz quando eu lhe questiono sobre os motivos que ele tem para acreditar que Deus existe mesmo, não sendo apenas um personagem de uma coletânea de estórias inventadas? Ora, ele me diz que os motivos são a sua fé, a Bíblia, os milagres, a resposta a orações, experiências pessoais, a própria existência de tudo, a crença compartilhada — ou seja, praticamente todo mundo acredita num Criador — e por aí afora. Tudo isso serve de evidência para ele de que existe, não apenas “um deus”, mas o Deus dele! 

O problema é que isso tudo só prova que existe o crente, e que ele tem um cérebro que está se comportando de acordo com a doutrinação religiosa que recebeu, que foi exatamente o treinamento que ele teve para associar essas experiências internas a uma fonte externa real. E basta analisar uma a uma dessas alegações, como passo a fazer, para perceber o jogo de espelhos que faz o crente se encantar com a mágica da existência de um ser supremo que ele quer que exista, personificado numa criatura cósmica, mistura de Gasparzinho, Super-Homem e Papai Noel.

Amigo crente, sua fé, por si, e nada é a mesma coisa. A fé que uma pessoa tem, seja no que for, só serve pra ela mesma.

Sua Bíblia é uma coletânea de escritos fantasiosos a que você chamaria de mitos, se não fossem os mitos nos quais cresceu acreditando ser verdades incontestáveis. Eu, por exemplo, tenho a coleção completa das aventuras de Sherlock Holmes, e nem por isso saio por aí dizendo pras pessoas que Sherlock Holmes existiu.

Os milagres bíblicos não contam, porque eles estão confinados às páginas da Bíblia, assim como as fadas estão confinadas aos contos de fadas. Os milagres que a gente ouve falar são todos relacionados a “curas” de doenças, ou a “recuperação” de pessoas das drogas, do alcoolismo, da vida promíscua, de um coma, etc. Isso quando não se diz assim: Fulano sofreu um acidente terrível, ficou em coma quase um ano, passou por dezoito cirurgias, mas escapou graças a um milagre de Deus. Ou seja: além da sua fé em Deus e do pagamento do dízimo, você ainda vai precisar de um bom plano de saúde.

Os demais milagres — como imagens de santa chorando sangue, aparições de santa para crianças ou em vidraças, etc. — são tudo fraude, enganação, embuste, mitologia, quando não mentira pura e simples mesmo, que os crentes sempre estão dispostos a louvar, mesmo sem ter o trabalho de averiguar a coisa melhor.

E o atendimento às suas preces? Deus só responde suas orações se você considerar o silêncio como um tipo de resposta. E você sabe tanto disso que jamais se permitiria “checar” esse único quesito, dentre os quais eu listei, que poderia ser checado. Você vai dar uma desculpa para não fazer isso, e vai ficar extremamente satisfeito por não poder ser desmascarado.

Experiências pessoais. Eu pergunto: se eu tomar um porre, quem fica bêbado, eu ou você? Eu? Ótimo. Então guarde suas experiências pessoais para a fila dos testemunhos nos cultos de domingo, porque elas não valem nada aqui.

A própria existência de tudo. Nesse caso, você está usando como argumento em defesa da tese da existência de Deus a mesma coisa que foi usada para “inventar” Deus. Aí, já viu, né? Sem condições!

As pessoas tendem a acreditar que existe um Criador… Aqui eu concluo dizendo que, tanto isso quanto tudo o mais que eu citei acima, só serve para evidenciar que o crente existe e que tem um cérebro. Se ele chama ao próprio cérebro de Deus, aí tudo bem: Deus existe!

Anúncios

64 Respostas

  1. Deus tenha misericordia dessa vida

  2. Estou sedento pelo teclado do meu MacBook Pro, que é perfeito. Eu, como escritor, filósofo e ateu praticante, não combino com esse teclado virtual. Estou muito ansioso para voltar pra casa e retomar a série de textos sobre essa moral falida do cristianismo. Cambada de hipócrita!

    Clicia, qual seria a sua reação se algum manuscrito da época dos evangelhos fosse encontrado naquela mesma região do Mar Morto, e revelasse que Jesus teve um caso homossexual com seu “discípulo amado”? E mais: Jesus sendo o passivo? Consegue imaginar? Uma testemunha de Jeová pra quem eu falei isso parece que não conseguiu e só disse mais ou menos isso que você escreveu: “Deus tenha misericórdia”.

    Eles certamente acham que um Jesus Cristo que fica de quatro pra fazer um outro homem sentir prazer com o corpo dele não seria muito conveniente. Do mesmo jeito que uma mulher no lugar de um padre ou de um papa também não seria.

    Resumindo: Deus é macho, machista e homofóbico.

    Mas eu ainda acho que o filho dele era viado.

  3. Deus tenha Misericórdia dessa vida!

  4. Leia-se: “Meu cérebro tenha misericórdia dessa vida!”

  5. Barros,

    Realmente, Jesus nunca casou-se, tinha apóstolos ao lado dele, será que era gay? Que o Jônatas e David, trocavam figurinhas, já sabemos. Nada contra os gays…..todo tem direito a variedade sexual!

    Ateus : tenhamos todos misericórdia dos comentários do crentes!

  6. Então, ensina isso aos seus filhos, cara, e no final vamos ver no que vai dar!!!

  7. Naquela época para entrar em um templo judeu tinha que ser casado e Jesus entrou! Judeus eram bem ortodoxos, Jesus foi uma exceção ou modificaram algo nas escrituras?

  8. Sei não, tanta coisa pra falar e o cara vem com essa de gay (Jônatas e Davi)! Será que isso vem de um inconsciente obscuro, tipo, guardado no armário?! Sei, não!! Aft!!

  9. Isso é um debate infinito, que ambas as partes não querem perder. E esse é só apenas mais um num meio de um bilhão de turbilhão de textos que estão aí e caíram no esquecimento e que só serve para aumentar intolerância que impera nesse mundo hostil.

  10. Se o crente chama ao próprio cérebro de Deus, Deus existe, claro. E tome Deus asqueroso, carniceiro, psicopata, burro, preconceituoso…

  11. O PORQUE DEUS NAO E UMA ILUSAO (REPUBLICACAO)

    Gostem os ateus ou nao, o fato que as evidências filosóficas, históricas e científicas a favor da existência de Deus são bem maiores do que da não existência de Deus.

    Vejamos:

    EVIDÊNCIAS FILOSÓFICAS:
    —————————————–

    Qualquer um entende que do NADA, nada pode vir a existir. Quando digo NADA, é o NADA ABSOLUTO da Filosofia (nem matéria e energia, nem espaço e tempo, nem espírito, nem matemática, nenhuma entidade real ou abstrata.) e não o ‘nada’ do vácuo quântico de Stephen Hawking e Krauss. No entanto, o universo existe e, portanto, não pode ter surgido do NADA.

    Observamos também que, no mundo, para tudo há uma causa; todo ser é contingente, pois depende da existência de outro ser para existir. Por exemplo, a causa do filho são seus pais; os seres vivos são formados por células, que são formadas por moléculas, que são formadas por átomos, que são formados pelas partículas subatômicas e assim por diante; toda a vida deriva da biologia, que deriva da química, que, por sua vez, deriva da física das partículas elementares; cuja causa é a energia e a matéria gerada no Big Bang.

    Porém, nesta sequência de causa e efeito, necessariamente deve existir uma causa primeva, um ser necessário, incontingente e eterno (que sempre existiu) e que é a causa de si mesmo e de todos os outros seres existentes. Portanto, logicamente e necessariamente, tem de existir pelo menos esse ENTE ETERNO que nunca foi criado e não causado por nada, mas que é causa de todas as outras coisas. Isso gera duas cosmovisões do mundo; uma que vai de cima para baixo e outra que vai de baixo para cima.

    Para os filósofos gregos, São Tomás de Aquino, os teólogos e os crentes, esse ENTE ETERNO necessariamente tem de ser infinitamente grande, sábio e poderoso; pois, ele tem de possuir todas as qualidades que dá ao entes contingentes (aqueles que para existir precisam de uma causa anterior). E esse ente ou ser eterno nós chamamos de DEUS. Estranhamente, o Deus revelado por Jesus Cristo possui todas essas qualidades.

    http://andrehenriquerodrigues.blogspot.com.br/2010/07/as-vias-de-sao-tomas-de-aquino.html

    Nesta cosmovisão de cima para baixo, a suprema inteligência (ou Logos) criou a matéria e a energia, o universo e tudo o que existe. Notem que essa suprema inteligência eterna não precisaria necessariamente ser um ser antropomórfico, ou seja, ter um cérebro, órgãos e membros; ela poderia ser um ente espiritual ou abstrato como a própria razão (ou logos), amor, poder, etc. Seria algo cuja existência naturalmente é eterna e sem causa.
    Estranho que a própria Bíblia diz: “Onde está o AMOR aí está DEUS, porque DEUS é AMOR”.

    Será que Deus criou o amor, é amor, ou é o próprio Amor? Eis a questão!

    Já para os materialistas, esse ENTE ETERNO não é algo inteligente ou consciente, mas algo como uma energia ou partícula primordial que pelo tempo e acaso mais seleção natural “criou” todas as coisas. Notem que, neste caso, o tempo tem que existir naturalmente.

    Nesta cosmovisão de baixo para cima, a matéria e energia ou partícula primordial eterna (aliada ao acaso + tempo + seleção natural) “criou” todas as coisas superiores a ela; inclusive a ordem, a beleza, a inteligência e a consciência.

    Essa cosmovisão era mais fácil de ser aceita antes do Big Bang, pois a grande maioria dos cientistas acreditavam que o universo era eterno e estático. Com a Teoria do Big Bang, comprovou-se que o universo teve um começo no tempo; e, portanto, teve uma causa; o que dificultou muito essa linha de raciocínio.

    Seja lá o que for, o fato é que ninguém pode negar que este mundo físico, lógico e matemático, cheio de ordem e beleza, parece ter sido projetado e criado por um matemático e artista extremamente inteligente, talentoso e poderoso.

    Penso que se o homem, ao longo de toda a sua história, com toda a sua inteligência, ciência e tecnologia, têm se esforçado tanto para entender só um pouquinho do universo; imagina a inteligência e o poder para se inventar e criar tudo isso?

    Pergunto:

    Pode a desordem e o acaso ter gerado a ordem e a vida?

    Pode a não-inteligência ter gerado o código genético, a inteligência e a consciência?

    (…)

  12. (…)

    EVIDÊNCIAS HISTÓRICAS:
    ————————————

    Ora, se DEUS existe, é razoável que em algum momento da história da humanidade Ele se revelasse ao mundo.

    E há evidências de que isso realmente já aconteceu; primeiro, houve uma revelação ao povo hebreu e, depois, a revelação pública de DEUS na pessoa de Jesus Cristo.

    E como podemos saber que houve essa revelação?

    Ora, se tem duas coisas que homem nenhum não pode fazer são profecias e milagres autênticos, que violam as próprias leis da natureza. E a Bíblia está cheio de milagres e profecias:

    Por exemplo, o artigo da Wikipedia sobre ‘CRISTO’ mostra dezenas de passagens do Antigo Testamento (escritas séculos antes do nascimento de Cristo) que se cumpriram na pessoa de Cristo, inclusive: que ele nasceria de uma virgem, falaria em parábolas, faria milagres, seria rejeitado e traído por trinta moedas de prata, seria acusado injustamente, seria rejeitado e ferido por nossas iniquidades, seria cuspido e esbofeteado, teria os pés e mãos transpassados, oraria pelos inimigos,lançariam sorte para repartir suas vestes, o fariam beber vinagre, não teria os ossos quebrados, um rico o sepultaria, ressuscitaria no terceiro dia, etc., etc., etc.

    Alguns céticos argumentam que Jesus poderia ser um charlatão que aproveitou-se de algumas dessas profecias do Antigo Testamento.

    Porém, poderia ele ter forjado a profecia de sua própria crucificação, um instrumento de pena de morte usado pelos Romanos?

    “E Iahweh respondeu-lhe: Faze uma serpente abrasadora e coloca-a em uma haste. Todo aquele que for mordido e a contemplar viverá.” (Números 21,8)

    “Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que seja levantado o Filho do Homem.” (João 3,14)

    “Porquanto cães me cercaram; a assembléia de malfeitores me rodeou; traspassaram-me as mãos e os pés. Posso contar todos os meus ossos; eles estão-me encarando e mirando. Repartem entre si os meus vestidos, e deitam sortes sobre a minha vestidura.” (Salmos 22,16-18)

    “Então o crucificaram. E repartiram as suas vestes, lançando sorte sobre elas, para saber com o que cada um ficaria.” (Marcos 15,24)

    “Ele, então, lhes disse: ‘Insensatos e lentos de coração para crer tudo o que os profetas anunciaram! Não era preciso que o Cristo sofresse tudo isso e entrasse em sua glória?’ E, começando por Moisés e por todos os Profetas, interpretou-lhes em todas as Escrituras o que a ele dizia respeito.” (Lucas 24,25-27)

    E a descoberta dos Manuscritos do Mar Morto demonstrou que tais profecias, realmente, foram escritas séculos antes do nascimento de Jesus Cristo.

    (…)

  13. (…)

    EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS:
    ————————————

    Em 1973, o astrofísico e cosmólogo Brandon Carter, sugeriu a ideia do Princípio Antrópico e o ajuste fino das constantes cosmológicas.

    É como se o universo, desde o Big Bang, tivesse sido feito na medida para a existência do homem; o que, necessariamente, nos leva a um criador extremamente inteligente; já que são tantas as coincidências que fica quase que matematicamente impossível ser pura sorte.

    A ideia do Princípio Antrópico é tão forte que uma das poucas alternativas para dispensar um criador seria a existência do multiverso; com infinitos universos, cada um com leis e constantes físicas distintas, para termos a probabilidade de um universo ajustado para a vida como o nosso. Ou, então, que o nosso universo fosse quase infinito e as leis e constantes físicas variassem de ponto a ponto do universo e nós estaríamos numa região favorável.

    Vale a pena ler:

    http://www.cleofas.com.br/ver_conteudo.aspx?m=art&cat=110&scat=82&id=5240

    http://www.sbfisica.org.br/rbef/pdf/331504.pdf

    Interessante também são as afirmações do Dr. Robert Spitzer; que, além de físico e filósofo, é também jesuíta:

    “… Spitzer assinalou que as provas científicas mais recentes evidenciam que “o Universo não é infinito, mas finito, que começou em um certo ponto (estimado aproximadamente em treze bilhões de anos) e está em constante expansão.

    ‘A complexidade do Universo se apóia em um equilíbrio incrivelmente delicado de 17 constantes cosmológicas. Se qualquer uma delas se modificasse uma décima a tetragésima potência, estaríamos mortos e o Universo não seria o que é’, adicionou.

    Do mesmo modo, assinalou que ‘cada modelo do Big Bang mostra o que os cientistas chamam uma singularidade, e a existência de cada singularidade exige que exista um elemento externo ao Universo’.

    Neste sentido, recordou que Roger Penrose, o famoso matemático e físico inglês, corrigiu alguma das teorias de seu amigo e colega Stephen Hawking, concluindo que todas as teorias do Big Bang, inclusive a chamada ‘teoria quântica’, confirmam a existência destas singularidades.

    Todas as explicações nos levam ‘a uma força que é prévia e independente ao Universo. Pode soar a argumento teológico, mas é realmente uma conclusão científica’, assegurou conforme informa
    La Razón.

    O perito indicou que ‘não se pode não aceitar a existência desta singularidade. Esta teoria é tão sólida que 50 por cento dos astrofísicos estão ‘saindo do armário’ para aceitar uma conclusão metafísica: a necessidade de um Criador, fora do espaço e do tempo’.
    “.

    FONTE: http://www.acidigital.com/noticia.php?id=17187

    Agora, se existe uma PROVA objetiva da existência de Deus, essa prova são os MILAGRES autênticos (que passam pelo crivo da própria Ciência) que ocorrem apenas na Igreja fundada por Cristo e em nenhuma outra religião do mundo. Pois, os milagres autênticos são o elo entre a fé e a razão, entre a ciência e a religião, entre Deus e os homens; são como que a assinatura de Deus para confirmar sua existência, sua Igreja e sua verdadeira doutrina.

    Se Jesus não existiu ou não fez milagres quando veio ao mundo e nem ressuscitou, com certeza, também não faz milagres agora; e, portanto, todos (repito: todos) os milagres da Igreja têm de ser falsos! Por isso, insisto tanto no estudo dos grandes milagres da Igreja, tais como: Santo Sudário (que nada mais é do que a foto radiográfica e tridimensional de um homem ressuscitando), Imagem de Guadalupe (cujo olho reflete a cena do milagre e cuja pupila dos olhos reage à presença de luz como se fosse um olho VIVO, cuja imagem mantém a temperatura de um corpo humano e têm batidas de coração, etc.), Santa Casa de Loreto (a casinha onde viveu a Virgem Maria milagrosamente transportada de Nazaré até Loreto, passando por outras cidades, durante a invasão islâmica à Terra Santa), Milagre Eucarístico de Lanciano (cuja hóstia e vinho virou carne e sangue de uma pessoa viva atualmente), Sangue de São Genaro (que se liquefaz no dia do seu aniversário), Coxo de Calanda (cuja perna reapareceu após enterrada por quase três anos), Espinho da Coroa de Cristo (cujo sangue coagulado se liquefaz a cada 11 anos, toda vez que a sexta-feira da paixão ocorre num dia 25 de março, o suposto dia da crucificação de Cristo), corpos e órgãos incorruptos de santos (que exalam perfume e destilam água e óleo por séculos) e tantos outros espantosos milagres que, por incrível que pareça, só ocorrem na Igreja Católica e em nenhuma outra religião do mundo. Isso é um fato espantoso e extraordinário que existe no mundo e que não deveria ser ignorado ou desprezado por quem quer que seja.

    Quem ainda não viu, não deixe de ver, por exemplo, o incrível documentário do History Channel “GUADALUPE: UMA IMAGEM VIVA” (http://www.youtube.com/watch?v=7yTwabUjgYQ) e também o excelente e sério documentário do Discovery Channel “O MISTÉRIO DO SANTO SUDÁRIO” (http://www.youtube.com/watch?v=M9j38PmEGWA) e sua continuação “O SUDÁRIO DE TURIM” (http://www.youtube.com/watch?v=h_1_ag_H6Kk).

    Ou ler os livros “Milagres – A Ciência Confirma a Fé” e “Os Milagres e a Ciência”, do Pe. Oscar Quevedo.

    Ou mesmo em sites como OEPNET (http://oepnet.sites.uol.com.br/milagres.htm) e CIÊNCIA CONFIRMA A IGREJA (http://cienciaconfirmaigreja.blogspot.com.br/).

    E, também, sobre a doutrina e história da Igreja no site VERITATIS SPLENDOR e em tantos outros sites de apologética católica.

    Recomendo ainda o programa ESCOLA DA FÉ, do ilustre Prof. Felipe Aquino (engenheiro, físico, doutor pelo ITA, escritor, ex-reitor de universidade, apresentador, etc.), na TV Canção Nova todas as quintas-feiras às 20:40 horas (e também no YouTube); onde ele ensina muito sobre ciência e religião, sobre a história da Igreja e sobre a fé católica.

    É ver para crer!

    Portanto, dá sim para ficar ‘brincando’ de ‘Deus existe ou não existe?’; desde que ignoremos as grandes profecias e os grandes milagres da Igreja.

    Meu raciocínio é muito simples: Se Deus não existe, então, Jesus não era Deus e, portanto, todos (repito: todos) os milagres da Igreja fundada por ele, necessariamente, têm de ser falsos. Caso contrário…

    Por isso, digo e repito:

    QUEREM SABER SE DEUS REALMENTE EXISTE? ESTUDEM OS GRANDES MILAGRES DA IGREJA!

  14. D.R.

    Se um dia você pegar uma diarreia grave e precisar ser hospitalizado, e se o caso se agravar e você precisar fazer um transplante de ânus e, depois, passar dias e dias na ÚTI, tomando soro, medicação intravenosa, sendo medicado constantemente e permanecendo sob os cuidados de um batalhão de profissionais, depois de ficar curado, você certamente veria um milagre de Deus nisso tudo.

    Então, o crente ver Deus em todas essas áreas que você listou é o mínimo que se poderia esperar de um crente. Ou seja, não significa porra nenhuma.

  15. ao Anônimo que escreveu:
    “Isso é um debate infinito, que ambas as partes não querem perder. E esse é só apenas mais um num meio de um bilhão de turbilhão de textos que estão aí e caíram no esquecimento e que só serve para aumentar intolerância que impera nesse mundo hostil.”

    Olá, tudo bem?
    Então, não sei se esse comentário foi uma resposta ao que eu fiz:
    “Naquela época para entrar em um templo judeu tinha que ser casado e Jesus entrou! Judeus eram bem ortodoxos, Jesus foi uma exceção ou modificaram algo nas escrituras?”
    Caso não tenha sido para mim, descarte esse post.
    Mas supondo que sim, eu entendi que você estava falando dos apócrifos e a eterna briga entre ser válido ou não como escritura, bem, não sou um exegeta, logo não vou entrar em debate sobre isso, apenas sei que historicamente falando, para se entrar em templos judáicos, era necessário o Rabi ser casado, e Jesus entrou e ainda discursou para os ortodoxos da época. Pra mim, isso já define se Jesus era casado ou não, mas é apenas uma opinião pessoal, logo com validade restrita a mim.
    Abraço.

  16. Estou pensando que o D.R.é um louco disfarçado de pastor ou vice-versa. Aliás, acabei de ler no site Livres Pensadores.Net e dou o link de presente pra ele.
    Sr. D.R. por favor entre nessa página para não confundir o pessoal deste espaço cético e ateu com o que você deve estar acostumado a convencer com esse seu lero lero.
    Mas aqui o sr não vai ter sucesso.

    http://thegodlessman.blogspot.com.br/2014/03/estudo-revela-que-profissao-de-pastor.html

  17. Barros, concordo que muitos crentes (inclusive, católicos) consideram curas e fenômenos naturais como milagre.

    A grande maioria dos testemunhos que se vê em igrejas e na TV, são do tipo “Fiz exame médico, orei para Deus ou rezei para Nossa Senhora, e o exame deu negativo! Ou o câncer era benigno, etc.”.

    Infelizmente, muita gente confunde cura com milagre divino; veja o que muitos evangélicos e até leigos católicos consideram milagre:

    O pior é quando a pessoa, pelo alívio dos sintomas e não pela cura da doença, abandona o tratamento médico e, depois de alguns meses, acaba morrendo muito agradecida ao pastor ou médium que a “curou” (como diz o Pe. Quevedo).

    Tudo isso e essas santas que choram sangue, santa da vidraça, jesus em pedaço de pão, Alá escrito dentro de frutas, cartomantes, psicografias, horóscopos, etc., fazem parte da religiosidade popular. E, pelo menos a Igreja Católica, não dá aval a esse tipo de coisa.

    Por isso, sempre que falo de milagres aqui, listo os grandes milagres da Igreja; aqueles milagres que, se forem realmente autênticos, não tem como ser atribuídos a seres humanos ou a fenômenos naturais.

    Como já disse antes, milagres autênticos que passam pelo crivo da própria Ciência são raríssimos, mesmo na Igreja Católica. Aliás, a Igreja Católica é muito rígida quanto a supostos milagres; e, ao contrário que qualquer outra instituição religiosa, ela sempre confia à Ciência o estudo e o aval de seus milagres.

    E, como já disse também, quem tem competência para falar se um milagre é autêntico ou não, não sou eu, nem você, nem fanáticos religiosos ou ateus, nem padre, nem pastor, nem médium, nem o Papa e nem mesmo a Igreja, mas somente a CIÊNCIA!

    É claro que um pouco de ceticismo e questionamento é sempre bom, até para alcançar uma fé madura, Mas, penso que temos que ter um limite sadio para o nosso ceticismo; senão, corremos o risco de cair no ceticismo patológico ou paranóico que pode se tornar tão ou mais grave do que o fanatismo religioso.

    Há argumentos e evidências para a não existência de Deus?

    Sim, claro que há!

    Mas também há argumentos e evidências (até bem maiores) para a existência de Deus!

    Portanto, crer ou não crer em Deus, ainda continua sendo um ato de fé!

    Crendo em Deus ou não, o mais importante é sempre continuar buscando a VERDADE, seja ela qual for e custe o que custar! Mas, temos que ser humildes o suficiente para nos rendermos a ela, quando a encontrarmos ou, pelo menos, quando nos deparamos com uma parte dela!

  18. Ana Júdice,

    pensar, eu também penso um monte de coisas. Aliás, do meu lado, penso que não existe loucura maior do que alguém querer se meter a ser ativista ateu. Mesmo que a possibilidade da existência de Deus fosse de apenas 1% (Pascal calculou ser de 50 %), ainda assim, seria imprudência alguém arriscar a própria alma e a de tanta gente com a petulância de querer blasfemar, enfrentar e destruir o próprio Deus ou mesmo a ideia de Deus. Isso sim, para mim, é loucura!

    Falar que as evidências filosóficas, históricas e científicas que argumentei a favor da existência de Deus não passa de lero lero é muito fácil; quero ver provar, quero ver contra-argumentar com argumentos lógicos e sólidos e, principalmente, com evidências científicas. Acredito que você pode fazer melhor do que isso!

    Mesmo porque, essa loucura e “lero lero” de que você me acusa, não foram inventados por mim; mas, sim, por grandes filósofos, brilhantes teólogos e renomados cientistas ao longo de mais de 2.000 anos de história. E esse “lero lero” é baseado em estudos científicos extremamente sérios, feitos por especialistas de verdade das mais diversas áreas da Ciência e não por fanáticos religiosos, ufólogos, cientistas malucos, charlatães, ativistas céticos metidos a cientistas e nem por pensadores e achólogos de internet!

  19. (…) quem tem competência para falar se um milagre é autêntico ou não, não sou eu, nem você, (…) mas somente a CIÊNCIA!

    Me diz aí que milagre a “ciência” classificou como autêntico. Um só, tá?

  20. Mesmo que a possibilidade da existência de Deus fosse de apenas 1% (Pascal calculou ser de 50 %)

    Foi mesmo?! KKkkkkkkkkkk

    Ou seja, ou Deus existe, ou Deus não existe. Como são duas possibilidades, o total sendo 100%, 100 dividido por 2 dá 50%. Um cálculo brilhante, de fato.

    O problema é que, como bem observou R. Dawkins, você pode usar esse mesmo raciocínio pra obter 50% de chance de existência de qualquer coisa. Ou o Monstro de Espaguete Voador existe, ou ele não existe. Logo, temos 50% de chance do Monstro de Espaguete Voador existir.

    Brilhante!

  21. DR

    Para gente como você, filósofos podem pensar, escrever e falar sobre deuses (não apenas o seu) o quanto queiram, mas não contribuirão em nada para torná-los mais ou menos reais, no fim de contas, já que vocês escolhem acreditar neles movidos por suas próprias razões e interesses e não será alguém se manifestando sobre a inexistência de deuses o que lhes demoverá de crer. Para vocês o que importa não é a probabilidade de que exista algo como Deus, importa é que exista a ideia dele, só isso, para ser usada de acordo com a necessidade.
    Para as pessoas que estejam em processo de duvidar é que tem utilidade um blog como este, e os “achólogos” de internet, entre outras modalidades de expressão, já que quem duvida pensa. Vocês não pensam, não quando se trata da ideia de existir um deus, vocês apenas procuram argumentos que reforcem a crença.
    Prova disso é você dizendo que cientistas “provaram” a ocorrência de milagres. Ou que cientistas encontraram evidências da existência de Deus. Isso é mentira, pura e simples e o fato de algum cientista aparecer dizendo que coisas como a provável confirmação das ondas gravitacionais confirmam que a versão da criação do universo em Gênesis é correta faz desse cientista um crente mentiroso trabalhando contra os fundamentos da ciência.
    Um verdadeiro cientista não faz afirmações como esta; um verdadeiro cientista não tem verdades absolutas.
    Deixe a ciência em paz, contente-se com sua crença espúria.

  22. Quanto à discussão do vídeo acima sobre milagres, eu diria que girou quanto à definição do que seria, de fato, um milagre.

    Milagre, em essência, é uma mágica. Algo que aconteceu e não poderia ter acontecido.

    Alguém tirar 5 mil pães de uma sacola onde só haviam 5, é milagre.

    Alguém transformar água em vinho, é milagre.

    Alguém dizer algumas palavras e, com elas, fazer com que um paralítico de nascença levante e ande, é milagre.

    Mas uma pessoa sair viva e andando de um acidente aéreo em que foi o único sobrevivente não é milagre. É sorte.

    Alguém ter o braço esmagado por um carro e continuar tendo os movimentos quase perfeitos, por conta da preservação dos nervos e músculos, não é milagre: é sorte.

    Alguém ser desenganado por vários médicos devido a uma doença terrível e, contra todas as perspectivas, levar uma vida como uma pessoa normal por anos e anos a fio, sem que haja uma explicação científica para o ocorrido, não é milagre. É sorte.

    Tanto é sorte que o milagre só pode ser identificado em retrospecto. Jesus podia adiantar que iria curar um paralítico, mas ninguém pode adiantar que será o único a escapar de um acidente.

    Há casos cultuados como milagres que não passam de fraude, como as pessoas que bebem veneno e não lhes acontece nada. Deixa só eu administrar o veneno pra tu ver o que acontece. Ela vai morrer, e eu vou preso. Não é uma boa ideia.

    Milagres só poderiam ocorrer num universo em que existisse algum ser parecido com o Deus dos cristãos, por exemplo. Não é o caso do nosso.

  23. achólogos….heheheheheh!

  24. Ou seja, ou Deus existe, ou Deus não existe. Como são duas possibilidades, o total sendo 100%, 100 dividido por 2 dá 50%. Um cálculo brilhante, de fato.

    Eu acho que o deus do Criaturo tem 50,25% de chances de existir, bem mais que os 50% de todos os outros.

  25. Isso sim é um autêntico milagre:

  26. Eu ri pra caralho desse vídeo!!!

    Legal que o povo não tem vergonha de dar um close e mostrar bem de perto a farsa.

    Aos 4:13 a farsante diz “É um tumor”. Só que não.

    O mais interessante é poder voltar o vídeo quantas vezes quiser e ver como a mulher movimenta a mão direita, para esconder o pequeno “caroço” pressionado contra a parte interna do indicador.

    Agora, ver num close up (01:24) o suposto “tumor maligno” aparentando ter sido cortado com uma faca de cozinha… não tem preço!

  27. Barros
    tem coisa que so um crente pode fazer!!! – para todas as outras existe Jesuscard! aceito em qualquer boca-de -culto ou por qualquer imbecil perto de voce!

  28. A diferença é que, com o Jesus Card, você paga primeiro e só recebe depois de morto!

    Como diria o papa Bento 16: é foda!

  29. Muito engraçada essa farsa. Eu pessoalmente olhando nunca vi um milagre tão milagroso assim. Por pouco o “tumor”que estava colocado superficialmente e retido sob a pressão do dedo santo da pastora fajuta não escorrega e rola pelo chão. Glória!!! e foi com uma grande tática que a irmã conseguiu equilibrar aquele objeto, mas, notei uma certa insegurança dela ante as câmeras.. Que bênção Gesuizzz!!!

    É pra rir muito mesmo desse milagre inesquecível.

  30. Esse povo treina isso exatamente como os mágicos, até poder executar o número com a segurança exigida pra não deixar escapulir as cartas — ou o tumor — e passar vergonha diante da plateia.

  31. Agora, esse aqui ganha fácil:

  32. Dá pra ver, a partir dos 40 segundos, que a meleca de Satanás não desgruda fácil do dedo da pastora. O mais engraçado é que ela já faz a biópsia e dá o diagnóstico ali mesmo: é tumor maligno.
    Essa crentaiada se presta a cada mico…

  33. MAF

    :Ou seja, ou Deus existe, ou Deus não existe. Como são duas possibilidades, o total sendo 100%, 100 dividido por 2 dá 50%. Um cálculo brilhante, de fato.

    Eu acho que o deus do Criaturo tem 50,25% de chances de existir, bem mais que os 50% de todos os outros.

    o Barros especializou-se em cálculos divinos veja ele conseguiu achar um deus de 120%:

    Você listar a porcentagem de Deus que é humana, a porcentagem que é mecânica, e a porcentagem que é consciência é a sua assinatura endossando o ditado popular “Papel aceita tudo”, porque a única coisa racional que te fez escolher os valores de 30%, 30% e 60% só pode ter sido o fato desses números serem bem fáceis de somar de cabeça pra dar os 100%.

    Só se for na sua razão de ateu que : 30% + 30% + 60% = 100%
    eu acho que voce gastou todos os seus neurônios calculando percentuais, que na hora de somar deve ter faltado alguns.

  34. Gregs

    tem coisa que so um crente pode fazer!!! – para todas as outras existe Jesuscard! aceito em qualquer boca-de -culto

    isso é a evolução da fé, que tal a concorrência lançar o credoincards
    master?

  35. essa pastora tem maior cara de pilantra, o video ja começa com ela preparando a meléca entre os dedos e depois da para ver o esforço dela para solta-lo antes de tirar a mão do rosto da baby.
    interessante que suas operações fazem o sangue desaparecer o coração estava sequinho.

  36. Meu Santo, como é que ela conseguiu arrancar um coração de boi comprado em supermercado das costas do coitado? Mais parecia um parto.
    Senti um, grande arrepio aqui pelo reflexo da presença de Deus realizando mais um milagre debaixo de um casaco de peles.
    Vocês vão me desculpar, mas isso é uma sátira inclusive mal feita.
    Mas, é isso mesmo que acontece e os crentes muito crédulos nem tem a capacidade de perceber o truque mal feito, porque estão em estado da embriagues pela fé que os move cada vez mais rumo a ignorância.
    Depois desse milagre acho que vou passar pra crente, hahahaha

  37. Eu acho que esta pastora ja andou dando o seu ar da graça por aqui: https://deusilusao.com/2014/02/27/um-deus-sem-biblia/#comment-49733

  38. Eu antes tinha pena, mas agora eu percebo que esse tipo de crente merece ser explorado mesmo.

  39. Eu vi o milagre feito com a bíblia como instrumento, e o sangue de Jesus agindo no peito da crente e depois a pastora retira pelo menos uns 3 metros de um cordão branco [a veia] de dentro do coração da paciente sob a gritaria em clamor, súplicas e agradecimentos dos irmãos dando Glórias e Aleluias.
    Esse milagre foi o melhor, o mais abençoado e verdadeiro, ainda bem que não saiu uma gota de sangue porque se eu ver sangue espirrando posso desmaiar e Deus cuidou até disso.
    Parabéns aos atores do Nosso Senhor Jesus Cristo. O caminho sempre foi esse: impressionar através de milhares.

    Essa pastora é porta para cadeia.

    Mais ou menos como as fraudes de Chico Xavier que talvez nem tenha pensado em criar uma cena como essa, mas, ele retirava quilos de gaze [ectoplasma] de dentro da alma das pessoas.

    https://sites.google.com/site/elcarguerra/elcar/chico—horz.jpg?attredirects=0

  40. A veia do coração da mulher era feita de pano. hehehehe

  41. O Kano do “Mortal Kombat” também faz cirurgia espiritual de remoção do coração.

  42. Concordo que há muita fraude nessa area. Minha atitude inicial é sempre de ceticismo. Porém, pela lógica, vocês hão de concordar que o fato de haver muita fraude por si só não responde a questão da possibilidade de milagres.

    Aqui um relato interessante de uma cientista atéia sobre a análise de um suposto milagre, veja que há também gente série nesse meio:

    http://www.strangenotions.com/can-an-atheist-scientist-believe-in-miracles/

  43. Sobre o video que o Barros postou, não adianta, esse tipo de gente ia em terreiro ver operação espiritual, agora viraram crentes e fazem a mesma coisa só que com uma bíblia no peito. Infelizmente esse tipo de coisa denigre e ofusca a investigação séria sobre os fenômenos inexplicáveis.

  44. Quem vê uma palhaçada dessas e acha que pode ser possível merece ser feito de idiota.

  45. existem pessoas vivendo apenas com um salario minimo e duvidar disso não altera a realidade .

  46. Realmente, isso deveria ser caso de polícia! É incrível que a Policia Federal e a Justiça não investigue essas coisas.

    Não sei se o Governo não faz nada por medo de criar mártires (como ocorreu no Império Romano) ou se faz algum tipo de acordo para que tais líderes e igrejas apoiem seus candidatos durante a eleição.

    Aliás, o Dr. Fritz (um engenheiro eletrônico chamado Rubens de Faria) era bem mais famoso e convincente, aparecendo até em programas de TV como Gugu, Fantástico, Globo Repórter, etc. Até ser desmascarado (se não me engano, pelo Pe. Quevedo) e condenado por ter aleijado um serralheiro.

    Ele não cobrava nada pelas cirurgias mediúnicas; mas, depois de operado, a vítima recebia uma receita de ervas medicinais que tinha que comprar na farmácia ao fundo da sala de cirurgias por cerca de R$ 20,00 (isso não era divulgado na TV). Como ele fazia (se não me engano) mais de mil cirurgias por dia, lucrava um absurdo. Foi pego com uma grande fortuna em conta no exterior.

    Ao contrário de seus tempos de glória, isso foi pouco divulgado na TV. Mas, depois disso, os programas de TV passaram a dar muito menos divulgação a tais médiuns espíritas.

    Parece que, infelizmente, está surgindo um novo “Dr. Fritz”, um tal de João de Deus, que está ganhando fama até internacional. E agora vejo que há também pastores evangélicos aplicando o mesmo tipo de golpe.

    É lamentável, principalmente, o Governo não fazer nada para prevenir tal tipo de coisa; geralmente, só age depois que algum acidente ou denúncia grave acontece. Mesmo porque, o povo em geral (mesmo os ricos e cultos) é muito ingênuo e simples e na hora do desespero (como em casos de câncer) apela para qualquer coisa; e, sem conhecer truques de mágica, não é tão difícil ser enganado por charlatães habilidosos!

  47. Barros e ssrodrigues,

    Quando eu disse que só a Ciência tem competência para determinar se um milagre é autêntico ou não, não quis dizer que a Ciência afirma que foi o Deus judaico/cristão o autor de tais milagres; o que ela pode afirmar é que tais milagres NÃO TÊM EXPLICAÇÃO NATURAL ou que VIOLAM AS LEIS DA NATUREZA.

    Hipoteticamente, eles poderiam ser feitos por Deus, ou por algum fenômeno ainda desconhecido, quem sabe por seres do futuro, por alienígenas de outra dimensão, ou por um programador do Matrix, etc. Mas, desde que tais milagres acontecem apenas em uma única religião do mundo, a Igreja Católica, justamente aquela fundada por aquele misterioso Jesus que dizia ser filho do Deus vivo e que diziam que fazia milagres e que ressuscitou, é razoável pensar que seja Ele mesmo o autor de tais milagres. Mesmo porque, muitos desses milagres confirmam os dogmas e a doutrina da Igreja; como, por exemplo, o Milagre Eucarístico de Lanciano e tantos outros que confirmam o sacramento da eucaristia. E se eles não violassem as leis da natureza, como poderíamos saber que foi Deus seu autor e que para Deus nada é impossível? …

    Se Deus não pudesse ou não quisesse violar as leis naturais, como poderia ele nos ressuscitar dos mortos? Penso que, se os milagres são um fato, autênticos ou não, violando ou não as leis da natureza, eles devem ser investigados pela Ciência e não devem ser ignorados.

    Alegar que milagres são fenômenos naturais ainda desconhecidos pela Ciência, também não faz sentido. Por exemplo: Como que um dia a Ciência irá explicar o olho da Imagem de Guadalupe? Que, segundo renomados oftalmologistas e cientistas que o analisaram, se parece em tudo com um olho humano vivo; cuja pupila se dilata na presença de um foco de luz ou que apresenta refrações típicas de um olho humano; refletindo, inclusive, a cena do momento do milagre! Ou a temperatura da imagem que se mantem a mesma de um corpo humano, seja no inverno ou no verão? Ou o som de batidas de coração vindas do ventre da mulher da Imagem de Guadalupe, que está grávida? E tantos outros sinais sobrenaturais da Imagem de Guadalupe que violam as próprias leis da natureza?

    Vocês acham que algum dia a Ciência poderá demonstrar que tudo isso é resultado do acaso, ou de algum tipo de bactéria, ou ainda que monges daquela época forjaram tão magnífico milagre usando algum tipo de nanotecnologia desconhecida até nos dias de hoje?

    Usando o bom senso, sabemos que não! Por isso que milagres autênticos são a prova objetiva da existência de Deus e da veracidade da Igreja!

  48. Eis o “milagre”:

    Fiquei abismado! O piso do meu quintal está recheado de imagens de todo tipo e para todos os gostos.
    Será também um milagre?

  49. Olá Barros, cheguei no seu blog porque estava fazendo uma pesquisa sobre uma passagem do Evangelho: “Disse então Jesus essas palavras: ‘Graças te rendo, meu Pai, Senhor do céu e da Terra, por haveres ocultado estas coisas aos doutos e aos prudentes e por as teres revelado aos simples e aos pequenos’.” Por ela se entende que Jesus se referia à dificuldade do orgulhoso de compreender aquilo que está além do seu domínio, de como humildade é essencial para compreender a existência de Deus e de uma série de coisas que não pertencem ao domínio da ciência, ou mesmo da razão humana.

    Mas, de qualquer forma, eu respeito todas as ideias e opiniões e gosto de entender como as pessoas pensam. Não estou fechado a nenhuma ideia e me simpatizo com todos que se dispõem a pensar (o que tem sido coisa rara) e debater. Não sei se você já está com sua fé bem definida no materialismo sem espaço para discussões e mudanças. Mas independente disso, eu gostaria de saber como você pensa. Se ainda houver possibilidade de mudança, pode ser que existam argumentos e evidências que possam vir ao seu encontro, se não, tudo bem, ler suas opiniões já será importante para mim.

    Então vou propor algumas questões, caso você tenha disposição para trocar ideias:

    1) Enquanto eu fazia a pesquisa que me trouxe ao seu blog, eu encontrei também inúmeras referências de pensadores, cientistas e filósofos que afirmam a existência de Deus, como podemos ler no link http://www.freewebs.com/kienitz/declara.htm (obs.: não li todo o conteúdo desse site e me refiro somente a página em questão com as citações de cientistas). Existem outras páginas facilmente encontradas pela internet e mesmo citações nas obras de muitos desses pensadores. O que eu gostaria de saber é se você acredita que foi capaz de chegar a uma conclusão mais acertada, inteligente, lógica e sensata do que todos esses pensadores. Eu tenho minhas experiências pessoais e minhas conclusões particulares até o momento, mas não acho que elas valham mais do que as suas. Mas tenho para mim que podemos dar maior autoridade para um grande grupo de pensadores que traz essas ideias. Sei que também existem outras figuras importantes na história humana que pensam diferente, ou seja, como materialistas, mas, pelos números que pude levantar, são em número e em importância muito menor do que os que, de alguma forma, afirmam a existência de Deus.

    2)

  50. Desculpem-me, postei sem querer o comentário acima e parei com apenas uma questão. Vou terminar de escrever e posto novamente.

  51. O que eu gostaria de saber é se você acredita que foi capaz de chegar a uma conclusão mais acertada, inteligente, lógica e sensata do que todos esses pensadores.

    Claro que sim!

    Isso me faz mais inteligente do que eles? Claro que não.

    A religiosidade é uma espécie de doença mental, e se manifesta apenas sob certas circunstâncias, muitas vezes apenas com o consentimento do doente-crente.

    Um filósofo, um químico biomolecular, um físico nuclear, etc., são — sem sombra de dúvida — pessoas muito mais inteligentes do que eu e muito mais capazes do que eu poderia ser e de como poderia atuar em muitos aspectos da vida, e certamente naqueles campos que exigem o conhecimento específico de suas áreas de estudo.

    Agora, por que eu deveria achar que um filósofo, um bioquímico ou um físico nuclear teriam uma opinião mais acertada do que a minha sobre a realidade que cerca a todos nós? Por que diabos eu deveria acatar que essas pessoas têm algum acesso a um campo do conhecimento inacessível a mim, que me recuso a acreditar que elas sabem o que vai acontecer com todo mundo após o último suspiro, numa dimensão mágica governada por um ser mágico que só existe nas páginas de um livro?

    O apelo à autoridade é, de fato, um grande trunfo da religião para — se não convencer — pelo menos manter sob o cabresto os crentes de manada, que são ateus que apenas seguem o rebanho por comodidade, e por pensar que, ora, se tanta gente importante, famosa e inteligente acha que Deus existe, então ele deve existir mesmo.

    Só que não. Deus não existe, assim como você deve achar que Shiva não existe, ou lobisomens, ou sacis, ou fadas, ou sereias, etc. O fato de você encontrar pessoas que creem em Deus e nunca uma que acredita em saci (embora exista uma cidade no interior de São Paulo famosa por ter uma comunidade que cria esses seres) é apenas porque a crença em Deus traz, através da religião, alguns efeitos benéficos para a coletividade, embora reboque um sem-número de efeitos maléficos. É o caso do viciado em crack que nunca focaliza os terríveis danos que a droga está promovendo em seu corpo, justamente porque não consegue esquecer o prazer intenso — embora efêmero — que ela proporciona.

  52. Não sei se você já está com sua fé bem definida no materialismo

    Não projete seus defeitos em mim. Não tenho esse tipo de fé. Crente tem fé no seu deus particular. A falta de fé em deuses não implica em fé em outra coisa que não um deus.

    Se quiser saber como eu penso, visite o Purgatório.

    Não, você não precisa esperar até morrer: fica nessa página mesmo, aí em cima, na coluna da esquerda.

  53. o que ela pode afirmar é que tais milagres NÃO TÊM EXPLICAÇÃO NATURAL ou que VIOLAM AS LEIS DA NATUREZA.

    Cara, esse negócio do olho e de santa que chora isso tem nome: fraude. E eu mandaria “se fuder” um Deus que, com tantas maneiras possíveis de se manifestar de uma forma útil, fosse querer se revelar através de uma estátua que nem esfria nem esquenta. Ah, tenha dó!

    Se tem gente ouvindo batidas e não sabem de onde elas vêm, isso não caracteriza uma violação das leis da Natureza. Isso caracteriza a ignorância de não se saber o que está acontecendo.

    As coisas que desafiam as leis da natureza estão bem descritas apenas na sua Bíblia, justamente porque papel aceita tudo.

  54. COMENTÁRIO COMPLETO
    Tomara que você tenha paciência de ler. Gostaria de ler seus comentários.

    Olá Barros, cheguei no seu blog porque estava fazendo uma pesquisa sobre uma passagem do Evangelho: “Disse então Jesus essas palavras: ‘Graças te rendo, meu Pai, Senhor do céu e da Terra, por haveres ocultado estas coisas aos doutos e aos prudentes e por as teres revelado aos simples e aos pequenos’.” Por ela se entende que Jesus se referia à dificuldade do orgulhoso de compreender aquilo que está além do seu domínio, de como humildade é essencial para compreender a existência de Deus e de uma série de coisas que não pertencem ao domínio da ciência, ou mesmo da razão humana.

    Mas, de qualquer forma, eu respeito todas as ideias e opiniões e gosto de entender como as pessoas pensam. Não estou fechado a nenhuma ideia e me simpatizo com todos que se dispõem a pensar (o que tem sido coisa rara) e debater. Não sei se você já está com sua fé bem definida no materialismo sem espaço para discussões e mudanças. Mas independente disso, eu gostaria de saber como você pensa. Se ainda houver possibilidade de mudança, pode ser que existam argumentos e evidências que possam vir ao seu encontro, se não, tudo bem, ler suas opiniões já será importante para mim.

    Então vou propor algumas questões, caso você tenha disposição para trocar ideias:

    1) Enquanto eu fazia a pesquisa que me trouxe ao seu blog, eu encontrei também inúmeras referências de pensadores, cientistas e filósofos que afirmam a existência de Deus, como podemos ler no link http://www.freewebs.com/kienitz/declara.htm (obs.: não li todo o conteúdo desse site e me refiro somente a página em questão com as citações de cientistas). Existem outras páginas facilmente encontradas pela internet e mesmo citações nas obras de muitos desses pensadores. O que eu gostaria de saber é se você acredita que foi capaz de chegar a uma conclusão mais acertada, inteligente, lógica e sensata do que todos esses pensadores. Eu tenho minhas experiências pessoais e minhas conclusões particulares até o momento, mas não acho que elas valham mais do que as suas. Mas tenho para mim que podemos dar maior autoridade para um grande grupo de pensadores que traz essas ideias. Sei que também existem outras figuras importantes na história humana que pensam diferente, ou seja, como materialistas, mas, pelos números que pude levantar, são em número e em importância muito menor do que os que, de alguma forma, afirmam a existência de Deus.

    2) A sua negação tão objetiva e firme da existência de Deus está baseada em quais ideias principais? O que foi que te trouxe tamanha certeza? Conheço alguns grandes cientistas que não acreditam na existência de Deus, mas eles mesmos dizem que isso não é possível de se ter certeza e que, de alguma forma, é também fé. Existe alguma ou algumas idéias centrais e basilares para essa sua crença? Em que se baseia? A princípio, eu tendo a entender que a busca da ciência por respostas é um pressuposto, de todos os que “fazem” ciência, de que existe resposta, ou seja, de que para todos os fenômenos exista uma causa. E que a procura por leis naturais que conduzem esses fenômenos e que nos levam às suas causas é também um pressuposto da existência dessas leis, e por tanto de algum tipo de inteligência que teria as definido – entenda que aqui me refiro a uma definição de Deus mais abrangente e não às ideias sectárias de algum culto religioso. Assim, imagino que para o cientista, qualquer que ele seja, a ideia básica da existência de Deus está como fundamento da sua busca ou do seu trabalho, mesmo que ele não tenha pensado sobre isso. O dizer que os “crentes” ou os “incultos” utilizam a Deus para explicação de fenômenos para os quais não tenhamos a resposta é um argumento fraco, e não significa coisa alguma. O fato de alguém ter errado na sua interpretação de Deus ou na explicação de algum fenômeno em dado momento, não elimina a possibilidade da existência de Deus. Como no exemplo do Átomo, em que alguns dizem que Demócrito errou quando afirmou que o átomo seria indivisível, quando na verdade quem errou foi Dalton que acreditou ter encontrado o átomo que Demócrito havia imaginado (ainda que o átomo não exista). Você entende que “para todo efeito existe uma causa” é uma regra natural? E que o efeito tem sempre uma relação direta de organização com a sua causa? E, sendo assim, você acha que “o acaso” seja capaz de gerar efeitos inteligentes? Nesse caso o acaso seria algum tipo de inteligência ou seria a completa inexistência de inteligência e, portanto, organização? Ou você acha que isso é bobagem e que não cabe procurar relação de causa e efeito nos fenômenos naturais?

    3) Você é materialista ou simplesmente ateu? O seu ateísmo é mais filosófico ou mais científico? Apesar de entender que é difícil separar essas duas coisas. Você acredita na possibilidade da existência de espíritos ou isso está totalmente descartado? Você acredita que você (sua consciência, pensamentos e sentimentos) é apenas uma criação do seu cérebro? Onde você acredita que possa estar a explicação para as habilidades inatas manisfestadas em idades muito tenras? Você acredita que o gene seja capaz de explicar a vida orgânica e, por consequência a vida humana, ou você acha que simplesmente ainda existem explicações que não foram encontradas que estão além dos genes? Ou você acha que não precisam existir explicações? Você tem alguma ideia/teoria de onde/como possa ter surgido o primeiro DNA no planeta e ou fora dele? Você acredita que a seleção natural explique quase todo o processo de evolução conhecido? Ainda que você não tenha muitas respostas, você realmente guarda a certeza sobre a não existência de Deus?

    4) Sobre fenômenos de contato ou comunicação com espíritos, narrados por diversas pessoas sãs, como você os interpreta? Seria ilusão de todos ou fenômenos sem explicação ainda, ou algum tipo de demência?

    5) Eu hoje conheço o Espiritismo que foi inicialmente organizado pelo pedagogo e cientista francês Hypolite Léon Denizard Rivail, e ele trouxe ideias extramente lógicas, sensatas e racionais para diversas questões ainda sem respostas na humanidade. Dentre outras coisas, existem explicações bem consistentes sobre inúmeros fenômenos chamados por ele de mediúnicos. Você conhece essa doutrina? Provavelmente você não acredite na realidade dos fenômenos mediúnicos (paranormais, espirituais, como queira). Se acredita, qual a explicação que tem para aqueles que você consegue vislumbrar. Se não acredita, é porque nunca viu ou não conhece ninguém que realmente tenha vivido, ou por outro motivo? Sobre por exemplo o Chico Xavier, que foi uma figura muito conhecida no Brasil, qual a explicação ou argumentação contrária aos fenômenos que envolveram a sua vida? Ou, por acaso, você não tem conhecimento dos mesmos? Você citou o Sherlock Holmes nos textos acima: você sabia que o escritor e criador desse personagem, Arthur Conan Doyle, tem um livro histórico sobre esses fenômenos? (http://www.luzespirita.org.br/leitura/l10.html) E além desse livro, ele escreveu outros sobre o tema, na Wikipédia pode-se encontrar as referências: http://pt.wikipedia.org/wiki/Arthur_Conan_Doyle. É claro que existem outros autores que falam sobre os fenômenos e, dentre eles podemos citar o William Croockes (http://pt.wikipedia.org/wiki/William_Crookes) que tem escritos interessantes como o livro “Fatos Espíritas” (http://bvespirita.com/Fatos%20Esp%C3%ADritas%20(William%20Crookes).pdf)

    Alguns links com as obras do Professor Rivail para apreciação: http://www.elivros-gratis.net/espiritismo-allan-kardec.asp ou para a leitura online http://livrodosespiritos.wordpress.com/
    Já adianto a importância da leitura da introdução da obra principal que seria “O Livro dos Espíritos”

    Você tem notícia de que diversas informações históricas e científicas publicadas em livros escritos por Chico Xavier nas décadas de 30 a 60 foram descobertas somente muito tempo depois, diversas somente neste século? E, em cima disso, qual seria a sua ideia sobre o fato? Por onde você acredita que possam passar as explicações para isso?

    6) E como, conforme li ainda a pouco durante a pesquisa que estou fazendo, alguns acreditam que a existência de Deus não pode ser compreendida (razão) mas precisa ser sentida (sentimento) até porque está além da razão, seguem mais algumas perguntas: Você tem filhos? Você já presenciou a morte de alguém muito querido para você? Já teve alguma doença muito grave? Já teve alguma experiência extrafísica? Se sim para alguma dessas questões, quais são os seus pesamentos em relação a essa experiência?

    Essas são algumas questões que eu gostaria de levantar. Compreendo se não puder ler tudo, ou mesmo se não puder ou não quiser responder. Mas espero poder conversar mais.

    Um grande abraço.
    Tiago
    ujdesign@gmail.com

  55. Olá Barros, vi que você postou algumas respostas antes que eu pudesse postar o comentário inteiro. Agradeço pelas respostas já postadas.

    Sobre os pensadores, quem você acredita que teria autoridade para falar sobre esse assunto? Ou todos teriam a mesma autoridade? Se todos tem a mesma autoridade, então a sua opinião tem o mesmo valor que a de qualquer pessoa, certo? Então ainda tratamos de uma opinião particular, certo? E aqui já entramos na outra questão também respondida: digo fé, compreendendo-se fé como certeza em alguma coisa que não se pode provar. E se você simplesmente acredita numa ideia sem condições de comprova-la, então isso é fé. Você pode dizer que a não existência não tem que ser provada, por se tratar de uma negativa. Entendo esse ponto de vista sobre a questão. Mas quando se diz que Deus não existe, você está fazendo uma afirmativa, ainda que seja com um não. É como se dizer que não pegamos aids pelo toque, fazendo uma analogia. Podemos afirmar isso por certas evidências, comprovações e chamamos isso de verdade. Não podemos negar que isso seja comprovado. Mas se você diz que não é necessário provar uma afirmação negativa, então também não se pode afirmar. Mas se você afirma, eu entendo ou que você tem provas contrárias a essa ideia, no caso a existência de Deus, ou você tem fé. É importante, que, caso você tenha provas sobre essa ideia, que coloque aqui para fortalecer as afirmações que são tão importantes para o diálogo que estamos travando aqui. Pode ser como link para leitura.

    Sobre seres imaginários, acho que não precisamos entrar em minucias, até porque isso é uma comparação fraca no que tange a ideia de Deus, porque não estamos falando de uma crença em um ser imaginário. No comentário completo acho que isso fica mais claro. Estamos falando de princípios e fundamento do pensamento. Não é uma questão de afirmar a existência de mais um ser imaginário. Ainda que entendamos que as pessoas possam criar e fantasiar sobre as coisas e chamar qualquer coisa de Deus. Talvez o necessário seja definir o que estamos chamando de Deus. Sobre shiva ou outros nomes que existam para Deus em cada cultura, isso é de menor importância. Precisamos discutir a essência e não nomes ou interpretações particulares.

    E sobre os benefícios e malefícios da crença em Deus. Apesar de sabermos de uma série de fatos históricos vinculados à religião que poderiam ser associados à ideia de Deus (e eu não acredito que tenha sido a crença em Deus a responsável por esse mal, mas a ganância que se utiliza do que for mais conveniente para executar os seus desejos, como hoje, em muitas culturas, já não é a religião o meio de dominação), ainda guardo a certeza de que a ideia materialista traga muito mais malefícios do que a maior parte das ideias espiritualistas.

    Ps. Verifiquei o purgatório mais acima e vi que tem muito material lá, então vou ler na medida do possível. Mas agradeceria o que você pudesse postar aqui.

    Vi que você também respondeu a um comentário de uma outra pessoa, mas citou algumas ideias interessantes. Devo dizer que esses fenômenos de estátuas chorando são sim muitas vezes fraudes, e ainda que possa existir algum que não seja e tenha outra explicação, é difícil de acreditar. Mas sobre o que você disse:

    “Se tem gente ouvindo batidas e não sabem de onde elas vêm, isso não caracteriza uma violação das leis da Natureza. Isso caracteriza a ignorância de não se saber o que está acontecendo.
    As coisas que desafiam as leis da natureza estão bem descritas apenas na sua Bíblia, justamente porque papel aceita tudo.”

    Eu gostaria de dizer que também não abraço a ideia de que os fenômenos estranhos por hora tenham, todos eles, explicação em alguma “bíblia”. E concordo plenamente com a afirmação de que “isso caracteriza a ignorância de não se saber o que está acontecendo”. Sobre essas batidas que você citou eu teria muitas perguntas….

  56. Tiago, todas as perguntas que você fez eu já respondi, de um jeito ou de outro nos quase mil textos que já publiquei nesse blog. Digite na ferramenta de busca do site o assunto, e você terá uma grande variedade de textos explicando como e por que eu penso de um jeito e não de outro. Não vejo motivo para eu — e não você — ir catar as respostas aos seus — não meus — questionamentos.

    Entretanto, seu número 6) me chamou muito a atenção:

    Você tem filhos? Você já presenciou a morte de alguém muito querido para você? Já teve alguma doença muito grave? Já teve alguma experiência extrafísica? Se sim para alguma dessas questões, quais são os seus pesamentos em relação a essa experiência?

    Nunca quis ser pai e, talvez por isso mesmo, não seja. Mas, se eu tivesse filhos, não iria exigir que eles me amassem incondicionalmente, muito menos iria ameaçá-los com torturas e tormentos caso não estivessem dispostos a isso.

    Se eu já tive “alguma experiência extrafísica”? Defina o que seja isso pra você e me dê um exemplo. Se você não conseguir definir nem dar um exemplo, a minha resposta será: “Não faço a menor ideia”.

    Não, nunca presenciei a morte de ninguém querido.

    Meus pensamentos em relação a isso? Ora essa! É a realidade que nos cerca e à qual nós estamos presos. O que se há de fazer? Quando alguém a quem amamos morre, ou vai embora; quando sofremos, quando somos acometidos de enfermidades curáveis ou incuráveis, tudo isso são coisas com as quais iremos nos deparar um dia. Inevitavelmente.

    A realidade está a nossa volta o tempo todo. Tentar escapar dela tomando drogas ou se agarrando a mitos idiotas é — não só a quintessência da covardia — desperdiçar a única vida que temos certeza que existe.

  57. Olá Barros! Não estou exatamente procurando respostas, mas querendo saber a sua opinião sobre os fatos e as ideias, por você ser o defensor de uma ideia com tanto fervor. E isso acaba nos enriquecendo. Mas, como você deu a ideia, estou dando uma olhada no purgatório e em alguns trechos não há espaço para comentários ou perguntas e vou fazer por aqui mesmo se for o caso.

    Mas, de qualquer forma fiquei feliz com o seu interesse pela questão 6 e por algumas coisas que você colocou. Acho ótimo que você compartilhe da ideia de que não devemos exigir amor dos filhos ou tortura-los de qualquer forma ou por qualquer motivo. E, gostaria de deixar claro que não acredito nas idéias de inferno, céu, anjos e demônios.

    Me desculpe por querer que você reescreva aqui pensamentos já expressos em outros momentos aqui no blog e, realmente acho que esse papel seria meu mesmo, o de procurar. Até porque entrei no seu blog para conversar. E pelo que você nos deixa claro, não está atrás de respostas ou mesmo perguntas. E esse blog é a demonstração da sua certeza.

    Sobre o meu pedido de seus pensamentos sobre essas experiências, seria possível a resposta somente se já as tivesse vivido. Mas como não é o caso, não dá para esperar que você nos traga esses pensamentos. Mas agradeço pelas palavras. E, gostaria que, se algum dia você passar por uma delas, me pudesse enviar esses pensamentos. São sempre extremamente enriquecedores nas nossas vivências e conclusões.

    E muito interessante foi a sua colocação final. Concordo plenamente que não devemos em momento algum querer escapar da realidade através de drogas ou mitos. E, posso completar, os fatos são o que teríamos de mais concreto dentro desse pensamento. E, gostei quando, apropriadamente disse “a única vida que temos CERTEZA que existe”, afirmando a incerteza sua e de todos sobre outras vidas. Ou seja, que você não pode afirmar nada. Acho isso ótimo e, pelo menos mostra que existe algum espaço para novas evidências, em qualquer sentido que elas apontem, dentro do seu pensamento. E com a sua colocação final você também me respondeu quanto à origem de seu ateísmo, que não é filosófico, mas científico, e que você entende a vida atual como fato real.

    Isso possibilitará conversas futuras sobre fatos. Acho um erro tanto de religiosos que negam fatos comprovados pela pesquisa científica e que possam contradizer suas crenças, assim como vejo um erro em pensamentos aparentemente científicos, também negando fatos, para afirmar suas verdades (crenças). Mas vejo que você não nega fatos, apenas afirma a falta de explicações para os mesmos quando é o caso, apesar de não se preocupar em saber das respostas para os fatos.

    Depois trarei algumas questões sobre o que li ou vi e ouvi postado em outras áreas do blog.

    Obrigado mais uma vez!

  58. MAF e Barros,

    não tem como a Imagem de Guadalupe ser uma fraude ou pareidolia. Na verdade, essa imagem que aparece no documentário é uma foto digitalizada de baixa resolução; quando, na verdade, a resolução do olho da Imagem de Guadalupe original é absurdamente alta; haja vista, que foi possível ampliar (PASMEM!!!) a imagem do índio (dentro do olho da Imagem de Guadalupe) e descobrir o reflexo que tinha no olho dele. Isto é REALMENTE INCRÍVEL!!!

    “…

    Não podendo os computadores trabalhar sobre a superfície rústica e sinuosa da tilma –exigem uma superfície lisa–, o Dr. Aste tirou muitas fotografias. Os olhos da Imagem medem de 2 a 5 milímetros de altura por 3 a 7 milímetros de comprimento. O computador, dividiu nas fotografias cada milímetro quadrado em 1.600 até 27.778 micro-quadradinhos, e depois ampliou, segundo o que se pretendia, de 30 até 2.000 vezes (!!!) cada micro-quadradinho. Nas fotografias computadorizadas os olhos ficavam de enorme tamanho.

    MAIS SURPRESAS: – O espanhol com a mão na barba e o índio sentado, por estarem no extremo mais externo do semicírculo, ficavam mais perto do observador. O computador só podia ampliar os olhos do índio, porque o espanhol estava meio virado. E… em ambos os olhos!, em tripla imagem!, em relevo!, em cores!, os computadores comprovaram toda a cena de outro ângulo! Corresponde a figuras microscópicas na pequeníssima pupila da Imagem Guadalupana…

    Ampliaram 3.500 vezes as pupilas dos olhos do Bispo, que na Imagem é de um milímetro. Num espaço correspondente a uma quarta parte de um milionésimo de milímetro na Imagem, vê-se a figura do índio Juan Diego mostrando a tilma com a figura da
    Virgem de Guadalupe!

    E o olhinho de Juan Diego também refletia uma figura: a cabeça de um homem de nariz aquilino, o bispo!

    José Aste Tönsmann tivera muitos motivos para perder o sono.
    Em fim, fica colossalmente ridícula a escapatória dos… céticos. Mesmo com a tecnologia atual, quem pintaria em um grosseiro ayate figuras da dimensão, da precisão e detalhes daquelas contidas nos olhos da Senhora de Guadalupe?

    … “.

    FONTE: http://institutodeparapsicologia.com.br/?portfolio=analise-dos-olhos-por-computadores

    Aliás, pelo que eu saiba, Phillip Callaghan, além de entomologista também é biofísico e especialista em imagem infravermelha e, junto com Jody Brant Smith, eram sim cientistas da NASA. E Richard Kuhn, Prêmio Nobel de Química, realmente analisou as fibras do tecido e afirmou que não havia corante de origem animal, vegetal ou mineral.

    Outra calúnia que muitos ‘apologistas’ céticos inescrupulosos espalham por aí é sobre a não existência do índio Juan Diego. Saiba que, durante o processo de canonização de Juan Diego, a Santa Sé reuniu nada menos do que 500 (!!!) documentos probatórios sobre sua existência:

    “…

    Um dos especialistas, o Pe Fidel González, sublinhou a importância do códice em língua asteca “Nican Mopohua” que recolhe “de maneira literária mas também histórica” a intervenção de Nossa Senhora de Guadalupe. Trata-se da principal fonte documental indígena.

    Mas há outras fontes que depõem no mesmo sentido como o “Inin Huey Tlamahuizoltica” (foto ao lado), o “mapa de Alva Ixtlixóchitl”, o “Inin Huey Tlamahulzoltzin”, o testamento de Francisco Verdugo, o “Códice Florentino”, o testemunho de Fernando de Alva, e o “Códice Escalada”, recentemente descoberto contendo um “atestado de óbito” do Santo príncipe.

    Já os documentos espanhóis são mais numerosos e autorizados. O mais antigo é do segundo arcebispo de México, D. Alonso de Montúfar (1554-1573). Os Papas, desde Gregório XIII (1572-1583), concederam indulgências e privilégios à ermida.

    …”.

    FONTE: http://cienciaconfirmaigreja.blogspot.com.br/2012/12/sao-juan-diego-vidente-de-guadalupe-foi.html

    Vale a pena ler o artigo por completo para desmascarar de vez essa calúnia. Vale a pena também ver a entrevista que o jornalista Naldo Gomes fez com o Pe. Quevedo sobre a Imagem de Nossa Senhora de Guadalupe:

    http://gomesnaldo.wordpress.com/2010/02/27/nossa-senhora-guadalupe-parapsicologia-padre-quevedo-jornalismo-freelance/

    Quem ainda não viu, aconselho a todos assistir o imperdível documentário do History Channel “GUADALUPE: UMA IMAGEM VIVA”; pois, ali, eles esclarecem muitos fatos e entrevistam pintores, astrônomos, físicos e o próprio Dr. Aste da IBM que fez a análise computadorizada dos olhos da imagem. Inclusive, fala sobre os estudos de Kuhn, Callaghan e Smith:

    Na verdade, o Santo Sudário, a Imagem de Guadalupe e outros supostos milagres da Igreja Católica são levados tão a sério pela Ciência Moderna que, recentemente, o ENEA (Agência Nacional Italiana para a Energia e as Novas Tecnologias) reuniu nada menos do que 40 (!!!) CIENTISTAS E PROFESSORES de diversas especialidades e países – EUA, França, Áustria, Canadá, Dinamarca, Alemanha, México, Israel, Polônia, Espanha e Itália – para estudar os aspectos químicos, físicos, mecânicos e médicos das mais famosas imagens “aqueropitas” (quer dizer, não feitas por mãos humanas), a saber, o Santo Sudário de Turim, o manto ou “tilma” de Guadalupe e o Véu de Manoppello:

    http://cienciaconfirmaigreja.blogspot.com.br/2013/04/o-veu-da-veronica-2-o-que-dizem-os.html

    Penso que se o Barros, você e outros céticos radicais não acreditam em Deus e não confiam na Igreja, deveriam pelo menos acreditar e confiar na Ciência. Agora, se nem a entrevista com cientistas de verdade envolvidos no estudo dos milagres da Igreja podem convencer vocês, não serei eu a poder fazê-lo!

  59. D.R. :

    Não podendo os computadores trabalhar sobre a superfície rústica e sinuosa da tilma –exigem uma superfície lisa–,

    Se a superfície da tela é rústica e sinuosa, como poderia haver imagens em alta resolução?
    Tsc, tsc, tsc.

    não tem como a Imagem de Guadalupe ser uma fraude ou pareidolia. Na verdade, essa imagem que aparece no documentário é uma foto digitalizada de baixa resolução; quando, na verdade, a resolução do olho da Imagem de Guadalupe original é absurdamente alta; haja vista, que foi possível ampliar (PASMEM!!!) a imagem do índio (dentro do olho da Imagem de Guadalupe) e descobrir o reflexo que tinha no olho dele. Isto é REALMENTE INCRÍVEL!!!

    Desculpe, desculpe, desculpe!
    Vi o documentário e pra mim não mudou nada, é pareidolia mesmo.
    Em um caos de manchas e tons variados pode-se extrair aquilo que sua imaginação quiser tendendo às preferências pessoais.
    Aposto que no piso do meu quintal há uma miríade de imagens que podem ser extraídas por qualquer pessoa imaginativa.

    Aliás meu caro, fica a pergunta:
    Já que o propósito era produzir algo sobrenatural, um milagre, para convencer as pessoas sem deixar dúvidas.
    Por que produzir algo tão porcamente, na forma de manchas indefinidas?
    Por que não imprimir uma série de micro-imagens bem definidas que não deixariam margens para dúvidas?

    Quanta incompetência!

  60. Aliás, meu caro, mais uma pergunta, aproveitando o gancho de MAF, por que, se o objetivo era produzir um milagre, não se providenciou que a “santa” saísse andando e falando de uma vez? Licença, viu, mas o Mister M fazia truques bem mais convincentes.

  61. kkkkkk ssrodrigues sempre mandando bem, eu não sei se de propósito ou por inocência mas os teistas tem uma sede de serem iludidos.
    Que doença será esta?!

  62. SSRODRIGUES e ADAMANTDOG,

    é também por isso que a Imagem de Guadalupe (assim como o Santo Sudário) não pode ser uma pintura feita por mãos humanas. Haja vista, que o tecido rústico em que se formou a imagem não deveria ter durado nem 30 anos; sendo que séculos atrás foi feita uma réplica da imagem que se desintegrou após algumas décadas, enquanto a Imagem de Guadalupe original já tem quase 500 anos.

    Essas imagens dos olhos da Imagem de Guadalupe que aparecem na internet são granuladas, justamente, por causa da resolução da fotografia analógica que é de (se não me engano) uns 10.000 dpi ou pontos por polegada (para se ter uma idéia, uma boa impressora hoje imprime de 300 dpi até 1200 dpi); é uma resolução até alta, porém muitíssimo menor do que a da imagem original que chega a um quarto de mícron (um milímetro dividido em quatro milhões de vezes); e quando se digitaliza tal fotografia (cuja resolução vai depender do scanner, como o usado pelo Dr. Aste em 1979) e amplia um olho (de uns 5 mm x 7 mm) e, pior ainda, os olhinhos dos personagens que estão dentro do olho da Imagem de Guadalupe não tem como a imagem não ficar granulada. Daí, toda essa especulação (sem fundamento científico) sobre as figuras serem mera pareidolia.

    No blog abaixo, dá para ver uma foto da Imagem de Guadalupe, razoavelmente grande, sendo observada por um senhor de cabelos brancos e outras pessoas, onde dá para ver que o homem com a mão na barba que aparece no canto inferior direito do olho da imagem não é pareidolia; mesmo porque, tal figura (e, aliás, toda a cena) aparece em ambos os olhos devidamente distorcida como em olhos reais; inclusive, apresentando o fenômeno ótico da “tripla imagem de Purkinje-Samson”:

    http://infallible-catholic.blogspot.com.br/2012/04/miraculous-image-of-our-lady-of.html

    Como você bem argumentou, mas como é possível uma imagem de tão altíssima resolução num manto rústico desses?

    Na verdade, segundo li, a imagem não toca as fibras do tecido (flutua a três décimos de milímetro) e nem é formada por pigmentos; tanto que apresenta o fenômeno da iridescência; ou seja, dependendo do ângulo em que se olha a imagem original, ela muda levemente de cor (como as asas de borboleta). E, quando observada a menos de 10 cm de distância, ela simplesmente desaparece. Os retoques feitos ao longo dos séculos sobre a imagem original também não tocam ela e vão caindo com o tempo. Coisa impossível de ser feita até mesmo nos dias de hoje, ainda mais naquela época!

    Além do que (como nas asas de borboleta) as cores são sempre vivas e não desbotam; conforme conclusão do Dr. Callaham:

    “…

    O Manto é um azul turquesa escuro.. Este fenômeno se apresenta INEXPLICÁVEL porque todos esses pigmentos são semi-permanentes e conhecido por ser sujeito a considerável desbotamento com o tempo, especialmente em climas quentes. As pinturas indianas Maya de parede azul já estão mal desbotada. O manto azul, no entanto, é brilhante o suficiente para ter sido colocado na semana passada. [há um inacreditável brilho das cores neste retrato que impressiona e surpreende quase todos os visitantes para o santuário de Nossa Senhora de Guadalupe, na Cidade do México hoje.]

    A característica mais notável do manto é sua notável luminosidade . É altamente reflexiva de radiação visível ainda que transparente aos raios infravermelhos… Como no caso do manto azul, a sombra do manto rosa é misturado na camada de tinta e nenhum desenho ou esboço é evidente sob o pigmento rosa. …

    O pigmento rosa parece ser INEXPLICÁVEL… Um dos aspectos mais estranhos desta pintura é que não há absolutamente nenhuma camada protetora de verniz. Apesar dessa incomum falta de repintura de proteção, o robe e o manto são tão brilhantes e coloridas , como se a pintura foi recentemente colocado.

    Uma das técnicas verdadeiramente MARAVILHOSAS e INEXPLICÁVEIS ​​utilizados para dar realismo à pintura é a forma como ele se aproveita das irregularidades da tilma para dar-lhe profundidade e torná-lo realista. Isto é particularmente evidente na boca , onde a fibra grosseira é levantada acima do nível do resto do tecido e segue perfeitamente o cume na parte superior do lábio . As mesmas imperfeições ásperas ocorrer abaixo da área destacada na bochecha esquerda e à direita e abaixo do olho direito . Eu consideraria IMPOSSÍVEL que qualquer pintor humano poderia selecionar uma tilma com imperfeições da trama posicionado de modo a acentuar as sombras e dar realismo. A possibilidade de coincidência é ainda mais IMPROVÁVEL… O preto dos olhos e do cabelo não pode ser óxido de ferro ou qualquer pigmento que se torna marrom com a idade para a pintura não é nem rachado nem desapareceu com a idade. A coisa realmente FENOMENAL sobre o rosto e as mãos é a qualidade tonal que é tanto um efeito físico da reflexão da luz na grosseira tilma como a pintura em si.

    ~ Philip S. Callahan, “O Manto Sagrado Sob Radiação Infravermelha “, Estudos sobre CARA Devoção Popular , Volume II: Estudos Guadalupana , No 3 ( Washington, 1981) pp 9-15 .

    “. (Obs.: traduzido com a ajuda do Google)

    FONTE: http://www.phatmass.com/phorum/topic/29149-lady-of-guadalupe-miracle-debunked/

    Fora as outras inúmeras evidências sobrenaturais, como a temperatura fixa do manto (a mesma de um corpo humano) tanto no inverno como no verão e as batidas de coração no ventre da imagem; que não precisa nem ser um grande cientista para constatar, bastando um termômetro e um estetoscópio para comprovar tal fenômeno. Embora nenhum de nós aqui, muito provavelmente, jamais terá acesso à imagem original; e, por isso, temos que confiar na palavra e nos estudos científicos realizados pelos renomados especialistas e cientistas que tiveram acesso a ela.

    Em quem acreditar? Nos ativistas céticos, no mágico Joe Nickell e companhia limitada e em suas especulações pseudo-científicas ou em cientistas de verdade e em seus estudos científicos sérios? Tais como: Richard Kuhn (Prêmio Nobel de Química), Phillip Callaghan e Jody Brant Smith (cientistas da NASA), Dr. Aste Tonsmann (Centro Científico da IBM), Dr. Javier Torroella (consultor da OMS), Dr. Enrique Graue (um dos mais competentes oftalmologistas da América) e tantos outros que estudaram o MILAGRE DA IMAGEM DE GUADALUPE!

    Quanto à sugestão da santa sair andando de uma vez, pergunta para Deus quando você estiver face a face com Ele!

  63. Deus, a grande ilusão da humanidade.

    Uma das mais famosas doutrinas de Spinoza, influente e incendiária, diz respeito à origem das Escrituras Sagradas. A Bíblia, Spinoza argumenta no Tratado Teológico-Político (1670) não foi, literalmente, autoria de Deus.

    Deus ou a Natureza são metafisicamente incapazes de proclamar ou ditar, e muito menos de escrever. Escritura não é “uma mensagem para a humanidade enviada por Deus do céu”.

    Pelo contrário, a Bíblia, para Spinoza, é um documento mundano, a compilação de textos de vários autores com diferentes origens socioeconômicas, textos esses escritos em diferentes momentos durante um longo período de tempo e em diferentes circunstâncias históricas e políticas, e que foram passadas através de gerações mediantes cópias de cópias de cópias.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: