A moral prostituída do cristianismo (Pt. 3)

 .certo_ou_errado

“Se Deus não existe, tudo é permitido”

Uma das declarações mais idiotas que se pode atribuir ao cristianismo é a de que a moral que compartilhamos hoje é originária do seu livro sagrado. Se não fosse “a palavra” de Deus, nós todos sairíamos por aí matando, roubando e estuprando quem quiséssemos, porque não haveria um “freio moral”, ninguém teria noção de certo e errado, nem temeria um castigo inevitável por seus crimes. Claro que, se você mencionar os vários textos “da palavra” em que a divindade cristã se mostra particularmente condescendente com atos de chacina, pilhagem e estupro (quando não ordena ou incentiva ela mesma tais atos), o crente vai dar nó em pingo d’água para convencer você de que você está lendo errado, ou não está considerando o contexto. Aparentemente, dependendo do contexto, o estupro não seria algo condenável, como quando você está querendo desposar uma gatinha linda que teima em não te querer como marido (Deuteronômio, 22:28).

As vísceras daquela famosa declaração imbecil foram expostas por Richard Dawkins, que apontou a impossibilidade lógica da moral cristã provir da Bíblia, se os próprios cristãos são responsáveis por determinar o que considerar como moralmente aceitável nas suas páginas. Ora, se é o crente que seleciona do seu texto santo o que seguir e o que descartar, então ele está recorrendo a um parâmetro de moralidade que não pode estar contido naquele texto. Você não pode levantar uma cadeira do chão se estiver sentado nela. 

Mas peça para alguém listar algumas características dessa suposta “moral cristã”, e você vai ouvir coisas como amor ao próximo, caridade, respeito à vida, compaixão, tolerância e um monte de outras amenidades. Entretanto, se um E.T. recém-chegado ao nosso planeta quisesse saber de onde o crente tirou esses valores morais, e se fosse informado de que eles vieram da Bíblia, e caso se desse ao trabalho de conferir a informação, certamente ficaria intrigado com a discrepância entre aquelas amenidades e o que iria encontrar durante a sua leitura. 

O livro sagrado dos cristãos pode ser tudo, menos um guia moral que nossa sociedade — hoje — se veria tentada a seguir ou respeitar. Como eu costumo dizer: Felizmente, para todos nós, nenhum crente se dispõe a levar Deus muito a sério. Caso contrário, viveríamos ainda numa sociedade em que seria aceitável ter escravos e estuprar virgens. 

 

 

Anúncios

8 Respostas

  1. Barros,

    Vamos inverter um pouco a coisa: me explique como o seu ateísmo, aquele que acredita que tudo é fruto do acaso e regido puramente pelas leis da física e da química, incluindo o pensamento, fruto de sinapses cerebrais (portanto, reação química pura), me explique como o seu ateísmo pode falar em qualquer tipo de moral objetiva. Imaginemos um mundo 100% ateus, que moral objetiva pode haver? Qual a noção do certo e do errado? Por que você não usa o seu espaço no blog para discutir isso?

  2. Barros

    O que os crentes cristãos amam fazer de conta que ignoram é que não existe uma moral de origem cristã, não a que todos seguem. O que é de origem cristã é uma baita de uma imoralidade, por mentirem descaradamente que são os criadores da moral que todos seguem, eles inclusos, que na realidade foi desenvolvida e aperfeiçoada pela humanidade ao longo do tempo.
    O cristianismo, como todas as instituições, é fruto da evolução humana. Nessa condição tanto é formada por boas pessoas e bons valores, quanto por maus valores e más pessoas. Mas tendo em vista essa apropriação indébita, essa mentira, acaba que o cristianismo é essencialmente imoral e corruptor. As boas pessoas cristãs, que as há, são boas pessoas apesar do cristianismo, não por causa dele.

  3. Concordo plenamente.

    E seu argumento sobre o vídeo apologético também foi muito contundente e sensato. Interessante o trecho em que ela faz a comparação com um buffet, como se fosse o caso de, em se reduzindo o consumo de carne per capita, fosse “sobrar” mais comida para os milhões de famintos do mundo.

  4. Colé Barros !
    Não se acovarde e responda a pergunta tão desconfortável que o cristão te fez! Quero ver você dar uma resposta a altura. Uma dica : pra pergunta cretina vale dar resposta idiota.

  5. Fernando, é o mesmo que argumentar com uma porta.

    Ele mesmo confessou que viu o vídeo que eu divulguei chamado “Dissertação sobre moralidade”, que fala justamente que não existe isso de “moral objetiva”, e taí ele voltando à carga. A única coisa que ele disse sobre o vídeo foi que o rapaz era bonito.

    Mas eu vou, sim, responder à altura, nos próximos textos da série. Em termos de moralidade, o cristão que leva a sério o cristianismo não passa de uma prostituta.

    Com minhas sinceras desculpas às prostitutas pela comparação infame.

  6. Beleza, estou esperando a resposta… até agora pipocaram de todos os lados, me chamaram de prostituto, crente burro, pergunta cretina, etc., perderam tempo com ofensas e poderiam ter usado o mesmo para me responder. Por que será que dançam de um lado ao outro e não respondem? Não é o ateísmo que veio para explicar toda a irracionalidade do cristianismo? Por que se calam quando tem de falar de vocês mesmos?
    Mas não tem problema, aguardo pela minha resposta, se um dia vier.

  7. Andre Lopes,

    Para ser ateu não precisa acreditar em tudo aquilo que vc descreveu, ser ateu é não acreditar em Deus(s) seja ele qual for, não precisa acreditar em nada sobrenatural ou em teorias científicas para ser ateu, claro qeu tem ateus que acreditam nessa vertente, mas esse fato não caracteriza o ateismo.

  8. Alex,

    Obrigado pela explicação, mas não parece uma decorrencia lógica e obrigatória que, se você acredita que o universo vem do acaso e obedece a leis de física e química somente, não há que se falar em moral objetiva. Podemos falar em moral subjetiva, a minha, a sua, ou até de uma sociedade, mas o conteúdo dessa mora é varíavel, não há o certo absoluto.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: