A moral prostituída do cristianismo (fim)

 .jesus_prostituee copy

A chamada “moral cristã” teria que ser, obrigatoriamente, uma replicação da moral de Jesus Cristo. Mas quais seriam os valores morais de Jesus? Essa não é uma pergunta fácil de ser respondida, porque o filho de Deus não quis dar-se ao trabalho de deixar registrado nada de próprio punho. Tudo o que os seus “seguidores” têm dele são relatos de pessoas diferentes, escritos de segunda ou terceira mão, muito depois da pretensa época em que ele andou pelos desertos fazendo mágica, que foi a maneira mais inteligente que ele encontrou para fazer com que o mundo todo soubesse como se comportar para escapar do Inferno. E como se isso já não fosse um problema, os textos dos evangelhos sugerem que o Cristo não tinha lá uma personalidade muito forte, que pudesse ser inspiradora de um suposto padrão moral. Ora Jesus se mostra firme defensor das leis morais que seu povo seguia, ora se revela um rebelde, um transgressor dessas mesmas leis. Ora queria posar de Buda e inspirar as pessoas a “dar a outra face”, ora se enchia de fúria e invadia templos dando porrada em todo mundo.

O tragicômico da lenda de Jesus Cristo é que ele foi crucificado por ter enfurecido os líderes religiosos do seu povo, justamente por estar incitando as pessoas a desobedecer as leis que ele mesmo lhes havia ditado dos céus, como Deus. 

Mas se não pode ser a Bíblia o padrão moral do cristão, que padrão ele segue? Resposta: ele segue o padrão moral estabelecido na sua sociedade. Exatamente como um ateu, ou qualquer outro crente em qualquer outro deus.

Minha avó tinha um ditado bem interessante: “Em terra de sapos, de cócoras com eles”. E isso resume tudo. Nossos padrões morais não caem do céu. Somos nós mesmos, como sociedade, que determinamos o que é certo e o que é errado, o que é aceito e o que é intolerável, o que “pode” e o que “não pode”. A partir disso é que as leis morais se originam. O caminho inverso, em que se impõe à sociedade uma conduta moral através de leis, é prerrogativa do autoritarismo. Num Estado Democrático de Direito, as leis são escritas por representantes do povo, para expressar uma conduta moral já em voga.

Se o crente tem algum percentual de sua moralidade vinculado exclusivamente à Bíblia, é algo paradoxalmente imoral, pois não passa do interesse pessoal posto acima de todos os demais valores que se esperaria encontrar num ser humano minimamente decente. Se o cristão dá uma esmola, se faz caridade, se ajuda o próximo, nada disso é pelo outro, mas por si mesmo, visto que ele estaria tão somente tentando “agradar” a Deus e esperando se dar bem com isso. Em síntese, é uma troca de favores: eu faço um sacrifício e você me recompensa. O que, de certa forma, faz de todo cristão uma prostituta.

Com minhas sinceras desculpas às prostitutas, pela comparação infame.   

 

 

A moral prostituída do cristianismo (Parte 1)

A moral prostituída do cristianismo (Parte 2)

Anúncios

48 Respostas

  1. Jesus não deixou nada de próprio punho, mas não falta quem o interprete. O vídeo abaixo é impressionante exemplo dessa imoralidade que é o cristianismo, o padre que está falando é uma espécie de ícone entre os católicos mais fanáticos, um horror completo o argumento dele: para evitar o inferno o católico não pode pensar por conta própria; embora o católico deva ler a bĩblia, precisa deixar que o padre a interprete. Etc.

    https://padrepauloricardo.org/episodios/como-ir-para-o-inferno-parte-1#.UzSzVmULHhA.facebook

  2. só lembrando o cristianismo só começou depois da morte de cristo(pela igreja católica apostolica romana ) , portanto nao poderia nem existir moral cristã , ate pq jesus cristo nao era visto como um mestres espiritual ,mas sim um curadeiro que fazia milagres ou mágia .

  3. Shirley, eu vi lá o vídeo. Ridículo, nauseante, revoltante. Preciso me controlar às vezes pra não dar uma de Jesus Cristo e chutar o pau da barraca.

    carlos souza

    portanto nao poderia nem existir moral cristã

    Estou falando do presente, que é onde eu vivo. Hoje. Agora.

  4. Pois é, não sei o que é mais estupefaciente, se um cara se sentir autorizado a dizer às pessoas que elas devem desistir de pensar por conta própria fazendo chantagem ordinária ou se são as pessoas que o autorizam a agir assim, e ainda o elegem um modelo a ser seguido. Fica ainda mais insultante quando a gente pensa que esse povo sai por aí falando que é essa moral a que tem que ser seguida.

  5. Barros
    Muito bom seu texto coerente e conclusivo.
    Comecei a ver o vídeo do link da Shirley, mas, interrompi quando ouvi o padre falar que antes de tudo precisamos entender a psicologia de satanás. É, o capeta tem psicologia, é muito inteligente e a usa para disputar os homens com Deus nessa guerra eterna.

    Bem, devo voltar aqui depois que terminar o vídeo, se eu conseguir chegar até o final.

    Bye

  6. Religiosidade é um tipo de doença mental. As pessoas perdem o discernimento, o senso crítico e o senso do ridículo.

    Essa doença é difícil de combater, porque Deus é igual ao vírus da gripe: não é um tipo só. Cada crente tem um Deus que concebeu pra si mesmo, baseado na sua própria ideia de como um deus deve ser.

    Aqui mesmo no blog eu leio comentário de leitores cujo Deus é fruto de sua imaginação apenas; ou seja, nem sequer corresponde ao Deus bíblico, ou ao Deus da igreja católica, etc. É uma versão exclusiva deles, que — ao que parece — se revelou somente a eles. Como eu digo sempre: tô esperando eles escreverem uma bíblia primeiro, pra só depois criticar a invenção deles também.

  7. Bem colocado. Parabens.

  8. Cada crente tem um Deus que concebeu pra si mesmo, baseado na sua própria ideia de como um deus deve ser.

    De tudo que a humanidade tem, me diga que outro exemplo de UM LIVRO que é aceito por BILHÕES de pessoas, como a bíblia e o alcorão. Assim, a religião é uma das coisas mais ‘padronizadas’ que existe. O que ocorre é que individualmente é impossível entender algo EXATAMENTE como uma outra pessoa, isso vai da interpretação de um filme a opinião se está frio ou calor, é normal. Inclusive o ateísmo agora está cheio de ‘sub-divisões’, não está?

    Como eu digo sempre: tô esperando eles escreverem uma bíblia primeiro, pra só depois criticar a invenção deles também

    O seu espírito é só de criticar o outro. Parece aqueles comentaristas de futebol que sabem mais que o técnico, mas nunca conseguem um emprego em time algum.

  9. De tudo que a humanidade tem, me diga que outro exemplo de UM LIVRO que é aceito por BILHÕES de pessoas, como a bíblia e o alcorão.

    “UM LIVRO”… Ou é a conclusão de um ignorante, ou a de um crente fanático. Não sei qual dos dois casos seria o pior, mas só no primeiro caso alguém poderia esperar alguma comiseração de minha parte…

    Desespero de causa: o deus dos muçulmanos não é o mesmo Deus cristão. Bem, os dois têm parte do Antigo Testamento (não a Bíblia) como… digamos… origem comum. Mas o Deus cristão estuprou uma mocinha, e Alá não. Alá achou melhor mandar sua mensagem via Maomé, Deus escolheu vir ele mesmo disfarçado de si próprio.

    Eu acho bem coerente você procurar argumentos em todo canto, mas, convenhamos, é muito louco isso de ficar contando com o deus dos outros para justificar o seu.

  10. Eu já escrevi fartamente sobre esse tipo de abordagem na minha série: Imbecilionismo.

    Para tentar sustentar sua tese, o crente recorre a argumentos que, estando corretos, vão provar que ele está errado. Imbecilionismo: sustentar uma posição imbecil usando argumentos imbecis.

  11. Barros:

    Mesmo que o Deus Cristão e Muçulmano sejam diferentes, o ponto é que Deus não é ‘cada um tem o seu’ como você afirmou, pois se houver 2 ou 3 religiões dominantes no mundo todo, é prova contrária de que cada um tem o seu Deus.

    Vou tentar assistir aos vídeos que você recomendou, pelo menos vejo que o locutor não é o menudo do “não se reprima, não se reprima oh oh”

  12. Existe, sim, uma moral contida nos gestos de Jesus e nas suas palavras. Pode não ter sido original, pode ter sido um reflexo do que muitas pessoas pensavam anteriormente a ter iniciado a sua vida como pregador mas mesmo assim a sua moral visava o melhoramento das condições de vida dos que o rodeavam, dos seus iguais. Quando transgrediu o sábado fê-lo conscientemente; sabia que estava a correr sério risco, não podendo ignorar que a pena máxima seria a morte. Ao colher as espigas num sábado, ao curar o homem da mão mirrada estava a ser o porta-voz de todos os que, por medo, suportavam em silêncio o peso da Lei. «Mas se vós soubésseis o que significa: misericórdia quero, e não sacrifício, não condenaríeis os inocentes.» Até o próprio Barros concorda com esta máxima ou não? Ou, para, si, isto não é moral?
    Seguir a moral do cristianismo apenas para satisfação da sua própria consciência e não para obter favores de Deus até o Barros o faz. Ou passa por cima dos sentimentos de misericórdia que é o mesmo que compaixão?

  13. Olá, ssrodrigues. Pois, não falta quem o interprete. À falta de uma autobiografia tem que ser assim. O cristianismo não é imoral, as doutrinas construídas em cima das atitudes de um homem que virou mito é que o são. As palavras dos evangelistas não estão repercutidas na opinião deste padre, pois não?

  14. «E se saudardes unicamente os vossos irmãos, que fazeis demais? não fazem os publicanos também assim?» Quem discorda desta moral? Seria a Lei compatível com estas palavras?
    Jesus não veio modificar a Lei, veio humanizar a Lei porque o seu Deus era o Pai que está nos céus. Na justiça atual, uma pena leva em consideração fatores atenuantes e por isso tem uma duração maior ou menor. Esta é a humanização da lei nos nossos tempos.

  15. Na cena sobre o apedrejamento de Maria Madalena, o que Jesus “ensinou”? Que só quem realmente cumpre “a Lei” está autorizado a executá-la. Se um judeu, dentro de uma sociedade judaica, não está seguindo os terríveis mandamentos de Deus, não deveria ficar tão afoito para punir aqueles que também não os estavam seguindo.

    No que isso melhoraria as condições de vida dos seus iguais?

    Você, Maria, acha certo toda gente se reunir e apedrejar um casal só porque foram pegos transando sem ser casados? Não? Ora, veja! Que surpresa!

    Se não acha certo, então eu lamento dizer que seu senso moral não está alinhado com o de Deus, nem com o de Jesus, pois ambos achavam que era o que devia ser feito. Um escreveu a lei, e o outro a chancelou. Isso sem falar no apoio à escravatura, aos casamentos em que a mulher é comprada pelo marido, à xenofobia e por aí afora.

    As leis de Deus caíram por terra porque a nossa moral, hoje, não é compatível com a moral das pessoas que supostamente transcreveram as vontades do Criador. Nós não aceitamos que alguém seja morto a pedrada, ou por qualquer outro meio, por coisas como trair o marido, sentir atração sexual por alguém do mesmo sexo, ou trabalhar num dia proibido. Isso é ridículo.

    Como que eu sei que isso é ridículo? Porque a sociedade em que eu nasci e me criei felizmente me ensinou que é assim. Era bem diferente na época em que Deus nasceu, e, assim, ele endossava os valores morais de seu tempo.

    O crente enxerga um Jesus fofinho e todo bonzinho porque fecha os olhos para todas as terríveis coisas com as quais ele certamente concordava e que são imorais para nós.

    No fim das contas, como sempre, o crente faz uma “seleção” do que aproveitar na Bíblia, usando um senso moral que independe dela.

  16. E quanto àqueles meus inimigos que não quiseram que eu reinasse sobre eles, trazei-os aqui, e matai-os diante de mim. Lucas 19:27

    Que Jesus amável e misericordioso! Quem não aceitá-lo como seu “Senhor”, terá uma amostra terrível de seu “amor”.

  17. Um crente uma vez disse pra mim: “Mas isso era só uma parábola!”.

    Então foi só dessa vez que Jesus contou uma parábola e, sendo parábola, não era pra levar a sério? Já viu, né? Mais um exemplo de como o crente “escolhe” o que quer ver.

  18. Jesus estava perante uma cilada. O texto explica-o. Como mostrar misericórdia sem ser acusado de desobediência à lei? Não se esqueça de que ele era um pobre homem, igual a mim e a você. Foi uma saída sábia porque ele conhecia bem a índole humana e a sua natureza pecaminosa. Ele não está a ensinar, como você insinua, que a mulher devia ser apedrejada se os seus acusadores estivessem imaculados. Ele era dotado de COMPAIXÃO e essa virtude transformou-o num mito. Claro que adulterar era visto como um pecado e hoje em dia não tem boa conotação. É uma deslealdade para com outra pessoa.

  19. Jesus estava perante uma cilada.

    Errado. Você cai numa cilada quando é surpreendido pelo resultado do plano de uma outra pessoa. Na estória contada na Bíblia, Jesus não estava inocente de seu destino, nem dos acontecimentos necessários para que ele cumprisse sua “missão”.

    Como mostrar misericórdia sem ser acusado de desobediência à lei?

    A misericórdia da mesma pessoa que disse querer ver seus dissidentes esquartejados na frente dele?

    Ele não está a ensinar, como você insinua, que a mulher devia ser apedrejada se os seus acusadores estivessem imaculados.

    “Aquele que estiver sem pecados, que atire a primeira pedra”.

    Você está distorcendo sua interpretação para ver o que quer ver, mas o texto acima não dá margem à interpretação.

    Ele era dotado de COMPAIXÃO

    Você não deve ter lido todos os evangelhos. Há uma cena bem conhecida em que uma mulher não judia chora aos pés de Jesus para que ele cure sua filha extremamente doente. Mas Jesus se recusa simplesmente por tratar-se de uma estrangeira, e ele, segundo ele mesmo, tinha vindo para os judeus.

  20. Quem não aceitasse o reino de Deus anunciado não só por Jesus mas também por João Batista teria uma morte espiritual. É como aquela frase «deixai os mortos enterrarem os seus mortos». Sentido figurado. É assim que eu interpreto essa parábola. Os evangelhos não relatam o assassínio de ninguém por Jesus e ele estava a falar com termos terrenos.

  21. Maria

    O cristianismo é imoral e é corruptor.
    É imoral por que mente sobre ser a origem dos valores morais que todos seguimos. A propósito, esse Jesus não inaugurou o sentimento de compaixão na humanidade; fica aí um exemplo de como o cristianismo tem o hábito de, direta ou subjetivamente, se apropriar de valores que são anteriores a ele.
    E é corruptor, pois coloca sua prática mentirosa sob a pretensa “autoridade” de um pretenso criador do universo, fazendo que as pessoas assumam como verdade uma mentira.
    Se por evangelistas você está se referindo aos apóstolos, esse padre se gaba de seguir a bíblia ao pé da letra. O tanto que os valores morais vigentes permitem, é claro. Pois por exemplo, se ele e seus seguidores tentarem impor a visão moral plena do evangelista mais famoso do cristianismo, Paulo, às relações sociais atuais, vai ter sérios problemas não só com os demais católicos, como com muitos outros crentes de outras religiões.

  22. Maria x Barros

    os fariseus eram hipócritas que colocavam seus interesses políticos acima das leis mosaicas as quais diziam seguir, Jesus evidenciava suas hipocrisias, então procuravam na lei uma desculpa para mata-los, da mesma forma que acusaram Daniel de não referenciar o rei nabucodonosor .
    por fim acabaram usando a lei de não poder trabalhar no sábado como desculpa para assassina-lo dentro da lei de moisés.
    Como voce bem colocou armaram mais esta cilada para Jesus, as pedras que eles levaram não eram destinadas a Madalena e sim para matarem Jesus, conhecendo a sua boa índole sabiam que ele não cumpriria essa lei desumana de moisés, e esperavam que ele declarasse em publico que não faz parte da lei de Deus matar pecadores, pois como bem disse Jó, nos fez do barro se ja sabia que iriamos pecar , para depois poder nos castigar , melhor seria não nos ter criado por isso amaldiçoou o dia que me criaste.
    De fato se isto fosse uma verdade, deus seria apenas um sádico, torturando suas cobaia humanas.
    Jesus ensinou muito mais que algumas leis de moisés são desumanas e que não devem ser seguidas, ele ensinou que a verdadeiras leis de Deus não esta escrita em livros (porque Deus não habita obras construídas por mãos humanas, pois o reino de Deus esta dentro do homem, pois devemos adora-lo em espirito, e não em matéria), assim Jesus ensinou que antes de seguirmos a justiça e leis de homens escritas em livros de homens, devemos primeiro consultar o tribunal da nossa consciência que é onde Deus habita e pasme ! Até os fanáticos fariseus seguidores das leis de moisés conseguiram entender e aceitar este ensinamento de Jesus, enquanto os atuais religiosos fanáticos relutam em admitir que “algumas” leis de Moises são bárbaras e de origem humanas,mas este não seria o seu caso , né?

  23. conhecendo a sua boa índole sabiam que ele não cumpriria essa lei desumana de moisés

    Olha só quem vem me falar de hipocrisia!!

    De repente, as leis eram “de Moisés”, e Deus não tem nada a ver com isso… Sei… De repente, também, os 10 mandamentos foram ideia de Moisés, não? E Deus também não tem nada a ver com isso, porque, de fato, ele precisaria existir em primeiro lugar.

    A Bíblia é uma paleta da qual o crente escolhe as cores que quer para pintar o que lhe parece ser o quadro mais conveniente…

  24. O Barros também só vê o que quer ver. Os defeitos de um homem falecido há mais de dois mil anos. Mas esquece-se que há quem queira seguir ainda essa moral, que era boa, e que a religião não é a causa de todos os males mas sim a natureza do homem.
    Há muitos livros que se debruçam sobre a época histórica de Jesus para tentarem compreender a sua vida pública. Os seus autores tentam manter-se imparciais quanto à sua crença. Não li nenhum desaforo em relação a Jesus. As questões pessoais são postas de lado. Ao longo das páginas não há xingamentos, explosões de ódio. Por que é que não faz o mesmo? Pediu alguma coisa a Deus que não lhe foi concedida? Eu também não acredito em Jesus Deus mas não ando para aqui com o dedo acusatório. Tomara você ter a coragem dele…

  25. Maria

    Mas esquece-se que há quem queira seguir ainda essa moral, que era boa, e que a religião não é a causa de todos os males mas sim a natureza do homem.

    O que pode haver de bom numa moral que prega a aceitação da humilhação e a sanção da maldade praticada contra si próprio?
    A religião é criação humana, como é possível dissociá-la da natureza humana?

  26. Boa pergunta, ssrodrigues. Quem criou as religiões foram mentes humanas por isso está tudo interligado. Não é a crença em si que está errada mas as ideias que são suporte à crença. Se eu creio em Deus, o que é que há de mal nisto? O pior é o resto, aquelas regras todas que os homens da bíblia tiveram que imaginar para se poderem organizar. Agora, Jesus baseado nos exemplos que ele próprio teve na sua juventude (a sua vida secreta), melhorou sem qualquer dúvida a moral do V. Testamento. Esta também tinha coisas boas, como o auxílio aos pobres, às viúvas e aos orfãos, o não sacrificarem o primogénito a um deus e o acolhimento ao estrangeiro.
    Não vamos atribuir a moral de Paulo a Jesus, nem a de Pedro,nem a de Tiago embora tivessem sido influenciados por ele. Depois da sua morte cada um deles desenvolveu conceitos morais à sua maneira como você e eu.
    Não sei se o cristianismo reivindica a origem da moral. Não sei mesmo. Mas os antigos egípcios também tinham os seus códigos de leis onde também havia leis morais. E eles possuíam uma religião muito bem elaborada.
    Você fala na aceitação da humilhação. Refere-se sem dúvida a dar a outra face? Depende das circunstâncias. Exemplos pacifistas podem dar o seu fruto. Jesus viveu num tempo conturbado. É natural que tenha refletido sobre isso. As anteriores revoltas dos judeus contra o poder de Roma tinham acabado em massacres. Tudo isso fazia parte da herança cultural de Jesus.

  27. Pediu alguma coisa a Deus que não lhe foi concedida?

    Não. Eu não peço “coisas” a Deus. Assim como não peço coisas ao Papai Noel, nem peço coisas à Fada do Dente.

    E, tal como você demonstrou acima, ou você tem um parco conhecimento da Bíblia, ou está apenas sendo desonesta, intelectualmente falando. Prova disso é você atribuir a Jesus características que são incompatíveis com a descrição dos evangelhos. Já escrevi, mais acima, a relutância de Jesus em atender uma mulher não judia, uma estrangeira; bem como a convicção de Jesus de que se deveriam cumprir as leis do Antigo Testamento.

  28. É verdade, tenho um parco conhecimento da bíblia. Mas porque é que você se foca apenas numa parte do relato da mulher cananeia? O final não interessa? Leia o versículo 28 do cap.15. Como é que queria que Jesus se comportasse para com ela numa época em que um judeu não se podia misturar com pessoas dos outros povos inclusive pelo casamento? Se ele fosse divino é que havia motivo para o condenar. Aliás, esse relato demonstra bem o sentimento de superioridade que os judeus tinham em relação aos outros povos. Uma prova disso é a reação dos discípulos à presença dessa mulher:«Despede-a, que vem gritando atrás de nós.» Este relato não é fictício pois até testemunha quase contra a bondade de Jesus. Este, por fim, não nega o pedido à mulher. Que sentimento se apoderou dele? Agora, que Jesus era uma pessoa diferente de nós nem por sombras o estou a afirmar. As suas boas características sobrepujavam as outras que decerto tinha: o direito à indignação, o não conhecer as regras de higiene, ser contraditório nalgumas afirmações, talvez mudar de opinião, fazer profecias que não se realizaram…Tinha qualidades de líder religioso porque o que o movia era a sua fé.
    Eu não digo que era um santo mas era alguém com dignidade. Há pessoas que marcam outras ao longo do caminho da vida. Para umas é o pai, para outras um professor ou um amigo. Ele marcou e por isso se escreveram os evangelhos.

  29. Tudo bem: você não é cristã. O problema disso é que eu não posso discutir com você segundo a sua visão de Jesus, e discutir, depois, com um cristão segundo a visão do cristianismo. Seria demais pra minha cabeça.

    Eu fui criado no seio de uma família católica, dentro de uma sociedade quase que 100% católica (as pessoas ainda não haviam descoberto como ganhar dinheiro fácil com Deus). Portanto, sempre que eu menciono Deus ou Jesus, estou posicionando-os dentro desse contexto. Se você tem outro posicionamento, então fica infrutífera qualquer discussão nossa sobre o tema.

  30. SS

    O que pode haver de bom numa moral que prega a aceitação da humilhação e a sanção da maldade praticada contra si próprio?

    Jesus só pode ensinar a pratica de um mundo melhor através do perdão e do desejo de fazer o bem ao próximo, porem não poder obrigar voce ser igual a ele, pois vejo que continua achando-se “Muito melhor do que Deus ” ….ha….ha…ha..ha…ha

  31. De repente, as leis eram “de Moisés”, e Deus não tem nada a ver com isso… Sei… De repente, também, os 10 mandamentos foram ideia de Moisés, não? E Deus também não tem nada a ver com isso, porque, de fato, ele precisaria existir em primeiro lugar.

    Jesus deixou bem claro que descansar no sábado é coisa de homens e não de Deus.

  32. Criaturo,

    Jesus deixou bem claro que descansar no sábado é coisa de homens e não de Deus.

    Se, na sua opinião, os comandos atribuídos a deus na bíblia, tais como descansar no sábado, apedrejar adúlteros e matar homossexuais são inserções indevidas feitas pelo homem, porque deveríamos acreditar que as palavras atribuídas a Jesus são autênticas?

  33. ” a moral prostituida do cristianismo ” de repente ate o titulo do texto tem convergencia pq na biblia naõ existe a palavra prostituida ou prostituta , mas sim : mulher adúltera , relacionado a maria madalena . só lembrando que EU nao sou evangelico e nao tenho religiaõ , só gosto de ler muito .

  34. Marcos

    Se, na sua opinião, os comandos atribuídos a deus na bíblia, tais como descansar no sábado, apedrejar adúlteros e matar homossexuais são inserções indevidas feitas pelo homem, porque deveríamos acreditar que as palavras atribuídas a Jesus são autênticas?

    mais importante do que a autenticidade são os conceitos ,reflita sobre eles e retenha o que lhe serve.

  35. Carlos

    meretrizes e cobradores de impostos vos precederão no reino dos céus, provavelmente Jesus referia-se a Madalena, Nicodemos e Mateus

  36. Maria

    A religião nasce da necessidade de se crer. Dado que a crença muito raramente encontra suporte na realidade, a religião assume a tarefa de tentar moldar a crença num simulacro de realidade. Segue-se então que crença é um mal em si, pois falseia a realidade.

    Não vejo como alguém poderia saber o que teria acontecido numa suposta “vida secreta” do suposto Jesus, pelo óbvio de ter sido secreta.

    As coisas boas tanto do AT quanto do NT são produto das experiências humanas, não advindas de algum deus, a menos que se admita, por honestidade intelectual, que esse deus também é a fonte das coisas más. Mas então este deus não poderá ser aceito como merecedor de nada por parte dos seres humanos, a não ser o medo.

    Se os “ensinamentos” desse Jesus devem ser descolados do que fizeram seus apóstolos, qual a razão então de se aceitar o que foi supostamente escrito por esses apóstolos como guia ético e moral?

    Por último, se os “ensinamentos” desse Jesus refletiam apenas o momento histórico em que ele supostamente viveu, seria de se esperar que não haja propriedade em aplica-los a outros momentos históricos. E não é isso que acontece.
    Dar a outra face e perdoar a quem nos faz mal serve para demonstrar a quem está disposto a fazer mal a outros que o malfeito compensa.

  37. Criaturo

    Indubitavelmente sou muito melhor que Deus.

    E você é mesmo um hipócrita, sem intenção de ofender, só constatando um fato.
    Você idealizou desbancar os ateus usando o argumento do “ateu de bíblia” e se propôs a apresentar um deus sem ela, tentando convencer que você descobriu a verdadeira essência desse deus.
    Só que o tempo todo você se pendura no deus da bíblia, seja o pai seja o filho. Apenas para os momentos mais escabrosos desse duo você apela para o que você define como exorbitância de Moisés em interpretar as sagradas vontades.

    Já diz o velho ditado, de boas intenções o inferno está cheio. Principalmente das intenções desse Jesus, segundo seus intérpretes.
    A pregação da submissão, que vocês chamam de perdão e querer fazer o bem ao próximo foi responsável pelo sofrimento de muita gente de lá para cá, mas aí é claro que você vai dizer que os moisés exorbitaram…

  38. SSrodrigues, você critica Jesus por ter pegado num azorrague e ao mesmo tempo critica por ter pregado a submissão. Afinal, o homem não era nenhum deus. Tinha que ter um bocadinho das duas coisas. Voce nunca tentou acalmar os ânimos de alguém e, com outra pessoa, não aconselhou a ser mais reivindicativo? Não é normal fazermos isto no nosso quotidiano?

  39. SSrodrigues, eu concordo com seu primeiro parágrafo dirigido a mim sobre a crença. Ela pode falsear a realidade. Noutros casos, é um grande conforto espiritual. No entanto,não devemos usar e abusar dessa crença para nos evidenciarmos ou manipularmos os outros como os dirigentes das igrejas o fazem.
    Quanto à vida secreta de Jesus, é claro que eu não sei nada dela. Mas suponho que ele não concebeu só ideias originais quando esteve eremita no deserto. Todo ele foi um produto das vivências da infância e juventude e, na idade da maturidade, criou a sua própria ideologia com base na crença religiosa.
    Eu não disse que os ensinamentos de Jesus deviam ser descolados do que fizeram os seus apóstolos. Com o tempo e a idade a própria SSrodrigues não seguirá totalmente aquilo que lhe foi transmitido pelos seus pais, embore concorde em muitos pontos. Liberta-se da opinião dos seus primeiros influenciadores e parte à conquista da sua própria maneira de sentir e refletir. Paulo, Pedro e Tiago não são cópias do pensamento de Jesus. Este é a base, não é todo o edifício. Jesus não se pronunciou sobre muitas coisas que estão nas cartas de Paulo. João é um evangelho à parte. Maravilhoso na sua estrutura, dissociar a realidade do mito é difícil.

  40. SS

    E você é mesmo um hipócrita, sem intenção de ofender, só constatando um fato.
    aprecio sua sinceridade

    Você idealizou desbancar os ateus usando o argumento do “ateu de bíblia” e se propôs a apresentar um deus sem ela, tentando convencer que você descobriu a verdadeira essência desse deus.

    isso foi em outro tópico,mas por que voces ateus limitados biblicos, são tão possessivos, a biblia possui bons ensinamentos quanto maus, porem voces radicalizam querendo desvirtua-la por inteiro, isso é ser honesto ?

    você descobriu a verdadeira essência desse deus
    eu não, foi voce :
    Indubitavelmente sou muito melhor que Deus.

    parabéns! minha hipocrisia não conseguiu chegar aos pés da sua arrogância.

    Só que o tempo todo você se pendura no deus da bíblia, seja o pai seja o filho. Apenas para os momentos mais escabrosos desse duo você apela para o que você define como exorbitância de Moisés em interpretar as sagradas vontades.
    Já diz o velho ditado, de boas intenções o inferno está cheio. Principalmente das intenções desse Jesus, segundo seus intérpretes.
    A pregação da submissão, que vocês chamam de perdão e querer fazer o bem ao próximo foi responsável pelo sofrimento de muita gente de lá para cá, mas aí é claro que você vai dizer que os moisés exorbitaram…

    A mensagem de Jesus é bem clara: “fazer o bem incondicionalmente”
    o inferno esta dentro de consciências vingativas e o céu dentro das que ja aprenderam a perdoar.

  41. Criaturo, estou de acordo com as suas afirmações a), b) e e).

  42. a biblia possui bons ensinamentos quanto maus, porem voces radicalizam querendo desvirtua-la por inteiro, isso é ser honesto ?

    O crente enche a boca pra dizer que “a Bíblia” é a palavra de Deus, mas ele atribui tudo que não presta nela, e que é quase tudo, aos “homens” que a escreveram. Isso é ser honesto?

  43. Criaturo

    Quando eu digo que sou muito melhor que Deus (e sou mesmo), estou me referindo ao deus da bíblia, esse que é seguido pelos cristãos. Você tomou as dores dele, pelo visto, o que é uma coisa estranha, já que você diz que esse deus é “cachorro morto”, que a barbárie que atribuem a esse deus é coisa do Moisés, e sei lá que mais.
    Sabe o que eu acho? Acho que sempre quando eu afirmo que sou melhor que Deus você esquece que inventou um deus diferente, esquece de fazer de conta que não é crente cristão, por que fica indignado que alguém ouse dizer que é melhor que o seu deus.
    Não adianta, sabe, por mais teologias que você invente, a sua crença medrosa sempre aflora,a cada vez que você lê o que considera blasfêmia e sacrilégio da minha parte.

  44. Criaturo,

    A SOS Rodrigues não pode dizer que ela é melhor que Deus, é uma impossibilidade lógica, ela não acredita em Deus. É como eu dizer que sou melhor que o Godzilla. Portanto, é caso de ignorar.

  45. Andre

    e perder oportunidade de tirar uma casquinha ?

  46. SS

    Santo não tem pai e Deus não pode ser propriedade de ninguém.
    Voce ateus limitados bíblicos radicalizam, quando deveriam ser imparciais reconhecendo os bons ensinamentos biblicos, ao invés de tentar sempre desvirtua-los em prol da razão própria , isto é ser honesto ? ou ser orgulhoso na crença : “Da irracionalidade viemos para irracionalidade voltaremos.” não importa a escolha do caminho , porque todos caminham para o breve final da existência.

  47. Maria
    Criaturo, estou de acordo com as suas afirmações a), b) e e).

    voce leu este comentário destinado a você: https://deusilusao.com/2014/03/28/a-moral-prostituida-do-cristianismo-fim/#comment-51731

  48. Criaturo

    Santo não tem pai e Deus não pode ser propriedade de ninguém.

    Santo? Que santo? Pai de santo, santo católico?
    E qual Deus, o com bíblia ou o sem bíblia? O Deus do AT, que segundo você é cachorro morto? Ou é o Deus-Jesus, que segundo você veio ““fazer o bem incondicionalmente”, mas que os apóstolos dizem que ele disse:

    Não se dirijam aos gentios, nem entrem em cidade alguma dos samaritanos, antes dirijam-se às ovelhas perdidas de Israel.

    Então, Criaturo, você é uma das ovelhas perdidas de Israel? Segundo o que disseram que Deus-Jesus disse, você e aliás, tudo quanto é cristão, é gentio…E aí, como fica? Hmmm…já sei: tem que “exegetizar” e “hermeneutizar”, né?
    Ou acreditar que um zumbi disse para os interpretadores, também conhecidos como apóstolos, saírem amolando os outros mundo afora, reinterpretando o que o zumbi falou quando estava vivo…
    Tipo um Walking Dead que come cérebros metaforicamente.

    Sobre “fazer o bem”, dizem que o Deus-Jesus disse:

    O irmão entregará à morte o seu irmão, e o pai, o seu filho; filhos se rebelarão contra seus pais e os matarão.

    E dizem que ele disse também:

    Não pensem que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada. Pois eu vim para fazer que o homem fique contra seu pai,a filha contra sua mãe, a nora contra sua sogra;
    os inimigos do homem serão os da sua própria família.

    Veja que não estou desvirtuando nada, estou citando textualmente o que disseram que Deus-Jesus disse.

    Vocês crentes limitados de bíblia radicalizam, em lugar de usar honestamente a própria razão se penduram num diz-que-diz infindável, reconhecendo coisas boas em “ensinamentos” que mandam fazer guerra a quem não compartilhar da crença, destruir laços familiares, perdoar quem os estuprar, roubar, matar e facilitar para que tudo isso seja repetido contra vocês (dar a outra face, lembra?).
    Mas…como a razão afinal de contas os impede de atuar pela própria destruição, vocês se limitam mesmo é a ser hipócritas, fingindo que acreditam nesse diz-que-diz e repetindo coisas como: “tem que pensar no contexto, tem que interpretar” e outros malabarismos do tipo.
    Na prática vocês ignoram tudo isso e vivem suas vidas segundo a razão inspirada pelo senso de sobrevivência, que dá origem aos códigos éticos e morais que usamos, todos nós, para tentar manter a vida em família e sociedade.

    Isto é ser honesto? Passar a vida negociando sua hipocrisia medrosa com a ideia de que depois da morte serão premiados por terem sido tão hipócritas e se sentindo orgulhosos disso?

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: