Ninguém nasce racista

Em resposta ao vídeo abaixo (que, depois, foi marcado como “Privado”), segue o texto do médico psiquiatra e psicoterapeuta Telmo Kiguel, do blog Saúde Publica(da) ou não

Prezado Professor Hélio Santos

A sua bela explanação tem muito valor pela sua legítima e nobre preocupação pelo não avanço no combate ao racismo. Aliás, essa percepção é a mesma que já expusemos em vários posts aqui no blog.

A criminalização das condutas discriminatórias e os avanços nas políticas públicas a favor dos grupos discriminados não conseguem ter efeito de prevenção.

Existem três tipos de prevenção: primária, secundária e terciária. Quando falamos em prevenção, estamos nos referindo àquela que se antecipa à instalação do preconceito, a primária. Só teremos avanços verdadeiros e consistentes no combate ao racismo quando conseguirmos preveni-lo primariamente. E a prevenção em saúde só é possível quando se consegue conhecer, definir, entender o funcionamento do agente causador do sofrimento humano.

No caso da conduta discriminatória racista, o sofrimento infringido no discriminado é mental, sendo a ação somente verbal. E quando a ação, além de verbal, é também física, teremos sofrimento mental e físico.

Em medicina, sabe-se que o causador de sofrimento mental e/ou físico pode levar o outro ao suicídio. Sabe-se, também, que essa conduta não será modificada somente pela educação, pois esta corresponderia à prevenção secundária. Ao menos, não pela educação formal, rotineira, às quais estamos acostumados em todas as sociedades contemporâneas. Seria, mais ou menos, como dizer a um drogado que ele não deve se drogar. Se ela evitasse esse sofrimento, países com melhores indicadores de educação do que os nossos não teriam a ocorrência de condutas discriminatórias. Inclusive em escalas crescentes. E, aqui no Brasil, não teríamos manifestações discriminatórias originadas de pessoas com educação formal avançada/completa.

Quanto à sua interessante hipótese de que crianças nascidas numa ilha, na qual os educadores seriam “instrutores especiais, tais como judeus, ciganos, índios, negros, orientais” e que, em consequência, essas mesmas crianças não poderiam ser pessoas discriminadoras, leva-nos a concluir que educadores, de diferentes etnias e não discriminadores, não formariam filhos discriminadores. Porém, constata-se que filhos de casamento “misto” (branco/negro, religioso x não religioso, ocidental/oriental) não ficam imunes de serem discriminadores.

A sua afirmação de que “ninguém nasce racista” é muito pertinente para um bom debate. Nossa ideia é que, obviamente, o ser humano nasce psicobiologicamente imaturo e sem ideias pré-concebidas. As primeiras ideias ou conceitos – adequados ou não – são formados em casa e não nas escolas. E, se não amadurecer em casa para a aceitação/reconhecimento do outro diferente/diverso dele, poderá tornar-se um discriminador.

Um adequado amadurecimento mental de pais/educa-dores/sociedade, nessa ordem, certamente, pode ajudar a prevenir a formação de discriminadores. Quanto à sua afirmação de que o racismo é a instituição mais antiga do Brasil, caberia salientar o seguinte: caso consideremos a imagem da Primeira Missa como uma desconsideração com a religião dos índios, podemos entender aquele ato como uma imposição colonialista e discriminatória.

E, talvez, a conduta discriminatória mais antiga conhecida no Brasil!

Anúncios

49 Respostas

  1. PQP, até para falar de racismo tiveram que falar mal da igreja, da primeira missa, é uma obsessão anal.

  2. Mas é claro; pois igreja ( /religião ) e racismo são a mesma merda. Me mostre argumentos contrários e sem fazer proselitismo religioso.

  3. Racismo é um tipo de discriminação.

    Se alguém impõe suas próprias crenças em detrimento de outras já existentes, também é.

    Agora, obsessão anal talvez tenha a ver com o fato de que a igreja católica está envolvida nas maiores cagadas da humanidade.

  4. Na verdade, pensando melhor, não se trata nem de discriminação. É apenas a velha e boa estupidez trabalhando em prol dela mesma. Tipo:

    “Tem um monte de pessoas que estão adorando outro deus que não o nosso. Vamos eliminá-las ou obrigá-las a adorar nosso Deus, porque, embora a gente não tenha como saber se nosso Deus é mais forte do que o deus deles, pelo menos nós sabemos que nós somos mais fortes do que eles.”

  5. Fernando,

    Quando você decide pegar duas palavras com significados completamente diferentes como religião e racismo e dizer que ‘é a mesma merda’, você é que tem que dar argumentos para fundamentar sua posição e não eu, isso é básico.

    Senão eu vou dizer que ateu e gay é a mesma merda, vou sentar, pegar um café e dizer “me mostre argumentos contrários”.

  6. Barros,

    Racismo tem a ver com exclusão baseado em alguma característica de raça, por mais anal que você seja contra a igreja, o que a Igreja Católica fez na colonização não tem nada a ver com “exclusão”, muito pelo contrário, se querem acusá-la de algo, que acusem de forçar a INCLUSÃO dos nativos na religião cristã. A igreja, com suas obras, inclusive escolas, incluiu os indios na cultura dos colonizadores. Tem o pessoal aí da esquerdinha, que acha lindo indío pelado sem dente arremessando flecha em Brasília, infelizmente essa é uma cultura atrasada, se quiserem ficar assim que fiquem, mas que não peçam que o Estado os sustente.

  7. 1 conjunto de teorias e crenças que estabelecem uma hierarquia entre as raças, entre as etnias
    2 doutrina ou sistema político fundado sobre o direito de uma raça (considerada pura e superior) de dominar outras
    3 preconceito extremado contra indivíduos pertencentes a uma raça ou etnia diferente, ger. considerada inferior
    4 Derivação: por analogia.
    atitude de hostilidade em relação a determinada categoria de pessoas

    Houaiss

    Sob quaisquer das definições é possível enquadrar as religiões, tanto no tempo presente quanto no passado.
    Ex. para o passado, a ação católica contra os nativos dos diversos locais ibero-americanos. Ao obrigar à doutrinação dos nativos, o argumento central era a “superioridade” e “legitimidade” do deus cristão sobre os deuses desses nativos.
    No tempo presente são os cristãos que são perseguidos na cultura islâmica e na China.
    Trocando em miúdos: racismo e religião têm tudo a ver.

  8. Shirley, bravo. Agora vamos ver o que a Porta tem a dizer.

  9. A conclusão do Barros em relação a Primeira Missa tem tudo a ver com a discriminação de raças introduzidas no Brasil assim como o desrespeito as crenças existentes.

    Essa atitude não foi só discriminatória como atrevida e desrespeitosa com a cultura alheia, ao impor seus costumes e religião desde quando avistaram o Monte Pascoal.
    Discriminatória porque pensaram que os habitantes legais do Brasil por terem a cor da pele “parda” mais próxima da cor negra, seriam inferiores e já começaram a interferir nas suas crenças impondo seu Deus. Os índios eram ingênuos do mundo lá fora, por isso ignoravam as coisas que eles trouxeram de Portugal inclusive as ferramentas [facões e machados] usados para cortar o tronco de uma árvore para fazer a cruz, o símbolo do fatídico cristianismo.
    E rezaram uma longa missa em latim. Os índios não entendiam latim e nem português.

    O pior veio depois com a ação dos padres jesuítas: A catequese.

    Sim, eles trouxeram o conceito discriminatório de raças, tanto é que existe a famosa frase do jesuíta Inácio de Loyola com estes termos:

    Acredito que o branco que eu vejo é negro, se a hierarquia da igreja assim o tiver determinado.

    E os fizeram escravos, aliás, os primeiros escravos do Brasil porque foram confundidos com negros. Para aquela corja, negro era sinônimo de escravo e, se a Igreja não apoiava escravidão era conivente com ela pois jogavam de acordo com as regras de Portugal.

    E a Igreja começou a mandar na Terras Brasilis.

  10. Agora admiro os Jesuítas ainda mais por chegar nessa terra de gente asna e tentar ensinar alguma coisa aquela gente atrasada que até hoje não aprendeu.

    Mas como eles não desistiram, nem eu desistirei.

    Vamos lá… começando pela SOS Burrides:

    Sob quaisquer das definições é possível enquadrar as religiões, tanto no tempo presente quanto no passado.

    Com esse grande ‘argumento’, sob nenhum dos argumentos é possível enquadrar as religiões no tempo presente quanto no passado.

    Achou meu argumento uma bosta? É tão bom quanto ao seu, só troquei o sinal.

    Ao obrigar à doutrinação dos nativos, o argumento central era a “superioridade” e “legitimidade” do deus cristão sobre os deuses desses nativos

    Ninguém obrigou ninguém querida, o indio era livre para ficar la na floresta comendo jabuticaba mas se quisesse viver numa missão, com higiene, cama, agua potável, tinha que obedecer as regras do local, só isso.

    E nao tem essa que o argumento era a “superioridade”, é mais do que isso, o Cristão acha que Cristo é Deus, ponto final, o resto são falso Deuses, não é questão de superior ou inferiro, é questão de verdadeiro ou falso.

    Agora vamos para a Ana Judas….

    Espero que um dia aprenda a diferença entre uma frase e um argumento.

    A conclusão do Barros em relação a Primeira Missa tem tudo a ver com a discriminação de raças introduzidas no Brasil assim como o desrespeito as crenças existentes.

    A conclusão do Barros não tem nada a ver. Não gostou da fundamentação do meu argumento? Usei a mesma fundamentação sua, a das letras ocultas.

    E rezaram uma longa missa em latim. Os índios não entendiam latim e nem português.

    E daí cara pálida? Até hoje tem missa em latim e ninguem entende. E o indio não era obrigado a assistir a missa. QUer dizer então que a sra. acha que os Jesuítas antes tinham que aprender tupi-guarani para só depois poder rezar a primeira missa? Esse é o nível do seu intelecto.

    E os fizeram escravos, aliás, os primeiros escravos do Brasil porque foram confundidos com negros.

    Essa doeu, a igreja NUNCA teve escravos. Nem na época da escravidão.

    se a Igreja não apoiava escravidão era conivente com ela pois jogavam de acordo com as regras de Portugal.

    Essa já respondi faz tempo. Você concorda que o ateísmo não foi fundado ano passado pelo Barros, certo? Então onde estavam os ateus da época da escravidão para protestar????? Eram coniventes também??? Veja se responda essa, pois a SOS saiu pela tangente.

  11. Agora admiro os Jesuítas ainda mais por chegar nessa terra de gente asna e tentar ensinar alguma coisa aquela gente atrasada

    Eu parei aqui, é claro. Não é preciso tomar todo um caldeirão de sopa pra saber se ela está salgada ou insossa. Ou podre, no caso.

  12. André Lopes:

    Agora admiro os Jesuítas ainda mais por chegar nessa terra de gente asna e tentar ensinar alguma coisa aquela gente atrasada que até hoje não aprendeu.

    “Tentar ensinar”, ou impor uma outra cultura? Para insidiosamente ir-se apoderando de tudo.
    Você também admira o que os espanhóis fizeram aos Incas?

    Você não pode ser assim tão ingenuo à ponto de achar que os conquistadores (políticos e religiosos)Portugueses e Espanhóis vieram para as Américas apenas para “ensinar” as boas virtudes cristãs aos “asnos atrasados”.

  13. André
    Higiene? Água potável? Ninguém obrigou ninguém?
    Olha, “cara pálida” eu poderia debater vários aspectos da colonização do continente que veio a ser chamado de América, mais especificamente a do Sul e Central e até reconhecendo que a História é o que foi feito e não adianta a “culpabilização” dos europeus, senão nem sequer haveria o que chamamos Brasil. Para o bem e para o mal, a igreja católica desempenhou um papel central nessa colonização e se muitos valores mudaram, evidentemente que não foi graças à ela e sim ao constante aperfeiçoamento dos valores morais seculares, dos quais as religiões fazem a habitual apropriação indébita.
    Ms tal debate eu reservo a pessoas capacitadas intelectualmente, com um mínimo, básico, conhecimento de História, o que evidentemente não é de jeito nenhum o seu caso, basta ver suas ridículas e risíveis menções a água potável e higiene. Nesses aspectos os nativos tinham muito mais a ensinar aos porcos europeus. E sua clamorosa mentira de que os católicos não obrigaram os nativos a adotarem o cristianismo, o que de fato ocorreu, em muitas ocasiões, dispensa comentários.
    Ainda mais risível é isto:

    Cristão acha que Cristo é Deus, ponto final, o resto são falso Deuses, não é questão de superior ou inferiro, é questão de verdadeiro ou falso.

    Como se o que o cristão acha tivesse alguma validade como comprovação da tal superioridade do deus em que ele, cristão, acredita.

    Essa sua questão sobre o posicionamento dos ateus relativamente à prática da escravidão é meio difícil de responder, sabe, pois se, dentre as pessoas que se colocavam contra a prática algumas eram ateias, dificilmente se assumiriam como tais. Tendo em vista que até hoje os ateus são mal vistos, mesmo após tanto tempo depois em que a religião cristã perdeu o poder que tinha e muitos ateus optam por permanecer “no armário” imagina naqueles tempos. Ao invés de fabricar esses desafios tolos, você deveria ler um pouco, aprender um pouco, deixar de bancar “a gente asna”. Assim não seria tão taxativo sobre a igreja nunca ter tido escravos, por exemplo.
    Notei seu silêncio sobre a parte do racismo que toca aos cristãos hoje em dia. Por que será, hein?

  14. Em tempo e para ser justo devo informar que os Jesuítas particularmente foram contra a escravidão indígena.
    Mas isso não os isenta da influência religiosa e cultural que infiltraram
    aos povos nativos das colônias conquistadas.
    Fico cá à pensar se isso foi justo, digo quanto à influência.
    No fim das contas, quem mais pode menos chora.

    E querem saber de uma coisa? Não se pode negar a gigantesca contribuição cultural, científica e filosófica do mundo cristão, Apesar dos pesares. Mesmo à custa de sangue e lágrimas.

    Se calhar, a existência ou não de um deus é irrelevante.
    A própria humanidade se encarrega por si mesma de suas peripécias.

  15. André Lopes,

    eu, muito mais como humanista secular do que ateu, percebo cada vez mais não só a inutilidade da igreja como sua capacidade e fervor para fazer de tudo para agradar a Deus pois ele nos quer salvos e perto de si. Fico tentando imaginar as adorações nas igrejas primitivas com seus rituais sagrados e os tipos de sacrifícios que eram necessários para se poder acalmar a ira de Jeová. Certamente os xamãs do Gênesis ‘sabiam’ que ovelhas valiam bem mais do que galinha preta. Virgens então …

    Ainda hoje os operadores da fé invariavelmente se veem como guardiães da moral e agem sem pudor, vergonha ou dificuldade pois basta que eles lembrem aos demais o que 2 ursas fazem quando um ungido do Senhor é desrespeitado. Anos antes, ainda quando crianças, lhes contaram estórias de seres de outros reinos que deveriam ser temidos e adorados. Atualmente os encontros, ou como diz o Barros as bocas de culto, ainda são toleradas pelo poder público mas agora não mais sem resalvas. Depois do aprimoramento das comunicações as palavras padre e pedofilia nunca estiveram tão associadas. Então por favor me apedreje se eu não disser que fé é uma virtude.

    Foram-se os tempos dos dragões, dos milagres e da completa ignorância. Depois de séculos de hegemonia a igreja perde cada vez mais poder e fiéis. Eu agradeceria a globalização e a melhoria na educação e no conhecimento para que essa instituição criada por Pedro esteja a caminho do seu devido lugar; um punhado de livros empoeirados num depósito de museu. A fé é um outro fenômeno que persiste e que deve durar enquanto o homem for livre e capaz de criar e destruir deuses.

    Enfim Andre, acho que com sua fé inabalável mesmo que eu descreva bem todos os sinônimos e definições de merda, você ainda vai dizer que sua religião, igreja e deus não são tão ruins assim. Ou pior, que apesar de tudo cheiram bem sim…

    Continue sentado e tomando o seu café. O mundo continua apesar de pessoas como você. Como bem sabe, Deus nunca nos fez mal nenhum.

  16. Barros,

    Você tem dúvida que o brasileiro mediano é um asno? Veja só a lista do que nós contribuimos para a humanidade: carnaval, bunda, futebol, samba, axé, Sarney, Maluf, prostitutas e travestis na Europa, corrupção, Igreja Universal… uma seca total de filósofos, pensadores, cientistas… mas somos um povo pacífico, isso eu nos dou crédito.

    Eu parei aqui, é claro. Não é preciso tomar todo um caldeirão de sopa pra saber se ela está salgada ou insossa. Ou podre, no caso.

    Eu não esperava outra atitude, você é igual aquele gatinho que dá um jab com a patinha e se esconde, dá outro e se esconde. Ainda assim, não lhe tenho raiva, é igual a SS Burrides, não consigo ter raiva de vocês, nem Freud explica.

  17. MAF:

    Você não pode ser assim tão ingenuo à ponto de achar que os conquistadores (políticos e religiosos)Portugueses e Espanhóis vieram para as Américas apenas para “ensinar” as boas virtudes cristãs aos “asnos atrasados”.

    Com certeza não, tenho consciência que a agenda dos políticos era poder e riqueza e a da religião era levar ‘as boas novas’, isso está no cerne do cristianismo, tentar levar a mensagem ao maior número de pessoas. Mas isso não quer dizer racismo, exclusão, etc. Os Jesuítas acreditavam estar fazendo o bem àqueles índios, tirando-os da ignorância. Temos que respeitar a cultura alheia, mas é inegável que a cultura européia é superior intelectualmente, paciência, os defensores dos índios e negros vão chiar. Mas há alguma dúvida onde é melhor ser negro: nos EUA ou na Nigéria?

  18. SOS:

    Concedo que se tem uma coisa que Europeu não podia se gabar era da higiene. Porém o meu ponto continua: enquanto a europa do século XV havia produzido inúmeros filósofos e pensadores, aqui por essas bandas nossos indios…

    E sua clamorosa mentira de que os católicos não obrigaram os nativos a adotarem o cristianismo, o que de fato ocorreu, em muitas ocasiões, dispensa comentários.

    Mas então prove. O cerne do cristiasno é ACEITAR VOLUNTARIAMENTE a Jesus Cristo, forçado não vale. Portanto, os Jesuítas estaríam indo contra os ensinamentos do cristianismo ao ‘forçar’ alguém se converter. No Islamismo não, se eles conquistam o território, são claras as opções: converta-se, saia, ou morra. Isso nunca foi praticado no cristianismo.

    Como se o que o cristão acha tivesse alguma validade como comprovação da tal superioridade do deus em que ele, cristão, acredita.

    Estava respondendo a asneira que falaram que a Igreja se achava superior, eu disse que é mais que isso, a igreja acha que os outros Deus não são inferiores, são falso. Não entrei no mérito da questão, só disse o que a igreja acha.

    E sobre o ateu na escridão, vai ficar o dito pelo não dito, foram coniventes como TODA A SOCIEDADE FOI, foi uma coisa de época, errada mas aceita por toda a sociedade da época. Só que vocês só querem carcar no furebs igreja.

  19. Fernando:

    Meu caro, eu pedi para você explicar sobre a sua conclusão que racismo e religião é ‘a mesma merda’.

    Você gastou tinta e tempo, falou de dragões, etc, mas sobre a pergunta original… grilos.

    Só posso concluir que racismo e religião são coisas diferentes, senão teria sido mais fácil explicar.

  20. Alguém viu a Ana Judas por aí?

  21. Nesse post o Sr.André Lopes não esta defecando pela boca,foi um verdadeiro piriri,quanta asneira.

  22. Paulo (o burro, não o louco):

    Você tem algo contra defecar? Deveria ser a favor, fique sem uma semana para ver como é ruim.

    Se um dia quiser largar das frases de efeito e enfrentar um debate lógico-argumentativo, estou às ordens.

  23. Sorvam na Palavra a verdadeira vida vinda de Deus, na Pessoa de seu únci Filho Jesus Cristo que morreu para nos salvar. Deus não discrimina quem discrimina são os homens. Para Deus todos somos Seus Filhos e para com todos ele tem o mesmo amor e dar a mesma proteção. O que os ateus sempre fizeram foi derturpar a Palavra para instaurar o caos e a libertinagem o sexo livre e guerras. Mais Deus está no comando e vcs nunca vai destruir seus planos.

  24. O verdadeiro conhecimento está na bíblia. Conforme lê-se em João 14:26. Se vcs não entende é por que estão com os olhos voltados para as tentações do mundo

  25. Não dá mais pra ver o vídeo. Ele foi marcado como Privado.

  26. Deus não discrimina

    Mais um ‘crentoide’ que nunca leu a Bíblia.

  27. Deus não discrimina

    Mais um crente que não lê a Bíblia…

  28. Regina, Regina…
    Ela manda os outros leem a Bíblia que ela mesma não lê…

  29. Regina não jogue suas pérolas aos porcos

  30. Anônimo, isso é o que eu chamo de “imbecilionismo”: defender um argumento imbecil usando frases imbecis.

  31. Especialmente à “a boca que defeca

    Raça pura brasileira nas arquibancadas da Arena da Amazônia no jogo Inglaterra x Itália. Sem racismo, sem discriminação.
    Os verdadeiros brasileiros, gente bonita, diversidade cultural, riqueza de uma nação.

    Gente nua é o que se vê nas passarelas de escola de samba com expressões corporais voltadas ao sexo. A nudez do índio não é imoral, a não ser que você só tem mesmo merda na cabeça e como algumas pessoas se refere a quem só fala besteira: “Você defeca pela boca”, é tanta merda transbordando que seu teclado deve ter o mesmo cheiro.
    Porque tem gente que não respeita as diferenças culturais? a variedade cultural do Brasil é a sua maior riqueza.

    Os indícios da presença humana foram datados como anteriores a 10 mil anos na Amazônia brasileira. A maioria dos pesquisadores acreditam que o povoamento da América do Sul deu-se a partir de 20 mil a.C,

    E tem gente desinformada achando que o Brasil começou existir após ser visitado pelos portugas em 1500. Balela.

    O Sr precisa pelo menos estudar um pouco sobre antropologia cultural – a ciência da humanidade e da cultura. Estudar a cultura indígena é resgatar a nossa verdadeira origem, porque, queiramos ou não, são os nossos ancestrais!

    À eles todos os direitos de cidadania e proteção que eles merecem por serem os autênticos povos desta terra. O resto, você, eu e eles somos raça miscigenada depois da invasão portuguesa.

  32. Pessoal,

    Podem me chingar a vontade, mas deixem o meu cocô em paz, isso não se faz. Atire a primeira pedra aquele que nunca leu um artigo do Barros cagando.

  33. André

    “O cerne do cristianismo é aceitar Jesus voluntariamente”.
    Haha. Claro que nunca, jamais, em tempo algum, se usou, usa-se ou se usará de terrorismo psicológico e chantagens. Muito “voluntariamente” forçada é a conversão, mas ok, você precisa se enganar com algum “argumento”, deixa assim. Só rindo.
    A igreja acha que o deus dela é verdadeiro, os nativos achavam que os deuses deles eram verdadeiros, os islâmicos acham que o deus deles é o verdadeiro, mas o fato é que quem pode menos chora mais.
    Na colonização cristã os nativos puderam menos, nos países islâmicos são os cristãos quem choram mais. Façamos de conta que nessa triangulação o fator da cultura que se acha superior e tem meios de impor sua suposta superioridade, jamais pesou no sufocamento da cultura considerada inferior. O fazer de conta é uma das coisas essenciais nas religiões.
    Durante a vigência da escravidão, se eventuais ateus donos de escravos quisessem comer os bebês escravos no café da manhã e usar suas tenras peles como material para confecção de luvas ou algo assim, estariam apenas sendo, como é mesmo? Criaturas desprovidas dos freios morais que só a crença num ser criador pode proporcionar.
    Os cristãos é que não poderiam jamais ter tido escravos, que dirá todo o resto já que eram pessoas possuidoras da moral oriunda na crença blábláblá.
    Mais de um papa condenou a prática da escravidão e os cristãos deram uma banana para o papa do turno e continuaram felizes da vida como proprietários de outros seres humanos. mas também, não é? Os papas condenavam a escravidão com ainda menos vigor do que a maioria deles condenava a pedofilia dos padres.enquanto puderam acobertá-la e isso foi até outro dia, por assim dizer.

    Acho sempre uma delícia quando um cristão bate no peito para falar da sua suposta prerrogativa moral em relação aos ateus, mas quando é pilhado com as calças na mão, vai logo apelando à necessidade de se levar em conta a contextualização histórica, com o famoso “todo mundo fazia”.
    Fica ainda mais saboroso quando negam peremptoriamente que os valores ético-morais são conquistas seculares e não uma criação cristã.

  34. Mas, Shirley, a escravidão é homologada, se não incentivada, pelo Deus de amor da Bíblia. Só que os cristãos não leem a Bíblia e, quando leem, contentam-se com as tiradas de Jesus, que nunca disse um J ou til contra a escravidão.

    O que me dá um certo nojo dos crentes é que eles não são burros, nem imbecis, para não perceberem isso. Mas se fazem de.

  35. Psiu Barros, caluda! Cristãos são muito sensíveis sobre essa associação entre o deus deles, Jesus, e o deus dos judeus. Deste eles querem apenas as raras margaridinhas do Jardim do Éden e quando necessário, argumentos para a “voluntária” conversão a Jesus, o resto é matéria de “contextualização histórica”, é Javé se adequando às limitações do povo escolhido etc. e qualquer observação sobre as contradições entre o deus de amor e justiça e esse jeitão primitivo de semi-nômades recém saídos da Idade do Ferro é evidentemente fruto da determinação maldosa de ateus querendo ridicularizar e perseguir os pobres cristãos e sua fé tão pura, tão elevada.

  36. Busco ateus que se predisponham a debater o ateísmo, favor entrar em contato. Pago bem pois é uma espécie muito rara.

  37. Um bêbado querendo conhecer as “desvantagens” de se estar sóbrio…

    Faz sentido, se você perceber que é o bêbado que vê desvantagens em enxergar o mundo como ele realmente é.

  38. O debate está muito bom, mas eu vou ter que viajar. Espero produzir algum texto e publicar na segunda-feira.

  39. SS
    Durante a vigência da escravidão, se eventuais ateus donos de escravos quisessem comer os bebês escravos no café da manhã e usar suas tenras peles como material para confecção de luvas ou algo assim, estariam apenas sendo, como é mesmo? Criaturas desprovidas dos freios morais que só a crença num ser criador pode proporcionar.

    Eu sou um criaturo vegetariano não como criancinhas e só tenho uma restrição contra adultos.

    Psiu Barros, caluda! Cristãos são muito sensíveis sobre essa associação
    pois é ele deveria ter te ouvido………….

  40. Jesus disse: Amai ao seu próximo

    o Analfabeto Espiritual diz: “Só que os cristãos não leem a Bíblia e, quando leem, contentam-se com as tiradas de Jesus, que nunca disse um J ou til contra a escravidão.”

    e encerra assinando com X: O que me dá um certo nojo dos crentes é que eles não são burros, nem imbecis, para não perceberem isso. Mas se fazem de.

    mais uma comédia ateia….ha..ha..ha..ha…ha

    o cumulo do orgulho é querer construir um espantalho divino e sair gritando que ele é horrível, acreditando que isso aumentará sua razão

  41. Criaturo

    Isto que você escreveu sobre “eventuais ateus donos de escravos” isto é – cuja certeza não pode ser comprovada – sobre comer bebê no café da manhã ou fazer luvas de sua tenra pele não procede, é mito. Eu já li algo sobre esse absurdo, mas não me lembro de onde. Você tem a fonte verídica dessa monstruosidade?

    Quem “come” crianças são os padres pedófilos da Igreja Católica não?

    Você vai falar que o sentido de comer é outro, eu sei. Mas, o prato predileto de uma boa porcentagem desses santos homens cristãos comprovada por testemunhas, relatos e confissões dos próprios é verídico.

    E daí vem o papa, pede perdão em nome deles e tudo fica por ai mesmo.

  42. Oi Ana

    O Criaturo na verdade está me citando, quanto à passagem sobre comer crianças e etc., no meu comentário dirigido ao André. Daí o Criaturo está fazendo uma piada com isso.

  43. Obrigada Shirley

    É verdade, é que às vezes não associo o SS ao seu nome, peguei o bonde andando, fiquei um pouco chocada com algo que supus ser atribuído aos ateus e fui mal ;)
    Esse tipo de pensamento pode mesmo sair da ideia de algum crente fanático, dependendo do ódio que ele sente, mas, não foi o caso do Criaturo, ainda bem e espero que ele desconsidere.

    Realmente você usou esse pequeno texto como parâmetro.

  44. Pois é Ana, usei uma imagem chocante de propósito, mas nada fora do padrão que os crentes atribuem a ateus. Quanto a esse SS é o Criaturo e suas piadas, acho que ele associa minhas iniciais com as Schutztaffel, a famigerada SS nazista.

    Abraços e bom resto de domingo.

  45. André Lopes(soldadinho do Senhor),
    Realmente o senhor gosta de ter a ultima palavra, como já disse,sinceramente gostaria de trocar idéias,porém,não falamos a mesma língua,falo e entendo português e o senhor defeca pela boca.

  46. Ana

    Isto que você escreveu sobre “eventuais ateus donos de escravos” isto é – cuja certeza não pode ser comprovada – sobre comer bebê no café da manhã ou fazer luvas de sua tenra pele não procede, é mito. Eu já li algo sobre esse absurdo, mas não me lembro de onde. Você tem a fonte verídica dessa monstruosidade?

    foi a SS quem disse isso.

    Quem “come” crianças são os padres pedófilos da Igreja Católica não?
    quando se põe nas costas um peso maior do que a própria capacidade a queda é inevitável.

    Você vai falar que o sentido de comer é outro, eu sei. Mas, o prato predileto de uma boa porcentagem desses santos homens cristãos comprovada por testemunhas, relatos e confissões dos próprios é verídico.
    E daí vem o papa, pede perdão em nome deles e tudo fica por ai mesmo.

    sou a favor de liberdade sexual para religiosos o que diminuiria certas tentações humanas

  47. Quanto a esse SS é o Criaturo e suas piadas, acho que ele associa minhas iniciais com as Schutztaffel, a famigerada SS nazista.

    bem que poderia ser a SS INTERPRISE viajando pelo espaço,mas também não é o seu caso

  48. Criaturo

    É USS Enterprise, seu bobo. E de fato, não viajo pelo espaço, nesse sentido metafórico a que vocês crentes disso e daquilo se dão.
    Prefiro meus pés bem plantados na realidade.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: