Minha pequena coleção de pecados #2

Pelikan & Namiki 

.

Por causa da minha caligrafia ruim e incapacidade de redigir textos à mão, eu enveredei por um caminho completamente novo que acabou revelando tantas coisas sobre mim quanto sobre ele mesmo. Descobri, por exemplo, que passei a minha vida toda segurando a caneta de uma forma errada, enquanto escrevia. Descobri o fascinante mundo das canetas-tinteiro, e toda a complexa relação que existe entre a ponta da pena, o tipo de papel, a qualidade da tinta e o estilo de escrita com a boa ou má caligrafia de cada um. E, finalmente, descobri que, se quisesse de fato alcançar a minha meta de reverter aquele quadro, eu teria que pagar um preço. E, nesse caso, meu cartão de crédito seria completamente inútil. Era preciso dedicação, esforço, perseverança, tempo e, o mais importante de tudo: motivação. Sem motivação nos tornamos escravos das nossas ações, porque acorrentamos nosso cérebro a elas, obrigando-o a trabalhar a contragosto e muito abaixo de sua capacidade, enquanto sonha estar em outro lugar, fazendo outra coisa.

Eu queria reaprender a escrever, e, para isso, eu precisaria escrever. E muito. Mas para realizar meu desejo de produzir textos sem auxílio de um teclado e com uma caligrafia bonita eu precisava também que essa prática perdurasse. Só que todo esforço, tempo e dedicação que eu empregasse nisso seriam inúteis se eu não tivesse algo que me motivasse a escrever. Uma das causas do meu fracasso inicial foi justamente a falta de motivação. Comprei uma caríssima caneta alemã e tinta alemã; comprei uma caríssima caneta japonesa e tinta japonesa; importei papéis da mais alta qualidade da Itália, França e Holanda. Mas não encontrei país nenhum no mundo que me fornecesse online a opção de comprar a mais ínfima lasca de incentivo.

Foi então que me veio a ideia de manter um diário. O compromisso de deixar registrada uma mensagem de cada um dos meus dias para o meu próprio futuro me fascinou. Talvez não fascine tanto a mais ninguém, mas não estou escrevendo para mais ninguém, além de mim mesmo, num ponto do futuro que nem sei se um dia irei alcançar.

Ainda ontem, enquanto abria aleatoriamente suas páginas para tirar uma outra foto dele para ilustrar esse texto, reli uma passagem em que eu discorria tristemente sobre a minha paixão secreta por uma certa moça que, naquela época, era tão inacessível para mim como se ela fosse a mais protegida das princesas na mais alta torre do mais inexpugnável dos castelos, e eu, o rapaz que limpa o cocô das estribarias. Quando terminei de ler minhas queixas sobre a voz dela que eu nunca tinha ouvido sendo dirigida a mim, sobre os olhos que nunca haviam se fixado nos meus, sobre como aquele sonho de me aproximar dela era a mais impossível das impossibilidades, eu apenas pulei para a página em que eu conto como foi aquela fresca e perfumada manhã de sol em que ela desceu dos céus até os porões da minha insignificância, e me pediu para lhe ensinar a andar a cavalo.

Não espero que ninguém mais se interesse pelo que eu vou deixar registrado nos meus Moleskines. Mesmo porque não tem nada que interesse a mais ninguém: é só a minha vida. Mas caso essa pessoa que, um dia, venha a ler meus diários queira me criticar pelas coisas que fiz de errado — no julgamento dela — , eu só queria deixar um recado. Se ela vai me perdoar ou não pelos meus poucos pecados, eu não dou a mínima, porque só me arrependo de uma coisa: não tê-los cometido com mais frequência, até que eles pudessem alcançar a perfeição que mereciam 

 

 

Anúncios

237 Respostas

  1. Barros

    Eu sempre possuí uma boa e legível caligrafia até que comecei a escrever no teclado do PC desde de 2006. De lá pra cá fui perdendo o hábito da caneta salvo em listas de compras habituais.
    Acontece que com isso, minha habilidade na escrita a mão foi modificada e hoje mais parece garranchos de receitas médicas que só eu mesma posso entender. Mas pretendo voltar a escrever manualmente no papel senão vou cada vez mais perdendo essa capacidade e para tanto vou ter que recuperar com treino e paciência. Até minha assinatura no talão de cheques sofreu alteração pelo pouco uso porque hoje em dia a gente utiliza muito mais os cartões bancários. Daqui a pouco minha rubrica vai ter problemas na leitura de documentos assinados por mim.

    Mas, sua ideia de escrever um diário com sua grafia é muito importante, fica mais direta e personalizada. Vai em frente e parabéns pela iniciativa.

  2. Obrigado, Ana. Eu estou encarando isso, também, como um presente que eu estou construindo para dar a mim mesmo no futuro. É uma experiência bem gratificante.

  3. Minha pequena coleção de baboseira:

    Não espero que ninguém mais se interesse pelo que eu vou deixar registrado nos meus Moleskines. Mesmo porque não tem nada que interesse a mais ninguém: é só a minha vida.

    exato pode começar contribuindo com a limpeza do meio ambiente deletando essa poluição visual .
    Assim ja estará se livrando de ao menos alguma coisa errada.
    mas se morrer não esqueça de levar os seus textos para o inferno que eles merecem……….será……..será ?

  4. Criaturo, esse seu acintoso desprezo pelas minhas revelações pessoais está me fazendo acreditar que você está sentindo muita falta dos meus textos de rotina, esculhambando com essa idiotice que vocês chamam de religiosidade.

    E, assim como você e todo mundo, quando eu morrer, não vou levar nada para lugar nenhum. Essa percepção idiota de que “tem que haver algum lugar pra eu ir depois da minha morte porque é inadmissível que alguém tão importante quanto eu simplesmente desapareça” é apenas uma das idiotices que me fizeram perceber, há muito tempo, toda hipocrisia que sustenta a fé.

  5. Será que o nosso colega André não gostaria de expor nesse post os seus argumentos a favor da existência de um deus?

  6. Wagner Mente:

    Respondendo a sua “intimação”, aqui estou, o Barros vai agradecer que agora os comentários vão passar de 5 nesse artigo.

    Vou citar o primeiro argumento, aguardo sua resposta e aí decidimos se preciso ir para outros argumentos.

    O argumento do ajuste fino do universo para a vida apontam para a alta IMPROBABILIDADE do acaso no surgimento do universo. As constantes cosmologicas são constantes físicas comprovadas por qualquer cientista, não se discute a existencia das mesmas (só a Ana Judas, apoiada pela SS Burrildes podem por isso em dúvida). Alguns examplos de constantes físicas: gravidade, velocidade da luz, força do núcleo, massa do próton entre inúmeras outras.

    Apesar do argumento valer para outras constantes físicas, vou citar só a força gravitacional: se ela fosse diferente para cima ou para baixo por uma quantidade ínfima de 0.00000000000000000000000000000000000000000000000001, isso é bem bem menos que um bilionésimo, ou o universo já teria novamente colidido entre si (caso o força fosse maior por esse numero acima) ou o universo seria poeira cósmica (caso a força gravitacional fosse menor pelo número acima).

    ou seja, não haveria vida. Nem me venha dizer que “sim, haveria vida mas de outra forma”, por que não responde, estou falando de um universo implodido ou de um universo sem planetas, de pura poeira, COMO PODERIAMOS TER VIDA NESSES DOIS CENÁRIOS?

    Pronto, comecemos por esse argumento, você sabe que tem outros, mas quero ver o que diz sobre o argumento acima.

  7. você está sentindo muita falta dos meus textos de rotina, esculhambando com essa idiotice que vocês chamam de religiosidade.

    pelo menos ha neles uma certa “graça” ja esta sua choradeira particular é sem graça.

    “tem que haver algum lugar pra eu ir depois da minha morte porque é inadmissível que alguém tão importante quanto eu simplesmente desapareça” é apenas uma das idiotices que me fizeram perceber, há muito tempo, toda hipocrisia que sustenta a fé.

    de fato voce é uma pessoa especial unica, graças a Deus!

    Será que o nosso colega André não gostaria de expor nesse post os seus argumentos a favor da existência de um deus?

    talvez possa praticar essa caridade

  8. caramba André não seu nem tempo deu responder…ha.ha.ha

  9. pelo menos ha neles uma certa “graça” ja esta sua choradeira particular é sem graça.

    Bem que eu desconfiava…

  10. Prefiro mil vezes a coleção de pecados do Barros.

    Sr André Ruela

    Alguns examplos de constantes físicas: gravidade, velocidade da luz, força do núcleo, massa do próton entre inúmeras outras.

    Como se entendesse ou aplicasse o verdadeiro sentido da ciência pura. Se entendesse bem destes termos, seus conceitos de vida seriam outros.

    Quanto tempo o sr levou escarafunchando sites ou livros para escrever este texto tão impessoal, aliás, não tem nada a ver com seu estilo e penso até que você está totalmente por fora do que a ciência séria e verdadeira diz. Você só repetiu alguns argumentos.

    Não li nada de relevante na forma de como você começou sua explanação sobre a existência do seu deus a não ser opiniões já bem discutidas por aí e ainda põe meu nome numa coisa dessa.

  11. Ana Judas:

    Como se entendesse ou aplicasse o verdadeiro sentido da ciência pura. Se entendesse bem destes termos, seus conceitos de vida seriam outros.

    É duro aguentar essas conversas de manicure viu… qual é o argumento acima? Não sei nem o que responder.

    Quanto tempo o sr levou escarafunchando sites ou livros para escrever este texto tão impessoal, aliás, não tem nada a ver com seu estilo e penso até que você está totalmente por fora do que a ciência séria e verdadeira diz. Você só repetiu alguns argumentos.

    Claro que o argumento eu lí, eu não sou físico, nem candidato a star do youtube. Eu não crio argumentos, eu somente leio e gosto de alguns, mas o texto foi meu mesmo, escrito na hora, eu pensava na cara do Wagner Mente e daí escrevia, ai lembrava de você e escrevia mais ainda, vocês são a minha inspiração.

    Não li nada de relevante na forma de como você começou sua explanação sobre a existência do seu deus a não ser opiniões já bem discutidas por aí e ainda põe meu nome numa coisa dessa.

    Terminou seu comentário sem sequer tocar no meu argumento. Ficou novamente no papo superficial e não discutiu o que interessa. Não me surpreendo, tem sido assim desde que comecei a frequentar o blog.

  12. Alguém viu o Wagner Mente por aí?

    Oh Wagner Mente, está pesquisando no Google para me responder? Não demore muito senão vai dar a impressão que você foi pedir arrego para alguém.

  13. Desculpe André, é que você achava que era o único por aqui a ter trabalho, família e outras atividades, né? Pois é, se enganou.

    Cara, vou esperar seu próximo argumento porque esse não dá nem pra considerar. Vou deixar um defunto responder essa, depois eu completo.

    Você disse:

    O argumento do ajuste fino do universo para a vida apontam para a alta IMPROBABILIDADE do acaso no surgimento do universo. As constantes cosmologicas são constantes físicas comprovadas por qualquer cientista, não se discute a existencia das mesmas (só a Ana Judas, apoiada pela SS Burrildes podem por isso em dúvida). Alguns examplos de constantes físicas: gravidade, velocidade da luz, força do núcleo, massa do próton entre inúmeras outras.

    Sagan diz:

    A idéia de que Deus é um gigante barbudo de pele branca sentado no céu é ridícula. Mas se, com esse conceito, você se referir a um conjunto de leis físicas que regem o Universo, então claramente existe um Deus. Só que Ele é emocionalmente frustrante: afinal, não faz muito sentido rezar para a lei da gravidade!

    Carl Sagan

    Como eu não acredito que você reza para alguma constante cosmológica, o seu argumento, na verdade, revela sua completa ignorância científica.

    Cientistas fizeram estudos simulando universos alternativos com conjuntos, com auxílio de técnicas computacionais, alternando diferentes de constantes cosmológicas, e em vez de demonstrar que nosso universo seria o único onde haveria possibilidade de vida, eles mostraram que na verdade haveria um sem número de “ilhas” nas quais a vida seria possível. Fonte.

    Cuidado, se continuar nesse “nível” de argumentação, vai tomar uma lavada.

    E por favor, me diga que você não reza pra lei da gravidade?!

  14. André

    Este é você sendo mesquinho:

    (…) o Barros vai agradecer que agora os comentários vão passar de 5 nesse artigo.

    …nem (sou) candidato a star do youtube.

    E este é você sendo mentiroso, já que eu não escrevi nada a respeito de que duvido das constantes físicas ou coisa que o valha:

    As constantes cosmologicas são constantes físicas comprovadas por qualquer cientista, não se discute a existencia das mesmas (só a Ana Judas, apoiada pela SS Burrildes podem por isso em dúvida)

    E pensar que você afirma que crentes nalgum deus criador são pessoas moralmente superiores…

    Fora isso, seu argumento já começa apresentando uma falha grave.
    Não há nenhum cientista sério que estabeleça como fato comprovado que as constantes físicas estão ajustadas com o propósito específico de permitir a vida. Qualquer cientista intelectualmente honesto e aliás, qualquer pessoas também, leva em consideração que a vida é quem tenha se ajustado de acordo com o que já estava dado.

    Ademais, já que é você quem está sempre nos desafiando para o debate sob critérios científicos, você é obrigado a aceitar o argumento de que, caso as características do universo fossem diversas, seria possível haver outras formas de vida. Sob os critérios científicos não há verdades absolutas e tudo é possível até que seja provável.

  15. Wagner Mente:

    Eu não achei que você fosse tão burro… mas a vida é feita de surpresas. É dificil discutir com uma pessoa que não sabe ler, não sabe interpretar textos, assim é difícil, tente fazer Kumon, quem sabe melhora.

    Em NENHUM momento eu chamei a gravidade de Deus (por isso a sua piadinha não tem cabimento), meu argumento foi CLARÍSSIMO para quem tem um mínimo de discernimento e sabe ler. Eu disse que todas as constantes físicas tem um ajuste estremamente fino e citei que a gravidade, se fosse um bilionésimo diferente, o universo tería implodido ou virado poeira cósmica. Qual foi a sua resposta??? GRILOS…. ficou bem quietinho, querendo saír pela tangente, mas eu te chamo na chincha, vamos lá, responda aí, não saia correndo. Você só tem duas opções: dizer que o universo NAO teria implodido ou virado poeira OU que a gravidade NAO tem essa constante que eu disse. E aí? Vai cozinhar o frango de novo?

    A tal ‘fonte’, é como a revista Superinteressante, a Veja, e a tal American Scientific, a qual, QUE FIQUE BEM CLARO, não tem nada de “scientific” se você se refere a uma publicação do meio científico com revisão por pares, etc.

    Sobre o artigo… “Looking for Life in the Multiverse”. Multiuniverso??? Cadê a evidência científica? O que é essa idéia além de simples hipótese teórica sem NENHUMA comprovação científica??? Responda essa por favor.

    Aí já ferrou com o artigo por inteiro. O artigo diz que cientisticas concluíram que seria possível um universo habitável sem uma das 4 forças fundamentais…sei, sei, mas isso NAO invalida o argumento que o nosso universo tem uma sintonia fina. Basta o multi-universo não existir (e até o momento, as únicas evidências científicas sao de que ele NAO existe), que o argumento tem pouca utilidade.

    Vamos lá, agora é a sua vez, quero que explique o que aconteceria com nosso universo fosse a gravidade diferente em 1/100000000000000.

  16. SOS Rodrigues:

    Fora isso, seu argumento já começa apresentando uma falha grave.

    Ui, linguagem de profi, aí eu ja fico esperando que lá vem bomba… alarme falso de novo.

    Não há nenhum cientista sério que estabeleça como fato comprovado que as constantes físicas estão ajustadas com o propósito específico de permitir a vida

    A ciência não se preocupa em dizer que a ‘intenção’ de algo é outro algo, não fica falando de propósitos, isso é tema da filosofia, a qual vocês desprezam e por isso são tão limitados. A ciência simplesmente diz que a vida depende dessas constantes para existir.

    você é obrigado a aceitar o argumento de que, caso as características do universo fossem diversas, seria possível haver outras formas de vida

    Querida, esse argumento valeria se estivessemos falando de um universo com diferente temperatura, ou diferente composição do ar, mas o exemplo da gravidade mostra um universo colidido ou pura poeira, sem planetas. Me explica como pode haver vida nesses dois cenários, me explica por favor.

  17. Eu disse que todas as constantes físicas tem um ajuste estremamente (SIC) fino e citei que a gravidade, se fosse um bilionésimo diferente, o universo tería (SIC) implodido ou virado poeira cósmica. Qual foi a sua resposta???

    Então sou eu quem não sabe ler? Minha resposta foi a de que existem diversas possibilidades de constantes diferentes das nossas que possibilitariam vida na Terra. Não essa vida igualzinha nós temos, mas vida que você apontou no seu primeiro comentário.

    Ou seja, mesmo com constantes diferentes haveria possibilidade de vida na Terra.

    […] argumento do ajuste fino do universo para a vida […] a href=”https://deusilusao.com/2014/07/26/minha-pequena-colecao-de-pecados-2/#comment-55531″>Fonte

    E mais: se trata de artigo científico publicado numa revista indexada. Se é q

  18. (Falha minha) (continuando)

    Se é que você sabe o que é uma revista indexada.

    E pelo seu excesso de voluntarismo denota que nem sequer leu o artigo.

    Tem certeza que não é melhor a gente parar por aqui para evitar que você passe vergonha diante de todas esses coleguinhas?

  19. Barros

    Estou acompanhando o desenrolar da história. Até o momento, vejo que tenho em comum o fato de perder a habilidade de escrever bem com caneta, após tanto tempo digitando. Por outro lado, jamais consegui manter um diário, justamente pela falta de motivação.
    A sua última frase é mais ou menos parecida com uma espécie de lema que tenho: prefiro me arrepender das coisas que fiz do que me arrepender das que não fiz.

  20. a gravidade, se fosse um bilionésimo diferente, o universo tería implodido ou virado poeira cósmica.

    É o raciocínio do ganhador da loteria. Ele pensando:

    Ganhei na Loteria um prêmio milionário!!! As chances de eu ter ganho esse prêmio são infinitamente pequenas. Eu joguei os números 12-19-20-29-30-32-40-56, e o resultado do sorteio foi 12-19-20-29-30-32-40-56. Mesmo que apenas um desses números tivesse variado, um dígito que fosse, isso teria feito eu perder o prêmio. Logo… Alguém fez com que esses números fossem finamente ajustados para que eu ficasse milionário!!!! Que outra explicação poderia haver, não é mesmo?”

  21. André

    A ciência não se preocupa em dizer que a ‘intenção’ de algo é outro algo (…)

    E onde foi que eu escrevi que a ciência se preocupa em apontar intencionalidade? Pare de mentir, por favor. Eu não escrevi nada sequer parecido. E não desprezo a filosofia. O que eu desprezo são os pseudo filósofos.

    Sobre a sua outra pergunta, vamos considerar seu argumento de universo implodido ou poeira cósmica. Como você pode garantir que seria impossível haver alguma forma de vida numa situação assim?
    O seu problema é estar tão preso na crença de que o universo foi talhado na medida exata para permitir a nossa existência, que não consegue aceitar nada fora disso.
    É um direito seu, claro. Só fica meio patético insistir no “vamos debater o assunto cientificamente”. Ciência é o contrário de crença.

  22. Andre Ruela

    Cadê a evidência científica dessa baboseira que você escreveu? Cadê a prova acadêmica?
    Ou você está respondendo pelo que supõe ser ciência?

  23. É verdade Shirley

    Qualquer cientista intelectualmente honesto e aliás, qualquer pessoa também, leva em consideração que a vida é quem tenha se ajustado de acordo com o que já estava dado.

    Uma teoria importantíssima sobre a origem da vida começou com as teorias de Pasteur e de Darwin o que permitiu abordar o problema sob uma perspectiva diferente.

    Dados obtidos a partir de diversos campos da ciência permitiram em 1936 que o russo Alexander Oparin formula-se uma teoria revolucionária, que tentava explicar a origem da Vida na Terra, sem recorrer a fenômenos sobrenaturais ou extraterrestres.

  24. Pois é galera, e no desespero surgem as pérolas da argumentação erudita:

    1) Você não sabe ler;
    2) Esse artigo é mixuruca.

    Olha, eu jurava que ia ter cachorro nesse mato. Começo a me arrepender…

    O cara não tem honestidade intelectual nem pra reconhecer que o argumento do ajuste fino é fraco e ultrapassado. Bem como tentar justificar o bilhete de loteria mesmo.

    Aff…

  25. Barros:

    Alguém fez com que esses números fossem finamente ajustados para que eu ficasse milionário!!!! Que outra explicação poderia haver, não é mesmo?”

    Quis fazer gracinha mas se ferrou. O argumento é que a tamanha coincidência (como você mesmo admitiu) vai contra a idéia de um universo fruto do acaso. Ou não vai?

  26. SS Rodrigues:

    Sobre a sua outra pergunta, vamos considerar seu argumento de universo implodido ou poeira cósmica. Como você pode garantir que seria impossível haver alguma forma de vida numa situação assim?

    Veja a tamanha da ginástica que você tem que fazer, até admitir a vida sobre a poeira ou sobre um universo colidido com densidade inimaginável, tudo isso para fugir da conclusão óbvia que as evidências apontam para a improbabilidade de um universo criado pelo acaso.

  27. Ana Judas:

    A prova está no artigo do lado contrário. Qdo o próprio lado contrario admite, é por que não há dúvidas. Os caras temas do artigo estão agora falando de bilhões de outros universos para poder explicar que a nosso ajuste fino é fruto da coincidência, como se lançassemos dados, em um bilhão de tentativas, uma tem que dar certo. Mas se você quer saber as evidencias sobre a gravidade, pode pesquisar no Google, informação farta, estou aberto a discutir se você achar algo que diga o contrário.

  28. Wagner Menke:

    Tem certeza que não é melhor a gente parar por aqui para evitar que você passe vergonha diante de todas esses coleguinhas?

    Tá parecendo aquele cara que está apanhando e torcendo para a luta acabar mas fica dizendo pro outro “você está cansado, você está apanhando, vamos parar, vamos parar”. Meu amigo, até agora nenhuma palavra sobre a gravidade, vou ter que concluir que você não tem resposta.

    O argumento do ajuste fino é um dos argumentos, é antigo mas é válido, tanto é que você não soube responder.

  29. Ana

    Sabe o que me impressiona em certos crentes? É a incapacidade deles de entender a diferença entre teoria e verdade absoluta.

    Por mais que uma teoria esteja fundamentada em evidências, enquanto for teoria, não será fato comprovado acima de qualquer dúvida, que é o que seria uma verdade absoluta.
    Daí a gente diz que aceita a teoria e certos crentes pulam dessa altura:

    tá vendo? você acredita na teoria x, y ou z!

    Como é que dá para argumentar com gente assim?

  30. Vou tentar de novo, hein? Mas eu não sei desenhar. Vai ter que ser escrevendo mesmo.

    1. Tico ganhou na loteria / Teco está vivo
    2. Tico calculou ser muito improvável que ele tivesse ganho na loteria / Teco calculou ser muito improvável estar vivendo num universo que permitisse vida
    3. Observe que o cálculo do Tico não invalidou o sorteio, e ele continua milionário
    4. Observe que o cálculo do Teco não fez ele cair morto no chão
    5. Tico esqueceu a matemática e foi tratar de gastar a grana que ganhou
    6. Teco foi acender um vela

  31. O Wagner Mente está muito preocupado com o que a “Galera” vai pensar, afinal, vai ser mal para os videos dele ficar registrado que ele apanhou de um leigo como eu.

    Então, ‘galera’, aqui vai o resumo do que penso a respeito do assunto, vocês concluam por si mesmos:

    – O argumento do ajuste fino é forte, indica que, sendo esse universo o único, foi de uma coincidência muito muito IMPROVAVEL que esse universo foi fruto do acaso. Nos calculos de probabilidade estamos falando na ordem dos bilhões, seria mais facil alguem ganhar na loteria 100 vezes seguidas.

    – Qual foi a ‘carta na manga’ que os caras tiveram que tirar para enfrentar tal argumento? Simples, eles agora dizem que há um trillhão de universos iguais ao nosso, o nosso é o sortudo. Portanto, se você jogar o dado 1 trilhão de vezes, vai achar a combinação certa. Bingo, somos uns puta sortudos.

    O ‘detalhe’ é que o tal ‘multi-universo’ é mera teoria, idéia na cabeça de alguém, não tem NENHUMA evidência científica, e olha que a patota está tentando de tudo.

    Agora concluam o que quiser: de um lado evidencias comprovadas, medidas, cientificas, indiscutíveis. Do outro uma mera idéia sem comprovação.

    E além de tudo, pensem nos milagres, nos casos que desafiam as leis da natureza e finalmente no sentimento que a esmagadora maioria das pessoas tem de conexão com um ser superior, uma sensação de transcendência.

  32. André, diga OBJETIVAMENTE, e sem TERGIVERSAR, onde foi que eu não respondi e o porquê.

    Está óbvio e evidente pra qualquer um que está lendo esse debate que existe prova científica de que mudanças nas constantes cosmológicas não evitariam a existência de vida na Terra, contrariando o que você alegou.

    Por outro lado, engrosso o coro da Ana Júdice: me diga onde diabos você tirou que a “que a gravidade, se fosse um bilionésimo diferente, o universo teria implodido ou virado poeira cósmica.”

    Por gentileza.

  33. E além de tudo, pensem nos milagres, nos casos que desafiam as leis da natureza e finalmente no sentimento que a esmagadora maioria das pessoas tem de conexão com um ser superior, uma sensação de transcendência.

    1) Milagres são apelos à ignorância;
    2) Cultuar a estátua da liberdade é loucura. Se feito por milhares de pessoas, vira religião;
    3) Apelou pra emoção, perdeu.

  34. André

    Veja a tamanha da ginástica que você tem que fazer, até admitir a vida sobre a poeira ou sobre um universo colidido com densidade inimaginável, tudo isso para fugir da conclusão óbvia que as evidências apontam para a improbabilidade de um universo criado pelo acaso.

    estou dividida entre pensar se você é só doido ou é mentiroso patológico e doido.

    Desde o começo eu escrevi que, sob critérios científicos, é aceitável considerar a possibilidade de haver alguma forma de vida caso as características do universo fossem diversas. Daí você diz que eu tive que fazer “a tamanha ginástica até admitir a vida sobre a poeira ou sobre um universo colidido” ?!

    E em seguida liga nada com coisa nenhuma. De que forma a possibilidade de existir vida sob outras circunstâncias fornece “conclusão óbvia que as evidências apontam para a improbabilidade de um universo criado pelo acaso”?

    E a conclusão “óbvia” é de quem? Do W.L. Craig? Sua?

    Seja sério, André.

  35. André

    Qual foi a ‘carta na manga’ que os caras tiveram que tirar para enfrentar tal argumento? Simples, eles agora dizem que há um trillhão de universos iguais ao nosso, o nosso é o sortudo. Portanto, se você jogar o dado 1 trilhão de vezes, vai achar a combinação certa. Bingo, somos uns puta sortudos.

    Mentira sua. Mais uma. Nem eu, nem o Wagner, nem o Barros nem a Ana escrevemos que há um trilhão de universos iguais ao nosso nem nada parecido com isso.

    Esqueça o “seja sério, André”. Não é questão de seriedade ou falta dela. É um caso de mentiroso patológico mesmo.

    Vai ler a bíblia, vai.

  36. Realmente, é um pentelho. Ninguém aqui disse que há um trilhão de universos iguais ao nosso. Eu disse que existem várias possibilidades de vida na Terra dadas as alterações nas constantes cosmológicas.

    É foda debater com moleque…

  37. Vamos matar de vez essa palhaçada do Ajuste Fino:

    Suponha que alguém está rolando dados. Ele rola dois seis – algo com uma em 36 chances de acontecer.

    O que é mais provável, que a pessoa tenha rolado um conjunto de dados e apenas tenha tido sorte, ou que ele rolou um jogo especial, onde ambos os dados têm apenas seis em todos os lados?

    Você pode pensar que uma vez que uma jogada normal iria produzir um duplo seis em apenas um em cada 36 tentativas, é mais provável que tenha rolado os dados “viciados” com apenas seis. Mas, depois de pensar um momento, a gente provavelmente iria perceber que estava errado.

    Com apenas um lance de dados, você não teria nenhuma maneira de saber.

    A pessoa pode ter sido rolando os dados durante todo o dia, e a gente só viu o resultado no momento exato em que ele rolou o duplo seis.

    Claro, você pode ficar e ver se ele jogou os dados de novo, e se ele continuasse recebendo dois seis, então você poderia suspeitar que havia algo suspeito acontecendo. Mas com apenas uma jogada, não há nenhuma maneira que você poderia dizer. Você não tem informações suficientes.

    O mesmo seria verdade se o cara rolou três dados e tem três seis, ou quatro dados e obteve quatro seis, ou cinco dados … etc etc.

    Se ele te chamou para olhar quando ele tem todos os seis, você não teria como saber se o resultado tinha sido pura sorte ou se ele tivesse passado horas rolando outras combinações, e só te chamou para olhar quando o resultado era todo seis.

    Assim acontece com o momento da criação do universo. Ninguém pode afirmar se o universo veio a surgir na primeira “tentativa” ou se houveram várias tentativas até dar certo.

    Qualquer afirmação, tanto pra dizer que o universo se criou na primeira tentativa quanto dizer que houveram várias é puro objeto de especulação.

    Portanto, não dá pra dizer que houve um ajuste fino.

    O Barros tinha razão.

    Alguma objeção? Lembre-se também do artigo científico que apresentei.

  38. Onde lê-se:

    A pessoa pode ter sido rolando os dados durante todo o dia, e a gente só viu o resultado no momento exato em que ele rolou o duplo seis.

    Leia-se:

    A pessoa pode ter rolado os dados durante todo o dia, e a gente só viu o resultado no momento exato em que ele rolou o duplo seis.

  39. Wagner Menke:

    1) Milagres são apelos à ignorância;

    Primeiro que não foi o argumento principal, mas somente algo adicional, sei que é algo que uma pessoa pode escolher não acreditar. Mas dizer que ‘citou milagre é ignorante’, só pode ser ignorante quem fala isso, pois são casos que desafiam as leis da física, por que que ‘por decreto’ agora é proibido falar nisso?

    2) Cultuar a estátua da liberdade é loucura. Se feito por milhares de pessoas, vira religião;

    Ah ah, quer ganhar pelo menos na piada.

    3) Apelou pra emoção, perdeu.

    Mesmo comentario do item 1. Você como perdeu no argumento, agora vem com aquelas ‘viradas de jogo’, ‘ah falou isso perdeu’.

  40. SOS:

    Mentira sua. Mais uma. Nem eu, nem o Wagner, nem o Barros nem a Ana escrevemos que há um trilhão de universos iguais ao nosso nem nada parecido com isso.;

    Ta vendo? Está se dando um atestado de ignorância, a teoria dos multi-universos é EXATAMENTE o que eu disse, ou seja, há bilhões de universos, é como se uma força inicia estivesse cuspindo universos, bilhões de bolhas de espaço e tempo. O Wagner trouxe um artigo que falava exatamente do multi-universo.

  41. Assim acontece com o momento da criação do universo. Ninguém pode afirmar se o universo veio a surgir na primeira “tentativa” ou se houveram várias tentativas até dar certo.

    Se considerarmos que seja um sistema cíclico à funcionar eternamente. Em cada ciclo haveria um tipo de universo, nem que fosse sem vida, ou com outro tipo de estrutura que gerasse algum tipo de vida que sequer podemos imaginar, que durasse pouco ou muito(relativo à nossa percepção de tempo), não importa. Cada um desses universos “deu certo”, porque simplesmente existiu e não porque teve algum propósito que queiramos lhe atribuir.

    E todos esses possíveis cenários se ajustaram ás suas constantes próprias. Logo o argumento do tal “ajuste fino” para as constantes não prova uma intenção inteligente com certeza absoluta.

  42. Wagner Menke:

    Realmente, é um pentelho. Ninguém aqui disse que há um trilhão de universos iguais ao nosso. Eu disse que existem várias possibilidades de vida na Terra dadas as alterações nas constantes cosmológicas.
    É foda debater com moleque…

    E eu não disse que há um trilhão de universos “iguais aos nossos”, disse que a teoria do seu artigo é de que há um trilhão de universos. Foi o artigo que você trouxe, Zé Mané, que fala de multi-universos. E essa teoria, furada aliás, não diz que são 2 universos, ou 4, ou 10, diz que a quantidade é muito grande, alias, É POR ISSO que querem justificar o nosso ajuste fino do universo como um casa em um bilhão, portanto, estatisticamente possível.

  43. Wagner Menke:

    Qualquer afirmação, tanto pra dizer que o universo se criou na primeira tentativa quanto dizer que houveram várias é puro objeto de especulação.

    Agora falou alguma verdade, a teoria dos multi-universos é pura especulação. Então temos o universo atual que NAO é especulação,mas tem pessoas que preferem desconsiderar o real para considerar o especulativo, esse é o meu ponto.

  44. Barros:

    Vou tentar de novo, hein? Mas eu não sei desenhar. Vai ter que ser escrevendo mesmo.
    1. Tico ganhou na loteria / Teco está vivo
    2. Tico calculou ser muito improvável que ele tivesse ganho na loteria / Teco calculou ser muito improvável estar vivendo num universo que permitisse vida
    3. Observe que o cálculo do Tico não invalidou o sorteio, e ele continua milionário
    4. Observe que o cálculo do Teco não fez ele cair morto no chão
    5. Tico esqueceu a matemática e foi tratar de gastar a grana que ganhou
    6. Teco foi acender um vela

    Qual a moral da história? Que temos que relaxar e gozar? É esse o grande recado do ateísmo? Vai gozar o que puder, fazer tudo que lhe der a cabeça, o mundo é feito de prazeres físicos? Então tá, só não conheço uma pessoa genuinamente feliz assim.

    Ok, faça isso que quiser, mas o objeto da discussão aqui é tentar saber a verdade.

  45. MAF:

    E todos esses possíveis cenários se ajustaram ás suas constantes próprias. Logo o argumento do tal “ajuste fino” para as constantes não prova uma intenção inteligente com certeza absoluta.

    O argumento é de que é muito mais improvável o mero acaso. E o que você ilustrou de sistema cíclico (imagino que seja a teoria da contração e expansão do universo) é outra mera ‘teoria’.

  46. André Lopes:

    Apesar do argumento valer para outras constantes físicas, vou citar só a força gravitacional: se ela fosse diferente para cima ou para baixo por uma quantidade ínfima de 0.00000000000000000000000000000000000000000000000001, isso é bem bem menos que um bilionésimo, ou o universo já teria novamente colidido entre si (caso o força fosse maior por esse numero acima) ou o universo seria poeira cósmica (caso a força gravitacional fosse menor pelo número acima).

    ou seja, não haveria vida. Nem me venha dizer que “sim, haveria vida mas de outra forma”, por que não responde, estou falando de um universo implodido ou de um universo sem planetas, de pura poeira, COMO PODERIAMOS TER VIDA NESSES DOIS CENÁRIOS?

    A variação da constante gravitacional não deve causar efeitos assim tão severos como você dá a entender.
    Não deve ser 8 ou 80, mas um degradê.

    Veja, se ela fosse um pouco menor do que é, para termos a mesma intensidade gravitacional que há na Terra real, noutro cenário a Terra equivalente apenas teria mais massa proporcional.
    O contrario também é válido. Para maior valor da constante gravitacional, menos massa proporcionaria um valor equivalente a que temos na Terra.

    E suspeitos que todas as forças da natureza sejam interdependentes e proporcionais, se uma se modifica, necessariamente as outras acompanhariam proporcionalmente.

  47. André Lopes:

    O argumento é de que é muito mais improvável o mero acaso. E o que você ilustrou de sistema cíclico (imagino que seja a teoria da contração e expansão do universo) é outra mera ‘teoria’.

    Não se trata de contração e expansão, é outra coisa.
    Mas estamos debatendo teorias(na verdade hipóteses), justamente.
    A concepção de deuses também são hipóteses.

  48. Pois é, esse Andre Ruela é uma comédia.

    A sessrodrigues [Shirley] perguntou ao Ruela lá no finalzinho dos comentários de “Jesus: o mito da divinização do homem”, se ele sofre de “ coprolalia ”, mas ele não respondeu, e fez de conta que não voltou lá.

    E outra, ele disse:

    O Wagner Mente está muito preocupado com o que a “Galera” vai pensar.

    Então, ‘galera’, aqui vai o resumo do que penso a respeito do assunto, vocês concluam por si mesmos.

    Só que o Wagner Menke não está nenhum pouco preocupado com o que vão pensar dele, mas, você sim.

    De qual galera está se referindo, você por acaso esta dando um show aqui dentro e por acaso somos seus fãs? É isso? Já vestiu sua roupa de lamê ou lurex para sua suposta apresentação? Só que aqui não tem galera. Galera é público para cantor de palco de música axé ou sertaneja em campo de futebol.

    Agora vou falar algo sobre a falácia do Ajuste-Fino, aliás do pouquinho que sei.

    Victor Stenger John o americano físico de partículas , filósofo , escritor de vários livros polêmicos inclusive o “The Fallacy of Fine Tuning” (A falácia do Ajuste fino).

    No site Tratado Naturalista li na resenha do livro o seguinte:

    A Falácia do Ajuste-Fino: porque o universo não foi projetado para nós

    Dr.Stenger argumenta que muitas das reivindicações feitas pelos teístas são baseadas em enganos científicos. Ele estudou o mesmo parâmetro específico de nosso universo e as formas de vida que habitam o planeta terra e mostra que razões plausíveis podem ser respondidas por uma cosmologia naturalista. Esse modelos são apresentados em detalhes para os leitores, e estes aprenderão o papel dos componentes cósmicos no qual os teístas tomam a seu favor, e o porquê de eles estarem errados.

    Se manca “Zé Ruela“, a verdade é que você próprio já é uma falácia.

  49. Barros

    Criaturo, esse seu acintoso desprezo pelas minhas revelações pessoais está me fazendo acreditar que você está sentindo muita falta dos meus textos de rotina, esculhambando com essa idiotice que vocês chamam de religiosidade.

    Barros, porque se sente ofendido quando alguém “esculhamba” a tua “revelação pessoal”?
    Tu não faz o mesmo de outras revelações pessoais na qual considera uma Ilusão?

    Ora, não é a primeira vez que o vejo zombar ou ridicularizar as declarações pessoais que não vão de encontro a sua fé.

    Se alguém testemunha sobre um evento sobrenatural, lá vem o Barros quem sem verificar a autenticidade do relato, passa a criticar, ridicularizar e até acusar a pessoa chamando-a de mentirosa.

    Por favor Valdênio, sem melodrama. Se ages desta forma com os outros aceite de bom grado que ajam desta forma contigo.

    Ou tu és como uma criança mimada que adora dizer (escrever) o que bem deseja, mas odeia ouvir (ler) o que não deseja?

    Como diz o velho ditado: “Quem sai na chuva é pra se molhar”

  50. Qual a moral da história? Que temos que relaxar e gozar? É esse o grande recado do ateísmo? Vai gozar o que puder, fazer tudo que lhe der a cabeça, o mundo é feito de prazeres físicos?

    Primeiro que o ateísmo não tem nenhum “grande recado”.

    Segundo que não disse em lugar nenhum que a gente tem que fazer o que dá na telha. Eu mesmo queria fazer um monte de coisas e não posso. Mas, como você é crente, acostumado a ler sua Bíblia e entender o que bem quer…

    E terceiro: o mundo não é feito de prazeres físicos, mas de átomos.

  51. Bom, superamos o (fraco) argumento do Ajuste Fino?

  52. Ana Judas,

    Essa passagem do Dr. Stenger é uma mostra do quao você (não) sabe sobre o assunto, o cara escreveu e não disse nada,foi aquela famosa frase do “vamos equacionar os parâmetros”.

    Daí você poe um link para uma FOTO da CAPA do livro do cara, esse é o nível do debate.

  53. Barros

    E terceiro: o mundo não é feito de prazeres físicos, mas de átomos.

    Tua resposta foi muito “pobre” e incompleta.

    O Planeta Terra é composto por Átomos (Matéria), Energia e INFORMAÇÃO , e o “mundo” (Conjunto de tudo que existe nela) é a somatória destes componentes FINAMENTE AJUSTADOS

    Porque não expõe a realidade do jeito que ela é, não ocultando os elementos que refutam a tua crença?

    Será que para o ateísmo fazer sentido é necessário uma uma visão reducionista da realidade?
    A meu ver, SIM.

  54. Wagner Mente:

    Não senhor, não superamos, eu te dei fatos e você veio com um artigo que fala de um multiverso o qual não há uma prova sequer, não passa de idéia na cabeça de alguém.

    Qto ao ajuste fino no nosso universo (o unico que conhecemos e unico existente até prova em contrário), você veio dizer que se mudarem as constantes “haveria” outras formas de vida, ou seja, mais uma vez, hipóteses, idéia. Eu te dou fatos, você responde com teorias.

    Mas eu já disse acima o que penso, e cada um que chegue a sua conclusão.

    Agora eu quero que você me diga qual o seu argumento mais forte pela inexistência de um ser criador. Vamos lá, não vá fugir, não venha com aquele papo mole de “ateu não tem que provar nada”

  55. André Ruela

    Você já leu o livro “The Fallacy of Fine Tuning”,
    ou está fazendo avaliações sem saber do que se trata como sempre faz? você acredita muito nas suas intuições o que nem sempre o leva a verdade.
    Vai cuidar da sua saúde mental com esse problema da “coprolalia ”, para não ficar falando obscenidades por onde passa e veja se não se mete em assuntos dos quais você não conhece porque fatalmente será desmascarado.

    Vai ler sua bíblia ok?

  56. André

    A proposta naturalista, na qual ateus são adeptos, é que o suposto e não observado (crido apenas por fé) “multiverso”, é responsável pela sintonia fina e pelas leis naturais.

    Porém, segundo este raciocínio (empregado pelo cosmólogo Stephen Hawking) cada universo que compõe o “multiverso” teria surgido “espontaneamente” pelas leis universais, que por sua vez é fruto do “multiverso”.

    Com outras palavras, Tu não podes ter um universo sem que seja originado espontaneamente; tu não pode ter a geração espontânea sem as leis físicas, e tu não pode ter as leis físicas sem o multiverso.

    O problema nesta crença, é claro, que se baseia em uma FALÁCIA, ou seja: RACIOCÍNIO CIRCULAR

    Então a frase do Wagner Menke que disse:
    “Bom, superamos o (fraco) argumento do Ajuste Fino?”
    A resposta é:
    Com raciocínio LÓGICO e consistente, não, não foi superado.

  57. Ana Júdice

    O Livro “The Fallacy of Fine Tuning” baseia o seu argumento principal sobre o pilar do não observado (crido apenas por fé) “multiverso”, assumindo-o como um fato.

    Porém como o próprio Hawking deixou claro em seu livro “The Grand Design”, a existência do mesmo é elaborado sobre um raciocínio circular.

    O posicionamento deste teu livro indicado é Natimorto, ou seja, fundamentado em bases invalidas.

  58. André Ruela:

    Não senhor, não superamos, eu te dei fatos e você veio com um artigo que fala de um multiverso o qual não há uma prova sequer, não passa de idéia na cabeça de alguém.

    Você me deu fatos? Aonde?

    Nós estamos aqui praticamente implorando pra você comprovar que o universo não teria existido dado a mudança em alguma das constantes cosmológicas, que você cuspiu aqui como se fosse uma verdade absoluta, e não tivemos nem sequer um mero link do afirmado.

    Qto ao ajuste fino no nosso universo (o unico que conhecemos e unico existente até prova em contrário), você veio dizer que se mudarem as constantes “haveria” outras formas de vida, ou seja, mais uma vez, hipóteses, idéia. Eu te dou fatos, você responde com teorias.

    Não foi uma hipótese, foi um experimento, registrado numa revista científica revisada por pares. Ora, ora, não era nisso que você tanto confiava e que exigiu que eu mesmo fizesse com meus vídeos? Mudou de ideia?

    O Ajuste Fino do universo é que não passa de uma racionalização teísta da existência de um criador, e ficar gritando histericamente que ela é um fato comprovado não vai mudar a natureza daquilo que ela realmente é: uma hipótese, e muito fraca, dado que você não pode afirmar com certeza que o universo foi criado na primeira tentativa, já que não é possível sabermos se houveram outras tantas tentativas de criação anteriores a atual.

    Como eu já expliquei e você ignorou, não é possível saber se nosso amigo tirou dois seis na primeira tentativa ou se ele rolou diversas jogadas até consegui-los e só chamou a gente pra ver o resultado a partir desse momento.

    Mas eu já disse acima o que penso, e cada um que chegue a sua conclusão.

    Agora eu quero que você me diga qual o seu argumento mais forte pela inexistência de um ser criador. Vamos lá, não vá fugir, não venha com aquele papo mole de “ateu não tem que provar nada”

    Ok, chegamos ao ônus de inversão da prova. Boa, “jênio”. Nosso debatedor confiou todas as suas crenças no Ajuste Fino pra mostrar que existe um criador. Que pouca presença de espírito essa sua.

    Contudo, vou aceitar o desafio e afirmar que a necessidade de crer num ser superior que criou o universo como conhecemos é algo tão antigo e primitivo que revela, na verdade, nosso velho hábito de atribuir ao sobrenatural e ao metafísico aquilo que não detemos conhecimento por meio da experimentação.

    Dizer que existe um criador é o mesmo que projetar num ser superior e imaginário a nossa própria característica de intervir no mundo, dado que é dessa forma que criamos e alteramos nosso meio.

    E por fim, é decorrente da nossa mania de grandeza, dado que conseguimos a duras penas ascender ao topo da cadeia alimentar e pelo fato de sermos conscientes de nossa existência, achar que o mundo foi feito pra nós.

    Porém, é cada vez mais patente que o mundo é indiferente à nossa existência. Por isso e pelo exposto, dentre outros motivos que não irei comentar por agora, rejeito a ideia de um criador consciente.

    Agora, se você quiser chamar de “criador” as constantes cosmológicas que você mesmo citou, acredito que estaremos de acordo.

  59. Diogo Morelli,

    Obrigado pelo comentário.

  60. Wagner Mente,

    Será que eu ouvi bem? Você, o cara que disse que eu ja perdi só por citar a nossa necessidade interna de transcendência e agora você vem com argumentos PSICOLOGICOS para justificar a não existência de um criador?

    Olha os argumentos lógicos e científicos que você me diz: “mania de grandeza”, “achar que o mundo foi feito para nós”

    Quanto a essa aqui

    atribuir ao sobrenatural e ao metafísico aquilo que não detemos conhecimento por meio da experimentação.

    Eu nunca disse que se não sei a explicação de algo, ela veio de Deus. Aliás, estamos partindo DO CONHECIDO que é o Big Bang, o ajuste fino, etc.

    Sempre que eu inverto a posição e deixo os ateus assumirem o onus da prova, é um desastre, aparecem com os argumentos mais infantis. Não foi diferente dessa vez.

  61. É incrível como crentes sofrem de patológica dissonância cognitiva, escondendo debaixo do tapete os argumentos e proposições inconvenientes.

    André e Diogo,

    Mesmo que a ideia de “multiuniverso” não tenha sido observada, e óbvio, nunca será, não estou dizendo que a mesma é responsável pela sintonia fina. Pelo contrário, ela nega a sintonia fina dado que propõe que existam “diversas sintonias”. Ou seja, não houve projeção consciente. Diversas combinações de variáveis iriam proporcionar vida na Terra. Ponto.

    Segundo, vocês não conseguiram e não vão conseguir mover uma palha na direção de mostrar que o universo foi criado numa única tentativa, que se não tivesse esse toque do criador que vocês chamam de Ajuste Fino, estaríamos condenados a ser um eterno vazio existencial.

    Terceiro, será que vocês não perceberam ainda que o argumento do Ajuste Fino é uma extrapolação indevida da constatação científica de que se as constantes cosmológicas, do jeito que se definiram, foram as responsáveis pela atual forma de vida na Terra, então é tal formação teria se dado por força de um ser consciente? É lógico que não há a mísera possibilidade de se afirmar isso dado o que eu citei no segundo ponto.

    Quarto, André Ruela afirma:

    Será que eu ouvi bem? Você, o cara que disse que eu ja perdi só por citar a nossa necessidade interna de transcendência e agora você vem com argumentos PSICOLOGICOS para justificar a não existência de um criador?

    Ora, se não houvesse essa alegada intenção de projetar nossos próprios comportamentos em um ser superior, como você me explica que Javé, o deus da Bíblia, se comporta como um autêntico judeu da Era do Bronze? Como explicar que o panteão de deuses gregos se comportam como autênticos helênicos, com todas as suas mesquinharias e dramas? Como explicar que Thor se comporta como um autêntico nórdico ávido pela batalha?

    Tem certeza que durante todo esse tempo nós não estávamos projetando nos deuses nossos próprios comportamentos?

    Se isso não é projetar nos deuses o comportamento humano, o que seria?

    Argumente, por obséquio. Pelo menos uma mísera vez me prove que estou errado.

  62. Wagner Mente:

    Você, na hora do aperto, voltou correndo para o VT para tentar se resguardar. Esqueceu que a pelea aqui é para discutir a existência de um criador por evidências científicas e argumentos lógicos?

    Eu te critiquei por você trazer a ‘psicologia’ humana, logo a tão abstrata e variável psicologia humana, como o seu ‘grande’ argumento a favor do ateísmo. Mas você não ofereceu nada no lugar.

    É só isso que você tem para mostrar? Acabou a sua munição? Tudo que você tem a dizer é que temos “mania de grandeza”? Caramba, o leão virou gatinho.

  63. Wagner Mente, Ana Judas,

    Vocês pediram, aqui vai, um paragrafo sobre as consequencias do mudança das constantes gravitacionais. Não é como você dizem que é somente uma mudança pequena que a vida poderia se adaptar as novas condições.

    Eu já sei que vao me encher o saco por que o site é do reasonable faith, porém, ele está citando o físico P.C.W. Davies, portanto, vai ter com o físico.

    http://www.reasonablefaith.org/does-god-exist-1

    For example, the physicist P. C. W. Davies has calculated that a change in the strength of gravity or of the atomic weak force by only one part in 10100 would have prevented a life-permitting universe. The cosmological constant which drives the inflation of the universe and is responsible for the recently discovered acceleration of the universe’s expansion is inexplicably fine-tuned to around one part in 10120. Roger Penrose of Oxford University has calculated that the odds of the Big Bang’s low entropy condition existing by chance are on the order of one out of 10 10 (123). Penrose comments, “I cannot even recall seeing anything else in physics whose accuracy is known to approach, even remotely, a figure like one part in 1010 (123).”5 And it’s not just each constant or quantity which must be exquisitely finely-tuned; their ratios to one another must be also finely-tuned. So improbability is multiplied by improbability by improbability until our minds are reeling in incomprehensible numbers.

  64. André Ruela, a brincadeira agora vai ser traduzir suas mensagens implícitas:

    Você disse:

    Você, na hora do aperto, voltou correndo para o VT para tentar se resguardar. Esqueceu que a peleja aqui é para discutir a existência de um criador por evidências científicas e argumentos lógicos?

    Mas na verdade você quis dizer:

    Eu sei que essa merda de deus que eu acredito não passa de uma projeção mental de malditos criadores de cabra do Oriente Antigo, mas pare de me torturar com essa fatos degradantes e vamos voltar pra lógica, já que essa eu posso distorcer e me autoconvencer de que deus existe.

    Você disse:

    Eu te critiquei por você trazer a ‘psicologia’ humana, logo a tão abstrata e variável psicologia humana, como o seu ‘grande’ argumento a favor do ateísmo. Mas você não ofereceu nada no lugar.

    Mas quis dizer:

    Eu não sou nem nunca serei capaz de sustentar que deuses não são projeções mentais de seres humanos. Confesso que não tenho argumentos contra isso, mas vou desqualifica-los utilizando de retórica barata até você se cansar.

    Você disse:

    É só isso que você tem para mostrar? Acabou a sua munição? Tudo que você tem a dizer é que temos “mania de grandeza”? Caramba, o leão virou gatinho.

    Mas quis dizer:

    Putz, por favor pare de mandar argumentos que não consigo refutar, pois ainda estou revirando o ReasonableFaith pra ver se acho alguma coisa que prove que só houve uma tentativa de criação do universo como forma de validar as conclusões do Ajuste Fino e provar de vez que ela não é uma extrapolação barata de conclusões científicas realmente válidas e que você já concordou que são verdadeiras. Enquanto eu não achar vou jogar essa objeção pra baixo do tapete o máximo de tempo que eu puder.

    Aliás, pensando bem… melhor eu citar um dos diversos físicos que concordam com isso pra ver se ganho mais tempo pra pensar em algo. Humm… será que existe algum físico que sustenta a existência de deuses em artigos científicos com base no Ajuste Fino…?

    Voltando: o cara me desafia pra provar logicamente que deus existe. Cita uma teoria estapafúrdia, é refutado, pede um argumento pela inexistência de deus, ganha ele, e fica de mimimi porque não tem a mínima condição intelectual de refutá-lo.

    Ainda quer continuar? Ou quer verificar se o fundo do poço ainda pode ter um porão, pra onde você irremediavelmente irá caso continue?

  65. Wagner Menke

    É incrível como crentes (..)

    Todos somos crentes e céticos ao mesmo tempo, só dependerá do tema abordado.
    Por exemplo o multiverso, que por esta frase tu mesmo reconheceste que ela não passa de uma crença hipotética, sem NENHUMA evidência que a corrobore:
    “”Mesmo que a ideia de “multiuniverso” não tenha sido observada, e óbvio, nunca será””

    Eu sou CÉTICO a esta hipótese (no conceito que é apresentado).
    Tu, em contra partida CRÊ na existência dela.

    não estou dizendo que a mesma é responsável pela sintonia fina. Pelo contrário, ela nega a sintonia fina dado que propõe que existam “diversas sintonias”. Ou seja, não houve projeção consciente. Diversas combinações de variáveis iriam proporcionar vida na Terra. Ponto.

    Mas o ponto não é a sintonia fina, mas a plausibilidade da existência do multiverso por geração espontânea.
    Ora, se um “profetas” do ateísmo (Stephen Hawkings), em defesa da existência dela cometeu raciocínio circular, o seu argumento que DEPENDE da plausibilidade do argumento dele é automaticamente invalidado.

    É uma reação em cascata.

    de mostrar que o universo foi criado numa única tentativa, que se não tivesse esse toque do criador que vocês chamam de Ajuste Fino, estaríamos condenados a ser um eterno vazio existencial.

    Ninguem está querendo mostrar isso. (pelo menos eu não estou).
    A única coisa que é EMPIRICAMENTE OBSERVADO é a EXISTÊNCIA de um “ajuste fino” no qual proporciona não só a existência como o FUNCIONAMENTO deste universo.
    Este é o ponto.

    Ajuste Fino é uma extrapolação indevida da constatação científica de que se as constantes cosmológicas, do jeito que se definiram, foram as responsáveis pela atual forma de vida na Terra, então é tal formação teria se dado por força de um ser consciente?

    Tu negas a existência das constantes cosmológicas, que ao mínimo desvio (quer para mais ou para menos) não haveria universo ou vida na Terra? Tu as nega?

  66. André Ruela

    A verdade é que você me chutou para dentro de um site cristão, eu que não gosto de site cristão, nunca entrei como nem gosto de passar nem na frente de igrejas por uma incrível falta de interesse.
    Quer dizer então que o Reasonable Faithusou [Fé Racional] usou da imagem do físico PCW Davies para fazer algumas comparações favoráveis a eles. Ok (?).

    Esse tal de William Lane Craig tem cara de boa pinta misturado com um charlatão de primeira. É mais envolvido com a religião do que um novelo de lã e é um evangélico cristão que entregou sua vida a Cristo. O cara é um pseudo em tudo o que escreve.

    Esse nível de leitura eu deixo para você fazer uma boa mesclagem com o grande livro de lendas.

    Por que será que os crentes hoje questionam tanto a existência do seu deus e o universo? Antes, eles acreditavam que Deus criou o universo em um estalar de dedos e de forma inteligente. Isto é: ele imaginou tudo o que fez detalhe por detalhe combinando tudo o que existe na natureza com seu Intelligent Design [uma forma moderna do tradicional argumento teleológico para a existência de Deus] considerada como uma pseudociência.
    Agora para parecerem modernos e por dentro de tudo, usam da teoria cosmológica do Big Bang uma explosão ocorrida há 13,7 bilhões de anos motivada pelo calor e densidade de um átomo primordial que um dia……pluft………%::&/#{~}@+*/>^^\%;;@=|٩(͡๏̯͡๏)۶=+=^{#~&)#{~}@+*/>^^\%;;@=~~~~~~~~~~٩(͡๏̯͡๏)۶ ~~~~~~~~~~ explodiu dando origem ao universo. Só que estão querendo dizer que o Big Bang também foi programado por um ser superior chamado Deus ou Javeh, mas, não foi Deus quem criou os céus e a Terra perfeitinha como ela é hoje com todos os bichos, plantas, inventou a chuva, fez o sol e a noite etc e tals… em seis dias e no sétimo ele descansou porque estava exausto? Deus dorme… será que ele deita numa cama?

    Ooops peraí, mas os escritores do livro de Gêneses abençoados pelo espírito santo esqueceram do grande e importantíssimo detalhe do Big Bang, tocaram a história pra frente começando por de Adão e Eva esculpidos num pedaço de barro pelas mãos do Deus de grandes barbas brancas? Pensou nisso? E quantos anos então a vida foi criada conforme a bíblia? Parece que no máximo 6 mil anos.

    Se você acredita nessas hipóteses, faça bom proveito desejando de todo coração que você encontre a paz que tanto procura em suas buscas.

    Quero dizer que suas alegações sobre a existência de Deus foi um fracasso total para mim e não me convenceu, mas, vou despedindo de minha presença nesta postagem.

  67. Diogo, se quer participar da discussão, é prudente ao menos ler o que já foi debatido pra não pegar o bonde andando e fazer a gente gastar um tempo enorme reexplicando coisas que já foram debatidas. Mas vamos lá:

    Tu negas a existência das constantes cosmológicas, que ao mínimo desvio (quer para mais ou para menos) não haveria universo ou vida na Terra? Tu as nega?

    Nego porque já mostrei evidência de que seria possível existir vida na Terra se as constantes fossem diferentes. Não seria uma vida como esta que vivemos. Mas seria vida. Releia os comentários. Deixei um link com uma pesquisa que simulou vários universos com constantes diferentes e se chegou a conclusão de que outras constantes também proporcionariam vida.

    Ninguém está querendo mostrar isso. (pelo menos eu não estou).
    A única coisa que é EMPIRICAMENTE OBSERVADO é a EXISTÊNCIA de um “ajuste fino” no qual proporciona não só a existência como o FUNCIONAMENTO deste universo.
    Este é o ponto.

    Se você não demonstrar que o universo foi criado em uma só tentativa, a falta dessa certeza dá a margem pra a possibilidade de que diversas e inúmeras tentativas de criação de universos foram feitas antes dessa que estamos vivendo, até que numa tentativas as constantes pudessem se ajustar e permitir a existência de vida.

    Ou seja, é crucial demonstrar que o universo foi criado em apenas uma tentativa pra fazer sentido que algum criador superior promoveu esses ajustes. Caso o contrário, seu “criador” pode ter ficado tentando até ter dado certo, e isso não tem nada de Ajuste Fino. Estamos entendidos?

    Abraços.

  68. Ana Judice

    Um mal muito comum, que induz a pessoa ao erro e ao preconceito (ou até mesmo a cometer assassinatos) chama-se GENERALIZAÇÃO.

    Observe esta tua frase:

    “”Por que será que os crentes hoje questionam tanto a existência do seu deus e o universo? “”

    Primeiro, crentes e céticos todos somos ao mesmo tempo.
    Tudo dependerá do tema abordado.

    Segundo, nem todos Cristãos tentam mesclar ensinamentos Bíblicos com CONJECTURAS HIPOTÉTICAS SEM COMPROVAÇÃO, consideradas como FATOS ABSOLUTOS, pelos crentes evolucionistas (na maioria naturalistas céticos a Bíblia.)

    Generalizar a todos os Cristãos, colocando no mesmo “balaio” denominações como espíritas, católicos, protestantes, adventistas, testemunhas de Jeová, etc.. é um erro grotesco, e não reflete a realidade, pois cada denominação tem o seu pensamento.

    Tu preferes viver pela realidade ou pelo que tu desejas ser a realidade (Ilusão)?

    Antes, eles acreditavam que Deus criou o universo em um estalar de dedos e de forma inteligente.

    De nome aos bois. Cite a fonte.
    Quem acreditava no “estalar de dedos” criador?
    Não conheço nenhum crente que defende tal absurdo.
    Nem mesmo no início do cristianismo há relatos de um suposto “dedo estalador” de Deus.

    Ooops peraí, mas os escritores do livro de Gêneses abençoados pelo espírito santo esqueceram do grande e importantíssimo detalhe do Big Bang

    Mas quem disse que tal “explosão” existiu???
    Tu a assume esta CONJECTURA como um fato sem ao menos comprovar?
    Nem todos possuem a vocação para a crença como tu.
    Eu particularmente não tenho fé que o universo tenha se originado pelo modelo que hoje é exposto.

    tocaram a história pra frente começando por de Adão e Eva esculpidos num pedaço de barro pelas mãos do Deus de grandes barbas brancas?

    “Pedaço de barro”??? “Barba branca”??? Olha…. uma dica, pesquise o tema antes de tentar aborda-lo.
    Para pessoas que conhecem o assunto este teu comentário, com o perdão da palavra, chega a ser ridículo.

    E quantos anos então a vida foi criada conforme a bíblia? Parece que no máximo 6 mil anos.

    Segundo a Bíblia, a HUMANIDADE e os PRINCÍPIOS ANTRÓPICOS (não é o planeta em si) tem aproximadamente 5610 anos.
    Segundo evolucionistas, este número é bem maior.

    Tudo é uma questão de fé. uns adotam o modelo TEÓRICO e SEM COMPROVAÇÃO evolucionista e outros adotam a visão EMPIRICAMENTE COMPROVADA (de maneira pessoal) Bíblica.

  69. Ana Judas,

    Ok, passar bem.

    A propósito, o Genesis não é um livro científico, tem linguagem totalmente figurada. É por isso que estudo de teologia é longo e arduo, mas tem gente, como você, que acha que é tudo literal, e aí começa a falar besteira sem saber.

  70. Wagner Mente,

    Que boiolice essa de “voce disse isso mas quis dizer aquilo”, você realmente tem tempo sobrando na vida.

    E mais do que rápido quer dar uma de Galvão Bueno e dar o placar do jogo, claro, você sendo sempre o vencedor. Deixe as pessoas decidirem por si mesmas.

  71. André

    Afirmaste que estudas teologia. Desculpe a pergunta, mas qual denominação? Católica ou Protestante?

  72. Ana, eu fiz alguns textos no blog sobre esse livro, a partir DAQUI. Inclusive traduzi uns tópicos.

  73. Diogo AZETECH Morelli, você pegou o bonde andando e ainda quis ir na janela.

    O filósofo de sacristia ali disse que o mundo era feito de prazeres físicos. Eu disse que não, que o mundo é feito de átomos. Ele correu a mandar um e-mail para o bispo pra saber se isso é mesmo verdade.

  74. Obrigada pelo link Barros, vou ver.

    Diogo Morelli

    Você sabe muito bem do que estou falando, pois não me parece nenhum inocente que está ouvindo uma história pela primeira vez.
    Talvez não tenha gostado do sentido irônico ou até cômico que dei as fábulas da bíblia que recontei com outra roupagem apesar de não ter modificado em nada o conteúdo. Ok. Deus pegou um punhado de pó e fez o homem. Presume-se então que ele molhou esse pó, transformou-o em barro para dar forma a uma escultura conforme sua imagem, feito isso ele assoprou a imagem e deu-lhe vida.

    A igreja cristã que frequentei quando criança contava a história de Adão dessa forma, eu não tenho culpa da criação do homem ser contada assim na bíblia.

    Acontece que muitos falam que as estórias bíblicas são simbólicas ou metáforas quando não encontram explicações dentro da lógica. Vai entender, pois cada um conta do seu jeito, aliás, toda lenda vai sendo modificada com o passar do tempo para ser adaptada a novos conceitos.

    Para mim, cristãos, espíritas, católicos, protestantes, adventistas, testemunhas de Jeová são todos de um mesmo balaio visto que vivem de crenças em divindades.

    Bye

  75. Ana Judice

    Você sabe muito bem do que estou falando, pois não me parece nenhum inocente que está ouvindo uma história pela primeira vez.

    Ana, eu estudo a Bíblia, a vários anos. Diante de tal conhecimento consigo observar pelos argumentos quem sabe ou não o que está a falar.
    Pelas tuas palavras percebo mais presunção em achar que “domina” o tema do que conhecimento em si.

    Talvez não tenha gostado do sentido irônico ou até cômico que dei as fábulas da bíblia que recontei com outra roupagem apesar de não ter modificado em nada o conteúdo.

    Tua entonação “irônica” modificou todo o sentido do relato.
    Seria o mesmo que eu ser irônico a fábula evolucionista dizendo que o homem “evoluiu” do macaco.
    Qualquer conhecedor desta fábula (principalmente aos que creem em sua veracidade) sabe que ela jamais anuncia que o “macaco” evoluiu para o homem. Segundo a fé, o homem e o macaco “vieram” de um SUPOSTO ancestral comum (nunca observado).

    Percebe? Tu, como crente em Darwin, conhece suas doutrinas. Logo se alguém dissesse algo tão grotesco ao “desenvangelho” que ele anuncia, saberia o quão ridículo seria estas palavras.

    Ok. Deus pegou um punhado de pó e fez o homem.

    “Punhado de pó” pode conter:
    º Seis elementos não-metálicos: flúor, bromo, iodo, boro, arsênico e silício;
    º Um elemento de transição: vanádio; e treze metais: ferro, zinco, manganês, cobre, níquel, cobalto, lítio, rubídio, césio, alumínio, titânio, cromo, molibdênio
    º E também estanho, chumbo, prata, gálio, estrôncio e bário.

    Todos estes elementos fazem parte de todos os organismos vivos estudados.

    Presume-se então que ele molhou esse pó, transformou-o em barro para dar forma a uma escultura conforme sua imagem, feito isso ele assoprou a imagem e deu-lhe vida.

    O relato não declara que Deus fez um “bonecão de barro” e depois soprou em suas narinas. Ele simplesmente afirmou que do PÓ da terra (seus elementos), o homem foi formado (com todos os seus orgãos funcionais) e depois deu-lhe a ALMA (pneuma/ruach) que o fez viver.

    Esta pressuposição adotada por tí, é apenas a tua CRENÇA pessoal sem nenhuma evidência biblicamente descritiva que a corrobore.

    Existe um ditado muito popular aos estudiosos Bíblicos que diz:
    “O que a Bíblia não diz com clareza, não poderemos afirmar com certeza”

    A igreja cristã que frequentei quando criança contava a história de Adão dessa forma, eu não tenho culpa da criação do homem ser contada assim na bíblia.

    Este é o resultado de depositar a sua fé em pessoas, ao invés de verificar na própria fonte.
    Se ao invés de crer cegamente na interpretação de uma pessoa que se diz entendedor do assunto, buscasse analisar se os relatos de fato procedem diretamente NA FONTE, não seria enganada.

    Acontece que muitos falam que as histórias bíblicas são simbólicas ou metáforas quando não encontram explicações dentro da lógica.

    Quem chama os relatos Bíblicos, amplamente apoiados pelas evidências históricas, arqueológicas, geológicas, antropológicas e científicas de estória (com “E”) já demonstra um pensamento ilógico do assunto.
    Não há nada mais ilógico e irracional em rejeitar as evidências, em prol a uma ideologia que se choca com elas.

    Vai entender, pois cada um conta do seu jeito

    E tu acabaste de contar a narrativa do TEU jeito. Não és diferente dos outros que contam do jeito deles.

    Para mim, cristãos, espíritas, católicos, protestantes, adventistas, testemunhas de Jeová são todos de um mesmo balaio visto que vivem de crenças em divindades.

    Isso explica o motivo pelo qual vive FORA da realidade, com argumentos preconceituosos e distorcidos.
    É uma pena que desejes viver segundo a tua ilusão do que conhecer de fato a realidade que a cerca.

  76. Ana

    Quando o Azetech fala que os relatos da bíblia são “amplamente apoiados em evidências históricas,arqueológicas, geológicas, antropológicas e científicas” ele está falando que a Terra tem seis mil anos ou por aí, que na época do Dilúvio o planeta tinha montanhas baixas o suficiente para serem encobertas pelas águas e que os dinossauros não só foram embarcados na Arca de Noé como ainda estão entre nós. Entre outras “evidências” do mesmo naipe.

    E é você quem vive FORA da realidade, tá?

  77. André

    A propósito, o Genesis não é um livro científico, tem linguagem totalmente figurada. É por isso que estudo de teologia é longo e arduo, mas tem gente, como você, que acha que é tudo literal, e aí começa a falar besteira sem saber.

    E o “estudo longo e árduo” do Gênesis, que tem “linguagem totalmente figurada” serve para que?

  78. SS ROdrigues,

    O estudo do Genesis tem a ver com a criação do mundo, mas do ponto de vista da relação do criador com a criatura, lá fala do pecado original, só isso dá para escrever várias teses. Não é um livro descritivo que mostra como se fosse um filme, como surgiu o mundo. Pelo menos essa é a interpretação católica, há evangélicos que querem interpretar literalmente, mas eu discordo deles.

  79. Diogo Morelli,

    Eu não estudo teologia formalmente, na verdade, gosto mais do tema da existência de um criador do universo, esse para mim é o x da questão. Se é o Deus cristão ou não, podemos discutir depois, eu, pessoalmente acho muito forte a história de Jesus e tudo que representa o cristianismo até hoje para a história da humanidade. Pensar que isso começou com 12 pescadores analfabetos, e ver os grandes teólogos que surgiram como Santo Agostinho e São Tomás de Aquino, enfim, sem uma boa dose de ajuda sobrenatural, do espírito santo como prometido por Jesus, o cristianismo não seria o que é. Não conheço nenhuma outra instituição na história da humanidade que tenha durado tanto e se espalhado por tantos lugares sem perder o seu núcleo principal.

    E para finalizar, eu não sou filiado a nenhuma religião, mas me simpatizo com o catolicismo, porém, não sigo 100%. Respeito todas as religiões, menos aquelas dinheristas, tipo Universal, que para mim é o capeta vestido de pastor.

  80. O Gênesis é uma lenda, como inúmeros outros livros da Bíblia. E mais: uma lenda plagiada.

    Os israelitas passaram séculos sob o domínio babilônico. Durante todo esse tempo de escravidão, nada mais natural do que esse povo subjugado ter absorvido muito da cultura de seus senhores, inclusive a versão deles (dos babilônicos) para a criação do mundo.

    Toda a espinha dorsal da Bíblia, incluindo aí o deus dos cristãos, Jesus, é uma colcha de retalhos importados de outros povos: babilônicos, egípcios, gregos, hindus, persas, assírios… Os israelitas não tinham muita imaginação, ao que parece.

    Quanto a essa masturbação anal que os cristãos adoram — essa baboseira de “pecado original” — , eu só posso acreditar que as tais teses sejam na linha de questionamentos que procurem descobrir por que pessoas, sem nenhum tipo de doença mental aparente, ainda creem que um ser supremo e onicoisente tenha amaldiçoado toda a sua “obra” porque alguém mexeu no seu pomar.

    É claro que, no tempo dos israelitas, isso caía como uma luva, dado que essas estórias de ninar era todo o “conhecimento” disponível. Mas hoje…

  81. E eu já percebi que o André Lopes (ele consultou um numerólogo e mudou o nome artístico), pois bem, o André tem uma certa fixação anal por Santo Agostinho…

  82. Barros

    O Barros e suas “teorias conspiratórias”, sem o mínimo de evidências que embase ou com a interpretação destas evidências realizadas de forma errônea.
    Vejamos:

    O Gênesis é uma lenda, como inúmeros outros livros da Bíblia. E mais: uma lenda plagiada.

    Provavelmente se refere a relatos míticos de outros povos sobre os eventos lá narrados.
    Bom, o fato de outros povos (ATÉ MESMO GEOGRAFICAMENTE DISTANTES, QUE NÃO TIVERAM CONTATO ENTRE SI) contarem a mesma história (ou pelo menos parecida) é uma forte evidência a veracidade dela.
    Porque? Ora, um evento histórico comum, compartilhado entre vários povos, certamente teria seus relatos similares disseminados, ainda mesmo que estes povos não tivessem contato entre si.
    É exatamente o que vemos.
    Relatos do primeiro casal, dilúvio, divisão de idiomas (torre de babel) são muito bem documentados em outros povos, que nem mesmo sequer encontraram os hebreus.

    Os israelitas passaram séculos sob o domínio babilônico. Durante todo esse tempo de escravidão, nada mais natural do que esse povo subjugado ter absorvido muito da cultura de seus senhores, inclusive a versão deles (dos babilônicos) para a criação do mundo.

    Evidências????? Cadê?????
    Achismo fundamentado em crença não tem o mínimo valor científico ou arqueológico.
    Se tu alegas tal conjectura, deverias, além de sua fé pessoal, demonstrar evidências que a corrobore.
    Tens alguma?

    Toda a espinha dorsal da Bíblia, incluindo aí o deus dos cristãos, Jesus, é uma colcha de retalhos importados de outros povos: babilônicos, egípcios, gregos, hindus, persas, assírios… Os israelitas não tinham muita imaginação, ao que parece.

    O já refutado documentário sensacionalista “zeitgeist” não é academicamente confiável, visto quem embasa seus argumentos principais em MENTIRAS.
    Qualquer estudioso sério, conhecedor dos eventos envolvidos, sabe que se trata de um engodo.

    Barros, veja bem, se quiseres viver sob uma conjectura que não reflete a realidade (ilusão), fundamentado na ignorância dos temas abordados, só tenho a desejar “felicidades” nesta vida.

    Porém devo alertar dois fatos:
    1º Não pense que seus desejos mudará os fatos e a realidade.
    2º Não pense que todas as pessoas endossará os teus achismos, crendo cegamente em ti, adotando a tua visão.

  83. Andre

    Interessante em saber que é um estudioso na qual não se filia a nenhuma denominação. Isso o deixa livre para analisar todos os argumentos, chegando as suas próprias conclusões (sem endossar cegamente a conclusão de outros)
    Diante deste fato, eu o convido para visitar um blogue que tenho participado a vários anos: http://darwinismo.wordpress.com/
    Lá tu encontrará um modelo científico livre das deturpações evolucionistas/naturalistas, disfarçados de “ciência”

    Abraços.

  84. Shirley

    Sim, vivo fora da realidade destorcida do fanatismo do Azetech Diogo Morelli e de suas alienações místicas vivendo ainda no tempo do Dilúvio bíblico.

    Mas estou muito bem dentro da minha realidade, livre de demônios e dragões

  85. Diogo Morelli,

    Obrigado pela sugestão do site, sempre bom saber que há outras pessoas tentando esclarecer o público.

  86. Barros,

    Se eu citei Santo Agostinho aqui umas 2 ou3 vezes e você já disse que é fixação anal, o que não dizer que da sua fixação com o Velho Testamento.

  87. Sr Azetech Diogo Morelli,

    O que a Bíblia não diz com clareza, não poderemos afirmar com certeza

    Ao meu entendimento então, a bíblia é uma bomba engatilhada e como viver em coerência num mundo em que cada um tem uma forma de interpretação e cada um supõe que a sua é a certa pelas várias opções de interpretações ai então eu vou ter que ir na conversa oportunista de qualquer trouxa sabe-tudo.
    Se nem ela, a bíblia é clara, onde está a paz que ela propõe?

    Você se diz estudioso há anos das interpretações bíblicas, pois eu digo que cada um tem seu entendimento particular, dependendo do que se procura nela, por isso me parece que em tudo o que você fala, está impregnado pelo fanatismo o que para mim não transmite nenhuma confiança e credibilidade.

    Cada um tem uma forma pessoal de ver, sentir, viver, chorar, sorrir, amar, desamar, odiar, vibrar, perceber. Cada um tem sua paleta de cores de acordo com a vibração refletida, cada um de nós temos traços, sinais, digitais, até a íris dos nossos olhos são únicas e cada um de nós é único, até no cheiro do nosso corpo, nosso relógio biológico não é idêntico ao outro que dorme ao nosso lado toda uma noite.
    Cada um tem sua própria realidade fundamentada nas suas convicções seja dentro de um conceito ilusório ou não. A realidade também é relativa e eu vivo muito bem e confortável dentro da minha racionalidade sem nenhuma alienação e crenças em seres sobrenaturais criados pelos devaneios do próprio homem.

    E então por que vou ter que ser conivente com suas ideias e fazer parte de uma manada de zumbis guiados e amedrontados por um Deus vingativo, cruel, de um amor imensurável por suas criaturas e ao mesmo tempo possuidor da maior carga de ódio do mundo? Por que Deus tem sentimentos humanos? Porque eles mesmos o criaram, o homem não é feito da imagem de Deus e sim Deus foi feito e criado pelo homem conforme suas conveniências.

    Não tenho interesse em estar enquadrada numa religião e nem fazer parte como se eu fosse um elemento a mais numa manada. Não quero pensar como todos como disse Walt Lippman: Quando todos pensam iguais é porque ninguém está pensando. Sim, eu sou rica e feliz, pois criei meu próprio mundo de acordo com minha construção. E agora pergunto sem medo de errar se você tem a intenção de me enquadrar dentro do seu mundo real que é totalmente desviado por crenças.

    Não sou preconceituosa e a distorção que você diz ver em mim é o resultado do julgamento da distorção da sua realidade, é o seu espelho que produz efeitos imaginários.

    Sabemos que homem carrega em sua genética fortes tendências para acreditar em seres superiores e poderosos. Se ele não tiver um deus, certamente que ele vai criar o seu. É um reflexo da sua necessidade de proteção, mas vivemos noutros tempos onde sabemos mais sobre nós e do nosso mundo e hoje sabemos que o trovão não é a poderosa voz de um Deus mandando castigos lá de cima sentado em seu trono de ouro.

    Até…

  88. Ana

    seu avatar esta com cara de “negativado”

  89. Criaturo

    “Negativado” ou com alguma distorção?

  90. parece o negativo de uma foto

  91. Gosto de trabalhar imagens com algumas cores nos filtros do Photoshop, no caso desta em aquarela. Só isso.

  92. André

    A minha pergunta tinha um objetivo específico. Você costuma fazer eco ao Criaturo quando ele diz que nós ateus chutamos cachorro morto sempre que falamos do deus do A.T. Também vive dizendo que acredita num deus criador que não necessariamente o do A.T. Aí você faz uma defesa do Gênesis e eu fico curiosa para ver o que você vai responder.

    O estudo do Genesis tem a ver com a criação do mundo, mas do ponto de vista da relação do criador com a criatura

    Se o Gênesis tem linguagem totalmente figurada, como é que você sabe que ele tem a ver com o ponto de vista do criador? Pelas interpretações dos teólogos? Se o Gênesis tem linguagem totalmente figurada e necessita intérpretes, você não acredita no deus que se comunicou em linguagem cifrada, acredita nos intérpretes dele. Se não acredita, por que está defendendo?

    lá fala do pecado original, só isso dá para escrever várias teses

    E? Tese por tese, dá também para escrever algumas bem interessantes sobre o Surfista Prateado, por exemplo. Aliás, se for para explorar a questão das ações humanas sob o ponto de vista de escolhas que se faça, das motivações e consequências delas e da forma como se lida com tudo isso depois, a história do Surfista Prateado pode ser mais frutífera para teses, é um pouco mais complexa que a do pecado original.

    Acho que antes de você confrontar os ateus, você precisa primeiro resolver em que tipo de deus você acredita. Por exemplo, não faz o menor sentido você implicar com o Wagner, e já desde o início de forma tão belicosa. Ele está falando do personagem Jesus como mito.
    Esse mito é apresentado, pelo cristianismo, como o filho do deus Javé ou como o próprio em forma humana.
    Se você diz que quando nós criticamos o deus da bíblia estamos chutando cachorro morto, isso significa que para você esse deus não é válido. Ocorre que Jesus é apresentado como a expressão desse deus, é uma associação inextricável. Um é o outro, o outro é o um.

    Assim sendo, você está reclamando do quê?

  93. Bom, o fato de outros povos (ATÉ MESMO GEOGRAFICAMENTE DISTANTES, QUE NÃO TIVERAM CONTATO ENTRE SI) contarem a mesma história (ou pelo menos parecida) é uma forte evidência a veracidade dela.

    É verdade. Não tinha analisado sob essa perspectiva.

    Agora dá licença que eu vou ali na feira comprar todo o estoque de alho que eles tiverem lá, porque tem um monte de livros aí sobre vampiros, o que prova que vampiros existem mesmo.

  94. “Povos geograficamente distantes que não tiveram contato entre si”?

    Você precisa estudar História e ler mais sobre as rotas de comércio daqueles tempos… Vou te dar um “drops”:

    Há muitos milênios, não existia avião, você acredita? As pessoas chegavam apressadas nos aeroportos, saiam correndo pro check in arrastando suas malas pesadas e, chegando lá, a atendente vinha com essa de que não tinha nenhum voo disponível… Porra, imagina a raiva da pessoa!

    — Como assim, minha filha!!!?

    — Senhor, o avião ainda não foi inventado. O senhor vai ter que viajar usando outro meio. Pode ser pelo Mediterrâneo ou pelo deserto, usando uma das principais rotas de comércio.

    Pois é. Com as mercadorias trazidas dos “povos geograficamente” também vinham suas lendas, suas crenças, suas invenções…

  95. Barros

    Essa sua divertida descrição dos viajantes de antanho fazendo check in no aeroporto sem terem ainda inventado o avião me fez lembrar de uma série de livros chamada Deixados para trás, se não me engano composta de 12 livros.
    Mal consegui terminar o primeiro; além de péssima literatura,o tema é de dar engulho. Basicamente, todos os que Deus considera terem preenchido os requisitos na adoração dele desaparecem em pleno ar, só sobram roupas e calçados. Aviões caindo carros batendo, pessoas perdendo familiares sem saber o que está acontecendo. Quem fica acaba descobrindo que vai se ferrar legal, pois não só ficam sabendo que os deixados para trás, se quiserem ser salvos, vão ter que ralar durante sete anos, mas que terão de fazê-lo sob o Anticristo, que vem reclamar o reino dele. A série é um sucesso danado e faz a gente ficar pensando sobre a mentalidade doente das pessoas que apreciam o que a história tem de pior, que é o tal do amor divino justo e bondoso botando pra quebrar. Gente como o Azetech.

    Falando nele e nesse argumento cambaio de “Povos geograficamente distantes que não tiveram contato entre si”, aposto uma bíblia sem capa que ele também se refere a povos muito distantes do Oriente Médio, como os Maias na América Central. Claro que, como ele não pode provar que seres humanos brotaram nas Américas, vai ridicularizar os estudos que apontam para a migração tanto do povo quanto das lendas.

  96. Ana Judice

    Sim, vivo fora da realidade destorcida do fanatismo do Azetech Diogo Morelli e de suas alienações místicas vivendo ainda no tempo do Dilúvio bíblico.

    Se vives em uma “realidade” fora da realidade claramente observada pelas evidências, então não vives na realidade mas sim na ilusão.

    Ao meu entendimento então, a bíblia é uma bomba engatilhada e como viver em coerência num mundo em que cada um tem uma forma de interpretação e cada um supõe que a sua é a certa pelas várias opções de interpretações ai então eu vou ter que ir na conversa oportunista de qualquer trouxa sabe-tudo.

    E como sabes que este teu “entendimento” reflete a realidade do que ela representa?

    Se nem ela, a bíblia é clara, onde está a paz que ela propõe?

    Eu NUNCA disse que ela não é clara, tu é quem disseste agora.
    Eu disse ““O que a Bíblia não diz com clareza, não poderemos afirmar com certeza”

    Perceba que a tua alegação, mesmo contendo a palavra “clareza”, nem de longe teve o sentido da minha alegação.

    Você se diz estudioso há anos das interpretações bíblicas, pois eu digo que cada um tem seu entendimento particular, dependendo do que se procura nela.

    E porque achas que tens autoridade para dizer algo sobre ela se nem mesmo estudiosa és?
    Aposto que nem ao menos uma vez tu a leu.

    , por isso me parece que em tudo o que você fala, está impregnado pelo fanatismo o que para mim não transmite nenhuma confiança e credibilidade.

    Com todo respeito, porque achas que me importo com sua opinião, ou em transmitir “confiança” a ti?
    Achas que quero te “converter” ou algo do tipo?
    Se sim, sinto-lhe desapontar, mas não tenho o menor interesse nisso.
    Vivo pela minhas certezas empíricas e me importo apenas com elas.
    Quem quer viver de modo diferente, faça como bem entender. Não me importo.

    Sei que pode parecer, a primeira vista, uma declaração arrogante ou “fria”, mas a verdade é que eu respeito a cosmovisão de cada um, desde que a minha cosmovisão seja respeitada.

    Se alguém tenta subjugar minhas convicções, com outras convicções sem comprovações, simplesmente embasadas em fé, então procuro colocar esta tal pessoa no lugar demonstrando que as certezas dela igualmente é crida por fé.(e as vezes muito mais fé do que a minha)

    Cada um tem sua própria realidade fundamentada nas suas convicções seja dentro de um conceito ilusório ou não.

    Mas e quando estas convicções tenta ser “empurrada goela abaixo” aos quem não as possuem?
    Tome por exemplo toda doutrina que segue o darwinismo.
    Ora, esta doutrina não é empiricamente comprovada (ou ao menos evidenciada), porém por se tratar de uma proposta NATURALISTA ela é imputada como um fato.

    Ora, eu como cristão devo ser forçado a aprender uma doutrina fundamentado em fé, que em muitos casos se chocam com as evidências?
    Tu como atéia gostaria de ser forçada a aprender o ensino Bíblico?
    Este é meu ponto.

    A realidade também é relativa e eu vivo muito bem e confortável dentro da minha racionalidade sem nenhuma alienação e crenças em seres sobrenaturais criados pelos devaneios do próprio homem.

    A realidade é UMA SÓ.
    A relatividade está na INTERPRETAÇÃO desta realidade.

    E então por que vou ter que ser conivente com suas ideias e fazer parte de uma manada de zumbis guiados e amedrontados por um Deus vingativo, cruel, de um amor imensurável por suas criaturas e ao mesmo tempo possuidor da maior carga de ódio do mundo?

    Cuidado. Foi com esta visão e estes argumentos EXTREMAMENTE PRECONCEITUOSOS que líderes comunistas ATEUS, em busca de um estado ATEU, promoveram a “caça aos religiosos” exterminando muito mais inocentes em 3 décadas do que os pseudos-cristãos somados com extremistas muçulmanos em 3 séculos.

    Primeiro, não precisar ser conivente com nada, porém deverá respeitar a visão do próximo
    Segundo, este tipo de visão torpe e caluniada do Deus Bíblico não é compartilhado por nenhum cristão, logo o que tu achas dele, não faz a menor diferença a um Cristão que o conhece.

    Por que Deus tem sentimentos humanos? Porque eles mesmos o criaram, o homem não é feito da imagem de Deus e sim Deus foi feito e criado pelo homem conforme suas conveniências.

    Tens alguma evidência de tua alegação ou ela é simplesmente fundamentada

    Porque achas que a tua tem alguma validade para mim ou para algum Cristão (ou Teísta)

    Não tenho interesse em estar enquadrada numa religião

    E????
    Fique sem religião, oras bolas.
    O Mundo e a minha vida segue independentemente do que crês ou deixa de crer.

    e nem fazer parte como se eu fosse um elemento a mais numa manada.

    Mas tu está inserida na manada ateísta. Ou achas que és única?

    Não quero pensar como todos como disse Walt Lippman: Quando todos pensam iguais é porque ninguém está pensando.

    Mas o teu pensamento é compartilhado por muita gente (bem menos é claro que os teístas, pois o ateísmo é anti-natural ao ser)

    Sim, eu sou rica e feliz, pois criei meu próprio mundo de acordo com minha construção.

    Grande coisa. Daqui a alguns anos serás uma carcaça podre, consumida por vermes (ou cinzas, caso decidam crema-la)como qualquer um.
    Vieste sem nada para este mundo, e sem nada ficará quando abandona-lo.

    E agora pergunto sem medo de errar se você tem a intenção de me enquadrar dentro do seu mundo real que é totalmente desviado por crenças.

    Erraste.
    A realidade é que não dou a mínima.
    Quem me conhece a mais tempo sabe que digo a verdade.

    Não sou preconceituosa e a distorção que você diz ver em mim é o resultado do julgamento da distorção da sua realidade, é o seu espelho que produz efeitos imaginários.

    E como sabes que a ilusão não está em sua vida, fazendo-a distorcer a realidade?
    Eu tenho dezenas e dezenas de evidência não só em favor da existência de Deus, como da autoridade Jesus.
    E tu, que evidências tem a favor de seu ateísmo?

    Sabemos que homem carrega em sua genética fortes tendências para acreditar em seres superiores e poderosos.

    Uma forte evidência de Deus e uma comprovação de que o ateísmo é ANTI-NATURAL.

    Se ele não tiver um deus, certamente que ele vai criar o seu.

    Ou idolatrar outras coisas.
    Ou achas que já não tens elaborado um “altar”, idolatrando algo material?
    Desconfio que a sua idolatria seja a Mamon (dinheiro), porém precisarei de uma análise mais aprofundada para não chegar a conclusões precipitadas.

    É um reflexo da sua necessidade de proteção

    Falácia Genética.
    Mesmo que meu desejo por Deus fosse por necessidade de proteção, isso não significa que ele não Existiria.

    mas vivemos noutros tempos onde sabemos mais sobre nós e do nosso mundo e hoje sabemos que o trovão não é a poderosa voz de um Deus mandando castigos lá de cima sentado em seu trono de ouro.

    Pois é, deuses ilusórios feito pelos homens são descartados pelas observações e pelo conhecimento.
    Nada de novo, pois a Bíblia previa isso muito tempo atrás, antes mesmo do avanço da ciência que foi fundamentado por teístas e na maioria Cristãos.

    Porém nestas mesmas observações sabemos que o trovão é fruto de condições proporcionadas por LEIS que por sua vez é composto por INFORMAÇÃO CODIFICADA que por sua vez não é produzido pela aleatoriedade, mas sim por uma MENTE INTELIGENTE

  97. Barros

    “Povos geograficamente distantes que não tiveram contato entre si”?
    Você precisa estudar História e ler mais sobre as rotas de comércio daqueles tempos… (…) Com as mercadorias trazidas dos “povos geograficamente” também vinham suas lendas, suas crenças, suas invenções…

    Concordo Barros. Cometi uma falha. Com a humanidade moderna sendo originado por três casais (Cam, Sem e Jafé), obviamente tiveram contato entre si, trazendo consigo suas crenças e CONVICÇÕES (alguns distorcidos em forma de lendas e outros não).
    Obrigado por corrigir e reforçar meu argumento.

    Porém dizer que as crenças e convicções foram inventados, precisará de evidências.
    Tu a possui ou simplesmente CRÊ por
    Eu creio que os mesmos originaram através de um eventos em comum, que observados por todos foram contados de formas diferentes, salvo UM POVO que recebeu a revelação direta.
    E tu reconhece a tua CRENÇA , ou irá nega-lo, achando que se enganar a tornará isenta?

  98. Nunca canso de me admirar com os milagres que brotam da bíblia comentada pelo Azetech.
    Agora sabemos que a humanidade moderna se originou com três casais, formados por três homens. Como será que foram os enlaces? Sem e Cam, Cam e Jafé, depois Sem e Jafé? Pena que não tinha filmadora naquele tempo. Fico aqui imaginando o Jafé se esforçando na mesa de parto, o Sem (ou o Cam) segurando a mão dele…mas paro na hora do nascimento. Eu hein?

    Sou só eu ou mais alguém tem a impressão de que há trovões ribombando e raios triscando o céu quando começa a ler os pronunciamentos do Azetech?

  99. Diogo Morelli

    Não vou refutar suas argumentações tão esmiuçadas parágrafo por parágrafo. Desculpe mas, nem as li até o final porque já no início percebi o obvio, como se eu estivesse relendo uma escrita que eu sabia de memória, mas que exprime sua forma de ver a vida e ser feliz.

    Porém quero esclarecer um mal entendido em relação a uma frase que escrevi deixando margens para uma interpretação que não é verdadeira:

    Sim, eu sou rica e feliz, pois criei meu próprio mundo de acordo com minha construção.

    Longe de mim esta postura arrogante, antipática e inconcebível que não corresponde ao meu perfil. Referi a outra riqueza, a interior, a soma de minhas construções pessoais ano após ano com grande paixão e responsabilidade pela vida.
    Não tenho riquezas materiais, sou uma operária da arte da mesma categoria de Van Gogh, Paul Klee ou Francis Bacon, sou artista, entretanto jamais a altura de nenhum deles, quem me dera, sou muito modesta.
    Meu mundo é rico, colorido porque me sinto envolvida com a captação da essência das coisas para me expressar, usando da sensibilidade para criar minhas formas que busco e rebusco. Nasci com esse amor às artes, trabalhei muito para conquistar uma posição razoável no meio artístico. Esta á a minha riqueza.

    Até

  100. Não se esqueça que Deus não dava a mínima para as mulheres. De repente tem mulher na estória, mas, como Deus não gosta de vocês, ele resolveu não mencioná-las.

  101. SSrodrigues

    Agora sabemos que a humanidade moderna se originou com três casais, formados por três homens

    Se são três casais, então trata-se de seis pessoas e não de apenas três homens.
    A adição é uma das operações básicas da álgebra.
    1+1 = 2
    2+2 = 4
    3 (Cam, Sem e Jafé) + 3 (Suas respectivas esposas) = 6 pessoas ou três casais

    Como será que foram os enlaces?

    Não muito diferente do que hoje.
    Genitália masculina penetrando na genitália feminina, que a propósito foram inteligentemente criados para um conceber o outro.

    Não há exemplo maior de complexidade irredutível ao observar tamanha engenharia que ambos possuem.
    Complexidade tal que por si só refuta toda explicação naturalista/evolucionista para sua origem.

    Sem e Cam, Cam e Jafé, depois Sem e Jafé?

    Cam e sua esposa, Sem e sua esposa, Jafé e sua esposa.

    Pena que não tinha filmadora naquele tempo

    Porque? Está curiosa? Es virgem ou celibatária?
    Enfim, caso deseje saciar a tua dúvida, alugue um filme de adulto hétero que terás a noção do fato ocorrido.

    Fico aqui imaginando o Jafé se esforçando na mesa de parto, o Sem (ou o Cam) segurando a mão dele…mas paro na hora do nascimento. Eu hein?

    Imaginação é seu forte, isso tenho de reconhecer.
    Não é fácil para uma pessoa sem imaginação ter fé que uma poça de lama se organizou sozinha, virando vida ou que “Amebas”, tornaram-se Humanos.

    Sou só eu ou mais alguém tem a impressão de que há trovões ribombando e raios triscando o céu quando começa a ler os pronunciamentos do Azetech?

    Este evento ocorre com frequência? Tu ingeres algum medicamento ou inala alguma substância antes de “ouvir” estes supostos trovões, ou “ver” estes supostos raios?

    Tua declaração foi similar a de um documentário sobre tribos indígenas Brasileiras assistido por mim, onde Pajé após inalar ervas ou ingerir fungos (cogumelos), passou a “ouvir” e “ver” coisas.

  102. Ana Judice

    Desculpe mas, nem as li até o final porque já no início percebi o obvio,

    Todo teu “conhecimento” é elaborado por leituras incompletas, já de um suposto início “percebido” pela suposta obviedade?
    Isso explica o motivo pelo qual existe mais presunção (ato de presumir) do que conhecimento de sua parte a alguns assuntos abordados neste post.

    Referi a outra riqueza, a interior, a soma de minhas construções pessoais ano após ano com grande paixão e responsabilidade pela vida.

    Que no final não adiantará nada, pois no futuro (espero que seja distante) estarás MORTA.
    Isso demonstra que a tua “riqueza”, por permanecer apenas a esta vida, é apenas uma ilusão.

    Meu mundo é rico, colorido porque me sinto envolvida com a captação da essência das coisas para me expressar, usando da sensibilidade para criar minhas formas que busco e rebusco.

    Vivendo pela realidade que a tua “riqueza” descerá a sepultura contigo, teu mundo é ilusório.

    Nasci com esse amor às artes, trabalhei muito para conquistar uma posição razoável no meio artístico. Esta á a minha riqueza.

    Descobri o teu “deus”, descobri a tua “idolatria”: chama-se Arte.
    Como o Homem é naturalmente inclinado a crer em Deus, e alguns rebeldes desejam rejeita-lo (indo contra a natureza), algo deverá ser adorado em seu lugar, algo para trazer a “paz”.

    Não digo que tenha “paz” em tua “riqueza”, mas eu digo que a tua “paz” é diferente da minha.

    Ao contrário de viver em uma ilusão (pois a tua “riqueza” acabará assim como sua vida), eu vivo pela esperança da verdadeira vida que não se acabará.
    E a minha garantia de que minha esperança é verdadeira qual é?
    Experiências empíricas dados apenas aos que buscam obedecer as leis universais dado pelo próprio Criador do Universo.
    Experiências internas e EXTERNAS, claramente visíveis as pessoas e aos que o cercam.

    Esta é a minha riqueza. Algo que nem mesmo a morte tirará de mim.

  103. Barros

    Não se esqueça que Deus não dava a mínima para as mulheres. De repente tem mulher na estória, mas, como Deus não gosta de vocês, ele resolveu não mencioná-las.

    Barros, onde aprendeste a mentir? Com Joseph Goebbels?
    Tens mesmo fé na declaração dele?
    A realidade é que uma mentira contada mil vezes, continua sendo uma mentira.

  104. Azetech

    Os trovões e raios ficam por conta do seu “tom” impostado, fingindo ser um patriarca bíblico, com todos esses “tu”. Você treina isso em voz alta?

    E nem vem dando aula de matemática. Você escreveu aí, preto no branco: três casais, Sem, Cam e Jafé. Mas, espera. Já entendi. Como você está fingindo ser um patriarca bíblico e todo patriarca bíblico é misógino, deve-se suprimir a parte feminina do casal. Sabe que sempre achei que os patriarcas bíblicos eram homossexuais enrustidos? Daqueles bem bicha histérica que tem nojinho de mulher.
    Quanto a usar substâncias alucinógenas, não, não uso, mas mesmo se usasse, você ainda assim vive mais doidão do que eu, já que é dependente da bíblia.

    E usa essa droga obsessivamente apenas porque se borra de medo de morrer.
    Sei não Azetech, mas por mais que você tente imitar os patriarcas bíblicos, seu fim será o mesmo que o das lagartixas: morrer e virar adubo.

  105. Azetech

    Os raios e trovões ficam por conta do seu “tom” impostado, fingindo ser um patriarca bíblico, com todos esses “tu”. Você treina isso em voz alta?

    Está explicada a continha dos casais então. Patriarcas bíblicos eram misóginos e a parte feminina dos casais não precisa nem deve ser ser mencionada. Sabe que sempre achei que os patriarcas bíblicos eram homossexuais enrustidos? Daqueles bem bicha histérica, que tem nojinho de mulher.

    Quanto a substâncias alucinógenas não, nunca usei e mesmo se usasse, você ainda assim é mais doidão que o pior dos nóias, já que é tão dependente da bíblia.
    E essa dependência toda é porque se borra de medo de morrer.

    Sei não Azetech. Por mais que você imite os patriarcas bíblicos, seu fim é o mesmo das lagartixas: morrer e virar adubo.

  106. Diogo Morelli,

    Gostei das suas colocações, espero que os ateus deste blog a essas alturas já tenham se tocado que, ainda que haja crente burro e tapado (assim como há ateus), há muitos crentes que são pensadores, racionais.

  107. Diogo Morelli

    Tá “serto” toca em frente com seus ideais sem interferir nas escolhas dos outros, lembre-se da Ética para não perder as estribeiras.

    Não importa o caminho que você trilha, o importante é ser feliz.

  108. Ana Judice

    Tá “serto” toca em frente com seus ideais sem interferir nas escolhas dos outros.

    Com certeza.

    A minha “interferência” na vida do próximo apenas ocorrerá se assim o próximo desejar.
    Como seguidor de Cristo, e sabendo que a declaração dele é que até Deus não interfere no livre arbítrio, quem sou eu para interferir?
    Porém saiba que se outro tentar se interferir em minha vida sem o meu consentimento, certamente lutarei pelos meus ideais e minhas convicções, sempre é claro, buscando um dialogo racional.

    Um abraço.

  109. André

    espero que os ateus deste blog a essas alturas já tenham se tocado que, ainda que haja crente burro e tapado (assim como há ateus), há muitos crentes que são pensadores, racionais.

    Os ateus mais equilibrados e sensatos sabem disso.
    Apenas os “trollateus” incultos, compostos na maioria de adolescentes “rebeldes sem causa”, agindo conforme a EMOÇÃO (deixando a Razão de lado) é que pensam de forma diferente.

    Abraços.

  110. Ana Judas,

    O que é a arte para você?

  111. Andre Ruela

    Quanto a minha definição pessoal sobe arte vou me poupar porque sei que seu objetivo é o de contestar qualquer ideia, mesmo que você não entenda nada sobre o assunto como é de costume.

    E para cortar logo seu lero lero e não me fazer ler insignificâncias, faço minhas as palavras de “ Schoppenhauer

    A arte é o que reproduz as ideias eternas apreendidas mediante pura contemplação, o essencial e permanente de todos os fenômenos do mundo, e conforme a matéria em que ela reproduz, se constitui em artes plásticas, poesia ou música. Sua única origem é o conhecimento das ideias; seu único objetivo, a comunicação deste conhecimento.

    Leia também Ernest Gombrich, Immanuel Kant

    Se quer mesmo mais descrições e conhecimento sobre arte procure os livros da editora Cosac & Naify.

    Quero também dizer que “ética e moral” também se aplica no ramo das artes.

  112. Quero também dizer que “ética e moral” também se aplica no ramo das artes.

    Exceto na arte de criar universos…

  113. Barros

    Sim, exceto na arte de “criar universo”, porque a arte não é criada com base na espiritualidade mística, não deve influenciar, senão perde a função de transcendência, de superar limites.
    Sua leitura deve ser liberta de toda e qualquer imposição individual. A arte é universal, assim deve ser sua linguagem e o artista é um operário da arte, é sua profissão e ele trabalha nela, pois é esse seu ofício.

  114. Ana Judas,

    Assim é fácil, me perguntam o que eu acho da Teoria da Relatividade, eu respondo “faço minhas as palavras de Einstein, E=MC2”, e pronto, saio pela tangente com ar de intelectual.

    Eu achei que, sendo você artista, pudesse conversar sobre o tema usando as suas próprias palavras.

  115. Andre Ruela

    Eu sei que você não gosta muito de ler, por isso nem entendeu a linguagem do Schoppenhauer quando ele fala sobre a arte. Se leu e não entendeu, não posso fazer nada e foi o que previ: você contestou, então contente-se porque não vou colaborar com suas palhaçadas.
    Sei também que mesmo se eu fosse falar sobre o que é a arte você vai como sempre instigar para uma discussão desnecessária, cheia de zombarias e destrutiva porque este é o seu propósito e a arte é algo muito belo para a compreensão do seu juízo desvirtuado.

    Porém, com o Barros abordei um pouco do sentido da arte e sua função de uma forma bem simplificada apesar da sua complexidade. Não leu?

  116. Não estou conseguindo comentar

  117. Ana e Shirley, me desculpem, mas o software de proteção do blog tinha colocado dois dos seus comentários na caixa de Spam.

    Os comentários do André estão driblando a máquina, normalmente. Só pode ser macumba.

  118. AHAHAHA, é claro, o software é de proteção contra bobagens no blog, pelo jeito vocês não passaram pelo controle de qualidade

  119. Os comentários do André estão driblando a máquina, normalmente. Só pode ser macumba.

    Não é macumba Barros, é milagre. É um dos mistérios de Deus que só a ele pertencem. Agora vou rezar pra ele, se o meu comentário entrar é que ele ouviu minhas preces.

  120. Aleluia! Deus existe!

  121. SS Rodrigues,

    Dessa vez eu deixei passar, mas a Ana Judas está de castigo.

  122. Andre Ruela

    Mas você é um retardado mesmo. Olha pra cima mas, não tão alto para ver se desta vez vai enxergar seu Deus invisível e sim a minha resposta.

    Talvez seja culpa do Alzheimer.

  123. Ana Judas,

    Deixa pra lá, nem vamos discutir sobre a ética e moral na arte de um ateu, vai ser longo demais. Valeu a tentativa, até.

  124. SS Rodrigues,
    Dessa vez eu deixei passar, mas a Ana Judas está de castigo.

    Cuma? Tá sofrendo de complexo de Deus, André?

    Mas hein Deus André, já é a segunda vez que você foge de responder minhas questões, aqui nesse post e lá no outro sobre “a ideologia” ateísta. Por que será?

    E me parece que você é a última pessoa a poder falar alguma coisa sobre a Ana citar alguém. Afinal é você quem vive se fiando dos Santo Agostinho, Tomás de Aquino e Willian Lane Craig da vida, né?
    É a tal da história: macaco enrola o rabo, senta em cima e vai falar do companheiro…

  125. Por falar em citações André, li umas frases do Luiz Felipe Pondé que me lembraram da turminha crente daqui, você, o jephsimple, o Azetech, o Criaturo…E dessa crença interesseira de vocês.

    Essa lembra a forma como vocês vivem cultuando a morte, contando com o prêmio de uma “vida” pós-morte.

    Nossa vida se dá, em grande parte, como a de um animal que vive fora de seu lugar: sonhamos em ser imortais mas sempre acabamos por experimentar o mundo finito e o limite de nossos sonhos.

    A próxima serve para os esquerdistas também, mas não tem muita diferença entre crentes em Deus e crentes no Comunismo, exceto que este último promete o paraíso em vida.

    O homem contemporâneo é, talvez, o mais covarde que já caminhou sobre a Terra, sobre a qual deixará sua marca de incompetência em lidar com a morte, a dor e o fracasso.

  126. Shirley

    (…) você (André), o jephsimple, o Azetech, o Criaturo…E dessa crença interesseira de vocês.

    É uma pena que o preconceito da maioria vocês, crentes naturalistas, supera o conhecimento ou a busca pelo mesmo.

    Colocar eu (Cristão) e o Criaturo (Kardecista) no mesmo “balaio”, como se possuíssemos a mesma ideologia, é um erro sem medidas.

    Quando é que se aprofundarão no assunto e deixarão de julgar equivocadamente, segundo vossa arrogância e prepotência em achar que conhecem tudo?
    Buscar pelo conhecimento não é nenhuma fraqueza, pelo contrário, é uma virtude.

    Como é dito no conhecido ditado em latim: “Scientia potentia est”

    Essa lembra a forma como vocês vivem cultuando a morte

    Quem cultua a morte, é quem a deseja pela eternidade.
    Como esta ânsia de aniquilação do ser, está presente na fé naturalista (ateus), eles é que são os verdadeiros cultuadores dela.

    Quem busca a vida eterna, cultua a vida.

    contando com o prêmio de uma “vida” pós-morte.

    Por este motivo que eu falo que quanto maior é o preconceito, maior é a presunção e menor é o conhecimento.

    De fato existem alguns teístas que creem em uma vida pós-morte.
    Porém como nem todos teístas são iguais (diferentemente do que acreditas preconceituosamente), existem quem confia em uma vida pós-vida, via RESSURREIÇÃO (meu caso).

  127. Azetech

    É uma pena que o preconceito da maioria vocês, crentes naturalistas, supera o conhecimento ou a busca pelo mesmo.

    Essa foi de doer, hein? Você reclamando de preconceito, enquanto coloca todos os ateus no saco da “crença naturalista”. E por sinal que eu nem sei que diabo é isso, crença naturalista. Mas não precisa explicar, prevejo um monte de…preconceito da sua parte sobre o que e como pensam os ateus. Faço bem ideia do que seria o conhecimento válido pra você, bíblia, bíblia e mais bíblia, com alguns teólogos de lambuja. Não, obrigado, desse conhecimento já me fartei.

    Vou te dar um conselho: patenteia esse conhecimento aí que você tem, de pular desta vida para a “pós-vida”, sem passar pela morte. Nem o Papa Francisco vai poder com você em termos de popularidade.

    P.S.: Não é questão de preconceito, é generalização. Você como cristão e o Criaturo como kardecista (se bem que eu acho que ele está mais para criatólico), creem em alguma coisa, logo, são crentes.

    P.S.2: Já que o jephsimple não respondeu, responda-me você. Por que é que vocês ficam tão incomodados com quem não acredita que há alguma “vida” no pós-morte?

  128. Shirley, eu editei seu comentário acima, pra fechar a citação do Azetech. E eu respondo ao PS-2: o crente fica incomodado com quem não acredita em vida após a morte porque, se mais gente acreditasse nisso, ele se sentiria menos idiota. Pronto. Falei.

    Agora eu vou dormir, que hoje eu cometi um pecado daqueles!! Posso até ser condenado ao Inferno. Ou posso ser preso. Ou morto! Não necessariamente nessa ordem.

    Oração antes de ir naná:

    Ó, Senhor Deus, e seu Filho, Nosso Senhor, filho do Altíssimo!
    Ó glória e paz na Terra assim como era no princípio dos santos de boa-vontade. Rogai por nós pecadores, sentados à direita do teu pai todo-poderoso, de onde há de ir julgar os vivos e os trouxas. Não nos deixeis cair na Malha Fina dos impostos pela hora da morte. Amém.

    Boa-noite, Deus.

  129. Diogo

    Colocar eu (Cristão) e o Criaturo (Kardecista) no mesmo “balaio”, como se possuíssemos a mesma ideologia, é um erro sem medidas.

    ué, não somos teistas ,não , heim ?
    que pre conceito é esse, ficou magoado ?

    quando tiver um tempo não deixe de ler essas “anátemas” são ótimas…he..he..he..he..he

    sério essas cartas passam uma ótima mensagem:

    http://www.cartasdecristobrasil.com.br/downloads.php

  130. Shirley

    Você reclamando de preconceito, enquanto coloca todos os ateus no saco da “crença naturalista”. E por sinal que eu nem sei que diabo é isso, crença naturalista.

    Perceba que a tua frase foi contraditória.
    Se não “conhece” o que significa “naturalismo”, como diz que os coloquei no mesmo “saco”?

    O Ateísmo, Agnosticismo, etc.. em si, são nichos do Naturalismo, assim como deísmo, teísmo Bíblico, teísmo kardecista, etc.. são nichos do Criacionismo.

    Se tu chamasse a todos nós teístas, mesmo com diferenças na ideologia de CRIACIONISTAS, eu não diria nada, pois de fato o somos.

    O problema é que consideraste os CRISTIANISMO como uma coisa só. Este foi o equivoco.

    Mas não precisa explicar, prevejo um monte de…preconceito da sua parte sobre o que e como pensam os ateus.

    Mais uma vez a tua “previsão” está errada. Novamente porque foi fundamentada em teu preconceito sobre o que penso.

    Faço bem ideia do que seria o conhecimento válido pra você, bíblia, bíblia e mais bíblia

    A tua “idéia” novamente foi fundamentada em teu preconceito, e novamente está ERRADA.

    Vou te dar um conselho: patenteia esse conhecimento aí que você tem, de pular desta vida para a “pós-vida”, sem passar pela morte.

    Esta “patente” já existe a mais de dois milênios, sendo anunciado pelo próprio Jesus Cristo.
    Tu erras por não conhecer, e mantêm-se no erro por não se importar em adquiri-lo.

    Nem o Papa Francisco vai poder com você em termos de popularidade.

    Se eu quisesse popularidade, não seria seguiria a Cristo.
    A história mesmo demonstra que seus discípulos eram extremamente hostilizados e perseguidos (penalizados com a Morte caso não negassem a fé).

    P.S.: Não é questão de preconceito, é generalização.

    Generalização é um tipo de preconceito.

    Você como cristão e o Criaturo como kardecista (se bem que eu acho que ele está mais para criatólico), creem em alguma coisa, logo, são crentes.

    Tu também crê (até mais que eu). Logo também és crente.
    Ou achas que a tua fé que o universo e a vida se originaram por processos naturais, não guiados, são comprovados empiricamente no laboratório?
    Aliás, mesmo não crendo em Deus, vocês creem e possuem fé em outras coisas.

    Como o próprio Barros reconheceu em seu texto introdutório:

    “”O ateu não é, como muito estupidamente se pensa, aquela pessoa que ‘não acredita em nada’. Eu acredito, sim, em muitas coisas.””

    Por que é que vocês ficam tão incomodados com quem não acredita que há alguma “vida” no pós-morte?

    Bom… falando por mim, não me incomodo nenhum pouco.
    Creia e tenha fé no que bem desejar.
    Como disse a Ana Judice:

    “”Vivo pela minhas certezas empíricas e me importo apenas com elas.
    Quem quer viver de modo diferente, faça como bem entender. Não me importo.””

    O meu incômodo é voltado a tentativa que alguns naturalistas possuem, em tentar subjugar uma crença que não concordam, COM OUTRA CRENÇA, impondo-as como um fato consumado.
    Com outras palavras, muitos deles assumem a fé que possuem como se fossem comprovados, tentando empurrar “goela abaixo” a quem não concorda com elas.

  131. Criaturo

    ué, não somos teistas ,não , heim ?

    Nós somos teístas, isso eu concordo contigo, porém não temos a mesma ideologia Cristã.
    O meu é voltado a Bíblia e o teu é voltado a Allan Kardec.

    que pre conceito é esse, ficou magoado ?

    Claro que não Vander, não teria motivos para me magoar com a crença alheia (mesmo que diferente da minha).

    Apenas fui sincero em destacar as nossas diferenças ideológicas, mesmo quando compartilhamos o teísmo.

    Abraços.

  132. Barros

    o crente fica incomodado com quem não acredita em vida após a morte porque, se mais gente acreditasse nisso, ele se sentiria menos idiota.

    Porque não me surpreendo com este tipo de resposta?
    Outra coisa, que propriedade podes responder uma questão voltado a CRIACIONISTAS se tu és um NATURALISTA?

  133. Porque não me surpreendo com este tipo de resposta?

    Porque é a resposta certa.

  134. Barros

    Porque é a resposta certa.

    Tens fé nisso? Tu crês que de fato esta resposta está correta?
    Como sabe que a tua crença e Fé de fato é verdadeira?

  135. Veja.

    Se eu subo num palco, dentro de um galpão lotado, e digo pra todos que eu acredito que uma burra teve uma conversa com seu dono, e todo mundo ri, eu vou me sentir um idiota.

    Mas se eu faço a mesma coisa e as pessoas gritam “Aleluia”; não.

    Simples.

  136. SOS:

    E me parece que você é a última pessoa a poder falar alguma coisa sobre a Ana citar alguém. Afinal é você quem vive se fiando dos Santo Agostinho, Tomás de Aquino e Willian Lane Craig da vida, né?

    Será maldade ou burrice? Pois você considerar eu escrever um comentário e no meio simplesmente citar Santo Agostinho, com o fato da Ana Judas NÃO responder a minha pergunta e simplesmente colocar uma citação de alguém, ou seja, sua resposta é 100% a citação de outra pessoa como equivalentes… ou é maldade ou é burrice. Eu não acho você uma pessoa má :-)

  137. Diogo Morelli:

    Concordo plenamente:

    Quem cultua a morte, é quem a deseja pela eternidade.
    Como esta ânsia de aniquilação do ser, está presente na fé naturalista (ateus), eles é que são os verdadeiros cultuadores dela.
    Quem busca a vida eterna, cultua a vida.

    SOS, Ana Judas, BarroZ…. e aí, comentários?

  138. Diogo Morelli:

    Creio que no fim, se há alguma chance de protestantes e católicos terminarem suas divisões e unirem-se novamente, vai ser por causa do crescimento de ateísmo e outras doutrinas igualmente más, satânicas. Vai ser necessário um mal maior para que os cristãos se unam novamente.

    É diante do ateísmo que vemos que o quão em comum temos entre nós teístas, Criaturo incluso.

  139. vai ser por causa do crescimento de ateísmo e outras doutrinas igualmente más, satânicas.

    Que doença mental degradante…

  140. Tens fé nisso? Tu crês que de fato esta resposta está correta?
    Como sabe que a tua crença e Fé de fato é verdadeira?

    crença é uma verdade pessoal

  141. Barros

    Se eu subo num palco, dentro de um galpão lotado, e digo pra todos que eu acredito que uma burra teve uma conversa com seu dono, e todo mundo ri, eu vou me sentir um idiota.

    Mas se de fato tivesse observado in loco a burra falando com o dono, estaria apenas preocupado em testemunhar o fato, pouco se importando se a platéia acreditaria ou não, ou te ridicularizaria ou não.

    Então por causa disso, a tua afirmação: “”o crente (SIC) fica incomodado com quem não acredita em vida após a morte porque, se mais gente acreditasse nisso, ele se sentiria menos idiota.”” está ERRADA.

  142. Diogo Morelli

    Li o comentário da Shirley e vou ser honesta, não entendi pelo lado do preconceito. Gostei muito das citações de Luiz Felipe Pondé, filósofo e escritor contemporâneo colunista da Folha de São Paulo de passagens inteligentes, coerentes com a realidade. O conteúdo das suas frases não tem nenhuma conotação preconceituosa quando fala sobre morte.

    A entonação da Shirley no comentário é a da mesma linha de todos, sejam crentes ou ateus apesar das divergências, é claro. A meu ver, quem mostra preconceito aqui são os crentes, como em várias sociedades no mundo, tanto é que muitos ateus escondem até da própria família.

    E mais:
    Desculpe, mas, esta frase não é minha.

    “”Vivo pela minhas certezas empíricas e me importo apenas com elas. Quem quer viver de modo diferente, faça como bem entender. Não me importo.””

    Há uma diferença.
    Que me lembro, escrevi algo parecido que você alterou o sentido. “Vivo pela minhas certezas empíricas e me importo apenas com elas.“, por favor, releia minha frase lá em cima com todas as palavras, mesmo porque pareceu que sou uma pessoa egoísta e estúpida. Ou houve um mal entendido ou você fez isso deliberadamente, mas, quero crer que eu esteja errada nessa avaliação.

    Na verdade foi esta.

    ”Tá certo”, toca em frente com seus ideais sem interferir nas escolhas dos outros. Não importa o caminho que você trilha, o importante é ser feliz.

  143. André

    Creio que no fim, se há alguma chance de protestantes e católicos terminarem suas divisões e unirem-se novamente.

    Biblicamente (em apocalipse especificamente), esta confusão que envolve o povo cristão terá um fim.
    Cristo restaurará um só caminho, um só povo e uma só doutrina.

    vai ser por causa do crescimento de ateísmo e outras doutrinas igualmente más, satânicas.

    Segundo a Bíblia, isso ocorrerá quando Cristo restaurar o seu reino.

    Vai ser necessário um mal maior para que os cristãos se unam novamente.

    Sinceramente, não creio que os Cristãos se unirão completamente por conta própria, sem nenhuma intervenção divina.
    Poderá até existir alianças em prol a algo maior, porém permanecer com uma só fé e uma só doutrina, pela diversidade que temos hoje, a meu ver, é humanamente impossível.

  144. Ana Judice

    meu ver, quem mostra preconceito aqui são os crentes, como em várias sociedades no mundo, tanto é que muitos ateus escondem até da própria família.

    Que crentes?
    Crente e cético todo mundo é. Tudo dependerá do tema abordado.
    Poderia defini-los melhor para saber que “crente” está a se referir?

    E mais:
    Desculpe, mas, esta frase não é minha.
    “”Vivo pela minhas certezas empíricas e me importo apenas com elas. Quem quer viver de modo diferente, faça como bem entender. Não me importo.””

    Não, aquela frase era minha.

    É que ao dizer a Shirley: “Como disse a Ana Judice:” eu queria dizer “Como EU disse a Ana Judice:”

    O fato de ter “Comido” a palavra “EU” deu uma interpretação errada.

  145. Criaturo

    crença é uma verdade pessoal

    Digo que a crença é uma convicção pessoal. Porém nem sempre esta convicção reflete a realidade.

  146. Diogo Morelli

    O «crente» dito aqui neste espaço, para mim é uma forma generalizada de qualquer religioso ou aquele que acredita em divindades e professa sua fé nelas, inclusive são aqueles contra a qualquer ideia de livre pensamento que não sejam suas crenças.

    Se você comeu o “EU”, agora depois de explicado deu maior encaixe.

  147. A crença pode ser uma verdade pessoal, cada um tem a sua, então essa verdade é relativa. O importante é estar convicto de que ela se acomoda à sua realidade.

  148. Mas se de fato tivesse observado in loco a burra falando com o dono, estaria apenas preocupado em testemunhar o fato, pouco se importando se a platéia acreditaria ou não,

    Dependendo do lugar e da época em que você visse uma burra falando com o dono, você poderia ser declarado um profeta ou internado num hospício (ou numa clínica de desintoxicação).

    Agora, aqui pra nós, você acha mesmo que um animal poderia mesmo manter uma conversa com um ser humano? Na boa. Tô querendo tirar onda não.

  149. Ana Judice

    O «crente» dito aqui neste espaço, para mim é uma forma generalizada de qualquer religioso ou aquele que acredita em divindades e professa sua fé nelas, inclusive são aqueles contra a qualquer ideia de livre pensamento que não sejam suas crenças.

    Transcrevendo a tua frase sob esta óptica temos:

    “”A meu ver, quem mostra preconceito aqui são os religiosos que são contra a qualquer ideia de livre pensamento que não sejam suas crenças (fanáticos) , como em várias sociedades no mundo, tanto é que muitos ateus escondem até da própria família.””

    Concordo. Os religiosos fanáticos são intolerantes e preconceituosos.
    Até mesmo eu já tive atrito com algum deles.

    Porém, o que deve ser ressaltado é que nem todos os religiosos são fanáticos.

    Em contra-partida devemos lembrar que também no mundo existem também ateístas que são contra a qualquer ideia de livre pensamento que não sejam suas crenças (fanáticos), sendo intolerantes e preconceituosos com os religiosos.

    Concorda?

  150. Barros

    Dependendo do lugar e da época em que você visse uma burra falando com o dono, você poderia ser declarado um profeta ou internado num hospício (ou numa clínica de desintoxicação).

    O ponto é, se a burra falou DE FATO (sabe o que significa DE FATO ?) com o dono, mesmo que zombassem, ou o internassem no hospício, chamando-o de louco, a realidade não seria alterada, e os verdadeiros loucos seriam os caluniadores e não a testemunha.

    Agora, aqui pra nós, você acha mesmo que um animal poderia mesmo manter uma conversa com um ser humano? Na boa. Tô querendo tirar onda não.

    Te responderei com o maior prazer se me responderes a uma pergunta:
    “Tu achas mesmo que um animal como um réptil, chegou a se tornar uma ave?”

    Responda a esta questão que responderei a tua.

  151. “Tu achas mesmo que um animal como um réptil, chegou a se tornar uma ave?”

    Eu não preciso “achar” isso. Existem provas, evidências, teses, pilhas e pilhas de material científico comprovando isso. Mas é preciso um certo conhecimento para entender toda essa informação, caso contrário, você ou qualquer um menos, digamos, apto, poderia achar uma loucura. É como querer ensinar cálculo integral pra uma criança que está aprendendo a somar.

    Você acredita que lagartas se transforma em borboletas?

  152. Barros

    Eu não preciso “achar” isso. Existem provas, evidências, teses, pilhas e pilhas de material científico comprovando isso.

    Então, se não achas, significa que tens CERTEZA ABSOLUTA e IMUTÁVEL que um réptil se tornou uma ave, correto?
    Assim como TENS CERTEZA ABSOLUTA e IMUTÁVEL que há prova disso, não é mesmo?

    Mas é preciso um certo conhecimento para entender toda essa informação, caso contrário, você ou qualquer um menos, digamos, apto, poderia achar uma loucura.

    Engraçado que eu digo o mesmo quando vocês tentam ridicularizar passagens Bíblicas, chamando-as de louca.

    Porém acho que possuo mais conhecimento sobre a vossa “teoria” (crença) do que vocês em relação a Bíblia.
    Quer fazer a prova?

    Você acredita que lagartas se transforma em borboletas?

    Lagarta é o primeiro estágio larval dos insetos da ordem dos Lepidoptera (que inclui as borboletas).
    Isso significa que ela não é “uma espécie”” diferente para “se transformar” em outra (como supostamente o caso dos répteis em aves), mas sim A MESMA espécie com TODA informação genética inserida.
    Esta tua questão, mesmo que inconscientemente, foi embasada em uma falsa analogia.
    ………………………………………………………………………………………….
    Agora respondendo a tua questão: “”Agora, aqui pra nós, você acha mesmo que um animal poderia mesmo manter uma conversa com um ser humano?””

    Eu digo: Tanto quanto eu “acredito” que repteis se tornaram aves, ou seja, Não.

    Há uma impossibilidade morfológica e informacional que não permitiria algo deste tipo (menor é claro que a impossibilidade de répteis se tornarem aves).

    Porém se me perguntares se eu acredito que Deus (criador do universo) fez uma jumenta falar, eu responderia com outra pergunta: Porque não? O que o impediria?

  153. Deus fez uma jumenta falar nas páginas da fábula em que ele é o personagem principal.

    A diferença entre nós é que eu sei que isso é uma fábula. Você “crê” que não é.

  154. Azetech

    Vocês reclamam que os ateus gostam de tachar crentes de burros e/ou desonestos.
    Bem, neste caso não estou generalizando, estou dando nome aos bois e o boi no caso é você. Dá-se o caso de que ou você tem uma considerável deficiência cognitiva quando se trata de compreender a palavra escrita, ou é desonesto. Você nos rotula a todos de “crentes naturalistas”, isso logo depois de reclamar de preconceito por eu chama-los todos de crentes na “vida” pós-morte.
    Para apontar a sua hipocrisia não é necessário que eu conheça o, digamos assim, conteúdo do saco.

    Qual a diferença entre chama-los de teístas ou crentes numa “vida” pós-morte?
    Para que possam alcançar essa “vida” todos vocês têm que morrer primeiro. Sabe aquela coisa básica: falência de todos os órgãos, sepultamento, apodrecimento, etc.? Isso aí.

    A tua “idéia” novamente foi fundamentada em teu preconceito, e novamente está ERRADA.

    É? Então diga-me que estou errada se suponho que você vai dizer que todos nós ateus acreditamos nessa coisa aí de naturalismo?

    Você diz que o Jesus já patenteou o modo de pular desta vida para a próxima,sem escala pela morte, mas reza a lenda que ele ressuscitou. Não sei se você sabe, mas para ressuscitar é preciso primeiro morrer. E, aliás, é exatamente na morte do Jesus que está a força da lenda. Puxa Azetech, eu tendo que ensinar coisas básicas do cristianismo procê? Tá mal, hein? É o que dá ficar conversando com burras.

  155. Barros

    Referente a tua afirmação:

    Eu não preciso “achar” isso. Existem provas, evidências, teses, pilhas e pilhas de material científico comprovando isso.

    Pergunto novamente:
    Tens CERTEZA ABSOLUTA e IMUTÁVEL que um réptil se tornou uma ave?
    Tens CERTEZA ABSOLUTA e IMUTÁVEL que há prova disso?

    A diferença entre nós é que eu sei que isso é uma fábula. Você “crê” que não é.

    E porque achas que a crença está APENAS do meu lado?

    Tu consegues comprovar com evidências CABAIS que o relato é uma fabula e não um evento histórico, ou apenas CRÊ nisso?

    Caso não, ao afirmar “A Bíblia é uma fábula”, tu precisa ter fé nesta alegação, visto que se não possui nenhuma evidência capaz de corrobora-lo então trata-se de uma crença. Não estou certo?

    Mas voltando ao núcleo de minha questão, se um Deus existente, que criou o universo, desejasse “abrir a fala” de uma jumenta, porque isso seria impossível? O que o impediria?

  156. Azetech

    Aliás, mesmo não crendo em Deus, vocês creem e possuem fé em outras coisas.
    Como o próprio Barros reconheceu em seu texto introdutório

    Primeiro, o que o Barros pensa é o que o Barros pensa.
    Segundo, eu não acredito em nada nem tenho fé em nada.

    O meu incômodo é voltado a tentativa que alguns naturalistas possuem, em tentar subjugar uma crença que não concordam, COM OUTRA CRENÇA, impondo-as como um fato consumado.
    Com outras palavras, muitos deles assumem a fé que possuem como se fossem comprovados, tentando empurrar “goela abaixo” a quem não concorda com elas.

    Note que “alguns” e “muitos” não significam “todos”.

    Não sei que bicho seja um “naturalista”. Sei que eu não imponho minha opinião sobre ninguém. Por exemplo, eu nem digo que “acredito” que não há alguma espécie de “vida” pós-morte, nem digo que sei que não há. Muito menos sequer penso em obrigar alguém a pensar como eu, pelo singelo motivo de que não morri para saber se há ou não alguma coisa para saber.
    Agora, entre manifestar uma opinião sobre um assunto e impô-la a outrem, vai uma baita distância. E as pessoas têm o direito de manifestar a própria opinião. A minha é de que parece mais lógico o famoso morreu, acabou. Até porque ninguém ainda voltou da morte para me provar que há alguma coisa.

  157. André

    Aiai..dá uma preguiça…a Ana escreveu: “faço minhas as palavras de Schoppenhauer”

    Isso quer dizer que ela comunga da visão de Schoppenhauer sobre o que seja arte. A arte é uma coisa factível, tátil, visível. Existe, sem sombra de dúvida. Você não precisa acreditar que a arte existe, você sabe. Quer dizer, a arte tradicional, pois tem umas coisas muito esquisitas por aí que dizem que é arte, mas isso já é outra história.

    No caso da sua crença terceirizada a coisa já é muito diferente, começando pelo fato de que é terceirizada. Você mesmo já disse aqui n vezes que uma das razões para você crer é a produção filosófica dos teólogos. Isso cria uma situação no mínimo interessante, uma vez que você admite que não entende o que Deus quis dizer e que precisa da interpretação de terceiros para tanto. E Deus, ou sei lá, um incógnito criador, não é visível, tátil, passível de prova. Tudo que você pode fazer sobre isso é…crer, baseado na interpretação de terceiros.

    Então, voltamos ao ponto de partida. Você é a última pessoa a poder falar alguma coisa sobre a Ana citar alguém.

    SOS, Ana Judas, BarroZ…. e aí, comentários?

    E aí, André respostas, sobre as duas questões que você está ignorando?…

    Sobre o lero-lero do Azetech, não tenho ânsia nenhuma sobre a aniquilação do meu ser, pelo contrário, quero que o meu ser continue muito vivo e bem pelo maior espaço de tempo possível.

    quem busca a vida eterna cultua a vida
    Sério, se eu fosse Deus, dava uma banana pra vocês. Até o deus mais tapado perceberia que todo esse nhenhenhém de vocês sobre amar Deus se resume a tentar garantir uma vaguinha na “vida eterna”.

    Creio que no fim, se há alguma chance de protestantes e católicos terminarem suas divisões e unirem-se novamente, vai ser por causa do crescimento de ateísmo e outras doutrinas igualmente más, satânicas

    Uh! Doutrinas más e satânicas. Parece uma daquelas velhas do interior do fiofó do mundo falando. Você lembrou-se de fazer o sinal da cruz três vezes enquanto escrevia isso? Acho bom, vai que eu morro de hoje pra amanhã e volto para satanicamente fazer seu pescoço dar uma volta completa e te fazer vomitar mingau de ervilha?

  158. Tu consegues comprovar com evidências CABAIS que o relato é uma fabula e não um evento histórico, ou apenas CRÊ nisso?

    Meu querido, existe uma coisa à qual você não dá muita importância, mas eu dou. Seu nome é realidade.

    Nós compartilhamos a realidade com todos e com tudo, e ela é tudo o que nós temos. Quer dizer, justamente por isso, nós desenvolvemos a habilidade de imaginar: para termos algo além dela.

    O Super-Homem voa aparentemente sem esforço algum, mas por pura mágica, porque não há nada que fundamente aquela habilidade. Mas como ele é um ser imaginado, ele pode fazer o que a imaginação quiser que ele faça. Mas, adivinha: o Super-Homem não faz parte da realidade. E eu vou me afastar (devagar e com cuidado) de qualquer um que me peça provas cabais de que o Homem de Aço é uma invenção.

    O maior problema com essa sua coleção de bobagens sagrada — a Bíblia — , é que ela se parece demais com fábulas. Tanto que vocês ficam ridículos quando tentam mostrar o contrário: “Não, mas se Deus quisesse, poderia ter feito uma jumenta falar…”. Claro que poderia! É só imaginar.

  159. Shirley

    Vocês reclamam que os ateus gostam de tachar crentes de burros e/ou desonestos.
    Bem, neste caso não estou generalizando, estou dando nome aos bois e o boi no caso é você. Dá-se o caso de que ou você tem uma considerável deficiência cognitiva quando se trata de compreender a palavra escrita, ou é desonesto.

    Não acha esta explanação introdutória um tanto quanto hostil e amarga?
    Se o Ateísmo, que segundo vocês, trazem felicidade e “liberdade” a seus adeptos, porque observo uma manifestação de rancor em suas palavras?

    Você nos rotula a todos de “crentes naturalistas”, isso logo depois de reclamar de preconceito por eu chama-los todos de crentes na “vida” pós-morte.

    Mas o fato é que TODOS ATEUS (sem exceção) possuem a cosmovisão Naturalista.
    Logo não é erro chamar a todos vocês de “crentes naturalistas” pois de fato são UNANIMIDADE nisso.
    Tu negas? Diz que estou errado? Então me mostre um Ateu “criacionista”.

    Penso que a exceção e a regra é o que separa o preconceito.

    Por exemplo, se eu chamar todas pessoas que nascem na Alemanha de Alemães, eu estarei sendo preconceituoso?
    Não. Porque todas pessoas que NASCEM na Alemanha de fato são Alemães

    Agora se eu chamar a todos os Alemães de Nazistas, estarei sendo?
    Sim, Porque nem todas as pessoas que nascem na Alemanha compactuam o modelo politico de Hitler

    Percebeu a diferença?

    A tua colocação foi que todos teístas acreditaram na vida pós-morte.
    Isso foi um erro, pois nem todos compartilham esta crença.

    Para apontar a sua hipocrisia não é necessário que eu conheça o, digamos assim, conteúdo do saco.

    Julgar sem conhecimento de causa? Quer exemplo de preconceito maior do que este?

    Qual a diferença entre chama-los de teístas ou crentes numa “vida” pós-morte?

    Toda diferença, pois como bem ressaltei anteriormente nem todos teístas creem na vida pós-morte.
    Se fosse unanimidade, então não teria diferença.

    Para que possam alcançar essa “vida” todos vocês têm que morrer primeiro.

    Mas uma vida Pós-morte é uma via além desta vida.
    Uma vida Pós-vida é esta MESMA vida RESTAURADA.
    Por isso eu digo que não acredito em vida pós-morte mas sim em vida pós-vida.

    Sabe aquela coisa básica: falência de todos os órgãos, sepultamento, apodrecimento, etc.? Isso aí.

    Aí entramos em questão de semântica.

    Quando referiste anteriormente a vida pós-morte, fizeste em seu sentido conotativo, ou seja, uma suposta vida fora do corpo, em outro plano,que SUPOSTAMENTE todos teístas acreditariam existir.
    Esta foi minha objeção.

    Me se for levar ao sentido denotativo, é óbvio que todos teístas creem desta forma.

    Tu negas que tenha se referido a vida Pós-morte no sentido conotativo?

  160. Tu consegues comprovar com evidências CABAIS que o relato é uma fabula e não um evento histórico, ou apenas CRÊ nisso?

    Mas é um piadista esse Azetech…Evidências CABAIS de que burras falantes não são “evento histórico”.
    E ele não para por aí:

    Mas voltando ao núcleo de minha questão, se um Deus existente, que criou o universo, desejasse “abrir a fala” de uma jumenta, porque isso seria impossível? O que o impediria?

    Ô Azetech, um deus que criou o universo mas precisa fazer uma jumenta falar? Você não acha que se ele aparecesse em pessoa teria um efeito bem mais convincente?
    Sempre haveria a possibilidade do eventual interlocutor da jumenta pedir provas de que ela estava falando por obra e graça do deus.

    É o que eu sempre digo: não tem um ateu que consiga desmoralizar Deus melhor que os crentes dele.

    A sua pergunta tem essa resposta: o que impediria um deus que criou o universo de “abrir a fala de uma jumenta” seria o senso do ridículo.

  161. Barros

    Meu querido, existe uma coisa à qual você não dá muita importância, mas eu dou. Seu nome é realidade.

    Será mesmo Barros? Será mesmo que dá valor a Realidade?
    Vejamos:

    Tu, como um naturalista (Ateu), deve acreditar que um sistema isolado (como o universo) iniciado por uma explosão (ou utilizando o eufemismo, uma rápida expansão) desordenada, foi deixada por conta própria, se organizou.
    Deve acreditar também que em algum lugar, uma “poça de lama”, sozinha, organizou formando vida.
    Deve acreditar que a informação codificada, surgiu pela aleatoriedade.
    Deve creditar que o tempo foi capaz de transformar um ser inferior a uma ameba em homens.

    Pois bem, me diga com base na realidade, onde observamos estas coisas?

    Nós compartilhamos a realidade com todos e com tudo, e ela é tudo o que nós temos.

    A realidade de um cego de nascença é a mesma realidade de uma pessoa que enxerga?
    Qual dos dois está mais próximo da realidade “real” (o pleonasmo foi proposital) ?

    Quer dizer, justamente por isso, nós desenvolvemos a habilidade de imaginar: para termos algo além dela.

    Ou não.
    Ou a nossa habilidade de imaginar já veio intrínseco a nossa racionalidade que foi dado diretamente por Deus.

    Mas como ele é um ser imaginado, ele pode fazer o que a imaginação quiser que ele faça. Mas, adivinha: o Super-Homem não faz parte da realidade.

    E sabe como sabemos que ele é imaginário? Porque existem EVIDÊNCIAS CABAIS disso.
    É assim que provamos a inexistência de algo. Com evidências CONTRÁRIAS a sua existência.

    E eu vou me afastar (devagar e com cuidado) de qualquer um que me peça provas cabais de que o Homem de Aço é uma invenção.

    Mas esta prova existe, seus criadores: Joe Shuster e Jerry Siegel.
    O Superman foi fruto da imaginação deles.

    O maior problema com essa sua coleção de bobagens sagrada — a Bíblia

    Que tu a considera uma bobagem, não tenho dúvida.
    Creio que a considera uma bobagem na mesma proporção que eu considero o livro “Origem das espécies” uma bobagem.

    Mas ao efetuar tal declaração a minha pessoa, de forma tão pejorativa, o faz no intuito de me ofender?
    Fico a me perguntar, qual seria o motivo? Tu me odeia? Ou meu temor a Deus o causa ira?

    Já paraste para se questionar de onde vem esta tua ira incondicional a Deus ou a aqueles que dizem buscar obedece-lo?

    é que ela se parece demais com fábulas.

    Tu conhece a fábula do sapo vira príncipe? Com o que acha que esta fábula se parece?

    Tanto que vocês ficam ridículos quando tentam mostrar o contrário: “Não, mas se Deus quisesse, poderia ter feito uma jumenta falar…”. Claro que poderia! É só imaginar.

    Não me recordo ter “mostrado” algo, pelo contrário eu levantei uma questão:

    “Se um Deus existente, que criou o universo, desejasse “abrir a fala” de uma jumenta, porque isso seria impossível?”

    Consegues responder?

  162. Diogo:

    Tu negas? Diz que estou errado? Então me mostre um Ateu “criacionista”.

    Bemmmmm…! Conheço uns e outros que acreditam que E.T.s criaram a vida na terra por manipulação molecular e engenharia genética de alta complexidade. Pura tecnologia muito além da nossa atual.
    Sem a crença em nenhum deus sobrenatural no meio do imbróglio.

    Sim, criacionistas ateus “ecxistem”!

  163. Azetech

    Não acha esta explanação introdutória um tanto quanto hostil e amarga?
    Se o Ateísmo, que segundo vocês, trazem felicidade e “liberdade” a seus adeptos, porque observo uma manifestação de rancor em suas palavras?

    Um: não estava me sentindo hostil, rancorosa ou amarga não…Estava apontando o fato de que você tem ou uma dificuldade significativa de entender a palavra escrita ou foi deliberadamente desonesto, quando disse que fui contraditória. Repito que para apontar sua hipocrisia em reclamar de rotulação de crentes enquanto você faz o mesmo sobre os ateus, não é necessário saber a que você está se referindo com essa coisa de crente naturalista.

    Dois: onde foi que você leu que eu escrevi que ateísmo traz felicidade? Quanto a liberdade, você não ser capaz de entender que ateísmo não é uma ideologia unindo todos os ateus num pensamento comum, já diz muita coisa.

    Aí entramos em questão de semântica.
    Quando referiste anteriormente a vida pós-morte, fizeste em seu sentido conotativo, ou seja, uma suposta vida fora do corpo, em outro plano,que SUPOSTAMENTE todos teístas acreditariam existir.

    Sabe a diferença entre verdade e mentira? É a seguinte: a verdade refere-se a um fato, a uma coisa que aconteceu. A mentira inventa um fato para ser posto no lugar do que não aconteceu.

    Eu não escrevi absolutamente nada sobre uma “suposta vida fora do corpo, em outro plano”. O que eu escrevi é que vocês acreditam numa “vida” depois da morte. E por mais firulas que você queira inventar, a coisa básica permanece sendo que para se chegar a essa “vida”, a pessoa tem que morrer primeiro. Não interessa a mínima se a pessoa acredita que vai voltar vestindo outro corpo, se vai “existir” num outro plano ou numa “vida pós vida”.

  164. Shirley

    Mas é um piadista esse Azetech…

    Não me recordo ter realizado nenhuma piada. Poderia transcreve-la para poder me divertir também?

    Evidências CABAIS de que burras falantes não são “evento histórico”.

    Burras falantes (plural) como evento histórico?
    Sobre o que está a se referir?

    Ô Azetech, um deus que criou o universo mas precisa fazer uma jumenta falar?

    A questão não é precisar ou não. A questão é poder ou não.
    O que está sendo abordado por mim não é o motivo, mas a possibilidade.

    Você não acha que se ele aparecesse em pessoa teria um efeito bem mais convincente?

    Convincente do que? se Balaão já se convenceu de tudo o que precisava.
    Que mais ele precisaria ser convencido?

    Sempre haveria a possibilidade do eventual interlocutor da jumenta pedir provas de que ela estava falando por obra e graça do deus.

    Ou não.
    O que determinaria esta regra?

    É o que eu sempre digo: não tem um ateu que consiga desmoralizar Deus melhor que os crentes dele.

    Diz isso sempre? Qual o motivo de ficar repetindo? É porque desejas acreditar no que ainda não se convenceu?

    A sua pergunta tem essa resposta: o que impediria um deus que criou o universo de “abrir a fala de uma jumenta” seria o senso do ridículo.

    Porque ridículo? Só porque a Jumenta é um animal Humilde?
    E se o criador do universo propositalmente fez isso com o intuito, para “pegar” os arrogantes em suas “astúcias”? O que o impediria?

    Um: não estava me sentindo hostil, rancorosa ou amarga não

    Se não consideraste seu argumento inicial como hostil, nem quero imaginar o que seja hostil para você.

    Repito que para apontar sua hipocrisia em reclamar de rotulação de crentes enquanto você faz o mesmo sobre os ateus, não é necessário saber a que você está se referindo com essa coisa de crente naturalista.

    Leste minha justificativa sobre Alemães e Nazistas?
    Caso não, peço para que leia.

    Dois: onde foi que você leu que eu escrevi que ateísmo traz felicidade?

    Então não és feliz por ser ateia?

    Quanto a liberdade, você não ser capaz de entender que ateísmo não é uma ideologia unindo todos os ateus num pensamento comum, já diz muita coisa.

    Segundo a sua concepção, a “liberdade” ateista se resume “não se unir em um pensamento comum”?
    Para ti, liberdade é desunião?

    Eu não escrevi absolutamente nada sobre uma “suposta vida fora do corpo, em outro plano”.

    Quando disseste vida pós-morte referiste EXATAMENTE a isso.

  165. Marcio

    Bemmmmm…! Conheço uns e outros que acreditam que E.T.s criaram a vida na terra por manipulação molecular e engenharia genética de alta complexidade. Pura tecnologia muito além da nossa atual.

    Mas pergunte a estes ateus quem criou estes supostos ET´s até chegar ao topo da pirâmide. Logo depois pergunte novamente e verá que a abiogenese por geração espontânea aparecerá.

    A diferença é que estes ateus empurram o problema mais adiante, porém mesmo com o “problema empurrado” não deixam de ser naturalistas.

  166. Diogo Morelli,

    Parabéns pelas suas colocações… não surre tanto os super amigos (Bocó-rros, Ana Judas, SS Burrildes), eles um dia vão aprender.

  167. Alguém viu o Wagner Mente por aí? Não percam o próximo vídeo dele que vai desmascarar o movimento de rotação da terra.

  168. Diogo;

    Mas pergunte a estes ateus quem criou estes supostos ET´s até chegar ao topo da pirâmide. Logo depois pergunte novamente e verá que a abiogenese por geração espontânea aparecerá.

    Nada se sabe sobre esses E.T.s, só que criaram a vida na Terra.
    Nem se sabe o propósito disso.
    A base da estrutura deles não é como a nossa, não é orgânica.
    Eles tem seu próprio tempo e espaço eternos.

    A diferença é que estes ateus empurram o problema mais adiante, porém mesmo com o “problema empurrado” não deixam de ser naturalistas.

    Mas eles são naturalistas, acreditam na evolução das espécies como um mecanismo altamente eficiente de terra-formação.
    São criacionistas naturalistas ateus.

  169. Azetech

    Leste minha justificativa sobre Alemães e Nazistas?

    Li sim, mas preferi ignorar, pelo seu próprio bem, já que a premissa todos que nascem na Alemanha são alemães é falsa. Nem todos que nascem em território alemão tem a cidadania alemã, já que lá vigora o jus sanguinis.

    Eu digo: “sempre haveria a possibilidade de o eventual interlocutor da jumenta pedir provas de que a jumenta estava falando por obra e graça de deus”
    Você responde: “Ou não. O que determinaria esta regra?

    Você consegue distinguir entre possibilidade e regra?

    A lambança com a jumenta falante é que é uma piada. Pedir evidências cabais sobre burra ou jumenta falante não sendo evento histórico é que é a piada.
    Se houvesse um criador de universo que se desse ao trabalho de fazer uma jumenta falar para “pegar arrogantes em suas astúcias” esse criador de universo não mereceria o respeito nem da jumenta.
    Mas eu não espero que você vá entender o quanto isso soa ridículo e desmoralizante para o deus no qual você acredita.

    Azetech, diga-me, por que eu deveria ser feliz por ser ateia? Ser ateia significa apenas que para mim a “existência” dos deuses da humanidade não fazem o menor sentido. Isso lhe parece suficiente como a razão toda de alguém para ser feliz?

    A “liberdade ateia” significa, para mim, não seguir com a boiada.

  170. Azetech

    Quando disseste vida pós-morte referiste EXATAMENTE a isso.

    Mentira sua. Eu não especifiquei qual a modalidade de “vida” depois desta, nem me ocorreu isso, já que parti do princípio de que para chegar lá primeiro é necessário morrer.

    Eu não acredito que estou tendo essa conversa de maluco. Azetech, estou me lixando para as diferenciações sobre o tipo de “vida” que haveria depois desta. E se você se convenceu que vai pular desta vida para a próxima sem dar uma morridinha antes, você está precisando de tratamento psiquiátrico.

  171. Marcio

    Nada se sabe sobre esses E.T.s, só que criaram a vida na Terra.

    Se “nada” se sabe, sobre a suposta origem deles, então são agnósticos e não ateus.
    Agnósticos se classificam como “em cima do muro”, sem nenhum posicionamento definido.

    A base da estrutura deles não é como a nossa, não é orgânica.
    Eles tem seu próprio tempo e espaço eternos.

    Se pensam assim, então significa que estes ET´s, além de criar a vida, criaram o universo. Isso significa que o que chamamos de Deus, vocês chamam de ET´s.
    Logo não há uma relação ao naturalismo nesta parte, pelo contrário, esta crença é um nicho do criacionismo.

    Mas eles são naturalistas, acreditam na evolução das espécies como um mecanismo altamente eficiente de terra-formação.

    Ter como fé a evolução da espécie, não os torna “naturalistas”
    Existem muitos criacionistas que possuem fé em tal doutrina.
    Tome como exemplo os “Evolucionistas Teístas”.
    Ele creem que Deus direcionou a suposta e não observada evolução.

    O Naturalismo é um posicionamento filosófico na qual pressupõe que o universo e a vida originaram de forma “aleatória” e sem nenhum direcionamento.
    Se diz que foram os ET´s que originaram por meio da evolução Isso os torna criacionistas. Se diz que os ET´s originaram por processos aleatórios, sem direção, isso os torna naturalistas.

    Portanto dizer “”São criacionistas naturalistas ateus.”” é tão ilógico e contraditório quanto eu dizer que o cavalo branco de napoleão era negro ou que um triangulo tinha uma forma circular.

  172. Criacionista é quem acredita numa fada-madrinha cósmica.

    É um tipo de doença mental, sem dúvida. Mas como convencer um louco de que ele está louco?

  173. André Ruela, eu estou aqui, acompanhando a discussão.

    Sentiu minha falta? Tá carente de atenção?

    Conseguiu achar a resposta à refutação do Ajuste Fino no ReasonableFaith? Ou aquela porcaria de site não vale nem uma bituca fumada?

    Está ansioso pelo vídeo das fraudes e falsificações do Novo Testamento? Se estiver, posso antecipar alguma coisa aqui pra você. Posso te mostrar como as cartas de 2 Tessalonicenses ou 1 e 2 Pedro são fraudes evidentes.

    Fica a gosto do freguês.

    Grande abraço a todos.

  174. Shirley

    Li sim, mas preferi ignorar, pelo seu próprio bem, já que a premissa todos que nascem na Alemanha são alemães é falsa. Nem todos que nascem em território alemão tem a cidadania alemã, já que lá vigora o jus sanguinis.

    Está enganada. O Reino Unido e a Alemanha, utilzam o jus sanguinis aliado ao jus solis, e não o jus sanguinis isoladamente como tu erroneamente afirmas.
    E se não me engano esta mudança é recente, ou seja, DEPOIS da segunda Guerra mundial.

    Mas como diz o ditado: “Troque a grama de cor e os gados morrerão de fome” e não quero vê-la, “morrer de fome”, faça o seguinte exercício para facilitar a sua compreensão:
    Troque Alemanha por Estados Unidos e troque Nazistas por “Republicanos”

    Eu digo: “sempre haveria a possibilidade de o eventual interlocutor da jumenta pedir provas de que a jumenta estava falando por obra e graça de deus”
    Você responde: “Ou não. O que determinaria esta regra?
    Você consegue distinguir entre possibilidade e regra?

    Claro que consigo. Porém o que tu não entendeu é que a tua frase:
    “” SEMPRE haveria a possibilidade de o eventual interlocutor da jumenta”” é um regra. Porque? Oras porque utilizaste a condição “SEMPRE”
    Este foi o meu ponto.

    O que determina a regra de que “SEMPRE Haveria a possibilidade de o eventual interlocutor da jumenta”? Esta foi a minha questão.

    A lambança com a jumenta falante é que é uma piada.

    Concordo. Não existe jumenta falante. É uma lambança afirmar algo do tipo. Na verdade nem sei o que está a falar, visto que em nenhum momento afirmei existir algo do tipo

    Pedir evidências cabais sobre burra ou jumenta falante não sendo evento histórico é que é a piada.

    Com certeza. Se de fato eu pedisse algo do tipo, concordaria contigo.
    Porém não foi o que eu perguntei.
    A meu ver tu está querendo fugir do núcleo central da questão.
    Mas a colocarei novamente, de forma mais detalhada para que entendas:

    Existindo um Deus, criador do Universo, que desejasse ABRIR A FALA em um determinado evento ISOLADO (perceba que abrir a fala em um determinado evento ISOLADO não significa criar jumenta falante) de uma jumenta, o que o impediria?

    Se houvesse um criador de universo que se desse ao trabalho de fazer uma jumenta falar para “pegar arrogantes em suas astúcias” esse criador de universo não mereceria o respeito nem da jumenta.

    Segundo a TUA opinião (e desejo), é claro.
    Porém, ao contrário do que tua opinião e desejo dizem, ele tem o respeito de todos que o aceita.
    Pode não ter o seu respeito (que o rejeita), mas tem o respeito de todos que o buscam seguir (o meu inclusive).

    Mas eu não espero que você vá entender o quanto isso soa ridículo e desmoralizante para o deus no qual você acredita.

    Na minha opinião, o esforço que fazes para rejeitar a Deus (crendo em absurdos que se chocam com as observações) vivendo uma vida infeliz, amarga, solitária e sem propósito, é de fato ridículo e desmoralizante.
    Tu importas com o que eu penso?
    Caso não (o que é bem provável), porque achas que me importaria com a tua opinião?

    Azetech, diga-me, por que eu deveria ser feliz por ser ateia?

    Eu sei que não há felicidade no ateísmo. Minha pergunta foi retórica.
    A própria crença em sí, induz a uma falsa impressão que a vida é uma ilusão e que o final dela sempre será a destruição.
    Com uma visão deste tipo, somente os masoquistas suicidas é que sentiriam “felicidade” em uma vida sem sentido.
    Qualquer pessoa normal viveria infeliz sob esta óptica.

    A “liberdade ateia” significa, para mim, não seguir com a boiada.

    O que seria “seguir com a boiada”? Seria estar unido com outras pessoas que possuem uma só convicção?

    Caso for, novamente levanto a questão: Porque achas que “liberdade” é sinônimo de desunião?

    És feliz por estar só?
    A solidão, a meu ver, não é liberdade, pelo contrário, é uma prisão que atormenta o ser.

  175. Shirley

    Mentira sua. Eu não especifiquei qual a modalidade de “vida” depois desta, nem me ocorreu isso, já que parti do princípio de que para chegar lá primeiro é necessário morrer.

    O termo Vida pós-morte sem uma especificação literal, é utilizado no sentido conotativo em sua forma básica.
    Se referia-se ao termo no sentido denotativo, deverias ter avisado.
    Primeiro vem a regra e depois a exceção.
    Se utilizaste a exceção em primeiro lugar, deverias deixar explícito.

    E se você se convenceu que vai pular desta vida para a próxima sem dar uma morridinha antes, você está precisando de tratamento psiquiátrico.

    Concordo. “SE” tivesse me convencido disso deveria ter procurado ajuda (não de psiquiatra, pois eles não resolvem muito).
    Porém o fato é que este tipo de pensamento não existe a minha pessoa, afinal como haveria ressurreição sem haver a morte do corpo?
    É uma questão de lógica, não acha?

  176. Barros

    Mas como convencer um louco de que ele está louco?

    Demonstrando evidências da realidade que contradiz a crença deste louco.
    Porém se mesmo após as evidências, o louco continuar em sua loucura, então não há mais nada a ser feito a não ser lamentar pelo destino que este louco terá.

  177. Um louco me aparece dizendo que uma burra travou uma conversa com o seu dono, sobre direitos trabalhistas e maus tratos a animais, de acordo com um certo livro de fábulas.

    Com quantas burras que não falam eu consigo formar uma “evidência da realidade”?

  178. Responde essa Azetech!

    Digo: Diogo.

    [Identity crisis detected]

  179. Diogo:

    Se “nada” se sabe, sobre a suposta origem deles, então são agnósticos e não ateus.

    Os tais E.T.s não são deuses. Só não se sabe da origem deles.
    Por não se saber da origem deles, não se pode denomina-los de deuses.

    Se pensam assim, então significa que estes ET´s, além de criar a vida, criaram o universo. Isso significa que o que chamamos de Deus, vocês chamam de ET´s.
    Logo não há uma relação ao naturalismo nesta parte, pelo contrário, esta crença é um nicho do criacionismo.

    Não necessariamente eles tem poder de criar universos, eles atuam num universo já existente.
    E se criaram a vida na Terra, sim, estamos falando de criacionismo.

    Ter como fé a evolução da espécie, não os torna “naturalistas”
    Existem muitos criacionistas que possuem fé em tal doutrina.
    Tome como exemplo os “Evolucionistas Teístas”.
    Ele creem que Deus direcionou a suposta e não observada evolução.

    Como não? Eles acreditam que esses E.T.s criaram a vida terráquea de forma absolutamente natural. Logo, se trata de criação naturalista.

    O Naturalismo é um posicionamento filosófico na qual pressupõe que o universo e a vida originaram de forma “aleatória” e sem nenhum direcionamento.
    Se diz que foram os ET´s que originaram por meio da evolução Isso os torna criacionistas. Se diz que os ET´s originaram por processos aleatórios, sem direção, isso os torna naturalistas.

    Você estabeleceu um falso antagonismo, criação X natural, e nem se deu conta.
    Quem disse que criação tem que ser antinatural?
    E também é uma falsa dicotomia o criação/intenção. Visto que a criação pode ser intencional ou não.

    Portanto dizer “”São criacionistas naturalistas ateus.”” é tão ilógico e contraditório

    Onde? Criacionista, porque acreditam na ação de criar; naturalista, porque acreditam que pode-se criar por ação natural e ateu, porque não acreditam que os criadores são deuses.

  180. Acima sou eu.

  181. Barros

    Um louco me aparece dizendo que uma burra travou uma conversa com o seu dono, sobre direitos trabalhistas e maus tratos a animais, de acordo com um certo livro de fábulas.

    O que isso tem a haver com o relato Bíblico? O que isso tem a haver com minha questão?

    Com quantas burras que não falam eu consigo formar uma “evidência da realidade”?

    Com todas, afinal burras não falam. Tens dúvida que burras não falam?

    Barros, não entendi o seu ponto.
    O que está a alegar? que eu acredito que burras falam???
    De onde tiraste uma ideia tão absurda?

    Não é possível que ainda não tenha entendido minha colocação.
    Desta forma passo a supor que tens déficit de entendimento, ou está sendo desonesto, querendo desvirtuar meu argumento simplesmente com o intuito de querer me ridicularizar (motivado pelo seu ódio?)

    Saiba que a tentativa de ridicularização, realizado por deturpação de meus argumentos, não o levará a lugar nenhum, pelo contrário, só demonstrará a natureza torpe que poderás ter em teu sentimento.

    Se sentes ódio a Deus e aos seus seguidores, ao ponto de querer extermina-los (muito comum em ateus fundamentalistas radicais), uma dica, controle a obviedade deste sentimento.
    É de todo direito tu possuir ódio e desejar matar a quem quiser (desde que não coloque este sentimento em prática), isso faz parte do seu livre arbítrio.
    Porém ao expressa-lo desta maneira, pode surtir o efeito contrário, e ao invés de aderir novos seguidores, poderá afasta-los.

    A não ser é claro que desejas ter como seguidores, psicopatas e assassinos.
    Então aconselho para que sejas mais agressivo, não utilizando apenas a ridicularização, mas sim a apologia a “caça aos cristãos” (semelhante ao que foi realizado pelos líderes ateus em busca de um estado ateu)

    O problema é permanecer “em cima do muro” onde não agradará ateus sensatos e nem ateus extremistas.
    ………………………………………………………………………………………………..

    Por causa disso darei uma segunda chance de se redimir (seja para o lado extremista ou para o lado sensato):

    Detalharei meu argumento:

    Primeira fase:
    Burras naturalmente não falam. Ponto.
    Eu não tenho dúvida, e tu, tens dúvida disso? Acho que não.

    Segunda fase:
    Pressuposição da existência de Um Deus onipotente que criou o universo. Ponto.

    Agora vem a questão:

    Existindo um Deus, criador do Universo, que desejasse ABRIR A FALA em um determinado evento ISOLADO (perceba que abrir a fala em um determinado evento ISOLADO não significa criar jumenta falante) de uma jumenta, haveria algo que o impediria? Seria impossível este evento dentro da pressuposição de que Deus existe?

    Conseguiu compreender a questão?

  182. MARCIO

    AS CARTAS…AS CARTAS……………………..

  183. Sobre a jumenta falante

    É certo que uma jumenta emite alguns sons de relincho e obrigatoriamente deve-se acreditar que aquilo pode ser realidade porque dizem que para Deus nada é impossível e não se deve duvidar da Bíblia denominada de A Palavra

    Mas há também a fábula da “sarça ardente”.

    Moisés estava sozinho em cima de um monte orando quando viu um arbusto pegando fogo, mas não queimava. Por um bom tempo era só chamas e Moisés pensou: é estranho, vou ver isso de perto, aproximou-se e ouviu uma voz atrás da moita [ou dentro]? Foi aí que ele viu um anjo escondido que lhe disse: “Moisés! Moisés!, eis-me aqui. Não te chegues para cá. Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó”.

    E não havia ali sequer uma viva alma por testemunha a não ser os calangos do deserto debaixo daquele abrasivo sol e ali mesmo Deus fez mais uma proeza quando transformou a vara de Moisés numa cobra.
    Deus que sempre dava um jeito disfarçado para conversar com seus líderes começou a falar com Moisés para voltar ao Egito, libertar os israelitas da escravidão e instalá-los numa terra prometida que ficava bem ali onde hoje se trava outro genocídio com Israel invadindo, massacrando a minoria que ainda resiste em Gaza para ficar com toda a Palestina para eles.

    A tal da “sarça ardente” existe sim, é uma planta espinhosa que contém uma substância psicoativa “DMT-Dimetiltriptamina”, que devido aos efeitos serem muito fortes, algumas pessoas podem até relatar contatos com pessoas já mortas e também extraterrestres, saindo da realidade.

    É bem possível que Moisés andou mastigando algumas folhas dessa planta e ficou “de boa”…“viajando”… e etc e tals.

    Bíblia – o maior livro de lendas do mundo para pessoas influenciáveis e com fortes tendências em acreditar nas coisas fora das leis naturais e sobre-humanas.

  184. Marcio

    Sejamos objetivos neste “papo de bêbado”

    Estes ET´s, tiveram origem aleatória sem nenhum agente por detrás, foram Criados propositalmente por uma entidade inteligente, ou simplesmente não se sabe a sua origem?

    Logo, se trata de criação naturalista.

    Não confunda a palavra com a escola filosófica.

    Você estabeleceu um falso antagonismo, criação X natural, e nem se deu conta.

    Não Marcio, tu é que não se deu conta que o antagonismo está na escola filosófica e não nas palavras em si. Criação é diferente de Criacionismo e natural é diferente de Naturalismo.

    Pesquise sobre estas escolas e veja o sentido delas.
    Perceba que não é as palavras (criação e Natural) quem definem uma da outra, mas sim o CONCEITO que as envolvem.

  185. Ana Judice

    É certo que uma jumenta emite alguns sons de relincho e obrigatoriamente deve-se acreditar que aquilo pode ser realidade

    Não compreendi este raciocínio.

    porque dizem que para Deus nada é impossível e não se deve duvidar da Bíblia denominada de A Palavra

    E dizem que Deus não existe e que a Bíblia NÃO É sua palavra, sendo portanto obrigatoriamente duvidar sempre daquilo que ela diz.

    Deparamos então, com uma questão de fé.

    Ou tens fé que a Bíblia é a revelação de Deus ou tens fé que ela NÃO É a revelação de Deus.

    Estou errado? Então me mostre, como comprovas empiricamente que Deus não existe e que a Bíblia é uma mentira?

    É bem possível que Moisés andou mastigando algumas folhas dessa planta e ficou “de boa”…“viajando”… e etc e tals.

    Ou é bem possível que Deus tenha de fato falado com ele, conforme o relato alega.
    Novamente nos deparamos com uma questão de fé.
    Ou se tem fé que Deus falou com Moisés ou se tem fé que ele se drogou.

    Estou errado? Então me mostre, como comprovas empiricamente que Moisés se drogou e que não falou com Deus?

    Bíblia – o maior livro de lendas do mundo para pessoas influenciáveis e com fortes tendências em acreditar nas coisas fora das leis naturais e sobre-humanas.

    Ou a Bíblia é um conjunto de relatos históricos e ensinamentos morais, dado para pessoas que desejam a vida eterna, que não possuem tendência em acreditar em fabulas forjadas por homens que desejam nega-lo.

    Outra questão de fé.

    Estou errado? Como comprovas empiricamente que os relatos encontrados na Bíblia são mentirosos?

    Percebes? toda tua argumentação é apenas uma declaração da que possui.

    Nenhuma delas pode ser comprovada, porém todas elas, para ter sentido, tem de ser ACREDITADA .

    Porém levanto a seguinte questão:

    Quem garante que a tua crença e a tua fé são verdadeiras???
    Como tens total segurança que a tua fé não esta fundamentado em um engodo fictício?

    Poderia demonstrar, no MÍNIMO as evidências que corrobore as tuas alegações?
    Caso não possua nenhuma, não seria a sua fé uma crendice cega, sem nenhum fundamento observacional?

  186. Diogo Morelli

    É certo que uma jumenta emite alguns sons de relincho e obrigatoriamente deve-se acreditar que aquilo pode ser realidade … “porque dizem” que para Deus nada é impossível. Quem diz? A bíblia e as pessoas que leem a bíblia. Não referi a minha convicção.
    Na verdade fiz uma crítica até um pouco irônica desse trecho da bíblia justamente porque não acredito no que está escrito ali.

    O que é isto que você está escrevendo, ficou lelé-da-cuca ao ponto de tentar modificar completamente o sentido das minhas opiniões? Querido, conserte o ponteiro da sua bússola, você esta no rumo totalmente oposto. Não faça confusão das minhas ideias, eu sou clara no meu ceticismo e você está completamente alienado e fora da razão em obediência a sua fé nas crenças e este não é um bom sintoma.

    Vejo por trás das suas palavras, insinuações com uma sutil intenção [ou clara] em me influenciar talvez por ter interpretado mal minha opinião. Nada disso, errou seu alvo.

    Agora faço eu devolvendo a mesma pergunta que me fez:

    Quem garante que a tua crença e a tua fé são verdadeiras???
    Como tens total segurança que a tua fé não esta fundamentado em um engodo fictício?

    E pergunto novamente: quem crê em personagens fictícias? Eu?
    Será que você andou mastigando um punhado das folhas da acácia espinhenta e está sob efeito do seu princípio ativo?

    Acho engraçado é que suas perguntas parecem ser dirigidas a você mesmo, até que isso me divertiu muito hehehe

    Até

  187. Diogo Morelli, permita-me entrar na discussão.

    Ou tens fé que a Bíblia é a revelação de Deus ou tens fé que ela NÃO É a revelação de Deus. […] Estou errado? Então me mostre, como comprovas empiricamente que Deus não existe e que a Bíblia é uma mentira?

    Eu simplesmente poderia dizer que pelo fato de você não cultuar Odin ou Zeus significa que você não acredita que os Eddas ou as obras dos autores gregos não sejam a fiel palavra desses deuses. Aí, quando você descobrisse porque não aceita Odin ou Zeus como sendo autênticas divindades, descobriria porque não acreditamos em Javé.

    Mas vou mais além. Não acreditamos que a Bíblia seja a palavra de Javé porque ela nos deixa implícito que se trata de escritos de judeus da Era do Bronze imaginando o que seria um deus chamado Javé. E nem eles chegam a um consenso sobre o que seria esse deus.

    Por exemplo, Isaías, que foi um membro da corte judaica, projetou Javé como um rei (Isaías 43:15, 44:6). Oséias, que estava passando por problemas conjugais com sua esposa, projetou Javé como um “marido” (Oséias 2:16). Amós, um pastor, viu Javé como um… pastor. E seu povo como seu rebanho particular (Amós 3:12).

    E tem mais: a fonte Javeísta via Javé como um deus cheio de compaixão e misericordioso, tanto é que ele se arrepende de ter matado seu povo depois do dilúvio. Já a fonte Sacerdotal (P), via Javé como um deus justo, tanto é que ele bota fogo em quem acende incenso pra ele só porque fizeram a besteira de acendê-lo fora do templo (Levítico 10:1-2).

    Esse deus bíblico é na verdade um monstrengo construído a pelo menos umas dezesseis mãos, que não chegam a um consenso sobre o que ele é. E tomado mais um conjunto de passagens, fica patente que Javé se parece, se comporta e age exatamente como um judeu primitivo da Era do Bronze. Mais argumentos a favor disso aqui:

    E por fim, assim como Amon-Rá é um constructo do deus Amon com o deus Rá, por questões puramente políticas que tem como pano de fundo a união e pacificação de dois povos egípcios diferentes, também é Javé e El. Explico isso com mais detalhes aqui:

    Ou seja, seu deus não é real. Na melhor das hipóteses, ele é uma projeção mental de judeus primitivos. Na pior, ele é um frankstein entre Javé e El por conta das conveniências políticas para amalgamar os povos de Israel e Judá.

    Grande abraço.

  188. Existindo um Deus, criador do Universo, que desejasse ABRIR A FALA em um determinado evento ISOLADO de uma jumenta, haveria algo que o impediria?

    Haveria sim. Um Deus que tivesse a competência para construir galáxias teria notado quão idiota e sem sentido seria isso.

  189. Talvez se esse deus usasse um papagaio, fizesse mais sentido! :)
    E seria menos trabalhoso.

  190. Ana Júdice

    Agora faço eu devolvendo a mesma pergunta que me fez:
    “Quem garante que a tua crença e a tua fé são verdadeiras???
    Como tens total segurança que a tua fé não esta fundamentado em um engodo fictício?”

    Esperava mesmo que devolvesse esta questão:

    Eu tenho evidências comprovadas empiricamente não só da existência como da presença do inspirador daquelas palavras.
    Por estas comprovações é que eu SEI que elas são verdadeiras.

    E tu, o que tens além de tua e teu DESEJO que ele não exista?

    E pergunto novamente: quem crê em personagens fictícias? Eu?

    Não sei. Tu crês em personagens fictícios?

    Acho engraçado é que suas perguntas parecem ser dirigidas a você mesmo, até que isso me divertiu muito hehehe

    Sinceramente não creio que tenha se divertido, pelo contrário, creio que minhas palavras a atingiram ao ponto de irritar-se.

    É fácil chegar a esta conclusão porque suas frases demonstraram um nível de stress elevado.

  191. Marcio

    Talvez se esse deus usasse um papagaio, fizesse mais sentido! :)

    Mas sentido em que sentido?

    E seria menos trabalhoso.

    O que é mais trabalhoso, criar o Universo ou fazer uma Jumenta falar?

  192. Barros

    Haveria sim. Um Deus que tivesse a competência para construir galáxias teria notado quão idiota e sem sentido seria isso.

    Porque idiota? Porque sem sentido?

  193. Wagner Menke

    Você é um valioso pesquisador.
    Mas, são tantos os deuses que antecedem ao atual Deus dos criacionistas que a gente acaba concluindo que ele é a soma de todos que existiram e conforme cada um desses deuses foram caindo no gosto das pessoas, foi sendo aperfeiçoado até chegar ao Javeh, o que parecia ser o mais perfeito, poderoso e temeroso de todos que houveram e daí a história pegou para valer.
    Deve ser por isso que a bíblia se transformou na grande sopa multicultural que é hoje podendo assim dizer que todos os ingredientes foram sendo acrescentados aos poucos conforme o agrado dos crédulos.
    A Igreja Católica trabalhou mesmo para valer até chegar ao balanço do que é hoje, e fico imaginando a dificuldade para manusear aquelas escritas em grande quantidade de tijolos assados, tábuas de madeira, papiro (filamento de uma planta), ou em pergaminhos (pele de ovelha) em vários idiomas, muito difícil mesmo. Isso é que é idealismo.

    Muito destes escritos dos quais você falou devem ter tido grandes valores culturais pela originalidade, mas, foram banidos para adequar-se conforme os interesses da Igreja.

    É bom saber como é a receita de fazer um Deus quase perfeito como seus próprios criadores, apesar de possuir também todos seus defeitos refletidos nele.

  194. Obrigado Ana,

    Também concordo com as suas colocações. Eu costumo usar como fonte bibliográfica um livro chamado Old Testament Parallels (Fully Expanded and Revised) que mostra bem como o Velho Testamento tem diversos paralelos, às vezes cópia mesmo, de outras lendas e tradições do Oriente antigo.

    Pretendo também fazer um vídeo sobre isso. Me aguarde!

    Grande abraço.

    (será que o Diogo Morelli viu o que escrevi?)

  195. Wagner Menke

    Eu simplesmente poderia dizer que pelo fato de você não cultuar Odin ou Zeus significa que você não acredita que os Eddas ou as obras dos autores gregos não sejam a fiel palavra desses deuses.

    Pela existência de relatos de povos que acreditam em Odin ou Zeus, tu utiliza como “evidência comprovada” de que não existe Deus e que a Bíblia é uma mentira?
    Se eu imprimir uma nota falsa de 100 reais, isso significará que a verdadeira não existe?
    É esta a lógica?

    Não acreditamos que a Bíblia seja a palavra de Javé porque ela nos deixa implícito que se trata de escritos de judeus da Era do Bronze imaginando o que seria um deus chamado Javé.

    Porque “imaginando”? Porque não Descrevendo?
    Existe alguma evidência de que se trata de uma IMAGINAÇÃO e não uma DESCRIÇÃO?
    Ou pela tua fé acreditas que os relatos foram imaginários?
    Como sabe que a tua fé é que não é imaginária?

    Por exemplo, Isaías, que foi um membro da corte judaica, projetou Javé como um rei (Isaías 43:15, 44:6). Oséias, que estava passando por problemas conjugais com sua esposa, projetou Javé como um “marido” (Oséias 2:16). Amós, um pastor, viu Javé como um… pastor. E seu povo como seu rebanho particular (Amós 3:12).
    E tem mais: a fonte Javeísta via Javé como um deus cheio de compaixão e misericordioso, tanto é que ele se arrepende de ter matado seu povo depois do dilúvio. Já a fonte Sacerdotal (P), via Javé como um deus justo, tanto é que ele bota fogo em quem acende incenso pra ele só porque fizeram a besteira de acendê-lo fora do templo (Levítico 10:1-2).

    Então a outra “evidência” da suposta inexistência de Deus e da suposta natureza mentirosa da Bíblia são INTERPRETAÇÕES Bíblicas realizadas por uma pessoa (ou grupo de pessoas)?

    Sabe quantas interpretações Bíblicas existem no mundo? Porque achas que a tua, singular entre tantas, é a verdadeira interpretação?
    Pela tua fé? Quem garante que a tua fé não está errada?

    Esse deus bíblico é na verdade um monstrengo construído a pelo menos umas dezesseis mãos, que não chegam a um consenso sobre o que ele é.

    E que evidências possuem desta alegação além de uma SINGULAR INTERPRETAÇÃO Bíblica dentre milhares?
    Ou tu achas que todas interpretações chegam a tua conclusão?
    A tua fé de que esta INTERPRETAÇÃO SINGULAR ENTRE VÁRIAS, é a única verdadeira?
    Quem garante que não erras?

    Mais argumentos a favor disso aqui:

    Se perceber, notará que a minha solicitação foi voltada a EVIDÊNCIAS e não a argumentos sem comprovações.

    Argumentos, encontramos um monte por aí. Uns a favor e outros contra. Quem garante que estes argumentos de fato procedem como reais. Porque os colocar em um patamar elevado se nem mesmo possui uma evidência que o corrobore?
    Novamente pergunto, porque tu CRÊ que são verdadeiros?

    Ou seja, seu deus não é real.

    Segundo a tua FÉ, fundamentado em tua INTERPRETAÇÃO, sem NENHUMA EVIDÊNCIA QUE CORROBORE, de não.
    Para os que compartilham a tua fé, provavelmente acreditarão (sem evidências) que ele não existe.

    Mas pergunto, porque achas que compartilho de tua fé? Porque achas que creio na veracidade de tuas interpretações?

    Tu ACREDITAS que ele não existe. Eu pedi EVIDÊNCIAS CORROBORADAS EMPIRICAMENTE que ele supostamente não existe e que a Bíblia supostamente é mentirosa.
    Onde estão estas evidências?

    Na melhor das hipóteses, ele é uma projeção mental de judeus primitivos. Na pior, ele é um frankstein entre Javé e El por conta das conveniências políticas para amalgamar os povos de Israel e Judá.

    Segundo tua FÉ, eu concordo que pode até ser, afinal, como é dito por aí, “tudo é possível para aquele que crê”
    Mas te adianto que sou CÉTICO a tua crença, logo não a assumo como um fato conforme tu fazes.

    Abraços.

  196. Wagner Menke

    será que o Diogo Morelli viu o que escrevi?

    Sim, claro. Inclusive fiz comentários a respeito.

    O que tenho a declarar, não é muito diferente dos meus comentários realizados por mim acima.

    Basicamente é observar que tu, assim como milhares e milhares de pessoas, apenas interpretam a Bíblia segundo tua fé e pressuposição, e não possui nenhuma evidência que o corrobore.

    Não muito diferente de vários lideres religiosos mal intencionados que interpretam a Bíblia da forma que eles desejam (mesmo que seja com a utilização de sofismas).
    Não digo que tu sejas mal intencionado (apesar que a intenção de se acreditar que Deus não existe, a meu ver, não pode ser chamado de boa), mas digo que assim como os pastores, a tua interpretação não é a única, e só.

  197. <b. Ana Judice

    Você é um valioso pesquisador.

    Qual parâmetro utilizaste para defini-lo como “ótimo” pesquisador?
    As palavras que ele utilizou na qual desejaste ouvir?

    Este é teu critério?
    Se uma pessoa fala algo que não gosta, então ela é mal pesquisadora.
    Em contra partida se uma pessoa fala algo agradável aos teus ouvidos (no caso olhos), então ela é ótima pesquisadora.

    Ainda bem que o meio acadêmico os critérios para se definir um bom de um mal pesquisador são bem diferentes.

  198. Diogo, em primeiro lugar: você viu os vídeos? Parece que não.

    Segundo, vamos por partes.

    Pela existência de relatos de povos que acreditam em Odin ou Zeus, tu utiliza como “evidência comprovada” de que não existe Deus e que a Bíblia é uma mentira?
    Se eu imprimir uma nota falsa de 100 reais, isso significará que a verdadeira não existe?
    É esta a lógica?

    Não. Dos relatos dos outros povos sobre os outros deuses eu tiro que você é extremamente cético a eles e altamente relaxado quanto ao seu deus. Ou seja, você exige demasiadas evidências da existência deles e poucas ou nenhuma evidência do seu deus. E nós,ateus, temos o mesmo grau de exigência para todos.

    Porque “imaginando”? Porque não Descrevendo?
    Existe alguma evidência de que se trata de uma IMAGINAÇÃO e não uma DESCRIÇÃO?
    Ou pela tua fé acreditas que os relatos foram imaginários?
    Como sabe que a tua fé é que não é imaginária?

    Porque se eles estivessem descrevendo, necessariamente teriam que imaginá-lo da mesma forma, o que é um fato comprovadamente falso, conforme mostrei no meu comentário anterior e nos vídeos. As evidências eu mostrei: cada um imaginou Javé como uma projeção de si mesmo. Veja o que eu disse sobre Isaías, Oseias e Amós. Veja o que eu disse sobre as fontes P e J.

    Esse é o grande problema dos crentes aqui desse blog: eles simplesmente botam uma mão em cada orelha e começam loucamente a gritar: “Não tô te ouvindo! Não tô te ouvindo! Não tô te ouvindo! Lá lá lá lá, lá lá lá lá!” Curiosamente isso acontece quando eles ficam sem argumento.

    Então a outra “evidência” da suposta inexistência de Deus e da suposta natureza mentirosa da Bíblia são INTERPRETAÇÕES Bíblicas realizadas por uma pessoa (ou grupo de pessoas)?
    Sabe quantas interpretações Bíblicas existem no mundo? Porque achas que a tua, singular entre tantas, é a verdadeira interpretação?
    Pela tua fé? Quem garante que a tua fé não está errada?

    Não estou tratando de interpretação, mas sim de fatos. Isaías escreveu que Javé era um rei. Oseias escreveu que Javé era um marido. Amós escreveu que Javé era um pastor. Não há interpretação aqui. Está escrito. Eu apenas constatei e usei como forma de mostrar que cada profeta projetou si mesmo em Javé.

    Isso são fatos. Dói, mas são fatos.

    A propósito: quer que eu cite as passagens que comprovam que Isaías era da corte, que Oséias tinha problemas conjugais e que Amós era um pastor ou consegue achá-las por si próprio?

    E que evidências possuem desta alegação além de uma SINGULAR INTERPRETAÇÃO Bíblica dentre milhares?
    Ou tu achas que todas interpretações chegam a tua conclusão?
    A tua fé de que esta INTERPRETAÇÃO SINGULAR ENTRE VÁRIAS, é a única verdadeira?
    Quem garante que não erras?

    Bom, a babaquice da vez parece ser a de querer atribuir a minha interpretação particular os fatos evidentes da Bíblia. Espanta mais ainda por que vem de alguém que se diz estudante de teologia. Vem cá Diogo, você nunca parou pra contar quantos profetas existem no Antigo Testamento? No mínimo dezesseis, eu disse. Mas a conta final dá muito mais. Não contei com os autores de Juízes, 1 e 2 Reis, 1 e 2 Crônicas, Lamentações, Salmos, etc.

    Mas o sujeito é tão raso que fica indagando o que seria a minha interpretação. Lógico, justamente como já demonstrou em outros momentos, a interpretação certa e a dele. E ele não ousa proferí-la aqui, pois sabe que vai ser execrado, já que na interpretação dele existe um deus de verdade lá, e o deus dos Eddas nórdicos é de mentirinha.

    Um legítimo cético. Boa, “jênio”.

    Se perceber, notará que a minha solicitação foi voltada a EVIDÊNCIAS e não a argumentos sem comprovações.
    Argumentos, encontramos um monte por aí. Uns a favor e outros contra. Quem garante que estes argumentos de fato procedem como reais. Porque os colocar em um patamar elevado se nem mesmo possui uma evidência que o corrobore?
    Novamente pergunto, porque tu CRÊ que são verdadeiros?

    Minhas evidências provém da própria crítica textual da Bíblia. E estão expostas aí e não vi ninguém apto a refutá-las. Não parece que você será o primeiro.

    Segundo a tua FÉ, fundamentado em tua INTERPRETAÇÃO, sem NENHUMA EVIDÊNCIA QUE CORROBORE, de não.
    Para os que compartilham a tua fé, provavelmente acreditarão (sem evidências) que ele não existe.
    Mas pergunto, porque achas que compartilho de tua fé? Porque achas que creio na veracidade de tuas interpretações?
    Tu ACREDITAS que ele não existe. Eu pedi EVIDÊNCIAS CORROBORADAS EMPIRICAMENTE que ele supostamente não existe e que a Bíblia supostamente é mentirosa.
    Onde estão estas evidências?

    Minhas evidências estão na Bíblia Hebraica e nos textos religiosos de Ugarit, além dos diversos códigos morais paralelos ao Antigo Testamento que mostro no primeiro vídeo. Mostro todas nos vídeos. Deixe de ser cagão e assista.

    Segundo tua FÉ, eu concordo que pode até ser, afinal, como é dito por aí, “tudo é possível para aquele que crê”
    Mas te adianto que sou CÉTICO a tua crença, logo não a assumo como um fato conforme tu fazes.

    Minha fé provém das evidências já citadas. As sua vem unicamente da tradição cristã.

    Sou mais eu.

    Abraços.

  199. Diogo disse:

    Se uma pessoa fala algo que não gosta, então ela é mal pesquisadora.
    Em contra partida se uma pessoa fala algo agradável aos teus ouvidos (no caso olhos), então ela é ótima pesquisadora.

    Quem disse que eu não gosto? Eu adoro! É sério. Amo estudar a Bíblia. Meus vídeos estão aí pra provar isso.

    Agora esse tópico revela bem a mentalidade do nosso debatedor: não gostou dos meus comentários porque supostamente eu não gosto de deus. Por isso minhas interpretações são falsas e equivocadas. Mas porque ele gosta de deus, aceita a Bíblia como sua palavra, e as suas interpretações são as únicas válidas.

    Alguém mais percebeu isso ou só fui eu?

    É, o cara de cheio de vieses mesmo. Não tem debate.

  200. Hahaha!!!!
    Há muito o Dioguito parou de argumentar.
    Agora ele catalogou umas respostas prontinhas para todo e qualquer argumento contrário à sua crença.
    Curioso é que as respostas genéricas que ele formula automaticamente podem ser usadas contra os seus próprios argumentos ou afirmações.

    Ex: ” Eu afirmo peremptoriamente que o grande deus Javé existe e que a bíblia representa a palavra fiel dele.”

    Resposta formulada pelo próprio Diogo:
    “E que evidências possuem desta alegação além de uma SINGULAR INTERPRETAÇÃO Bíblica dentre milhares?
    Ou tu achas que todas interpretações chegam a tua conclusão?
    A tua fé de que esta INTERPRETAÇÃO SINGULAR ENTRE VÁRIAS, é a única verdadeira?
    Quem garante que não erras?”

    Ou:
    “Segundo tua FÉ, eu concordo que pode até ser, afinal, como é dito por aí, “tudo é possível para aquele que crê”
    Mas te adianto que sou CÉTICO a tua crença, logo não a assumo como um fato conforme tu fazes.”

    Hahahaha!!!!!
    Eu gostava mais do antigo Diogo, era mais original, e gerava debates em torno do assunto principal.
    Agora ele só fica desviando e escorregando.

    Pelo menos ele parou com aquela mania de ficar dizendo: “pelo qual”.

    Abraços Diogão!!!!

  201. MAF, concordo plenamente. Pensei que a gente ia protagonizar um debate bom. Mas acho que surpreendi ele e saí do script que ele tinha em mãos.

  202. Diogo Morelli

    Suas indagações são ótimas para serem devolvidas:

    Pela tua fé? Quem garante que a tua fé não está errada?

    A resposta é claro que vai conter a sua lógica assim como a de outros se perguntados sobre quem professa algumas das religiões africanas existentes no Brasil como exemplo o Candomblé e eu já diria que não acredito que existem divindades senão na imaginação das pessoas.
    Eu não ouço com os olhos, se este é um habito seu qual é o resultado?
    O parâmetro que utilizo são aqueles baseados na isenção das tantas lendas que destorcem as verdades e que são levadas a sério num momento que há a necessidade de agir com circunspeção e razão.

    Digo que as pesquisas do Wagner Menke são valiosas para quem tem interesse em aprender mais, sair do quadrado, evoluir, conhecer melhor suas origens, histórias e culturas diferentes e isso vai depender muito do grau de instrução e interesse de conhecimentos aspirados.
    Também gosto das investigações que mostram fatos [eu digo fatos] que comprovam que eu posso estar errada numa opinião, pois, aprendo bastante com as contradições, elas me acrescentam conhecimentos desde que não sejam sobre coisas sem nexo, desde que não sejam sobre duendes ou o deus Thor, Shiva, qualquer deus místico a não ser que eu queira estudar sobre eles para adquirir conhecimentos de outras culturas, suas curiosidades como, por exemplo, o deus pagão asteca Quetzalcóatl.

    Diogo Morelli, você é um grande fanático e isto prova pelo seu avatar que possui dois símbolos do catolicismo. Será que você é um padre?

  203. Azetech

    Sobre o jus sanguinis na Alemanha, é verdade, meu conhecimento sobre o assunto estava defasado.
    Mas se é correto que o fato de haver republicanos nos EUA não faz de todos os americanos Republicanos, não é menos correto que todo teísta crê numa vida pós-morte.

    O uso da palavra “sempre” na frase em questão não tem uma função específica. É uma espécie de vício de linguagem que adquiri lendo, talvez em demasia, escritores do século 19. Costumo me esquecer de que o repertório das pessoas em geral é muito limitado no que toca à palavra escrita e estilos de linguagem. É necessário usar estritamente o básico. Em todo caso, a palavra que importa na frase é “possibilidade”.

    Caso existisse um deus capaz de criar o evento isolado jumenta falante, nada o impediria. Como também nada o impediria de falar diretamente com a pessoa em questão. É aí que está o ridículo da coisa. Você não percebe que quando sustenta que um deus capaz de criar o universo precisa usar um meio absurdo para se comunicar, está ridicularizando esse deus. Mas isso é problema seu, eu me limito a achar a maior graça.

    vivendo uma vida infeliz, amarga, solitária e sem propósito, é de fato ridículo e desmoralizante.

    Cuidado, Azetech, seu veneno está escorrendo, papai do céu pode te castigar e não te dar uma vaguinha na vida eterna.
    Você realmente adoraria que eu tivesse uma vida infeliz, amarga e solitária, eu sei. Na sua visão doentia e deturpada, isso seria a justa paga que o seu deus estaria me aplicando. Que pena que você e o seu deus vão ter que continuar frustrados…
    O que quer que você pense sobre a vida de uma pessoa ateia, apenas por ela ser ateia, não tem importância nenhuma.

    O que seria “seguir com a boiada”? Seria estar unido com outras pessoas que possuem uma só convicção? Caso for, novamente levanto a questão: Porque achas que “liberdade” é sinônimo de desunião?
    És feliz por estar só?
    A solidão, a meu ver, não é liberdade, pelo contrário, é uma prisão que atormenta o ser.

    Liberdade não significa desunião, mas se no seu léxico é assim, problema seu.
    Afora os valores morais e éticos que já se provaram necessários à vida em sociedade, não gosto da ideia de estar unida a outros sob alguma convicção que deva servir como guia de comportamento. Em casos assim, prefiro não seguir a boiada.
    E mesmo não sendo só eu ainda sou a melhor companhia que conheço para mim mesma. Ao contrário de temer a solidão, eu a aprecio.

    O termo Vida pós-morte sem uma especificação literal, é utilizado no sentido conotativo em sua forma básica.

    É mesmo? Quer dizer que há por aí algum tratado sobre os termos apropriados para se referir às diversas modalidades de “vida” pós-morte? Não brinca! Onde?

  204. Azetech

    Tudo com você é o negócio de fé. “Tens fé que isso é assim ou assado?”

    Mas essa sua linha de argumentação contém uma falha incontornável, que é você querer atribuir medidas iguais a coisas diferentes, ou seja, querer equiparar razoabilidade com fé.

    Vou continuar com o exemplo bíblico do caso da jumenta falante.
    Você achar admissível o relato de uma tribo primitiva da Idade do Bronze é matéria de fé.
    Mas a razoabilidade diz que isso é impossível, não só por que jumentos não têm o equipamento fonador, como por que afora esse relato datado de quase três mil anos atrás, nunca ninguém viu um jumento falar.

    Então é meio besta essa sua mania de ficar perguntando se os outros têm fé de que as histórias da bíblia não são verdadeiras. Exceto as crônicas de costumes contidas na bíblia, tudo o mais depende não da razoabilidade, mas da fé. A razoabilidade nos diz que os relatos fantásticos da bíblia não são possíveis. De modos que a fé se aplica apenas a você.

  205. Wagner Menke

    Diogo, em primeiro lugar: você viu os vídeos? Parece que não.

    Esta certo eu não os vi.
    Estou debatendo contigo e não com os autores dos vídeos. Se tens algo de importância a ser destacado, nas quais são descritos neles, faça a citação e farei minha contra argumentação.

    os relatos dos outros povos sobre os outros deuses eu tiro que você é extremamente cético a eles e altamente relaxado quanto ao seu deus.

    Mas o que tu “tira” não serve de evidência para afirmar que Deus não existe e nem que a Bíblia é mentirosa. (núcleo da questão)

    Ou seja, você exige demasiadas evidências da existência deles e poucas ou nenhuma evidência do seu deus.

    Em primeiro lugar, quem afirma que não possuo evidências da existência do Deus que sirvo és TU e não eu.
    Sempre afirmei o contrário, ou seja, que possuo evidências EMPIRICAMENTE COMPROVADAS tanto de sua existência como sua identidade.

    Em segundo lugar, o comentário abordado, referia-se as supostas “evidências” de que Deus não existe e que a Bíblia supostamente era falsa.

    Então simplesmente demonstrei que o relato de outros “deuses” não serve de evidência da inexistência de Deus e muito menos evidência que a Bíblia é falsa.

    E nós,ateus, temos o mesmo grau de exigência para todos.

    O grau de exigência dos ateus em relação a Deus/deuses não serve de evidência da inexistência de Deus e muito menos evidência que a Bíblia é falsa.

    Porque se eles estivessem descrevendo, necessariamente teriam que imaginá-lo da mesma forma

    Ou não. E se Deus não manifestasse da mesma forma?
    Qual é a regra que o determina a efetuar suas manifestações exatamente do mesmo modo para todas pessoas?

    As evidências eu mostrei: cada um imaginou Javé como uma projeção de si mesmo.

    Porque “de si mesmo”? Porque não uma OUTRA manifestação de Deus? O que impediria Deus se manifestar conforme a dificuldade de seus filhos?

    Perceba que a tua FÉ diz que os relatos foram projeções individuais porque ACREDITAS que Deus NÃO EXISTE.
    Mas estando sua fé errada, e Deus existisse e se manifestasse da forma que ele queira, o que impediria este ato?

    Veja o que eu disse sobre Isaías, Oseias e Amós. Veja o que eu disse sobre as fontes P e J.

    Bom. Como disse acima tu deverás demonstrar o motivo pelo qual supostamente Deus seria IMPOSSÍVEL se manifestar de outra forma.
    Como faz isso?
    Utiliza a tua FÉ como parâmetro?

    Não estou tratando de interpretação, mas sim de fatos. Isaías escreveu que Javé era um rei. Oseias escreveu que Javé era um marido. Amós escreveu que Javé era um pastor. Não há interpretação aqui. Está escrito. Eu apenas constatei e usei como forma de mostrar que cada profeta projetou si mesmo em Javé.

    Fatos: Deus é descrito de forma diferente. Ponto. Nada mais nada menos

    Tua INTERPRETAÇÃO delas: Deus não existe e as projeções foram reflexos individuais

    Percebeste agora?
    Tu interpretaste, baseado na pressuposição fundamentado em fé que Deus não existe, que cada um deles projetou a si mesmo em seus relatos.

    Porém pergunto, como comprovas isso???

    O que impediria Deus se manifestar de acordo com as necessidades
    de seus filhos?

    E se Deus se manifesta como ele quer, na forma que ele quer, não se limitando a uma manifestação única?

    Isso são fatos. Dói, mas são fatos.

    Os fatos te machucam?

    A propósito: quer que eu cite as passagens que comprovam que Isaías era da corte, que Oséias tinha problemas conjugais e que Amós era um pastor ou consegue achá-las por si próprio?

    Creio que seria mais útil para o teu argumento, demonstrar esta suposta “impossibilidade” de Deus se manifestar de maneiras diferentes.
    Consegues?

    Bom, a babaquice da vez parece ser a de querer atribuir a minha interpretação particular os fatos evidentes da Bíblia.

    Os fatos evidentes da Bíblia mostra manifestações diferentes e não uma suposta “projeção individual do ser” conforme tu INTERPRETASTE segundo a tua .

    Mas o sujeito é tão raso que fica indagando o que seria a minha interpretação.

    Tua interpretação é apenas uma entre muitas.
    Porque se achas especial?

    Lógico, justamente como já demonstrou em outros momentos, a interpretação certa e a dele.

    Demonstrei? Não me recordo. Poderia fazer um “Copy+Paste” desta minha suposta demonstração?

    E ele não ousa proferí-la aqui, pois sabe que vai ser execrado, já que na interpretação dele existe um deus de verdade lá, e o deus dos Eddas nórdicos é de mentirinha.

    O foco do tema foi ver as supostas “evidências” que comprovaria supostamente que Deus não existe e que supostamente a Bíblia é falsa.
    O foco não foi demonstrar a minha interpretação dela.

    Minhas evidências provém da própria crítica textual da Bíblia.

    Exatamente isso. Tuas “evidências” são oriundas de tua INTERPRETAÇÃO PESSOAL em relação aos relatos.
    Achas mesmo que a tua crença serve de evidência que Deus não existe e que a Bíblia é falsa?

    E estão expostas aí e não vi ninguém apto a refutá-las.

    Na verdade o ônus cabe a você. Tu és quem deve demonstrar a impossibilidade de Deus se manifestar de diversas maneiras.

    Minhas evidências estão na Bíblia Hebraica e nos textos religiosos de Ugarit

    Além de INTERPRETAÇÕES fundamentados em uma FÉ pessoal, há mais alguma evidência de que supostamente Deus não existe e de que a Bíblia supostamente é falsa?

    Minha fé provém das evidências já citadas.

    Na verdade a tua fé provem da INTERPRETAÇÃO destas evidências (muito diferentes da minha, por sinal)

    As sua vem unicamente da tradição cristã.

    Percebo que o preconceito é um mal presente em grande parte dos crentes naturalistas.
    Tu conheces a minha vida para saber se minha Fé em Cristo proveio de “tradições cristãs” ou simplesmente afirmas isso por puro preconceito?

  206. Azetech

    Percebo que o preconceito é um mal presente em grande parte dos crentes naturalistas.
    Tu conheces a minha vida para saber se minha Fé em Cristo proveio de “tradições cristãs” ou simplesmente afirmas isso por puro preconceito?

    Olha só quem está reclamando de preconceito e perguntando o que o outro sabe da vida dele para fazer afirmações: O mesmo Azetech que afirmou que

    Na minha opinião, o esforço que fazes para rejeitar a Deus (crendo em absurdos que se chocam com as observações) vivendo uma vida infeliz, amarga, solitária e sem propósito, é de fato ridículo e desmoralizante.

  207. Marcio

    Há muito o Dioguito parou de argumentar.
    Agora ele catalogou umas respostas prontinhas para todo e qualquer argumento contrário à sua crença.

    Creio que ainda não percebeste o intuito do meu debate e muito menos o molde pelos quais se encontram.
    Não estou trabalhando mais sobre o molde maximalista, pelo contrário, adotei uma postura minimalista.
    Isso significa que não me preocupo em expor meu posicionamento, mas simplesmente foco-me em solicitar comprovação ou prova da veracidade do argumento do oponente.

    Curioso é que as respostas genéricas que ele formula automaticamente podem ser usadas contra os seus próprios argumentos ou afirmações.

    Caso eu efetue uma ALEGAÇÃO. Como estou na Defensiva, elas não me afetarão.

    Eu gostava mais do antigo Diogo, era mais original, e gerava debates em torno do assunto principal.

    Tu achas que me preocupo em agradar alguém?
    Desculpe desaponta-lo, mas meu único propósito em vida é agradar APENAS a Deus.

    Pelo menos ele parou com aquela mania de ficar dizendo: “pelo qual”.

    Na verdade muito de minhas “manias” não existem mais.
    O “pelo qual” foi a única que identificaste?
    Tu me conhece bem menos do que esperava.

  208. Wagner Menke

    MAF, concordo plenamente. Pensei que a gente ia protagonizar um debate bom.

    Eu achei nosso debate interessante.
    Tu apresentaste um argumento, digamos, curioso em que eu sem muito esforço refutei.
    Seria por isso que não achaste ele “tão bom”?

  209. Ana Júdice

    Digo que as pesquisas do Wagner Menke são valiosas para quem tem interesse em aprender mais

    Eu digo que as pesquisas dele, nas quais possuem suas conclusões fundamentadas em fé, são valiosas para QUEM DESEJA ARGUMENTOS PARA REJEITAR A DEUS. e só.

    , sair do quadrado, evoluir, conhecer melhor suas origens, histórias e culturas diferentes e isso vai depender muito do grau de instrução e interesse de conhecimentos aspirados.

    Então precisa de um INTERPRETE, crendo nele CEGAMENTE, endossando suas palavras como um fato, para conhecer a história? Não consegues verificar na fonte pessoalmente?

    Também gosto das investigações que mostram fatos [eu digo fatos] que comprovam que eu posso estar errada numa opinião

    Biogênese é um fato (APENAS VIDA gera vida)
    Existência de sistemas orgânicos, complexamente irredutível é um fato
    Informação codificada como sendo fruto de inteligência é um fato.
    Sistema isolado que deixado por conta própria, aumenta a sua entropia também é um fato.

    Todos estes exemplos que citei são FATOS.
    Agora me pergunto que diferença faz estes fatos se tu assumiu uma crença que os CONTRADIZ?

    pois, aprendo bastante com as contradições

    Aprende mesmo?

    A tua fé que uma poça de lama organizou-se SOZINHA se tornando vida CONTRADIZ a LEI CIENTIFICA da Biogênese e da SEGUNDA DA TERMODINÂMICA.
    A tua fé que uma explosão desordenada tornou-se ordenada sozinha
    CONTRADIZ a SEGUNDA DA TERMODINÂMICA
    A tua crença que informação codifica é oriunda de aleatoriedade CONTRADIZ a Teoria da Informação.

    O que aprendeu com todas estas contradições, se ainda continua crendo em algo contraditório???

    Diogo Morelli, você é um grande fanático e isto prova pelo seu avatar que possui dois símbolos do catolicismo. Será que você é um padre?

    Cuidado com o preconceito.

  210. Wagner Mente:

    Conseguiu achar a resposta à refutação do Ajuste Fino no ReasonableFaith? Ou aquela porcaria de site não vale nem uma bituca fumada?

    Eu te mandei o físico que disse que não haveria vida no universo com a menor alteração da constante gravitacional, e você disse….? Nada.

    Daí você veio com aquele argumento ridículo do “mania de grandeza”, algo tão científico e embasado…

    Depois falou do Deus das Lacunas, derrubei na hora dizendo que creio no criador não pelo desconhecido, mas pelo CONHECIDO, que é a Big Bang e o ajuste fino.

    Enfim, para mim as cartas estão na mesa, o público que tire suas conclusões.

  211. Diogo;

    Creio que ainda não percebeste o intuito do meu debate e muito menos o molde pelos quais se encontram.
    Não estou trabalhando mais sobre o molde maximalista, pelo contrário, adotei uma postura minimalista.
    Isso significa que não me preocupo em expor meu posicionamento, mas simplesmente foco-me em solicitar comprovação ou prova da veracidade do argumento do oponente.

    Está claro isso, é uma tática interessante. Só que “mata” um pouco a discussão.
    Assim ambos os argumentadores ficarão atados.

    Tu achas que me preocupo em agradar alguém?
    Desculpe desaponta-lo, mas meu único propósito em vida é agradar APENAS a Deus.

    Rsrsrs! Não estou desapontado.
    Mas me diga, quando alguém quer agradar outro, deve saber das preferências pessoais dele. Como você sabe das preferências pessoais desse tal deus para poder agrada-lo?
    Olha, pode calhar de você o estar irritando.

    Na verdade muito de minhas “manias” não existem mais.
    O “pelo qual” foi a única que identificaste?
    Tu me conhece bem menos do que esperava.

    Ah! Foi só uma das suas manias que mencionei.
    A outra é essa forma de escrever à moda de nossos patrícios. Mania esta adquirida provavelmente durante sua estada naquele blog criacionista português.
    Mas ficou chique! Creia-me!

    Abraços!

  212. Diogo Morelli.

    Percebi que estou falando com um algorítimo, não com um ser humano. Você já teve melhor desempenho nesse blog.

    Todas as minhas evidências são corrompidas pela minha interpretação e minha . Tudo é culpa da minha interpretação e da minha .

    Já que não tem capacidade de refutar minha constatação que Javé é um ponto de vista de cada autor bíblico, conforme sua própria imagem, preferindo assim assumir a crença num deus que é um rei, marido, pastor, profeta, criador de cabras, assassino sanguinário, bondoso, misericordioso, desequilibrado, ávido por ser adorado, ciumento, ególatra, autoritário, e enfim, nada digno de adoração. Por isso o rejeito. Ele não tem nada de diferente dos deuses gregos e nórdicos. Nem dos deuses tribais africanos.

    Assim, resolveu partir pra essa tática idiota de atribuir tudo a minha fé, dado que alegou que não viu os vídeos, também não tomou conhecimento das referências bibliográficas que eu cito. Se tivesse, veria que eu compartilho a mesma interpretação e fé que diversos autores e acadêmicos de renome.

    Chega, não vou mais te responder. Sua única argumentação é atribuir as evidências a minha interpretação enviesada e a minha fé ateísta. Não dá pra ficar perdendo tempo com galinha morta e com um cagão de merda que não tem coragem de assistir os vídeos.

    Boa, “jênio”!

    Eu achei nosso debate interessante.
    Tu apresentaste um argumento, digamos, curioso em que eu sem muito esforço refutei.
    Seria por isso que não achaste ele “tão bom”?

    Então continua a debater com o André Ruela, que a partir de agora nomeio com meu substituto.

    Pra cada

    “essa evidência é parte da sua interpretação e fé”

    Você vai ganhar um

    Você precisa trazer o outro lado da argumentação, senão seus argumentos não passam de mera opinião sem embasamento científico que se espera de um trabalho dessa magnitude”

    E olha só que maravilha: vocês poderão discutir ETERNAMENTE só com esses dois argumentos! Não é o máximo?!?!

    Abraços.

  213. Wagner Menke

    Já que não tem capacidade de refutar minha constatação que Javé é um ponto de vista de cada autor bíblico, conforme sua própria imagem,

    Wagner, acho que não entendeste o cerne da questão. TU é quem precisa comprovar que as diversas manifestações de Deus dado pelos seus profetas OBRIGATORIAMENTE significa que estas manifestações são reflexos individualizados e não manifestação do MESMO DEUS de formas diferentes. TU é quem precisa comprovar que para DEUS seria IMPOSSÍVEL se manifestar da maneira que bem deseja, ou seja, o ônus da prova está do seu lado porque és TU quem faz esta alegação.
    Quando pedes para eu “refutar” uma alegação sua que nem mesmo foi comprovada, está simplesmente invertendo o ônus da prova.

    Como eu disse, não precisarei acatar o teu argumento fundamentado em FÉ, como se fosse um fato pois tu NÃO COMPROVOU O QUE FALAS.

    Simplesmente fez uma INTERPRETAÇÃO do relato com a PRESSUPOSIÇÃO (fundamentado em fé) de que Deus não existe.

    Porém mesmo sem obrigação nenhuma, a refutação a este teu “dilema” é simplês: os diversos tipos de “descrições” apresentados nada mais é do que as diversas formas em que um Deus ILIMITADO se manifestou. Ponto.

    preferindo assim assumir a crença num deus que é um rei, marido, pastor, profeta, criador de cabras, assassino sanguinário, bondoso, misericordioso, desequilibrado, ávido por ser adorado, ciumento, ególatra, autoritário.

    Preciso dizer que esta tua afirmação além de ser uma calúnia, foi fundamentado em um espantalho?

    Calúnia pois não consegues comprovar a tua INTERPRETAÇÃO das evidências como o Fato que tu descreve
    Espantalho pois não busco obedecer a nenhum ser com estas características.

    nada digno de adoração. Por isso o rejeito.

    Deus sabe porque tu o rejeitas e tu também. Pois mais que tente se fazer de “inocente” a tua consciência o acusa.
    Ademas, se tu o rejeita ou se tu busca obedece-lo pouco me importa, visto que tuas opiniões não me influenciam em nada.

    Assim, resolveu partir pra essa tática idiota de atribuir tudo a minha fé, dado que alegou que não viu os vídeos, também não tomou conhecimento das referências bibliográficas que eu cito.

    Toda tua argumentação é embasado no pilar da FÉ de que Deus não existe.
    Através desta PRESSUPOSIÇÃO fundamentada em tua FÉ PESSOAL, tu interpreta as evidências a esta óptica.
    Como eu disse, tu apenas diz que as várias formas descritivas do mesmo Deus significa que na verdade foram formas individualizadas do ser humano por CRÊS QUE ELE NÃO EXISTE.
    Sendo cético a este posicionamento, pressupondo a existência Dele, estas evidências simplesmente mostram um Deus que se importa com a humanidade, manifestando-se de acordo com sua necessidade.

    Será que ainda não percebeu que toda sua argumentação fundamenta-se em

    Não dá pra ficar perdendo tempo com galinha morta e com um cagão de merda

    Minhas palavras o irritaram? Isso significa que elas o afetaram.
    Com este teu argumento passo a entender a tua frase anterior na qual dizia: “Isso são fatos. Dói, mas são fatos”

    Uma dica, aprenda a conviver com os fatos que se chocam com suas convicções. Aprenda a vencer a dor que elas podem te causar.
    Aprenda que por mais que ACHES que teu argumento foi “comprovado”, o FATO é que eles são fundamentados nada mais, nada menos, que uma CRENÇA, na qual pode ser correta ou não. (como as milhares e milhares de CRENÇAS que há por aí)
    Outro fato que provavelmente também deve te machucar, é que além da CRENÇA tu não possui mais nada, ficando com esta “duvida cruel” que nem mesmo com muitos estudos consegues saciar.

    Abraços.

  214. Marcio

    Está claro isso, é uma tática interessante. Só que “mata” um pouco a discussão.
    Assim ambos os argumentadores ficarão atados.

    Mas se meu propósito for deixar o outro argumentador “atado”, então cumpri o meu objetivo.

    Mas me diga, quando alguém quer agradar outro, deve saber das preferências pessoais dele. Como você sabe das preferências pessoais desse tal deus para poder agrada-lo?

    Tenho minhas formas de saber. Se quiser saber também, primeiro deverás se arrepender de seus pecados e depois procurará obedecer o Direcionamento de Deus que EMPIRICAMENTE se revelará a ti.

    Olha, pode calhar de você o estar irritando.

    Ou não.

    A outra é essa forma de escrever à moda de nossos patrícios. Mania esta adquirida provavelmente durante sua estada naquele blog criacionista português.
    Mas ficou chique! Creia-me!

    Agradeço o elogio.

    Abraços.

  215. Diogo:

    Mas se meu propósito for deixar o outro argumentador “atado”, então cumpri o meu objetivo.

    Pensei que o seu objetivo fosse refutar argumentos quando possível.

    tenho minhas formas de saber. Se quiser saber também, primeiro deverás se arrepender de seus pecados e depois procurará obedecer o Direcionamento de Deus que EMPIRICAMENTE se revelará a ti.

    Me enganei! Seu objetivo é fazer pregação religiosa.

    Abraços!

  216. Marcio

    Pensei que o seu objetivo fosse refutar argumentos quando possível.

    E ainda é. Mas para haver refutação, primeiro o outro lado devera COMPROVAR ou ao mínimo EVIDENCIAR o que afirma

    Me enganei! Seu objetivo é fazer pregação religiosa.

    Meu objetivo neste ponto foi exclusivamente responder a tua questão: “”Como você sabe das preferências pessoais desse tal deus (sic) para poder agrada-lo?””” que possuiu implicações religiosas

    Caso não deseje ouvir respostas com implicações religiosas então não realize perguntas com estas mesmas implicações. Simplês.

    Ou tu achas que responderei questões de cunho religioso sem utilizar a pressuposição religiosa?

    Caso sim, pergunto, não foi um pensamento ingênuo de tua parte?

  217. Diogo:

    E ainda é. Mas para haver refutação, primeiro o outro lado devera COMPROVAR ou ao mínimo EVIDENCIAR o que afirma

    Nem sempre, você pode simplesmente refutar com evidências contrárias.

    Meu objetivo neste ponto foi exclusivamente responder a tua questão: “”Como você sabe das preferências pessoais desse tal deus (sic) para poder agrada-lo?””” que possuiu implicações religiosas

    Caso não deseje ouvir respostas com implicações religiosas então não realize perguntas com estas mesmas implicações. Simplês.

    Ou tu achas que responderei questões de cunho religioso sem utilizar a pressuposição religiosa?

    Caso sim, pergunto, não foi um pensamento ingênuo de tua parte?

    Fui ingênuo sim!

    E sua retórica escapista está bem afiada.

  218. Marcio

    Nem sempre, você pode simplesmente refutar com evidências contrárias.

    Não teria a obrigação, afinal quem faz a alegação é quem precisa comprovar o argumento.
    Tome como exemplo tu, na qual alegou existir bebés no tempo do dilúvio.
    Se faz esta afirmação, eu não tenho nenhuma obrigação de refuta-la sem que antes consiga estabelecer evidencialmente o que alegas.

    Porém no caso do Wagner Menke, eu abri uma exceção e expus outro posicionamento.

    Ele disse, segundo a INTERPRETAÇÃO DELE, que as evidências demonstram um “deus” criado como um espelho do homem, apoiando-se em evidências Bíblicas (Ou FATOS bíblicos,segundo suas palavras)
    Porém eu simplesmente disse que aquelas MESMAS evidências (ou FATOS) demonstram uma manifestação singular, dado pelo próprio Deus, de maneiras diferentes a cada pessoa.
    Percebes? Mesma evidência com interpretações diferentes.

    Agora pergunto, o que ocasionou diferenças interpretativas “gritantes”? A PRESSUPOSIÇÃO FUNDAMENTADA EM FÉ

    Ele tem fé que o Deus bíblico não existe e que a Bíblia é uma fraude.
    Eu, em contra partida, tenho fé no Deus Bíblico e creio que a Bíblia é verdadeira.

    Mas tu podes alegar: “Então os dois estão empatados”
    Eu porém direi: “Não, a minha fé está em vantagem”

    Porque? Ora porque a fé dele é fundamentado NO MÁXIMO em ausência de evidências empíricas (pois evidências da existência de Deus existem de sobra)
    Eu, em contra partida, possuo evidências empíricas não só da existência dele como de sua identidade e atuação em minha vida.

    Com outras palavras a Fé dele é mais frágil e a minha é mais consolidada.

    E sua retórica escapista está bem afiada.

    Não é retórica escapista, é simplesmente a VERDADE.
    Se tu levanta questões religiosas, porque esperas que eu a responda sem recorrer a religião?
    Com sinceridade Marcio, porque acharias isso?

  219. Márcio (MAF),

    Que bom que você já percebeu a mesma coisa que eu. Sendo assim, escute meu conselho: existe, de fato, crentes com os quais valem a pena debater. Diego Morelli não é um deles.

    Ele ligou o piloto automático do argumento, que é o que você chama de escapismo.

    Toda e qualquer evidência, seja ela arqueológica, bíblica, etc, nunca e jamais poderá ser levantada como prova de que deus foi inventado. Segundo o referido papagaio de pirata, isso é culpa exclusivamente de nossas interpretações enviesadas das evidências. Fazemos isso porque temos fé que deus não existe.

    Percebe a evolução da argumentação religiosa? Antigamente, éramos nós que pedíamos evidências da existência de deuses. Eles diziam que a gente não conseguia provar que deus não existia. Aí, passamos a oferecer evidências. Agora a nova onda é dizer que temos viés de intepretação dessas evidências, dado que temos fé que deus não existe. Aí a gente vai além e mostra que essas interpretações são as mesmas de acadêmicos que tem extensas referências curriculares, a tática é se fazer de morto.

    Aliás, pergunto se você também percebeu a intenção pejorativa do termo “fé” que ele tanto tenta impor, sem nem mesmo considerar que isso atenta contra a própria fé dele mesmo. Isso só mostra que ele iniciou um louca cavalgada onde mandou às favas não só a importância das evidências, mas a importância da própria fé.

    Eu já vi crentes mais inteligentes. Esse aí prefere readaptar o próprio conceito de deus pra não dar o braço a torcer.

    Resumindo: se você alegar que deus é uma projeção mental de cada um, ele vai dizer que deus é multiforme. Se você mostrar que o deus dele se fundiu com outro deus pagão, ele vai dizer que isso só mostra o quão o deus dele é poderoso. Enfim, quase a mesma coisa que conversar com isso aqui.

    Recomendo deixa-lo no ostracismo, como os outros aqui já o fizeram.

    Grande abraço.

  220. Wagner Mente:

    Recomendo deixa-lo no ostracismo, como os outros aqui já o fizeram

    Acho que o MAF não é desses, ele tem um certo nível e respeito pelo adversário.

    Essa é a saída favorita da sua patota, adoram encerrar a discussão antes da hora na base do “você não está a minha altura para discutir”.

  221. Wagner Menke

    Que bom que você já percebeu a mesma coisa que eu. Sendo assim, escute meu conselho: existe, de fato, crentes com os quais valem a pena debater. Diego Morelli não é um deles.

    Tu me procuraste, lembra? Eu nem ao menos percebi tu que existias.

    Em verdade, com todo respeito, não vejo que uma pessoa que afirma que o Tetragrama “YHWH” é um NOME PRÓPRIO e que Elias ascendeu a céu em uma CARRUAGEM DE AÇO, tenha propriedade intelectual sobre o tema, suficientemente para chegar ao meu nível. (não tome como arrogância, mas como uma declaração sincera)

    Toda e qualquer evidência, seja ela arqueológica, bíblica, etc, nunca e jamais poderá ser levantada como prova de que deus (sic) foi inventado.

    As tuas “provas” foram as tuas INTERPRETAÇÕES de alguns relatos.
    INTERPRETAÇÕES que não são unanimidade no meio acadêmico.

    Não existe uma evidência sequer que PROVE que Deus foi inventado.
    Ou este argumento se baseia em interpretações fundamentadas em fé ou se baseia em ausência de evidência (como fazem os minimalistas Bíblicos)

    Aliás, pergunto se você também percebeu a intenção pejorativa do termo “fé” que ele tanto tenta impor, sem nem mesmo considerar que isso atenta contra a própria fé dele mesmo.

    Fé nada mais é do que “confiança”
    Tu podes confiar em algo lógico ou algo ilógico.
    Então o sentido da palavra fé poderá ser pejorativa ou apreciativo de acordo com o foco na qual ela é empregada.

    ,blockquote> Resumindo: se você alegar que deus é uma projeção mental de cada um, ele vai dizer que deus é multiforme.

    Errado. Eu apenas exigirei PROVAS (no sentido científico) desta tua alegação.

    Como tua “prova” foi tua interpretação de alguns relatos bíblicos, poderei dizer que estes mesmo relatos “provam” que Deus se manifestou de várias formas, segundo MINHA interpretação.

    Se você mostrar que o deus dele se fundiu com outro deus pagão, ele vai dizer que isso só mostra o quão o deus dele é poderoso.

    Errado. Simplesmente exigirei PROVAS (científicamente falando) desta “amostragem”

    Eu já vi crentes mais inteligentes.

    Os “crentes” que te ouviram e creram cegamente em teu ponto de vista, tendo FÉ em tí?
    Este tipo de “inteligencia” com todo respeito, desejo distância.

    Recomendo deixa-lo no ostracismo, como os outros aqui já o fizeram.

    Os teus seguidores, que possuem uma fé cega em ti, certamente acatarão as tuas recomendações sem questionar.

  222. Oh God!

    Diogo,

    Em verdade, com todo respeito, não vejo que uma pessoa que afirma que o Tetragrama “YHWH” é um NOME PRÓPRIO e que Elias ascendeu a céu em uma CARRUAGEM DE AÇO, tenha propriedade intelectual sobre o tema, suficientemente para chegar ao meu nível.

    Primeiro,

    Eu sou Javé, esse é o meu nome! (Isaías 42:8)

    Alguém ainda tem alguma dúvida de que Javé, ou Yahweh (pronuncia acadêmica de YHWH) é o nome do deus bíblico? É sério isso?

    A não ser que você esteja se referindo ao fato um tanto vergonhoso de que YHWH significa “EU SOU”, dado que, naquele tempo, saber o nome de um deus significava dominar esse deus, o que explica o medo de Javé de que descobrissem seu nome e sua preocupação de mantê-lo em segredo, conforme Gênesis 32:28-29. Aí eu tem entendo, nada mais humano do que isso.

    Segundo,

    Se Elias não ascendeu aos céus numa carruagem de ferro revestida de fogo, os comentaristas bíblicos conservadores devem estar loucos!

    É, já vi o nível do debate…

    As tuas “provas” foram as tuas INTERPRETAÇÕES de alguns relatos.
    INTERPRETAÇÕES que não são unanimidade no meio acadêmico.

    E você seria capaz de citar as interpretações adversas? Seria capaz de citar os argumentos daqueles que defendem que a Bíblia é a prova definitiva da existência de Javé, ou vai ficar só nas elucubrações e jogando palavras ao vento, sem nenhuma sustentação?

    Tá vendo aqui a diferença?

    Eu comento diversas passagens, cito autores que concordam comigo, e etc. Enquanto você se resume a dizer que “são minhas interpretações, e elas estão erradas”. Nada de evidências, nada de suporte, nada de nada. Assim é fácil.

    Não existe uma evidência sequer que PROVE que Deus foi inventado.

    E como é que você prova, por exemplo, que Zeus foi inventado? Não prova? Se não tem como provar, vai ter que adorá-lo.

    Enfim, garanto que minhas provas de que Javé foi inventando são infinitamente melhores do que as suas provas de que Zeus foi inventado. Fica o desafio.

    Fé nada mais é do que “confiança”
    Tu podes confiar em algo lógico ou algo ilógico.

    Claro, dado que Javé exibe comportamento e costumes de um judeu da Era do Bronze e dado que a Bíblia foi escritas por judeus da Era do Bronze, dado que acredita em seres fantásticos como o Leviatã, dado que conversa com seres imaginários como Adão e Eva, dado que incorpora o papel de quem o descreve (rei, pastor, marido), e dado que a sua própria fonte de evidência atenta contra o mesmo, o mais lógico é supor que ele foi inventado.

    Errado. Simplesmente exigirei PROVAS (científicamente falando) desta “amostragem”

    Tá no meu segundo vídeo. São as tábuas de textos religiosos de Ramshara, de Ugarit, confrontadas com os relatos bíblicos da Tanakh. Basta ver e conferir.

    Se não for assim, gostaria que me dissesse a sua INTERPRETAÇÃO para esse trecho específico:

    Eu sou Javé. E eu apareci a Abraão, a Isaque, e a Jacó, como o El Shadday; mas pelo meu nome, o Senhor, não lhes fui perfeitamente conhecido.

    Êxodo 6:3

    Favor atentar-se para a passagem original em hebraico colocada no link.

    Fico no aguardo.

  223. Wagner Menke

    Eu sou Javé, esse é o meu nome! (Isaías 42:8)

    Provavelmente utilizaste uma versão antiga de tradução(talvez porque foi mais conveniente a ti)

    Mas existem outras traduções que mais fiéis ao original:

    Isaías 42:8 – 8.

    Eu sou o SENHOR ; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor às imagens de escultura. (Almeia, corrigida e fiel)

    I {am} the LORD : that {is} my name: and my glory will I not give to another, neither my praise to graven images.
    (King James Version)

    Perceba que o tetragrama não é o NOME PRÓPRIO, mas sim um título para se referir ao Deus de Abraão, Isaac e Jacó.

    A não ser que você esteja se referindo ao fato um tanto vergonhoso de que YHWH significa “EU SOU”

    Percebes como tu mesmo já sabe a verdade? Que o tetragrama NÃO É o nome próprio de Deus?
    Se já sabes a verdade, mas diz mentiras, qual intuito faz isso? Para enganar os leigos ou para enganar a si mesmo?

    E você seria capaz de citar as interpretações adversas?

    Sim. inclusive citei resumidamente uma delas, na qual interpreta as diferentes manifestações de Deus como formas diferentes de se expressar.
    Obviamente que poderia produzir uma argumentativa melhor, menos resumida. Porém como este não é meu intuito, não vejo a necessidade.

    E como é que você prova, por exemplo, que Zeus foi inventado? Não prova?

    Está enganado. Tu provas uma NEGATIVA, demonstrando evidências CONTRÁRIAS que a refute.
    Por exemplo, um das evidências que ele não existe está na observação EMPÍRICA de seu suposto lar, ou seja, o Monte Olimpo.
    Basta observar para ver que não há nenhum palácio lá.
    Poderia citar outro bocado de evidências contrárias a existência dele, porém não é do meu interesse fazer isso (até porque demandaria muito tempo)

    Se Elias não ascendeu aos céus numa carruagem de ferro revestida de fogo, os comentaristas bíblicos conservadores devem estar loucos!

    O que os comentaristas pensam ou deixam de pensar, não importa. O que importa é o que está descrito nas escrituras, onde demonstra claramente que Elias ascendeu ao céu em um REDEMOINHO e o carro que apareceu na VISÃO de Eliseu foi de FOGO

    Claro, dado que Javé exibe comportamento e costumes de um judeu da Era do Bronze

    Sabe o que significa Antropomorfismo? Acredito que não.
    Caso soubesse não cometeria este equivoco

    e dado que a Bíblia foi escritas por judeus da Era do Bronze,

    Sabe o que significa Argumentum ad antiquitatem? Qualificar uma coisa de boa ou ruim somente porque é antiga.
    Se soubesse que cometeste uma FALÁCIA ao afirmar uma coisa deste tipo, certamente não cometeria o equivoco.

    dado que acredita em seres fantásticos como o Leviatã

    Está escrito “leviatã” porque o termo “Dinossauro” foi inventado muito tempo depois.

    dado que conversa com seres imaginários como Adão e Eva

    Bíblia os relata como REAIS.
    Tu crê que são imaginários provavelmente porque acredita que “macacos” viraram gente.

    A fé na macroevolução não faz parte dos relatos Bíblicos, mas sim é uma crença para quem deseja NEGAR a Bíblia.

    dado que incorpora o papel de quem o descreve (rei, pastor, marido),

    Não entendi este comentário.

    e dado que a sua própria fonte de evidência atenta contra o mesmo

    Atenta mesmo? Poderia citar esta fonte para ver se seu argumento de fato procede?

    o mais lógico é supor que ele foi inventado.

    Ou não. tudo dependerá das pressuposições (fundamentadas em fé) adquiridas.

    São as tábuas de textos religiosos de Ramshara, de Ugarit, confrontadas com os relatos bíblicos da Tanakh.

    Deixe entender esta lógica:
    Só porque a humanidade daquela época, possuía uma moralidade, digamos, mais dura, não lapidada, e que as leis para esta moralidade eram mais severas, significa que Deus ao adotar leis parecidas não existe?
    É lógico isso para você?

    Se não for assim, gostaria que me dissesse a sua INTERPRETAÇÃO para esse trecho específico:

    Eu sou Javé. E eu apareci a Abraão, a Isaque, e a Jacó, como o El Shadday; mas pelo meu nome, o Senhor, não lhes fui perfeitamente conhecido.

    Assim, um texto isolado de seu contexto?
    Tudo bem. Interpretarei se interpretar este outro texto, na mesma condição que me propõe (isoladamente de seu contexto):

    João 6:53
    “”Então Jesus os advertiu: “Em verdade, em verdade vos afirmo: se não comerdes a carne do Filho do homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida dentro de vós””

  224. Engraçado isso de Deus reclamar de “não ser conhecido” pelos seus pupilos. Bem dramático, né?

    Na verdade, quando ele mesmo desceu à Terra em forma humana o seu povo escolhido também não o reconheceu. E olha que eles já eram íntimos havia milênios… Que Deus supremo teria dificuldade em “se revelar” a quem quer que fosse?

    Isso é muito suspeito…

  225. Wagner Menke

    Acabei de saber, pelo André, que nós ateus temos níveis de exigências de provas para a existência de Deus, tão elevados, que ele, Deus nunca será capaz de preencher os requisitos.
    Não admira que Deus não tenha sido capaz de colocar preto no branco o que ele queria e tinha a dizer e que por isso tudo esteja essa bagunça até hoje, precisando de interpretação, contextualização, discussões sobre qual tradução é mais fiel…

    Eu se fosse os crentes demitia Deus por incompetência.

  226. Se for por questão de interpretação da “palavra”, o cristianismo é uma idiotice com registro em cartório, porque os judeus, que têm a interpretação definitiva do texto, pois foi escrito na sua própria língua, não reconheceram Jesus como sendo quem ele dizia ser.

  227. Diogo,

    Provavelmente utilizaste uma versão antiga de tradução(talvez porque foi mais conveniente a ti)
    […]
    Perceba que o tetragrama não é o NOME PRÓPRIO, mas sim um título para se referir ao Deus de Abraão, Isaac e Jacó.

    Eu usei a versão original, em hebraico. Tava no link junto com o texto. Mas como você é um crente birrento, não o abriu. Vai lá e veja. Deixe de ser um cagão.

    Segundo, a palavra ‘ădônây (אדני) é que significa “Senhor”. Ocorre que nessas Bíblia que você citou, justamente a palavra Javé (Yahweh) é que foi substituída indevidamente pela palavra “Senhor”.

    Se tivesse visto meu segundo vídeo saberia disso. Deixe de ser um cagão.

    Se já sabes a verdade, mas diz mentiras, qual intuito faz isso? Para enganar os leigos ou para enganar a si mesmo?

    Então PROVE que é mentira. Se não percebeu, ninguém aqui vai se convencer na base de proselitismo barato.

    Por exemplo, um das evidências que ele não existe está na observação EMPÍRICA de seu suposto lar, ou seja, o Monte Olimpo.
    Basta observar para ver que não há nenhum palácio lá.
    Poderia citar outro bocado de evidências contrárias a existência dele, porém não é do meu interesse fazer isso (até porque demandaria muito tempo)

    Ouwww, chegamos a algum lugar, finalmente!

    Acredita-se que a morada de Javé seja um palácio em que a divindade em pessoa está sentada num trono (Salmos 11:4). e os habitantes do Céu alimentam-se de pão e cobrem-se com vestes de puro linho branco (Salmos 78:25; Esdras 9:2; Daniel 10:5). Javé desce até o Sinai (literalmente, Ex. 17-19), e Elias ascende ao Céu numa carruagem (literalmente, 2 Reis 2, conforme eu já havia dito). Javé olha do alto dos céus para os humanos, e as pessoas olham para o Céu acima ao orarem (veja Sal. 14).

    E aí te pergunto: você já viu essa morada cósmica no céu?

    Você estaria disposto a aplicar os mesmos critérios que usa pra julgar Zeus a Javé?

    Sabe o que significa Antropomorfismo? Acredito que não. Caso soubesse não cometeria este equivoco.

    Claro que sei. É o mesmo mal que aflige os deuses que você rejeita. Por isso seu deus não é diferente dos demais. A diferença é geográfica e cultural. Zeus é um grego, Thor é um nórdico e Javé é um judeu.

    Está escrito “leviatã” porque o termo “Dinossauro” foi inventado muito tempo depois.

    Bom, aqui eu gostaria de gastar um pouco de tempo porque você parece ter despirocado de vez. Como disse Wellington, “quem acredita nisso acredita em qualquer coisa”. E lógico que você não citou nenhuma fonte confiável pra suportar essa informação porque ninguém que tenha zelo pela sua reputação publicaria uma insanidade dessas.

    A palavra que se traduz em Leviatã no AT é livyâthân (לויתן). É o mesmo monstro cósmico que fora inimigo de El Shadday. Se tivesse visto meu segundo vídeo saberia. Deixe de ser um cagão e assista. O Leviatã era uma personificação do mar, uma espécie de serpente marinha, já que os inimigos cósmicos eram representados como dragões e serpentes no mundo antigo.

    Agora você vem me dizer que a Bíblia está se referindo a dinossauros??? Vejamos então como ficariam esses versos onde a palavra לויתן aparece:

    Jó 3:8 Amaldiçoem-na aqueles que amaldiçoam os dias, que são peritos em suscitar o “dinossauro”.
    Jó 41:1 Poderás tirar com anzol o “dinossauro”, ou apertar-lhe a língua com uma corda?
    Salmos 74:14 Tu esmagaste as cabeças do “dinossauro”, e o deste por mantimento aos habitantes do deserto.
    Salmos 104:26 Ali andam os navios, e o “dinossauro” que formaste para nele folgar.
    Isaías 27:1 Naquele dia o Senhor castigará com a sua dura espada, grande e forte, o “dinossauro”, a serpente fugitiva, e o “dinossauro”, a serpente tortuosa; e matará o dragão, que está no mar.

    Agora interprete essas passagens como leviatã sendo uma criatura marítima como uma serpente e verá o tamanho da bobagem que você disse atribuindo a mesma a “dinossauros”. Aff…

    A fé na macroevolução não faz parte dos relatos Bíblicos, mas sim é uma crença para quem deseja NEGAR a Bíblia.

    Para os crentes fundamentalistas (e obscurantistas) sim. Para maioria, não. Inclusive a Pontifícia Universidade da Igreja Católica já a declarou como um fato cientificamente comprovado.

    Tudo bem. Interpretarei se interpretar este outro texto, na mesma condição que me propõe (isoladamente de seu contexto):
    João 6:53
    “Então Jesus os advertiu: “Em verdade, em verdade vos afirmo: se não comerdes a carne do Filho do homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida dentro de vós”

    Segundo o que eu sei, nessa passagem Jesus dá o segredo da sua vida. No início do Seu ministério, disse que o homem não vive só de pão, mas da palavra de deus. Aqui ele vai mais longe e diz que ele não vivia apenas com as palavras de deus, mas pelo próprio deus. Assim, Jesus, descreve o pão da vida como a sua carne, que ele daria para a vida do mundo. Obviamente carne é o que passou pela morte. Mas a alma cristã não habitava exclusivamente sobre a morte de Jesus, mas sobre a vida dele, que morreu. É o ressurreto Jesus, que morreu (supostamente) pelos pecados, mas a quem deus exaltou à Sua mão direita, que deve encher nossos pensamentos.

    Apesar de achar tudo isso uma bobagem, a minha interpretação é essa. Não fiz uma interpretação isolada porque eu sei o contexto dela.

    Agora é a sua vez. E não finja que não sabe o contexto. Mas se não souber de verdade, deixe de ser um cagão e assista meu segundo vídeo.

    Abs

  228. Ah, Shirley, e eu acabei de saber pelo Diogo que os critérios que ele usa pra rejeitar os outros deuses não se aplica a Javé. Inclusive o pobre coitado dá a entender que os judeus conviveram com os dinossauros. Como um “Flinstones” do Oriente Antigo!

    Percebe porque esse povo crê em Javé? Tudo culpa do obscurantismo e do desprezo pelo conhecimento humano.

  229. Wagner Menke

    Você não sabe da missa a metade. Não é só que o Azetech acredita que os judeus conviveram com os dinossauros. Os bichos foram embarcados na Arca e ainda estão entre nós. Você sabia que os fósseis marinhos encontrados nos cimos de montanhas são resultado da elevação das águas do Dilúvio? Não né? e nem o resto do mundo, esse é um conhecimento exclusivo dos bíblias ortodoxos do grupo do Azetech.
    Aliás eles têm uma explicação para como foi possível que as águas cobrissem toda a Terra: ao contrário do que os estudos indicam, no passado as montanhas não foram até mais altas que o Everest, foram muito mais baixas. Mas quer ver o Azetech subir a serra é falar em métodos de datação. Para ele datação por isótopos, estratigráficas, seriação, Varvas, critérios biológicos, é tudo matéria de fé. Ou invenções maléficas para tentar corromper o ensinamento bíblico.

  230. Uau hein Shirley?! Isso porque ele é cético… cético em relação a tudo que contraria sua fé, vamos combinar.

    É melhor deixar pra lá mesmo. Não sei pra que fui entrar nessa. Me acusou de cometer Red Herring mas me fez perder um tempo extenso discutindo se Elias ascendeu aos céus numa carruagem de ferro ou de fogo ao invés de explicar porquê não acredita em Zeus só porque ele visivelmente não mora no Olimpo, embora esteja escrito, e explicar porque acredita em Javé sendo que ele não tem sua morada cósmica acima das nuvens, embora isso também esteja escrito a seu respeito.

    Aliás, essa não foi a única indagação que ele deixou passar batido. Praticamente todas as outras que ele derrapou feio quanto à utilização da Bíblia:
    1) 1) O nome de Javé;
    2) 2) A adequação dos dinossauros nas passagens que eu citei;
    3) 3) A interpretação de Êxodo 6:2-3;
    4) 4) O fato de Javé ser um judeu, assim como Zeus ser um grego e Thor um nórdico;
    5) 5) Etc.

    Mas o pior de tudo é ele ficar tentando o tempo todo dizer que as interpretações de todo mundo que estuda a bíblia à sério estão erradas, e que a única forma correta de interpretar é a dele. Me diz se isso é ou não é coisa de fundamentalista?

    Grande abraço!

  231. Shirley e Wagner Menke,

    Li em algum lugar “Você não pode ler a Bíblia como um simples livro, é preciso ter Fé para entender e acreditar em tudo que está escrito.

    Pois existem regras para ler a bíblia e elas são ditadas pelos crentes conforme sua “determinação”, senão você não vai entender e nem acreditar. Então penso que para ler a bíblia é preciso ser convertido e ter fé, caso contrário sua perspicácia racional põe tudo a perder, quer dizer que para ler o livro sagrado você deve se abster da sua inteligência e se deixar ser movido pela cegueira da fé.
    Se você a ler e não passar e pensar como eles, sua opinião não tem valor a não ser que você concorde e adote sua linguagem como preceitos de vida. Tem que acreditar, tem que acreditar, tem que acreditar, é uma ordem.

    A bíblia é “O livro”, e o que estiver escrito fora dela não condiz com a verdade, ok? É pecado não acreditar na palavra do Deus deles.

  232. Wagner Menke

    Houve outro comentário teu direcionado a minha pessoa neste outro post, que passou desapercebido a meus olhos.
    Perdoe-me o atraso em responde-los:

    Eu usei a versão original, em hebraico.

    “”Eu sou Javé, esse é o meu nome!”” não está em hebraico, está em Português.
    Não consegues diferenciar o Hebraico de Portugues?

    Tava no link junto com o texto.

    Não me referi ao anexo, me referi a TRADUÇÃO.
    Somente traduções antigas (ou as espanholas) NÃO TRADUZIRAM também a palavra “Javé”, dando a falsa impressão de ser um nome próprio (o que de fato não é)

    Como fizeste o mesmo, deduzi que tivesse utilizado uma delas.

    Porém como dizes ter traduzido DIRETAMENTE do Original, porém não traduziste o tetragrama pelo sentido que ele representa (para dar a falsa impressão de ser um nome próprio) foste desonesto.

    Mas como você é um crente birrento, não o abriu. Vai lá e veja. Deixe de ser um cagão.

    Deixe de ser birrento, se comportando como uma criança, e evite utilizar palavras “chulas” a minha pessoa.

    Segundo, a palavra ‘ădônây (אדני) é que significa “Senhor”. Ocorre que nessas Bíblia que você citou, justamente a palavra Javé (Yahweh) é que foi substituída indevidamente pela palavra “Senhor”.

    O ponto é que tanto “Adonai” como “Javé” não são nomes próprios, ao contrário do que tu, erroneamente anuncia.

    Então PROVE que é mentira.

    Tu mesmo admitiu isso ao saber que o tetragrama NÃO É um nome próprio:

    “A não ser que você esteja se referindo ao fato um tanto vergonhoso de que YHWH significa “EU SOU””

    Se admitiste que não é um nome próprio, mas alegas contraditoriamente que sim, das duas, uma:

    Ou és débil ou mentiste.

    Acredita-se que a morada de Javé seja um palácio em que a divindade em pessoa está sentada num trono (Salmos 11:4).
    e os habitantes do Céu alimentam-se de pão e cobrem-se com vestes de puro linho branco (Salmos 78:25; Esdras 9:2; Daniel 10:5). Javé desce até o Sinai (literalmente, Ex. 17-19), e Elias ascende ao Céu numa carruagem (literalmente, 2 Reis 2, conforme eu já havia dito). Javé olha do alto dos céus para os humanos, e as pessoas olham para o Céu acima ao orarem (veja Sal. 14).
    E aí te pergunto: você já viu essa morada cósmica no céu?
    Você estaria disposto a aplicar os mesmos critérios que usa pra julgar Zeus a Javé?

    Tua pressuposição errônea o fizeste cair em erro.
    Qual pressuposição? Assumir SEM PROVAS, que todas ilustrações descontextualizadas acima tratou-se de alegações LITERAIS.

    No caso de Zeus, a sua suposta morada é LITERALMENTE no monte olimpo, pois o próprio relato se demonstra LITERAL.
    Já no caso do Deus Bíblico, não é o caso, pois muitas alegações são “espirituais” ou “Metafóricas” (como teus exemplos citados acima)

    Um exemplo clássico, é Jesus dizendo para comer o seu “corpo” e beber o seu “sangue”
    Se for interpretar do modo que fazes, diria que Jesus defende o antropofagismo.

    Claro que sei. É o mesmo mal que aflige os deuses que você rejeita.

    Esclarecendo, Antropomorfismo, nada mais é, do que uma forma de linguagem que atribui características de uma natureza a entidades de OUTRA natureza.
    Por exemplo, aspectos humanos a Deus

    Isso não significa que Deus seja humano, mas sim que METAFORICAMENTE ele foi referido como o tal.

    Por isso seu deus não é diferente dos demais.

    Deus é ÚNICO, espírito, onisciente, onipresente, onipotente e ETERNO
    Zeus possui forma HUMANA, MATERIAL, com ciência, presença e poderes limitados e teve uma ORIGEM.

    O mesmo vale-se para 99,99% dos deuses já inventados pelos homens, que igualmente a Zeus possuem as mesmas características.

    Se acha que há similaridade entre Deus e os demais deuses, digo que precisará estudar mais afinco o assunto, para perceber a CLARA e NÍTIDA diferença que há entre eles.

    A diferença é geográfica e cultural. Zeus é um grego, Thor é um nórdico e Javé é um judeu.

    Deus não é Judeu, ele é UNÌCO por definição
    .
    Acho que está a se referir nos povos que os cultuavam, no caso os Gregos em Zeus, os nórdico em ODIN e os Judeus e agora os cristãos, em YHWH.

    Porém vem a questão, onde isso comprova que YHWH não existe?
    Se eu crer que a terra é plana, e outros povos que ela é quadrada, porém um povo crê que ela é uma esferoide, isso significa que ela não é nem plana, nem quadrada e nem esferoide?

    Percebe a fragilidade do seu raciocínio?

    Bom, aqui eu gostaria de gastar um pouco de tempo porque você parece ter despirocado de vez.

    Para um louco, uma pessoa normal é louca. Não se esqueça disso.

    Como disse Wellington, “quem acredita nisso acredita em qualquer coisa”.

    E quem acredita que de uma suposta explosão desordenada, o universo se formou? Que uma poça de lama organizou-se SOZINHA, e tornou-se vida? Ou que informação CODIFICADA, surgiu pela aleatoriedade? Ou que tempo foi capaz de transformar “amebas” em seres humanos, dinossauros em pássaros e “vacas” em baleias?

    E lógico que você não citou nenhuma fonte confiável pra suportar essa informação porque ninguém que tenha zelo pela sua reputação publicaria uma insanidade dessas.

    A própria fonte confiável é a DESCRIÇÃO destes seres.
    Basta visualizar a forma descritiva para perceber que trata-se de dinossauros.
    Ademas, tu também não possui nenhuma fonte confiável para suportar a idéia que eles não eram dinossauros. Então o caso fica no âmbito da tanto para o seu lado como para o meu.

    A palavra que se traduz em Leviatã no AT é livyâthân (לויתן). É o mesmo monstro cósmico que fora inimigo de El Shadday.

    Leviatã é LITERALMENTE um dinossauro aquático e FIGURATIVAMENTE monstro cósmico.
    Tudo dependerá o contexto que a bíblia o apresenta.

    Este teu argumento é tão inocente que seria o mesmo que eu dizer que “TIGRES ASIÁTICOS” só significam os orientais e que não existe NENHUM tigre que habita na ásia.

    Jó 3:8 Amaldiçoem-na aqueles que amaldiçoam os dias, que são peritos em suscitar o “dinossauro”.
    Jó 41:1 Poderás tirar com anzol o “dinossauro”, ou apertar-lhe a língua com uma corda?
    Salmos 104:26 Ali andam os navios, e o “dinossauro” que formaste para nele folgar.

    Relatos literais, referindo a uma espécie aquática colossal já extinta (dinossauro)
    No meu exemplo acima, estes seriam os “tigres que nascem na ásia”

    Salmos 74:14 Tu esmagaste as cabeças do “dinossauro”, e o deste por mantimento aos habitantes do deserto.
    Isaías 27:1 Naquele dia o Senhor castigará com a sua dura espada, grande e forte, o “dinossauro”, a serpente fugitiva, e o “dinossauro”, a serpente tortuosa; e matará o dragão, que está no mar.

    Relatos figurativos, referindo-se a povos, nações ou seres espírituais.
    No meu exemplo acima, estes seriam os “TIGRES ASIÁTICOS”

    Para os crentes fundamentalistas (e obscurantistas) sim. Para maioria, não.

    Cuidado que mais um passo adiante tentarás nos acusar também de criminosos, nos sentenciando a morte.(Não muito diferente dos argumentos utilizados pelos comunistas (ateus) ao tentar estabelecer um estado ATEU livre dos indesejados e odiados obscurantistas criminosos)

    Inclusive a Pontifícia Universidade da Igreja Católica já a declarou como um fato cientificamente comprovado.

    “Macro-evolução” como CIENTIFICAMENTE COMPROVADO????
    Tens noção o que esta palavra representa?

    Segundo o que eu sei, nessa passagem Jesus dá o segredo da sua vida. No início do Seu ministério, disse que o homem não vive só de pão, mas da palavra de deus.

    Tu teve o sentido da palavra porque manteve estas frase no CONTEXTO que elas apresentam.
    Se tu não conhecesse o início do seu ministério, apenas interpretando estes trechos ISOLADAMENTE, terias o sentido errôneo que Jesus pregou o canibalismo.
    Foi exatamente neste ponto que eu queria chegar. Vocês utilizam de textos fora de seus contextos para dar um sentido falso ao que aquele texto de fato afirma.

  233. Caro Diogo,

    Pra mim já basta. Você efetivamente me convenceu.

    Percebi que foi um grande erro de minha parte debater com você. Não vou mais ficar me esforçando pra buscar evidências e ter como respostas apenas conjecturas sem fundamento algum.

    É notório pra qualquer estudante de teologia meia boca que YHWH é o nome do deus bíblico. Bem como chamar o Leviatã de dinossauro foi a coisa mais estúpida que um dia eu poderia imaginar que sairia da boca de um crente.

    Se te faz feliz, fique com suas crenças. Só é notório que elas fazem parte de um pequeno secto fundamentalista sem qualquer embasamento em fatos ou evidências.

    Quem efetivamente assistiu meus dois vídeos vou que apresentei evidências de tudo o que eu disse aqui.

    Enfim, abraços e felicidades.

  234. Wagner Menke

    Não vou mais ficar me esforçando pra buscar evidências e ter como respostas apenas conjecturas sem fundamento algum.

    Está enganado, sou EU quem não está aceitando a tua interpretação destas evidências que não possuem comprovações ou embasamento.
    Tu está tentando me “convencer” na base do proselitismo, a aderir a sua visão como um FATO, sendo que o mesmo fundamenta-se em crenças e Fé.

    É notório pra qualquer estudante de teologia meia boca que YHWH é o nome do deus bíblico.

    Sou um estudante de teologia e muitos como eu não “notam” esta alegação.
    Porque? por três motivos:

    1º Pelo sentido que a palavra possui (Eu Sou)
    2º Pelo idioma que ela foi pronunciada (Hebraico)
    3º Pelo fato de Deus ser referido por vários títulos, com “El Shaday”, “El Elyon” e muitos outros.

    Se te faz feliz, fique com suas crenças.

    Porque eu trocaria minhas convicções fundamentadas por comprovações empíricas, pelas tuas crenças que nem mesmo conseguem se estabelecer empiricamente (sendo fundamentados em teu “achismo”)?

    Só é notório que elas fazem parte de um pequeno secto fundamentalista sem qualquer embasamento em fatos ou evidências.

    Argumentum ad populum é uma falácia.

    Mesmo que o MUNDO TODO assuma um posicionamento errado, e apenas uma ÚNICA pessoa assuma o correto, o correto não se tornará errado só porque a maioria acredita.

    Quem efetivamente assistiu meus dois vídeos vou que apresentei evidências de tudo o que eu disse aqui.

    Acho que não entendeste meu ponto.

    Nunca neguei que apresentaste evidências em seus vídeos ou em seus argumento.
    Apenas neguei a forma como tu INTERPRETA estas evidências.
    Se perceber AS MESMAS evidências que citaste, são as que eu utilizo, porém com uma explicação completamente diferente.

  235. Diogo,

    Achei algo interessante,

    Já havia me referido sobre uma pesquisa que fala sobre as criança intuitivamente enxergarem design.

    Mas o mais interessante é que as crinaças não se baseiam em antropoformismo para crer num criador do mundo que elas observam.

    Algumas descobertas recentes sugerem que dois aspectos fundamentais da crença religiosa – a crença em agentes divinos, e a crença no dualismo corpo-mente – existe naturalmente nas crianças.
    [Paul Bloom, “Religion is natural,” Developmental Science , 10:1, pp 147-151 (2007)]

    “Esses resultados oferecem um apoio adicional para a teoria de que no desenvolvimento de um conceito de Deus, as crianças ainda jovens diferenciam Deus dos humanos e resistem em incorporar certos aspectos do conceito humano com o seu conceito de Deus.”

    “Eles observam como os vários “estudos sugerem que as crianças podem representar algumas das características de Deus, como a imortalidade, o poder criativo, e onisciência muito facilmente e de forma bastante diferente de suas representações humanas.”
    [Rebekah A. Richert and Justin L. Barrett, “Do You See What I See? Young Children’s Assumptions About God’s Perceptual Abilities,” The International Journal for the Psychology of Religion , 15(4), 283-295 (2005).]

    “Ela [ Deborah Kelemen] sugere que os jovens podem ser “‘teístas intuitivos’ –predispostos a interpretar objetos naturais como se eles fossem artefatos não-humanos; produtos de design não-humano”.

    “Ela [também] conclui que essa tendência deve ser combatida por educadores da ciências:
    O que a revisão de pesquisas de desenvolvimento cognitivo recente revela é que, por cerca de 5 anos de idade, as crianças a entender os objetos naturais como não humanamente causado, podem raciocinar sobre os estados mentais dos agentes não-naturais e demonstrar a capacidade de ver objetos em termos de design . Por fim, as evidências de crianças entre 6 e 10 anos sugere que as atribuições de propósito para a natureza das crianças se relacionam com as suas ideias a respeito de causalidade intencional não-humana….(…)”
    [Deborah Kelemen, “Are Children ‘Intuitive Theists’?: Reasoning about Purpose and Design in Nature,” Psychological Science , 15(5):295-301 (May, 2004).]

    “As crianças não raciocinam sobre as crenças de Deus em termos humanos. As crianças parecem intrinsecamente capazes de pensar em Deus de maneiras que são diferentes de como eles pensam sobre as outras pessoas.”
    [Nicola Knight, Paulo Sousa, Justin L. Barrett, Scott Atran, “Children’s attributions of beliefs to humans and God: cross-cultural evidence,” Cognitive Science , 28: 117-126 (2004).]

    Um artigo de 2001 em Psicologia Cognitiva conclui que enquanto os pais e as comunidades podem ter uma profunda influência sobre o que as crianças acreditam sobre origens, do ensino médio alunos do ensino fundamental tendem a crenças criacionistas mesmo quando essas crenças não foram ensinadas pelos pais:

    “Pré-adolescentes (11 a 13 anos), como seus pais, abraçaram as crenças dominantes de sua comunidade, sejam elas criacionista ou evolucionista. Seus irmãos mais novos, especialmente aqueles dos anos do ensino fundamental médio (8 a 10 anos) eram mais propensos a serem exclusivamente criacionistas, independentemente da sua comunidade de origem. As primeiras crianças do ensino fundamental (5 a 7 anos) aprovaram o criacionismo mais fortemente, como se fossem a uma escola fundamentalista, ou como se eles fossem lembrados de explicações criacionistas, como em medidas de escolha forçada.”
    [Margaret Evans, “Cognitive and Contextual Factors in the Emergence of Diverse Belief Systems: Creation versus Evolution,” Cognitive Psychology , 42: 217-266 (2001).]

    Para nós teísta nada demais… Afinal disse Jesus: Deixai vir a mim os pequeninos, pois DELES É o Reino dos Céus…

    Isso por que estes pequeninos sabem muito bem diferenciar o conceito de Deus! … So much cool :D

  236. E por falar em design, em complexidade irredutivel,engenharia…

    Eu de vez enquando leio o science daily.

    E hoje encontrei por lá o que é muito comum no conceito de ID, a saber IC, maquina, engenharia e etc…

    Trechos de “Structure of molecular machine that targets viral DNA for destruction determined”…

    “As bactérias desenvolveram [para um evo quer dizer acidentalmente, por acaso, aleatoriamente, por sorte] sistemas imunológicos sofisticados para se defender de vírus. Agora temos um modelo molecular preciso de uma máquina de vigilância que é fundamental para a defesa viral”, disse Wiedenheft.”

    Segue: “”A estrutura desta máquina biológica é conceitualmente similar ao projeto de um engenheiro, e ele explica como cada uma das partes deste complexo monta-se em um complexo funcional que identifica de forma eficiente o DNA viral quando ele entra na célula”, disse Wiedenheft. “Esta máquina de vigilância consiste em 12 partes diferentes e cada parte da máquina tem um trabalho distinto. Se PERDEMOS uma parte da máquina, ele não funciona.”

    http://www.sciencedaily.com/releases/2014/08/140807154143.htm

    Quando Wiedenheft diz que, Se PERDEMOS uma parte da máquina, ele não funciona;

    Ele esta dizendo que o mecanismo é irredutivelmente complexo. A maquina é irredutivelmente complexa.

    Obviamente que para Wiedenheft a maquinaria evoluiu acidentalmente, aleatóriamente, passo a passo, sem direção…

  237. JephSimple

    Já havia me referido sobre uma pesquisa que fala sobre as criança intuitivamente enxergarem design. (…) Isso por que estes pequeninos sabem muito bem diferenciar o conceito de Deus! … So much cool :D

    Muito interessante estas pesquisas irmão. Procurarei mais afinco este assunto, pois o tema me agradou.

    Referente ao Antropoformismo dito por mim em resposta ao Wagner, foi voltado mais para os relatos Bíblicos do que a percepção humana de Deus em si.

    Em um de seus vídeos, é alegado que Deus LITERALMENTE possui órgãos humanos, como mãos e nariz por exemplo.
    Foi neste ponto que citei que a Bíblia utilizava de uma linguagem antropoformica, relatando características NÃO LITERAIS de Deus, explicados de forma que possibilitem aos humanos entendê-las.

    Abraços.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: