Política de Conduta do DeusILUSÃO

 política de conduta

*

Em 25/08/2014 10:38  Irineu Costa Junior escreveu:

Caro Barros,

Para seu conhecimento e como crítica construtiva, venho relatar minha infeliz experiência em minha participação no fórum “Jesus está voltando“.

Como já havia dito no post, o nível de alguns comentários é baixíssimo, ofensivo e de cunho pessoal, como no caso específico do André. E vê-se que muitos dos participantes entram na dele, rebaixando-se e respondendo no mesmo nível.

Como o André deixa transparecer em seus comentários, não parece haver real interesse dele em defender os papas, ou a fé católica, ou mesmo o cristianismo, mostrando ser apenas elemento polemizador e agitador para – como ele mesmo afirma – “dar audiência” no blog, sendo que, para tanto, usa de falsidade, fato que eu relatei no post mas ninguém sequer se dignou a “dar bola”.

No mínimo, entendo que ele deveria ser severamente advertido por sua conduta imprópria e, caso persistisse, ter seus comentários bloqueados, ou, até mesmo, a sua participação proibida.

Para mim (e espero, sinceramente, que você concorde), é essencial o respeito, a seriedade, a franqueza e o bom nível de tratamento e relacionamento entre os participantes, e não o uso de artifícios do tipo para “incentivar” a participação.

À vista disso, venho reclamar providências de sua parte, como administrador do blog, para que sejam, de alguma forma, sanadas essas pendências apontadas, demonstrando, assim, que não há conivência ou anuência sua neste quesito específico, pois, quanto a mim — não sei se para você é importante ou não a minha participação — , deixo registrada minha indignação e falta de desejo e incentivo em continuar a participar.

Atenciosamente,
Irineu Costa Junior

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Em 25/8/2014 13:00, DeusILUSÃO escreveu:

*

Olá, Irineu.
*
Sua participação é importante nos comentários, seja discutindo os meus textos ou apenas debatendo sobre religião, que é o tema do meu blog. Também acredito que o respeito e a seriedade são fundamentais para se manter um bom nível de qualquer debate. Justamente por isso, eu não debato com qualquer um.
*
Como você já sabe, no blog não há moderação de comentários. E não tenho “funcionários” para analisar cada frase de cada texto para verificar se é ou não potencialmente ofensiva a quem quer que seja. Espero que entenda esse ponto. Mas se eu observasse, por exemplo, que um participante publica, repetidas vezes, comentários sem nenhuma relação com os temas propostos, sendo apenas gratuitamente ofensivo, fazendo uso de palavrões, etc., pura e simplesmente por causa de não haver moderação, aí certamente aquele participante seria bloqueado, tal e qual o site já faz automaticamente com qualquer spam.
*
Nos demais casos, como é o caso em pauta, eu prefiro deixar que os próprios participantes percebam que não vale a pena discutir com uma pessoa específica, e, como sempre acontece, aquela pessoa acaba por não voltar mais. Mas se os demais participantes dão e continuam dando atenção a um comentarista em particular (como é o caso com o André), e continuam a discutir com ele, não vejo por que tenha que ser eu a me intitular o baluarte da moral e dos bons costumes só por ser o administrador do blog, e escolher bloquear aquele que seria supostamente o lado podre da discussão. Seria obviamente uma censura. E eu seria o censor. Não me sentiria confortável nessa posição, e sei que não estou lidando com crianças de cinco anos de idade. Acho que o comportamento mais inteligente é não ler mais o que determinada pessoa escreve, e não se dirigir mais a ela.
*
Entretanto, tendo em vista este seu e-mail, bem como algumas críticas da leitora Maria, eu vou publicar em breve um texto falando sobre a “política do blog“, criando essa aba específica sobre isso, em substituição à atual “Comunicar erros”.
*
Espero que, quando esse texto for publicado, você dê sua opinião lá sobre o que achou da minha decisão.
*
Grande abraço, e obrigado pelo contato.
*
Barros

 “Bem-vindo ao mundo real”

 *

Ao contrário do que possa sugerir,

Política de Conduta do DeusILUSÃO

não se refere ao comportamento esperado

dos leitores do blog,

mas do seu Autor.

*

Anúncios

161 Respostas

  1. A aba Política de Conduta, lá no alto da página, acima do cabeçalho com o nome do blog, ainda está em construção.

    Publicarei um aviso no dia da sua inauguração.

    Quando falares, procura fazer com que as tuas palavras sejam melhores do que o teu silêncio.”

  2. Pois é, Sr. Irineu, deu com os burros n’agua. Você é da turma dos “baixo assinados”, dos “piquetes”, dos “slogans”, mas felizmente, o Barros não é criança, sabe que aqui cada um sabe cuidar de si mesmo.

    Ainda se a Ana Júdice tivesse pedido providências, eu entenderia, pois ela foi diretamente envolvida. Mas logo você, que acabou de chegar e não tem a menor idéia do que se passou antes da sua chegada, é vergonhoso.

    Que aprenda a lição, se quiser continuar aqui, seja bem-vindo, mas saiba que o ambiente é para adultos. Se for se ofender com os comentários, é melhor ir ver a novela.

  3. Concordo com o Barros, se um leitor usa de linguajar chulos contumazes e diretamente ofensivos contra seus oponentes ele deve ser considerado desqualificado a qualquer tipo de discussão, não vejo esse sendo o caso em questão.
    Vamos parar com o mimimimimimi e bola pra frente.

  4. Barros

    Nada a reclamar de você é claro, uma pessoa que respeito e sempre darei razão às suas decisões, mesmo porque inclusive eu concordei com o afastamento ou bloqueio do Andre Lopes, mas, você é o juiz do seu espaço de tantos anos e sua solução nos dará mais conforto aqui, não pelo fato de estar tomando partido, o que não vem ao caso a não ser que ache conveniente, mas pelo seu direito de decisões em respeito a ordem junto ao seu Deusilusão.

    Acontece que, quando o Irineu entrou aqui havia uma crise, ou melhor, uma explosão motivada pelos palavrões do Andre dirigidos a mim pelo fato de eu ter citado os escândalos dos Papas na Baixa Idade Média e que ele por ignorância ou teimosia não aceitou, porque no fundo no fundo prefere que todos os acontecimentos entre muros do Vaticano sejam abafados para sempre como se nada tivesse acontecido ou não tivesse refletido negativamente na moral e credibilidade da sociedade.

    Desde quando essa pessoa começou a participar como comentarista já entrou com o propósito de se destacar pessoalmente com objetivo de se auto promover desequilibrando as discussões, criticando, depreciando e ironizando pessoas por sua linha de pensamento e conduta, por isso comecei a dar respostas a altura, que, foi quando errei, pois senti que ao reagir em defesa própria estava me nivelando com os meios operantes do personagem, inclusive poderia estar cutucando sua ira sempre aflorada e pronta para respostas com argumentações de visível desonestidade vinda de suas contradições.

    Apesar dos apelidos depreciativos dirigidos a alguns de nós, eu principalmente tive que fazer de conta que aquilo não tinha importância o que fez com que ele se sentisse dono da situação, começou a dissuadir cada vez mais e ainda nos chantageava com ameaças de outra alcunha degradante, um forma que ele imaginou ter encontrado para silenciar seus debatedores diante de seus argumentos persuasivos revelando um comportamento de dominação psíquica e este silêncio foi interpretado por ele como sinal de submissão o que lhe permitiu a oportunidade a ir cada vez mais se aprofundando o que o fazia se sentir por cima da situação e sob seu domínio.

    Este é o meu ponto de vista.

    Agora ele parece recomeçar algumas controvérsias com outra pessoa que não vou citar seu apelido e assim ele já arquiteta mais uma situação onde pode estar em evidência, no mais, ele adora qualquer adjetivo, desde que lhe seja dirigido. #fato.

    Peço desculpas a você e as pessoas mais sensíveis que presenciaram minhas reações quando em alguns momentos dei importância quando deveria fazer ao contrário. Ignorar. Concordo inteiramente com você em relação ao uso do silêncio como resposta e por mim, considero o assunto encerrado.

  5. Ana Júdice, não há nada melhor a ser feito.

    A duras penas, eu aprendi a interagir com crentes. Quando eu decidi a não pactuar mais com essas fantasias imbecis que envolvem Deus, demônios e mundinhos encantados, eu me tornei uma pessoa belicosa. E isso logo se revelou um problema.

    Por cinco vezes, nessa última década, eu estive a ponto de entrar em confronto físico com os meus interlocutores religiosos. E, nesses casos, eram todos colegas de trabalho; gente com quem eu convivia mais do que com minha família, com quem me divertia e de cuja companhia eu, na maioria das vezes e do tempo, gostava. É claro que havia alguma coisa de errado. E era comigo.

    O que esse espaço virtual me ensinou mais do que escrever na nova ortografia (que foi o que motivou tudo), foi moldar a minha têmpera. Eu aprendi a ser tolerante, sem ser conivente com aquelas fantasias. Aprendi a expressar meus pontos de vista de uma forma contundente, sem ser agressivo. Aprendi a ouvir, principalmente, porque descobri que, quanto mais você deixa um crente falar, mais material você tem para mostrar pra ele como ele está vivendo num mundo de faz de conta.

    Eu aprendi, também, a enxergar nos insultos que me lançam um sinal inequívoco de que não vale a pena discutir.

    Na verdade, eu não tenho mesmo nenhum interesse em conversar com crente fanático. O meu foco, como bem expressei nessa “Carta“, é o crente de manada.

    A todos os outros, eu só tenho a oferecer a minha sagrada indiferença.

  6. Pode ser que, para muitos, minha presença ou não, aqui, não faça qualquer diferença e, se for o caso, retiro-me. Não tenciono ser um empecilho, um estraga-prazeres!

    Não sei todas as coisas e não me julgo “senhor da verdade”. O que sei é que minha experiência, além de dolorosa, foi real, marcante, profunda e transformadora, a qual, sendo sincero, gostaria de compartilhar, e, também, da mesma forma, conhecer a experiência dos demais.

    A Sessrodrigues, por exemplo, compartilhou comigo que, bem ao contrário de mim, desde criança, foi imune à crença em deuses – coisa que, para mim, é algo incomum, pois crianças normalmente são seres frágeis e facilmente convencíveis – e, por isso, se interessou em saber mais da experiência que eu tive como religioso e cristão fanático. Da mesma forma, fiquei conhecendo um outro lado da moeda, bem diferente do meu.

    E isso, no meu julgamento, é o mais importante e interessante: a troca de experiências e vivências visando o enriquecimento de todos os envolvidos.

    Diante disso, venho reforçar minha discordância e aversão à utilização de termos chulos e aos bate-bocas ofensivos, desrespeitosos e, até, intimidadores e constrangedores que tenho presenciado, um desvirtuamento do que considero e entendo ser o propósito maior do blog.

    Que se julgue quem estaria com “criancices” e quem seria adulto e sério neste ambiente aqui!

    Mas, se estou enganado quanto a tudo isso que expus, como disse, seja feira a vontade da maioria. Retirar-me-ei e deixar-vos-ei “em paz”!

  7. seja feira a vontade da maioria.

    Irineu, não existe nenhuma maioria pondo em votação quem deve ir e quem deve ficar, mesmo porque ninguém é obrigado a acatar o resultado dessa enquete, seja qual for o resultado.

    O que eu sugiro, uma vez que o blog não tem moderação de comentários, é que cada um ignore quem não está lhe agradando, ou sendo ofensivo. Se um agressor é ignorado, ele fatalmente vai acabar se cansando, porque a “graça” da coisa estaria em ver os efeitos que a agressão está provocando na pessoa agredida.

    No mais, os comentários se prestam muito bem ao seu propósito.

    E obrigado pela inspiração para inserir uma “política de conduta”. Acho que estava faltando mesmo.

    Mas, como eu já disse, é para mim! Mesmo porque eu não tenho como mudar a conduta de mais ninguém.

  8. A Dona Ana Júdice, no seu comentário ‘pacífico’ ao Barros me chamou dos seguintes adjetivos:

    ignorante, teimoso, desonesto, quero me auto-promover, dono da situação, silenciador de debatedores, dominador psíquico.

    Esse é o problema das minorias, se acham no direito de falar o que quiser e não querem ouvir.

    Mas não vou responder, aprendi com o Barros, com gente fanática tem hora que tem que deixar falando sozinha.

  9. E isso, no meu julgamento, é o mais importante e interessante: a troca de experiências e vivências visando o enriquecimento de todos os envolvidos.

    Concordo. Chamar sem provas um Papa do seculo XV de assassino não enriquece a discussão sobre teísmo e ateísmo.

    Diante disso, venho reforçar minha discordância e aversão à utilização de termos chulos e aos bate-bocas ofensivos, desrespeitosos e, até, intimidadores e constrangedores que tenho presenciado, um desvirtuamento do que considero e entendo ser o propósito maior do blog.

    Também concordo, porém o direito de defesa existe. Interessante que parece que assassino é menos ofensivo que puta. O mundo está virado mesmo.

    Mas, se estou enganado quanto a tudo isso que expus, como disse, seja feira a vontade da maioria. Retirar-me-ei e deixar-vos-ei “em paz”!

    Ninguém te expulsou. Quem queria expulsar era você. Por mim você pode ficar, ainda gostaria de entender o seu ateísmo de bíblia.

  10. Caro André,

    Parece que finalmente estamos nos entendendo e fico feliz por isso.

    E, uma vez concordes, primemos, então, todos, por elevar o nível do debate, deixando pra lá o lado ofensivo e pessoal.

    Como satisfação ao seu questionamento – e espero com isso clarear minha posição atual -, transcrevo, abaixo, minha resposta dada à Maria em meu blog (http://irineucostajunior.wordpress.com/2013/11/12/minha-experiencia-religiosa-resumida/):

    “Cara Maria,

    Os erros e contradições bíblicas demonstram o fator humano e falho nela presente, não podendo ela, portanto, ser considerada “perfeita e infalível palavra de deus” ou “regra de fé e prática”, como se crê.

    Os cristãos, em geral, não admitem esses erros e contradições, pois lhes é incutido (como aconteceu comigo e assim eu cria) que foram seus livros escritos pelo próprio deus e dados aos homens como leis e regras a serem cega e indubitavelmente seguidas, e que seus relatos históricos devem ser cridos como verdadeiros.

    Ocorre que, se invalidarmos o seu fator “infalibilidade” – como, de fato, é inválida, tanto como “perfeita lei de deus aos homens”, assim como livro histórico -, ela se torna um mero livro de filosofia, autoajuda e contos. Ou seja, não inspirado, não divino, humano e falho.

    Uma vez confirmado que há erros humanos, como se pode confiar se alguma coisa que nela se lê é verdadeira e confiável? Pois, sabidamente, nesses dois mil anos, como você mesma disse, seus livros foram aditados, editados e adulterados, de forma que o que nos chega hoje às mãos não mais espelha o seu conteúdo original, o que aliás, comprova a não existência de um deus preocupado em preservar a fidelidade de “sua palavra”.

    Os livros que entraram na sua composição, entre inúmeros – como se sabe, existiam diversos outros livros, evangelhos e epístolas que, na época, foram considerados como “apócrifos” -, foram escolhidos segundo critérios humanos, de acordo com as crenças do povo daquela época, correntes naquele tempo.

    Isso posto, rui e cai por terra todo o alicerce do cristianismo, vez que é totalmente baseado e dependente daquela premissa máxima, daquele dogma.

    De minha parte, não houve “desilusão”, mas “conscientização” após o abandono da perniciosa fé cega no abstrato e no improvável, baseada no nosso enganoso emocional, e o exercício da razão, da lógica e do bom senso.

    Se achar por bem em ler, também relato minha experiência no cristianismo em: http://www.irineucostajr.vacau.com/religiao.htm#experiência.”

  11. Irineu, se quiser compartilhar como perdeu a fé, basta escrever um texto e mandar pra mim, que eu publico aqui no blog.

    Outros leitores já deram o seu “testemunho”. Para ler o que eles escreveram, é só clicar Aqui.

  12. Irineu,

    Sem entrar nos detalhes da sua decepção com a bíblia, vamos supor que para você a bíblia é uma falsidade. Você acha isso o suficiente para virar ateu?

    Em outras palavras, se você está tentando saber se há vida em Marte, você conclui que não há porque UM livro que você leu não te convenceu? Que tal outras religiões? Que tal a ciência e filosofia?

  13. André,

    Tanto por minha experiência pessoal, como pela leitura e pesquisas que fiz sobre experiências religiosas, fiquei convencido que as “epifanias”, sempre com um comum e forte embasamento no nosso enganoso emocional, são, em realidade, desequilíbrios ocorridos em nossos cérebros.

    Visões, revelações, “viagens da alma”, experiências pós morte, etc, são fruto desses desequilíbrios, que, em alguns casos graves e persistentes chamamos de loucura.

    Manifestações de nosso subconsciente, em sonhos ou sob poder de alucinógenos, podem ser tão fortes e reais que chegamos a acreditar estar, de fato, vivendo e passando por aquilo.

    Por vezes, é difícil separar o real do virtual, tema esse que foi de forma muito pertinente explorado no filme Matrix.

    Todas as nossas memórias e sentimentos não passam de reações eletroquímicas ocorridas no cérebro. Nada há de sobrenatural ou “divino” nisso.

    Joseph Smith e o anjo Moroni, o Apocalipse de João, Buda, Moisés, Maomé, Constantino e o “in hoc signo vinces”, os “Messias” Alan John Miller, José Luis de Jesus Miranda, David Shapler, Sergei Torop, o brasileiro “Inri Cristo”, etc, são exemplos pontuais.

    Divindades sempre fizeram parte da história das civilizações. Foram concebidas nas mentes primitivas para poder explicar, como resposta fácil e cômoda, o desconhecido e o, até então, “sobrenatural”.

    Marduk, Dagon, Baal, Astaroth, Moloch, Poseidon, Jano, Terminus, Mercúrio, Júpter, Zeus, Hades, Seth, Hórus, Amom, Rá, Serket, Osíris, Isis, Anúbis, Thot, etc, etc, etc. Todos desapareceram.

    E como muito bem disse Steven Crocker: “A religião de hoje será a mitologia do futuro”.

    A “fé” é enganosa e, ao contrário, oferece explicações baseadas no subjetivo, no abstrato, no improvável e no emocional, uma fuga à realidade. Sujeita as pessoas aos mais vis tipos de exploração, manipulação, espoliação e fanatização. Uma verdadeira lavagem e condicionamento cerebral (experiência própria).

    Citando Dick Sutphen: “Em toda a história do homem, ninguém que tenha sofrido lavagem cerebral acreditará ou aceitará que sofreu tal coisa. Todos aqueles que a sofreram, usualmente, defenderão apaixonadamente os seus manipuladores, clamando que simplesmente lhes foi “mostrada a luz” … ou que foram transformados de modo miraculoso”.

    Na contramão disso, a Ciência não se contenta com as respostas fáceis da “fé”, mas exige comprovação.

    A base é, e sempre será: a lógica, a razão, o bom senso, a observação e as evidências. Terreno firme!

    “Quanto mais aprendemos, de menos deuses precisamos. A crença em Deus é somente a resposta de um mistério por outro mistério, dessa forma não respondendo nada”. (Dan Barker)

  14. Se antes acreditava-se com a razão, por que agora continua acreditando ?

  15. Barros

    Quando eu decidi a não pactuar mais com essas fantasias imbecis que envolvem Deus, demônios e mundinhos encantados, eu me tornei uma pessoa belicosa.

    Percebo que és considerado belicoso não apenas por crer que o universo e a vida se originaram por processos aleatórios e despropositais (descrendo de Deus), mas sim por tentar imputar esta crença a outros, zombando de quem não possui a tua fé.

    Existem muitos crentes Naturalistas (Ateus) que não são considerados belicosos, e se perceber verás que os mesmos não fazem proselitismo ateísta e nem muito menos zombam de quem não compactua suas crenças.

    Não que o proselitismo ateísta seja uma coisa ruim, afinal qualquer um tem o direito de defender a fé que possui e também tem o direito de tentar converter o próximo a tua crença. O problema é quando este proselitismo torna-se radical, fundamentando-se apenas em ridicularização, generalização e intolerância.

    Então são nestes pontos, Barros, que deverás se policiar.

    Sds.

  16. Barros

    Irineu, se quiser compartilhar como perdeu a fé, basta escrever um texto e mandar pra mim, que eu publico aqui no blog.

    Tecnicamente o Irineu não “perdeu a fé”. Ele apenas a TROCOU por outra.
    Ou achas mesmo que o Ateísmo não é uma forma de crença que se baseia em fé?

    Caso deseje se iludir dizendo: “um ateu não tem fé”, lembre-se que o ateísmo em si, não é comprovado empiricamente.

    Um ateu fundamenta a tua crença na fé que o Universo e a vida originaram por processos aleatórios e despropositais.

    Como bem sabemos, estas conjecturas não são comprovados e nem ao mínimo evidenciado.

    Ou tu discorda disso?

  17. Diogo,

    Há uma confusão aqui.

    Ainda que se considere o ateísmo a “crença na inexistência de deuses”, são dois tipos diferentes de “crença” e, portanto, não devem ser confundidos.

    A “crença na existência de um deus” não é embasada no provável, no concreto ou em evidências, mas no subjetivo, no abstrato e no emocional, sendo transmitida pela tradição e simplesmente aceita como verdadeira, sem se duvidar.

    É a “fé cega”, inimiga da razão. A crença no “sobrenatural”, que é aquilo que não se pode explicar pela lógica e pela razão!

    Justamente ao contrário, a “crença na inexistência de deuses” advém da ausência de provas e é baseada no concreto, no real, no racional e em evidências.

    Não existe o “sobrenatural”. Tudo é “natural” e pode ser cientificamente comprovado e explicado, como vem demonstrando a própria história!

    Nada tem a ver com “fé”! A “fé” diz: “acredite em tudo, sem duvidar, mesmo não havendo provas”. A “razão” diz: “duvide de tudo, a menos que se prove”!

    A convicção (crença) do ateu é baseada no “racional” e nada tem a ver com a “fé” (crença) do crente!

    Repetindo: “Quanto mais aprendemos, de menos deuses precisamos”!

  18. Irineu, conselho de amigo: sabe aquela sua observação sobre ignorar certos comentaristas? Pois é, pro Diogo, o ateísmo é uma fé, igual a fé cristã.

    Por mais que a gente mostre que deus é uma concepção baseada “no subjetivo, no abstrato e no emocional, sendo transmitida pela tradição e simplesmente aceita como verdadeira, sem se duvidar”, ele vai bater na tecla do ateísmo como fé até a fadiga mental.

    Nossas interpretações da religião e dos textos sagrados são enviesadas pela nossa fé ateísta e que o correto é se livrar desse viés, provavelmente adotando o viés crente. Esse sim nos leva à verdade, à existência de deus. Entendeu?

    Mais uma vez: se a gente parar de preconceito, a gente descobre que deus é real! Basta não olhar as coisas como um ateu herege.

    Assim como outros ignoraram seus avisos naquele post, o “debate” aqui corre por sua conta e risco. :)

    Grande abraço.

  19. O religioso diz que ateus também tem fé é só para se sentirem iguais ou próximos a eles por possuírem liberdade de pensamento, são livres e jamais aceitariam as correntes que as religiões e seus deuses fictícios impõem como não aceitariam nenhuma outra amarra que os impedissem de raciocinar por si mesmo sem a venda da cegueira da fé em um Deus qualquer da vida.

    Ateus são livres de qualquer fé que não seja real a capacidade humana. Eu tenho fé sim, de que algum dia as pessoas possam abrir seus olhos à realidade. Eu tenho fé e esperança de que meu médico pode me curar de uma doença através da ciência da medicina e do seu preparo profissional. Sim, eu tenho muita fé, porém no mundo real, e posso ter fé na justiça dos homens principalmente se nossas leis fossem mais rígidas.

    Tenho fé em minha filha que, por seus próprios esforços venha a ser uma boa profissional através do curso de Direito na Faculdade que estuda, sim tenho muita fé e crença no seu potencial.

    Tenho fé na ciência que cada vez mais abre caminhos para nosso autoconhecimento e usufruto como do universo que vivemos

    Tenho muita fé.

  20. Irineu:

    Obrigado pelas respostas, estamos entrando em terreno interessante, não vou entrar no assunto de existência de um criador fora de nosso espaço tempo por probabilidade matemática, observação da ciência e argumentos filosóficos. Podemos deixar essa para outra hora. Seguem meus comentários sobre alguns comentários seus:

    Divindades sempre fizeram parte da história das civilizações. Foram concebidas nas mentes primitivas para poder explicar, como resposta fácil e cômoda, o desconhecido e o, até então, “sobrenatural”.

    Realmente e acho isso algo a favor do teísmo. O ser humano está programado para essa ligação com o criador, é algo tão natural quanto nosso apreço pelos pais. Não é por que os pais ensinaram, algo imposto de fora. De todas as civilizações que conhecemos, das mais remotas tribos isoladas em ilhas no meio do oceano, TODAS, tinham uma religião.

    Todas as nossas memórias e sentimentos não passam de reações eletroquímicas ocorridas no cérebro. Nada há de sobrenatural ou “divino” nisso.

    Na sua opinião os sentimentos como o amor não passam de reações eletroquímicas?

    Na contramão disso, a Ciência não se contenta com as respostas fáceis da “fé”, mas exige comprovação.
    A base é, e sempre será: a lógica, a razão, o bom senso, a observação e as evidências. Terreno firme!

    Você deve ter encontrado crentes que substituem a ciência pela religião. Falo por mim: eu creio na ciência e creio na razão. Porém, a ciência só lida com fenômenos naturais, é óbvio que há fenomenos que existem que nossos sentidos não podem perceber e a ciência não pode medir. Portanto, daí já se conclui que a ciência é limitada. A ciência nunca vai poder investigar algo anterior ao Big Bang, e fechas os olhos e dizer “se a ciência não vê, não existe” é muito ‘irrracional’ a meu ver. Portanto, a questão de Deus não será resolvida só por ciência, mas pela combinação de ciência, razão e filosofia.

    Portanto, aprecio a ciência, admiro os cientistas, sua paciência em investigar, em construir o conhecimento passo a passo, tudo isso é admirável, porém, quando eles querem dizer que Deus não existe, eles extrapolaram o seu campo de atuação.

  21. Repito comentário, corrigindo a formatação.

    Irineu:

    Obrigado pelas respostas, estamos entrando em terreno interessante, não vou entrar no assunto de existência de um criador fora de nosso espaço tempo por probabilidade matemática, observação da ciência e argumentos filosóficos. Podemos deixar essa para outra hora. Seguem meus comentários sobre alguns comentários seus:

    Divindades sempre fizeram parte da história das civilizações. Foram concebidas nas mentes primitivas para poder explicar, como resposta fácil e cômoda, o desconhecido e o, até então, “sobrenatural”.

    Realmente e acho isso algo a favor do teísmo. O ser humano está programado para essa ligação com o criador, é algo tão natural quanto nosso apreço pelos pais. Não é por que os pais ensinaram, algo imposto de fora. De todas as civilizações que conhecemos, das mais remotas tribos isoladas em ilhas no meio do oceano, TODAS, tinham uma religião.

    Todas as nossas memórias e sentimentos não passam de reações eletroquímicas ocorridas no cérebro. Nada há de sobrenatural ou “divino” nisso.

    Na sua opinião os sentimentos como o amor não passam de reações eletroquímicas?

    Na contramão disso, a Ciência não se contenta com as respostas fáceis da “fé”, mas exige comprovação.
    A base é, e sempre será: a lógica, a razão, o bom senso, a observação e as evidências. Terreno firme!

    Você deve ter encontrado crentes que substituem a ciência pela religião. Falo por mim: eu creio na ciência e creio na razão. Porém, a ciência só lida com fenômenos naturais, é óbvio que há fenomenos que existem que nossos sentidos não podem perceber e a ciência não pode medir. Portanto, daí já se conclui que a ciência é limitada. A ciência nunca vai poder investigar algo anterior ao Big Bang, e fechas os olhos e dizer “se a ciência não vê, não existe” é muito ‘irrracional’ a meu ver. Portanto, a questão de Deus não será resolvida só por ciência, mas pela combinação de ciência, razão e filosofia.

    Portanto, aprecio a ciência, admiro os cientistas, sua paciência em investigar, em construir o conhecimento passo a passo, tudo isso é admirável, porém, quando eles querem dizer que Deus não existe, eles extrapolaram o seu campo de atuação.

  22. mas sim por tentar imputar esta crença a outros, zombando de quem não possui a tua fé.

    Se as pessoas acreditam que existe um velhinho onipotente que criou todo o universo com o único propósito de pôr a gente nele, e, por sua vez, criou a nós todos com o único fim de masturbá-lo, eu zombo sim. Não tenha dúvida.

  23. Irineu Costa Junior

    Perdoe-me por adentrar em sua conversa com o André, mas existem alguns pontos em seus comentários onde eu gostaria de pontuar:

    Os erros e contradições bíblicas demonstram o fator humano e falho nela presente, não podendo ela, portanto, ser considerada “perfeita e infalível palavra de deus” ou “regra de fé e prática”, como se crê.

    Como ponto de partida, devo relembrar que esta crença em que supostamente se existem na Bíblia erros e contradições é como “um Lado da Moeda”. O que isso significa? Que não há unanimidade neste argumento.
    Para cada suposto erro e contradição há sua respectiva justificativa e refutação.
    Eu particularmente já efetuei este exercício, não apenas neste blogue, mas em muitos outros.
    Até o momento não houve uma só suposta contradição ou suposto erro em que eu não tenha justificado ou refutado.

    Então alegar: “A Bíblia contém erros e contradições” é tomar o posicionamento único e ignorar a refutação deste posicionamento. É assumir um lado da moeda e ignorar o outro.

    Na minha opinião, isso é uma forma de auto enganar-se, mas se isso te faz feliz, eu respeito tua escolha.

    Os cristãos, em geral, não admitem esses erros e contradições, pois lhes é incutido (como aconteceu comigo e assim eu cria) que foram seus livros escritos pelo próprio deus e dados aos homens como leis e regras a serem cega e indubitavelmente seguidas, e que seus relatos históricos devem ser cridos como verdadeiros.

    Falando de mim, digo que não aceito estes supostos erros e supostas contradições porque as mesmas NÃO EXISTEM , e não porque foi “incutido” alguma coisa.

    Não que se houvesse, seria um problema, pois como bem sabemos existem nichos do cristianismo que adotam esta mesma crença (que a Bíblia contém erros e contradições) sem atrapalhar suas convicções.

    Ocorre que, se invalidarmos o seu fator “infalibilidade” – como, de fato, é inválida, tanto como “perfeita lei de deus aos homens”, assim como livro histórico -, ela se torna um mero livro de filosofia, autoajuda e contos. Ou seja, não inspirado, não divino, humano e falho.

    Concordo. SE ela de fato fosse contraditória e cheia de erros, ela seria um mero livro humano e falho.

    Por isso os adeptos a crença de que ela NÃO É a revelação de Deus, buscam a todo custo, mesmo repletos de erros e contradições em seus argumentos/acusações, invalida-la.
    Porém até o momento todas estas tentativas falharam, pois como eu disse a princípio, não há um só suposto erro ou suposta contradição que não tenha sido justificado ou refutado.

    Uma vez confirmado que há erros humanos, como se pode confiar se alguma coisa que nela se lê é verdadeira e confiável?

    SE uma vez for confirmado.
    Até o momento, nenhum posicionamento que defende esta crença de fato o foi.
    Para todas elas há suas respectivas “contra-partes” e réplicas.

    Pois, sabidamente, nesses dois mil anos, como você mesma disse, seus livros foram aditados, editados e adulterados, de forma que o que nos chega hoje às mãos não mais espelha o seu conteúdo original, o que aliás, comprova a não existência de um deus preocupado em preservar a fidelidade de “sua palavra”.

    Segundo evidências EMPÍRICAS, através do estudo dos manuscritos mais antigos e as críticas textuais, esta acusação de adulteração não procede.
    Referente ao Antigo testamento temos a comparação da cópia atual ao manuscrito do Mar morto (século II ANTES DE CRISTO ).

    Referente ao Novo testamento, temos a comparação das cópia atual com as mais de 4.000 citações dos lideres do PRIMEIRO SÉCULO (Antes do surgimento da Igreja Católica) que constróem o novo testamento INTEIRO, somados com as mais de 5400 manuscritos, dentre muitos datados a partir do SEGUNDO SÉCULO (Antes do surgimento da Igreja Católica)

    O Novo e o Antigo testamento remetem a 98% do original.

    Os livros que entraram na sua composição, entre inúmeros – como se sabe, existiam diversos outros livros, evangelhos e epístolas que, na época, foram considerados como “apócrifos” -, foram escolhidos segundo critérios humanos, de acordo com as crenças do povo daquela época, correntes naquele tempo.

    O Canon Bíblico JÁ EXISTIA antes mesmo de Constantino.
    No Antigo Testamento eram guardado pelos Israelenses, e no Novo testamento comprovados nas citações pelos líderes do primeiro século.

    O critério utilizado para o cânon do novo Testamento era a autoridade do autor, que foi definido pelo seu nível de testemunhal.

    Novamente esta acusação não procede.
    nem, mesmo Constantino, em seu discurso no primeiro consílio, sequer mencionou nada sobre o Canon.
    Ele não o fez pois JÁ SABIA que o mesmo já existia.

    Tanto por minha experiência pessoal, como pela leitura e pesquisas que fiz sobre experiências religiosas, fiquei convencido que as “epifanias”, sempre com um comum e forte embasamento no nosso enganoso emocional, são, em realidade, desequilíbrios ocorridos em nossos cérebros.

    Irineu, com todo respeito a teu trabalho de pesquisa, mas como podemos ver acima, as tuas alegações anteriores na qual descreveu como supostamente o fez “perder a fé Cristã”, foram fundamentados em uma ignorância sobre o assunto.
    Sobre esta ignorância, elaboraste “teses” fundamentado em um “achismo” pessoal, obtendo como resultado, o teu convencimento (também fundamentado em achismo) de que a pessoa que adere o cristianismo é um desequilibrado e emocionalmente abalado.
    Percebes o grande equivoco que está a cometer?

    Manifestações de nosso subconsciente, em sonhos ou sob poder de alucinógenos, podem ser tão fortes e reais que chegamos a acreditar estar, de fato, vivendo e passando por aquilo.
    (…) Todas as nossas memórias e sentimentos não passam de reações eletroquímicas ocorridas no cérebro. Nada há de sobrenatural ou “divino” nisso.

    Tu alegas que TODAS manifestações sobrenaturais testemunhadas são memórias e sentimentos como resultados de reações eletroquímicas ocorridas no cérebro.

    Com qual base podes alegar que TODAS elas de fato são?

    Não nego que de fato pode haver alucinações, porém as mesmas não ANULAM o fato de haver observações REAIS, caso existam.

    Tu diz que TODAS observações são irreais. Como comprovas isso?

    Joseph Smith e o anjo Moroni, o Apocalipse de João, Buda, Moisés, Maomé, Constantino e o “in hoc signo vinces”, os “Messias” Alan John Miller, José Luis de Jesus Miranda, David Shapler, Sergei Torop, o brasileiro “Inri Cristo”, etc, são exemplos pontuais.

    Não nego que dentre estes exemplos podem de fato ter existido caso de alucinações ou até mesmo FRAUDE, mas dentre eles creio também ter havido visões REAIS (Como de João e Moisés)

    Como tu podes comprovar que TODOS tiveram alucinações?
    Se muitos alucinaram e alguns tiveram visões reais, a alucinação invalida o que é real?

    A “fé” é enganosa e,

    Depende da fé de quem a deposita.

    ao contrário, oferece explicações baseadas no subjetivo, no abstrato, no improvável e no emocional, uma fuga à realidade. Sujeita as pessoas aos mais vis tipos de exploração, manipulação, espoliação e fanatização. Uma verdadeira lavagem e condicionamento cerebral (experiência própria).

    Tu afirmas que a tua “conversão” ao “cristianismo” deveu-se a uma lavagem cerebral.
    Bom… no meu caso foi devido experiência EMPÍRICA sem nenhum envolvimento de nenhuma pessoa.
    Hoje, eu tenho convicção do cristianismo. Tu, ao contrário de mim, aderiu a fé ao naturalismo.

    Bom temos uma diferença crucial em nossos caminhos:

    Eu tive a experiência empírica não só da existência, como da veracidade das palavras de Cristo e SÓ DEPOIS assumi a Bíblia como um fato.
    Tu a assumiu a Bíblia como um fato, levado por uma lavagem cerebral.
    Com outras palavras, nunca foste CONVERTIDO por Cristo.
    Foste na verdade um CONVENCIDO a respeito dele.

    Esta realidade não é diferente a muitos “ex-cristãos” que vemos por aí.

    Porém vem a questão principal, a tua lavagem cerebral INVALIDARIA a minha experiência empírica?
    Só porque foste convencido de algo, significa que TODOS o serão da mesma forma que tu?

    Caso pense que sim, eu pergunto novamente:
    Não achas que o mundo é muito maior do que suas experiências pessoais, para inferi-las a TODOS?

    Na contramão disso, a Ciência não se contenta com as respostas fáceis da “fé”, mas exige comprovação.

    Está enganado. A ciência é repleta de pressuposições sem comprovações (Crenças). Por exemplo a teoria da relatividade “PRESSUPÕE” que a velocidade da Luz é constante. A datação radiométrica “PRESSUPÕE” que os decaimentos radioativos são constantes e também “PRESSUPÕE” o uniformitarismo geológico/atmosférico.
    Os próprios métodos científicos não podem ser comprovados empiricamente, pois eles são PRESSUPOSIÇÕES de como devem ser feitos.

    A base é, e sempre será: a lógica, a razão, o bom senso, a observação e as evidências. Terreno firme!

    De fato a lógica, a razão, o bom senso, a observação e as evidências são terrenos firmes, porém infelizmente o atributo que ESTRAGA este terreno chama-se PARCIALIDADE e DESEJO PESSOAL.
    Infelizmente os cientistas possuem ambos.

    “Quanto mais aprendemos, de menos deuses precisamos. A crença em Deus é somente a resposta de um mistério por outro mistério, dessa forma não respondendo nada”. (Dan Barker)

    “A Ciência sem religião é manca. Religião sem ciência é cega.”
    (Albert Einstein)

  24. Diogo, uma pergunta: o Deus que você acredita interfere no livre arbítrio?

    Abraço

  25. Ah, Cristiano, pergunta fácil assim a gente faz é pros amigos!!!

    Deixa que essa eu respondo. E a resposta é: sim, não, talvez, às vezes, nem sempre, de vez em quando, depende.

    Mole, mole.

  26. Barros, eu estou curioso, aconteceu um “causo” aqui na minha cidade, e acho que ele pode me ajudar a entender… mas antes preciso saber se o Deus que ele acredita interfere no resultado das ações de um ser humano provido de livre arbítrio… E Diogo… resposta em sistema binário ok?

    Abraço
    Cristiano

  27. Na verdade Barros, a resposta que eu realmente gostaria de ouvir seria: “Não sei, e não tenho como ter certeza nem entender como isso funciona, eu apenas espero com toda minha fé que sim”… mas acho que não vai ser isso que virá… mas vamos aguardar….

    Abraço
    Cristiano

  28. Ah, entendi. Mas a resposta eu já dei. Ele só vai diluir aquilo tudo num texto de um quilômetro.

    E outra. As respostas dele no sistema binário começam assim: “Veja bem…”.

  29. Cristiano,

    E a resposta não necessariamente tem que ser binária. É como pais e filhos, os filhos tem livre arbítrio? Tem, mas os pais influem? sim. Os pais podem impedir algo? Podem. Sempre? Não. A coisa é complicada.

  30. André, independente das ações de terceiros, ao fim temos um resultado, e é desse fim que estou me referindo… de novo a pergunta é: sendo um fiel o agente ou um parente fiel também, ou a soma de vários fiéis, Deus interfere no resultado das ações de um OU MAIS seres humanos providos de livre arbítrio?

    Sabe que quanto mais você se enrolar para responder mais engraçado você chega onde eu quero chegar…

    Abraço
    Cristiano

  31. os filhos tem livre arbítrio? Tem, mas os pais influem? sim.

    Filho:
    Ô, paiê! Eu vou usar do meu livre-arbítrio e hoje vou ficar em casa jogando games no computador, ok?

    Pai:
    Ok, filhão. Eu vou ali pegar meu cinto pra ver se causo alguma influência nessa sua decisão.

    Filho:
    Precisa não, pai. Eu vou pra aula.

    Pai:
    Poxa, filho! Mas você queria tanto ficar em casa jogando…

    Filho:
    Pois é, pai. Eu sou uma pessoa muito “influenciável”…

  32. Ah ah, o Barros anda engraçado, mas falando sério, acho que ha situações que os pais podem impor limites, dizer que naquele momento o livre arbítrio está suspenso e quem manda é o pai/mãe. Um chinelo pode ajudar no convencimento…

    Cristiano, eu não sei mais o que dizer, acho que você pode revelar o seu segredo. Como eu disse, eu acredito no livre arbítrio dos homens e acredito que Deus permite que as coisas aconteçam de forma natural, seja por ação do homem seja por força da natureza. Mas sendo Deus, e havendo também o demônio, ambos podem interferir nas ações e nos resultados. No fim, não acho que a realidade seja uma resposta binária.

  33. Barros

    Se as pessoas acreditam que existe um velhinho onipotente que criou todo o universo com o único propósito de pôr a gente nele, e, por sua vez, criou a nós todos com o único fim de masturbá-lo, eu zombo sim. Não tenha dúvida.

    Pois é Barros, foi neste ponto que te alertei para “maneirar”, caso deseje ser mais sociável as pessoas a sua volta, que não compartilham a mesma fé que você.
    Teu comportamento é invejável a qualquer extremista fanático, radical, intolerante a fé alheia.

    Isso o torna, com palavras claras, um “mala sem alça”.

    Eu por exemplo, jamais zombaria de uma pessoa que acreditasse neste velhinho ou de uma pessoa que possui a fé cega que dinossauros viraram colibris.

    Mesmo que eu ache estas crenças ridículas, contraditórias as evidências e particularmente hilariantes, jamais exporia abertamente aos que a professam.

    Se continuar desta forma, sempre será deixado de canto em qualquer meio social.

    Poucos toleram proselitistas fanáticos.

  34. Irineu Costa Junior

    Diogo,
    Há uma confusão aqui.
    Ainda que se considere o ateísmo a “crença na inexistência de deuses”, são dois tipos diferentes de “crença” e, portanto, não devem ser confundidos.

    Irineu, me diga uma coisa, qual é a diferença entre não crer na existência de Deus e crer que o universo e a vida surgiram por processos aleatórios, não direcionados?

    A “crença na existência de um deus” não é embasada no provável, no concreto ou em evidências,

    Pode não ser para ti, mas pode ser para outros, que possuem evidências concretas e objetivas não apenas de sua existência como de sua presença.
    Tu possui, no máximo, ausência de evidência da presença e identidade dele (pois evidência de sua existência temos aos montes no universo e na vida). Porém isso não significa que TODOS assim como tu, é isento destas evidências empiricamente comprovadas.

    Novamente repito a pergunta que fiz anteriormente, não achas que o mundo é vasto demais para tuas experiências pessoais?

    mas no subjetivo, no abstrato e no emocional, sendo transmitida pela tradição e simplesmente aceita como verdadeira, sem se duvidar.

    Pode ser para ti, mas isso não significa que seja o mesmo para TODOS.

    É a “fé cega”, inimiga da razão.

    Concordo. Muitos tem a fé cega que uma poça de lama, sozinha, pode se tornar vida, e que informação codificada pode surgir por aleatoriedade, mesmo quando TEMOS EVIDÊNCIAS EMPÍRICAS, que lama sozinha não vira vida e que informação codificada é ruto de inteligência.
    A fé cega leva a pessoa a ignorar o que as evidências demonstram claramente.

    A crença no “sobrenatural”, que é aquilo que não se pode explicar pela lógica e pela razão!

    Na verdade o que é sobrenatural não se explica com o NATURAL. Ser lógico e ser racional não significa limitar-se ao que é natural.
    Se o sobrenatural é um fato e a pessoa se condiciona a limitar suas idéias ao natural, é o naturalismo filosófico em sí que o torna ILÓGICO e IRRACIONAL.

    Não existe o “sobrenatural”.

    Prove.

    Tudo é “natural”

    Prove.

    e pode ser cientificamente comprovado e explicado, como vem demonstrando a própria história!

    Como se comprova científicamente que o sentimento? Como se comprova científicamente que a tua mente não é a única no universo e que teus pensamentos não foram imputados a 5 minutos? Como se prova científicamente que o belo é belo e o feio é feio?

    Nada tem a ver com “fé”! A “fé” diz: “acredite em tudo, sem duvidar, mesmo não havendo provas”

    Cite a fonte pelo qual utilizaste para simbolizar o sentido da palavra fé.
    Garanto que este sentido que utilizas não é compartilhado nem mesmo no dicionário.

    A convicção (crença) do ateu é baseada no “racional” e nada tem a ver com a “fé” (crença) do crente!

    Racional?
    O que tem de racional em crer que uma suposta energia condensada e eterna, do tamanho de um átomo, puf, explodiu SOZINHO (o que é contraditório, pois se a energia condensada é ETERNA, ela estaria a ETERNIDADE condensada, por uma questão LÓGICA)?
    O que tem de racional em imaginar que esta suposta explosão DESORDENADA, inserida em um sistema ISOLADO (que é o universo), iria contra a lei da 2º termodinâmica, se ORGANIZANDO SOZINHA, formando galáxias sistemas e planetas?
    O que tem de racional em imaginar que uma poça de lama SOZINHA, tornou-se vida (se chocando com a lei da Biogênese), mesmo quando para haver vida, é NECESSÁRIO haver INFORMAÇÃO CODIFICADA?
    O que tem de racional crer que o tempo é capaz de transformar um suposto ser INFERIOR a uma ameba em seres humanos? Ou que um RÉPTIL tornou-se uma Pássaro???

    Permita-me discordar de ti, mas a fé Naturalista (ateísta) não tem nada de racional. Ela IGNORA a racionalidade e as evidências empiricamente observada para que sua conjectura faça sentido.

    Repetindo: “Quanto mais aprendemos, de menos deuses precisamos”!

    Eu prefiro a frase de Louis Pasteur:

    “””Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima.”””

    Quanto mais estudamos e aprendemos os mecanismos e complexidade que envolvem o universo e a vida, mais ficamos convictos não só da existência mas da sabedoria e poder de Deus.

    Em um tempo de ignorância (època que Charles Darwin elaborou sua doutrina), imaginava-se que uma célula era uma gelatina viscosa. Esta ignorância alimentava a imaginação dos naturalistas ao ponto de imaginarem que a mesma surgiu sozinha
    Hoje sabemos que uma simples célula é uma MÁQUINA, extremamente complexa, originada por INFORMAÇÃO CODIFICADA.
    Este conhecimento mostra a engenhosidade do Criador e refuta a imaginação naturalista.

  35. Ana Judice

    O religioso diz que ateus também tem fé é só para se sentirem iguais ou próximos a eles por possuírem liberdade de pensamento

    Está enganada. Não há liberdade de pensamento no modelo naturalista. Porque? Porque se o sobrenatural é um fato, o naturalista SE LIMITA a uma condição que não o proporcionará enxergar os fatos.
    Fico triste em observar vocês repetirem um mantra sem de fato observar a realidade que os cercam.

    são livres e jamais aceitariam as correntes que as religiões e seus deuses fictícios impõem como não aceitariam nenhuma outra amarra que os impedissem de raciocinar por si mesmo sem a venda da cegueira da fé em um Deus qualquer da vida.

    Se o que Jesus Cristo anunciou, para ti é uma “corrente”, tenho medo só de pensar em imaginar que tipo de moralidade ou estilo de vida tu busca seguir.

    Ateus são livres de qualquer fé que não seja real a capacidade humana.

    Ateu é prezo a fé que a lama virou vida sozinha e que a informação CODIFICADA é fruto de aleatoriedade.
    Ambas conjecturas são IRREAIS ao que as evidências demonstram
    Isso reduz a capacidade humana ao “fundo do poço”

    Eu tenho fé sim, de que algum dia as pessoas possam abrir seus olhos à realidade.

    Coloque esta fé em prática. Comece por abrir os teus olhos. Analise o universo e a vida e veja que as tuas convicções não passam de um engodo.

    Eu tenho fé e esperança de que meu médico pode me curar de uma doença através da ciência da medicina e do seu preparo profissional.

    Graças a Deus e a RACIONALIDADE, (e aos pais da ciência que eram CRISTÃOS), podemos ter fé que o conhecimento do universo e da vida ainda tende a aumentar.

    Tenho fé em minha filha que, por seus próprios esforços venha a ser uma boa profissional através do curso de Direito na Faculdade que estuda

    Longe de mim desejar isso, mas os esforços próprios dela, não poderão evitar uma possível morte prematura, ou uma doença incurável, caso estas conjecturas venham fazer parte de sua vida.

    sim tenho muita fé e crença no seu potencial.

    Que na possível morte ou doença, não valem nada.

    Tenho fé na ciência que cada vez mais abre caminhos para nosso autoconhecimento e usufruto como do universo que vivemos

    Eu também. Felizmente o aumento deste conhecimento tem nos feito impressionar na magnitude e inteligência que teve o criador, e as evidências tem refutado a conjectura naturalista para origem do universo e da vida.

    Inclusive, atualmente lí a notícia de mais uma evidência descoberta que coloca em “xeque” mais um pilar evolucionista referente aos “preciosos” e “infalíveis” métodos de datação:

    http://hypescience.com/a-atividade-solar-influencia-materiais-radioativos-na-terra/

    Mais uma “certeza” evolucionista indo por “ralo abaixo”

    Não demorará muito para que os pilares evolucionistas/naturalistas caiam por terra com o decorrer das DESCOBERTAS.

    Tenho muita fé.

    Viu só como não foi difícil reconhecer?

    Sds.

  36. André, não tenho nenhum segredo para revelar. Aqui nada é segredo para ninguém. Aqui apenas alguns tem dificuldades em aceitar a realidade.

    Mas vamos lá, vou tentar explicar melhor, já que pelo visto entre os crentes existe uma diferença entre o que se fala quando a conversa é apenas entre crentes e o que se fala quando do diálogo participam pessoas que não possuem a mesma crença… quando o papo é entre crentes o que se houve com propriedade de quem fala são coisas como “deus do impossível”, “deus que move montanhas”, “deus que recussita mortos”, “deus que nunca abandona”, mas quando aparece alguém um pouco mais questionador o papo muda um pouco e as certezas não são tão “binárias” assim certo?

    A minha dúvida basicamente é a seguinte: Temos uma família, evangélica praticamente, sempre temente a deus, um exemplo na congregação… por algum motivo, ao fazerem uma viagem, esquecem de amarrar seu filho na caderinha, acontece um acidente, ninguém se machuca mas o menino é arremessado para fora do carro e vai para uti…

    Os médicos dizem que o menino está com morte cerebral, mas a família faz uma força tarefa em todos os meios possíveis, igrejas, facebook, whatsapp, reunindo milhares (efetivamente) de pessoas, que ficam em oração o dia todo.

    Obviamente, o “naturalismo” age e infelizmente o menino não resiste.

    Isso me deixa um pouco em dúvida, já que o fidelidade é certa para quem acredita por isso a minha pergunta.

    Mas para deixar você e os outros crentes que são seletivos nas respostas vou colocar aqui as opções possíveis, acho que fica mais fácil você escolher uma resposta certo?

    1 – Deus existe, mas não interfere nas ações do ser humano, e os poucos casos onde alguém se salva numa situação parecida não foi milagre, apenas sorte.
    2 – Deus existe, e mesmo que milhares de pessoas façam a mesma coisa, ele escolhe ou tem sua regra para decidir qual será salva por um milagre, mas ninguém sabe qual é essa regra.
    3 – Deus não existe, e o resultado de tudo que acontece é baseado na lei da ação e reação. Esqueceu de amarrar -> foi arremessado para fora.
    4 – Deus existe, e tem um plano só dele onde pela morte de alguém querido ensina alguma coisa que a pessoa só percebe depois de um tempo sofrendo, mas que como no ponto 2 não sabemos como prever essas regras nem esse plano, já que ele não se encaixa em nenhum dos outros pontos.

    Imagino que tem consciência que cada uma das opções tem suas consequencias, e nenhuma dela casa com o que é pregado nas bocas de cultos…

    Claro, se eu for meio bobo e estiver deixando de enxergar a opção mais clara fique a vontade para me mostrar…

    Abraço
    Cristiano

  37. Cristiano

    Deus interfere no resultado das ações de um OU MAIS seres humanos providos de livre arbítrio?

    Não! se interferisse não haveria livre arbítrio!
    nem seres humanos só existiria uma unica vontade Deus.

  38. Eu por exemplo, jamais zombaria de uma pessoa que acreditasse neste velhinho ou de uma pessoa que possui a fé cega que dinossauros viraram colibris.

    O seu problema é que o processo científico chancela a evolução das espécies. Os seres vivos evoluem. Ao contrário do que o seu Deus afirma, nada nasce pronto. Um organismo evolui a partir de outro organismo. DARWIN desafiou a quem pudesse lhe mostrar um organismo que tivesse surgido do jeito que está agora. Se isso acontecesse, todo seu trabalho poderia ser jogado no lixo. E veja só: não se tem notícia de algo assim.

    Aí vem você, assim como outros iguais a você, dizer que isso é uma fé cega, desconsiderando pilhas e pilhas de material produzido que comprovam esse raciocínio, e evidências físicas (aos milhares) armazenadas e etiquetadas em museus e universidades pelo mundo todo.

    É o mesmo processo científico que produz coisas das quais você não duvida: o transporte aéreo, armas atômicas, computadores, tevê a cabo. Ah, mas veja que conveniente: o processo científico se equivocou quanto ao que nós somos.

    Não, nós não somos resultado de um processo evolutivo que levou bilhões de anos para transformar alguns átomos espalhados em seres humanos tão lindos quanto você.

    Nós somos os seres que uma criatura superpoderosa concebeu, para que fizéssemos churrasco para ele poder sentir o cheiro da carne assando…

    E é muito triste isso: saber que você não oferece sacrifícios ao seu Deus.

    Nem o cheiro do churrasco o coitado tem direito.

  39. Opa Criaturo,

    finalmente uma resposta um pouco mais honesta e direta….

    Mas então deus está cagando para as orações que pedem a reversão de alguma coisa causada pelo nosso livre arbítrio?

    Abraço
    Cristiano

  40. Diogo:

    Inclusive, atualmente lí a notícia de mais uma evidência descoberta que coloca em “xeque” mais um pilar evolucionista referente aos “preciosos” e “infalíveis” métodos de datação:

    http://hypescience.com/a-atividade-solar-influencia-materiais-radioativos-na-terra/

    Mais uma “certeza” evolucionista indo por “ralo abaixo”

    Ohhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!!!!! Minha fé naturalista foi abalada agora. Vou procurar uma boca de culto mais próxima de minha casa.

    Mas veja que essa inconstância no decaimento radioativo provocada pelas atividades solares é tão mínima que não chegaria a colocar por ”ralo abaixo” os métodos de datações radiométricas.
    Que por sinal não são os únicos métodos de datação e muito menos são absolutos em sua precisão (nunca nenhum cientista disse que eram), entretanto, mesmo aproximados são confiáveis quando se trata de mensurar idades gigantescas.

    Essa descoberta aí e sua gritaria esfuziante, Diogo, é equivalente ao caso do obeso mórbido que descobre que a balança da farmácia mais próxima não é precisa porque o calor variável do ambiente altera em milésimos de gramas os pesos mensurados nela.
    Ele fica furioso e joga por ”ralo abaixo” tudo o que se diz acerca da obesidade mórbida só porque o método de mensurar o peso não é tão preciso assim.

    Amém!

  41. Esse Diogo… é uma fanfarrão mesmo…

    Abraço
    Cristiano

  42. Marcio

    Mas veja que essa inconstância no decaimento radioativo provocada pelas atividades solares é tão mínima que não chegaria a colocar por ”ralo abaixo” os métodos de datações radiométricas.

    Aham… claro que não… Esta evidência EMPIRICAMENTE COMPROVADA só indica que o suposto “cronômetro” de TODOS supostos “Relógios radioativos”, não é constante em marcar o tempo……… só isso… nada de mais……. LOL
    :-D

    Como se já não bastasse o fato deste relógio NÃO TER UM PONTO INICIAL (pois ninguém estava no início para saber quanto era a quantidade inicial de isotopos-filhos), foi comprovado EMPIRICAMENTE que a fé em sua uniformidade é um engodo.

    É como seu eu tivesse um relógio em que não se conhece o ponto zero e que ao marcar o tempo, as vezes ficaria mais acelerado e as vezes mais lento.
    Que “confiável” é este relógio, não?

    Francamente…. é sério isso Marcio? Sério mesmo que fecharás os olhos para a realidade em prol uma crença???

    O método de datação radiométrico já foi comprovado falho a muito tempo. Não apenas pelas suas pressuposições incertas embasadas em fé, como em suas falhas e contradições empíricas em seus resultados.

  43. Nós somos os seres que uma criatura superpoderosa concebeu, para que fizéssemos churrasco para ele poder sentir o cheiro da carne assando…

    E é muito triste isso: saber que você não oferece sacrifícios ao seu Deus.

    Nem o cheiro do churrasco o coitado tem direito.

    Dizem que o Bom Velhinho finalmente se tornou vegetariano. Agora não é mais necessário tais sacrifícios à base de carne queimada.

    Se bem que tais sacrifícios dominicais me fazem o estômago roncar, eu os faço com prazer esporadicamente; eu fico com o sabor da carne assada ao ponto e o Bom Velhinho pode ficar com o odor que sobe aos céus.

  44. Cristiano

    com a devida licença :

    1 – Deus existe, mas não interfere nas ações do ser humano, e os poucos casos onde alguém se salva numa situação parecida não foi milagre, apenas sorte.
    Deus não interfere, nem salva da morte que ele mesmo criou.
    Para Deus a transformação do corpo humano é algo naturalmente necessária, para Deus todos vivem em algum lugar.

    2 – Deus existe, e mesmo que milhares de pessoas façam a mesma coisa, ele escolhe ou tem sua regra para decidir qual será salva por um milagre, mas ninguém sabe qual é essa regra.
    Em se tratando de seres inteligentes e “individuais” não ha regras nem padrões de condutas a serem seguidas, Na consciência Deus as transformações são inevitavelmente necessárias, sendo o tempo algo ilusório (relativo ao nível das consciências).
    Esse negócio de buscar pela salvação provocada pelo medo da não existência, ironicamente depõe contra um Deus Criador apontando para o ateísmo de um deus aniquilador (mais tiro no próprio pé dos crentes).

    3 – Deus não existe, e o resultado de tudo que acontece é baseado na lei da ação e reação. Esqueceu de amarrar -> foi arremessado para fora.
    Deus é um sistema que mantem uma natural existência que desconhecida causa atribui-se ao sobrenatural.
    Dentro deste sistema ha uma parte mecânica dando suporte a manifestação da inteligência, havendo uma inteiração .
    A inteligencia manipula a matéria e a matéria reage sentimentos na inteligencia.
    sim ! as leis da mecânica são cegas e a projeção, se não foi de alguma forma evitada ou manipulada por uma inteligencia, será o natural.
    Neste plano de consciência a inteligencia precisa estar revestida de matéria para poder atuar na matéria, por comparação nosso corpo seria o Joystick que da acesso a interagirmos com a realidade existente fora do nosso cérebro ( jogo imaginado por outros deuses).
    se um “fantasma” quiser compartilhar da nossa realidade ele terá que nos usar (nosso corpo) como um Joystick do alem, assim ele melhor prevendo o possível resultado da falha dos pais, poderia ter induzido no cérebro deles pensamentos alerta de perigo, ou então causar certa indisposição no motorista para que diminuísse a velocidade.
    Se nada foi feito para evitar tal desastre suponho que este foi necessário, porem sem poder justificar o por que.
    Penso que quando a morte ainda não é necessária todo universo conspira pra evita-la, quando sim é inevitável.
    Quando ela me chamar eu direi : “eis me aqui ! ”

    4 – Deus existe, e tem um plano só dele onde pela morte de alguém querido ensina alguma coisa que a pessoa só percebe depois de um tempo sofrendo, mas que como no ponto 2 não sabemos como prever essas regras nem esse plano, já que ele não se encaixa em nenhum dos outros pontos.

    Só faz planos quem desconhece o futuro, se conhece portanto sabe exatamente como funciona.
    Nós suas menores consciências inteligentes é que fazemos planos e queremos a adotar e cuidar da vida dos outros.

  45. Diogo:

    É como seu eu tivesse um relógio em que não se conhece o ponto zero e que ao marcar o tempo, as vezes ficaria mais acelerado e as vezes mais lento.
    Que “confiável” é este relógio, não?

    Francamente…. é sério isso Marcio? Sério mesmo que fecharás os olhos para a realidade em prol uma crença???

    Ok Diogo, doravante eu vou usar a bíblia para datar as coisas agora.

  46. Digo: Deus se conhece portanto sabe exatamente como funciona seu universo.

  47. Marcio

    faça pior , substitua seu cérebro pela biblia

  48. Barros

    O seu problema é que o processo científico chancela a evolução das espécies.

    Qual? Cite um.
    Que mecanismo AUMENTA a informação genotípica do ser ao ponto de transformar uma “ameba” em homens ou reescreve-laao ponto de transformar um RÉPTIL em uma AVE (mesmo com as GRITANTES diferenças abismais que possuem estruturalmente.

    Os seres vivos evoluem.

    Os seres vivos MODIFICAM-SE LATERALMENTE ou verticalmente a DECLÍNIO
    O sistema ISOLADO que compõe o genótipo de casa espécie possui FALHAS em sua replicação (via MUTAÇÃO).
    Qualquer sistema informacional com FALHAS em sua replicação, aumenta a sua ENTROPIA.

    Sabe o que isso significa, Barros?

    DARWIN desafiou a quem pudesse lhe mostrar um organismo que tivesse surgido do jeito que está agora.

    Em seu “desevangelho” (Origem da espécie) Darwin reconheceu, o que poderia “invalidar totalmente” sua teoria:

    “Se pudesse ser demonstrado que existiu algum órgão complexo, que não poderia ter sido formado por pequenas modificações, numerosas e sucessivas, a minha teoria seria totalmente invalidada.

    Darwin, embasado em seu conhecimento débil e sub-desenvolvido da época (onde se imaginava que a célula era uma “gosma”), “pregava” que os órgãos evoluíram durante um processo gradual.

    Portanto, graças aos avanços ocorridos no campo da bioquímica, especialmente nos últimos quarenta anos, podemos comprovar que a célula possui extrema complexidade IRREDUTÍVEL, operando como fábricas em miniatura, sendo originado por INFORMAÇÃO CODIFICADA.

    A “complexidade irredutível” e a Informação codificada, são fenômenos baseado em evidências empíricas que literalmente constitui a antítese da teoria de Darwin, destruindo-a por completo.

    Se Darwin estivesse vivo, com o conhecimento que temos hoje, certamente ele mesmo já teria negado esta crença.

    Se isso acontecesse, todo seu trabalho poderia ser jogado no lixo.

    Todo seu trabalho não. SOMENTE a crença (não comprovada e já refutada) da MACRO-EVOLUÇÃO.

    Aí vem você, assim como outros iguais a você, dizer que isso é uma fé cega, desconsiderando pilhas e pilhas de material produzido que comprovam esse raciocínio, e evidências físicas (aos milhares) armazenadas e etiquetadas em museus e universidades pelo mundo todo.

    Cite UMA evidência destas supostas pilhas que DE FATO comprove a MACRO-EVOLUÇÃO.
    Cite UMA Barros, sem que eu tenha de usar a minha “imaginação” e fé, nos supostos poderes não observados ou seque EVIDENCIADOS da “Mãe Natureza” e do “Pai Tempo” em transformar uma ameba em gente.

    É o mesmo processo científico que produz coisas das quais você não duvida

    Porém você duvida dela, ignorando suas conquistas em prol uma ideologia falida.
    Por exemplo os métodos científicos mostram claramente que LAMA, em um ambiente ESTÉRIL, não se tornará vida sozinho. (LEI da Biogênese)
    Os métodos científicos mostram claramente que INFORMAÇÃO CODIFICADA é derivação de INTELIGÊNCIA
    Métodos cientpificos demonstram que um sistema informacional ISOLADO, que possui FALHAS em sua transmissão, o faz INVOLUIR , PERDENDO informação (e não Evoluir, ganhando informação, como sua fé o leva a pensar)

    E é muito triste isso: saber que você não oferece sacrifícios ao seu Deus.

    O triste mesmo é saber que tu, assim como muitos de teus irmãos, CONTINUAM A OFERECER SACRIFÍCIOS aos vossos deuses (Mãe natureza, Tempo, Sorte, Acaso, etc…).
    Sacrificam as evidências observáveis, os métodos científicos, a lógica, a razão……., enfim… sacrificam a própria racionalidade, vivendo como loucos, estagnado a um fideísmo ilusório e mentiroso.

  49. Qual? Cite um.

    Citar “um processo científico”?? Só existe um processo científico. E ele não se baseia no que um Cientista onipresente contou em segredo para um profeta, pedindo para que fosse divulgado para toda a humanidade.

    Em seu “desevangelho” (Origem da espécie) Darwin reconheceu, o que poderia “invalidar totalmente” sua teoria:

    “Se pudesse ser demonstrado que existiu algum órgão complexo, que não poderia ter sido formado por pequenas modificações, numerosas e sucessivas, a minha teoria seria totalmente invalidada.”

    Darwin, embasado em seu conhecimento débil e sub-desenvolvido da época (onde se imaginava que a célula era uma “gosma”), “pregava” que os órgãos evoluíram durante um processo gradual.

    Portanto, graças aos avanços ocorridos no campo da bioquímica, especialmente nos últimos quarenta anos, podemos comprovar que a célula possui extrema complexidade IRREDUTÍVEL, operando como fábricas em miniatura, sendo originado por INFORMAÇÃO CODIFICADA.

    De onde você tirou aquele Portanto??????? KKKKkkkkkkk

    Será que você não percebe que o que vem depois de “portanto” não tem nenhum efeito contrário ao desafio proposto por Darwin?

    Ele não tinha mesmo nenhum conhecimento de genética porque, à época, ninguém tinha. Sua teoria é tão brilhante que os cientistas apenas inseriram esse novo campo do conhecimento nela e passaram a entender melhor coisas que o próprio Darwin nunca entendeu.

    Cê tá lendo demais o blog do Mat. Um português cristão fanático que, triste com o fato de não poder comprovar a existência de seu Deus, se ocupa em provar que Darwin estava errado. Talvez pensando: “Se Darwin não puder ser levado a sério, então Deus poderá ser levado a sério”.

    Você não consegue sustentar seus próprios argumentos, e, pior, tira conclusões num passe de mágica, vindas sabe Deus de onde.

    Eu não vou ficar aqui catando informação na internet pra tentar suprir tudo o que o seu curso supletivo não pôde. Pesquise você mesmo.

    O que há de mais fascinante no processo científico é que, ao contrário das suas crenças religiosas, todos os estudos, todos os dados e todas as conclusões são divulgadas pra todo mundo com o seguinte pedido:

    Me mostre que eu estou errado.

  50. Marcio

    Ok Diogo, doravante eu vou usar a bíblia para datar as coisas agora.

    Por mim Marcio, poderás utilizar até mesmo os gibis da turma da Mônica para fazer as suas datações, não me importo nem um pouco.

    O mais importante é que mais um pilar evolucionista, na qual foi imposta como “verdade absoluta”, se ruiu novamente diante das EVIDÊNCIAS EMPÍRICAS.
    Toda “pompa” e “certeza” que muitos evolucionistas tinham ao inferir estes métodos como se fossem perfeitos, assim como a credibilidade deles, cariam por terra.

  51. Cristiano

    Mas então deus está cagando para as orações que pedem a reversão de alguma coisa causada pelo nosso livre arbítrio?

    não importa o que façamos , a vida continuará eternamente reagindo sentimentos compatíveis as nossas ações.
    Se os sentimentos auto causados não agrada, evidenciam que devemos mudar o tipo de ação.

  52. Diogo:

    Por mim Marcio, poderás utilizar até mesmo os gibis da turma da Mônica para fazer as suas datações, não me importo nem um pouco.

    Buuuuuuu, prá você também!!!!

    O mais importante é que mais um pilar evolucionista, na qual foi imposta como “verdade absoluta”, se ruiu novamente diante das EVIDÊNCIAS EMPÍRICAS.
    Toda “pompa” e “certeza” que muitos evolucionistas tinham ao inferir estes métodos como se fossem perfeitos, assim como a credibilidade deles, cariam por terra.

    Besteira! Eles nunca antes disseram que os métodos de datação por decaimento radioativo eram absolutamente precisos, mas sim que davam uma estimativa aproximada para as datações.

    Essas pequenas variações na constante de decaimento causada pelas atividades solares ficam dentro da margem de erro.
    Que evidentemente jamais provocariam discrepâncias entre os bilhões de anos contra alguns milhares de anos.

    E você nem sequer atentou para o que é realmente relevante nessa descoberta da influência da radiação solar sobre o decaimento radioativo.

  53. Criatura

    Qual é o nome dessa sua religião ai que as ações são os que valem… que não adianta rezar pedindo para trocar o carro 1.0, que não adianta se arrepender de ser um traste colocando uma bíblia embaixo do braço… e de que as atitudes aqui interferem mais para o futuro do que simplesmente babar o ovo sagrado??? Pela primeira vez tenho a sensação de que existe um deus mais correto e mais moral para ser seguido….

    Vamos conversando… rsrsrsrs

    Abraço
    Cristiano

  54. Ops… Criaturo, errei o nome…

  55. Barros

    Citar “um processo científico”?? Só existe um processo científico.

    Não Barros, existem vários processos científicos. Cada escopo abordado, de cada área do saber (Humanas, Biológicas e Exatas) envolve um processo. Está confundindo “processo” com MÉTODO científico.
    Mas me diga Barros, se afirmas que a tua crença macro-evolutiva é chancelada cientificamente, cite UM processo que a corrobore.

    De onde você tirou aquele Portanto?

    Não sabe o que significa “portanto”?

    Seus sinônimos são:
    Mesmo que; logo, por conseguinte, consequentemente, por isso, assim sendo, desse modo, pois.

    Será que você não percebe que o que vem depois de “portanto” não tem nenhum efeito contrário ao desafio proposto por Darwin?

    Não Barros, é EXATAMENTE o contrário. Consequentemente a idéia de Darwin para o suposto “aumento de complexidade fenotípica”, veio o conhecimento da célula, (a “caixa preta” dele). Com esta “caixa preta” aberta, a tua ideia ficou “nua” sem nenhum local imaginário ou nebuloso para se esconder.

    Como eu disse, a célula não era mais a “gosma” simplês que se imaginava, mas sim uma micro-máquina biológica, formado de complexidade irredutível e informação codificada.
    Esta complexidade e informação, que até então era DESCONHECIDO, porém com o avanço da tecnologia ficou CONHECIDO, refutou as idéias atrasadas e arcaicas de Darwin.

    Ele não tinha mesmo nenhum conhecimento de genética porque, à época, ninguém tinha.

    Esta muito, mas muito enganado Barros (para variar)

    Gregor Mendel já tinha um estudo a respeito, na qual Darwin e seus adeptos, por pura ideologia a negaram.
    Novamente, somente com o AVANÇO científico, Darwin foi refutado e Mendel CORROBORADO EMPIRICAMENTE.

    Cê tá lendo demais o blog do Mat.

    Utilizaste descaradamente um Red Herring.
    Se não tens propriedade para embasar os teus argumentos, ou se não os conhece direito, não seria melhor ficar em silêncio, do que alegar coisas e não conseguir defende-las?

    Um português cristão fanático que, triste com o fato de não poder comprovar a existência de seu Deus

    Quem disse que ele, ou eu, ou todos Cristãos convictos, não comprovamos empiricamente a sua existência?
    Tu consegues comprovar o que falas ou simplesmente este argumento é reflexo de sua CRENÇA?

    se ocupa em provar que Darwin estava errado.

    Como existem pessoas que se ocupam a “enfiar goela abaixo” nos outros as doutrinas de Darwin, nada mais justo do que haver pessoas que mostrem o outro lado da moeda, não achas?

    Eu não vou ficar aqui catando informação na internet pra tentar suprir tudo o que o seu curso supletivo não pôde.

    Sou graduado em Administração com habilitação em finanças e possuo dois MBA´s, um em Gestão empreendedora de Negócios e outro em DBA Oracle. (sem contar que possui técnico em T.I)
    Não que isso faça diferença em nosso debate, porém só mostrei minhas qualificações e conhecimento simplesmente para refutar, novamente, as tuas alegações embasadas em tua crença pessoal, e demonstrar o qual errado tu és em teus julgamentos.

    O que há de mais fascinante no processo científico é que, ao contrário das suas crenças religiosas, todos os estudos, todos os dados e todas as conclusões são divulgadas pra todo mundo com o seguinte pedido:
    Me mostre que eu estou errado.

    Tu nem mesmo conseguiu ver a diferença conceitual entre processos científicos e METODOLOGIA científica, quem dirá saber o que cada um representa.

    Ademas, em que este desvio colossal de assunto o ajudaria a embasar o que falas?

    Barros, percebo muita arrogância e “self Selling” e pouco argumento e conhecimento de sua parte. Estou certo neste julgamento?
    Caso não, então aconselho: foque-se no assunto que TU MESMO LEVANTOU, e embase as tuas alegações.

    Com comportamentos evasivos passo a desconfiar que não sabes o mínimo do que está a defender.

    Sds.

  56. Criaturo:

    Marcio

    faça pior , substitua seu cérebro pela biblia

    Deus me livre! Prefiro o aniquilamento!

  57. Marcio

    Besteira! Eles nunca antes disseram que os métodos de datação por decaimento radioativo eram absolutamente precisos, mas sim que davam uma estimativa aproximada para as datações.

    Marcio, segundo a CRENÇA deles, esta estimativa contava com a PRESSUPOSIÇÃO de que os decaimentos eram constantes.
    Não sei se leste ou se ignoraste a notícia por completo (ou parte dela) porque ela refuta o principal pilar de tua fé (causando-lhe um desconforto psicológico), mas postarei suas citações principais:

    “”Ao examinar os dados de isótopos radioativos, os investigadores descobriram um desacordo nas taxas de decaimento medidas, o que vai CONTRA A CRENÇA de que essas taxas são CONSTANTES “”

    Sabe o que isso significa Marcio?

    Que todo “castelinho de areia” formado sobre os métodos de datação radiométrica (TODOS ELES), caíram a beira da praia.

    Essas pequenas variações na constante de decaimento causada pelas atividades solares ficam dentro da margem de erro.

    Que margem de erro, Marcio? Como vai se calcular margem de erro em uma taxa QUE NÃO É CONSTANTE e NÃO SE SABE o motivo de sua alteração??

    Pense Marcio…. pense…..

    Que evidentemente jamais provocariam discrepâncias entre os bilhões de anos contra alguns milhares de anos.

    Que Bilhões de anos, Marcio??? Que “Bilhões” de anos???
    Fala como se a tua fé, fundamentado em conjecturas incertas, fossem um fato consumado.
    É exatamente a crença NISSO que está sendo colocado em causa com esta descoberta.

    E você nem sequer atentou para o que é realmente relevante nessa descoberta da influência da radiação solar sobre o decaimento radioativo.

    Tu nem sequer atentaste nesta frase:

    “””Mas como o neutrino, que não interage com matéria normal, está afetando o índice de decaimento ninguém sabe. “”

    Se não se sabe o que altera o decaimento radioativo, como saberá que o mesmo sempre existiu e foi constante?

  58. Marcio

    Deus me livre! Prefiro o aniquilamento!

    Fique tranquilo Marcio, vivendo como tu vives, rejeitando o que rejeitas e crendo no que crês, provavelmente o teu desejo será concretizado. :-)

    Só não garanto que o processo que o levará para o tal, será agradável, afinal o mesmo dependerá da forma pelo qual viveste a tua vida.

  59. Diogo Morelli

    Você só entende a palavra fé se ela for associada a algum Deus? Parece que ficou com inveja da minha segurança, talvez seja incapaz de conceber a ideia de que uma pessoa pode ser muito feliz sem necessitar de Deus e religião, tanto é que destrinchou quase todos meus parágrafos com avaliações apenas dentro dos seus conceitos beatificados, como se a vida fora disso não tivesse valor.

    Ledo engano meu querido.

    Quanto ao seu link do site HypeSience, você se equivocou. O que tem a ver com a descoberta da alteração dos neutrinos por girarem mais lentamente no núcleo do sol do que a superfície e o que você entendeu dessa descoberta que beneficia ou dá apoio na sua crença em Deus? A ciência é assim mesmo, ela pode errar em cálculos e através destas descobertas ela vai eliminando os erros, evoluindo cada vez mais rumo as evidências.

    É o que o Barros lembrou sobre um lema da ciência: “Me mostre que eu estou errado

    No último filme da série “Cosmos – 2014” há uma consideração séria e honesta sobre a ciência que vou transcrever:

    Talvez a regra mais importante de todas. Lembre-se: você pode estar errado. Mesmo os maiores cientistas estiveram errados algumas vezes. Newton, Einstein e cada um dos maiores cientistas da história já cometeram erros.

    Claro, sim eles eram humanos. Ciência é uma maneira de evitar nos enganarmos… e aos outros.

    Até

  60. Ana Judice

    Você só entende a palavra fé se ela for associada a algum Deus?

    Não. Fé, nada mais é do que CONFIAR. Creio que já devo ter deixado claro isso em alguns comentários anteriores.

    Parece que ficou com inveja da minha segurança

    Não. Até mesmo porque em ti não há segurança alguma. Além disso, para ti (assim como para todos) há apenas a certeza da MORTE.

    talvez seja incapaz de conceber a ideia de que uma pessoa pode ser muito feliz sem necessitar de Deus e religião

    Talvez não. Talvez o que tu defines como “felicidade” difere do mesmo termo definido e vivido por mim.

    tanto é que destrinchou quase todos meus parágrafos com avaliações apenas dentro dos seus conceitos beatificados, como se a vida fora disso não tivesse valor.

    O fato de “destrinchar” os parágrafos, faz parte do meu “modus operandi” em se debater pela Web. Quem me conhece a mais tempo sabe disso.

    Quanto ao seu link do site HypeSience, você se equivocou.

    Ou não. Ou tu se equivocas por acreditar que me equivoquei.

    O que tem a ver com a descoberta da alteração dos neutrinos por girarem mais lentamente no núcleo do sol do que a superfície e o que você entendeu dessa descoberta que beneficia ou dá apoio na sua crença em Deus?

    Não tem nada a haver. Por isso nem ao mesmo inseri Deus no argumento. Quem o faz, equivocadamente agora és TU, confundindo alhos com bugalhos.

    A ciência é assim mesmo

    “A Ciência” não é nada, pois “A Ciência” não é uma entidade pessoal.

    ela pode errar em cálculos e através destas descobertas ela vai eliminando os erros, evoluindo cada vez mais rumo as evidências.

    Quem erram são os CIENTISTAS, e na maioria que adotam a crença naturalista, ao invés de assumirem um caminho correto, assumem o sentido contrário, voltando-se para a ignorância.
    Quando deparam com uma situação que colocam em “xeque” suas doutrinas naturalistas, simplesmente profetizam dizendo:
    “Nós não sabemos, mas um dia saberemos”

    Esta frase nada mais é do que dizer: “Eu não aceito outra resposta que não seja pelo modelo Naturalista”

  61. Eu me perdi no ponto em que o fato do decaimento radioativo não ser constante prova que a datação bíblica da Terra é verdadeira.

    Alguém pode me mostrar aonde isso tá demonstrado aqui no debate?

    Os cientistas do Senhor também não emitiram sua opinião quanto aos demais métodos de datação. Alguém se habilita?

  62. Diogo:

    Marcio, segundo a CRENÇA deles, esta estimativa contava com a PRESSUPOSIÇÃO de que os decaimentos eram constantes.

    Não sei se leste ou se ignoraste a notícia por completo (ou parte dela) porque ela refuta o principal pilar de tua fé (causando-lhe um desconforto psicológico), mas postarei suas citações principais:

    “”Ao examinar os dados de isótopos radioativos, os investigadores descobriram um desacordo nas taxas de decaimento medidas, o que vai CONTRA A CRENÇA de que essas taxas são CONSTANTES “”

    Sabe o que isso significa Marcio?

    Que todo “castelinho de areia” formado sobre os métodos de datação radiométrica (TODOS ELES), caíram a beira da praia.

    Sabe aquele método de querer fazer uma forminha parecer uma baleia azul?
    Ohhhhh! Os decaimentos radioativos não são assim tão constantes, pois descobriu-se que eles são afetados pela radiação solar.
    Que tragédia, agora todas aquelas datações usando radiometria (como se fosse o único método de datação)estão colossalmente erradas.

    Ufa! As variações que se descobriu existir nos decaimentos radioativos são tão mínimas que pouca relevância terão nos procedimentos de datação. Quando muito deverão admitir pequeníssimas correções que pouca influência teriam na prática.

    Que influência relevante teria se se descobrisse que a constante gravitacional na Terra também variasse muito minimamente, e bota minimamente nisso, com o tempo de acordo com a influência solar?
    Tudo o que se sabe de gravitação deveria ser jogado no lixo?

    Que margem de erro, Marcio? Como vai se calcular margem de erro em uma taxa QUE NÃO É CONSTANTE e NÃO SE SABE o motivo de sua alteração??

    Pense Marcio…. pense…..

    Por que se estabelece margem de erros Diogo?
    Pense…
    Será porque é devido à impossibilidade de calcular valores absolutos?

    Que Bilhões de anos, Marcio??? Que “Bilhões” de anos???
    Fala como se a tua fé, fundamentado em conjecturas incertas, fossem um fato consumado.
    É exatamente a crença NISSO que está sendo colocado em causa com esta descoberta.

    Leia de novo sobre o assunto.
    A tal variação não parece estabelecer erros tão substanciais nas datações à ponto de confundir bilhões de anos com alguns milhares.
    Quando muito exigiria alguma correção mínima que ainda assim estaria dentro da margem de erro.

    Tu nem sequer atentaste nesta frase:

    “””Mas como o neutrino, que não interage com matéria normal, está afetando o índice de decaimento ninguém sabe. “”

    Se não se sabe o que altera o decaimento radioativo, como saberá que o mesmo sempre existiu e foi constante?

    Hahahaha. Você acertou o alvo sem querer agora.

    Justamente, o fato mais relevante é a suposta interação do neutrino com a matéria normal.
    E justamente por isso é que pode-se inferir que tal interação deva ser tão ínfima que muito provavelmente afetariam pouquíssimo as taxas de decaimento radioativo.
    Vamos aguardar novos estudos e a confirmação ou não dessas observações indiretas.

    Fique tranquilo Marcio, vivendo como tu vives, rejeitando o que rejeitas e crendo no que crês, provavelmente o teu desejo será concretizado. :-)

    Só não garanto que o processo que o levará para o tal, será agradável, afinal o mesmo dependerá da forma pelo qual viveste a tua vida.

    Que Darwin puxe o seu pé à meia-noite de hoje!!!!

  63. Wagner Menke

    Quero ver agora a resposta dos crentes ao seu questionamento. Devem estar procurando pelos quatro cantos do mundo que, inclusive não tem cantos porque a terra é redonda, internet, livros técnicos científicos e até dentro da bíblia se é que ali existe alguma referência sobre os testes de radiação.

    Mas, o link que você deixou os levará a ter uma pequena noção para quem não entende nadica de nada do assunto.

  64. Eu cansei de debater com o Diogo Azetech.

    Acho mais fácil me convencer de que Deus existe e é o único deus verdadeiro, que amou tanto o mundo que deu seu filho unigênito para morrer pelos nossos pecados, para que todo aquele que nele cresse tivesse a vida eterna.

    Eu creio, Senhor. Agora eu creio. Ôôôô Glória. Salamantiurá bará caralaxamaraxá sarabalatará manxúria!!!!

    Ô, Senhor, só tu és Deus. Ó, Deus, só tu és o Senhor. E vice-versa.

    Só que eu mandei o Espírito Santo ir se fuder tantas vezes que eu acho que, ainda assim, eu iria pro Inferno, porque os pecados contra ele não podem ser perdoados, o que não permite que Deus seja onipotente, visto que não pode abrir uma exceção pra mim e me salvar.

    Então, vou continuar sendo ateu, mesmo acreditando em Deus.

  65. Diogo Morelli

    É claro, você agora entrou em consenso comigo mesmo se contradizendo.

    No nosso vocabulário fé significa confiança, crédito, crença, convicção, assim como um conjunto de dogmas religiosos, mas não necessariamente e no caso não estava me referindo a fé religiosa.
    A palavra fé não é propriedade exclusiva dos religiosos e pode ser aplicada universalmente acompanhada em qualquer termo que correspondas aos outros sinônimos, entendeu melhor seu “sabe-tudo”??

    Sim, eu tenho fé [confiança] sim, de que algum dia as pessoas possam abrir seus olhos à realidade.

    Tenho fé [convicção] em minha filha por seus próprios esforços, senão, não investiria nos seus projetos de vida.

    Sim, tenho muita fé: [ confiança, crédito, crença, convicção]

  66. Barros

    Minha vizinha fala esse idioma quando entra em “gozo” com Nossenhor Jesus Cristo.

    Salamantiurá bará caralaxamaraxá sarabalatará manxúria!!!!, é dai para pior. Esqueci de falar que essa vizinha mora distante 4 casas do meu prédio.

  67. Marcio @ Diogo

    Marcio :Deus me livre! Prefiro o aniquilamento!

    Exato ! substituir o cérebro pela biblia, seria o mesmo que anular a própria consciência.

    Diogo: Fique tranquilo Marcio, vivendo como tu vives, rejeitando o que rejeitas e crendo no que crês, provavelmente o teu desejo será concretizado. :-)
    Só não garanto que o processo que o levará para o tal, será agradável, afinal o mesmo dependerá da forma pelo qual viveste a tua vida.

    o “generoso” ateísmo pratico dos crentes prevê aniquilamento apenas para os outros.
    eles também só creem no inferno para os outros, pois se consideram herdeiros do paraíso eterno.

  68. Minha vizinha fala esse idioma quando entra em “gozo” com Nossenhor Jesus Cristo.

    Eu ia falar mais algumas blasfêmias, mas vou me conter.

    Eu fui expulso de uma comunidade religiosa no finado Orkut (na verdade eu fui expulso de todas as comunidades religiosas, mas esse caso é específico) porque eu disse que Jesus tinha tido um caso homossexual com o discípulo João.

    Esses dias eu repeti isso num comentário de um vídeo religioso no YouTube, e meu comentário já tem mais de 400 respostas. Ô povo preconceituoso. Será que eles não seriam capazes de amar um Jesus Gay?

  69. Pois então eu fico “cabrera”, imaginando como é que pode ser isso devido a distância e daí me vem na cabeça: Ahhh deve ser a força do Poder que bate forte na alma.
    Só sei que depois ela fica pelo menos uma semana calminha… calminha…

  70. Marcio

    Ufa! As variações que se descobriu existir nos decaimentos radioativos são tão mínimas que pouca relevância terão nos procedimentos de datação.

    Interessante este teu “Ufa”. Como minhas suspeitas indicavam, este método COMPROVADAMENTE FALHO, de fato é uma base para a tua fé naturalista.
    Além de métodos falhos e teu desejo latente em negar a Deus, tens algo que valide (ou no mínimo evidencie) o naturalismo filosófico (Ateísmo) como um fato, Marcio?

    Porém, voltando ao tema, infelizmente para ti, não foram descobertos variações CONTANTES, irrelevantes, de causa conhecida, onde supostamente poderá ser, por cálculos matemáticos, corrigidos.

    Descobriu-se que o decaimento NÃO É CONSTANTE e que a origem desta “anomalia”, para desespero dos físicos evolucionistas, NÃO SÃO CONHECIDOS .

    Porque acha que o texto expressamente disse frases como:

    “”Isso viola as leis da física como as conhecemos. “” , “”Mas enquanto isso é uma boa notícia para os astronautas, é má notícia para a física. “” , “”Mas talvez devamos nos preocupar que a nossa compreensão do sol e da física nuclear é mais fraca do que pensávamos. “”

    Com outras palavras, os físicos evolucionistas dizem: “estamos mais perdidos do que cegos em tiroteio e as nossas convicções são falsas”

    Por que se estabelece margem de erros Diogo?

    Como se calcula “margem de erro” a um evento desconhecido com ocorrências desconhecidas?
    Por exemplo, calcule para mim a margem de erro em tempo, num cronômetro que marcará 1 minuto, sendo que este cronômetro será acelerado ou desacelerado conforme meu bel prazer.
    Como calcularia isso se pelo meu bel prazer eu poderia reduzir este 1 minuto a 1 segundo ou expandi-lo para 10.000 anos?

    A tal variação não parece estabelecer erros tão substanciais nas datações à ponto de confundir bilhões de anos com alguns milhares.

    Novamente pergunto, que “Bilhões” de Anos Marcio??? Quem disse que o universo possui esta idade?? Tua fé? Tua crença???
    Se nem mesmo um método que dizia isso é confiável, quem dirá dos demais.
    A propósito tu sabe como os métodos de datação funcionam? Conhece suas limitações? princípios? Falhas?

    A tal variação não parece estabelecer erros tão substanciais nas datações à ponto de confundir bilhões de anos com alguns milhares.

    Novamente faço a mesma pergunta: “Que bilhões de anos?”
    Quem disse que eu tenho fé que o universo possui bilhões de anos?
    Só porque a tua crença o faz assumir esta conjectura, não significa que eu devo assumi-la.

    Justamente, o fato mais relevante é a suposta interação do neutrino com a matéria normal.

    Os Neutrinos NÃO INTERAGEM com a matéria normal.

    Qual parte do : “” Mas como o neutrino, que não interage com matéria normal (…) “” descrito no artigo não entendeste?

    E justamente por isso é que pode-se inferir que tal interação deva ser tão ínfima que muito provavelmente afetariam pouquíssimo as taxas de decaimento radioativo.

    Qual parte do “” (…) está afetando o índice de decaimento ninguém sabe .”” Não entendeste?

    Perceba o absurdo que está a dizer.
    Uma força DESCONHECIDA, de origem DESCONHECIDA, que torna o decaimento radioativo, que em tese é constante, em NÃO CONSTANTE, é chamado por ti de “Infimo”?

    Como se sabe se a mesma é ÍNFIMA se a sua CAUSA e INCIDÊNCIA não é conhecida?
    Ínfimo somente para tí, que não conhece a magnitude do problema.

    Os cientistas honestos que sabem disso, assumiram com palavras fortes o que este descobrimento representa a fé deles.
    Quer que eu os repita novamente?

    Sds.

  71. Wagner Menke

    Eu me perdi no ponto em que o fato do decaimento radioativo não ser constante prova que a datação bíblica da Terra é verdadeira.

    Para uma pessoa que dizia me ignorar, não acha que está lendo demais os meus comentários direcionados a outras pessoas?

  72. Só que eu mandei o Espírito Santo ir se fuder tantas vezes que eu acho que, ainda assim, eu iria pro Inferno,

    O engraçado é que esse comentário foi feito embaixo do artigo “Política de Conduta do Deusilusão”. Mas não estou te criticando, Barros, só achei irônico.

  73. Mas eu ainda não escrevi a Política de Conduta do meu blog. Quem sabe lá não estará escrito que só eu estou autorizado a falar palavrão? kkkkkkk

  74. Diogo:

    Interessante este teu “Ufa”. Como minhas suspeitas indicavam, este método COMPROVADAMENTE FALHO, de fato é uma base para a tua fé naturalista.
    Além de métodos falhos e teu desejo latente em negar a Deus, tens algo que valide (ou no mínimo evidencie) o naturalismo filosófico (Ateísmo) como um fato, Marcio?

    Oxe! Tu não sabes o que é ironia?

    Descobriu-se que o decaimento NÃO É CONSTANTE e que a origem desta “anomalia”, para desespero dos físicos evolucionistas, NÃO SÃO CONHECIDOS .

    Porque acha que o texto expressamente disse frases como:

    “”Isso viola as leis da física como as conhecemos. “” , “”Mas enquanto isso é uma boa notícia para os astronautas, é má notícia para a física. “” , “”Mas talvez devamos nos preocupar que a nossa compreensão do sol e da física nuclear é mais fraca do que pensávamos. “”

    Ai meu Zeus!
    Descobriu-se supostamente (acho que falta a confirmação disso por meio de revisão e replicação dos experimentos) que o decaimento radioativo sofre pequeníssimas variações por causa de alguma interação com partículas vindas do Sol, talvez neutrinos.

    E?
    E agora tem que se estudar e pesquisar para descobrir porque isso acontece. Qual o problema disso?

    Físicos evolucionistas?
    O que isso tem à ver diretamente com a Teoria da Evolução?
    Em que pequeníssimas variações no decaimento pode invalidar datações radiométricas aproximadas?

    Com outras palavras, os físicos evolucionistas dizem: “estamos mais perdidos do que cegos em tiroteio e as nossas convicções são falsas”

    Alguém por favor pode me explicar o que seriam físicos evolucionistas?
    Eu achava que eram os biólogos que estudavam a Teoria da Evolução.

    Como se calcula “margem de erro” a um evento desconhecido com ocorrências desconhecidas?
    Por exemplo, calcule para mim a margem de erro em tempo, num cronômetro que marcará 1 minuto, sendo que este cronômetro será acelerado ou desacelerado conforme meu bel prazer.
    Como calcularia isso se pelo meu bel prazer eu poderia reduzir este 1 minuto a 1 segundo ou expandi-lo para 10.000 anos?

    Analogia falsa.
    Essas variações do decaimento são mínimas acompanhando a forma cíclica como o Sol se comporta.
    Por isso se você pensar em ”n” variações para mais e “n” variações para menos, dentro de ciclos ocorrendo durante muitos e muitos milhares de anos, há que se supor elas acabariam se anulando.
    Entendeu?

    Novamente pergunto, que “Bilhões” de Anos Marcio??? Quem disse que o universo possui esta idade?? Tua fé? Tua crença???
    Se nem mesmo um método que dizia isso é confiável, quem dirá dos demais.
    A propósito tu sabe como os métodos de datação funcionam? Conhece suas limitações? princípios? Falhas?

    É o que as pesquisas exaustivas apontam, e me parecem mais plausíveis do que datar as coisas baseadas em contagens de gerações descritas num livro histórico e mitológico de um ÚNICO povo desse planeta.

    Quantos anos você acredita que a Terra tenha? E o Universo?
    Como você prova que não são bilhões anos?

    Novamente faço a mesma pergunta: “Que bilhões de anos?”
    Quem disse que eu tenho fé que o universo possui bilhões de anos?
    Só porque a tua crença o faz assumir esta conjectura, não significa que eu devo assumi-la.

    Sua fé é problema seu, assim como sua crença.
    Você creia naquilo que sua capacidade cognitiva é capaz de entender. Oras bolas!

    Justamente, o fato mais relevante é a SUPOSTA interação do neutrino com a matéria normal.

    Os Neutrinos NÃO INTERAGEM com a matéria normal.

    Qual parte do : “” Mas como o neutrino, que não interage com matéria normal (…) “” descrito no artigo não entendeste?

    Que parte do SUPOSTA interação você não entendeu?
    A descoberta é nova e eles estão supondo que o fenômeno é devido à interação dos neutrinos com os núcleos atômicos.
    E sim, os neutrinos interagem sim com a matéria, só que muito sutilmente, é preciso uma quantidade imensa deles para surtir algum efeito.
    Como é que você acha que eles conseguem detectar neutrinos? Hum? Se eles não interagissem com nada material, seriam indetectáveis.

    Os neutrinos interagem também por meio da força gravitacional e da força fraca dos núcleos. Talvez esteja aí o meio pelo qual eles alteram o decaimento nuclear. Atuando na força fraca.

    E justamente por isso é que pode-se inferir que tal interação deva ser tão ínfima que muito provavelmente afetariam pouquíssimo as taxas de decaimento radioativo.

    Qual parte do “” (…) está afetando o índice de decaimento ninguém sabe .”” Não entendeste?

    Perceba o absurdo que está a dizer.

    Oxe! Onde está o absurdo?
    Estar afetando o índice de decaimento não significa estar afetando de forma absurda. Aliás se isso acontecesse teríamos efeitos drásticos na matéria que ja teriam sido detectados há muito.
    Os efeitos são mínimos. Tanto que só agora aparentemente foram percebidos.

    E qual o problema de ninguém saber o porque disso ainda?
    Se só agora descobriram o efeito, é lógico que compreende-lo seria coisa futura, posteriormente com mais pesquisas. Ou não

    Uma força DESCONHECIDA, de origem DESCONHECIDA, que torna o decaimento radioativo, que em tese é constante, em NÃO CONSTANTE, é chamado por ti de “Infimo”?

    Acho que você mesmo não lê o que escreve, quanto mais um artigo de outro origem.

    Se origina do Sol.
    Não é uma força desconhecida, é algo que supostamente tem a ver com neutrinos.
    E a variação é ínfima porque se tal não fosse já sentiríamos há muito seus efeitos na matéria.
    Se era considerada constante e agora se descobre que não é mais por causa de efeitos mínimos e irrisórios, é quase irrelevante para certos sistemas, incluindo os que fazem datação por radiometria por decaimento radioativo.

    E quer saber?
    Na verdade esse decaimento deve ser constante se não sofrer influências de outras fontes de interação.
    É como a constante “C” da velocidade da luz. Ela só é constante no vácuo, para outros materiais transparentes ela sofre redução.
    Sob influência de forte força gravitacional ela também se altera.

    Como se sabe se a mesma é ÍNFIMA se a sua CAUSA e INCIDÊNCIA não é conhecida? Ínfimo somente para tí, que não conhece a magnitude do problema.

    É ínfima porque seus efeitos são ínfimos oras.
    Os neutrinos afetam debilmente a matéria, logo.
    A única coisa colossal que estou vendo sobre esse assunto são as altercações de certos criacionistas que querem interpretar uma pulga como se fosse uma baleia azul. :)

    Os cientistas honestos que sabem disso, assumiram com palavras fortes o que este descobrimento representa a fé deles.
    Quer que eu os repita novamente?

    Isso: “”Isso viola as leis da física como as conhecemos. “” , “”Mas enquanto isso é uma boa notícia para os astronautas, é má notícia para a física. “” , “”Mas talvez devamos nos preocupar que a nossa compreensão do sol e da física nuclear é mais fraca do que pensávamos. “”

    E como o Sr interpretou essas palavras?

  75. M&rD@, trunquei a formatação acima. Rssss!!!!
    Desculpem-me, não vou refazer de novo.
    Espero que consigam entender.

  76. Pois é Ana. Ainda bem que os físicos e geólogos que estudam de verdade estão aí pra nos dar respostas confiáveis.

    Já pensou o que seria do mundo se prevalecesse a opinião dos fundamentalistas religiosos de internet que fazem grandes descobertas da ciência somente lendo blogs e tirando conclusões sobrenaturais deles?

    Iria ser a treva. A Idade Média no séc. XXI!

    Grande abraço.

  77. Querem saber?

    Acho que isso é uma bobagem.
    Explicando:
    Os neutrinos podem se chocar com protóns.
    Prótons são constituintes dos núcleos.
    Átomos radioativos são instáveis.
    Neutrinos podem “disparar” ou forçar o decaimento natural do núcleo instável ao chocar com eles.
    O Sol deve ejetar mais ou menos neutrinos durante seus ciclos.
    Querem apostar que isso é a causa desse fenômeno?
    Nada que viole a física conhecida.

    É muito barulho por nada! Bah!

  78. Caros André e Diogo,

    Descreverei minhas considerações (que são muitas) por tópicos, da forma como vejo e entendo hoje, sem qualquer intenção de ofender ou desmerecer ninguém.

    Se houver alguma vossa colocação posterior, comentarei em outra oportunidade, vez que não tenho muito tempo a dedicar e não sou tão rápido de raciocínio como parece ser o Barros, sempre com respostas imediatas:

    A atribuição do “sobrenatural” a interferências divinas:

    O homem natural, em sua mente limitada por sua condição primitiva de ignorância, cria que um raio que caía, destroçava e ateava fogo a uma árvore com uma força extraordinária, só poderia ter como agente causador algum ser extremamente poderoso e superior a ele.

    Todos os acontecimentos de magnitude, como secas, inundações e terremotos, similarmente ao que sucede nos sentimentos humanos em suas convivências com seus semelhantes, eram atribuídos à ira, vingança e penalização desses super-seres que estariam, por algum motivo, descontentes com eles.

    Assim, como comum à história de povos primitivos, naturalmente supersticiosos, nasceram os deuses, poderosos, mas possuidores de qualidades, emoções, paixões e reações basicamente humanas, mimados, birrentos, vingativos, volúveis, egoístas e infantis, ou seja, criados “à imagem e semelhança” do próprio homem.

    Os deuses sobrevivem e são necessários apenas na ignorância e no medo, sendo destruídos pelo conhecimento (“Quanto mais aprendemos, de menos deuses precisamos”).

    Portanto, não vejo a crença em divindades como uma necessidade natural nossa de “ligação com o criador”, mas como fruto de nosso temor ante a morte, incerteza quanto ao que acontecerá após ela, anseio de segurança e felicidade plenas nesta vida e desejo e esperança de uma vida pós-morte, sem fim.

    “A ignorância e o medo; estes são os dois pilares de toda religião.” (Barão d’Holbach)

    O nosso cérebro:

    Cientificamente falando, amor, compaixão, ódio, tristeza, alegria, enfim, sentimentos e emoções em geral, assim como nossa memória são todos produto de reações eletroquímicas que ocorrem em nossos cérebros.

    Disturbios cerebrais como a Síndrome de Fregoli, Síndrome da Má Identificação Delirante, Agnosia Visual, Prosopagnosia, Somatoparafrenia, Mal de Alzheimer, Amnésia Global Transitória (AGT), Epilepsia, Mal de Parkinson, etc, comprovam isso de forma clara. Todas essas doenças, entre outras tantas, afetam o seu bom funcionamento químico e/ou elétrico, aí incluídos os neurônios, a sua “fiação elétrica“, alterando a nossa percepção e, em alguns casos, até mesmo nosso entendimento e personalidade.

    Os psicopatas, por exemplo, não se arrependem, não sentem remorso ou culpa, nem empatia e são frios e calculistas.

    Em resumo, a essência do que somos e nossa personalidade enquanto indivíduos, está diretamente vinculada ao bom funcionamento dessas reações.

    Ciência x Religião – Fé x Razão:

    Vejo-as como inimigas irreconciliáveis!

    Como já citado: enquanto a religião (a “fé”) nos diz: “acredite em tudo, sem duvidar, mesmo não havendo provas”, a ciência (a razão) nos diz: “duvide de tudo, a menos que se prove”!

    “O que pode ser afirmado sem provas pode ser dispensado sem provas.” (Christopher Hitchens).

    Concordo que a ciência ainda não tem resposta para tudo e nem é perfeita e infalível, havendo mistérios no Universo que, acredito eu, nunca chegaremos a desvendar, ficando apenas no campo das conjecturas.

    Mas, tenho para mim, que é mais importante o exercício libertador e criativo da dúvida, do que o conformismo escravizador e estagnador da fé.

    “O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida.” (Carl Sagan)

    A curiosidade humana é algo fabuloso, e, apesar de nossas hoje intransponíveis limitações de tempo e velocidade diante da vastidão do Universo, quantos maravilhosos avanços tecnológicos e descobertas fizemos, em tão pouco tempo, dentro desse nosso “pálido ponto azul” (citando, novamente, Carl Sagan), nas mais variadas áreas, tudo graças à ciência, desde o domínio do átomo, até o projeto genoma, quebrando mitos e crenças antigas, coisas essas que, a depender da mentalidade retrógrada e bitolada e da vontade da igreja, não chegariam a existir, continuando nós a viver na idade média, possivelmente ainda queimando bruxas, hereges, ateus e homossexuais.

    Erros e contradições da bíblia:

    Existem, sim, são evidentes, inexplicáveis, e muitos – qualquer pessoa que, como eu fiz, analisá-los honestamente reconhecerá isso -, e demonstram a falibilidade da bíblia e o fator humano presente em seus textos, estando por mim listados (alguns) em: http://irineucostajunior.wordpress.com/2013/11/11/erros-da-infalivel-palavra-de-deus/,
    e pelo Barros em: https://deusilusao.com/2013/10/21/contradicoes-biblicas-drops-1-2/.

    Exemplos:

    – Gadara ou Gerasa? Um endemoninhado ou dois? Marcos 5:1 x Mateus 8:28.
    – Como a manada de porcos se precipitou no mar, se nenhuma das duas cidades eram costeiras? Mateus 8:32 e Marcos 5:13,
    e:
    – Onde se encontra a profecia citada em Mateus 2:23: “Ele será chamado nazareno”?

    Quem tiver interesse, fique à vontade para explicá-los, mas seja honesto!

    Explicações ridículas e desonestas, do tipo: “Satanás enterrou os fósseis de dinossauros para confundir a fé dos homens” ou que “a bíblia é científica, pois já afirmava em Isaias 40:22: Ele é o que está assentado sobre o círculo da terra” (o “círculo” é plano e é diferente de “globo”!), não valem!

    “Se deus quisesse nos enviar uma mensagem, e escritos antigos eram a única maneira que ele poderia pensar em fazer isso, ele poderia ter feito um trabalho melhor.” (Carl Sagan)

    Adições, edições e adulterações biblicas, diferenças de traduções e referências a livros apócrifos. Exemplos:

    – Marcos 16:9-20 e João 7:53 a 8:11, são exemplos de adições, não fazendo parte dos manuscritos mais antigos.

    – Salmos 8:5: “Contudo, pouco abaixo de Deus o fizeste; de glória e de honra o coroaste”, o termo “Deus” (Elohim) foi propositadamente substituído por “Anjos” (“Angelos”), na Septuaginta, que serviu de base para a tradução de João Ferreira de Almeida, versão Revista e Corrigida. Trata-se de uma edição e adulteração.

    – Judas, em sua epístola, faz referência a dois livros apócrifos, certamente cridos por ele como tendo autoridade divina:
    Judas 1:9 refere-se a “registro histórico” do livro apócrifo “A Assunção de Moisés”.
    Judas 1:14,15 refere-se a uma profecia do apócrifo “Livro de Enoque”.

    – Diferenças de traduções que mudaram sensivelmente o sentido das frases:
    2 Timóteo 3:15, texto comumente usado para defender a inspiração da bíblia. Na primeira se afirma que “toda Escritura É inspirada por deus”. A outra dá outro sentido:

    1) “Toda Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça” (Versão Revista e Atualizada);

    2) “Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça” (Versão Revista e Corrigida).

    A adulteração de textos na antiguidade era uma prática sabida e até comum, haja vista que no livro de Apocalipse (22:18,19) são ameaçados com pragas e punições aqueles que lhe fizessem acréscimos ou supressões.

    A formação do cânon do Novo Testamento: o fator humano aqui também presente:

    Há registros de que a formação do cânon do NT, até a sua versão final, foi complicada, polêmica e demorada, sempre havendo controvérsias sobre quais livros seriam de fato “inspirados” e autênticos e quais não.

    No início, o Apocalipse de João chegou a ser considerado livro adulterado, tendo sido rejeitado por um tempo, e polêmicas também existiram com respeito a II João, III João e Judas.

    Numa das primeiras versões conhecidas do NT, não foram incluídas as epístolas aos Hebreus, de Tiago e nem I e II Pedro.

    Da mesma forma, outros livros já estiveram no cânon do NT, porém depois foram rejeitados, como a Primeira Carta de Clemente aos Coríntios (séc. I) e o Pastor de Hermas (séc. II).

    A primeira referência escrita sobre ele, da forma como temos hoje, data de 367 d.C., depois da morte de Constantino (337 d.C.).

    Epifanias:

    Pergunto: porquê, no seu entender, as epifanias de João e Moisés seriam verdadeiras e as de Maomé e Buda, não?
    Aqui, sim, está havendo “parcialidade e desejo pessoal”, com o que um muçulmano e um budista, ao contrário, certamente não concordariam!

    “Mitologia é o nome que damos às religiões dos outros” (Joseph Campbell).

    Lavagem cerebral:

    Exemplos de dogmas: inspiração, infalibilidade e divindade da bíblia, virgindade perpétua de Maria, a assunção de Maria, Maria, mãe de deus, os “Santos”, a transubstanciação, a Santíssima Trindade, a instituição do papado, a infalibilidade papal, o purgatório, o batismo infantil, o celibato do clero, etc.

    Todos os dogmas chegam-nos por tradição. Alguém, em algum momento e por alguma razão, achou que alguma coisa seria assim, ou teve uma “iluminação”, uma “experiência mística”, uma visão ou revelação que acreditou ser real e divina.

    Não há quaisquer provas ou evidências factuais, mas, mesmo assim, é-nos sutilmente incutido aquilo e, como premissa da fé que abraçamos e nossa convicção de que isso seria verdade e da “vontade de deus”, de bom grado aceitamos.

    A força e influência da religião sobre nossas mentes é tamanha, que deliberadamente desabilitamos nossa razão, nosso “firewall” biológico, nosso “simancol”, aceitando, sujeitando-nos e ferrenha e fanaticamente defendendo, de forma inquestionável, como verdadeiros autômatos pré-programados, nossas doutrinas, nossos líderes e nossa instituição.

    A esse condicionamento e estado mental alterado dá-se o nome de “lavagem cerebral”.

    “Quando a fé é exaltada acima de tudo, disso segue-se necessariamente o descrédito à razão, ao conhecimento e à investigação meticulosa: o caminho que leva à verdade torna-se proibido.” (Friedrich Nietzsche).

    “Uma das lições mais tristes da história é a seguinte: se formos enganados durante muito tempo, temos tendência a rejeitar qualquer prova de fraude. Deixamos de estar interessados em descobrir a verdade. A fraude apanhou-nos.” (Carl Sagan, em “O Mundo Assombrado por Demônios”)

    “A fé é enganosa”:

    Porquê todos (me coloco no meio, falando no passado) somos tão convencidos a ponto de achar que a nossa religião e a nossa fé é que são as verdadeiras, que nós é que temos a “sã doutrina”, que nós é que estamos certos e todos os demais errados, que só nós é que vamos para o céu e que todas os demais estão enganados – e enganando outros – e precisam se converter ou irão para o inferno?

    Porquê nunca refletimos sobre a possibilidade de nós sermos os errados, sendo outros, por exemplo, os muçulmanos, os verdadeiros “fiéis”?

    Porquê nunca admitimos a possibilidade de, em última instância, todos nós estarmos errados e desperdiçando nossos tempos e nosso dinheiro e deixando de viver com mais paixão cada momento desta nossa curta existência, na esperança de uma vida melhor além morte?

    Albert Einstein:

    “A Ciência sem religião é manca. Religião sem ciência é cega.”
    (Albert Einstein).

    Há uma confusão dos cristãos sobre a religiosidade de Einstein.

    Há outras duas frases dele que ilustram melhor o que era “religião” para ele:

    “Foi, é claro, uma mentira o que você leu sobre as minhas convicções religiosas, uma mentira que está sendo sistematicamente repetida. Eu não acredito num Deus pessoal e eu nunca neguei isso mas expressei claramente. Se existe algo em mim que pode ser chamado de religioso, esse algo é a admiração ilimitada pela estrutura do mundo tão longínqua quanto a nossa ciência pode revelar.”

    “A palavra Deus, para mim, é nada mais que a expressão e produto da fraqueza humana; a Bíblia, uma coleção de lendas honradas, mas ainda assim primitivas, que são bastante infantis.”

  79. Diogo,

    Você nos desdenha dizendo que acreditamos “que uma poça de lama, sozinha, pode se tornar vida”, o que está longe de ser verdade, pois o que se acredita é apenas que a vida foi formada inicialmente na água, mas, por outro lado, crê nas fantasiosas estórias bíblicas sobre:

    – fazer um homem do barro e soprar vida em suas narinas;
    – fazer uma mulher de uma costela;
    – cobras e mulas que falam;
    – a existência de uma “árvore da vida” e outra do “conhecimento do bem e do mal” num paraíso perfeito que foi perdido por que Adão, nosso pai, pecou, e esse pecado teria passado para todos, e por isso todos morremos (veja se isso confere com Ezequiel 18:19,20);
    – um céu que é uma abóboda sólida (firmamento);
    – a existência de água acima do firmamento;
    – uma Terra plana rodeada de abismos;
    – uma Lua com luz própria (Gênesis 1:16);
    – um Sol e uma Lua que giram em torno da Terra (geocentrismo);
    – morcego que é ave, lebre que é ruminante e insetos alados com 4 pés;
    – a existência de um deus que diz que não muda (Malaquias 3:6), mas que depois muda (Êxodo 20:5 x Josué 7:24-26 x Ezequiel 18:19,20);
    – um suposto dilúvio que abrangeu todo o planeta e que todos os animais existentes no mundo foram salvos em um barco (estória, aliás, que é plágio de um conto mesopotâmico);
    – um Mundo com apenas 6.000 anos e inexplicáveis fósseis de dinossauros, etc

    Meu caro, a sua insinuação dizendo que acreditamos em baboseiras, parece ter-se virado contra você mesmo!

    A propósito, tente explicar os erros e contradições da bíblia, já que você acredita estar lá toda a verdade, perfeição e infalibilidade.

  80. Percebi, depois, que me expressei mal em dois de meus comentários, pelo que faço as devidas correções nas frases:

    “A esse processo de condicionamento e alteração de estado mental dá-se o nome de “lavagem cerebral”.”

    “– um suposto dilúvio que abrangeu todo o planeta e que exemplares de espécies de todos os animais existentes no mundo (não há consenso se foram um par de cada para todos ou se, de alguns, foram sete, os “animais limpos”, cujo conceito ainda não existia em Gênesis, mas só foi criado posteriormente, na Lei) foram salvos em um barco (estória, aliás, que é plágio de um conto mesopotâmico).”

  81. Marcio

    Descobriu-se supostamente (acho que falta a confirmação disso por meio de revisão e replicação dos experimentos) que o decaimento radioativo sofre pequeníssimas variações por causa de alguma interação com partículas vindas do Sol, talvez neutrinos.

    Não há “SUPOSTA” alteração no decaimento radioativo, há DE FATO esta alteração, na qual foi EMPIRICAMENTE COMPROVADA em laboratório:

    “”Ao examinar os dados de isótopos radioativos, os investigadores descobriram um desacordo nas taxas de decaimento medidas , o que vai contra a crença de que estas taxas são constantes. “”:

    Sabe o que significa a palavra “Descobrir” ?

    Agora o fato deste “desacordo” ser “pouquissimo” (conforme tu alegas), não está na reportagem, mas sim é um acréscimo teu.
    Aliás se de fato fosse “pouquissimo” os cientistas não ficariam espantados com a DESCOBERTA.

    E agora tem que se estudar e pesquisar para descobrir porque isso acontece. Qual o problema disso?

    Para mim, nenhum, pois não tenho fé nesta mitológica idade do universo que vocês creem. Porém para VOCÊS, que dependem da suposta uniformidade no decaimento para embasar o método de datação radiométrico (pilar da vossa fé) é um problema ENORME. (Por isso vemos o espanto dos cientistas)

    Físicos evolucionistas?
    O que isso tem à ver diretamente com a Teoria da Evolução?

    Marcio, não acredito que não saibas que a mitológica “evolução” não se resume a nível biológico. Esta mitologia consumada por Darwin, passou a fazer parte da cosmologia e da química. por isso temo os termos:
    “Evolução Cósmica” , “Evolução Estelar” e “Evolução Química”

    Qualquer cientista adepto desta crença, seja ele qual âmbito for, é considerado evolucionista.

    Em que pequeníssimas variações no decaimento pode invalidar datações radiométricas aproximadas?

    “Pequeníssima” é o que teu ACHISMO diz. Eu não vejo esta característica descrita na reportagem. Poderia cita-la, fazendo um “Copy+Paste” demonstrando NA NOTÍCIA que as variações são “pequeníssimas” ?

    Alguém por favor pode me explicar o que seriam físicos evolucionistas?
    Eu achava que eram os biólogos que estudavam a Teoria da Evolução.

    Pesquise sobre “Evolução Cosmica/Estelar” e saberá quem são os Físicos evolucionistas.
    Marcio, com todo respeito, mas este teu desconhecimento sobre o assunto núcleo de sua fé, chega a ser vergonhoso.
    Eu que não possuo esta crença conheço mais do assunto do que você?

    Essas variações do decaimento são mínimas acompanhando a forma cíclica como o Sol se comporta.

    A forma “cíclica” é mero achismo teu. A reportagem não fala que as alterações no sol ocorrem ciclicamente. Ela simplesmente diz que quando há alteração na atividade solar, há alteração no decaimento.

    É o que as pesquisas exaustivas apontam

    Se há “pesquisas” então significa que poderá citar uma, correto? Pois bem, cite uma destas “pesquisas” que COMPROVAM que o universo possui esta idade toda.

    e me parecem mais plausíveis do que datar as coisas baseadas em contagens de gerações descritas num livro histórico e mitológico de um ÚNICO povo desse planeta.

    Como disse anteriormente, Marcio, poderás utilizar a tua datação através dos gibis da turma da mônica, se assim desejar. Não me importo com isso.
    Porém não poderá imputar AS TUAS CRENÇAS como se fossem verdades absolutas, quando as mesmas NÃO SÃO COMPROVADAS
    O fato é que o modelo evolucionista de datação, tem mais furos do que “peneira de pedreiro”. Furos metodológicos, experimentais, pressuposições FUNDAMENTADOS EM FÉ, enfim, não é digna de ser confiável.
    Com tantos furos, não espere que eu venha acatar estas convicções como factuais.

    Quantos anos você acredita que a Terra tenha? E o Universo?

    Que diferença faz no que eu acredito?

    Como você prova que não são bilhões anos?

    Não sou eu quem está imputando esta “realidade” na mente dos outros. O ônus cabe a alegação de quem afirma. Se vocês evolucionistas possuem a fé que o universo e a terra possuem esta idade, e tentam imputar esta fé como se fosse um fato, são vocês que deverão comprovar.
    Até o momento estas “comprovações” são fundamentados em métodos falhos e pressuposições embasados em fé.

    Sua fé é problema seu, assim como sua crença.

    Exato Marcio. O mesmo vale para vocês. Agora quando tentam imputar a vossa FÉ como se fossem um fato, deverão primeiramente COMPROVA-LA como o tal.
    Entendeste meu ponto?

    A descoberta é nova e eles estão supondo que o fenômeno é devido à interação dos neutrinos com os núcleos
    atômicos.

    Pelo que se sabe, o Neutrino NÃO INTERAGE com a matéria normal. (isso está bem claro na reportagem)

    E sim, os neutrinos interagem sim com a matéria, só que muito sutilmente, é preciso uma quantidade imensa deles para surtir algum efeito.

    “Claro” que interage, por isso que a reportagem disse:

    ” Mas como o neutrino, que NÃO INTERAGE com matéria NORMAL , está afetando o índice de decaimento ninguém sabe. “”

    Acho que está a confundir matéria NORMAL com Matéria NUCLEAR , por exemplo.

    Não sei se sabes, mas existem vários tipos de matéria.

    Porém a reportagem é bem clara em falar que os Neurinos NÃO INTERAGEM com a Matéria NORMAL

    Agora se ela interagisse… então sim, seria um problema enorme para todos habitantes da Terra, afinal cada centímetro quadrado do nosso é bombardeado por 100 bilhões de neutrinos a cada segundo.

    Estar afetando o índice de decaimento não significa estar afetando de forma absurda.

    Se para ti a alteração em um suposto cronômetro QUE DEVERIA SER CONSTANTE não é nenhum problema, então não há nada que eu possa dizer.

    Aliás se isso acontecesse teríamos efeitos drásticos na matéria que ja teriam sido detectados há muito.

    Os neutrinos NÃO INTERAGEM com a Matéria normal Marcio. Será que ainda não lhe ficou claro?
    O problrma não é a matéria, mas sim o DECAIMENTO e os MÉTODOS DE DATAÇÃO

    Os efeitos são mínimos.

    “Efeitos mínimos” é por tua conta e risco. A Reportagem não revela que esta diferença é mínima.

    Tanto que só agora aparentemente foram percebidos.

    Não foram “aparentemente”, eles foram DE FATO percebidos.

    Se origina do Sol.

    Muito vago para ser a fonte da origem.
    Seria como eu dizer que a origem das chuvas no estado de são Paulo provém da Terra.

    Não é uma força desconhecida, é algo que supostamente tem a ver com neutrinos.

    Neutrinos não interagem na matéria normal, portando como A PRÓPRIA NOTÍCIA CLARAMENTE SE DIZ, ela é desconhecida.

    E a variação é ínfima porque se tal não fosse já sentiríamos há muito seus efeitos na matéria.

    NÃO HÁ efeitos na matéria normal, pois os neutrinos não interferem nela . A NOTÍCIA DEIXOU ISSO CLARO

    Se era considerada constante e agora se descobre que não é mais por causa de efeitos mínimos e irrisórios

    “Mínimos” e “irrisórios” São características dadas por sua conta e risco. A notícia não diz isso, pelo contrário, ela declara que esta descoberta trará MUDANÇAS SIGNIFICATIVAS ao modelo hoje vigente.

    é quase irrelevante para certos sistemas, incluindo os que fazem datação por radiometria por decaimento radioativo.

    Agora eu digo que és tu quem não lê o que escreve, pois se a constância do decaimento é a FORÇA MOTRIZ do método de datação radioativa, e a mesma FOI COMPROVADA FALSA, não há irrelevância nenhuma.

    Na verdade esse decaimento deve ser constante se não sofrer influências de outras fontes de interação.

    Diz isso fundamentado na tua fé?
    Porque até o momento não há nenhuma pesquisa que embase esta tua CRENÇA.

    É como a constante “C” da velocidade da luz.

    Não sei se tu sabes, mas esta suposta “constante” não foi comprovado empiricamente.
    É apenas PRESSUPOSTO esta decorrência na Teoria de Einsten, que por sinal poderá ser revista:
    http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI1833948-EI238,00.html

    Perceba Marcio, que novamente está querendo utilizar uma CRENÇA como se fosse um fato, observado e comprovado.
    Será que até o momento não percebeste que ao contrário de ti, sou uma pessoa cética a estes argumentos sem comprovações?

    É ínfima porque seus efeitos são ínfimos oras.

    Os efeitos não são nada “ìnfimos” para os MÉTODOS DE DATAÇÃO RADIOMÉTRICOS, que depende EXCLUSIVAMENTE de sua constância.

    Com todo respeito, Marcio, mas com comentários desta magnitude passo a desconfiar que tu não está a compreender o que está a falar.

    E como o Sr interpretou essas palavras?

    Não há muito no que se “interpretar” em palavras claras ditas por estes cientistas.

    Sds

  82. Irineu Costa Junior

    Você nos desdenha dizendo que acreditamos “que uma poça de lama, sozinha, pode se tornar vida”, o que está longe de ser verdade, pois o que se acredita é apenas que a vida foi formada inicialmente na água

    Na verdade não há consenso na crença de vocês. Uns dizem que a vida originou-se da lama, outros da água, outros empurram o problema LITERALMENTE para fora, dizendo que a vida foi semeada por ET´s, enfim independentemente da fé que vocês possuem, TODAS ELAS são refutadas empiricamente, pois pelas análises laboratoriais revelam claramente que “APENAS VIDA É CAPAZ DE GERAR VIDA” (Lei da Biogênese)

    Então, independentemente se vocês creem que foi em uma poça de lama ou uma poça de água, não há diferença nenhuma, pois ambas conjecturas não são científicas.

    Meu caro, a sua insinuação dizendo que acreditamos em baboseiras, parece ter-se virado contra você mesmo!

    Muitos de vocês acreditam duplamente em baboseiras. A primeira por acreditar que uma poça de lama (ou água) SOZINHOS são capazes de “virar” vida (mesmo quando CIENTIFICAMENTE está fé foi REFUTADA).
    A segunda por ACHAREM que esta conjectura Bíblica falaciosa (espantalho) desenhado por ti, faz parte de nossas convicções.
    Isso sem contar que acreditam que DINOSSAUROS se transformaram em COLIBRIS (o que na minha opinião é o mais absurdo de todos.)

    A meu ver, estas crenças e convicções compartilhados por muitos de vocês, são, na minha visão, “baboseiras”

    A propósito, tente explicar os erros e contradições da bíblia

    De que adianta eu tentar te explicar se tu está DETERMINADO a não entender?
    Amigo, sem faltar-lhe com o respeito, o que tu entendes ou deixa a entender da Bíblia, a mim, não faz diferença nenhuma.
    O importante é o que EU entendo dela.

    Se queres entende-la por completo, deixe a tua determinação em NÃO ENTENDE-LA de lado, busque estuda-la POR SÌ MESMO, e evite receber as informações “mastigadas” de outra pessoa.

    Tu diz se considerar um “Ex-Cristão”, porém com o conhecimento Bíblico que demonstraste com estes comentários a respeito dela, e com a alegação de que sofreste uma “lavagem cerebral”, NUNCA foste, de fato, um Cristão convertido. No máximo foste um seguidor de “pastores/padres” convencido via “lavagem cerebral” das convicções deles.

  83. Diogo:

    Bom, leia esse outro artigo:

    “Read more at: http://phys.org/news202456660.html#jCp

    Uma equipe de cientistas das universidades de Purdue e da Universidade de Stanford descobriram que o decaimento de isótopos radioativos flutua em sincronia com a rotação do núcleo do sol.
    As flutuações parecem ser muito pequeno, mas pode levar a ferramentas de previsão de erupções solares e pode ter um impacto sobre os tratamentos de radiação médica.
    Isso adiciona à evidência de oscilações nas taxas de decaimento em resposta à atividade solar ea distância entre a Terra eo sol que Purdue pesquisadores Efraim Fischbach, um professor de física, e Jere Jenkins, um engenheiro nuclear, foram de encontro para os últimos quatro anos . A equipe de Purdue relatado anteriormente observar uma queda na taxa de decaimento, que começou um dia e meio antes e atingiu o pico durante a erupção solar dezembro de 2006 e uma variação anual que parecia basear-se em órbita da Terra de, e mudando distância, o sol , disse Jenkins.
    “Se a relação entre as taxas de actividade e de decaimento solares prova ser verdadeira, isso poderia levar a um método de prever erupções solares, o que pode ajudar a evitar danos a satélites e redes elétricas, bem como salvar as vidas dos astronautas no espaço”, Jenkins disse. “Achar que as taxas de decaimento flutuar em um padrão que corresponde freqüências solares conhecidas e teóricas forte evidência de uma influência solar sobre as taxas de decomposição.”
    Jenkins e Fischbach colaborou com Peter Sturrock, professor emérito de física aplicada da Universidade de Stanford e especialista sobre o funcionamento interno do Sol, para analisar os dados coletados no Brookhaven National Laboratory na taxa de decaimento radioativo de isótopos de silício-32 e cloro -36. A equipe relatou na revista Astropartículas que a taxa de decaimento de ambos os isótopos varia em um padrão recorrente de 33 dias, que eles atribuem à taxa de núcleo do sol rotação.
    Em geral, as flutuações que Jenkins e Fischbach encontrámos são cerca de um décimo de um por cento do que é esperado, uma vez que tenha disponível examinados dados publicados e feita se algumas medidas.
    A equipe ainda não isótopos utilizados em tratamentos de radiação médica ou para datação de artefatos antigos examinados.”

    Pelas partes em destaque percebe-se que:
    1) As taxas variam em ciclos. Claro, sendo a anomalia originada do Sol, é fácil deduzir isso.
    2) A variação é mínima. Um décimo de 1%.

    Nada que abale substancialmente as datações radiométricas. :)

  84. Diogo:

    pois pelas análises laboratoriais revelam claramente que “APENAS VIDA É CAPAZ DE GERAR VIDA” (Lei da Biogênese)

    Então, um deus imaterial e, consequentemente, não biológico, NÃO pode gerar vida.

    Concorda?

  85. Irineu Costa Junior

    O homem natural, em sua mente limitada por sua condição primitiva de ignorância, cria que um raio que caía, destroçava e ateava fogo a uma árvore com uma força extraordinária, só poderia ter como agente causador algum ser extremamente poderoso e superior a ele.

    Ou não. Ou o homem natural já era dotado de conhecimento desde o início.
    Tens alguma comprovação ou no mínimo EVIDÊNCIA destA TUA ALEGAÇÃO argumento ou devo ter de “IMAGINAR” esta conjectura supostamente ocorria em um tempo muito… muito distante?

    Todos os acontecimentos de magnitude, como secas, inundações e terremotos, similarmente ao que sucede nos sentimentos humanos em suas convivências com seus semelhantes, eram atribuídos à ira, vingança e penalização desses super-seres que estariam, por algum motivo, descontentes com eles.

    Dois pontos a seres destacados neste argumento:

    1º Como sabe se são TODOS acontecimentos que eram atribuídos a deuses?
    2º Como sabe que TODOS os povos possuíam este comportamento?

    Tens alguma evidência disso ou eu devo “imaginar” esta conjectura também?

    Assim, como comum à história de povos primitivos, naturalmente supersticiosos, nasceram os deuses, poderosos, mas possuidores de qualidades, emoções, paixões e reações basicamente humanas, mimados, birrentos, vingativos, volúveis, egoístas e infantis, ou seja, criados “à imagem e semelhança” do próprio homem.

    E se existiu UM DEUS, onde o homem chegou a conhece-lo, porém a sua geração, movido por desejo a nega-lo, criaram deuses conforme suas imagens?

    Os deuses sobrevivem e são necessários apenas na ignorância e no medo,

    E se existe um Deus Auto-Suficiente e Eterno que criou o universo e a vida, INDEPENDENTEMENTE da ignorância e medo dos homens?

    sendo destruídos pelo conhecimento (“Quanto mais aprendemos, de menos deuses precisamos”).

    Não é o que os PAIS da ciência anunciavam e não é o que a MAIORIA dos cientistas hoje, assim como a MAIORIA da população MUNDIAL, pensam.

    Portanto, não vejo a crença em divindades como uma necessidade natural nossa de “ligação com o criador”, mas como fruto de nosso temor ante a morte, incerteza quanto ao que acontecerá após ela, anseio de segurança e felicidade plenas nesta vida e desejo e esperança de uma vida pós-morte, sem fim.

    Dois pontos a serem destacados:
    1º Mesmo que uma pessoa busque a Deus por estas necessidades psicológicas, não significa que Deus não existe. Efetuar tal afirmação é cometer a Falácia Genética
    2º Não há nada de confortante ou animador saber que haverá um JULGAMENTO futuro com possibilidade de CONDENAÇÃO FUTURA, logo, ficaria muito difícil imaginar a concepção “inferno” e abstinência comportamentais, se TODAS religiões tivessem esta SUPOSTA origem NÃO COMPROVADA, e apenas CRIDA, segundo o teu modelo.

    “A ignorância e o medo; estes são os dois pilares de toda religião.” (Barão d’Holbach)

    É livre para ter fé nas palavras de Barão d’Holbach, endossando tudo o que ele fala, sem ao menos solicitar provas ou evidências destas alegações. Isso não significa que assim como tu, terei fé nele.

    Como cético, pergunto: Existe alguma prova ou evidência que corrobore a alegação de que a ignorância e o medo; estes são os dois pilares de toda religião?

    Cientificamente falando, amor, compaixão, ódio, tristeza, alegria, enfim, sentimentos e emoções em geral, assim como nossa memória são todos produto de reações eletroquímicas que ocorrem em nossos cérebros.

    Também dois pontos a serem destacados:

    1º Cientificamente falando, o cérebro é o maior exemplo de complexidade irredutível de TODO UNIVERSO.
    Cientificamente falando o Cérebro é formado por INFORMAÇÃO CODIFICADA a priori.

    A complexidade irredutível, e a informação codificada, REFUTA a ideia naturalista de origem para o cérebro.

    Disturbios cerebrais como a Síndrome de Fregoli, Síndrome da Má Identificação Delirante, Agnosia Visual, Prosopagnosia, Somatoparafrenia, Mal de Alzheimer, Amnésia Global Transitória (AGT), Epilepsia, Mal de Parkinson, etc, comprovam isso de forma clara.

    Sem a informação e complexidade irredutível não existiria cérebro e não existiria nenhuma deficiência dele.

    Citar o cérebro como “evidência” de seu ateísmo, e basicamente um “tiro no pé”

    Os psicopatas, por exemplo, não se arrependem, não sentem remorso ou culpa, nem empatia e são frios e calculistas.

    Primeiro, os psicopatas NÃO POSSUEM DISTÚRBIOS em seu cérebro conforme os exemplos das syndromes que citaste acima.

    No máximo possuem DIFERENÇAS nas ATIVIDADES cerebrais em relação a uma pessoa “normal”.

    Segundo, não se sabe se as atividades que causam o psicopata ou se o psicopata que causa estas atividades.
    É como o exemplo do copo com água até sua metade.

    Em resumo, a essência do que somos e nossa personalidade enquanto indivíduos, está diretamente vinculada ao bom funcionamento dessas reações.

    No caso de deterioração do cérebro, a personalidade da pessoa não é afetada. Ela simplesmente “perde o controle” sobre os teus sentidos.

    No caso de ATIVIDADES CEREBRAIS diferenciados de acordo com a personalidade, não se sabe se são as atividades que se causam a personalidade ou se é a personalidade que causa as atividades.

    Veja Bem, Irineu, tu utilizas a TUA EXPLICAÇÃO para a evidência, como se fosse uma conjectura única, comprovada empiricamente.

    O fato é que a EVIDÊNCIA só mostra que as ATIVIDADES CEREBRAIS de um sujeito imoral são diferentes, e NADA MAIS.
    Não se comprova se são as atividades que se causam a personalidade ou se é a personalidade que causa as atividades.
    Esta conjectura é simplesmente uma declaração de FÉ.

    Continua…..

  86. Irineu Costa Junior

    Continuando……

    Ciência x Religião – Fé x Razão:
    Vejo-as como inimigas irreconciliáveis!

    És livre para crer no que quiser.
    Eu, ao contrário de ti, não possuo esta crença.

    Como já citado: enquanto a religião (a “fé”) nos diz: “acredite em tudo, sem duvidar, mesmo não havendo provas”, a ciência (a razão) nos diz: “duvide de tudo, a menos que se prove”!

    Mostre a fonte que utilizaste para definir o sentido da palavra “Fé” e “Ciência”.

    Nenhuma destas definições por ti imputadas a elas estão presentes nos dicionários.

    “O que pode ser afirmado sem provas pode ser dispensado sem provas.” (Christopher Hitchens).

    És livre para ter fé em Christopher Hitchens. Isso não significa que terei fé nele como tu a tem.

    Mas, tenho para mim, que é mais importante o exercício libertador e criativo da dúvida, do que o conformismo escravizador e estagnador da fé.

    Contraditória esta tua frase.
    Dizer: “”mais importante o exercício libertador e criativo da dúvida, do que o conformismo escravizador e estagnador da fé”” é uma declaração de .

    “O primeiro pecado da humanidade foi a fé; a primeira virtude foi a dúvida.” (Carl Sagan)

    Novamente contraditória esta tua alegação.
    O fato de ter em Carl Sagan, ao ponto de cita-lo, torna esta frase ilógica.

    Erros e contradições da bíblia:
    Existem, sim, são evidentes, inexplicáveis

    Não nego que na Bíblia há muita coisa difícil de se entender (principalmente se a pessoa for leiga no assunto). Porém dizer que são “inexplicáveis” é uma declaração mentirosa.
    Fundamenta a tua fé em mentiras?

    estando por mim listados (alguns) em: http://irineucostajunior.wordpress.com/2013/11/11/erros-da-infalivel-palavra-de-deus/,
    e pelo Barros em: https://deusilusao.com/2013/10/21/contradicoes-biblicas-drops-1-2/.

    Temos UM LADO da moeda. Agora vamos para o outro lado:

    http://descontradizendocontradicoesbiblicas.blogspot.com.br/
    http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/140981/enciclopedia-manual-popular-de-duvidas-enigmas-e-contradicoes-da-biblia/?PAC_ID=120226

    Enfim… poderia “encher” este post de links que “descontradizem” estas supostas contradições.

    Pergunto: porquê, no seu entender, as epifanias de João e Moisés seriam verdadeiras e as de Maomé e Buda, não?

    Eu não disse que não foram, afinal um Deus UNIVERSAL pode trazer entendimento para TODOS, independentemente do conhecimento que possuam.
    O que importa é a sinceridade em busca-lo e não o conhecimento que possui em relação a ele e sua natureza.

    Peço a gentileza de não colocar “palavras em minha boca”, tudo bem?

    “Mitologia é o nome que damos às religiões dos outros” (Joseph Campbell).

    És livre para ter fé nas palavras de Joseph Campbell. isso porém não significa que as também compartilho.

    Todos os dogmas chegam-nos por tradição.

    Isso não significa que TODOS os dogmas sejam falsos.

    Alguém, em algum momento e por alguma razão, achou que alguma coisa seria assim, ou teve uma “iluminação”, uma “experiência mística”, uma visão ou revelação que acreditou ser real e divina.

    Tens alguma evidência desta tua acusação o a faz embasado em tua FÉ?

    Não há quaisquer provas ou evidências factuais

    Não há ou TU NUNCA OBSERVOU?
    Se afirmas que NÃO HÁ em parte alguma do mundo, pergunto, como comprovaste isso?
    Analisaste empiricamente todos os locais do mundo em todos os tempos?

    Não faça alegações fundamentados em tua FÉ pessoal, acreditando que eu a acatarei cegamente.

    Continua….

  87. Você está se esquivando!

    A bíblia não é perfeita, não é infalível, não é “palavra de deus”, e, sobre os seus erros e contradições, volto a falar, existem, são muitos e NINGUÉM, usando de honestidade, consegue explicar, e, por isso, como você, se esquivam.

    A propósito, existe um “Desafio de Páscoa”, de Dan Barker – também ex-cristão, como eu -, na Internet (http://www.str.com.br/Atheos/pedra.htm), desafiando os cristãos a, simplesmente, por em ordem, com base nos relatos dos livros do NT, os acontecimentos da morte e ressurreição de Jesus.

    Aparentemente, deveria ser algo fácil, não é? Só que ninguém conseguiu até agora! E, certamente, não conseguirá!

    E muitos, como você, tão seguros da “veracidade e da fidelidade” dos relatos lá contidos, como vemos acontecer aqui, nem querem tentar!

    É interessante como vocês acham a Teoria da Evolução, os métodos de datação usados pelos cientistas, a Teoria do Big Bang, a ideia de um Universo com bilhões de anos, baseados em seus “achismos”, um monte de idiotices, mas não têm problemas em aceitar todas aquelas fantasiosas estórias bíblicas, mais parecidos, em verdade, com contos da carochinha, que eu listei acima.

    Sobre minha experiência no cristianismo, sem querer me gabar, após quase 30 anos de dedicada, laboriosa e ativa vida cristã, posso até dizer que conheço razoavelmente bem a bíblia, e, até certo momento de minha vida, cria nela e a defendia da mesma forma, ou até mais, que você.

    Enquanto estive no cristianismo, investi muito em tempo, dinheiro e estudo, tendo várias versões e traduções da bíblia, inúmeras enciclopédias, dicionários e concordâncias, um Manual Bíblico (de H.H.Halley), o Novo Testamento (com 6 volumes) e o Velho Testamento (com 7 volumes) Interpretados Versículo por Versículo (Russel Champlin), o Novo Testamento Grego e 36 livros apócrifos.

    Ao contrário da grande maioria, eu tive coragem e quis ir além, não me conformando com a crença sem base ou em bases incertas e duvidosas, apoiadas no “achismo” dos outros, na tradição, nem em ser “vaquinha de presépio”, simplesmente dizendo amém e aceitando incondicionalmente tudo.

    Isso, vejo hoje, não é “fé”, mas ingenuidade!

    Você não me conhece, nem pouco, que seja, e, baseado no seu “achismo”, vem me julgar?

    Crie coragem, você também, e desafie sua fé! É pedir muito?

    Ou você está com medo de, como eu, “apostatar”?

  88. Diogo,

    Você me disse:

    “Não nego que na Bíblia há muita coisa difícil de se entender (principalmente se a pessoa for leiga no assunto). Porém dizer que são “inexplicáveis” é uma declaração mentirosa.”

    Então, vamos lá. Explique!

    Só para treinar – depois vamos às outras -, comecemos com estas:

    1) Gadara ou Gerasa? Um endemoninhado ou dois? Marcos 5:1 x Mateus 8:28.

    2) Como a manada de porcos se precipitou no mar, se nenhuma das duas cidades eram costeiras? Mateus 8:32 e Marcos 5:13,

    3) Onde se encontra a profecia citada em Mateus 2:23: “Ele será chamado nazareno”?

  89. Irineu, você não vai querer participar da série “Minha Deusilusão”“? A sua história certamente é muito interessante.

  90. Ok!

    Mando-a no seu e-mail.

  91. Eu gosto muito de saber como as outras pessoas “despertaram” para o mundo real.

    Aguardo o seu e-mail.

  92. Marcio

    Bom, leia esse outro artigo:

    Não sei se percebeste, mas esta notícia, mesmo se tratando do decaimento radioativo NÃO POSSUI LIGAÇÃO COM O LINK ANTERIOR

    Porque?
    Porque o link anterior fala das REAÇÕES NUCLEARES do sol e este fala da sua ROTAÇÃO.

    Então, para complicar ainda mais as bases de tua fé, temos, até o momento, não apenas um, mas TRÊS fatores que alteram o decaimento radioativo.

    1º As reações nucleares (como citado no link que passei)

    http://www.popsci.com/science/article/2010-08/strange-solar-particles-might-be-affecting-earths-radioactive-materials-scientists-say

    2º Rotação do Sol (indicado pelo link que passaste)

    http://phys.org/news202456660.html#jCp

    3º E como um bônus, as MANCHAS solares:

    http://news.stanford.edu/news/2010/august/sun-082310.html

    Agora vamos para os fatos:

    O método de datação depende de um decaimento CONSTANTE.
    As reações nucleares, rotação e manchas solares ALTERAM o decaimento radioativo.
    Por causa do que foi EMPIRICAMENTE COMPROVADO, este método tornou-se uma piada.

    Mas ainda não para por aí.

    O método radioativo depende que a taxa de isotopos filhos NA ORIGEM DA ROCHA, sejam nulos.

    Então, como tentativa de se testar esta hipótese, o que os cientistas EVOLUCIONISTAS fizeram? Efetuaram testes em lava de vulcões. Resultado: estas lavas CONTINHAM isotopos filhos, trazendo uma idade IRREAL do que eles de fato são.

    Um exemplo pode ser conferido com as medições realizadas no Vulcão Kilauea (Havai), que possui menos de 210 anos mas foi datado em torno de 22 milhões de anos:

    “”“Isotopic studies have been made of the inert gases present in ultramafic xenoliths from two sites in Hawaii, the 1800–1801 Kaupulehu flow (Hualalai Volcano, Hawaii) and Salt Lake Crater (Oahu). Apparent ages calculated from the measurement of radiogenic argon and helium have very high values.””

    Temos também outros casos grotescos, como por exemplo a medição do diamante do Zaire, que obteve uma suposta idade muito maior do que a suposta idade atribuída a Terra ( 6 bilhões de anos):

    “”“A group of 10 cubic diamonds from Zaire has been found1 to contain correlated concentrations of 40Ar and K which, interpreted as a whole-rock K−Ar isochron with the usual assumptions, yield the unreasonable age of 6.0 Gyr.” (In Nature)””

    E também casos de CONTRADIÇÕES entre os métodos como as lavas de Cardenas (um dos estratos mais profundos do Grand Canyon), que foram “datadas” com 2 modelos mas com seus resultados bem diferentes.
    O potássio-árgon deu uma idade de 845 milhões de anos. O Rubídio-estrôncio deu uma idade de 1090 milhões de anos.
    Estamos a falar de uma diferença de 245 milhões de anos (segundo cronologia evolucionista).

    Enfim.. diante de tantas inconsistências que envolvem estes métodos, não há a menor sombra de dúvida que os mesmos são falhos.

    Somente uma fé cega na qual faz a pessoa ignorar os dados, o permitiria efetuar este tipo de comentário:

    Nada que abale substancialmente as datações radiométricas. :)

    Sds.

  93. Irineu Costa Junior

    A bíblia não é perfeita, não é infalível, não é “palavra de deus”

    Sim, esta é a tua fé. Eu sei que crê nisso. Porém pergunto podes COMPROVAR EMPIRICAMENTE o que fala?

    e, sobre os seus erros e contradições, volto a falar, existem, são muitos e NINGUÉM, usando de honestidade, consegue explicar, e, por isso, como você, se esquivam.

    Podes continuar a repetir quantas vezes quiser. Porém a tua repetição não mudará o fato que de a cada suposta contradição ou erro que inferiste, há sua contra-partida. Para UM lado da moeda que apresentas, a OUTRO lado desta moeda.
    Isso é fato, amigo, e por mais que não goste, não irá altera-la.

    A propósito, existe um “Desafio de Páscoa”, de Dan Barker – também ex-cristão, como eu -, na Internet (http://www.str.com.br/Atheos/pedra.htm), desafiando os cristãos a, simplesmente, por em ordem, com base nos relatos dos livros do NT, os acontecimentos da morte e ressurreição de Jesus.

    O que eu ganho neste desafio? Eu já tenho a resposta (dita aqui mesmo, neste blog com o Gustavo, a muito tempo atrás). Se tiver alguma recompensa, comprovada em cartório, responderei com prazer. Caso contrário, para que perderei meu tempo?
    Como disse em outro comentário, é perca de tempo tentar explicar algo, a alguém que está DETERMINADO a não entender.

    Aparentemente, deveria ser algo fácil, não é?

    Sim, é fácil.
    Sobre a Luz de Deus, qualquer névoa se dissipa e qualquer questão fica fácil.

    Só que ninguém conseguiu até agora! E, certamente, não conseguirá!

    Apostaria a tua vida nisso?

    E muitos, como você, tão seguros da “veracidade e da fidelidade” dos relatos lá contidos, como vemos acontecer aqui, nem querem tentar!

    Chantagem psicológica comigo não funciona.
    A tua intenção é apenas dar ibope no site, e não de fato ter a resposta para esta questão.

    É interessante como vocês acham a Teoria da Evolução, os métodos de datação usados pelos cientistas, a Teoria do Big Bang, a ideia de um Universo com bilhões de anos, baseados em seus “achismos”, um monte de idiotices, mas não têm problemas em aceitar todas aquelas fantasiosas estórias bíblicas, mais parecidos, em verdade, com contos da carochinha, que eu listei acima

    Tu és obrigado a saber a história Bíblica para passar no vestibular? Vê o teu dinheiro público dado a universidades com o intuito de estudar as profecias Bíblicas?
    Com certeza não.
    Agora pergunto, porque achas que eu deverei ser obrigado a conhecer a vossa mitologia para passar no vestibular, e ver meu dinheiro, recolhido em imposto, sendo investido em crenças falidas?

    Sobre minha experiência no cristianismo, sem querer me gabar, após quase 30 anos de dedicada, laboriosa e ativa vida cristã

    Com todo respeito, mas se de fato isso ocorreu, foram 30 anos jogados fora. Só pelos teus comentários Bíblicos, e pelo “conhecimento” que possui dela, provavelmente foste um cristão de “banco” ou “cabresto”

    posso até dizer que conheço razoavelmente bem a bíblia

    Para chegar ao nível de razoável, o teu conhecimento deverá ser aumentado muito (muito mesmo).
    Digo pelo conhecimento que tenho, pois a estudo profundamente a mais de 15 anos.
    Já perdi a conta de quantas vezes eu a lí, e de quantas vezes eu já recorri aos textos originais em aramaico, hebraico e grego para entende-la.

    e, até certo momento de minha vida, cria nela e a defendia da mesma forma, ou até mais, que você.

    Tua crença, como tu mesmo reconheceu, foi fruto de uma LAVAGEM CEREBRAL. A minha CERTEZA (pois só crê quem nunca viu ou presenciou) provém de minhas experiências empíricas.

    Então, não cometa o equivoco de se comparar comigo, pois o teu nível, sem querer ser arrogante, está muito inferior ao meu.

    Eu ví Deus “face a face”, tu mal o conheceu.

    Enquanto estive no cristianismo, investi muito em tempo, dinheiro e estudo, tendo várias versões e traduções da bíblia, inúmeras enciclopédias, dicionários e concordâncias, um Manual Bíblico (de H.H.Halley), o Novo Testamento (com 6 volumes) e o Velho Testamento (com 7 volumes) Interpretados Versículo por Versículo (Russel Champlin), o Novo Testamento Grego e 36 livros apócrifos.

    E??
    Achas mesmo que o tempo de leitura e a quantidade de livros é prova de aquisição de conhecimento??

    Ao contrário da grande maioria, eu tive coragem e quis ir além, não me conformando com a crença sem base ou em bases incertas e duvidosas, apoiadas no “achismo” dos outros, na tradição, nem em ser “vaquinha de presépio”, simplesmente dizendo amém e aceitando incondicionalmente tudo.

    E ao contrário de ti, não fui induzido ou sujeito a lavagem cerebral, pois a priori veio a experiência EMPÍRICA, e só depois veio meu interesse em estudar.

    Você não me conhece, nem pouco, que seja, e, baseado no seu “achismo”, vem me julgar?

    Na verdade o meu julgamento é referente ao TEU achismo. Fizeste várias alegações sem comprova-las.

    Crie coragem, você também, e desafie sua fé! É pedir muito?

    Minha fé (confiança) em Deus é testado a todo momento, e a todo momento a minha fé (confiança) é renovada pelas minhas EXPERIÊNCIAS EMPÍRICAS.

    Ou você está com medo de, como eu, “apostatar”?

    Apostatar de quem EMPIRICAMENTE se revela a mim, de maneira interna e EXTERNA (onde as pessoas a volta presenciam), me dando a certeza da vida eterna por meio destas evidências EMPÍRICAS, apenas por arrogância ou alguns “prazeres” desta vida, seria uma “burrice” e um mal agradecimento sem tamanho.

  94. Irineu Costa Junior

    Então, vamos lá. Explique!
    Só para treinar – depois vamos às outras -, comecemos com estas:
    1) Gadara ou Gerasa? Um endemoninhado ou dois? Marcos 5:1 x Mateus 8:28.
    2) Como a manada de porcos se precipitou no mar, se nenhuma das duas cidades eram costeiras? Mateus 8:32 e Marcos 5:13,
    3) Onde se encontra a profecia citada em Mateus 2:23: “Ele será chamado nazareno”?

    Eu tenho as respostas (que a propósito são fáceis), mas para expo-las terei de ganhar alguma coisa. O que tu me oferece em troca de meu conhecimento?
    Poderei até fazer um “quiz” contido, a respeito de supostas contradições e supostos erros bíblicos, porém apenas se receber algo em troca.
    O que me propõe?

    Não me leve a mal, mas ensinar teologia a quem não se interessa, só faço cobrando. Ensinar de graça para quem está determinado a não aprender, é perca de tempo (experiência própria).

    Sds

  95. Diogo,

    Desculpe-me a franqueza, mas, pelo que vimos até aqui, sobre os erros da bíblia, você, como todos, não consegue explicar e nem responder nada!

    Você é tão ou mais bitolado do q

  96. Ops. Apertei alguma tecla sem querer e fechei o comentário.

    Preciso sair agora, mas termino logo a seguir.

    Até…

  97. 1º – Eu ví Deus “face a face”, tu mal o conheceu
    2º – Minha fé (confiança) em Deus é testado a todo momento, e a todo momento a minha fé (confiança) é renovada pelas minhas EXPERIÊNCIAS EMPÍRICAS.
    3º – ensinar teologia a quem não se interessa, só faço cobrando. Ensinar de graça para quem está determinado a não aprender, é perca de tempo (experiência própria
    4º – O que tu me oferece em troca de meu conhecimento?

    Que mundo sobre-humano e ilusório
    Puxou assunto para discutir e agora, encurralado diz que só fala se pagar, que não vai falar de graça para sair pela tangente– isto é uma piada.

    Irineu, prepare o dízimo para o Diogo.

  98. Saindo do blockquote.[citação]

    Que mundo sobre-humano e ilusório
    Puxou assunto para discutir e agora, encurralado diz que só fala se pagar, que não vai falar de graça para sair pela tangente– isto é uma piada.

    Irineu, prepare o dízimo para o Diogo

  99. Voltando:

    Diogo,

    Desculpe-me a franqueza, mas, pelo que todos vimos até aqui sobre os erros e contradições da bíblia, você, como todos, não consegue explicar e nem responder nada! Só se esquiva, afirmando que “não há erros”, há o “outro lado da moeda”, que “sobre a luz de deus qualquer névoa se dissipa”, etc.

    Não estou vendo essa luz, que você diz ter, dissipar nada! Peça entendimento a deus e, talvez, ele nos mostre a explicação!

    Vê-se que você é tão ou mais bitolado e convencido do que eu fui, e é notória a sua lavagem cerebral. Como já bem dito, “ninguém que tenha sofrido lavagem cerebral acreditará ou aceitará que sofreu tal coisa”. Esse processo não é coisa escandalosa, mas muito sutil. Só quando se cai fora é que ela é percebida e admitimos. Até então, você não a percebe.

    O que estou lhe mostrando é algo latente e comprovável, por você e por todos. Não é discutir sobre “neutrinos” e não é terreno de suposições. Está lá, comprovadamente, escrito, na própria bíblia que você tem aí e diz crer e defender!

    Você se julga tão superior e sábio, sempre julgando-me e menosprezando-me! Mas, até aqui, o quem vimos foi só você atacar a ciência e cientistas, e discutir métodos de datação.

    Eles não são perfeitos e certamente há erros em suas teorias e conclusões. O importante é a busca por respostas racionais, preferível à aceitação de coisas como fatos em bases subjetivas e emocionais.

    Não tenho “fé” na ciência ou em cientistas no sentido religioso. Você demonstra não conseguir definir bem o que ela seja, haja vista seus comentários à Ana Júdice quando fala a respeito de sua filha, e suas colocações sobre eu ter “FÉ” em Carl Sagan, “FÉ” em Christopher Hitchens, etc.

    Você citou Albert Eintein: “A Ciência sem religião é manca. Religião sem ciência é cega.”. Então, se infere que você tem “FÉ” em Einstein! Correto?

    Seja coerente, homem convencido e “EMPÍRICO”!

    E, dar o dízimo, nem pensar! Não é, Ana Júdice?

    Se o que você quer é dinheiro, cara, jogue na loteria ou entre em alguma pirâmide. Para ouvir suas argumentaçãoes é que não! Ridícula essa sua colocação!

    Já que você diz ter ter todas as explicações, que elas são fáceis e que a luz de deus, que você diz ter, dissipa todas as névoas (até aqui, não vimos nada), mostre-nos e comece a explicar!

    Do contrário, não tenho interesse em perder mais de meu tempo com você para ouvir blá, blá, blás!

    E, a propósito, faça-nos o favor de parar de repetir os nossos textos parágrafo por parágrafo, comentando. Suponho que você consegue algo melhor do que isso.

  100. Irineu Costa Junior

    Desculpe-me a franqueza, mas, pelo que todos vimos até aqui sobre os erros e contradições da bíblia, você, como todos, não consegue explicar e nem responder nada!

    Não consigo ou não DESEJO explicar?
    Como bem disse, aula de teologia a pessoas que NÃO DESEJAM aprender, eu realizo apenas mediante a pagamento ou gratificação.

    Só se esquiva, afirmando que “não há erros”, há o “outro lado da moeda”, que “sobre a luz de deus qualquer névoa se dissipa”, etc.

    Não estou me esquivando, apenas não explanarei nada de graça a pessoas que estão DETERMINADAS em não entender.
    Se efetuares um depósito monetário em minha conta ou me dar alguma gratificação em troca de meu esforço, tenha a plena certeza que até mesmo efetuarei os estudos EM SUAS LÍNGUAS ORIGINAIS, se bem preferir.

    Conhece o ditado Bíblico que diz: “Não jogue pérolas aos porcos”? Pois bem, qualquer estudo aprofundado contigo, é como se eu jogasse estas pérolas. Isso ocorre pois tu, está DETERMINADO a rejeita-las a priori, independentemente de sua plausibilidade ou não.

    Se eu for efetuar um trabalho acadêmico para alguém que não dará valor, que pelo menos eu seja pago por isso.

    Vê-se que você é tão ou mais bitolado e convencido do que eu fui, e é notória a sua lavagem cerebral.

    Quem “lavou” meu cérebro? eu mesmo?
    Só se for, pois meus estudos vieram de mim mesmo.

    Sinto lhe desapontar mas nem todos são tão ingênuos como tu foste.
    Nem todos creem cegamente em HOMENS ao ponto de segui-los feito “burros com cabresto” sem ao menos consultar as fontes, ou aprofundar nos estudos

    Como já bem dito, “ninguém que tenha sofrido lavagem cerebral acreditará ou aceitará que sofreu tal coisa”.

    Diz por experiência própria?

    Esse processo não é coisa escandalosa, mas muito sutil.

    Como seria este suposto processo a um AUTODIDATA?

    O que estou lhe mostrando é algo latente e comprovável, por você e por todos.

    Está me mostrando o que TU ACHAS ser comprovado, segundo TEU entendimento.
    O que tu mostra é APENAS uma visão

    Vou dar-lhe uma “palinha” de graça, muito embora que, pelo teu desejo em negar a Deus, será em vão:

    Sabe aquele “desafio” supostamente “infalível” que anunciaste de Dan Barker, juntamente com as tuas questões?
    Aqui tem a explicação de todas elas e muito mais “supostas” contradições:

    http://ateuespia.files.wordpress.com/2010/07/4840977-manual-popular-de-duvidas-enigmas-e-contradicoes-da-biblia-norman-geisler-thomas-howe.pdf

    Outro ponto que enterra de vez a aparente contradição entre os evangelhos sinóticos e o de João, são fundamentados em dois pilares:

    1º Característica de uma biografia da antiguidade.

    Resumidamente, ao contrário do que imaginas, as biografias da antiguidade (“Vidas”, como são chamadas, como nas Vidas dos Nobres Gregos e Romanos, de Plutarco) não possuem a mesma características das biografias modernas, pois elas diferem em certos aspectos, como por exemplo a falta de preocupação com a cronologia rigorosa

    2º Os evangelhos sinóticos e o de João narravam DOIS eventos.

    Como assim? Ora, os sinóticos focavam-se no grupo de mulheres, quanto o de João (pela sua aproximidade) focava-se APENAS em Maria madalena.

    Então, quando as mulheres em conjunto, bem de manhã, estavam a caminho do sepulcro, Maria madalena (sozinha ou com pouquissimas acompanhantes) VOLTARAM correndo para avisar os discípulos, enquanto as demais seguiram em frente.

    Agora Irineu, faça este exercício se desejares (o que acho muito difícil).
    Compile os 4 evangelhos em um livro e os leia lado a lado com estas premissas.
    Verás que o teu “poderosíssimo argumento” não passará de um simples equivoco.

    Não tenho “fé” na ciência ou em cientistas no sentido religioso.

    Fé é fé. Não existe “sentido” religioso. Fé por definição é CONFIAR.
    Este “sentido religioso” que vocês ateus utilizaram para esta palavra, só é crida por vocês, pois nem mesmo nós religiosos a adotamos desta maneira.

    Você demonstra não conseguir definir bem o que ela seja, haja vista seus comentários à Ana Júdice quando fala a respeito de sua filha, e suas colocações sobre eu ter “FÉ” em Carl Sagan, “FÉ” em Christopher Hitchens, etc.

    Eu defino Fé como confiar. Na verdade eu não a defino, eu simplesmente a utilizo como o SENTIDO ORIGINAL que ela apresenta.
    Tu é que a define ERRONEAMENTE como sinônimo de fé ser “crer sem ter evidências”

    Você citou Albert Eintein: “A Ciência sem religião é manca. Religião sem ciência é cega.”. Então, se infere que você tem “FÉ” em Einstein! Correto?

    Nesta frase dele, sim.
    Assim como tu tens fé nas frases dos outros pensadores que indicaste.

    Se o que você quer é dinheiro, cara, jogue na loteria ou entre em alguma pirâmide.

    Se para ti, estas são as única forma de se ganhar dinheiro, tu deves ser um desocupado que fica jogando em loterias ou pirâmides, ou és um mendigo, vivendo de roupas velhas e se alimentando lixo pelas ruas.

    Não sei se sabes, mas o TRABALHO também é uma forma de se ganhar dinheiro.

    Já que você diz ter ter todas as explicações, que elas são fáceis e que a luz de deus, que você diz ter, dissipa todas as névoas (até aqui, não vimos nada), mostre-nos e comece a explicar!

    Com todo prazer, só me pagar pelo meu trabalho de pesquisa, que terá tuas respostas exigidas.
    Não sou teu escravo para trabalhar de graça.

    Sds

  101. Ana Judice

    Que mundo sobre-humano e ilusório

    Fizeste uma auto reflexão?
    Caso sim, concordo contigo. O teu mundo é ilusório e SUB-humano (SUB, é o termo correto).

    Puxou assunto para discutir e agora, encurralado diz que só fala se pagar, que não vai falar de graça para sair pela tangente

    Não me recordo de ter “puxado assunto” sobre teologia. A meu ver isso é uma mentira sua.
    Prove-me que estou errado e que não és uma mentirosa, faça um copy+paste do suposto trecho onde eu supostamente disse que abordaria trechos bíblicos.

    isto é uma piada.

    Piada mesmo é utilizares a mentira para fundamentar os argumentos.
    Um péssima piada, por sinal.

    Sds.

    Nota: Outra piada também, é ve-la utilizar um termo errado em tua frase inicial, que ao invés de utilizar o prefixo “SUB”, utilizaste “SOBRE”.

  102. Como bem disse, aula de teologia a pessoas que NÃO DESEJAM aprender

    Teologia estuda um personagem literário específico: o Deus cristão. Aliás, como são três, devo dizer “os deuses cristãos”.

    Por que os teólogos brasileiros não estudam “Ganesh”. Alguém sabe a resposta?

    Eu sei.

  103. Barros

    Teologia estuda um personagem literário específico: o Deus cristão.

    Está enganado. Teologia provém do grego (Theos = “divindade” + logos = “palavra”,estudo, análise, consideração, discurso sobre alguma coisa ou algo”)

    Isso significa que o seu sentido literal é:
    Ciência ou o estudo racional e sistemático acerca da divindade (independentemente de qual for)

    Tu está a confundir Teologia com Teologia CRISTÃ.

    Por que os teólogos brasileiros não estudam “Ganesh”. Alguém sabe a resposta?

    Quem disse que não estudam?
    A Teologia Cristã é um nicho da Teologia.
    Isso significa que o seu estudo geral não resume ao Cristianismo.

    É como a Medicina e a sua especialidade.

    TODOS os médicos estudam A MESMA COISA.
    Porém, depois de formados, eles se ESPECIALIZAM na área determinada.

  104. Ah, muito obrigado mesmo. Sério.

    Na minha ignorância, achava que só se estudava o personagem bíblico.

    Então, se o cara tá planejando abrir uma nova boca de culto, ou se tornar obreiro da Universal, ou pastor da Mundial, ele deve se especializar em Deus, que é o deus que o povo daqui acha que é o verdadeiro. Já se ele estiver na Ásia, deve deixar o deus cristão de lado e se especializar nos deuses hindus. Faz sentido.

  105. Barros

    Então, se o cara tá planejando abrir uma nova boca de culto, ou se tornar obreiro da Universal, ou pastor da Mundial, ele deve se especializar em Deus, que é o deus que o povo daqui acha que é o verdadeiro. Já se ele estiver na Ásia, deve deixar o deus cristão de lado e se especializar nos deuses hindus. Faz sentido.

    Ou então abrir uma boca de culto ATEÍSTA, tirando dinheiro dos “tontos” naturalistas:

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/02/130206_igreja_ateista_video_cc_rw.shtml

    Porém, o que vale ressaltar é que mesmo quando existam pessoas que visem extorquir em nome de uma ideologia, não significa que esta ideologia seja falsa, não concordas?

  106. Quando a ideologia tem relação com fadas-madrinhas-cósmicas, não concordo não: é tudo uma grande idiotice.

  107. Caro Barros e amigos,

    Que figura é essa que nos aparece, tão fora da realidade, iludido, convencido, orgulhoso, arrogante, egoísta, com complexo de superioridade, achando que alguém aqui está querendo aulas de teologia dele, e que participar de blog é para se ganhar dinheiro!!!!!

    É brincadeira? Ou intencional para provocar-nos frouxos de riso?

    Barros, diante dessa colocação inteligentíssima e brilhante de nosso participante, espero que você também não resolva passar a cobrar para que nós participemos do seu blog! Olha lá, hein!

    Diogo, meu caro, sugiro que vá dar aulas de teologia, com o intuito de ganhar dinheiro, para os que compartilham das suas perfeitas e infalíveis crenças, muito embora na minha bíblia (Mateus 10:8) esteja escrito:

    “De graça recebestes, de graça dai!”. Não sei se a sua versão é diferente da minha!

    Aqui, porém, certamente, você vai ficar no débito!

    Outra coisa: veja sua frase: “Eu vi Deus ‘face a face’”!

    Na minha versão da bíblia (Êxodo 33:20), consta:

    “Não poderás ver a minha face, porquanto homem nenhum pode ver a minha face e viver.”

    Será que o livro de Êxodo de minha bíblia pode estar adulterado?

    Ou será você um mentiroso que não viu deus coisa alguma, tendo sido uma mera ilusão sua ou “epifania”?

    Ou, talvez, você não seja tão superior a mim e não conheça tão bem a bíblia, como diz! Por que este versículo, modéstia à parte, eu conheço bem!

    Ou, pode ser que você tenha mesmo visto, e aquilo que está escrito lá não é “palavra de deus”!

    Ou, quem sabe, o deus que não muda, mudou e hoje permite que o vejam! Sabe como é! Tempos modernos…

    Dei uma olhada no tal do “MANUAL POPULAR de Dúvidas, Enigmas e Contradições da Bíblia” (q. O autor é outro “cérebro lavado”, cabeça feita, harmonista, bitolado e desonesto com o texto, que está recheado de “provavelmentes”: provavelmente isso, provavelmente aquilo, e por aí vai.

    É mais um grande baluarte teológico que nos aparece, grande solucionador de erros e contradições bíblicas! Me poupe!

  108. De novo, cliquei alguma tecla e fechou sem eu terminar.

    Repetindo e alterando o final:

    Dei uma olhada no tal do “MANUAL POPULAR de Dúvidas, Enigmas e Contradições da Bíblia” (que bom que o Diogo nos deu o link sem cobrar nada!).

    O autor é outro “cérebro lavado”, cabeça feita, harmonista, bitolado e desonesto com o texto, que está recheado de “provavelmentes”: provavelmente isso, provavelmente aquilo, e por aí vai.

    É mais um grande baluarte teológico que nos aparece, grande solucionador de erros e contradições bíblicas! Me poupe!

  109. Irineu, quando se sabe, por exemplo, que 11 livros do Novo Testamento foram escritos por impostores, tem-se uma ideia do porquê de tanta contradição.

    Deixe me te perguntar uma coisa: você conhece a Hipótese Documental?

  110. Sim, conhecia!

    Não tinha conhecimento por esse nome: “Hipótese documental”, mas vi o que é, agora, pelo Google: A “Javista”, a “Eloísta”, a “Deuteronômica” e a “Sacerdotal”.

    Você quer dizer: que não foi Moisés quem escreveu o Pentateuco, e que o mesmo é, em verdade, a compilação de textos de 4 origens?

  111. Exatamente! Essa é outra grande explicação para as contradições.

    Se me permite, vou antecipar aqui um pequeno teaser do meu próximo vídeo sobre a Bíblia, em que vou expor com detalhes a Hipótese Documental:

    O Pentateuco é o nome dado aos cinco primeiros livros do Antigo Testamento. Pelos judeus, também é chamada de Torá. Composto por Gênesis, Êxodo, Números, Deuteronômio e Levítico, as tradições judaicas e cristãs atribuem a Moisés a suas autorias.

    No século 11 EC, um cara chamado Isaac ibn Yashush, um médico judeu de um imperador da Espanha Muçulmana, apontou que a lista de reis Edomitas que aparece em Gênesis 36 nomeava reis que teriam vivido muito tempo após a morte de Moisés. A resposta à conclusão de Isaac foi que ele fora chamado de “Isaac, o estúpido”.

    O cara que o chamou de estúpido se chamava Abraão ibn Esdras, um rabino espanhol do 12 século. Ironicamente, ibn Esdras incluiu diversos comentários enigmáticos em seus próprios textos que sugerem que ele duvidava de si mesmo. Ele aludiu que várias passagens bíblicas pareciam não ter sido escritas pelo próprio Moisés, tais como as referências a Moisés em terceira pessoas, termos utilizados por Moisés que dificilmente ele poderia saber, descrição de lugares que Moisés nunca esteve e estilos de linguagem que refletiam outro tempo e localização diferentes das de Moisés. Ele escreveu: “[…] e se você entender, você reconhecerá a verdade” e “[…] aquele que entender manterá silencio”.

    No século 14, em Damasco, o estudioso Bonfils aceitou as evidências de ibn Esdras, mas não respeitou seu aviso sobre ficas de boca fechada. Ele escreveu explicitamente: “E esta é a evidência de que este verso foi escrito no Torah depois, e Moisés não a escreveu; ao invés dele, profetas posteriores o escreveram”. Três séculos depois, seus trabalhos foram reimpressos suprimindo as referências a estes escritos.

    No século 15, Tostatus, bispo de Ávlia, afirmou que certas passagens, notoriamente o relato da morte de Moisés (Deuteronômio 34) não poderia ter sido escrito pelo mesmo. Havia uma tradição que dizia que Josué escreveu tais passagens. Mas no século 16, Carlsradt, um contemporâneo de Lutero, comentou que o estilo de escrita do relato da morte de Moisés é o mesmo do texto que o precedia. Isso dificultava a atribuição a Josué daquela passagem.

    Ainda no século 16, um católico chamado Andreas van Maes e dois estudiosos jesuítas, Benedict Pereira e Jaques Bonfere, sugeriram que os textos de Moisés foram aditivados. Van Maes escreveu que um editor inseriu frases mudando os nomes dos lugares de modo que os leitores futuros pudessem entender melhor as passagens. O livro de van Maes foi colocado no Índex Católico dos Livros Proibidos.

    Thomas Hobbes, no século 17 conclui que a maior parte do Pentatuco não foi escrita por Moisés. Por exemplo, em algumas passagens ele escreve como tendo acontecido “naqueles dias”, o que não é uma construção de quem está escrevendo de maneira contemporânea.

    Quatros anos mais tarde, um francês Calvinista de nome Isaac de la Payrère escreveu explicitamente que Moisés não foi o autor do Pentateuco. Ele notou problemas nos textos, tal como a construção “além do Jordão” no primeiro verso de Deuteronômio. O problema dessa frase é que Moisés nunca esteve do outro lado do Rio Jordão, que afirma-se se tratar do território de Israel. O livro de de la Payrère foi banido e queimado. Ele foi preso sob a condição de ter sua liberdade garantida em função de se tornar católico e se retratar junto ao Papa. Foi o que ele fez.

    Na mesma época, na Holanda, o filósofo Spinoza publicou uma análise unificada de tudo que havia sido escrito anteriormente. Spinoza escreveu que “é claro como o sol do meio-dia que o Pentateuco não foi escrito por Moisés, mas por alguém que viveu muito depois dele”. Spinoza foi excomungado do judaísmo. Seu livro também foi parar no Índex Católico. E dentro de seis anos, trinta e sete publicações atacaram suas ideias, e ele sofreu um atentado de vida.

    Pouco tempo depois, na França, Richard Simon, um convertido do protestantismo que virou católico, escreveu um trabalho que pretendia criticar as visões de Spinoza. Ele alegou que o núcleo central do Pentateuco, notoriamente as leis, são de autoria mosaica, mas que havia algumas adições ao texto. Adições e edições feitas por profetas, guiados pelo Espírito Santo, na defesa da santidade do texto bíblico. Simon foi atacado por seus pares e expulso da congregação. Seus livros, adivinhem, foram parar no Índex…

    Contudo, a ideia de Simon contribuiu para o próximo estágio do conhecimento relativo à autoria da Torá. A de que os textos do Pentateuco, vistos como resultado de uma combinação de várias fontes escritas por diferentes autores, era a explicação que melhor cabia para as futuras evidência encontradas pelos investigadores do século seguinte: os doublets.

    Doublets são os casos de mesmas estórias contadas mais de uma vez. A Torá traz dois relatos da criação do mundo. Duas estórias da aliança de Javé com Abraão, duas estórias de Jacó e sua jornada à Mesopotàmia, duas estórias da revelação de Jacó em Betel, dois relatos de Deus mudando o nome de Jacó para Israel. Aqueles que defendem a crença tradicional da autoria mosaica argumentam que os doublets são complementares, não repetitivos, e não se contradizem, mas aparecem para nos ensinar uma lição sobre sua “aparente” contradição.

    Então foi que no século 18 três autores independentes chegaram às mesmas conclusões com base em seus estudos: um ministro denominacional alemão (H. B. Witter), um médico francês (Jean Astruc) e um professor, também alemão (J. G. Eichhorn). Num primeiro momento eles concluíram que uma das duas versões das estórias de Gênesis era um texto antigo que Moisés usou como fonte e o outro era o próprio relato mosaico. Mais tarde, pensaram que ambas as estórias eram fontes antigas que Moisés usou para basear seus escritos. Por fim, concluíram que os textos vieram de fontes que viveram muito tempo após a vida de Moisés. A cada etapa dos achados, menos atribuições mosaicas foram sendo conferidas aos textos.

    No começo do século 19, a hipótese de duas fontes foi expandida. Agora, os estudiosos diziam haver quatro fontes no Pentateuco. Eles perceberam que alguns relatos não eram simplesmente doublets, mas sim triplets (Moisés subindo três vezes o Monte Sinai em Êxodo 24). Tudo isso convergindo com evidências de contradições, tipos de linguagem. Então um jovem chamado W. M. L. De Wette, observou em sua tese de doutorado que o quinto livro do Pentateuco, o Deuteronômio, era contundentemente diferente da linguagem dos livros que o precediam. De Wette formulou a hipótese de que o livro de Deuteronômio era a quarta fonte.

    Além dos quatros autores, os estudiosos notaram que havia também um editor, que recortou e combinou os diferentes textos numa única estória.

    Foi então que Julius Wellhausen (1844-1918) se consolidou como figura proeminente, como o cara que organizou todo o pensamento precedente, numa clara o concatenada síntese. Ele não fez simplesmente a divisão das diversas fontes. Ele amarrou as mesmas numa escala cronológica que envolveu os estágios da religião dos hebreus. Ele amarrou as fontes à própria história.

    William Robertson Smith, professor de Antigo Testamento e editor da Enciclopédia Britânica, começou a publicar artigos de Wellhaussen nessa enciclopédia. Ele foi julgado pela Igreja e condenado por heresia, tendo sido afastado de seu magistério.

    Finalmente (e felizmente), no século 20 as coisas começaram a mudar. O Papa Pio XII assina, em 1943, a encíclica Divino Afflante Spiritu, também chamada de Carta Magna do progresso bíblico. Com ela, o Papa encorajava os acadêmicos a perseguir o conhecimento sobre os autores bíblicos.

    Devemos explicar o texto original, que foi escrito pelo próprio autor inspirado e tem mais autoridade e maior peso do que qualquer outro, mesmo a melhor tradução, antiga ou moderna. Isso pode ser feito mais fácilmente e proveitosamente se para o conhecimento das línguas a serem unificadas em uma habilidade real na crítica literária do mesmo texto.
    (Divino afflante Spiritu, 16)

    A oposição ao exame bíblico também diminuiu entre os protestantes.
    A combinação de diferentes documentos de diferentes fontes em uma estória contínua constitui a hipótese mais relevante e mais maravilhosa dos estudos bíblicos.

    Grande abraço!

  112. Diogo Morelli

    O sobre-humano no sentido a que me referi, é aquilo que ultrapassa a natureza humana, o que para mim pode ser o surreal por não estar compatível ao humano, e o sobre-humano no meu caso tem coerência com o texto.
    Sobre-humano também é não errar porque isto é impossível o que não é o meu caso no momento. Errar é humano.

    Sim, eu disse “Que mundo sobre-humano e ilusório“, e situei bem esta frase conforme meus entendimentos.

    SUB-humano é você que entendeu mal minha regra de escrita.

    Sub-humano é a pessoa alienada que tem visões em ser extraterrestre, no ET de Varginha, na lenda do Boto cor de rosa, na lenda do pássaro Urutau ou no sempre milenar invisível [Deus], acreditar que ele pode ser real dizendo que teve uma relação pessoal com ele, levantar súplicas, ter medo e respeito o que dá na mesma.

    É isso.

    Um agrado aos sobrenaturalistas.

    http://goo.gl/w3f22B

  113. Barros

    Quando a ideologia tem relação com fadas-madrinhas-cósmicas, não concordo não: é tudo uma grande idiotice.

    Mas não é o fato da pessoa utilizar esta ideologia para benefício próprio que a torna falsa.

    Por exemplo, no link do vídeo que te passei, que certos ateus utilizam a ideologia naturalista para ganhar dinheiro.
    Porém não é este fato de um naturalista que torna esta ideologia inviável.

    O que invalida o naturalismo são as OBSERVAÇÕES EMPÍRICAS do universo e da vida, nas quais evidenciam CONTRA esta fé.

    Este foi meu ponto.

  114. Wagner,

    Excelente!

    Doublets: faltou o da estória do dilúvio. Uma menciona um par de cada espécie (Gn 6:19,20). A outra (Gn 7:2,3), fala em sete pares dos “animais limpos” e dois pares dos “não limpos), conceitos esses, que, por sinal, não existiam até então, e só vieram muito tempo depois, com a Lei.

  115. Irineu Costa Júnior

    Caro Barros e amigos

    O termo correto para a apresentação de sua frase deveria ser: “Caro Barros e IRMÃOS ATEÍSTAS”

    Que figura é essa que nos aparece, tão fora da realidade, iludido, convencido, orgulhoso, arrogante, egoísta, com complexo de superioridade

    Está a me confundir com um espelho?

    achando que alguém aqui está querendo aulas de teologia dele, e que participar de blog é para se ganhar dinheiro!!!!!

    Ou tens dificuldade cognitiva em entender as minhas frases, ou és desonesto.
    Entendeste mesmo que eu tenho a pretensão de achar que crentes naturalistas tem interesse em aulas de Teologia? Achas mesmo que eu participo deste blogue para ganhar dinheiro?

    Desculpe-me, mas: “LOL”

    É brincadeira? Ou intencional para provocar-nos frouxos de riso?

    Não sei o que provoquei a ti, mas com certeza os teus comentários me fizeram rir muito.

    Diogo, meu caro, sugiro que vá dar aulas de teologia, com o intuito de ganhar dinheiro,

    Não te envergonhas de mentir descaradamente ou tens deficit de atenção, ao ponto de não ler atentamente meus comentários?
    Creio eu que deixei claro que NÃO TENHO INTERESSE em debater teologia com crentes naturalistas e anti-cristãos.
    Porque? Porque é perca de tempo tentar explicar algo para quem está DETERMINADO a não entender. Simplês.

    Então, já que todo meu empenho em pesquisar, investigar, demonstrar fontes, trazer argumentos sobre as questões para você será “atoa”, nada mais justo do que eu receber pelo meu trabalho.
    Pelo menos o dinheiro será revertido para pessoas que possuem necessidades, e meu empenho não será em vão.

    para os que compartilham das suas perfeitas e infalíveis crenças, muito embora na minha bíblia (Mateus 10:8) esteja escrito:
    “De graça recebestes, de graça dai!”. Não sei se a sua versão é diferente da minha!

    A palavra é descrita as pessoas QUE DESEJAM receber de graça. E não a quem deseja REJEITA-LAS.

    Para os que desejam rejeitar, Cristo deixa uma mensagem:

    “Não deis aos cães o que é santo, nem lanceis ante os porcos as vossas pérolas, para que não as pisem com os pés e, voltando-se, vos dilacerem.” (Mateus 7:6)

    Outra coisa: veja sua frase: “Eu vi Deus ‘face a face’”!
    Na minha versão da bíblia (Êxodo 33:20), consta:
    “Não poderás ver a minha face, porquanto homem nenhum pode ver a minha face e viver.”

    Sério mesmo que tomaste LITERALMENTE a minha frase METAFÓRICA?
    Achas que o termo “face a face” significa LITERALMENTE “rosto no rosto”???
    Lamentável…..

    Será que o livro de Êxodo de minha bíblia pode estar adulterado?
    Ou será você um mentiroso que não viu deus coisa alguma, tendo sido uma mera ilusão sua ou “epifania”?

    Não acredito que tomaste LITERALMENTE o termo “face a face”.
    É sério mesmo isso?
    Novamente, lamentável…..

    Ou, talvez, você não seja tão superior a mim e não conheça tão bem a bíblia, como diz! Por que este versículo, modéstia à parte, eu conheço bem!

    LOL. Tomaste como LITERAL um simples termo dito por mim, e entendeste que eu busco querer ganhar dinheiro neste blog.

    Se em coisas simples e pequenas como minhas frases já fizeste uma TAMANHA confusão, nem quero imaginar como foi seu entendimento sobre a Bíblia, que possui citações infinitamente mais complexa do que minhas palavras.

    Dei uma olhada no tal do “MANUAL POPULAR de Dúvidas, Enigmas e Contradições da Bíblia” (q. O autor é outro “cérebro lavado”, cabeça feita, harmonista, bitolado e desonesto com o texto, que está recheado de “provavelmentes”: provavelmente isso, provavelmente aquilo, e por aí vai. É mais um grande baluarte teológico que nos aparece, grande solucionador de erros e contradições bíblicas! Me poupe!

    Pois é…. entendeste agora porque eu vejo como perca de tempo tentar explicar algo a alguém que esta DETERMINADO a não entender?
    Qualquer coisa que eu disser, ou qualquer refutação que eu der, tu proferirá estas palavras.
    Não és diferente dos seus irmãos.

    Desista amigo, não debaterei teologia contigo, ( a não ser, é claro, que remunere meu tempo investido.)

  116. Irineu Costa Júnior

    Wagner,
    Excelente!

    Achaste excelente este LADO DA MOEDA fundamentado em HIPÓTESE, demonstrado pelo Wagner?

    Esta CRENÇA, elaborada sobre a obscuridade de evidências, parte do pressuposto que a escrita do Pentateuco como a conhecemos foi inventada bem mais tarde do que o tempo de Moisés.
    Os ateus/anti-cristãos não nos dizem quem foram essas pessoas em concreto, mas estão certos que assim foi. Todo alicerce é fundamentado o achismo.

    Pois bem, infelizmente para ti, (e nada de novo para mim) a ciência refutou este mito, demonstrando o OUTRO LADO DA MOEDA através de EVIDÊNCIAS ARQUEOLÓGICAS , e revelando que esta fé não passa de mais um engodo falido:

    http://www.arqueologia.criacionismo.com.br/2010/03/moises-escreveu-mesmo-o-pentateuco.html

    Nada como as EVIDÊNCIAS para revelar a mentira elaborada na OBSCURIDADE não?

    Sds

  117. Vou dar a minha humilde contribuição: Jesus não deixou nada escrito, formou sua sua equipe de discípulos e disse que o Espírito Santo os acompanharia. O Cristianismo inicial, podemos dizer o mais puro e próximo a existência de Cristo, existiu por 400 ANOS SEM BÍBLIA!!!!! POr isso, a tradição é algo que valoro tanto no cristianismo e principalmente na igreja católica.

    POrtanto, criticar a bíblia, ataca tão e somente o Cristianismo e mesmo assim uma pequena ala do Cristianismo radical que quer interpretar a bíblia de maneira literal. É também DESONESTO da parte dos ateus ficar pegando no pé das picuinhas como se uma pequena contradição num compêndio de inúmeros livros escritos em diferentes épocas e por diferentes autores fosse invalidar todo o conjunto.

    É por isso que eu não vou investir meu tempo tentando investigar e justificar cada vírgula da bíblia, para mim o cristianismo não é só bíblia, a bíblia foi criada pelo homens e no fim das contas, a existência de Deus é o assunto mais importante a discutir.

    Acho engraçado a situação: pegue vários autores, mande-os escrever com anos de diferença entre eles, há 99% de acertos e os irmãos ateus ficam se masturbando em cima do 1%.

  118. Alô, Diogo!

    Extra! Extra!

    Cientistas criam vida artificial em laboratório!

    http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/cientistas-criam-vida-artificial-laboratorio-561878

    Só não sei se tinha lá alguma poça de lama!

    E outra: acho que o texto de Deuteronômio 34:5 de minha bíblia foi “adulterado” também, pois lá não estava escrito, como deveria: “Assim EU, Moisés, servo do Senhor, MORRI ali na terra de Moabe, conforme o dito do Senhor”.

    Mais uma frase para mostrar a minha “FÉ”, agora em Nietzsche: “Por vezes as pessoas não querem ouvir a verdade, porque não desejam que as suas ilusões sejam destruídas”.

    Desculpem, mas não dá mais pra levar isso aqui a sério!

    A propósito, quem incitou Davi a levantar o senso? Foi deus ou Satanás? Ou são eles a mesma pessoa? Ou Satanás é o alter-ego de deus? (2 Samuel 24:1 x 1 Crônicas 21:1)

  119. Diogo,

    “Pois bem, infelizmente para ti, (e nada de novo para mim) a ciência refutou este mito, demonstrando o OUTRO LADO DA MOEDA através de EVIDÊNCIAS ARQUEOLÓGICAS , e revelando que esta fé não passa de mais um engodo falido:
    http://www.arqueologia.criacionismo.com.br/2010/03/moises-escreveu-mesmo-o-pentateuco.html

    Será que você leu, mesmo, o texto? Parece-me que não!

    Onde está lá PROVADO que Moisés escreveu o Pentateuco?

    Pode-se até considerar “provado” que Moisés teria escrito o que seria os mandamentos da Lei! Mas não todo o Pentateuco”!

    Isso é pura TRADIÇÃO! Nada pode ser PROVADO!

    Se você estivesse escrevendo um relato histórico, o faria na terceira pessoa?

    “Quando Diogo desceu do monte…”, ou usaria “Quando EU desci do monte…”?

  120. André,

    A tradição oral é a forma mais segura que se teria para distorções e adulterações de fatos, mesmo que não intencionais.

    Como já citado pelo Barros: “Quem conta um conto, aumenta um ponto”.

    Aliás, porquê não escreveram antes? Tudo indica que os primeiros livros foram escritos só depois do ano 50, mais de 17 anos depois da morte de Jesus!

    Quanto à questão da “pequena contradição” e “99% de acertos”, devo discordar.

    São inúmeras, de capa a capa! Alguns que as contaram dizem que chegam aos dois milhares!

    Eu, apenas como exemplo, listei 67 em: http://irineucostajunior.wordpress.com/2013/11/11/erros-da-infalivel-palavra-de-deus/, mas há muitas mais.

    E, como você percebeu do debate com o Diogo, para os cristãos é inadmissível qualquer erro, ainda que seja apenas UM, pois invalida-a como “perfeita, infalível e inspirada palavra de deus”!

    E eles não aceitam, como você, de forma alguma, que “o cristianismo não é só bíblia”, pois, para eles, deus se revela através dela, sendo ela a sua palavra!

    Quando, ainda cristão, comecei a enxergar os erros e contradições – e isso não foi algo da noite para o dia, mas demorou anos -, cheguei, por um bom tempo, a crer como você.

    Não me importou, inicialmente, reconhecer a falibilidade da bíblia. Só não mais a considerava “palavra de deus”. Mas, o que valia, eram minha experiência e meu relacionamento pessoal com deus, e continuei cristão, comprometido e ativo.

    Mas, continuei a questionar, a querer saber e entender, não me conformando com dogmas e as tradicionais explicações pouco convincentes e sem embasamento.

    Até que, finalmente, após décadas, ao final do processo, convicto, lúcido e sem arrependimento, abandonei completamente a fé, que hoje combato.

  121. Irineu, as evidências sobre a Hipótese Documental eu ainda irei expor num vídeo. Isso foi só um teaser.

    Conhece meu canal no Youtube?

    Minha especialidade é abordar estudos sobre a Bíblia e a Hipótese Documental está no forno.

    Se estiver interessado, aqui está o vídeo sobre as fraudes e falsificações no NT:

    Ah, não ouse pedir para o Diogo refutá-la. Se até estudiosos conservadores admitem a existência de falsificações, não queira saber a opinião de um fundamentalista obscurantista. Ainda mais um que acha que o Leviatã do AT era um dinossauro, e não um inimigo cósmico do panteão canaanita.

    Grande abraço!

  122. Hahahahahaha, esse link que o Diogo postou é patético mesmo. Mas assim são os obscurantistas: eles preferem jogar os argumentos que contrariam suas visões fundamentalistas pra debaixo do tapete e criar um espantalho mais fácil de refutar.

    Detalhe importante: o infame link do Diogo não conseguiu nem arranhar o teaser do meu vídeo. Ele nem sequer responde sobre como Moisés poderia ter escrito a genealogia de reis Edomitas de Gen. 36, que viveram muito depois dele!

    Imagina, e eu vos digo, IMAGINA o teor inteiro do vídeo, com as explicações históricas e tudo mais. Por isso é tão importante pra eles não entrarem em contato com esse tipo de material.

    Obscurantistas é o que eles são!

    Abs

  123. Irineu Costa Júnior

    A tradição oral é a forma mais segura que se teria para distorções e adulterações de fatos, mesmo que não intencionais.

    Isso assumindo pela pressuposição fundamentada EM FÉ, que não há nenhum Deus por detrás, inspirando os seus interlocutores.
    Um Deus por detrás INSPIRANDO o processo, não haveria distorções e adulterações dos fatos.

    Como já citado pelo Barros: “Quem conta um conto, aumenta um ponto”.

    Sem a inspiração divina, eu concordo. Com inspiração divina, eu discordo.

    Aliás, porquê não escreveram antes?

    Porque deveria escrever antes?

    Tudo indica que os primeiros livros foram escritos só depois do ano 50, mais de 17 anos depois da morte de Jesus!

    O livro “vidas paralelas” de Plutarco, relata a vida de Alexandre o Grande 1000 ANOS após a sua morte.
    Além deste livro, não há NADA, absolutamente NADA que se comprova a autenticidade de sua existência.
    Tu duvidas que Alexandre o Grande tenha existido? Duvidas da histórica contada sobre tua vida?

    Quanto à questão da “pequena contradição” e “99% de acertos”, devo discordar.
    São inúmeras, de capa a capa!

    Destas “ínúmeras” supostas contradições, há outras inúmeras “descontradições.”
    Esta moeda tem dois lados, Irineu. Não sejas parcial.
    Muito embora a tua parcialidade te faz auto-enganar-se, não espere que muitos, como tu, cometa o mesmo erro.

    Eu, apenas como exemplo, listei 67 em: http://irineucostajunior.wordpress.com/2013/11/11/erros-da-infalivel-palavra-de-deus/, mas há muitas mais.

    Pequeno número se comparado a este livro de mais de 300 páginas de supostas contradições com suas respectivas “descontradições”

    http://ateuespia.files.wordpress.com/2010/07/4840977-manual-popular-de-duvidas-enigmas-e-contradicoes-da-biblia-norman-geisler-thomas-howe.pdf

    Uma dica, porque não utilizas este livro, pegando apenas as partes das supostas contradições, e ignorando suas “descontrações”?
    Como gosta de se iludir, assumindo só um lado da história e ignorando sua contra-parida, poderás deixar o número do teu repertório maior e poderá enganar mais desinformados, não achas?

    Alguns que as contaram dizem que chegam aos dois milhares!

    Eu já ouvi falarem em trilhões, outros em quadrilhões e outros em contradições infinitas.
    Porém falar é fácil, o difícil é COMPROVAR o que se alega.

    E, como você percebeu do debate com o Diogo, para os cristãos é inadmissível qualquer erro

    Olha, o teu extremismo me assusta.
    Gostaria de saber em qual frase minha chegaste a esta conclusão.
    A meu ver, isso é uma mentira tua.
    Poderia demonstrar que não és um mentiroso e fazer um “copy+paste”
    da suposta frase dita por mim, na qual supostamente eu defenda este extremismo?

    ainda que seja apenas UM, pois invalida-a como “perfeita, infalível e inspirada palavra de deus”!

    Está enganado. Mesmo que a Bíblia fosse repleta de erros (o que não concordo), a inspirabilidade nela não seria anulada.

    E eles não aceitam, como você, de forma alguma, que “o cristianismo não é só bíblia”, pois, para eles, deus se revela através dela, sendo ela a sua palavra!

    Dois pontos a serem destacados:

    1º A PALAVRA de Deus chama-se CRISTO (João 1:1)
    2º Não há mutualidade exclusiva entre haver erros SECUNDÁRIOS na Bíblia (novamente repito que não acredito neste posicionamento) e Inspirabilidade de Deus. Deus poderia muito bem inspirar os pontos PRINCIPAIS de Doutrina, e permitir erros em relatos secundários.
    O que o impediria disso?

    Quando, ainda cristão, comecei a enxergar os erros e contradições – e isso não foi algo da noite para o dia, mas demorou anos -, cheguei, por um bom tempo, a crer como você.

    Engraçado que eu tive um caminho inverso. Quando era jovem, rebelde e com pouco conhecimento, possuía uma visão da Bíblia igual a ti, e igual a você hoje, possuía a mesma fé.
    Que ironia, não?

    Até que, finalmente, após décadas, ao final do processo, convicto, lúcido e sem arrependimento, abandonei completamente a fé, que hoje combato.

    Entre na fila. Os combatentes do Cristianismo fazem isso desde a tua origem. Até hoje, ao invés de enfraquecer, ela se fortaleceu ainda mais.

    Só peço para que não se “abitole” ao ponto de combater o cristianismo e os CRISTÃOS juntos, fazendo como seus irmãos anti-cristãos do passado (Judeus, Romanos, Católicos Romanos e Ateístas comunistas)

    Sds

  124. Irineu Costa Junior

    Alô, Diogo!
    Extra! Extra!
    Cientistas criam vida artificial em laboratório!

    Sério? O homem já atingiu um nível de INTELIGÊNCIA, possuindo as FERRAMENTAS e TÉCNICAS necessárias para criar-se vida em laboratório? Design Inteligente já foi comprovado empiricamente?
    Deixe-me verificar o link:

    http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/cientistas-criam-vida-artificial-laboratorio-561878

    Que pena, infelizmente não foi desta vez. Os cientistas não criaram nada, eles simplesmente COPIARAM a cadeia de DNA de uma bactéria e os sintetizou.
    Mas quem sabe não é mais adiante que veremos o Design Inteligente “in loco” ?

    Onde está lá PROVADO que Moisés escreveu o Pentateuco?

    Não está Provado que Moisés escreveu o pentateuco (até mesmo porque isso é IMPOSSÍVEL). As evidências arqueológicas REFUTAM a crença que o pentateuco foi escrito por várias pessoas.

    Pode-se até considerar “provado” que Moisés teria escrito o que seria os mandamentos da Lei! Mas não todo o Pentateuco”!

    E está evidenciado CLARAMENTE via achados arqueológicos, que o pentateuco poderia sim, ser escrito por uma pessoa (ao contrário do que vocês, por FÉ acreditam)
    Este foi o ponto.

    Irineu, acho que não entendeste muto bem o texto.
    as evidências não possuiram o intuito de “provar” que uma pessoa escreveu o pentateuco inteiro. As evidências REFUTARAM a vossa acusação que o mesmo NÃO FOI escrito por uma pessoa.

    Isso é pura TRADIÇÃO! Nada pode ser PROVADO!

    E o argumento de vários autores para o Pentateuco é PURA ESPECULAÇÃO, sendo REFUTADAS pelas evidências.

    Se você estivesse escrevendo um relato histórico, o faria na terceira pessoa?

    O que me impediria?

    “Quando Diogo desceu do monte…”, ou usaria “Quando EU desci do monte…”?

    Porque não? Não se esqueça que o idioma era HEBRAICO e a cultura era de tempos antigos. Não cometa a falha grotesca, muito comum em vocês, leigos, chamado ANACRONISMO.

  125. Wagner Menke

    Hahahahahaha, esse link que o Diogo postou é patético mesmo.

    Patético mesmo foi a tua atitude de criancinha emburradinha, alegando que me ignoraria, e depois volta atrás, puxando assunto novamente.
    Não consegues honrar a tua palavra?

    Detalhe importante: o infame link do Diogo não conseguiu nem arranhar o teaser do meu vídeo.

    O seu “teaser” mostra ARGUMENTOS (conjecturas). o Meu link mostra EVIDÊNCIAS (Fatos).
    Conhece aquela frase que diz: “contra fatos não há argumentos?”

    Obscurantistas é o que eles são!

    Os líderes comunistas que buscavam um País ateu diziam a mesma coisa.

  126. Azetech

    Ou Diogo, ou qual seja o nome que você prefira usar hoje. A minha coleção de fanáticos está desfalcada, vou ter que procurar alguém para substituir você. Sabe que eu pensava que você era sincero no seu fanatismo? Que você realmente acreditava nas lorotas das suas evidências EMPÍRICAS sobre o Deus? Até esse hábito ridículo de escrever como um patriarca bíblico, pensei que fosse uma forma que você encontrou para ajudar o Deus a identificar você no meio da multidão.
    Mas aí eu vejo você vendendo seus serviços e vejo que tudo não passava de estratégia de marketing que coisa.
    Quer dizer, já existem as bocas de culto presenciais, as televisionadas, radiofônicas, mas você detectou um nicho de mercado, a boca de culto pela internet e resolveu aproveitar a repercussão do blog para fazer o seu merchandising.

    Parabéns pelo empreendedorismo, eu acho. Mas se eu fosse o Barros cobrava participação nos lucros.

  127. Meu link mostra EVIDÊNCIAS (Fatos).
    Conhece aquela frase que diz: “contra fatos não há argumentos?”

    Conheço muito bem. Vejamos.

    Seu link diz o seguinte, ao segundo parágrafo:

    Estudiosos sustentam que Moisés escolheu a escrita fonética para escrever o Pentateuco. O grande arqueólogo William F. Albright datou essa escrita de início do século 15 a.C. (tempo de Moisés).

    Gênesis 36 diz o seguinte:

    O príncipe Quenaz, o príncipe Temã, o príncipe Mibzar. (Gênesis 36:42)

    Só que o clã Temã é citado por Ezequiel 25:13 pelo profeta como um dos responsáveis pelo saque a Judá quando este foi invadido pela Babilônia:

    Assim diz o Senhor DEUS: Porquanto Edom se houve vingativamente para com a casa de Judá, e se fez culpadíssimo, quando se vingou deles;
    Portanto assim diz o Senhor DEUS: Também estenderei a minha mão sobre Edom, e arrancarei dela homens e animais; e a tornarei em deserto, e desde Temã até Dedã cairão à espada. (Ezequiel 25:13)

    Assim, dado que Judá foi invadida por Nabucodonosor em 587 AEC, e Moisés viveu em 1400 AEC, segundo as evidências do Diogo, podemos concluir que ele é o grande bufão do DeusILUSÃO, que adora se auto-ridicularizar, umas horas com lorotas sobre dinossauros na Bíblia, outras mostrando ele mesmo poderosas evidências de que Moisés não poderia ter escrito sobre clãs edomitas que surgiram quase mil anos após sua morte.

    Ou seja, estamos diante de um grande obscurantista. Pelo menos ele é engraçado.

    Abs

  128. Ah, e só lembrando: esse é só o primeiro parágrafo da introdução da Hipótese Documental.

    Se o cara se enrola no primeiro parágrafo, imagina no resto.

  129. Diogo,

    Você claramente entra em contradição: primeiro, “NÃO HÁ CONTRADIÇÕES”, e agora admite que possa haver “erros em relatos secundários”.

    Primários, secundários, terciários, que importa? Fato é que os erros existem e, portanto, não é infalível nem perfeita, como se crê!

    Agora, SE “A PALAVRA de Deus chama-se CRISTO”, é de se esperar que não haja contradição no que ele disse e ficou registrado nos evangelhos, não é?

    Pois bem, pergunto:

    Se Jesus dá testemunho de si mesmo, o seu testemunho:

    1) é verdadeiro: “Respondeu-lhes Jesus: Ainda que eu dou testemunho de mim mesmo, o meu testemunho é verdadeiro” (João 8:14), ou,

    2) não é verdadeiro: “Se eu der testemunho de mim mesmo, o meu testemunho não é verdadeiro” (João 5:31).

    Mas, voltando à questão das pérolas, esclareça-nos:

    Você não deve DÁ-LAS aos porcos, mas se os porcos, que somos nós, concordarmos em PAGÁ-LO por isso, aí, tudo bem?

    “Conhece o ditado Bíblico que diz: “Não jogue pérolas aos porcos”? Pois bem, qualquer estudo aprofundado contigo, é como se eu jogasse estas pérolas … Se eu for efetuar um trabalho acadêmico para alguém que não dará valor, que pelo menos eu seja pago por isso.”

    Agradecemos a oferta, mas suas “pérolas” só têm valor aí, no seu país, o “das maravilhas”.

    Aqui, no nosso, o “das realidades”, infelizmente, não têm valor nenhum, se é que você ainda não percebeu!

    Dessa forma, guarde-as para si, ou dê-as (ou, ainda, tente vendê-las, se for o caso) para algum concidadão seu.

    Aliás, por que ao invés de perder insistentemente seu tempo conosco, não o usa de forma melhor em pacíficos sites cristãos, com aqueles que compartilham de suas crenças?

    A propósito, ó guru teológico, se possível agracie-nos com seu superior saber e conhecimento, tirando-nos mais algumas dúvidas:

    Sabedores de que deus, assim como sua palavra, é perfeito, infalível e imutável, certamente não admitindo qualquer forma vil de degradação do ser humano, como escravagismo e misoginia, pergunto:

    As mulheres:

    1) podem ser pastoras e líderes ou, mesmo, fazerem comentários em blogs,

    ou,

    2) devem estar caladas nas igrejas, questionando em casa a seus próprios maridos (aos quais devem ser completamente sujeitas e submissas) se quiserem aprender alguma coisa (1 Coríntios 14), salvando-se dando à luz filhos, vez que são inferiores aos homens, haja vista que foi Eva, e não Adão, quem pecou (1 Timóteo 2)?

    No caso da resposta ser a de número 2, pergunta-se:

    a) como farão para aprender as que são solteiras e viúvas, que não têm maridos;

    b) como serão salvas, à luz de 1 Timóteo 2, as estéreis.

  130. Wagner Menke

    Ah, e só lembrando: esse é só o primeiro parágrafo da introdução da Hipótese Documental.

    Como eu disse, a HIPÓTESE (crença, fé), documental não possui alguma evidência que a corrobore (por isso nem mesmo evoluiu a uma teoria).
    Ela se baseia em ARGUMENTOS meramente interpretativos a Bíblia e em sua linguagem, nas quais já foram REFUTADOS pelas evidências arqueológicas.

    Só que o clã Temã é citado por Ezequiel 25:13 pelo profeta como um dos responsáveis pelo saque a Judá quando este foi invadido pela Babilônia

    E?

    “”Assim, dado que Judá foi invadida por Nabucodonosor em 587 AEC, e Moisés viveu em 1400 AEC””

    E?

    Gostaria de entender a “lógica” deste “raciocínio” (se é que pode ser chamado de raciocínio).
    Moisés descreveu a ORIGEM do clã, e Ezequiel declarou de Deus o juízo sobre os atos daquele clã. Simplês.

    A grande confusão lógica que fazes é ilustrado da seguinte maneira:

    Pedro Álvares Cabral (Séc. XV) faz um relato sobre uma tribo indígena.
    João Pereira Pestana (Séc. XVII) faz outro relato sobre o massacre desta tribo indígena.
    Logo, Pedro Alvares Cabral viveu no Séc. XVII.

    Não sei se rio ou se choro de tamanha falta de lógica e irracionalidade neste raciocínio.

    grande bufão do DeusILUSÃO

    Quem é o emburradinho que não aceita opinião contrária, chegando até mesmo a fazer bico por ser refutado, e ainda por cima promete uma coisa e não cumpre és tu e não eu.
    (este fato pode ser EMPIRICAMENTE COMPROVADO com uma análise das conversas registradas neste site)
    Evite imputar as tuas características débeis a outras pessoas, imaginando que todos possuem a mesma deficiência que tu.

    Sds.

  131. Gostaria de entender a “lógica” deste “raciocínio” (se é que pode ser chamado de raciocínio).

    Simples: Moisés viveu mil anos antes do clã surgir e jamais poderia tê-lo citado em Gênesis 36. Já que o clã é citado em Gênesis 36, não foi Moisés que escreveu esse capítulo. Só não desenho porque o WordPress não permite, mas tenho dúvidas se isso iria funcionar.

    Evite imputar as tuas características débeis a outras pessoas, imaginando que todos possuem a mesma deficiência que tu.

    Te imputo características débeis porque você foi o único aqui que não entendeu o argumento. Ou preferiu se fazer de desentendido pra não dar o braço a torcer.

    Pedro Álvares Cabral (Séc. XV) faz um relato sobre uma tribo indígena.
    João Pereira Pestana (Séc. XVII) faz outro relato sobre o massacre desta tribo indígena.
    Logo, Pedro Alvares Cabral viveu no Séc. XVII.

    Errado, pois Moisés não faz um relato sobre a origem do clã. Se remontarmos toda a genealogia dos clãs em Gênesis 36 sua origem não chega ao ano 1000 AEC.

    Moisés descreveu a ORIGEM do clã

    Afirmação sem sustentação factual. Sua especialidade.

    Ela se baseia em ARGUMENTOS meramente interpretativos a Bíblia e em sua linguagem, nas quais já foram REFUTADOS pelas evidências arqueológicas.

    Ah é? Então faz o seguinte: cita pra gente quais são as interpretações e quais são as evidências arqueológicas que a refutaram, porque eu simplesmente DUVIDO que você tenha conhecimento dela. Você é um obscurantista, e assim, prefere jogar esse tipo de ciência pra debaixo do tapete. Se eu estiver errado, então cita as evidências da Hipótese Documental pra eu saber que você a conhece. Do contrário, vai, mais uma vez e inevitavelmente, se auto-ridicularizar aqui.

  132. Wagner Menke

    Simples: Moisés viveu mil anos antes do clã surgir e jamais poderia tê-lo citado em Gênesis 36.

    Não é nada simples se não possui provas. Com base nos textos citados, não chegamos a esta conclusão. Porque? Porque em Ezequiel NÃO É DITO que o clã teve sua origem naquele período, pelo contrário, a passagem indica os males causados aos hebreus de um clã ANTIGO.

    Já que o clã é citado em Gênesis 36, não foi Moisés que escreveu esse capítulo.

    Que evidências possui desta alegação, alem de sua INTERPRETAÇÃO PESSOAL da Bíblia?
    Se dizes categoricamente “NÃO FOI MOISÉS O AUTOR” deverias no mínimo possuir alguma evidência para o tal. Porém o que vemos é a SUBJETIVIDADE de uma INTERPRETAÇÃO PESSOAL, inferido a relatos NÃO CLAROS (no caso Gênesis e Ezequiel).

    Só não desenho porque o WordPress não permite, mas tenho dúvidas se isso iria funcionar.

    Não precisa desenhar. Basta demonstrar relatos CLAROS sem que eu tenha deu utilizar pressuposições (no caso de que Moisés não foi o autor) ou minha imaginação (que Ezequiel revela a ORIGEM daquele clã, mesmo quando não declara tal fato naquela passagem citada)

    Te imputo características débeis porque você foi o único aqui que não entendeu o argumento.

    Eu entendi claramente o teu argumento, porém não o aceitei pois os textos em sí não são claros.
    Tua debilidade, pelo que percebo, é lhe dar com pessoas que NÃO ACATAM A TUA FÉ como um fato.
    Isso, pelo que tenho percebido, o deixa “irado”, fazendo até mesmo tomar atitudes infantis.
    Uma dica, aprenda a conviver com a diversidade de pensamento. Nem todos acatarão as tuas doutrinas cegamente.

    Errado, pois Moisés não faz um relato sobre a origem do clã.

    O relato é claro, o clã é de descendência direta de ESAÚ.
    Como diz que ele não menciona sua origem? Não leste direito versículo que tu mesmo indicou?

    Se remontarmos toda a genealogia dos clãs em Gênesis 36 sua origem não chega ao ano 1000 AEC.

    Discordo. A Genealogia montada traz com exatidão os períodos ali descritos, mostrando a plausibilidade do conhecimento de Moisés.
    Mas se tu diz que não, demonstre com clareza como a tua genealogia foi montada.

    Afirmação sem sustentação factual. Sua especialidade.

    Inversão do ônus da prova. Sua especialidade.
    Se diz que Moisés NÃO ESCREVEU, o ônus cabe a ti, e não a mim.

    Ah é? Então faz o seguinte: cita pra gente quais são as interpretações e quais são as evidências arqueológicas que a refutaram, porque eu simplesmente DUVIDO que você tenha conhecimento dela.

    Bolas, não leste o site que passei?
    As evidências e as interpretações são bem específicas e CLARAS lá.
    Quer que eu desenhe os detalhes lá descritos para facilitar teu entendimento?

    Você é um obscurantista, e assim, prefere jogar esse tipo de ciência pra debaixo do tapete.

    Eu digo que o obscurandista és tu, por tentar encobrir um fato com mentiras e sofismas.

    Se eu estiver errado, então cita as evidências da Hipótese Documental pra eu saber que você a conhece.

    NÃO HÁ evidências na HIPÓTESE documental. Se houvesse alguma evidência não seria HIPÓTESE, mas TEORIA.
    Pelo visto não deves conhecer muito bem de ciência, para diferenciar Hipóteses, Teorias e Leis.
    Esta crença baseia-se em uma leitura da Bíblia e a subjetividade em interpreta-la e nada mais que isso.

    Porém, Longe de ser unanimidade, esta crença é falha, e para complicar ainda mais o seu posicionamento, foi-se encontrado evidências que invalidam a obrigatoriedade dela.

    Sds.

  133. Que tal um debate entre Wagner Menke e Diogo Morelli ao vivo no HangOut ou Youtube? Eu, como pessoa neutra :-), posso ser o mediator. O ideal seria o Barros, o dono do pedaço. Mas ao vivo seria melhor para entender, porém, tenho uma leve desconfiança que vai acabar em bate-boca.

  134. Diogo,

    À parte a questão ora em voga, do clã Temã, uma coisa que o Wagner falou é evidente e inegável, e só posso concordar com ele: os “doublets”.

    Sem querer aprofundar muito no assunto com relação aos demais “doublets”, analisando apenas o início do livro de Gênesis, como pode ser facilmente verificável, há dois relatos da criação, com notórias diferenças entre si:

    1) Gênesis 1:1 a 2:3, e,

    2) Gênesis 2:4 a 2:25.

    Na primeira, o autor usa sempre o agente “Elohim” (deus) e, diferentemente, na segunda, o agente é sempre “Jeová” (Senhor deus).

    O mesmo ocorre no relato do dilúvio:

    1) Gênesis 6:13 a 6:22 (Elohim), e,

    2) Gênesis 7:1 a 7:9 (Jeová).

    Sendo completamente honestos, verifica-se que há sensíveis variações entre si na duplicidade de relatos, principalmente, como dito, pela forma do autor chamar o agente, levando-nos fatalmente à conclusão de q

  135. Continuando:

    … levando-nos fatalmente à conclusão de que há dois autores diferentes, cujos registros foram, em algum momento, compilados por alguém e tornado um único relato, que acabou entrando assim para o Pentateuco.

  136. Nosso colega Diogo pega o conceito de desonestidade intelectual e eleva ele ao estado da arte.

    Em Gênesis 36:40 o autor diz que:

    E estes são os nomes dos príncipes de Esaú(Edom), segundo as suas gerações, segundo os seus lugares, com os seus nomes: o príncipe Timna, o príncipe Alva, o príncipe Jetete.
    […]
    O príncipe Quenaz, o príncipe Temã, o príncipe Mibzar

    (Gênesis 36:40, 42)

    1º) Se ele se refere aos príncipes, ele está falando daquele clã que está no poder.

    2º) Se Ezequiel cita que Temã participou do saque a Judá, significa que Temã era o clã no poder naquela época, e isso foi em 587 AEC.

    3º) Se Moisés viveu em 1400 AEC, ele não poderia ter escrito Gênesis 36.

    Porque será que ele complica tanto? Será que é débil??? Aff…

    E Irineu, os doublets às vezes aparecem como triplets, como o caso de Moisés subindo o Monte Sinai três vezes em Êxodo 24.

    A utilização de diferentes nomes pra deus (Elohim, Javé) é só o ponto de partida. Depois disso foi possível claramente evidenciar que um autor é do reino de Judá e o outro é do reino de Israel. O que significa que os dois começaram a escrever depois da divisão dos reinos, durante o reinado de Roboão e Jeroboão, apesar de a fonte J ter começado um pouco antes e possivelmente ter servido de fonte ao autor E.

    Eu pensava que o Diogo ia citar isso e mostrar argumentos a favor da Hipótese e contrário a ela. Mas não, ele desconhece completamente a Hipótese Documental, ele é um cético de Google, que fica chafurdando na internet em busca de migalhas que sustentem a sua frágil crença. Enquanto os intelectuais de verdade estão na academia e nos congressos discutindo ciência sobre a Bíblia. Ao invés de estudar essas descobertas, ele prefere citar argumentos do tipo “Silas Malafaia”, de que é só uma teoria, uma hipótese, uma lei, e blá blá blá blá blá , mimimi mimimi mimimi mimimi…

    Assim são os fundamentalistas: são analfabetos científicos que não entendem que a ciência é só a forma mais segura de explicar um fenômeno. Ela não é absoluta nem definitiva, mas apenas a melhor explicação de um fenômeno no atual momento. E como eles não conseguem dar uma explicação satisfatória para substituir a explicação científica atual, exalam ignorância ao dizer que isso tudo “é só uma teoria”

  137. «Com todo prazer, só me pagar pelo meu trabalho de pesquisa, que terá tuas respostas exigidas.
    Não sou teu escravo para trabalhar de graça.»
    Este comentador, de nome Diogo, não está a tratar corretamente o seu oponente. Se está no blog para mostrar outra alternativa ao ateísmo tem mesmo que pesquisar e não dar respostas tortas. Não vi um pingo de modéstia, apenas termos depreciativos em relação aos outros participantes do blog.
    «Tua debilidade…»;«Patético mesmo foi a tua atitude de criancinha emburradinha…»;«Não te envergonhas de mentir descaradamente ou tens deficit de atenção…», o que é ISTO? Que linda POSTURA! Está a defender o quê, afinal?

  138. Oh Maria, o Diogo acabou de ser chamado de “artista da desonestidade” pelo Wagner Menke, você não vai falar nada sobre isso? Parece que a sua indignação é seletiva.

  139. O Diogo é especializado na bíblia mas falta-lhe algo…Sinceridade? Consideração pelos outros? Amor ao próximo? É verdadeira a sua «FÉ»? Ao contrário do Ireneu, ele não é genuíno. Que importa tanto conhecimento se o caráter não presta?

  140. «Para chegar ao nível de razoável, o teu conhecimento deverá ser aumentado muito (muito mesmo).
    Digo pelo conhecimento que tenho, pois a estudo profundamente a mais de 15 anos.
    Já perdi a conta de quantas vezes eu a lí, e de quantas vezes eu já recorri aos textos originais em aramaico, hebraico e grego para entende-la.»
    Estuda a bíblia há mais de 15 anos e não aprendeu a dialogar com quem não partilha das suas ideologias? Há 15 anos que lê as palavras de Jesus pela pena dos evangelistas e não houve mudança no seu temperamento conflituoso? Que contradição! E que erudição, ao mesmo tempo. As pérolas que leu, tão preciosas, você deve devolvê-las com muito amor por aqueles que perderam a fé.

  141. «Então, não cometa o equivoco de se comparar comigo, pois o teu nível, sem querer ser arrogante, está muito inferior ao meu.
    Eu ví Deus “face a face”, tu mal o conheceu.»
    Depois desta afirmação, diz que foi em sentido metafórico e que o Irineu a entendeu literalmente. Qualquer um acreditaria da mesma maneira que o Irineu. Olhe, Diogo, eu não tenho FÉ em si, da maneira como se expressa. E digo FÉ, segundo o seu sentido original.
    Alguém que conhece Deus através de experiências empíricas (não sei quais foram) não pode falar assim a um seu semelhante que se aproximou de si respeitosamente.
    Obs: estou lendo pela primeira vez os comentários do Diogo, daí a minha surpresa.

  142. Amanhã sai publicado o texto do Irineu. Está muito bom! Estou esperando ansioso para ver os comentários… rsrsssss

    É esse o grande problema dos crentes: quando eles realmente procuram encontrar Deus é que descobrem que ele não está lá…

  143. «Eu por exemplo, jamais zombaria de uma pessoa que acreditasse neste velhinho ou de uma pessoa que possui a fé cega que dinossauros viraram colibris.»
    Pois não, prefere zombar de pessoas que vêm contar o seu desengano, primeiro em relação à religião organizada e depois em relação à existência de um Deus criador do universo, sem levar em conta que essa pessoa não entrou aqui senão com o propósito honesto de partilhar a sua visão do mundo com outros ateus e debater com seriedade com os crentes e agnósticos.

  144. O comentário acima é ainda para o Diogo.

  145. Maria

    Muito bom que você é uma pessoa sensata, com discernimento e mostra-se uma pessoa equilibrada de valores preservados.

    Nada de contendas, humilhações, arrogância e agressividade. Tenho por mim um juízo de que podemos ter pontos de vista diferentes sem que seja necessário dirigir palavras ofensivas ao interlocutor, esta posição revela uma pessoa de um nível bem mais baixo que o nosso o que às vezes nos leva a ter uma sensação de desconforto com aquela impressão de que entramos no lugar errado e incompatível com nosso nível pelo fato de que a religião lida com o fator emocional baseado nas crenças das pessoas, principalmente aquelas fanáticas razão de ser quase inevitáveis as agressões. Sempre foi assim e sempre será aquilo que vemos sempre: “Religião e Violência”.

    A bíblia é um livro que, se retirar todas suas lendas ainda sobra alguma coisa boa que podemos retirar por exemplo do livro de Provérbios, mesmo porque este livro não narra lendas e é mais voltado à sabedoria. Dizem que a maioria dos versículos é de autoria do rei Salomão, o filho de Davi, mas, não acredito nem morta.

    Está ali mais uma miscelânea de aforismos de vários autores colecionados talvez por milhares de anos, frases de grande valor que, quando ponderados, ajudam na construção do caráter.

    3 – O chicote é para o cavalo, o freio, para o jumento, e a vara, para as costas do tolo!
    4 – Não responda ao insensato com igual insensatez, do contrário você se igualará a ele.
    5 – Responda ao insensato como a sua insensatez merece, do contrário ele pensará que é mesmo um sábio. Provérbios 26:3-5

    Um grande abraço

  146. Corrigindo:
    A bíblia é um livro que, se retirar todas suas lendas ainda sobra alguma coisa boa que podemos aproveitar, por exemplo do livro de Provérbios

  147. Wagner,

    E outra: como eu já disse acima, rejeitam as explicações da ciência como tolices, simplesmente baseados nos escritos de um livro caduco da idade do bronze, mas acham totalmente plausíveis, não vendo a qualquer absurdo nos “contos” bíblicos do homem feito de barro, da mulher feita de costela, de cobras e mulas que falam, do firmamento que é abobadado e sólido, da existência de água acima desse firmamento, de a Terra ser plana e cercada de abismos, etc, etc, etc.

    E nós é quem somos os iludidos! Quanta lógica!

    Mas, até dou um desconto, por que já fui um deles e, por um bom tempo, já pensei exatamente dessa forma.

    A questão é que nem todos – aliás, a minoria -, dão oportunidade ao “simancol”!

  148. É Maria, você vê que coisa né?

    Com todo esse conhecimento (de 15 anos sobre a Bíblia) e ainda precisa ficar inventado interpretação (a de que Moisés está citando a origem do clã, quando está evidente que o texto fala do clã no poder) pra não ter que dar o braço a torcer…

    Barros, estou ansioso pra ver o depoimento do nosso colega Irineu.

    E Irineu, captou a parada, né?

    Grande abraço a todos!

  149. Maria,

    Como você percebeu, fui completamente desmerecido, desrespeitado e julgado no tocante à veracidade de minha experiência no cristianismo.

    Como visto, há cristãos que se julgam tão santos, que não necessitam se sujeitar ao mandamento: “não julgueis para que não sejais julgados”.

    Quem sabe dos dramas e dilemas por que passou, senão a própria pessoa q

    Ele é arrogante, convencido, orgulhoso, egoísta, e com complexo de superioridade.

    Quando encontra um

  150. Alterando o final e continuando:

    Quem sabe dos dramas e dilemas por que passou, senão a própria pessoa que os vivenciou?

    Ele, como você bem viu, nem procura esconder sua arrogância, convencimento, orgulho e complexo de superioridade, se bem que isso parece ser até comum a cristãos bitolados e fanáticos.

    Fato é que, até agora, não apresentou sequer uma explicação para as inconsistências bíblicas que eu mencionei (embora, de fato, saibamos que não há explicações honestas para elas. Só se for pelo recurso de “harmonização dos textos”, desonesto, mas muito usado pelos “solucionadores”), dizendo que apenas “não deseja explicar”, a menos que o paguemos! Absurdo, ou não? Será piada?

    Ainda estou sem entender a incoerência: não deve dar suas pérolas aos porcos – que, por sinal, somos nós -, por que Jesus assim falou, mas insiste em querer contestar-nos e doutrinar-nos, expondo seus pontos de vista para quem não tem qualquer interesse neles!

    Não é exatamente do que Jesus estava falando? É incoerência, ou só eu que acho?

  151. Wagner,

    Peço desculpas, mas andei um tanto ocupado e não tive tempo para examinar as postagens mais detalhadamente.

    Vou me inteirar melhor e depois comento, ok?

  152. Ok camarada! Sem pressa!

  153. Diogo Morelli,

    Resumindo minhas ponderações feitas e registrando outras:

    Não percebes a incoerência do teu próprio Cristo quanto a dar testemunho de si mesmo, quando ora afirma que seu testemunho é verdadeiro e ora afirma o contrário? E, o pior, isso, dentro de um mesmo evangelho, o de João!

    (A propósito, se quiser examinar, ao contrário dos “sinópticos”, que registram um Jesus bem humano, o único evangelho que atribui divindade a Jesus é o de João, onde, com exclusividade, lemos o “o verbo era deus”, o “eu e o pai, somos um” e o “Quem me viu a mim, viu o Pai”! São lá omitidas suas fraquezas, como a agonia do Getsêmani, o “deus meu, deus me, porquê me desamparaste”, e a afirmação de que há fatos que ele não saberia, mas só “o pai”! Porquê será? No mínimo suspeito!)

    Não percebes a falácia que é tua crença na “parousia”, quando seu próprio Cristo afirma que:

    – “não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam”, que

    – “alguns dos que aqui estão não provarão a morte até que vejam vir o filho do homem”, que

    – “não acabareis de percorrer as cidades de Israel antes que venha o Filho do homem”, que

    – João ainda deveria estar vivo quando isso ocorresse (“se eu quiser que ele fique até que eu venha, que tens tu com isso?”)

    e que já morreram todos e, simplesmente, nada aconteceu?

    Não te atentas do engodo que é a tua crença no “pecado original”, passado de Adão, “nosso pai”, para toda a humanidade (“por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação) e no “plano de salvação”, quando teu próprio deus afirma em “sua palavra”, em Ezequiel 18, que:

    “A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniquidade do pai, nem o pai levará a iniquidade do filho, A justiça do justo ficará sobre ele, e a impiedade do ímpio cairá sobre ele”,

    no que, aliás, ele mesmo se contradiz quando afirma:

    “mas visita a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e a quarta geração”

    e quando consente na morte dos filhos de Acã, por causa do “pecado” do mesmo, o pai?

    Não percebes o uso de dois pesos e duas medidas por teu deus, quando determina que:

    “O homem que adulterar com a mulher de outro, sim, aquele que adulterar com a mulher do seu próximo, certamente será morto, tanto o adúltero, como a adúltera”,

    mas deixa impunes Davi e Bate-Seba?

    E isso, por que “deus não muda”! Imagine se mudasse, então!

    Não percebes o caráter imoral, intolerante, birrento, vingativo e sanguinário de teu deus, quando:

    – consente na morte hedionda de 42 crianças, simplesmente por chamar Eliseu de careca?, ou quando

    – “endurece o coração de Faraó” para que não deixe o seu povo sair do Egito, unicamente para “justificar” sua carnificina?

    Não enxergas o caráter imoral, misógino e degradante de tua “palavra de deus”, quando não só apoia e consente, mas, também, legaliza a escravidão e inferioriza as mulheres mandando que fiquem caladas nas igrejas (por que é “indecência”), questionando em casa a seus próprios maridos (aos quais devem ser completamente sujeitas e submissas) se quisessem aprender alguma coisa, com argumentos ridículos, do tipo:

    “primeiro foi formado Adão, depois Eva. E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão”, e, o pior,

    determinando que a condição para que sejam salvas seria a de dar à luz filhos, se permanecessem “com sobriedade na fé, no amor e na santificação”?

    E isso tudo, para não delongar, é apenas uma amostra da loucura da vossa fé!

    Vocês ficam tão obcecados em refutar a evolução e a ciência, que não conseguem enxergar, bem na vossa frente, a insanidade de suas próprias crenças!

    Você pode até dizer não acreditar, mas, o fato é que já fui tão orgulhoso, arrogante, cabeça-dura, contestador e irredutível quanto você.

    Foram décadas, até eu conseguir enxergar e entender isso, dando conta de minha ilusão, e dar o passo para meu retorno à razão e libertação de minha mente.

    Mas, infelizmente, pela experiência, vê-se que isso não é para todos, pois depende da vontade de cada um em contestar e reavaliar a sua própria fé, e isso é um caminho tido por proibido, contrário ao próprio conceito de “fé”.

    Finalizando, tenho a dizer que essas seriam minhas considerações finais sobre o tema, não tencionando continuar este debate, pois, como já era de se esperar, de fato, ninguém tem real interesse nas argumentações do outro, tornando-o, dessa forma, inócuo e improdutivo para ambas as partes. Concordas?

    Abraço!

  154. Irineu, acha que o Diogo é mesmo cristão? Acreditar em Cristo não basta, tem que enveredar pelo caminho estreito e este, pelo menos no blog, ao que parece, ele ainda não encontrou. Irineu, você como ateu, é mais cristão do que ele. No bom sentido, claro está.

  155. Olá, Ana, realmente a bíblia é um livro muito interessante. Está lá tudo o que pretendemos saber sobre a psicologia do ser humano. Ao mesmo tempo, é um retrato de várias épocas históricas e o relato do drama de um homem que desafiou algumas convenções do seu tempo, Jesus. É evidente que há contradições mas isso não invalida um estudo apaixonante sobre ela.
    Ainda bem que a Ana acha que há coisas boas nela. E devemos ponderá-las com sensatez. E as más, servem para análise, também aprendemos algo com elas.
    Beijinhos.

  156. Maria,

    Não posso julgar a fé dele, pois me colocaria par-a-par com ele, que me julgou quanto à que eu tive.

    Mas, de fato, considero-o, no mínimo, incoerente em suas atitudes e palavras como cristão.

    Entendo, perfeitamente, o seu ponto e agradeço pela compreensão do meu.

  157. Olá, Wagner, você é um estudioso honesto, com uma pontinha de ironia mesclada de bom humor. Não tenho a sua bagagem cultural, por isso não posso debater consigo. Os seus comentários respiram decência e acredito que você luta por um mundo melhor apesar de ter optado pelo ateísmo.

  158. Maria, gostei disso aqui:

    Olá, Ana, realmente a bíblia é um livro muito interessante. […] É evidente que há contradições mas isso não invalida um estudo apaixonante sobre ela.

    Ôooo, eu que o diga! Embora ateu, sou um verdadeiro apaixonado pelos estudos acadêmicos sobre a Bíblia.

    Gostaria só de deixar uma coisa bem clara: existem diversos tipos de estudiosos da Bíblia. Existe uma corrente chamada de “teólogos liberais” que estuda a Bíblia de uma perspectiva de que deus não existe e a mesma é pura obra de mãos humanas. O mais curioso é que a grande parte desses teólogos são crentes religiosos! Mas como isso é possível? Eles tem . Ao contrário de outros, eles não são o que eu chamo de detratores da fé/b>, que são os carinhas que querem dar um caráter racional e factual à crença, entendido por “racional” aquilo que pode ser explicado com o uso da mesma razão que utilizamos para explicar os fenômenos naturais.

    E esses outros são os chamados “teólogos conservadores”. Eles acreditam piamente que a Bíblia é a mais cristalina palavra de deus, escrita por homens inspirados pelo Espírito Santo. Eles negam veementemente qualquer interpretação que não pressuponha a existência divina e o sobrenatural.

    Com isso, preferi ficar com os primeiros. Os argumentos deles sempre me pareceram mais honestos e arrazoados, dado que são crentes, eles realmente mostram que sabem separar as coisas e fazer ciência no lugar de proselitismo.

    Abraços a todos e boa semana!

  159. Wagner Menke

    Pra te falar a verdade eu não estudo a bíblia, prefiro vê-la destrinchada e desmistificada como você mostra nos seus vídeos, fruto de muito estudo, com pesquisas de fontes sérias da historia da humanidade que os religiosos tentam a todo custo colocar em favor de suas crenças, cada um com sua linha de pensamente, pois a bíblia é tão confusa e contraditória pelas tantas traduções, rasuras e falsificações que ela sofreu o que permite a cada crente interpretá-la conforme os interesses de seus líderes, mas, eu particularmente não vejo na Bíblia nenhuma perspectiva de que Deus existe e nem nas demais baboseiras que ela narra com supostas presunções.

    O que você faz é buscar na fonte o verdadeiro lado mostrando na medida do possível com a linguagem original, a veracidade das tantas lendas que ela contém e nos esclarecendo.
    Sempre tive desconfiança na bíblia como ela é escrita e distribuída ou melhor vendida a quem interessar possa.

    Considerei o livro de Provérbios, que, filtrando daqui e dali podemos encontrar frases inteligentes para nossa reflexão, gosto do livro de Davi por seu romantismo, a devoção ao amor do homem e mulher e a reverência ao feminino.

  160. Pois é Ana, concordo. Alguns contos e escritos são de fato bem bacanas. Até mesmo alguns valores morais podem ser aproveitados, como esse:

    “Não amaldiçoarás ao surdo, nem porás tropeço diante do cego; mas temerás o teu Deus. Eu sou o Senhor.” Levítico 19:14

    Concorda que é uma puta sacanagem ficar amaldiçoando surdos? Pô, o cara nem consegue ouvir a maldição!

    E passar rasteira em cego?!?! Imagina o nível do povo que viveu naqueles tempos, pra deus ter que dizer expressamente que isso era moralmente condenável?

  161. Hahaha

    “Não amaldiçoarás ao surdo, nem porás tropeço diante do cego; mas temerás o teu Deus. Eu sou o Senhor.” Levítico 19:14

    Esse “Senhor” é o máximo de inteligente e o bom é que ainda sabe fazer piadas mesmo dentro da seriedade e respeito que ele exige.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: