“Minha Deusilusão”, by Irineu Costa Junior

 

Irineu Costa Junior

 

O Autor:

Ex-fanático religioso (evangélico por cerca de 30 anos), hoje ateu militante contra as religiões, igrejas, líderes religiosos e superstições em geral, a favor e defensor da ciência, da lógica, da razão e do bom-senso.

Irineu Costa Junior é autor do bloghttp://irineucostajunior.wordpress.com

 

 

Cerca de 30 anos de minha vida foram futilmente desperdiçados em favor da religião; mais especificamente, do cristianismo!

É incrível como a gente, enquanto está lá dentro, envolvido com tudo, engajado, não consegue perceber a lavagem cerebral, o apelo ao emocionalismo, o controle e a manipulação! É tudo muito sutil, imperceptível!

E só depois de sair, e olhar de fora para dentro, é que nos apercebemos disso.

Enquanto se está lá dentro, questionar, duvidar, contestar, procurar evidências e usar a razão e o bom-senso, são atitudes vistas com maus olhos pelos demais, principalmente pelos da liderança. Os que assim procedem são vistos como “crentes fracos”, “de pouca fé”, crentes “São Tomé”, problemáticos, presas fáceis do “inimigo” para serem levados à apostasia e à “perdição eterna”.

Aliás, quando se está lá dentro, na verdade nem permitimos que tais coisas passem pelo pensamento, pois a pressão psicológica pelo sentimento de estarmos desagradando (ou até desafiando) a Deus por nossa falta de fé (“sem fé é impossível agradar a Deus” – Hebreus 11:6) e que podemos estar seguindo num caminho rumo a heresias nos bloqueia. Eis o motivo porque pouquíssimos conseguem se libertar e sair, chegando à luz da razão.

Virtuosos, ó sim, para eles, são aqueles que de nada duvidam, aceitam tudo sem qualquer prova ou evidência, sem contestar, nunca fazendo uso da razão e do bom-senso, por mais ilógicas, infundadas e até absurdas que as coisas que lhes são impostas possam parecer; se submetendo a tudo aquilo pacificamente, como cordeirinhos, que creem ser a Bíblia a “palavra de Deus”, que tudo lá escrito deve ser tido por literal e que nela não há falhas, nem erros, nem contradições ou incongruências.

Estes, evidentemente, são os que “agradam a Deus” (entenda-se “agradam os líderes”): não causam problemas, são facilmente manipuláveis e deixam-se explorar financeiramente. Os “verdadeiros fiéis”!

Vivi assim, como um zumbi, muito atemorizado e submisso, boa parte daqueles meus 30 anos, até que comecei a pensar, averiguar e pesquisar, a me libertar dos dogmas, coisas que são mais atinentes aos “hereges” e terminantemente proibidas aos “crentes fiéis”.

Nesse espírito, pude, enfim, aos poucos, entender que ela, a Bíblia, nada tem de “palavra de Deus”, sendo pura expressão de pensamentos e divagações de homens falhos, limitados, supersticiosos, preconceituosos e com restritos conhecimentos científicos, comuns às pessoas de suas épocas.

Na verdade, pude ver (como qualquer um que também se disponha a ver, verá) que ela, de capa a capa, está, sim, repleta de falhas, erros, contradições e incongruências. Que também está cheia de injustiças, imoralidades, genocídio, infanticídio, misoginia, machismo, homofobia, sadismo, racismo e malevolência, sendo, no todo, deplorável como instrumento de exemplo e ensino.

A Bíblia: palavra de Deus? 

Ironicamente, um outro cristão (muito, muito  crente, hoje pastor), irmão de fé, sem qualquer intenção nesse sentido, foi quem me despertou para iniciar meu aprofundamento na investigação que culminou, muitos anos depois, com a minha “apostasia”.

Ainda neófito, numa visita que lhe fiz, citou ele, dois textos bíblicos problemáticos, o que, até então, eu completamente desconhecia:

1)  Na versão revista e atualizada da Bíblia Ferreira de Almeida, no livro de Salmos, capítulo 8, versículo 5, lê-se: “Contudo, pouco abaixo de Deus o fizeste; de glória e de honra o coroaste”. Isto está em evidente contraste com o mesmo texto na versão revista e corrigida, bem como com Hebreus 2:7, onde, em lugar de “Deus”, lê-se “anjos”. Ora, “Deus” e “anjos” são coisas notória e indiscutivelmente diferentes!

2)   No livro de Atos, capítulo 7, versículo 2, lê-se:

“Estêvão respondeu: Irmãos e pais, ouvi. O Deus da glória apareceu a nosso pai Abraão, estando ele na Mesopotâmia, antes de habitar em Harã …”. Porém, o livro de Gênesis (11:31 a 12:1) relata o acontecidodepois de ele habitar em Harã!

Logicamente, aquele irmão não admitia haver erros ou contradições na Bíblia, e usava, como todos, de recursos desonestos para harmonizar os textos, não aceitando, em hipótese alguma, que pudessem existir falhas na “perfeita e infalível palavra de Deus”.

Na explicação dele, a palavra “anjos”, de Salmos 8:5, seria uma tradução interpretativa errônea da palavra “elohim” (Deus) na Septuaginta, versão grega do Velho Testamento, em hebraico, na qual se baseou a Bíblia revista e corrigida, bem como o autor de Hebreus. A tradução correta seria, mesmo, “Deus”.

Quanto aos outros dois textos de Atos e Gênesis, de forma desonesta, para harmonizá-los e não admitir a falha,  explicou que Abraão, na realidade, deveria ter tido duas chamadas, uma antes e outra depois de habitar em Harã.

Investigando, aos poucos fui percebendo que tais erros e contradições são comuns, ocorrendo com frequência em toda a Bíblia, fato que os cristãos não querem enxergar e, muito menos, admitir.

(Sobre o assunto, ver http://www.irineucostajr.vacau.com/religião.htm/#erros)

Como pode um livro com tão evidentes falhas e contradições ser aceito como emanado de uma divindade supostamente perfeita, zelosa e infalível, e, literalmente, servir como “manual” para direção de nossas vidas?

A partir disso, pude ver que a Bíblia é, de fato, palavra de homens que, na maioria das vezes de forma bem intencionada (em outras, nem tanto), deixaram registrados seus conselhos e experiências, baseados em suas crenças pessoais, influenciados pelos costumes, conceitos e preconceitos comuns às suas épocas, mas que também foi desonestamente aditada e adulterada no decorrer dos tempos.

Isto posto, podemos entender perfeitamente o porquê da inferioridade das mulheres, do preconceito contra homossexuais e da aceitação do escravagismo na Bíblia.

Depois disso, mesmo vendo a Bíblia com outros olhos, não a aceitando mais literalmente como “regra de fé e prática”, nem como “palavra de Deus”, mas apenas como um livro de conselhos e autoajuda, continuei cristão por muito tempo.

Assim, antes de romper completamente com o cristianismo, por um bom tempo passei a crer que, como Deus certamente não poderia usar um meio tão falho e frágil para expor sua vontade aos homens, esta deveria, então, por lógica, ser revelada a nós de forma transcendental, pelo contato pessoal com ele através da oração e meditação.

A minha “apostasia” e libertação

Durante esse tempo, continuei participando ativamente e com dedicação das atividades da igreja nas áreas da música e do ensino, sempre tomando cuidado em não expor minhas “convicções rebeldes”, a fim de não ser motivo de escândalo.

Mas, à medida que me aprofundava em meus estudos e investigações, aumentava a minha revolta contra o cristianismo, as igrejas e as religiões em geral, ao ver o radicalismo e a manipulação do povo pelos líderes, em especial na questão do dízimo.

Para mim, à luz dos próprios textos bíblicos relativos ao tema, tanto no Velho como no Novo Testamento, não havia a menor sombra de dúvida de que essa prática teria valido unicamente para o povo judeu, por determinação da lei mosaica, e nunca para a igreja gentílica.

(Sobre isso, ver http://www.irineucostajr.vacau.com/religiao.htm#dízimo)

A partir disso, eu considerava muito mais ético e correto a contribuição espontânea, sem constrangimento, de valor livre, definido pela própria pessoa de acordo com a sua vontade e possibilidades, em lugar do percentual fixo, imposto, obrigatório, o que, a meu ver, não coadunava com o espírito implícito no Novo Testamento (2 Coríntios 9:7).

Mas, logicamente, isso não atenderia aos interesses da grande maioria dos líderes, aqueles que, embora aleguem possuir fé na providência divina (Mateus 6:25-33), na verdade almejam uma segurança material ou, em vários casos, até mesmo o enriquecimento às custas do rebanho, pela exploração de sua ingenuidade (Ezequiel 34:2-6).

Esses líderes – me referindo aos de boa fé – , em algum momento de suas vidas, foram, assim como eu e todos os demais crentes, iludidos e fascinados pela falsa esperança do evangelho em sua promessa de vida eterna, de um lugar melhor, maravilhoso, de uma existência sem sofrimento e de pura felicidade, a tão sonhada Shangri-La. E, por uma obrigação que lhes foi imposta, continuando a movimentar o círculo vicioso existente, passam a incutir essa ilusão nas mentes de outros, tudo isso numa clara fuga à nossa realidade de uma vida com sofrimentos e da certeza da morte.

Ao final, eu, após todos aqueles longos anos de estudo, investigação e meditação, com minhas convicções já bem fortalecidas, estando bem embasado nas conclusões a que cheguei com respeito à fé cristã e ao Deus criado por homens apresentado na Bíblia, como não poderia deixar de ser, sem qualquer arrependimento, abandonei completamente tudo aquilo, após o que me senti grandemente aliviado e satisfeito, como quem se livra de um fardo.

Com clareza, percebo perfeitamente, agora, que a fé cristã é, na realidade, uma escravidão voluntária velada, um grande engodo, uma utopia. Que a alegria que proporciona é igualmente falsa e que não existe a tão aclamada “liberdade em Cristo” (a fé aprisiona; o conhecimento liberta!), sendo, em verdade, tudo isso, puramente ilusório, fruto de nossos mais ocultos anseios e esperanças de uma vida de completa felicidade e do temor ante a morte certa.

 

________________

Irineu Costa Junior  é leitor do blog, e resolveu compartilhar sua “deusilusão”, assim como já fizeram outros leitores:

Anúncios

84 Respostas

  1. Clap, clap, clap, bravo! Muito bom.

    Se me permitirem, gostaria só de acrescentar uma coisinha que vai bem ao encontro do que o Irineu disse:

    A partir disso, pude ver que a Bíblia é, de fato, palavra de homens que, na maioria das vezes de forma bem intencionada (em outras, nem tanto), deixaram registrados seus conselhos e experiências, baseados em suas crenças pessoais, influenciados pelos costumes, conceitos e preconceitos comuns às suas épocas, mas que também foi desonestamente aditada e adulterada no decorrer dos tempos.

    E bota “palavra de homens” nisso!

    A título de exemplo, cito o próprio livro de Deuteronômio como a evidência de que quem tem a prerrogativa de transmitir a palavra de deus a usa indiscriminadamente a seu favor.

    Reparem nos seguintes versos desse livro:

    Guarda-te, que não desampares ao levita todos os teus dias na terra. Deuteronômio 12:19

    Porém não desampararás o levita que está dentro das tuas portas; pois não tem parte nem herança contigo. Deuteronômio 14:27

    Então virá o levita (pois nem parte nem herança tem contigo), e o estrangeiro, e o órfão, e a viúva, que estão dentro das tuas portas, e comerão, e fartar-se-ão; para que o Senhor teu Deus te abençoe em toda a obra que as tuas mãos fizerem. Deuteronômio 14:29

    E, quando chegar um levita de alguma das tuas portas, de todo o Israel, onde habitar; e vier com todo o desejo da sua alma ao lugar que o Senhor escolheu; Deuteronômio 18:6

    E servir no nome do Senhor seu Deus, como também todos os seus irmãos, os levitas, que assistem ali perante o Senhor, Deuteronômio 18:7

    Os sacerdotes levitas, toda a tribo de Levi, não terão parte nem herança com Israel; das ofertas queimadas do SENHOR e da sua herança comerão. Deuteronômio 18:1

    E, na tua festa, alegrar-te-ás, tu, e teu filho, e tua filha, e o teu servo, e a tua serva, e o levita, e o estrangeiro, e o órfão, e a viúva, que estão dentro das tuas portas. Deuteronômio 16:14

    Quando acabares de separar todos os dízimos da tua colheita no ano terceiro, que é o ano dos dízimos, então os darás ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, para que comam dentro das tuas portas, e se fartem; Deuteronômio 26:12

    E dirás perante o Senhor teu Deus: Tirei da minha casa as coisas consagradas e as dei também ao levita, e ao estrangeiro, e ao órfão e à viúva, conforme a todos os teus mandamentos que me tens ordenado; não transgredi os teus mandamentos, nem deles me esqueci; Deuteronômio 26:13

    Aí alguém pode se perguntar: porque esse privilégio todo aos levitas? E a resposta é simples: porque quem escreveu o Deuteronômio era um levita.

    Assim como são os homens são as criaturas!

    Grande abraço a todos e boa semana!

  2. O relato do Irineu mostra que, se o crente se dispuser a racionalizar sua fé, vai descobrir que tudo não passa de uma ilusão. Daí a necessidade do adestramento: “crer é bastante”. Ou seja, não pense muito a respeito.

  3. O Autor:
    Ex-fanático religioso (evangélico por cerca de 30 anos), hoje ateu militante contra as religiões, igrejas, líderes religiosos e superstições em geral, a favor e defensor da ciência, da lógica, da razão e do bom-senso.

    Ex-fanático religioso e atual fanático ateu. Mas temos coisas em comum: também sou contra superstições em geral, a favor e defensor da ciência, da lógica, da razão e do bom-senso, e sou teísta!

    Irineu, parabéns pelo artigo, você escreve bem, que nem pastor :-) mas permita-me dois comentarios:

    1 – Parece que você fazia parte de alguma ala muito fanática evangélica e sofreu muita repressão, ficou traumatizado. Há ambientes cristãos de alto nível intelectual onde prospera, claro, a fé em Cristo, mas também o estudo e a liberdade de pensamento.

    2 – Agora que você se convenceu que a Bíblia tem seus defeitos, falta você negar o hinduismo, o islamismo, o budismo e ainda outras. E finalmente, negar por razao e lógica que o nosso universo não tem um criador inteligente por tras.

    Veja que muito energia foi gasta em negar um livro, mas a pergunta principal ainda não foi respondida.

  4. E finalmente, negar por razao e lógica que o nosso universo não tem um criador inteligente por tras.

    Uai! E quem estaria “por trás” desse criador Inteligente?

    E por que chamá-lo de “inteligente”? Eu mesmo teria bolado um universo bem melhor do que esse.

  5. E, só pra constar, você, André, se vale da Bíblia para dar suporte à sua fé no seu deus Jesus, mas a nega quando fica impossível sustentar as contradições, imoralidades e idiotices que ela contém.

  6. Irineu

    A sua conversão ao ateísmo nasceu de dentro das reflexões de um crente fanático como você mesmo disse e deve ter sido penoso passar para o lado de lá, já que tinha uma vida familiar e social estruturada em normas religiosas e ainda era um grande estudioso da Bíblia. Mas, você se mostra muito confiante na sua conscientização de que aquilo tudo na passava de um grande engano manobrado por uma manada,

    Eu não me converti a nada, porque nunca fui convertida e sim doutrinada

    Nunca me concentrei na bíblia, meu interesse por ela era superficial, ou melhor, para ser franca nem bíblia eu possuía e enquanto fui crescendo, amadurecendo, comecei a perceber que quilo tudo era uma pilhéria, mentiras de estórias descabidas e sem nexo.
    Lia às vezes a bíblia da minha mãe enquanto acompanhava a pregação do pastor e tenho dela o Novo Testamento que um dia ganhei de presente de aniversário que guardo com carinho.

    Sei que nasci ateia e que depois fui recebendo a influência religiosa da minha família, dos ensinamentos o que me limitavam, mas, segui em frente por associação a tradição religiosa da minha “tribo”.
    Tinha uma boa voz de contralto e fazia parte do coral da Igreja, mas eu era totalmente “desgarrada” daquele rebanho, por opção.
    Uma vez pedi a minha irmã fanática uma bíblia emprestada e ela olhou-me com os olhos iluminados com uma grande ternura de “irmã em Cristo”, mas não era nada do que ela estava pensando e então me deu uma bíblia sua que seu cachorro havia comido várias folhas e como ela havia adquirido uma outra nova, herdei a dela sem algumas folhas.
    Eu queria ler a bíblia por seu lado histórico, porque, é claro, já sabia que ela contava de um ser superpoderoso vindo de não sei aonde, lá na sua escuridão do Cosmos, isolado de tudo e que um dia (dia não, porque o dia ainda não existia) resolveu então criar um mundo e tudo o que hoje há nele.

    Fantasticamente absurdo.

    E, depois de adulta comecei a ler aqueles livros que não condiziam com a realidade do meu raciocínio até então e nem tampouco com a vida dos seres espalhados pela Terra senão pelas guerras, fomes desigualdades, injustiças, discriminação às minorias que perduram até hoje, apesar das 10.000 religiões existentes.

    Nasci dentro de uma família evangélica, mas deixei de lado esta religião fundamentada em Cristo, um homem em que se sabe muito pouco dele, salvo nas páginas da Bíblia, mas, jamais consegui fazer uma oração em público por timidez, apesar de participar do coral da Igreja.

    Irineu, você foi forte por abandonar uma tradição que foi-lhe inserida na maior das boas intenções, conseguiu quebrar os grilhões sem grandes traumas, está de parabéns e me congratulo com você por perceber que está bem mais feliz na sua concepção de vida.

    Há uma pergunta que consigo calar: No caso do dilúvio, como foi que o coitado do Noé com 550 anos de idade conseguiu colocar um casal de dinossauros dentro da arca?

    Sds

  7. E, só pra constar, você, André, se vale da Bíblia para dar suporte à sua fé no seu deus Jesus, mas a nega quando fica impossível sustentar as contradições, imoralidades e idiotices que ela contém.

    Caro Barros, o Cristianismo existiu por 400 anos sem bíblia, eu não preciso crer cegamente na bíblia para crer em Cristo.

  8. Uai! E quem estaria “por trás” desse criador Inteligente?

    Uma das explicações é que o criador está fora do nosso espaço/tempo, portanto, não se aplica a ele conceito de antes e depois. É dificil mesmo de entender, pois o conceito de tempo está muito enraizado em nós. De qualquer forma, o fato de eu não saber explicar quem criou o criador, não significa que não haja criador. Não é por que eu pintei um quadro que o quadro só pode ter um criador se o criador não foi criado por ninguém.

  9. Caro Barros, o Cristianismo existiu por 400 anos sem bíblia,

    A lenda de Cristo começou a ser difundida por Saulo de Tarso poucas décadas depois de sua morte, meio que no estilo: “Ó, tem um novo deus no mercado, e se você não ‘fechar’ com ele, você vai pro Inferno”. Depois essas ameaças começaram a ser escritas e contextualizadas e, por fim, compuseram um livro de fábulas mais completo.

  10. De qualquer forma, o fato de eu não saber explicar quem criou o criador, não significa que não haja criador.

    Eu imagino que haja uma população extraespacial e extratemporal e imaterial e superpoderosa, uma comunidade exatamente igual à nossa, com os pais mandando seus filhos pra escola, e lá, uma das atividades seja criar universos.

    Nós somos o dever de casa de Deus. Talvez todo o nosso universo esteja esquecido dentro de um colecionador, embaixo de uma pilha de revistas velhas na estante dele.

  11. «E, só pra constar, você, André, se vale da Bíblia para dar suporte à sua fé no seu deus Jesus, mas a nega quando fica impossível sustentar as contradições, imoralidades e idiotices que ela contém».

    Barros, a imoralidade da bíblia era a moralidade da época. Quando David, moribundo, manda matar uma série de homens, era um acerto de contas apoiado na moral vigente. Era assim que se fazia. A nós, parece indigno que David, velho e fraco, mais para lá do que para cá, quisesse deixar um rasto de sangue atrás de si enquanto esperava a sua própria morte. Mas era uma questão de honra. Não querer que isso aconteça na atualidade é outra coisa porque a nossa noção do valor da vida humana é diferente.

  12. Barros, se os evangelhos têm contradições isso até atesta a sua veracidade. Imagine os copistas a passarem as informações que estão a mais em Lucas para o evangelho de Marcos. Ficavam dois iguais. Estes dois iguais para ficarem em conformidade com os restantes eram acrescentados com mais parábolas e acontecimentos que estão em João. Depois, faziam-se mais uns acertos em Mateus. Tudo muito parecido, seguindo uma ordem cronológica aparente. Eram cópia de cópia.
    Conservando as suas diferenças, significa que houve um certo respeito pela autenticidade deles, fazendo-se apenas algumas adulterações e adições ditadas pela necessidade de doutrinamento.
    Por outro lado, o que foi manipulado pode contrariar a verdadeira mensagem dos textos. Mas isso é um mal menor.

  13. Barros, dê-me um exemplo de idiotices que a bíblia contém.

  14. Eu imagino que haja uma população extraespacial e extratemporal e imaterial e superpoderosa, uma comunidade exatamente igual à nossa, com os pais mandando seus filhos pra escola, e lá, uma das atividades seja criar universos.

    Você pode achar isso, só que a minha conclusão que há um ser criador do universo passou por análises lógicas, científicas e filosóficas. E quanto a sua comunidade extraespacial? Você deve mostrar as razões para achar que há uma comunidade extraespacial que tem o dever de casa de criar universos.

  15. Barros, a imoralidade da bíblia era a moralidade da época.

    Confere!!

    E eis o que me espanta:

    O crente dizer que a Bíblia é “a palavra de Deus” e que Deus é a nossa referência moral, sem o que não se pode saber o que é bom ou mal, certo e errado, etc.

    Você quer um exemplo de idiotice? Um Deus superpoderoso precisar engravidar uma virgem, nascer entre os homens como se fosse um deles, com o intuito de divulgar suas vontades através de sua autoimolação planejada por ele mesmo, e, pior, dois milênios depois, ninguém ainda se entendeu sobre o que de fato ele queria com isso.

  16. Você pode achar isso, só que a minha conclusão que há um ser criador do universo passou por análises lógicas, científicas e filosóficas. E quanto a sua comunidade extraespacial? Você deve mostrar as razões para achar que há uma comunidade extraespacial que tem o dever de casa de criar universos.

    Ora, um criador não poderia existir por ele mesmo, do nada, eternamente.

    Se, para você, esse raciocínio está errado, ou seja, um criador poderia sim existir do nada, eu posso aplicar o mesmo princípio à matéria pura e simples, o que é algo bem mais provável e lógico, porque a matéria pura e simples não atende preces, não tem vontades, não quer que a gente faça churrasco pra ela.

  17. «O crente dizer que a Bíblia é “a palavra de Deus” e que Deus é a nossa referência moral, sem o que não se pode saber o que é bom ou mal, certo e errado, etc.»
    Sim, concordo consigo, Barros, se a moral muda não podemos dizer que o que está na bíblia é nossa referência moral. Mas percebemos o passado sanguinário dos nossos ancestrais muito melhor se confinarmos a moral da bíblia só àquele tempo.

  18. Primeiramente,

    André, não lhe esqueci e volto a falar contigo sobre a questão “criador”,

    Maria,

    Não sei se você teve a oportunidade de ler, mas escrevi ao Diogo Morelli, no post “Política de Conduta do DeusILUSÃO”:

    “Não te atentas do engodo que é a tua crença no “pecado original”, passado de Adão, “nosso pai”, para toda a humanidade (“por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação) e no “plano de salvação”, quando teu próprio deus afirma em “sua palavra”, em Ezequiel 18, que:

    “A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniquidade do pai, nem o pai levará a iniquidade do filho, A justiça do justo ficará sobre ele, e a impiedade do ímpio cairá sobre ele”,

    no que, aliás, ele mesmo se contradiz quando afirma:

    “mas visita a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e a quarta geração”

    e quando consente na morte dos filhos de Acã, por causa do “pecado” do mesmo, o pai?”

    Percebes a incoerência da doutrina do “pecado original”?

  19. Continuando:

    Qual a utilidade do sacrifício de Jesus, que teria sido a expiação pelos pecados da humanidade devido à transmissão do pecado de Adão (pecado original) a todos nós, como afirma Paulo:

    “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Romanos 3:23)

    e

    “Porque, assim como por um homem veio a morte, também por um homem veio a ressurreição dos mortos. Pois como em Adão todos morrem, do mesmo modo em Cristo todos serão vivificados” (1 Coríntios 15:21,22),

    se o próprio deus afirma em Ezequiel 18 que os filhos não seriam penalizados pelo pecado dos pais? (O que, aliás, por simples lógica, seria nada mais que o justo!)

    Como se vê, pecado não seria hereditário e, portanto, Paulo estava errado, assim como todo o cristianismo, por crer nessa doutrina!

    Pobres dos filhos de Acã! Morreram antes de deus “mudar de ideia”!

  20. Continuando:

    Ou seja, as inconsistências não são somente nos relatos, mas, também, pior, nas doutrinas, crenças e dogmas!

    E outra, pra quê elaborar um plano de salvação tão mirabolante e intrincado, se, como criador amoroso e todo-poderoso, poderia tê-lo feito de forma bem mais simples? Qualquer um teria feito!

    Ou seríamos como “ratinhos de laboratório”, colocados por deus num labirinto para ver quem consegue chegar à saída e receber a recompensa?

    Ou seja, tudo não passaria de um “joguinho” de deus, assim como aconteceu com a “estória” de Jó, uma ridícula disputa entre deus e Satanás! E todos acham um conto inspirador!

  21. Irineu, eu compreendo que as contradições da bíblia suscitem dúvidas ao leitor. Eu não sou crente, como já disse algumas vezes no blog, embora sinta necessidade de o ser. Porém, ainda não chegou o meu momento. Por enquanto, prefiro colocar-me dos dois lados da moeda. O Barros já explicou e outros autores também, em diversas obras, que o cristianismo tem raízes profundas no judaísmo. Querer conciliar as duas religiões tem provocado essas perspetivas por agora ainda divergentes. E dentro do próprio A.T. também há contradições assim como nas cartas de Paulo e em todos os evangelhos. Mas como eu leio a bíblia no sentido de captar a atmosfera daquele tempo, interessando-me pela «política internacional», sentindo curiosidade pelos costumes, hábitos arreigados, colocando-me na cabeça dos profetas, vestindo a pele dos personagens com que sinto empatia e dando o devido desconto acerca de que tudo o que lá está não se passou exatamente assim, eu não me sinto indignada com as contradições dos textos bíblicos escritos talvez um século depois dos acontecimentos.
    Gosto do livro de Job porque praticamente é um tratado de filosofia.

  22. Maria

    A meu entender o cristianismo não possui «raízes profundas no judaísmo» e conciliar as duas religiões é impossível porque o judaísmo não reconhece Jesus como o Messias prometido por Deus.
    Para os judeus Jesus não passa de mais um profeta como os tantos que existiram naquela época.

    Os judeus nunca o reconheceram como o Messias e aguardam a sua vinda até hoje.

    ◕ O Judaísmo diz que Messias nascerá de pais humanos, com atributos físicos normais, como qualquer outra pessoa. Não será um semi-deus, e não possuirá qualidades sobrenaturais. De fato, em cada geração vive um indivíduo com a capacidade de tornar-se o Messias.
    ◕ O Messias deve ser descendente do Rei David pelo lado paterno. Segundo a reivindicação cristã que Jesus era filho de uma virgem, não tinha pai – e dessa maneira não poderia ter cumprido o requerimento messiânico de ser descendente do Rei David pelo lado paterno!
    ◕ O Messias levará o povo judeu à completa observância da Torá. A Torá declara que todas as Mitsvot [comandos] permanecem para sempre, e quem quer que altere a Torá é imediatamente identificado como um falso profeta. (Devarim 13:1-4).

    Os Judeus alegam que os versículos bíblicos “referindo-se” a Jesus são traduções incorretas.
    Os versículos bíblicos apenas podem ser entendidos estudando-se o texto original em hebraico – que revela muitas discrepâncias na tradução cristã.

  23. Jesus era judeu, rabino… os cristãos reconhecem o Velho Testamento judeu, concordo com a Maria. O fato de os judeus não aceitarem a Jesus como o messias não invalida as raízes comuns das duas culturas.

  24. Jesus não era judeu, era galileu, não?

  25. Também concordo com o André. Já agora, ainda está a tempo de fazer as pazes com a Ana Júdice. Ainda não o fez e eu não me esqueci…
    Os cristãos consideram que o Velho Testamento é a palavra de Deus antes da vinda de Jesus. Por isso, tem raízes no judaísmo.

  26. Jesus não era judeu, era galileu, não?

    “Galileu” é um gentílico: relaciona alguém com o seu lugar de nascimento; no caso, a Galileia.

  27. O Pentateuco é a raiz das chamadas três grandes religiões monoteístas: o judaísmo, o cristianismo e o islamismo. De forma paradoxal, cada uma dessas correntes religiosas venera um Deus diferente, apesar da sua origem comum.

    Para o cristianismo, Jesus é o messias prometido nas profecias hebraicas. Só que, diferentemente do que aqueles textos sagrados do judaísmo previram, o Cristo não teve nenhum poder para estabelecer o seu Reino aqui na Terra.

    Pra Jesus, o bizu é que você morra logo, porque tudo de bom está “lá do outro lado”, na casa do pai. Enquanto esse dia maravilhoso não chega, obedeça a autoridade, seja um bom servo do seu senhor terreno, obedeça as leis do país em que vive, e pague os impostos… O mais lhe virá por acréscimo. E, caso não venha, você vai pro Paraíso no fim. Que beleza, né?

  28. Mariinha e Barros

    Os ancestrais de Yeshua eram judeus, da linhagem dos hebreus. Rabino é um titulo de sacerdócio e o de título rabino é de uma pessoa conhecedora das leis judaicas. Eu não sei se Rabino é apenas algum orientador espiritual, porém ele era chamado carinhosamente pelos amigos de “Rabi

    Jesus era um homem que desempenhava serviços gerais na área de marcenaria enquanto criança até 12 anos e depois tornou-se andarilho.
    Considerado curandeiro pelo seu carisma, suas palavras não foram nenhuma novidade para a época, a maior parte dos ensinamentos de Jesus não foi mais do que uma reapresentação com outras palavras, daquilo que o Judaísmo sempre sustentou e ensinou.

    Acredito que ele foi mitificado pelo fato dele ter sido crucificado e dizia a altos brados que era o Messias, o filho do Pai Celestial. Também não há provas de que ele tenha tido suas mãos e pés pregados numa cruz. Naquelas época os condenados eram amarrados na cruz como mostra nesta imagem do link abaixo.

    http://goo.gl/9a0PNS

    Não é de estranhar que, dentre os milhares de pessoas que se calcula terem sido crucificadas nos arredores de Jerusalém durante o domínio romano, um único esqueleto tenha sido encontrado – o de um judeu de seus 20 anos de idade chamado Yehohanan, filho de Hagkol, como consta da inscrição em seu ossuário.

    Há uma lacuna premeditada e um profundo mistério sobre os 13 anos em que Jesus esteve desaparecido, mas, há suspeitas de que ele viveu com os Essênios que possuíam práticas de uma disciplina formal que sempre foram consideradas exclusivas dos cristãos.

    Os essênios tinham a prática do batismo, e compartilhavam um repasto litúrgico de pão e vinho presidido por um sacerdote. Acreditavam na redenção e na imortalidade da alma. Alguns estudiosos acreditam que a Igreja Católica procura manter silêncio acerca dos Essênios, tentando ocultar que Jesus recebeu desta seita muitas influências e alguns historiadores veem muita semelhança comparando sua doutrina com a dos Essênios. Os Pergaminhos deram novo ímpeto à teoria de que Jesus pode ter sido um estudante da filosofia essênia.

    Este é o meu sincero ponto de vista por uma convicção quase conclusiva, pois, foi a única lógica que encontrei sobre este homem que foi morto por ser um rebelde agitador com aquele papo arrogante de que era o filho do Deus judaico, como também por ter sido muito intransigente às leis e costumes da sociedade em que vivia o que o levou a crucificação, o meio de execução daquela época em que os romanos crucificavam os escravos desobedientes, rebeldes e os presos políticos.

    Um abraço

  29. Considerado curandeiro pelo seu carisma, suas palavras não foram nenhuma novidade para a época, a maior parte dos ensinamentos de Jesus não foi mais do que uma reapresentação com outras palavras, daquilo que o Judaísmo sempre sustentou e ensinou.

    ah ta, ok, então por ser ele só mais um andarilho que não falou nada de novo que ele foi cruxificado… ah ta…e depois seus ensinamentos chegaram aos quatro cantos do mundo e sua igreja existe após 2 mil anos, ah bom, agora tudo faz sentido.

  30. Os ensinamentos “bons” de Jesus não vieram originalmente dele. O que Jesus trouxe de novo foi a “boa nova” de que você iria pro Inferno se não cumprisse algumas vontades divinas.

    e sua igreja existe após 2 mil anos,

    Interessante pensar que o Deus todo-poderoso e todo-inteligente teria tido todo aquele trabalho de estuprar uma virgem, se fazer homem e se dar uma missão suicida e ter esquecido de, ele mesmo, fundar uma igreja.

  31. Sabemos q a bíblia tem alguns probleminhas técnicos e apresenta muita agressividade, mas há grande chance lógica q Deus existe e q tenha inspirado a bíblica. Talvez Deusa tenha inspirado c problemas por algum motivo. A biblia mesmo dxa claro q Deus pega os sábios na sabedoria deles. Lembre tbém da temida OPERAÇÂO DO ERRO, q Deus dxa ideologias e religiões falsas surgirem p enganar, e depois ainda punir, quem nao aceita viver como Ele deseja. Será q suas certezas ateias nâo podem ser mentiras????

  32. Será q suas certezas ateias nâo podem ser mentiras????

    Mas não existe isso de “certeza ateia”. O que existe é a constatação de que tudo isso em que você acredita é apenas fruto de ilusão, ignorância, superstição, tradição, preguiça mental, absurdo, imbecilidade, tolice, infantilidade intelectual, que faz as pessoas acreditar em idiotices, e falar idiotices como essas que você acabou de escrever.

  33. Leandro

    Obrigada, o link que você deixou veio complementar meu comentário.
    Realmente o que se observa é que cada Deus é formado por outros dos tempos antigos, ele sempre é a soma de lendas que lembram outras lendas e Jesus não passa de um ser místico formado pela mistura de outros como mostra a imagem no site neste link, que chega até ser engraçado.

    http://goo.gl/Tgs021

    O pior é que as pessoas não aceitam pela ignorância da história porque o único livro que eles leem é a bíblia, parece que é nela que eles encontram forças para continuar a crer naquele Deus deles, senão vão se sentir órfãos e podem perder o direito da vida eterna ou cair na “fogueira do inferno”.

    Abç

  34. Paulisto

    Talvez Deus a tenha inspirado c problemas por algum motivo. A biblia mesmo dxa claro q Deus pega os sábios na sabedoria deles.

    Isso seria um absurdo do seu Deus se ele existisse e isto é uma atitude covarde de um ser ardiloso brincando com os tolos instigando sua inteligência como se estivesse numa brincadeira de Tom e Jerry.

    Por que um ser sabendo-se tão poderoso e superior iria subestimar seus inferiores com tantos desafios sobre humanos, tudo isso como se fosse uma prova para vestibular?

    Pra que tanta confusão e por que você ainda arranja desculpas, justificativas?

  35. Irineu,

    respeito a tua decisão; pelo menos, parece ter sido uma atitude sincera.

    Penso que o problema de tanta confusão no mundo cristão, em especial, no mundo evangélico, não é Deus ou a revelação divina, mas é a teologia e a pregação errada, a literalidade e infalibilidade bíblica, a “sola scriptura”, a interpretação bíblica pessoal, o fundamentalismo religioso, insistir em tratar a Bíblia como um compêndio científico, etc. Como se a Bíblia tivesse sido escrita diretamente por Deus e não inspirada por Deus.

    Além de, como você bem argumentou, muitos pastores ficarem iludindo os fiéis com superstições, falsas esperanças, pseudo milagres, promessas de prosperidade e riqueza, felicidade e alegria mundana, etc. Criando igrejas a rodo cujas doutrinas são baseadas em alguns poucos versículos da Bíblia, desprezando aqueles que contradizem suas doutrinas. Sendo que, muitos dizem para os fiéis terem fé, mas vivem do dízimo; outros mandam fiéis rasgarem a receita médica e dar o dinheiro do remédio para a igreja; mas, como disse o Pe. Quevedo, quando ficam doentes, em vez de procurarem outros pastores para serem curados, vão ao médico e têm planos de saúde. Sendo que isso não acontece muito nas igrejas cristãs mais tradicionais; mas, principalmente, nas igrejas pentecostais e neo-pentecostais.

    Aí, depois de muito tempo, quando o crente se decepciona e percebe que não foi tão abençoado, que não foi realmente curado de tal doença, que não vive uma vida próspera e não ficou rico, que não vive uma vida sem mazelas, etc., infelizmente, acaba perdendo a fé; não só na sua igreja, mas também em Deus. Quando o próprio Jesus disse para pegarmos a nossa cruz e segui-lo (e não jogá-la fora) e que no mundo haveríamos de ter aflições, etc.

    Hoje, infelizmente, muitos pastores com pouco estudo e até mesmo semi-analfabetos estão fundando igrejas e se julgam capazes de interpretar a Bíblia como se fossem arautos da verdade; ou pior, acham que o Espírito Santo de Deus ilumina suas mentes diretamente, sem precisar de qualquer dedicação e esforço intelectual humano; cada um pregando uma coisa diferente e todos se dizendo inspirados pelo mesmo Espírito. Quando, na verdade, sem um conhecimento profundíssimo de linguística, estilos literários, hermenêutica, história, ciências, teologia, etc., é quase impossível tentar interpretar a Bíblia e fazer exegese de forma correta. Por mais inteligente que se seja, isso é um trabalho que leva uma vida inteira de dedicação e estudos intensivos; e não é tarefa para um homem só. E, mesmo assim, muitas coisas na Bíblia, depois de tantos séculos de estudo, ainda não foram entendidas de forma plena pelos melhores exegetas do mundo. Basta lembrar do Livro do Apocalipse que levou alguns séculos de intensas discussões e debates para ser aceito oficialmente no cânon bíblico. Nos mostrando que Deus, através do seu Espírito Santo, ilumina o Magistério da Igreja ao longo da história, mas não sem o esforço e a participação do homem.

    Penso que o maior erro de Lutero foi o LIVRE EXAME DA BÍBLIA, reconhecido por ele mesmo (porém tarde demais) quando lamentou: “Há tantas seitas e opiniões como cabeças. Este nega o batismo, aquele crê que há outro mundo no nosso e no dia do juízo. Uns dizem que Jesus Cristo não é Deus; outros dizem o que lhes apetece. Não há rústico ou palerma que não considere inspiração do céu o que não é mais que sonho e alucinação sua.”

    Por isso há hoje tanta confusão, com tantas seitas cristãs no mundo, cada uma ensinando uma doutrina ou heresia diferente e todas se julgando inspiradas pelo mesmo Deus. E o mais “engraçado” disso tudo, é que os evangélicos praticamente “idolatram” a Bíblia como palavra infalível de Deus e como se ela tivesse caído do Céu com zíper e tudo, como brinca o Pe. Paulo Ricardo. Mas a grande maioria não sabe sequer que quem organizou a Bíblia Cristã foi a Igreja Católica ao longo de séculos. Portanto, para se acreditar na Bíblia, primeiro tem que se acreditar na Igreja Católica; esta sim, fundada por Cristo sobre Pedro, coluna e sustentáculo da verdade.

    E, pelo menos o Magistério da Igreja Católica, interpreta a Bíblia como um todo, tentando entender o pensamento e os ensinamentos de Deus ao longo de toda a história, como se ele agisse como um pedagogo; se revelando primeiro a um povo e, depois, à toda humanidade na plenitude da revelação de Cristo. E ensinando que a Bíblia foi escrita por homens, mas inspirados por Deus; caso contrário, nela não poderiam haver profecias cumpridas séculos depois de escritas. E, pelo menos a Igreja Católica, não tenta esconder dos fiéis como os livros da Bíblia foram ou podem ter sido escritos; inclusive, na versão Jerusalém da Bíblia Católica, no início de cada livro tem alguns textos explicativos sobre cada livro e sobre os seus possíveis autores.

    Acredito que tantos crentes como céticos concordam que a Bíblia é uma obra belíssima e grandiosa; e as pequenas contradições apontadas e enfatizadas pelos ativistas céticos podem ser comparadas aos pequenos defeitos inerentes de uma grande obra de arte, como uma pintura, uma escultura, uma sinfonia, uma ópera, uma obra cinematográfica ou literária, uma construção arquitetônica, etc.; onde os críticos invejosos, em vez de contemplar a beleza total da obra, ficam criticando os pequenos detalhes. Ora, Deus é perfeito; mas, usou seres humanos imperfeitos como “caneta” e a própria história como “papel” para “escrever” sua grande obra de arte bíblica ao longo de vários séculos. E, vista como um todo e devidamente interpretada, separando o que é divino do que é humano, a Bíblia é perfeitamente coerente do começo ao fim.

    Ao contrário de outros escritos religiosos antigos, a Bíblia aparenta ser algo extremamente sério e real e nada fantasioso; registrando a relação, muitas vezes dramática, de Deus com aquele povo escolhido; descrevendo não só as glórias de seus heróis, mas também seus defeitos, pecados, derrotas e fracassos. Tirando as alegorias, os poemas, as profecias e os milagres, ela parece ser (em especial, o Velho Testamento) o registro fiel da história de um povo. Tentar negá-la, é também tentar negar a história do povo judeu; e tão grave como negar o Holocausto é negar o Êxodo judaico, comemorado até nos dias de hoje por esse povo tão sofrido.

    Agora, o que é inspiração de Deus e o que é mera obra da mente humana na Bíblia é muito difícil saber. Por exemplo, alguns livros da Bíblia são apenas registros históricos, organização de Leis, cânticos, etc. que não precisariam, necessariamente, de inspiração divina; por outro lado, outros exigem inspiração divina, como as profecias e os discursos dos profetas que falaram diretamente em nome de Deus. Esses, como será que foram escritos? Será que foram escritos por eles mesmos, ou alguém os anotou ou os ouviu e depois escreveu, ou o autor sagrado teve alguma revelação, ou o quê? A verdade é que não temos como saber; podemos acreditar ou duvidar, podemos especular várias hipóteses; mas, certeza mesmo, não temos como saber!

    Porém, o mais importante para saber se a Bíblia é realmente INSPIRADA POR DEUS OU NÃO é verificar se suas profecias e milagres realmente aconteceram ou não. Pois, homens comuns podem escrever histórias, inventar estórias, criar lendas, elaborar sábios pensamentos e lindos textos como os da Bíblia, etc., menos fazer duas coisas: PROFECIAS E MILAGRES AUTÊNTICOS!

    E se tem uma coisa de que a Bíblia e a Igreja de Cristo estão repletas, são de profecias e milagres autênticos que VIOLAM as próprias leis da natureza. Por isso, é IMPOSSÍVEL a Bíblia não ter sido inspirada por Deus.

    Por exemplo, o artigo da Wikipedia sobre ‘CRISTO’ mostra dezenas de passagens do Antigo Testamento (escritas séculos antes do nascimento de Cristo) que se cumpriram integralmente na pessoa de Cristo, inclusive: que ele nasceria de uma virgem, falaria em parábolas, faria milagres, seria rejeitado e traído por trinta moedas de prata, seria acusado injustamente, seria rejeitado e ferido por nossas iniquidades, seria cuspido e esbofeteado, teria os pés e mãos transpassados, oraria pelos inimigos,lançariam sorte para repartir suas vestes, o fariam beber vinagre, não teria os ossos quebrados, um rico o sepultaria, ressuscitaria no terceiro dia, etc., etc., etc. Mesmo o Livro do Gênesis, que mais parece um conto de fadas aos olhos da ciência moderna, contém profecias cumpridas séculos e séculos depois.

    Está lá para todo mundo ver! E a descoberta dos Manuscritos do Mar Morto COMPROVOU que tais profecias, realmente, foram escritas séculos antes do nascimento de Jesus Cristo.

    Se Jesus não existiu ou não fez milagres quando veio ao mundo e nem ressuscitou, com certeza, também não faz milagres agora; e, portanto, todos (repito: todos) os milagres da Igreja de Cristo têm de ser falsos!

    Por isso, insisto tanto no estudo dos grandes milagres da Igreja, tais como: Santo Sudário (que nada mais é do que a foto radiográfica e tridimensional de um homem ressuscitando), Imagem de Guadalupe (cujo olho reflete a cena do milagre e cuja pupila dos olhos reage à presença de luz como se fosse um olho VIVO, cuja imagem mantém a temperatura de um corpo humano e têm batidas de coração, etc.), Santa Casa de Loreto (a casinha onde viveu a Virgem Maria milagrosamente transportada de Nazaré até Loreto, passando por outras cidades, durante a invasão islâmica à Terra Santa), Milagre Eucarístico de Lanciano (cuja hóstia e vinho virou carne e sangue de uma pessoa viva atualmente), Sangue de São Genaro (que se liquefaz no dia do seu aniversário), Coxo de Calanda (cuja perna reapareceu após enterrada por quase três anos), Espinho da Coroa de Cristo (cujo sangue coagulado se liquefaz a cada 11 anos, toda vez que a sexta-feira da paixão ocorre num dia 25 de março, o suposto dia da crucificação de Cristo), corpos e órgãos incorruptos de santos (que exalam perfume e destilam água e óleo por séculos) e tantos outros espantosos milagres que, por incrível que pareça, só ocorrem na Igreja Católica e em nenhuma outra religião do mundo.

    Isso é um fato espantoso e extraordinário que existe no mundo e que não deveria ser ignorado ou desprezado por quem quer que seja. Não é a toa que o grande Rui Barbosa, anti-católico em sua juventude, após muitos estudos, vai dizer ao fim da vida: “Estudei todas as religiões do mundo e cheguei a seguinte conclusão: RELIGIÃO, OU A CATÓLICA OU NENHUMA!”.

  36. A Igreja Católica Apostólica Romana (ICAR):

    A fé Católica Romana, numa época em que religião e Estado poderosamente se misturavam, era agressivamente imposta como sendo a única fiel e verdadeira, perseguindo e matando todos os que criam e se manifestavam de forma diferente, os “hereges”.

    “Bruxas”, homossexuais, cientistas e, pasmem, até mesmo canhotos, eram hediondamente mortos, queimados na fogueira.

    Uma religião que, tendo um Cristo que pregava o amor e a tolerância, o “dar a outra face”, o “não resistir ao perverso” e o “amar aos inimigos”, bem ao contrário, foi uma das mais hediondas instituições que já se levantou sobre este nosso solo, tão danosa e impiedosa quanto o nazismo.

    Qualquer forma de “oposição” tinha que ser reprimida à força, sem qualquer respeito, consideração ou empatia pelo ser humano.

    É de se admirar que, após tantas comprovadas atrocidades, ainda tenha, hoje, tantos seguidores, admiradores e defensores, pessoas que conseguem simplesmente esquecer e deixar pra lá os acontecimentos negros daquela era (e outros que ainda subsistem, como a pedofilia generalizada e ensinamentos como a prática de sexo apenas para procriação, a proibição do uso de medicamentos e métodos anticoncepcionais e a condenação sumária de qualquer forma de aborto), e continuam a crer naquela obscura, caduca, retrógrada e perniciosa instituição, baseados no emocionalismo e na crença em dogmas, estórias e milagres astutamente forjados por seus líderes, mesmo após desmascarados pela ciência, como pode-se claramente ver através de pesquisas no Google.

    Os seus dogmas, embasados unicamente em tradições humanas:

    – a sucessão, a partir de Pedro, e a infalibilidade papal,
    – as orações e a crença no poder e interferência de mortos sobre os vivos, os “Santos”,
    – Maria como intercessora e “Mãe de deus”,
    – a virgindade perpétua e a assunção de Maria,
    – a adoração a imagens, terminantemente proibida no VT,
    – a obrigatoriedade do celibato para os clérigos,
    – a transubstanciação,
    – o batismo infantil e por “aspersão”,
    – a extrema unção,
    – o confessionário,
    – o purgatório e o limbo,
    – etc.

    Tradicionalmente sisuda que sempre foi, mais modernamente, vendo-se a perder terreno rapidamente para as agressivas concorrentes evangélicas, principalmente no tocante aos jovens, como evidente estratégia de “marketing”, lançou mão dos padres “showman”, como Marcelo Rossi, incorporando cânticos, danças e coreografias que eram antes de exclusividade daquelas outras igrejas.

    Seu próprio “infalível” papa Francisco fez declarações incoerentes, como a de que ateus podem ser salvos se forem bons, que gays não devem ser julgados e de que a salvação não é exclusiva para católicos, as quais foram logo em seguida corrigidas pelo Vaticano.

    Os deuses:

    Os deuses de todas as civilizações invariavelmente têm o caráter e personalidade de seus próprios povos, como, por exemplo, Jeová, dos Judeus, e Alá, dos Muçulmanos: violentos, sanguinários, intolerantes, injustos, ciumentos, iracundos, vingativos, egocêntricos, machistas, misóginos, homofóbicos, sádicos, malevolentes, genocidas e racistas.

    O que isto quer nos dizer, senão que os deuses sempre foram criados pelos homens, segundo seus próprios padrões de comportamento, superstições, barbaridades e ignorância, ou seja, à sua própria “imagem e semelhança”, numa versão divina de sua precariedade humana?

    A história nos mostra que todas as civilizações mais antigas desapareceram juntamente com seus “poderosos” deuses, sendo suas crenças e religiões hoje por nós consideradas meras “mitologias”.

    Porquê haveria de ser diferente com as superstições e religiões contemporâneas?

    Afinal, hoje, o “sobrenatural” nada mais é, do que o “natural” que ainda não foi, mas, certamente será, explicado.

    E “deuses”, sempre foram respostas e explicações fáceis e cômodas para aquilo que, em nossa ignorância, considerávamos “mistérios” e não tínhamos capacidade ou mesmo vontade e coragem de investigar.

    As estórias da criação do mundo e do homem, em todas as religiões, são as mais infantis, ridículas e absurdas possíveis, mas tomadas por literais e verdadeiras pelos que nelas creem.

    Rejeita-se tranquilamente os argumentos da ciência, baseados em análise e observação de fatos, ainda que não sejam, por ora, uma resposta final e completa, mas não há dificuldades em aceitar estórias mirabolantes:
    – do homem feito de barro,
    – da mulher feita de costela,
    – de cobras e mulas que falam,
    – das árvores da vida e conhecimento do bem e do mal,
    – de um firmamento sólido em forma de abóboda,
    – da existência de água acima do firmamento,
    – de uma Terra plana, cercada de abismos,
    – etc, etc, etc.

    Estórias concorrentes da criação:

    – homem criado a partir do milho (maias),
    – um dilúvio de 52 anos onde sobreviveram um homem e uma mulher, que depois foram transformados em cães (aztecas),
    – uma massa única universal criada por Atum, que deu origem a uma explosão (egípcios),
    – Brahma, que cria, Vishnu, que preserva e Shiva, que destrói para que o ciclo recomece (hindus),
    – a Terra feita do corpo do gigante Ymir e as rochas de seus ossos (nórdicos),
    – o poderoso Marduk dos cinqüenta nomes, deus da guerra e do céu, criou a Babilônia como seu lar e os seres humanos para viverem lá e trabalhar para os deuses, depois de derrotar a maligna Tiamat (babilônicos),
    – o mundo criado por um deus chamado Ahura-Mazda, ou Ormuz, que teria feito tudo o que há de bom no mundo, porém tal criação teria sido maculada por um deus chamado Angra Manyu, ou Arihman (zoroatrismo), e,
    – etc.

    Deísmo x Teísmo:

    Os judeus, cristãos e muçulmanos, creem numa divindade criadora, viva e atuante nas vidas das pessoas, o “teísmo”, o que contrasta com com o “deísmo”, onde se crê na figura de um poderoso deus criador (ou, deuses criadores), que depois retirou-se de cenário, abandonando-nos e deixando-nos seguir como queiramos o curso de nossas vidas.

    Muitos talvez não percebam, mas, ao afirmar que a própria natureza e a complexidade ordenada do Universo e dos seres vivos, testificam em favor da existência de um criador – o que, mesmo assim, ainda não poderia ser considerada “prova” -, só “comprovaria” a doutrina do “deísmo”, pois, o que se pode ver, na prática, é que todos nós, crentes e descrentes, somos aqui sujeitos às mesmas intempéries de vida, sendo, igualmente, tanto uns quanto outros, vítimas de fatalidades, adoecendo, morrendo ou, mesmo “miraculosamente”, sobrevivendo, não havendo privilegiados nem desmerecidos.

    Na prática, não se vê – pelo menos, não com relação exclusivamente aos crentes -, o:

    – “porque ele te livra do laço do passarinho, e da peste perniciosa”, o
    – “ele te cobre com as suas penas, e debaixo das suas asas encontras refúgio”, o
    – “não temerás os terrores da noite, nem a seta que voe de dia, nem peste que anda na escuridão, nem mortandade que assole ao meio-dia”, o
    – “mil poderão cair ao teu lado, e dez mil à tua direita; mas tu não serás atingido”, o
    – “nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda”, o
    – “porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos. Eles te susterão nas suas mãos, para que não tropeces em alguma pedra”.

    Tudo muito lindo, tocante e maravilhoso na teoria, mas, nem sempre, comprováveis na prática.

  37. Irineu,
    você falou um monte de inverdades sobre a igreja católica, mas vou responder depois, agora não tenho tempo. Enquanto isso, aproveite e responda: para os ateus o amor significa um conjunto de reações químicas?

  38. Sao tantas afirmações questionáveis que nem sei por onde começar, mas vou pegar as mais importantes:

    A fé Católica Romana, numa época em que religião e Estado poderosamente se misturavam, era agressivamente imposta como sendo a única fiel e verdadeira, perseguindo e matando todos os que criam e se manifestavam de forma diferente, os “hereges”.

    Conheço também casos em que ATEUS se misturaram com o poder e o resultado foi ainda mais catastrófico, milhões de inimigos do regime executados sumariamente num período de 3-4 anos vs. alguns milhares num periodo de várias décadas. Há livros desmentindo os boatos sobre a Inquisição, aqui vai um site (em inglês) http://www.catholic.com/tracts/the-inquisition

    Uma religião que, tendo um Cristo que pregava o amor e a tolerância, o “dar a outra face”, o “não resistir ao perverso” e o “amar aos inimigos”, bem ao contrário, foi uma das mais hediondas instituições que já se levantou sobre este nosso solo, tão danosa e impiedosa quanto o nazismo.

    Quanta asneira concentrada. Essa instituição fundou escola, universidades e hospitais por todo o mundo e continua ajudando. Enquanto vocês ateus, fazem muito pouco, a não ser por alguns famosos ateus trilionários que dão alguns bilhõezinhos das suas trilionárias fortunas. Quero ver ateu ir lá cuidar de paciente com ebola, como há muitos médicos de organizações religiosas.

    É de se admirar que, após tantas comprovadas atrocidades, ainda tenha, hoje, tantos seguidores, admiradores e defensores

    Não é de se admirar nada, a explicação é muito simples, a população não cai nessas campanhas difamatórias.

    …e continuam a crer naquela obscura, caduca, retrógrada e perniciosa instituição

    e é por isso que é respeitada, por que percebe-se que tem princípios, que não vai jogar com a torcida, falar o que os outros querem ouvir só para ser popular. Para vocês, ser ‘moderno’ é acabar com o casamento, enfraquecer familias, abortar a vontade, é ceder ao materialismo e aos prazeres momentâneos da carne… Outro dia vi uma cantora pop, essas “modernas”, ela perguntava para seus fãs num estádio lotado “who is a slut???” (quem é vadia???) e as fãs respondiam histéricas, não é lindo esse mundo sem influência da igreja?

    Os seus dogmas, embasados unicamente em tradições humanas:

    1) A única igreja que pode falar em TRADIÇÃO é a igreja católica.
    2) A bíblia só apareceu 400 anos depois da morte de cristo, portanto, cristianismo não é só biblia, isso é coisa de protestante.

    a sucessão, a partir de Pedro

    Está na bíblia

    Maria como intercessora e “Mãe de deus”,

    Se quando você era crente você rezou por alguém, entao você fez exatamente o que Maria faz. “Mae de Deus” é naturalmente mãe de Jesus, o que é algo indiscutível.

    – a adoração a imagens, terminantemente proibida no VT,

    Mentira, não se adoram imagens na doutrina católica. Adorar é acreditar que aquela imagem é o próprio Deus.

    – a obrigatoriedade do celibato para os clérigos,

    isso não é dogma católico, pode mudar a qualquer momento

    Não vou entrar na discussão dos outros, mas tenho CERTEZA que se perguntar a um padre ele vai te responder a cada uma das colocações.

    Seu próprio “infalível” papa Francisco fez declarações incoerentes, como a de que ateus podem ser salvos se forem bons, que gays não devem ser julgados e de que a salvação não é exclusiva para católicos, as quais foram logo em seguida corrigidas pelo Vaticano.

    Você está brincando com a palavra infalibilidade e aposto que não sabe o que quer dizer. Mas se quiser, eu te explico, basta perguntar. As declarações do Papa não tem nada de incoerentes: 1) qualquer pode ser salvo (ateu, gay, etc), somente Deus julga. 2) gays não devem ser julgados – nada de novo, por que tanta surpresa? 3) a salvação não é exclusiva para católicos – também aqui nada de novo.

    bem, no mais nao vou responder tudo, desconfio que você escreve para o seu blog e depois só copia aqui, portanto os textos são extremamente longos e leva muito tempo para respondê-los.

  39. Como as mutações ALEATÓRIAS seriam as principais responsaveis por diversidade se o proprio sistema que origina os seres vivos resiste as mutações? Ou você não sabia dos sistemas de REPARO DE ERROS, ERROS chamados justamente de mutações?Ou você não sabia da fidelidade do DNA?

    Mecanismos de reparo do DNA incluem:

    Um sistema de revisão que pega quase todos os erros.
    Um sistema de reparo incompatível para fazer backup do sistema de revisão.
    Fotorreativação (reparação de luz).
    A remoção dos grupos metilo ou etilo por O6 – metiltransferase metilguanina.
    Reparo por excisão de bases.
    Reparo por excisão de nucleotídeos.
    Dupla vertente de reparação de quebra do DNA.
    Reparação de recombinação.
    Desvio propenso a erros.

    Mais:
    “Quantum dots spotlight DNA-repair proteins in motion” [Science Daily – 14 março de 2010 – Universidade de Pittsburgh, Escolas de Ciências da Saúde]

    Trechos:

    “Repair proteins appear to efficiently scan the genome for errors by jumping like fleas between DNA molecules, sliding along the strands, and perhaps pausing at suspicious spots, say researchers who tagged the proteins with quantum dots to watch the action unfold.”

    “Everyone is constantly bombarded with environmental toxins that inflict small errors in the DNA code, SO A RAPID REPAIR SYSTEM IS ESSENTIAL [ISSO MESMO! ESSENCIAL! …ESSENCIAL] TO MAINTAIN THE INTEGRITY of the sequences for proper cell function, explained senior author Bennett Van Houten, Ph.D., Richard M. Cyert Professor of Molecular Oncology and leader, molecular and cellular cancer biology program, University of Pittsburgh Cancer Institute (UPCI), and professor, Department of Pharmacology and Chemical Biology, University of Pittsburgh School of Medicine.”

    “It has to be able to identify very small mistakes in a 3-dimensional morass of gene strands. It’s akin to spotting potholes on every street all over the country and getting them fixed before the next rush hour.”

    Como é possivel explicar reparação de erros através do materialismo? Qual das quatro grandes teorias da matéria é responsável por iniciar tal processo onde os erros são identificados como sendo incorretos e um meio para revertê-los de volta para valores corretos é posto em movimento?

    Oras,
    Moléculas “cegas” não podem identificar nada, muito menos corrigir erros.

    Para identificar e corrigir erros tem de existir conhecimento.

    Variações portanto, quando acontecem, poderiam, na maior parte,não ser aleatórias.
    Teorias evolucionistas contando com variação aleatória parecem apelar para o que é, obviamente, uma coisa ruim para os organismos vivos.

    Mas eles não tem nada para apoiar suas crenças então lhes resta acreditar que aquilo que o sistema resiste é exatamente aquilo que torna o sistema exemplo de engenharia avançada, que torna o sistema diversificado.

    Na boa … Eu respeito a crença no naturalismo, materialismo, no ateísmo … Mas tem que ter muita fé no materialismo … Os mesmos parecem não sofrer nem por um momento de profundo, desafiador e tenebroso ceticismo. Já eu … Se as coisas que eu interpreto como design mostrarem que não existe design agum então minha crença cai por terra e eu não posso fazer nada… Comerei, beberei pois breve morrerei.

  40. Óia, tem picareta evolucionista fazendo seus fiéis de bobinhos

    Ah papai!

    E por falar em evidências pró evolução darwiniana [evolução cega] seria agora mais essa a se juntar a tantas outras que se encontram na lata do lixo? Por la está os desenhos picaretas de Haeckel.

    Será mesmo que podemos confiar na honestidade dos evolucionistas, sem generalizar, claro… Mas vejam isto :

    http://www.thegrandexperiment.com/whale-evolution.html

    Museus cheios de crânios, esqueletos
    e reconstruções que são falsas.

    “Baleias com quatro pernas, andando em terra, é considerado atualmente uma das melhores provas fósseis da evolução, mas agora esta evidência entrou em colapso de acordo com fabricante de ciência documentária Dr. Carl Werner. Após entrevista com os dois cientistas que reconstruíram os fósseis de três baleias [que caminhavam] famosas, Rodhocetus, Pakicetus e Ambulocetus, Dr. Werner concluiu que os cientistas criaram falsos modelos desses esqueletos e caveiras e passou-os para museus. Os modelos confeccionados estão atualmente em exposição no Museu Americano de História Natural, em Nova York, o Museu Carnegie de Pittsburgh, o Museu Nacional de Natureza e Ciência de Tóquio, o Museu de História Natural de Paris, o Museu Naturalis em Leiden, Holanda, o Museo Storia Naturale di Pisa, o Museu Canadense da Natureza, e do Museu de Melbourne, na Austrália. Além disso, o site do Museu de História Natural de Londres exibe atualmente um falso crânio e modelo, dolorosamente lembrando cientistas britânicos que têm outro Piltdown no meio deles.”

    Me encontro num estado quântico: Rir e chorar ao mesmo tempo.

  41. Novamente, como mutação pode ser evidência para explosão biológica se o DNA é hostil a mutação???

    Veja essa de 2002: “Bactéria mais resistente do mundo”

    Deinococcus radiodurans é listada no Guinness Book of World Records como “bactéria mais resistente do mundo.” E por uma boa razão: O micróbio pode sobreviver a condições de seca, falta de nutrientes e, mais importante, mil vezes mais radiação do que uma pessoa o pode. A bactéria, cujo nome significa “baga (“grão”) estranha que resiste a radiação”, é o organismo mais resistente à radiação conhecido.

    Mas não existe mágica evolucionista [reações quimicas que chegam em lugar qualquer, ou em lugar nenhum..tanto faz como fez] nenhuma, é o velho programa genético inteligente:

    “Um sistema EFICIENTE para a reparação de DNA é o que faz o micróbio tão resistente. Altas doses de radiação quebram o genoma da D. radiodurans , mas o organismo costura os fragmentos de volta, por vezes, em apenas algumas horas. O genoma reparado parece ser tão bom como novo.”

    “O organismo pode colocar seu genoma junto de volta com fidelidade absoluta”, diz Claire M. Fraser, do Instituto de Pesquisa do Genoma (TIGR), em Rockville, Maryland. Ela era a líder da equipe TIGR que sequenciou D. radiodurans em 1999.

    http://www.genomenewsnetwork.org/articles/07_02/deinococcus.shtml

    [todos comentários que fiz no darwinismo.wordpress]

    Bateu a vontade de partilhar por aqui … :D …

  42. Eu desconfio que aqui discutir sobre Deus atrai um grande numero de pessoas … Basta falar o que quer ignorar a verdade e não moderar os comentários … :D …

  43. André,

    Já dei minha resposta no post: “Política de Conduta do DeusILUSÃO”, a qual transcrevo abaixo:

    “O nosso cérebro:

    Cientificamente falando, amor, compaixão, ódio, tristeza, alegria, enfim, sentimentos e emoções em geral, assim como nossa memória são todos produto de reações eletroquímicas que ocorrem em nossos cérebros.

    Disturbios cerebrais como a Síndrome de Fregoli, Síndrome da Má Identificação Delirante, Agnosia Visual, Prosopagnosia, Somatoparafrenia, Mal de Alzheimer, Amnésia Global Transitória (AGT), Epilepsia, Mal de Parkinson, etc, comprovam isso de forma clara.

    Todas essas doenças, entre outras tantas, afetam o seu bom funcionamento químico e/ou elétrico, aí incluídos os neurônios, a sua “fiação elétrica“, alterando a nossa percepção e, em alguns casos, até mesmo nosso entendimento e personalidade.

    Os psicopatas, por exemplo, não se arrependem, não sentem remorso ou culpa, nem empatia e são frios e calculistas.

    Em resumo, a essência do que somos e nossa personalidade enquanto indivíduos, está diretamente vinculada ao bom funcionamento dessas reações.”

  44. jephsimple seu Deus é fruto da sua imaginação. Nada vai mudar isso. Nem mesmo se se provar que toda a Teoria da Evolução é um equívoco.

    E como que eu sei que Deus é fruto da sua imaginação? Ora, porque Deus precisa ser imaginado. É preciso “crer” que ele existe. Deus, por ele mesmo, não se manifesta.

  45. O jephsimples acredita num designer tão, mas tão inteligente que quando foi bolar o sistema de informações do DNA se atrapalhou todo e criou uma porção de coisa errada. Imagina se o designer fosse burro.
    Ô jephsimples, o que o designer estava fazendo quando planejou o sistema de informações genéticas para gerar coisas como o mosaicismo, quimerismo, gêmeos xifópagos, per exemplo? Ou coisas assim são resultado do emaranhamento quântico, talvez?

    Eu desconfio que aqui discutir sobre Deus atrai um grande numero de pessoas … Basta falar o que quer ignorar a verdade e não moderar os comentários

    É por isso que você pode estar aqui falando o que quiser e ignorando os fatos.

  46. “Mae de Deus” é naturalmente mãe de Jesus, o que é algo indiscutível.

    Mas parece que jamais explicável. Desde criança faço uma pergunta que ninguém pode responder objetivamente.
    Por que o Deus que criou o universo precisou engravidar uma mulher para se fazer nascer dela se era muito mais simples aparecer em pessoa? Ou, se como já me disseram, a forma real dele não pode ser captada pelos sentidos humanos, por que ele não arranjou uma aparência humana e pronto?

  47. Irineu,

    agradeço a resposta, concluo que era o que eu pensava mesmo. Para vocês amor, ódio, e outrso sentimentos não passam de reações químicas, é como uma coceira nas costas.

  48. Desde criança faço uma pergunta que ninguém pode responder objetivamente.Por que o Deus que criou o universo precisou engravidar uma mulher para se fazer nascer dela se era muito mais simples aparecer em pessoa?

    Hoje é seu dia de sorte, vou responder: não sei. Mas você tem que aceitar que não é por que Deus não fez do seu jeito, que ele, portanto, não existe. Só mesmo perguntando para ele, querida.

    Se alguém hoje saisse por aí falando que é Deus, alguém ia dar ouvidos? Naquela era seria igual, mas se a pessoa começa a fazer milagres, bem, aí já desperta interesse. E se ele ressuscita após sua morte? É só por isso que Jesus deixou seguidores, e portanto, pelos milagres e pela ressurreição e pela sua promessa de que a igreja que ele fundou não seria abandonada pelo espírito santo, etc, é que nós damos crédito a história de Maria e da imaculada concepção. Mas sinceramente, pessoalmente isso não me importa muito. Jesus poderia ter nascido da forma mais normal possível e Maria poderia ter sido uma esposa e ter vida conjugal com José, em nada mudaria minha fé. Portanto, esse seu ponto é secundário.

  49. Andre

    falou, falou e falou, mas não respondeu minha questão. É outra coisa que observo. Quando um crente sabe que não tem argumento, enfileira um bocado de palavras para tapar o buraco. Por que o Deus não poderia brincar de bumerangue entre vivo e morto tendo aparecido em forma humana duma vez? Por que sendo o cara que criou o universo ele não teria poder de convencimento suficiente? Por que ele precisou deixar seguidores ao invés de continuar ele mesmo por aqui? Não teria sido muito mais impactante? Ele poderia ter feito algo assim: “Observem: esse sou eu vivo.” Daí ele caía duro, mortinho da silva, depois ressuscitava ali na frente de todo mundo: “E este sou eu vivo de novo, tcharamm!!”

    E eu não duvido nada que se tivesse um livro sagrado mandando você adorar um pé de abacaxi, desde que esse livro tivesse sido escrito há uns dois, três mil anos, houvesse um bocado de mágicas meia boca relacionados a esse livro e uns interpretadores sabidos explicando as incongruências de se adorar um pé de abacaxi, você estaria aqui do mesmo jeito defendendo sua crença e falando que quaisquer questionamentos a respeito são secundários.
    E falando que nossos sentimentos são obviamente a manifestação da seiva do abacaxi, não as reações químico-neurológicas apenas.

  50. Segundo o sádico “grande plano mestre de deus para a salvação da humanidade”, seríamos como meros “ratinhos de laboratório”, colocados por deus num labirinto para ver quem consegue chegar à saída e receber a recompensa, e quem vai se perder no meio do caminho e se lascar!

    E o pior: antes de Paulo, como seria algo nada mais do que justo, a salvação era por mérito:

    – o bom era salvo, e o mau era punido!

    Depois de Paulo, quem crê é salvo, quem não crê é condenado!

    Ou seja:

    – ladrão, assassino, estuprador, pedófilo, etc. e se “converte” no último momento, é salvo;

    – ateu que vive uma vida correta, dentro da moral e da ética, é condenado!

    Muito justo, não?

  51. André,

    O que você não consegue entender sobre o cérebro?

    Cérebro e “espírito” não são duas coisas diferentes!

    Nós somos o que é o nosso cérebro!

    A pessoa que perde sua razão, já não é mais a mesma pessoa. O físico é o mesmo, mas, a mente, não!

    Quem, por um motivo qualquer, tem problemas mentais desde o nascimento, ao morrer, irá para o “céu” (mesmo sem “crer”, que, em princípio, seria a condicionante para isso) sendo um “espírito” demente?

    E os sãos, que por algum acidente ou mesmo predisposição genética, vêm sofrer de demência em certo ponto de sua vida, perdendo a sua consciência e deixando, como eu disse, de ser a mesma pessoa, nada impedindo que possa, até mesmo, diante dessa sua condição mental, renegar sua fé, ira para o “céu”? E, se for, continuará sendo lá um demente?

    E as crianças que morrem em tenra idade, sem chegar a ter uma consciência formada, serão “espíritos infantis”, eternamente?

    Veja as incoerências dessa vossa doutrina!

    “Quem crer, será salvo… quem não crer, será condenado”!

    Diante disso, onde se apoia a vossa doutrina a respeito dos que morrem na ignorância (bebês, indígenas, etc.), que serão salvos, mesmo sem crer?

  52. E as crianças que morrem em tenra idade, sem chegar a ter uma consciência formada, serão “espíritos infantis”, eternamente?

    Veja as incoerências dessa vossa doutrina!

    Sobre as incoerencias do ateísmo, eu escrevi aqui: https://deusilusao.com/2014/09/06/a-palavra-2/#comment-57259

    Eu admito que a química exerce influência sobre nós. Nós cremos que o espírito tem vontade, maturidade, individualidade independente do seu corpo, exatamente por isso que uma criança não será um espírito infantil para sempre.

    Já no ateísmo, não será nem espírito, nem infantil, nem nada, simplesmente acabou-se tudo, escafedeu-se

  53. Irineu:

    E o pior: antes de Paulo, como seria algo nada mais do que justo, a salvação era por mérito:
    – o bom era salvo, e o mau era punido!
    Depois de Paulo, quem crê é salvo, quem não crê é condenado!

    Isso é o que Lutero e os protestantes dizem. A Igreja que Jesus fundou, a Católica não é assim não. Para os católicos são as OBRAS e a CRENÇA que salvam.

  54. Exatamente!

    Biologicamente falando, ainda que racionais, somos meros animais, e como todos aqueles, um dia deixaremos de existir, juntamente com nossa consciência.

    Como já dito por alguém: “Após a morte você será o que era antes de nascer”.

    Ou seja: não tínhamos consciência antes, e não teremos depois!

    E, o que foge disso, é mera especulação, esperança infundada e fuga da realidade!

    Eu sei que não é algo fácil de se aceitar.

    Já vivi e passei por tudo isso, mas, hoje, prefiro o real e o palpável ao ilusório.

    Todos gostaríamos de ser eternos, e, por isso, muitos buscam o conforto nas fantasias das religiões, preferindo acreditar na existência de um utópico “céu” e do retorno a um “paraíso” perfeito a enfrentar a dura realidade.

    Aliás, os conceitos de céu e inferno inexistiam no judaísmo e não aparecem nas páginas do VT, tendo sido incorporados ao cristianismo do NT por influência de crenças de outras culturas.

  55. Irineu:

    Acho que portanto estamos de acordo no que o ateísmo entende por sentimentos (reações químicas).

    O problema é que não é só uma questão de “não se iludir com a religião”. Esse entendimento materialista tem consequencias concretas no nosso dia a dia:

    1) Não há uma moral absoluta, certo ou errado, somos regidos pela química.
    2) Se um dia a maioria por plebiscito achar que filhos defeituosos devem ser mortos, não há nada moralmente que nos impeça na sociedade atéia.

    Ou seja: não tínhamos consciência antes, e não teremos depois!
    E, o que foge disso, é mera especulação, esperança infundada e fuga da realidade!

    Você está esquecendo dos fenômenos paranormais, das mediunidades, dos milagres, enfim, de um monte de coisas, que seja Deus, Diabo ou força do pensamento, definitivamente não se encaixam numa explicação materialista, o que indica haver coisas para além do que nossos sentidos conseguem detectar.

  56. Barros,

    “jephsimple seu Deus é fruto da sua imaginação.”

    Isso é irrelevante, em probabilidade matemática básica é 50% de possibilidade.

    Deus existir ou não independe da crença. Isso é basico em lógica.

    Depois, sim, da minha e de bilhões de pessoas… Fora todos os humanos que acreditavam em Deus … Em toda história da humanidade.

    Deve ter sido meu papito ancestral macaco que criou Deus… Afinal, eu mesmo não criei Deus algum :D … Capiche?

    ” Nem mesmo se se provar que toda a Teoria da Evolução é um equívoco.”

    Isso por que vc não sabe que papai Darwin sintetizou a TE justamente para justificar que sua teoria seria alternativa a um ser criador dos seres vivos, por sinal, nessa altura, Darwin estava magoadinho com Deus…

    A TE é uma alernativa para os ateus manterem suas esperanças na inexistência de um criador da informação genética encontrada em qualquer ser vivo. A minha crença particular é sobre um Deus que criou a vida … Multiplicai-vos e enchei a terra… De acordo com a biologia é assim que acontece… Os seres vivos se multiplicam, já seres vivos passarem a existir [abiogenese] foi um evento especial e nenhum ser humano jamais observou.

    E o ateu não tem qualquer prova científica sobre a origem da vida, nem o teista tem uma prova científica que Deus criou a vida.

    Mas há apenas duas alternativas , ou ela foi criada ou ela é um acidente… Se ela é um acidente, jamais chegaria a mente humana, nem seria informação alguma, sem informação não há vida… Mas isso só quem tem um mínimo conhecimento em biologia pode perceber.

    O materialismo é uma fantasia… Parafraseando-te … é imaginação dos materialistas.

  57. “O jephsimples acredita num designer tão, mas tão inteligente que quando foi bolar o sistema de informações do DNA se atrapalhou todo e criou uma porção de coisa errada. Imagina se o designer fosse burro.”

    É mesmo SS Rodrigues? Estou curioso para ver as coisas erradas que o designer criou… Especialmente relacionadas ao sistema de informação por ele ultilizado… Vc por exemplo deve ter um sistema muito melhor que o que os geneticistas estão estudando nos ultimos 30 anos. E que tem sido claramente reconhecido como o melhor sistema de informação já conhecido pela mente humana… mas vamos deixar a biomimética de lado e ver seus exelentes sistemas de informação que pode ser usado por nós de forma segura :D

  58. SSRodrigues,

    “Ô jephsimples, o que o designer estava fazendo quando planejou o sistema de informações genéticas para gerar coisas como o mosaicismo, quimerismo, gêmeos xifópagos, per exemplo? Ou coisas assim são resultado do emaranhamento quântico, talvez?”

    Quem disse que o designer tem que ser bonzinho para a ciência?

    Se ao verificar os dados, eu verificar eventos que contrariam minha moral, em que isso é uma evidência para refutar a existência de algo que fere minha moral?

    Mas eu me lembrei que o materialismo, ateísmo não possui base alguma para fundamentar a moral,nem sua origem, ou para dizer que sua moral particular é melhor que outras morais o.O

    E depois deixando a discussão moral, religiosa de lado … A SSRodrigues quer usar um argumento que justamente é uma problematica para a evolução. Os sistemas biológicos possuem fidelidade genética, sistemas de reparo justamente por que as mundanças tendem a corromper o sistema ao longo do tempo, a saber, entropia genética.

    Por isso que um dos seres mais resistentes do mundo é assim …

    >>>Um sistema EFICIENTE para a reparação de DNA é o que faz o micróbio tão resistente. Altas doses de radiação quebram o genoma da D. radiodurans , mas o organismo costura os fragmentos de volta, por vezes, em apenas algumas horas. O genoma reparado parece ser tão bom como novo.<<<

    Há mais coisas entre o céu e a terra do que imagina essa tua cabecinha, a tua vã filosofinha… :D

  59. Isso é irrelevante, em probabilidade matemática básica é 50% de possibilidade.

    KKkkkkk

    Você é mais inteligente calado.

    Digita assim no Google: “bule de chá + Russell”…

    Segundo esse seu cálculo, também dá pra dizer que há 50% de chances de um bule de chá está orbitando a Terra.

    Agora digita assim, no Deusilusão mesmo: “As Sacolas de Sofia”. É uma série de texto em que, em determinado ponto, eu faço um cálculo que mostra que as chances do seu Deus-Inerte-Invisível-Mudo-Escondido-Cagão existir são iguais às de todos os outros deuses: zero.

  60. Deus existir ou não independe da crença. Isso é básico em lógica.

    Ainda bem que ninguém leva em conta esse tipo de lógica no mundo real. Quer dizer, até que leva: é o povo que se explode, degola jornalista, arremessa aviões em prédios…

    Religião é um tipo de doença mental. O primeiro sintoma é que o doente pensa, fala e escreve merda sem o menor pudor.

  61. Se ela é um acidente, jamais chegaria a mente humana,

    Escreve um artigo científico mostrando como você chegou a essa conclusão e se prepara pra receber um Nobel.

    É grana pra caralho!! E eu vou querer levar 1% do que tu ganhar, que fui eu que te dei a ideia.

  62. Espírito é o fôlego da vida e ele só existe enquanto há vida, se a pessoa para de respirar não há mais fôlego, ele [o espírito] desaparece, e só restará o objeto físico que terá como destino os sete palmos abaixo do chão posteriormente transformado em alimento rico em proteínas para outros tipos de bactérias que sobrevivem dessa matéria ou em um poderoso substrato para alimentar vidas vegetais. Até ai compreendo o que pode representar “vida eterna“: Pelo aproveitamento da nossa rica substância para novas vidas.

    Na série Cosmos/2014 COSMOS – 2º episódio, o astrofísico Neil de Grasse Tyson coloca em questão nosso parentesco com as árvores nossos primos separados há tempos.

    “E não só as árvores. Se você voltar no tempo o bastante, descobrir que temos um ancestral em comum com: a borboleta, o lobo cinzento, o cogumelo, o tubarão, a bactéria, o pardal. Que família. Outras partes do código de barra varia entre espécies, o que diferencia uma espécie de outra”.

    O código genético de uma árvore contem as mesmas letras das mesmas moléculas do nosso corpo, o DNA, uma mensagem que todos nós carregamos inscrita em todas as células dos nossos corpos em um idioma que toda vida da terra consegue ver. Toda vida é uma obra de arte, escrita pela natureza e editada pela evolução.
    As letras do alfabeto genético enunciam as instruções para todas as coisas vivas. A dupla hélice do DNA é uma máquina molecular com 100 milhões de partes chamadas de “átomos”. Nós somos, cada um, um pequeno universo.

    Somos eternos sim, enquanto fizermos parte da cadeia da vida através de nossos códigos genéticos, nossa matéria um dia será fóssil para outras vidas.
    Nem pense que você vai sair voando para um espaço e a fim de viver sua vidinha pós-nuvens com os mesmos sentidos que você vive aqui. Você não vai subir para lugar nenhum a não ser que uma águia arranque nacos de seu corpo para alimentar seus filhotes. Lá você será o maná, um punhado de moléculas ou pó de estrelas.

    E nem fique aí arrotando alto sentindo-se privilegiado por ter tido o direito de optar por um dos deuses e por escolher uma religião. Você, como todos seres viventes será transformado em matéria orgânica, alimento para os vermes e como os ateus tem o mesmo direito de optar por ter seus próprios pontos de vista o que no final, depois da morte terá o mesmo destino.

    Uma criança quando morre seu corpo não passa de matéria e, por favor, sem essa de que, por ser criança depois de morta continua a ser um espírito infantil, a não ser que um pedaço de matéria inanimada e sem vida ainda conserva seu espírito que significava vida.

    E seus códigos genéticos iguais a todos seres humanos são também compatíveis ao seu próprio DNA.
    Você não será melhor, o mais distinto e/ou mais certo em questão de moral e ética do que seu vizinho espírita, budista, ateu, muçulmano, macumbeiro e nem tampouco será diferente do seu cachorro, apesar de que você é provido de uma inteligência superior a ele, mas, nem por isso você deve se sentir eminentemente orgulhoso, cada um na sua importância.
    Se você argumenta sobre moral ou ética, isso depende é claro das suas opções de vida, ou por acaso possui moléculas e “átomos” especiais ou a mais e extrapolou seu código para se achar especial?

    Ateu não é bicho e pode ser muito melhor que um teísta que tem sua moral estancada pelas regras de uma religião. Isto não o fará melhor do que seu igual, se uma pessoa promove o bem não será pelo fato de ser católico, protestante ou neo pentecostal e isso não o faz ser alguém especial, a não ser que você se destaque e faça algo especialmente humano para seus iguais em termos de humanismo.

    Sempre houve e haverá a moral absoluta na raça humana, pois ela sempre existiu independente de algum deus que são frutos da imaginação humana.

  63. jephsimples

    Quem disse que o designer tem que ser bonzinho para a ciência?
    Se ao verificar os dados, eu verificar eventos que contrariam minha moral, em que isso é uma evidência para refutar a existência de algo que fere minha moral?

    Que foi isso? Seu cérebro se emaranhou quanticamente com as páginas da bíblia?

    Onde foi que eu escrevi alguma coisa sobre bondade e moral nas falhas genéticas?

    Mas eu me lembrei que o materialismo, ateísmo não possui base alguma para fundamentar a moral,nem sua origem, ou para dizer que sua moral particular é melhor que outras morais

    Possui sim, é a mesma que vocês crentes disso e daquilo usam, a moral secular. A diferença é que vocês crentes de uma coisa e outra, hipocritamente, fazem de conta que seguem uma tal moral recebida de algum criador do universo.

    A SSRodrigues quer usar um argumento que justamente é uma problematica para a evolução. Os sistemas biológicos possuem fidelidade genética, sistemas de reparo justamente por que as mundanças tendem a corromper o sistema ao longo do tempo, a saber, entropia genética.

    Tá tudo muito bem, tudo muito bonito, só que…
    Isso aí fica compreensível sob o ponto de vista da Teoria da Evolução.
    Do ponto de vista de “sistemas de informação” criados com um propósito inteligente por um designer inteligente…
    Se esse designer trabalhasse para mim e me viesse com um serviço porco desses, tendo como credencial ser o criador do universo, eu demitia o farsante.

    Faz o seguinte, vai estudar mais um pouco esse micróbio que te deixou tão fascinado. O seu designer inteligente parece ser bom para criar micróbios resistentes, quanto a organismos mais complexos a evolução vai se virando como pode.

  64. Não há uma moral absoluta, certo ou errado, somos regidos pela química.
    Se um dia a maioria por plebiscito achar que filhos defeituosos devem ser mortos, não há nada moralmente que nos impeça na sociedade atéia.

    Nós já somos uma sociedade ateia? Estamos em vias de ser uma? Por que se não, a maioria que decidiria que filhos defeituosos devem ser mortos é a sociedade crente mesmo. Aliás, há sociedades crentes que matam recém-nascidos pelo inconveniente de serem meninas.
    Aliás, os abortos no Brasil são praticados, em sua maioria, por cristãos.
    Aliás, a sociedade brasileira, de maioria cristã, mata mais no trânsito que em muitas guerras mundo afora. Aliás, a sociedade brasileira, de maioria cristã, olha para o outro lado e ignora crianças abandonadas.
    Ateus também fazem abortos, matam no trânsito, ignoram crianças abandonadas, matam recém-nascidas. Igualzinho os crentes, olha só que coisa.
    Moral da história: crentes e ateus são regidos por reações neuroquímicas e todos usam os mesmos valores morais. Mas os crentes fingem que seguem uma outra moral.

  65. André,

    Muito pelo contrário, como, aliás, já abordado pela Ana Júdice, acima, a moral e a ética não são vinculadas nem dependentes da religião, nem de livros sagrados, nem de leis divinas.

    Isso é um mito religioso! E só pessoas cegas e tapadas por suas próprias crenças e pela sua religiosidade enxergam assim (Ex: Datena & Cia.)!

    Ela existe naturalmente em nós e até mesmo nos animais!

    Quem nunca ouviu falar de cães que salvam a vida de seus donos, ou de crianças, ou de pessoas de seu convívio, mesmo estando em desvantagem em relação ao agressor, sabida e corajosamente colocando em risco sua própria vida?

    Porventura seria ele religioso, seguiria algum livro sagrado ou as leis de algum deus que os fez à sua imagem e semelhança?

    Aliás, como já bem disse Albert Einstein: “Se as pessoas são boas só por temerem o castigo e almejarem uma recompensa, então realmente somos um grupo muito desprezível.”

    Quem seria tão ignorante e estúpido a ponto de precisar dos famosos e considerados “tão maravilhosos” dez mandamentos para saber que é errado roubar e matar?

    Sempre existiu o princípio natural e bem simples do respeito mútuo: “não devo proceder para com outros da mesma forma que não quero que procedam comigo”.

    “Não quero ser maltratado, nem roubado, nem morto! Porquê, então, vou maltratar, roubar ou matar?”

    Para ser respeitado, primeiro é preciso respeitar!

    Não é bem simples? E isso não depende de religião!

    ABORTO:

    Será que alguma mulher, em sã consciência, ficaria satisfeita e conformada em ter um filho de um bandido que a estuprou?

    Quantos traumas advirão para a mãe e para a criança bastarda que veio ao mundo nessas condições, a qual, com boa probalidade, tenderá a ser rejeitada pela mãe e entregue para adoção.

    Ninguém está a defender a prática de forma generalizada, ou no caso de a criança já estar formada e não oferecer risco de morte para a mãe, mas há casos em que seria plenamente justificável e humana.

    Veja a incoerência de alguns cristãos radicais que defedem zigotos, mas não vêm problemas em matar médicos! Que raio de escala de valores é essa? Que cristianismo é esse?

    FENÔMENOS E PODERES PARANORMAIS:

    James Randi, desde 1998, oferece um prêmio de US$ 1 milhão para quem provar possuir tais poderes.

    http://super.abril.com.br/cotidiano/cacador-paranormais-james-randi-445643.shtml

    http://www.str.com.br/Str/desafio.htm

    Alguns tentaram (mais de 300), outros, famosos, se esquivaram, mas ninguém nunca conseguiu receber o prêmio.

    O que mais se vê nesse meio é engodo e xarlatanismo, como as “cirurgias espirituais” e os falsos “milagres” astutamente elaborados para “alimentar” a fé cristã, em especial a católica.

    Quem não conhece, por exemplo, a falsa e descarada estória de que os computadores da Nasa teriam descoberto o dia perdido de Josué?

    E outra, a partir do momento que se crê na bíblia, onde se lê que os sacerdotes do Egito tranquilamente imitaram os “milagres” de Moisés e Arão, o que provam os “milagres”, a não ser que, ainda que fossem reais, não é somente deus que pode fazê-los?

    Como já dito, e isso é demonstrado pela história, o inexplicável de uma época, dada a sua ignorância, graças aos avanços científicos, é perfeitamente explicável depois.

    Por quanto tempo a demência não foi ignorantemente atribuída à possessão de demônios?

    E, por aí, vai…

  66. André,

    As inquisições ocorreram, sim, e são factuais, embora alguns tentem desmenti-la, assim como tentam fazer, também, com o holocausto.

    A razão, em princípio “aparentemente” louvável, foi o combate às “heresias”, ou seja, tudo que não coadunava ou que desafiava as crenças cristãs da época.

    Incentivada por bulas papais, como a Constituição Apostólica de Lúcio III e as Cartas Decretais de Inocêncio III, tomou proporções desumanas e acabou coagindo pela tortura e/ou matando.

    Pessoas acusadas de fazer feitiços e usar poderes sobrenaturais, supostamente obtidos em rituais satânicos e pactos com demônios, eram taxadas de “bruxos”, perseguidas, inquiridas, torturadas e mortas.

    Também foram perseguidos diversos cientistas como Galileu Galilei – por defender o geocentrismo, terminantemente rejeitado pela igreja, hoje corriqueiramente aceito por todos – e Giordano Bruno, morto na fogueira pela inquisição romana.

    “Afirmar que a terra gira em torno do Sol é tão errado quanto dizer que Jesus não nasceu de uma virgem.” (Cardeal Belarmino, no Julgamento de Galileu).

    Se as inquisições não existiram, o que são, então, os terríveis instrumentos de tortura medievais vistos nos livros, enciclopédias e atualmente dispostos em diversos museus do mundo?

    Você acha que o massacre da Noite de São Bartolomeu é uma farsa? Com base em que?

    E a vexatória venda das indulgências, que mais parece coisa dos “Edir Macedos” da vida? Outra farsa?

    DECLARAÇÕES DE VOLTAIRE, UM DOS PERSEGUIDOS PELA INQUISIÇÃO:

    “Eles dizem que eu devo me retratar. Espontaneamente. Eu irei declarar que Pascal está sempre certo. Que se São Marcos e São Lucas se contradizem entre si, esta é apenas mais uma prova da verdade da religião para aqueles que entendem dessas coisas; e que uma outra bela prova da religião é que ela é ininteligível. Eu irei declarar que todos os padres são gentis e descompromissados; que os jesuítas são pessoas honestas; que os monges nem são orgulhosos nem dados à intriga; e que o cheiro deles é agradável. E que a inquisição é o auge da piedade e tolerância humanas. Enfim, direi que tudo o que eles desejam de mim é, que eles me vejam repousar, porque eles não iriam perseguir um homem que “não tenha feito nada de mal a alguém.”

    “Os novos males da Europa parecem ter sido anunciados por tremores de terra que se fizeram sentir em muitas províncias, mas de forma mais terrível em Lisboa que em outras. partes. Um terço da cidade desabou sobre seus habitantes; quase trinta mil homens pereceram [… ] Esse flagelo deveria fazer os homens meditarem e perceberem que, de fato, não passam de vítimas da morte, que deviam ao menos consolar-se uns aos outros. Os portugueses acreditaram obter a clemência de Deus fazendo queimar judeus e outros homens no que denominavam um “auto-de-fé”, ato que outras nações consideravam um ato de barbárie; mas exatamente a partir dessa época adotaram-se medidas em outras partes da Europa para ensangüentar esta terra que desmoronava sob nossos pés.”

    A FALSIDADE DO PAPADO DE PEDRO (CEFAS):

    Não há no NT, quer nos Atos dos Apóstolos, quer nas diversas epístolas, qualquer evidência da superioridade e primazia de Pedro sobre os demais apóstolos, colocando-o em posição de destaque como “chefe da igreja” ou “vigário do filho de deus”.

    Um texto muito usado para defender aquela posição é o de Mateus 16:18,19:

    “Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do hades não prevalecerão contra ela; dar-te-ei as chaves do reino dos céus; o que ligares, pois, na terra será ligado nos céus, e o que desligares na terra será desligado nos céus.”

    Quanto à questão de “sobre esta pedra edificarei a minha igreja”, estranhamente, dada a sua relevância, encontrado unicamente em aqui em Mateus, não confere com os textos de Atos 4:11:

    “Ele [Jesus] é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta como pedra angular”,

    Efésios 2:20:

    “edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, sendo o próprio Cristo Jesus a principal pedra da esquina”, e

    Colossenses 2:7:

    “arraigados e edificados nele [Jesus], e confirmados na fé, assim como fostes ensinados, abundando em ação de graças”.

    Quanto à questão de “dar-te-ei as chaves do reino dos céus; o que ligares, pois, na terra será ligado nos céus, e o que desligares na terra será desligado nos céus”, os mesmos poderes foram dados a todos os discípulos, em Mateus 18:18: “Em verdade vos digo: Tudo quanto ligardes na terra será ligado no céu; e tudo quanto desligardes na terra será desligado no céu”.

    O próprio Paulo diz tê-lo repreendido na cara por sua dissimulação (Gálatas 2:11).

    “Esse termo [papa] passou a ser usado, no contexto da igreja, durante o século 3, e era empregado no tratamento a qualquer bispo do ocidente. Apenas no século 6 é que o título passou a ser usado para especificar exclusivamente o bispo de Roma.”

    http://www.megacurioso.com.br/acontecimentos-historicos/35870-a-historia-dos-papas-nomes-comandos-e-outros-fatos.htm

    http://mundoestranho.abril.com.br/materia/como-e-quando-surgiu-o-primeiro-papa

    O papa é nada mais que um ícone criado por homens, sendo falho, corruptível e sujeito às mesmas paixões que os demais seres humanos, nada tendo de especial ou divino, como nos mostra a própria história.

    AS DESCULPAS PAPAIS:

    “Ao pedir perdão pela Inquisição, o papa João Paulo II, de acordo com o conhecido site católico Zenite, disse: “É justo que… a Igreja assuma com uma consciência mais viva o pecado de seus filhos recordando todas as circunstâncias nas quais, ao longo da história, afastaram-se do espírito de Cristo e de seu Evangelho, oferecendo ao mundo, em vez do testemunho de uma vida inspirada nos valores da fé, o espetáculo de modos de pensar e atuar que eram verdadeiras formas de antitestemunhos e de escândalos.”

    “Além disso, hoje o papa Francisco quis pedir perdão, como pastor dos católicos, pelas leis do passado contra os protestantes, durante o fascismo na Itália, por serem apoiadas também por católicos” (http://www.zenit.org/pt/articles/francisco-pede-desculpas-pela-perseguicao-aos-pentecostais-no-passado).

    DECLARAÇÕES POLÊMICAS DO “INFALÍVEL” PAPA FRANCISCO, CORRIGIDAS POSTERIORMENTE PELO VATICANO:

    “Se alguém é gay e procura o Senhor de boa vontade, quem sou eu para julgar?”

    “O Senhor redimiu todos nós, todos nós, com o Sangue de Cristo: todos nós, não apenas os católicos. Todo mundo! ‘Pai, os ateus?’ Mesmo os ateus. Todo mundo!”.

    A INTOLERÂNCIA, AMEAÇAS E O INCENTIVO AO USO DA VIOLÊNCIA EXPLÍCITAS NAS BULAS PAPAIS (TRECHOS):

    Constituição Apostólica de Lúcio III.
    Bula Ad Abolendam
    4 de novembro de 1184. Verona.

    “deve-se provocar o eclesiástico com vigor, através do qual, com o auxílio do poder imperial, não só seja esmagada a insolência dos hereges nos próprios esforços de sua falsidade, mas também a simplicidade da verdade católica, resplandecendo na santa igreja, mostre-a por toda parte purificada de toda maldição de falsos dogmas.”

    “sustentados com a força de nosso filho caríssimo, Frederico, ilustre imperador dos romanos … nos erguemos contra os próprios hereges, cuja explicitação de falsidades pervertidas gerou proporsições desvirtuadas e, por meio desta constituição, com a autoridade apostólica, condenamos toda a heresia, seja qual for o nome pelo qual é conhecida.”

    “determinamos que Cátaros, Patarinos, aqueles que são designados pelo falso nome de Humilhados ou Pobres de Lyon, Passaginos, Josefinos e Arnaldistas sejam submetidos ao anátema perpétuo.”

    “ligamos com o vínculo do anátema perpétuo todos que não temem sentir ou ensinar algo diferente do que a sacrossanta Igreja Romana prega e observa … quem quer que tenha sido julgado herege pela mesma Igreja Romana ou por cada bispo em sua diocese”

    “Também ordenamos que se enquadrem na mesma sentença todos os seus acolhedores e protetores, e todos que, de alguma forma, oferecerem algum apoio ou ajuda aos mencionados hereges, com o propósito de fomentar sobre eles a depravação herética, [e igualmente] os consolados, ou crentes, ou perfeitos ou quaisquer outros nomes supersticiosos pelos quais são chamados.”

    “a severidade da disciplina eclesiástica contribui em estímulos para o pecado quando é promovida pelos que não compreendem sua virtude, determinamos pela presente ordenação … entregue ao julgamento do poder secular para ser punido com a pena adequada, … das mencionadas pestes, deve ser conduzido ao julgamento do juiz secular para receber a punição devida à qualidade das más ações”

    “Aqueles descobertos só pela Igreja em evidente suspeita serão submetidos à mesma sentença … forem surpreendidos reincidindo na heresia abjurada, determinamos que sejam entregues ao julgamento secular, sem nenhuma outra [possibilidade] de apelação, e que os bens dos condenados sejam entregues ao clérigo das igrejas aos quais serviam, segundo as sanções legítimas a serem aplicadas”

    “Determinamos que a referida sentença de excomunhão, à qual devem estar submetidos todos os hereges, seja reiterada por todos os patriarcas, arcebispos e bispos nas principais festividades e mantidas em todas as solenidades ou demais ocasiões, para a glória de Deus e a repressão da depravação herética”

    “A isto, por conselho dos bispos e recomendação do cume imperial e de seus príncipes, acrescentamos que qualquer arcebispo ou bispo, por si mesmo, ou por seu arquidiácono ou por outras pessoas honestas e idôneas, uma ou duas vezes ao ano, percorra a própria paróquia na qual tenha a notícia de que aí vivem hereges, e aí obrigue a três ou mais homens de bem, ou ainda, se parecer proveitoso, a toda a vizinhança, a jurar que se esforçarão para indicar ao bispo ou ao arquidiácono os que se sabe são hereges ou os que celebram reuniões secretas ou os que se afastam do convívio habitual, da vida e dos costumes dos fiéis. Que o bispo ou o arquidiácono convoque os acusados à sua presença, os quais devem ser punidos segundo o julgamento dos bispos … Se alguns deles, movidos por superstição condenável, recusando o juramento, talvez, se negarem a prestá-lo, que sejam considerados por isto como hereges e submetidos às penas que foram relacionadas acima.”

    “Além disso, determinamos que os condes, barões, rectores e cônsules das cidades e de outros lugares, conforme a admoestação dos arcebispos e bispos, mediante juramento prestado pessoalmente, prometam auxiliar fiel e eficazmente a Igreja contra os hereges e seus cúmplices, em tudo que foi [aqui] mencionado, quando forem requisitados; e de boa fé se empenharão em executar todos os estatutos eclesiásticos e imperiais que ditamos, conforme o seu ofício e poder. Mas, se não quiserem observar isto, que sejam destituídos da honra que gozam e de modo algum não obtenham outra e que sejam ligados pela excomunhão e que as terras deles estejam sob o interdito imposto pela Igreja. A cidade que resistir a cumprir estas decretais estabelecidas ou, contrariando a exortação do bispo, negligenciar a punir os que se lhes opõem, estará impedida de comercializar com os vizinhos, saiba que será privada da dignidade episcopal. Também determinamos que todos os partidários dos hereges sejam condenados em infâmia perpétua bem como sejam excluídos da assistência judiciária, de prestar testemunho e de outros ofícios públicos.”

    Cartas Decretais de Inocêncio III.
    Bula Vergentis in Senium
    25 de março de 1199. Roma.

    “inúmeros predecessores nossos tomaram medidas, mas não ao ponto de ter podido aniquilar a peste mortífera, sobretudo contra este câncer que se espalhou amplamente de modo oculto e que, agora, abertamente derrama a iniquidade de seu veneno, enquanto, sob a forma farsesca de religião engana muitos homens simples e seduz alguns astutos, transformando num mestre do erro quem não tinha sido um discípulo da verdade.”

    “a fim de que não sejamos vistos como incapazes de capturar as raposas que estão destruindo a vinha do Senhor, nem afastar os lobos das ovelhas … nós autorizamos medidas um tanto severas contra os defensores, acolhedores, colaboradores e adeptos dos hereges”

    “proibimos com todo rigor que, de maneira nenhuma, ninguém se atreva, de algum modo, a acolher os hereges, defendê-los, favorecê-los ou apoiá-los; se alguém se atrever a fazer algumas dessas coisas, a não ser que se empenhe em ratificar sua ousadia, após ser avisado pela primeira e segunda vez, mediante este decreto, por força do próprio direito, estabelecemos firmemente que seja considerado infame e não seja aceito para exercer cargos públicos ou tomar parte nos conselhos citadinos ou participar das eleições para tais cargos e tampouco seja admitido como testemunha. Que igualmente seja incompetente para testemunhar nem tenha direito à sucessão hereditária. Ademais, que ninguém seja obrigado a atender-lhe nas obrigações de quaisquer negócios. Caso se trate de um juiz, que sua sentença não tenha valor algum, nem causa alguma seja apresentada ao seu tribunal. Se for advogado, que de modo algum seja aceito para defender. Se for tabelião, que os documentos redigidos por ele careçam de todo efeito e sejam condenados juntamente com seu autor já condenado. Em casos semelhantes, também ordenamos a observância do mesmo [modo de proceder]. Se for clérigo, que seja deposto de todo cargo e benefício, a fim de que naquele em que há maior culpa, sofra uma punição mais severa.”

    “Se alguém desprezar o dever de evitar o contato com tais pessoas, após terem sido declaradas culpadas pela Igreja, saiba que incorre em sentença de anátema. Nas terras submetidas a nossa jurisdição temporal, ordenamos que os bens dos hereges sejam confiscados e nos demais territórios estabelecemos que se faça o mesmo, por intermédio dos poderes e dos príncipes seculares, os quais, acaso se mostrem negligentes em executar essa ordem, queremos e ordenamos que sejam compelidos a cumpri-la, mediante castigos eclesiásticos, sem haver possibilidade de apelação. Que não sejam, posteriormente, devolvidos a tais hereges os seus bens” … para que, ao menos, o castigo temporal puna o que não se corrige por força das punições espirituais.”

    “Quanto aos culpados pelo delito de lesa-majestade, que sejam punidos, em conformidade com os castigos legais, isto é, seus bens sejam confiscados, e que a vida de seus filhos seja poupada somente por misericórdia … sejam separados de nossa cabeça, Cristo, por sentença eclesiástica, e despojados de bens temporais … Nem de modo algum seja impedida [a aplicação] do rigor deste castigo dos ortodoxos, sob o pretexto de certa aparência de misericórdia no tocante aos filhos daquele que perdeu seus bens, pois, segundo o julgamento divino, em muitas circunstâncias, também estes sofrem temporalmente por causa de seus pais e, conforme as penas canônicas, algumas vezes, o castigo recai não apenas sobre os criminosos, mas também sobre a descendência dos que foram condenados.”

  67. Quantos traumas advirão para a mãe e para a criança bastarda que veio ao mundo nessas condições, a qual, com boa probalidade, tenderá a ser rejeitada pela mãe e entregue para adoção.

    Entendo… digamos assim “Coitada, a criança terá traumas, então vamos fazer a ela esse favor e vamos matá-la”. E se tiver alguma criança de 9 anos traumatizada, vamos matar também (a tese é a mesmo, se discordar, explique o fundamento).

    Veja a incoerência de alguns cristãos radicais que defedem zigotos, mas não vêm problemas em matar médicos! Que raio de escala de valores é essa? Que cristianismo é esse?

    Eu não defendo matar médicos, não sei do que está falando.

    O que mais se vê nesse meio é engodo e xarlatanismo, como as “cirurgias espirituais” e os falsos “milagres” astutamente elaborados para “alimentar” a fé cristã, em especial a católica.

    Tem muito charlatanismo mesmo, não quer dizer que tudo seja charlatanismo. Quanto ao engodo da igreja católica para alimentar a fé, te desafio a provar. ATENÇÃO: quero casos que a instituição igreja católica esteve envolvida em engodos da fé. Pode ir buscar, estou esperando. A igreja católica é muito mais séria que as outras igrejas na investigação de supostos milagres.

    Inquisição:

    As inquisições ocorreram, sim, e são factuais, embora alguns tentem desmenti-la, assim como tentam fazer, também, com o holocausto.

    Eu não neguei a existência, mas disse que havia um contexto histórico, expulsão dos árabes da península ibérica, e que foram muito menos mortos do que se propagandeia por aí. Enquanto isso, todo mundo acha lindo o Fidel Castro e outros comunas ateus que em uma semana mataram mais que a Inquisição em séculos.

    O PAPADO:

    A passagem que Jesus nomeia Pedro é muito muito clara, do inicio ao fim. Os protestantes para poder justificar sua existência vieram com malabarismos intepretativos, esticando daqui e dalí, achando outros versículos que não tinha a ver e tentando ver uma relação a ponto de negar o que estava muito claro para import uma interpretação “extensiva” de um outro versículo. Enfim, durante 1700 anos ninguém questionou Pedro, o Papado, a Igreja Católica como a única Igreja de Cristo. Foi com Lutero que começou a pipocar as versões, e hoje em dia, basta acabar a 4a. série, saber ler e o cara já se acha no direito de montar a sua igreja e ter a sua própria interpretação das escrituras.

    “DECLARAÇÕES POLÊMICAS DO “INFALÍVEL” PAPA FRANCISCO, CORRIGIDAS POSTERIORMENTE PELO VATICANO”

    Desculpe, mas você é ignorante no que significa infalibilidade Papal. A infalibilidade só se aplica em documentos especificos, que são enunciados 1 vez a cada 10 anos, por ex. o Papa João Paulo II emitiu um documento desses dizendo a função de padre é exclusiva dos homens. Portanto, podem tirar o cavalinho da chuva aqueles que pensam que a igreja vai “evoluir”, aposto o dinheiro que eu tiver, e vou ganhar, que isso não muda. Já o casamento de padres é algo que pode mudar, não é dogma.

    Sobre as tais declarações do Papa Franscisco, NENHUMA foi contra a doutrina católica, a mídia tenta, o povo fofoca, mas ele não falou nada de novo.

  68. André,

    Você está apelando e torcendo o que se fala!

    Ninguém aqui é a favor de matar crianças (embora seu deus muitas vezes demonstrou e ainda demonstra ser, tanto na bíblia, como em acontecimentos contemporâneos)!

    Abortos espontâneos acontecem o tempo todo! E, segundo sua crença, quem seria o responsável, se não cai nenhum passarinho em terra sem que seja da vontade de deus?

    Aliás, se há abortos espontâneos, primeiramente percebe-se não haver da parte dele tanta preocupação e cuidado com a vida, como você supõe, e, depois, só vem demonstrar mais uma falha no “design inteligente”, não tão perfeito quanto se crê ser.

    Um zigoto, ou uma célula que ainda está em divisão, não é uma criança!

    Não tem um cérebro ou um sistema sensitivo formado, portanto, não pode ter consciência e entendimento, nem pode sentir dor ou sofrimento.

    Será que um zigoto abortivo vai para o céu?

    E, além do mais, felizmente a igreja já não tem o poder de governo e a influência estatal que possuia na Idade Média, quando, numa descarada teocracia, à semelhança de países muçulmanos, hoje, podia ditar leis e obrigar magistrados a cumpri-las, como visto nas ultrajantes bulas papais, acima.

    Chegando modernamente à razão, os Estados têm-se tornado laicos, a forma mais ética e justa de governo, onde dogmas, regras e princípios religiosos não influenciam – ou, pelo menos, não deveriam influenciar – suas leis.

    Ocorre que neste nosso Brasil, as chamadas Bancadas Católicas e Evangélicas (nitidamente antagônicas, nenhuma crê na salvação da outra, mas, nessa ora se unem) , que parecem não conseguir entender o “daí a César o que é de César e a deus o que é de deus”, nem que “não são do mundo”, nem que a sua “pátria está nos céus”, não se considerando “peregrinos e forasteiros”, querem misturar política e religião, tentando impor-nos, em detrimento da Constituição Federal e numa retroação a todos os avanços conquistados no campo dos direitos humanos, seus conceitos caducos e ultrapassados, baseados em um livro da idade do bronze.

    Querem viver segundo seus conceitos, pensamentos e regras?

    Têm todo o diredito!

    Mas façam-no dentro de suas comunidades, e não tentando impor a toda uma nação, como se tem feito, que não é composta exclusivamente de católicos ou evangélicos, mas de outros que devem ser respeitados.

    Com alguém já disse muito bem:

    “Não gosta de amarelo? Então não use amarelo.
    É contra casamento gay? Então não case com um gay.
    Não gosta da banda? Então não ouça o CD.
    É contra aborto? Não aborte.
    Simples, simples.”

    Vale o ditado: ” Minha liberdade vai até onde começa a do outro!”

    O PAPA:

    Porquê respeitar uma figura que teria o elevado status de “papa”, que é considerado o chefe da igreja, a autoridade máxima, o “vigário do filho de deus”, o representante de Cristo na Terra, o sucessor do trono de Pedro, quando (no caso do Papa Francisco) faz declarações incoerentes que, de fato, vão contra as crenças e determinações de sua própria sede, as quais parece desconhecer?:

    – ateus podem ser salvos;
    – não católicos podem ser salvos;
    – “Se alguém é gay e procura o Senhor de boa vontade, quem sou eu para julgar?”

    Catecismo da Igreja Católica, parágrafo 2357: “A homossexualidade designa as relações entre homens ou mulheres, que experimentam uma atracção sexual exclusiva ou predominante para pessoas do mesmo sexo. Tem-se revestido de formas muito variadas, através dos séculos e das culturas. A sua génese psíquica continua em grande parte por explicar. Apoiando-se na Sagrada Escritura, que os apresenta como depravações graves (103) a Tradição sempre declarou que «os actos de homossexualidade são intrinsecamente desordenados» (104). São contrários à lei natural, fecham o acto sexual ao dom da vida, não procedem duma verdadeira complementaridade afectiva sexual, não podem, em caso algum, ser aprovados.”

    E quanto à venda das indulgências? Onde já se viu ter que pagar para receber perdão ou, que seja, ser isento das suas consequências? Será que Jesus concordaria com essa prática? Ou, novamente, expulsaria os vendilhões do templo? Em que lugar na bíblia há margem para essa prática?

    Como disse, suas “tradições” não têm nada de divino, e não passam de determinações, regras e crenças puramente humanas, criadas segundo suas próprias conveniências!

  69. Irineu:

    Ninguém aqui é a favor de matar crianças

    É sim Sr. você disse que dependendo do trauma para a mae e para a criança, a morte é ‘negociável’.

    Um zigoto, ou uma célula que ainda está em divisão, não é uma criança!

    Ah não? Então o que é? Acho que está vivo e que tem todo o código genético humano, mas não é humano?

    Será que um zigoto abortivo vai para o céu?

    Não sei, mas essa resposta não muda em nada o nosso direito de matar uma criança na barriga de uma mãe.

    querem misturar política e religião, tentando impor-nos, em detrimento da Constituição Federal e numa retroação a todos os avanços conquistados no campo dos direitos humanos, seus conceitos caducos e ultrapassados

    Já ouvi esse papo antes, moderno = aborto, pílula distribuido em centros de saúde para meninas a partir de 14 anos. Retrógrado = defesa da familia, do casamento tradicional, contra o aborto.

    Mas façam-no dentro de suas comunidades, e não tentando impor a toda uma nação

    Concordo, porém feto não vota e alguém tem que defendê-los.

    “Não gosta de amarelo? Então não use amarelo.
    É contra casamento gay? Então não case com um gay.
    Não gosta da banda? Então não ouça o CD.
    É contra aborto? Não aborte.
    Simples, simples.”

    Ok, posso matar o meu filho de 9 anos? O filho é meu e não estou exigindo que você mate o seu.

    Vale o ditado: ” Minha liberdade vai até onde começa a do outro!”

    Exato, vivemos em sociedade e a propósito mais de 90% são teístas, então respeitem nossos valores morais.

    Catecismo da Igreja Católica, parágrafo 2357:

    Estamos todos carecas de saber que a Igreja Católica condena a prática homosexual. Porém, também condena outros pecados e nem por isso o Papa sai por aí dizendo “você vai para o inferno”, por que não? Por que quem julga é Deus, a Igreja só diz o que é pecado e o que não é. Portanto, o Papa não fugiu da doutrina nem falou nada de novo, é tudo conversa fiada da imprensa sensacionalista.

    E quanto à venda das indulgências?

    Concordo, foi um grande erro.

  70. Fico pensando numa coisa tensa, ex-cristãos que viraram ateus (tipo o sr Irineu e nosso astro do blog Barros), como se sentirão quando deparar com Jesus (na volta dele a terra ou na chegada suas do outro lado) e perceber q ele existe, perceber q o negócio é sério. Vcs não sentem-se desconfortáveis ante essa assustadora possibilidade????

  71. Acho q vcs deveriam se reconverter o quanto antes, para escapar das ardidas labaredas definitivas. Tou apenas sugerindo, pq aceitando Jesus, vcs viverão uma delícia de eternidade.

  72. Paulisto,

    A “parousia”, ou “segunda vinda”, é um escancarado mito!

    Como você poderá ler no post: https://deusilusao.com/2014/08/15/jesus-esta-voltando/, fica claro que, de acordo com a própria bíblia, esse evento deveria ter ocorrido na época daquela geração, enquanto os ouvintes estivessem ainda vivos, o que não ocorreu, nem até hoje, nem nunca!

    Céu e inferno, premiação e penalização futuras, são, igualmente, outros mitos que não faziam parte das doutrinas do judaísmo e do VT, tendo sido herdados posteriormente de crenças de outras culturas e incorporadas ao cristianismo.

  73. Também Jesus deixou bem claro que o reino dos céus não viria de forma visível, voce mesmo passou a não mais vê-lo, ou resolveu passar a ignorar, ou ainda viver como se Deus não existisse ?

  74. Este texto (Lucas 17:20,21) diz que o “reino de Deus” não viria com aparência exterior, não estando em algum lugar físico, mas estaria “dentro em vós”, ou seja, no “coração” dos discípulos.

    Ao contrário, na “parousia”, o texto diz que “todo olho o verá” (Apocalipse 1:7 e Mateus 24:30).

  75. Prezado sr Irineu , o sr q já estve por dentro do cristianismo, como explicaria o fato dos DIAS ESTAREM PASSANDO RÁPIDOS como profetizado na bíblia? Não teria como Jesus acertar isso no chute, teria????

  76. Prezado sr Irineu, outra coisa, o q diria sobre a OPERAÇÃO DO ERRO? Nâo teme ter sido capturado por ela? De acordo ca bíblia se a pessoa nâo quer saber da vdd Deus ilude A pessoa com enganos q a satisfazem. Depois taca no abismo, onde os bichos monstruosos morarão. Apesar dos defeitos da bíblia, volte enquanto pode, é melhor q viver no Erro.

  77. Irineu

    Nesse espírito, pude, enfim, aos poucos, entender que ela, a Bíblia, nada tem de “palavra de Deus”, sendo pura expressão de pensamentos e divagações de homens falhos, limitados, supersticiosos, preconceituosos e com restritos conhecimentos científicos, comuns às pessoas de suas épocas.
    Existe na sabedoria cristã ensinamentos “claros e bem resumidos” com poder de construir um bem comum, esses ensinamentos são eternamente validos, ou seja tão divinos quanto a existência material.

    Ora, “Deus” e “anjos” são coisas notória e indiscutivelmente diferentes!

    talvez tudo e todos sejam Deus se apresentando em níveis de consciência diferentes

    o dizimo é necessário para manter a instituição, quem dela faz uso é justo coloborar

    Com clareza, percebo perfeitamente, agora, que a fé cristã é, na realidade, uma escravidão voluntária velada, um grande engodo, uma utopia. Que a alegria que proporciona é igualmente falsa e que não existe a tão aclamada “liberdade em Cristo” (a fé aprisiona; o conhecimento liberta!), sendo, em verdade, tudo isso, puramente ilusório, fruto de nossos mais ocultos anseios e esperanças de uma vida de completa felicidade e do temor ante a morte certa.

    gostaria que você melhor se posicionasse, se o seu ateísmo é dedicado apenas ao cristianismo, ou é contra a existência de Deus ?
    algumas pessoas ao se converterem a algum tipo de religião , melhoram como pessoa passando a serem mais felizes, isto é fato não é uma utopia.

  78. Paulisto x Corintios

  79. Paulisto,

    Acho que não entendi.

    Como assim, “DIAS ESTAREM PASSANDO RÁPIDO”?

    Concordo que até podemos até ter essa sensação, devido à agitação (“rush”) da vida moderna.

    Mas, a que profecia você se refere? A de Daniel 12:4: “muitos correrão de uma parte para outra”?

    Isso não é a mesma coisa que “DIAS ESTAREM PASSANDO RÁPIDO”!

    Sobre o inferno, não creio e não tenho medo, mas você acha certo tentar convencer as pessoas incutindo-lhes o medo?

    Confesso que eu mesmo já procedi assim, antigamente, mas isso não é ético!

    “Se as pessoas são boas só por temerem o castigo e almejarem uma recompensa, então realmente somos um grupo muito desprezível.” (Albert Einstein).

  80. Prezado sr Irineu , acho q nao compreendeu mt bem minha colocação kkkk Sobre os dias estarem passando rápidos demais me refiro ao trecho da bíblia q fala q se “aqueles dias não fossem abreviados até os eleitos se perderiam” tamanha seria (e está sendo a iniquidade na terra) . Uma profecia dessas tao precisa e estranha dificilmt se conseguiria fzer meramente através da lógica ou intuiçao, concorda ?

  81. Prezado sr Irineu , tbem acho antiético e contraproducente tentar convencer através do medo. Inclusive abomino religiosos que usam VERSÍCULOS AMEAÇADORES a torto e direito, como o bispo Macedo, os livros dele são um nojo de tanta AMEAÇA BÍBLICA. No entanto é preciso mencionar em momentos apropriados da conversa as puniçoes pela desobediencia, pq infelizmente Deus é hiper mega severo .

  82. pq infelizmente Deus é hiper mega severo

    E é mesmo!

    O crente que não masturbar o Ego de Deus direitinho vai direto pro Inferno.

  83. Criaturo,

    1) Como já registrei ao André, acima, o que facilmente se percebe pela observação, é que a moral e a ética são intrínsecas aos seres humanos e, até mesmo, aos animais.

    Não é necessário o estabelecimento de leis, regras ou mandamentos divinos (como os famosos 10) para se saber que é errado matar ou roubar.

    Ateísmo não está ligado ao mau caráter de uma pessoa, assim como cristianismo não está ligado, necessariamente, ao bom.

    Religião não define caráter!

    2) Por suas palavras, você demonstra crer no “Panteísmo”, aceito por muitas seitas, mas não pelo judaísmo ou pelo cristianismo. Não é um a doutrina bíblica, mas filosófica. Ser cristão (ou “jeovista”) e panteísta é um a contradição.

    3) O dízimo pertence clara e exclusivamente ao judaísmo e sua lei (VT), e destinava-se ao sustento dos levitas, que não tiveram parte na distribuição das terras sangrentamente conquistadas e, portanto, não tinham meios de produzir seu sustento, ficando dependentes da doação de 10% dos demais seus irmãos.

    Segundo a comum interpretação cristã, o VT, com sua lei, foi abolido no calvário, e não há, de fato, nenhum registro dessa obrigatoriedade em Atos dos Apóstolos e nas epístolas pastorais, ou seja, na história dos cristãos primitivos.

    O que fizeram, claramente por conveniência dos líderes, foi adaptar aquela prática ao cristianismo.

    4) Ateísmo é a descrença em divindades, quaisquer que sejam, e isso é o que penso, hoje.

    Quanto às pessoas melhorarem após se “converterem” a alguma religião, você está absolutamente certo!

    Mas, vejo isso como uma predisposição, uma conscientização e um engajamento da própria pessoa, que voluntariamente se sujeita àquilo, e não como um milagre divino.

    As pessoas mudam, a partir do momento, que por algum motivo, se conscientizam e resolvem mudar, por iniciativa própria. A “mudança” seria por essa predisposição interior, e não por fatores externos.

    E religião, nesse sentido, seria um tipo de “auto-ajuda”.

    Tudo pode, muito bem – falo por experiência própria -, não passar de uma ilusão, que, porém, de fato, para aquela pessoa, traz conforto e felicidade. E isso é o que lhe importa.

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: