O símbolo macabro do cristianismo [Republicação]

Crucificação vem do latin crucifixio [crux = cruz + o verbo figere = fixar, prender].*  Foi o método de execução adotado pelo império romano, para punir crimes cometidos pelos escravos, desde o século seis antes de Cristo até o ano de 337 da era cristã, quando o imperador Constantino I aboliu esse tipo de execução, justamente por causa da veneração bizarra que um número crescente de seguidores de uma nova seita passaram a demonstrar por esse horripilante instrumento de tortura.

A pena de morte por crucificação era uma punição duríssima, pois a sentença antecipava ao réu não só que ele perderia a vida, mas que a sentiria se esvair lentamente, até o ponto em que seu corpo não conseguisse mais suportar justamente aquilo que todo organismo mais evita: a dor. E não seria uma dor inesperada e letal, mas uma dor agendada, que, uma vez tendo início, seria constante, inimaginavelmente intensa e deliberadamente infligida por mãos adestradas na técnica de impor o máximo de sofrimento pelo maior tempo possível.

O processo de execução começava com o criminoso sendo despojado de suas vestes e preso a uma coluna, para ser submetido ao flagelo, que era o açoite feito com um chicote especialmente confeccionado para esse fim. Depois o condenado era amarrado de braços abertos a uma cruz de madeira (ou a uma árvore), onde era deixado para morrer. Ali, enquanto sentia por todo o corpo a dor excruciante que o flagelo lhe havia causado, o enfraquecimento provocado pela perda de sangue e pelo sofrimento prolongado fazia o crucificado esmorecer sobre suas pernas presas e, não mais podendo suster-se de pé na cruz, ficar completamente pendurado pelos braços, com o peso do corpo a comprimir-lhe o diafragma, até não mais conseguir manter a respiração e morrer por asfixia.

As execuções tinham início no meio da tarde e se estendiam até o pôr-do-sol, uma vez que, como ditava a tradição, o executado não poderia permanecer na cruz durante a noite, pois acreditava-se que isso contaminaria a terra com a maldição que havia caído sobre o morto. Quando ocorria do crucificado ainda estar vivo pela hora do crepúsculo, os soldados romanos lhe quebravam as pernas para acelerar o processo.

A crucificação raramente era feita pregando-se o réu à cruz, mas quando esse sofrimento adicional lhe era imposto, fazia-se necessário providenciar um apoio em que o crucificado pudesse se manter sentado. Não fosse esse artifício, a morte viria rápida demais e a punição seria considerada branda. Tendo o peso do corpo sustentado por esse tipo de banquinho, o expediente de quebrar as pernas do criminoso para acelerar a morte por asfixia não surtia efeito. Assim, no caso de chegar a noite, o condenado que ainda resistisse vivo era violentamente espetado por espadas e lanças, ali mesmo na cruz, até que parasse de se estrebuchar a cada nova estocada, o que atestaria a sua morte.

Se Jesus Cristo foi mesmo executado por crucificação há dois mil anos, três coisas podem ser ditas seguramente sobre ele.

A primeira, que ele deve ter cometido um crime compatível com a sentença de morte recebida, o que, obviamente, foi omitido dos textos sagrados do cristianismo. Blasfêmia, por dizer-se filho de Deus ou por ameaçar o poder e posição dos sacerdotes e fariseus, não seria motivo suficiente para ser morto por crucificação, visto que Jesus estaria afrontando a lei dos hebreus, não a de Roma; e o governador local não iria querer gastar o seu latin com um bando de arruaceiros de um povo subjugado reclamando que alguém havia blasfemado contra o Deus deles. Os romanos, que tinham dezenas e dezenas de deuses, talvez mesmo só tivessem ficado perplexos ante a falta de fé que aquela gente demonstrava em relação ao seu próprio Deus, não deixando nas mãos dele a vingança pela blasfêmia recebida, como eles, certamente, teriam deixado.

A segunda, que ele sofreu de uma forma inimaginável antes de morrer. Eu, particularmente, lamento muito por ele e pelo fato de nossa espécie ter cometido, como ainda comete, tantos atos de barbárie contra si, e mesmo contra outras formas de vida.

E a terceira, que, independentemente do que Jesus achava que era, ou do que as pessoas que escreveram os Evangelhos achavam que ele era; independentemente do que tenham escrito, dezenas de anos depois, sobre o que ocorreu após sua morte, Jesus de Nazaré morreu naquela cruz e ainda continua morto.

É certo, também, que é impossível ignorar a multidão que diz esperar a volta do mais famoso finado de que se tem notícia. A esses eu só tenho uma coisa a dizer: vão continuar esperando.



*Fonte: Wikipedia.

Anúncios

35 Respostas

  1. É, seus ateus, Jesus sofreu muitíssimo pra quebrar a maldição do pecado e consequente inferno desagradabilíssimo q iria recair sobre nós pecadores, mas pra surtir efeito vcs precisam crer (considerar real o fato) . Amém? Amém

  2. Vê só que plano idiota.

    Deus — supostamente a criatura mais inteligente que pode haver — decidiu vir à Terra em forma humana, fazer umas tantas estripulias que seriam registradas por outras pessoas, e que deveria servir para que todo mundo soubesse do que tinha se sucedido na sua passagem sobre a Terra (na verdade, num cantozinho bem insignificante dela). Quem não “acreditasse” que ele tinha vindo mesmo aqui embaixo, e feito o que os escritos diriam que ele fez, esses iriam ser punidos eternamente.

    Por que isso é uma idiotice? Porque se Deus existisse nada disso seria necessário.

    Eu me sinto muito bem por saber que meu cérebro nunca se curvou a essa imbecilidade.

  3. Espero que a ausencia da Shirley nao seja por nada grave.

  4. O pior é que a gente que não participa dessas crenças tem que conviver com esta maldita cruz símbolo de tortura e sangue por todo lado.

    Pouca coisa Rabi Yeshua não havia feito naquela época para ter uma morte tão trágica como era de costume.

    Lembrei-me da cena de violência quando o “filho de Deus” usou de sua força e mandou ver nas costas do pessoal que vendia suas coisas no pátio do tal do Templo de Jerusalém, e por isso coitadinho de Deus tão indefeso e velhinho, precisou da proteção do seu Filho para açoitar os vendilhões. Dizem que Jesus ficou “possesso” naquele dia.
    Será que eles apanharam sem reagir? Então quem ofereceu a outra face foram os vendilhões e o irado insano foi o messias…

    Assim conta a história, mas, cuidado ao interpretar porque agora dizem que a bíblia é toda entremeada de metáforas e parábolas e isto eu entendi que ler a bíblia não é pra qualquer um.
    Aqui um pequeno relato a história da surra.

    Fazendo um chicote com algumas cordas, «…expulsou a todos do templo, as ovelhas bem como os bois, derramou pelo chão o dinheiro dos cambistas, virou as mesas e disse aos que vendiam as pombas: Tirai daqui estas coisas; não façais da casa de meu Pai uma casa de negócio.» (João 2:15-16).

    Foi cabrito pulando e pomba voando pra tudo quanto foi lado, moedas espalhadas rolando que até eu queria ouvir a música delas salteando pelo no chão.

    Hoje a os Templos são verdadeiros pontos de negócio. Dizem que o Edir Macedo inaugurou esta semana sua luxuosa residência de 1000 m2 construída na parte de cima do Templo de Salomão e a Igreja Católica possui até banco para fazer o manejo da sua fortuna que não veio só de vender santinho nas barracas de quermesse da igreja.

    É… os tempos mudam.

  5. “Paulisto, on 03/09/2014 at 19:19 said:
    É, seus ateus, Jesus sofreu muitíssimo pra quebrar a maldição do pecado e consequente inferno desagradabilíssimo q iria recair sobre nós pecadores, mas pra surtir efeito vcs precisam crer (considerar real o fato) . Amém? Amém”

    – Lamento Paulisto mas somente são pecadores aqueles que se submetem à religião católica/cristã. Aqueles que não seguem essa religião – ou nenhuma, no caso de ateus – não são pecadores pois não estão sob o jugo dessa lenda.

  6. O pior é que a gente que não participa dessas crenças tem que conviver com esta maldita cruz símbolo de tortura e sangue por todo lado.

    É assim mesmo,você vive em sociedade, os outros 90%+ da mesma não vao se abster de ver a cruz em que acreditam por que isso lhe incomoda.

    Eu, por exemplo, estou tendo que ver beijo gay na TV. Cada um com a sua cruz.

  7. Eu, por exemplo, estou tendo que ver beijo gay na TV. Cada um com a sua cruz.

    Bom primeiro vou discordar, em termos, da Ana, sobre a cruz. Eu não me incomodo a mínima com cruzes, em qualquer lugar. Não têm, para mim, absolutamente nenhuma importância. Se já perdi algum tempo considerando o assunto da cruz foi para concluir que é só a humanidade se repetindo: “ontem” era o sumo-sacerdote sacrificando a virgem para aplacar ou agradar o deus do turno, hoje é o padre erguendo a cruz para simbolizar o sacrifício. Assim como “ontem” as pessoas usavam símbolos e signos para representar o deus, hoje as pessoas penduram cruzes nos lugares. “Amanhã” será outra coisa, outro deus. Banal.

    E quanto a você, André, se o seu controle remoto pifou, troque as pilhas, compre outro ou em último caso, é só dar alguns passos e mudar de canal. Você não tem que “estar vendo” beijo gay, a menos que queira, é claro.

  8. ss rodrigues,

    Vejo que está de volta, com a corda toda, já me azucrinando.

    E quanto a você, André, se o seu controle remoto pifou, troque as pilhas, compre outro ou em último caso, é só dar alguns passos e mudar de canal. Você não tem que “estar vendo” beijo gay, a menos que queira, é claro.

    Deixa-me ver se entendi: no mundo da ss rodrigues pode ter filme pornô pesado, cenas de violência extrema, pode tudo, os incomodados que mudem de canal…

    Interessante que ninguém no mundo adotou essa prática.

  9. “No mundo da SS Rodrigues” não! No mundo em que a gente vive!

    É só o que tem por aí é filme pornô “pesado”, cenas de violência extrema, e eu nunca assisti essa merda!

  10. André

    É que você é “azucrinável”,com essa sua incoerência argumentativa.
    Você diz à Ana para se conformar, que 90% e mais das pessoas não vão se abster de ver a cruz em que acreditam porque isso incomoda a ela ou outros, mas reclama que é “obrigado” a ver beijo gay (e vejo que aumentou a lista). Ocorre que em praticamente todas instituições oficiais há uma cruz na parede, ou um cristo crucificado. Quem se incomoda com isso faz o quê? Não vai à instituição, mesmo que precise? Já nos seus exemplos sempre há a opção de mudar de canal. Não quer filmes pornô, violentos ou beijo gay? Assista a Rede Vida, o canal da pesca, o RR Soares ou qualquer coisa assim. Alugue um DVD, leia um livro. Opção é o que não falta. Mas a maioria pra você é só a que te interessa.
    Ou seja: engula a minha cruz, que isso aqui é um país crente, mas faça filmes e novelas que eu queira assistir. Fundamentalismo: a gente vê por aqui.
    Você diz que ninguém no mundo adotou essa prática. Qual prática? Mudar de canal? O que a crentaiada está fazendo, assistindo filme pornô e beijo gay? Eu por exemplo não gosto e não assisto.

    Jesus toma conta, que crentes mais…mundanos.

  11. Shirley

    Não amiga, as cruzes não me incomodam porque já me acostumei e nem as vejo mais por fazerem parte da decoração o que para mim nada mais é que um detalhe imposto, porém, seu uso sempre me faz lembrar o fato de vivermos num Estado Laico e que as leis no nosso país não são obedecidas nem tendo o Deus deles como legenda, esse Deus que não impõe respeito.

    Por todos os lugares que entramos ali está a cruz: nas salas de repartições públicas, cemitérios, hospitais, tribunais, cartórios, fóruns, delegacias e cadeias, câmaras estaduais e federais, penitenciárias, palácios de governo e mesmo assim temos um dos países mais corruptos do mundo, um país de crimes de chacinas violentas sendo que quase 90% dos brasileiros são cristãos, entretanto as penitenciárias estão cheias de cristãos, ali está um assassino que chacinou toda uma família, um estuprador que mata ou um latrocida e quando entram por esses locais onde esta fatídica cruz está em primeiro plano nas paredes, certamente ao vê-la eles farão o sinal da cruz em suas testas e você pode perguntar qual é a sua religião que vão responder de boca cheia: Sou cristão Graças a Deus e de NosSenhorJesusCristo.

    Apesar da hipocrisia você vai ver muitas das vezes uma cruz de ouro dependurada no seu pescoço para dar sentido de que ele é sensível a Deus, portanto “gente boa”.
    E depois vem ai um cristãozinho ignorante da realidade que o cerca, puxa saco da Igreja Católica que não tem freios na sua língua pornográfica a reclamar do beijo gay na TV como se tivesse moral para tanto ou falando de filmes pornô porque ele só enxerga o mundo por este prisma, se achando o moralizador do mundo.
    Quem quiser ver filme pornô que veja e ninguém tem nada a ver com isso e nada mais é uma opção de divertimento, melhor do que pegar crianças e cometer “pedofilia sacerdotal”.

    O que eu penso é que seja fazendo o sinal da cruz ou rezando seus 5 “Saláh” por dia, o homem é mau e hipócrita por natureza independente de religião.

    Um abraço

  12. Barros,

    Eu me referia aqueles pornôs, sabe aqueles??? Esses ainda não passam na TV aberta, mas do jeito que vão as coisas, logo logo ligo a TV com minha filha para comermos pipoca juntos e vou me deparar com dois, ou mais, gemendo nunca cama.

    E o fato de que há uma degradação total da TV (e da sociedade) não quer dizer que tenhamos que aprovar. O argumento do “já é assim”, não quer dizer que tenhamos que engolir quietos.

  13. SS Rodrigues,

    Bem-vinda de volta, estava sentindo falta da sua azucrinação.

    Você diz à Ana para se conformar, que 90% e mais das pessoas não vão se abster de ver a cruz em que acreditam porque isso incomoda a ela ou outros, mas reclama que é “obrigado” a ver beijo gay (e vejo que aumentou a lista)

    Errou, eu disse exatamente o contrário: já que eu tenho que aguentar beijo gay, ela que aguente a cruz.

    Não quer filmes pornô, violentos ou beijo gay? Assista a Rede Vida, o canal da pesca, o RR Soares ou qualquer coisa assim.

    Confirmou o que eu disse. No seu mundo, a Globo pode passar “Garganta Profunda” no horário nobre e quem não quiser ver, que mude de canal. O único problema é que nenhum país do mundo isso ocorre, deve haver um motivo?

    Você diz que ninguém no mundo adotou essa prática. Qual prática?

    A prática do pode tudo na TV aberta. Nem na Suécia passa filme pornô na tv aberta. Em todos os lugares do mundo, SEM EXCEÇÃO, não vigora o princípio seu do “não gostou, desliga ou muda de canal”.

  14. Atenção Maria, Irineu e outros defensores da coitadinha da Ana Judas, ela continua com suas agressões, depois que leva uma bem no meio, aí vem com “mimi de virgem desonrada”. Não vou responder em nome da paz no blog.

    E depois vem ai um cristãozinho ignorante da realidade que o cerca, puxa saco da Igreja Católica que não tem freios na sua língua pornográfica a reclamar do beijo gay na TV como se tivesse moral para tanto ou falando de filmes pornô porque ele só enxerga o mundo por este prisma, se achando o moralizador do mundo.

  15. Quem quiser ver filme pornô que veja e ninguém tem nada a ver com isso e nada mais é uma opção de divertimento,

    Por que será que NENHUM país do mundo adotou essa tão simples e genial idéia da ilustre do blog? Acho que ninguém chegou a tanta inteligência.

    melhor do que pegar crianças e cometer “pedofilia sacerdotal”.

    O velho argumento falso do “tem coisa pior”. Me lembrou o Maluf com o seu “estupra mas não mata”.

  16. Ana

    as cruzes não me incomodam porque já me acostumei e nem as vejo mais por fazerem parte da decoração

    Para a maioria dos cristãos, desconfio que também seja parte da decoração, nem notam…
    Mas para sermos justos, a César o que é de César, por assim dizer.
    Vejo muito por aí ateus que se estressam com esse negócio da cruz nas repartições públicas e exigem que ela seja retirada, por ser o Brasil um Estado laico. Se fosse para cumprir isso ao pé da letra, o Estado deveria ser neutro e acho que isso significa que não deveria haver símbolo de religião nenhuma nas repartições públicas. Quer dizer, não é o que eu, pessoalmente, acho, no caso seria a interpretação legal.
    Por outro lado, um dos aspectos do estado democrático é a prevalência da maioria e gostemos ou não, a maioria é cristã e quer o símbolo pendurado pelas paredes públicas. Aí é o caso de saber evitar conflitos desnecessários, eu acho. Como ter a cruz pendurada em paredes públicas não significa que os ateus ou os de outras religiões são obrigados a reverenciar a dita cuja, que aí sim seria uma exorbitância da religião sobre os indivíduos, amparada pelo Estado, não vejo motivo pra tanta celeuma. E depois, quem teria que se haver com a própria hipocrisia são os adoradores da cruz. Mas sabemos qual é o argumento para essa hipocrisia: quem não segue os ensinamentos do pregado na cruz não é um verdadeiro cristão. Pelo andar dessa carroça chamada Brasil, verdadeiros cristãos por aqui são mais raros que diamantes azuis, mesmo sendo um país majoritariamente cristão. E quem está ligando para essa incoerência? Os cristãos é que não.

  17. André

    SS Rodrigues,
    Bem-vinda de volta, estava sentindo falta da sua azucrinação.

    Obrigada e não seja por isso…rsrsrsr

    Errou, eu disse exatamente o contrário: já que eu tenho que aguentar beijo gay, ela que aguente a cruz.

    Não, André. Se a Ana ou qualquer ateu ou pessoas de outras religiões que se incomodam com cruzes precisarem frequentar uma repartição pública, elas não têm escolha; você tem. Tais pessoas não têm como evitar a cruz pendurada na parede, pois a cruz está lá. Você não tem que aguentar beijo gay.

    Confirmou o que eu disse. No seu mundo, a Globo pode passar “Garganta Profunda” no horário nobre e quem não quiser ver, que mude de canal. O único problema é que nenhum país do mundo isso ocorre, deve haver um motivo? A prática do pode tudo na TV aberta. Nem na Suécia passa filme pornô na tv aberta. Em todos os lugares do mundo, SEM EXCEÇÃO, não vigora o princípio seu do “não gostou, desliga ou muda de canal”

    Como foi que passamos de beijo gay a Deep Throat em canais abertos? Quando foi que passamos a considerar que emissoras como a Globo passam filmes pornô em horário nobre?
    Deixa ver…Foi quando o André percebeu que a reclamação dele não procedia e aí correu a forçar a barra para não reconhecer que…a reclamação não procedia.
    E vou te falar, não sei como são as coisas na Suécia, mas aqui, a Band passava filme pornô nas madrugadas, não sei se ainda é assim. Viu? Filme pornô em canal aberto. Por falar nisso, você me fez rir porque eu lembrei de quando minha filha mais velha era pequena. Ela nunca foi de dormir muito e me fazia ficar acordada até altas horas. Uma madrugada eu não aguentei, peguei no sono no sofá e quando acordei ela estava vendo “dois, ou mais, gemendo nunca cama.”
    Nem o mundo acabou por causa disso, nem ela se tornou uma pervertida. Com isso não quero dizer que achei “tudo bem” ela ver aquilo e nem que se deva permitir que crianças assistam pornografia.
    Por fim, “não pode tudo” na tv aberta, dependendo do horário, aqui ou em qualquer lugar, mas aqui ou em qualquer lugar (tirando as teocracias islâmicas) as pessoas adultas podem assistir o que quiserem, se quiserem.

  18. Gente, realmente, a loucura da cruz parece mesmo ser uma loucura aos olhos humanos e, talvez, até mesmo aos olhos de Deus. Mas, a própria Bíblia afirma que

    “A LOUCURA de Deus é MAIS SÁBIA do que a SABEDORIA dos homens”.

    E se Deus ficou louco a ponto de sacrificar seu próprio filho para nos salvar, de duas uma:

    Ou Deus ficou louco mesmo, ou Ele realmente nos ama e a nossa situação perante a JUSTIÇA DIVINA deve ser EXTREMAMENTE GRAVE para Deus chegar a tal ponto!

    Mas, para quem ama alguém de verdade, não é tão difícil fazer o que Cristo fez.

    FAÇAM ESSE EXERCÍCIO MENTAL:

    Imagine a pessoa que você mais ama no mundo (sua mãe, pai, irmão ou irmã, esposa, filhos, etc.) no lugar de Cristo, coroada com uma coroa de espinhos, sangrando e carregando a sua cruz até o calvário.

    E você no lugar de Maria vendo aquela cena horripilante.

    Se você pudesse, não carregaria a cruz dela e não se sacrificaria, até mesmo à morte, no lugar da pessoa amada?

    Agora, imagine você no lugar de Cristo carregando a sua cruz. Verá que você não sente pena de si mesmo; mas, sente que já está carregando a cruz que Deus lhe deu nesta vida.

    Quantos neste mundo já não deram a própria vida para salvar alguém de um grave perigo?

    Isso é AMOR!

    E Deus é AMOR; por isso que Cristo fez isso por nós; carregou as nossas culpas e os nossos pecados; porque sabia que não poderíamos suportar a pena devida pelos nossos pecados diante da Justiça Divina.
    Vejam que, misteriosamente, as chagas que Cristo sofreu em seu próprio corpo são devidas as penas pelos nossos pecados:

    – Deus fez os pés para que fossemos a lugares santos e buscássemos o caminho do bem e não para trilhar as veredas do mal. Por isso, Cristo sofreu a chaga nos pés.

    – As nossas mãos foram feitas para edificar, para fazer boas obras e não para praticar o mal com atos impuros, roubos, assassinatos, etc. Por isso, Cristo teve que sofrer a chaga nas mãos.

    – Nossa boca foi feita para proclamar boas palavras, rezar, dizer coisas santas, falar a verdade e não para mentir, caluniar, corromper, blasfemar, dar maus conselhos, seduzir, etc. Por isso, Cristo foi esbofeteado e cuspido.

    – Nosso corpo foi feito para ser templo de Deus e não templo de impureza e perversidade. Por isso, Cristo foi chibatado.

    – Nossa cabeça para ter pensamentos puros e bons e não para ter pensamentos maus e impuros. Por isso, Cristo foi coroado na cabeça com espinhos.

    – Nosso coração para amar e não para odiar e ser egoísta. Por isso, Cristo sofreu com a lança no peito.

    Vejam também que, por causa dos nossos pecados, o Demônio tinha direito sobre nossas almas. Se Cristo não tivesse se oferecido em nosso lugar e nos comprado com seu próprio sangue, talvez, alguém que tivesse traído a esposa, feito um aborto, cometido um assassinato ou um grave crime, jamais teria chance de se arrepender e ser salvo; provavelmente, somente os santos se salvariam!

    Deus escolheu a loucura da cruz, um sinal de condenação e humilhação, para se tornar um sinal salvação e glorificação. A haste horizontal representa a humanidade e a haste vertical liga a Terra ao Céu através de Cristo; pois, Ele é verdadeiramente Deus e verdadeiramente homem.

    Eis o mistério da cruz!

    O homem é finito e, consequentemente, sua mente também. Como podemos, sendo finitos, querer compreender Deus e seus desígnios e até mesmo julgá-lo, se Ele é infinito?

    Portanto, talvez seja até uma loucura de amor; mas não considereis idiotice o que Deus, por amor, fez por nós!

  19. O mistério da cruz de Cristo está intimamente ligado ao mistério da Igreja e da missa. Pois, a cada missa celebrada no mundo, renova-se o sacrifício de Cristo na cruz, onde todo o sofrimento humano, em especial dos cristãos, se une ao sacrifício de Cristo a fim de completá-lo, através do seu corpo místico que é Igreja. Daí importância da missa, que aplaca a Justiça Divina que paira sobre o mundo e sobre todos nós; por isso, o padre diz: “EIS O CORDEIRO DE DEUS QUE TIRA O PECADO DO MUNDO!”; não é apenas o pecado dos participantes da missa, ou dos católicos, ou dos cristãos, mas o pecado de todo o mundo. Por isso, podemos afirmar que fora da Igreja (ou, melhor dizendo, sem a Igreja) não há salvação.

    Dentre as inúmeras profecias do Antigo Testamento sobre Jesus Cristo, as profecias sobre sua crucificação estão entre as mais credíveis. Pois, alguns céticos argumentam que Jesus poderia ser um charlatão que aproveitou-se de algumas profecias do Antigo Testamento para se intitular o Messias.

    Porém, poderia ele ter forjado a profecia de sua própria crucificação, um instrumento de pena de morte usado pelos Romanos?

    “E Iahweh respondeu-lhe: Faze uma serpente abrasadora e coloca-a em uma haste. Todo aquele que for mordido e a contemplar viverá.” (Números 21,8)

    “Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que seja levantado o Filho do Homem.” (João 3,14)

    “Porquanto cães me cercaram; a assembléia de malfeitores me rodeou; traspassaram-me as mãos e os pés. Posso contar todos os meus ossos; eles estão-me encarando e mirando. Repartem entre si os meus vestidos, e deitam sortes sobre a minha vestidura.” (Salmos 22,16-18)

    “Então o crucificaram. E repartiram as suas vestes, lançando sorte sobre elas, para saber com o que cada um ficaria.” (Marcos 15,24)

    “Ele, então, lhes disse: ‘Insensatos e lentos de coração para crer tudo o que os profetas anunciaram! Não era preciso que o Cristo sofresse tudo isso e entrasse em sua glória?’ E, começando por Moisés e por todos os Profetas, interpretou-lhes em todas as Escrituras o que a ele dizia respeito.” (Lucas 24,25-27)

    E a descoberta dos Manuscritos do Mar Morto demonstrou que tais profecias, realmente, foram escritas séculos antes do nascimento de Jesus Cristo.

  20. D.R.:
    Eu prefiro o mito de Hércules.

    Os crentes costumam à raciocinar sobre esse mito da cruz em termos humanos.
    Nesses momentos esquecem que o deus de sua crença é Indestrutível e Onipotente.

  21. MAF,

    ao contrário de Hércules, Jesus não é um mito; a grande maioria dos historiadores, mesmos os céticos, acreditam no Jesus histórico; porém, desprovido do poder de fazer milagres e de ressuscitar.

    Ora, o que provou que Jesus era Deus, indestrutível e onipotente, foi justamente a sua ressurreição.

    Tivesse sido Jesus crucificado, morto e não ressuscitado, muito provavelmente, não teria mais nenhum seguidor hoje. Como, aliás, ocorreu com muitos falsos messias de sua época.

    O que, realmente, deu impulso ao cristianismo nascente foi a notícia da ressurreição de Cristo; pois, ao ressuscitar dos mortos, ele provou que era Deus e o Messias há tanto tempo esperado.

    E a imagem do Santo Sudário é a prova arqueológica e científica de que Jesus realmente ressuscitou; pois, ela nada mais é do que a foto radiológica e tridimensional de um homem crucificado no exato momento da ressurreição; tanto que dá para ver até os ossos e as raízes dos dentes do homem do Sudário, devido a radiação emanada de seu corpo no momento da ressurreição.

  22. D.R.:

    Você não entendeu o meu ponto. Aliás nenhum crente parece entender!
    Perceba que um deus indestrutível e onipotente, sendo bondoso e justo, poderia resolver a pendenga humana de forma muito menos traumática, sem sacrifício fake, sem derramar uma única gota de sangue.

    Eu quis dizer que todo mito do Jesus da Cruz (Rs!)foi inventado à partir das limitadas paixões humanas, suas falhas e expectativas emocionais.

    E também não compreendo qual a lógica de um deus que institui todas as regras e punições para sua criação, que depois cria um avatar de carne, para redimir os faltosos, sofrendo por eles, para “salva-los” dele mesmo.
    ????!!!!!!!

    Quanto ao Santo Sudário. É tão fake quanto o mito do Jesus da Cruz.
    Inventar que aquilo foi impresso por meio de radiação não salva a mentira, pelo contrário, a torna mais aparente e risível.

    Pense por um instante como seria a impressão gerada por radiação emanando por todos os lados de um corpo embrulhado num pano.
    Não difere muito da impressão obtida de um corpo besuntado de tinta e também embrulhado.

    Faça você mesmo o teste, mas por favor não use tinta indelével.

    É tão primário isso que…Ah! Deixa quieto.

    O que deu impulso ao cristianismo foi justamente terem sumido como o corpo de Yeshua, e inventado que ele ressuscitara.
    Senão ele teria sido mais um esquecido dentre muitos que perambularam por aqueles lugares de dois mil anos atras se dizendo ser um messias.

    Me responda uma coisa: Esse deus cristão bonzinho é o mesmo deus hebraico que afogou toda vida da Terra, menos alguns escolhidos?

  23. D.R., costumo admirar o fervor religioso que os seus textos contêm mas o que é que essa passagem «“E Iahweh respondeu-lhe: Faze uma serpente abrasadora e coloca-a em uma haste. Todo aquele que for mordido e a contemplar viverá.” (Números 21,8)» tem a ver com a profecia da crucificação de Jesus? Parece-me uma interpretação forçada.
    Sucede que os israelitas estavam a efetuar uma travessia terrível pelo deserto. Aquele caminho estava pejado de serpentes e muitos morriam. No seu desespero, tiveram que invocar ao Senhor. A resposta deste, naturalmente por meio do seu líder, foi a única alternativa possível em mentes suscetíveis à superstição. Aliada à contemplação da serpente deveriam ter feito alguns curativos ou chupado o veneno e deitado fora. A fixação na serpente não passava de um placebo. Porque é que o D.R. não associa essas serpentes que mordiam ao demónio? Não acha também estranho a serpente de metal ser considerada um símbolo de cura na altura e não a astuta criatura que seduziu Eva a transgredir as ordens de Deus? Que péssimas correlações que fazem quando o objetivo é ver cumprimento de profecias onde estas não existem; aliás, as profecias são previsões de acontecimentos. Tanto poderão ocorrer como não. E nenhum de nós sabe a altura certa em que o profeta escreve a profecia. Se foi antes dela acontecer ou se foi depois. Nada mais provável do que o profeta se projetar para um tempo passado mas de facto estar a relatar acontecimentos que ele presenciou.

  24. MAF,

    o que realmente importa é saber se Deus existe ou não. Se Deus existe, somos nós que temos que nos submeter a ele e não ele a nós.

    Vejo que a grande maioria dos argumentos dos ativistas céticos contra a existência de Deus são justamente do tipo que você citou; como, por exemplo: se Deus existisse e fosse infinitamente bom, então, não poderia haver mal e sofrimento no mundo; se Deus existisse ele teria de se revelar a todos nós e não somente a um povo numa determinada época específica; se Deus fosse bom, não teria permitido o sacrifício de seu próprio filho; se Deus fosse humilde, não ia querer ser adorado; se Deus fosse infinitamente misericordioso não teria criado o inferne; etc.

    Esse tipo de coisa é muito mais um julgamento de Deus do que argumentos razoáveis contra a sua existência.

    Se Deus de fato existe e é nosso criador, então, ele tem todo o direito de ser adorado e temos que procurar amá-lo do jeito que ele é e não como gostaríamos que ele fosse!

    Nós não temos a capacidade e nem o direito de dizer a Deus o que ele deve fazer e como ele deve agir para acreditarmos, amarmos ou seguirmos a ele.

    Todos querem a misericórdia de Deus, mas poucos aceitam a sua terrível justiça divina (que é, de fato, assustadora). Porém, além da misericórdia, a justiça também faz parte do mistério de Deus.

    Mesmo porque, se Deus fosse só misericórdia, ele já teria entregado seu reino de mão beijada ao Demônio sem sequer ter se defendido. O que equilibra a infinita misericórdia de Deus é a sua infinita justiça. Por isso, o sacrifício infinito de Cristo na cruz.

    Se o mistério da cruz não fosse um mistério, não se chamaria mistério. Mesmo assim, há toda uma teologia encima da encarnação de Cristo e do mistério pascal. Quando pecamos, o Demônio tem direito sobre nós e nossa alma; a própria Bíblia vai dizer que fomos comprados com o sangue de Cristo. E o pecado mortal é uma ofensa contra a bondade infinita de Deus; portanto, exige uma reparação infinita que só pode ser feita através do próprio Deus, que infinito; mesmo porque, nenhum homem ou mesmo anjo conseguiria cumprir na íntegra a missão de Jesus. Não fosse o sacrifício de Cristo na cruz, talvez, somente os santos se salvariam; alguém que cometeu um adultério, um assassinato, um aborto, etc., talvez, jamais teria chance de se redimir e ser salvo.

    No mistério da encarnação de Cristo, Deus não escolheu ser uma estrela, um planeta, uma nuvem, um mineral, um vegetal ou um animal, mas escolheu ser homem; assumindo a forma divina/humana pelo resto da eternidade. Humilhou-se não somente à condição humana; mas se humilhou ainda mais, se transformando em alimento eucarístico. para que, nos alimentando dele, também pudéssemos ser como que divinizados, a fim de alcançarmos a vida eterna.

    E Deus, quando se ofereceu em alimento, não escolheu ser apenas uva e trigo, mas vinho e pão; dois produtos que, para existirem, precisam de passar pela manipulação do homem. E adorando a Deus eucarístico, também o homem se humilha diante de Deus e o glorifica e exalta mais ainda; pois, mesmo na humilde forma de alimento, ainda assim adoramos e reconhecemos a Deus como nosso criador.

    Tudo isso é mistério de Deus, na verdade, um maravilhoso mistério. Portanto, em vez de ficarmos duvidando e criticando a Deus porque ele fez isso ou aquilo, ou o que ele deveria ter feito para acreditarmos nele, deveríamos é agradecê-lo por ter se humilhado tanto por nós e por nos ter dado a chance de salvação eterna. Sendo que a própria Bíblia vai dizer que a vontade de Deus é que todos se salvem.

  25. MAF, quanto ao Santo Sudário:

    – Se fosse ‘fake’, ele não teria passado nem sequer na primeira bateria de testes da equipe do STURP. No entanto, ele já é o objeto mais estudado em toda a história da Ciência.

    – Se fosse ‘fake’, os físicos italianos do ENEA não teriam feito uma pesquisa de 5 anos (publicada com peer review) onde concluíram que seria preciso um laser ultravioleta de 34 TRILHÕES DE WATTS (!!!) para formar a imagem de uma só vez. Algo não só impossível na Idade Média, como até nos dias de hoje.

    http://opac.bologna.enea.it:8991/RT/2011/2011_14_ENEA.pdf

    – Se fosse ‘fake’, o Sudário não seria uma mapa de relevo 3D (como aquelas fotos de satélite); algo impossível de se obter através de uma pintura, decalque ou fotografia comum, como mostra o ótimo artigo do próprio inventor do Analisador de Imagens VP-8 e como mostrado no interessante site ‘Shroud of Turin in 3D’ (que, pela informação 3D do Sudário, fez uma holografia que explicou muitas das supostas anomalias da imagem e achou provas que não se vê normalmente):

    http://www.shroud.com/pdfs/schumchr.pdf

    http://shroud3d.com

    – Se fosse ‘fake’, uma pintura, um decalque ou uma fotografia comum, não daria para ver até os ossos e raízes dos dentes do homem do Sudário. Como bem mostrado no excelente documentário do Discovery Channel “O MISTÉRIO DO SANTO SUDÁRIO” (PARTE 5), entres os minutos 2:12 e 4:02:

    – Se fosse ‘fake’, o ENEA (Agência Nacional Italiana para a Energia e as Novas Tecnologias) não teria reunido 40 (!!!) CIENTISTAS E PROFESSORES de diversas especialidades e países – EUA, França, Áustria, Canadá, Dinamarca, Alemanha, México, Israel, Polônia, Espanha e Itália – para estudar os aspectos químicos, físicos, mecânicos e médicos das mais famosas imagens “aqueropitas” (quer dizer, não feitas por mãos humanas), a saber, o Santo Sudário de Turim, o manto ou “tilma” de Guadalupe e o Véu de Manoppello:

    http://cienciaconfirmaigreja.blogspot.com.br/2013/04/o-veu-da-veronica-2-o-que-dizem-os.html

    – Etc., etc., etc.

    Não, não tem como o Santo Sudário ser ‘fake’. Após décadas de estudo, os cientistas ainda não sabem como pode ter sido formada a misteriosa imagem; mas, já sabem que não é uma pintura, um decalque, uma fotografia comum, ou seja lá que tipo de fraude medieval.

    Por isso, muitos pesquisadores já estão admitindo que se trata mesmo do tecido que cobriu o corpo de Jesus Cristo crucificado, o único candidato histórico ao homem do Sudário. Os mais céticos, porém, levantam a hipótese de que a imagem tenha sido formada por algum processo natural, como a vaporografia ou a emissão radioativa oriunda de terremoto. Mas, tais hipóteses também não se sustentam.

    Como você bem argumentou, se a emissão radioativa teria provocado distorções na imagem, imagina se ela fosse formada por vapores cadavéricos?

    Na verdade, há um excelente artigo da física Isabel Piczek mostrando como a imagem do Sudário foi formada, de acordo com a posição do corpo em relação ao lençol e ao tipo de ‘radiação’ emitida; inclusive, explicando as supostas desproporções da imagem:

    http://www.shroud.com/piczek2.htm

    Por todas essas incríveis evidências científicas e outras que ainda estão pro vir, podemos afirmar que o Santo Sudário, como toda a certeza, não é um ‘fake’ ou uma fraude medieval; mas, sim, a prova de um dos maiores milagres de todos os tempos:

    O MILAGRE DA RESSURREIÇÃO DE CRISTO

    e a prova de que Jesus era realmente:

    DEUS ENCARNADO !!!

  26. Maria,

    a relação da serpente levantada na haste com a crucificação de Cristo,
    tem a ver com o mistério da crucificação de Cristo.

    Pois, a serpente era o símbolo do pecado; e Cristo, na cruz, se fez pecado por nós:

    “Aquele que não conheceu o pecado, Deus o fez pecado por nós, para que nele nós nos tornássemos justiça de Deus.” (II Coríntios 5,21)

    Lembrando que o próprio Jesus faz tal comparação:

    “… Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim deve ser levantado o Filho do Homem, para que todo homem que nele crer tenha a vida eterna. …” (João 3,14-15)

    É como se Deus nos quisesse ensinar que, se formos “mordidos” pelo pecado, contemplemos Cristo crucificado, a fim de nos libertarmos do pecado.

    Realmente, sem entender o mistério da cruz, não faria muito sentido Deus ter mandado Moisés fazer aquela serpente de bronze para que todo aquele que olhasse para ela ficasse curado. Lembrando que a história da serpente de bronze ocorreu séculos antes da crucificação de Cristo; o que mostra que tal passagem (assim como inúmeras outras do Antigo Testamento) não foi invenção humana, mas sim inspirada por Deus.

    É por isso que eu já disse que Deus agiu como um pedagogo, usando aquele povo escolhido como se fosse “caneta” e a história humana como papel para anunciar a vinda de Cristo salvador.

    E é por isso, também, que não devemos tentar interpretar a Bíblia sem o Magistério da Igreja e de forma totalmente literal, como fazem muitos evangélicos/protestantes.

    Pois, se Deus havia proibido fazer imagens, como ele mesmo depois mandou fazer uma serpente de bronze?

    Isso, realmente, seria uma contradição, como tantas outras que parecem existir na Bília. Porém, se tentarmos entender a Bíblia como um todo e tentar entender qual foi o pensamento e ensinamento de Deus em cada época da história bíblica, muitas dessas supostas contradições bíblicas simplesmente desaparecem.

    Sobre a tua suposição, penso que jamais, Moisés teria feio uma serpente de bronze se não fosse por ordem divina; e mordida de cobra não se cura por efeito placebo.

    Sim, concordo que é difícil saber se um profeta escreveu sobre fatos futuros, sobre fatos passados ou sobre fatos contemporâneos de sua época. Porém, é possível comprovar se uma profecia é autêntica se encontrarmos alguma cópia do texto profético anterior aos acontecimentos profetizados. E, no caso das profecias sobre o Messias, os Manuscritos do Mar Morto comprovaram que elas foram realmente escritas séculos antes do nascimento de Jesus Cristo.

  27. Olá, D.R.
    «E, no caso das profecias sobre o Messias, os Manuscritos do Mar Morto comprovaram que elas foram realmente escritas séculos antes do nascimento de Jesus Cristo.»
    O que foi comprovado foi que os manuscritos atribuídos a Isaías foram escritos num período anterior ao nascimento de Jesus e que as cópias que estão na bíblia não sofreram alterações. Quanto ao facto de algumas passagens serem consideradas profecias do aparecimento de Jesus Cristo na História é outro assunto. Aliás, Isaías faz previsões sobre o surgimento de um Messias não identificado com nome nenhum. Até hoje, os judeus religiosos estão esperando este Messias.
    Não é possível provar que o Messias era este Jesus, o qual admiro bastante mas, infelizmente, morreu crucificado embora esteja connosco na nossa memória.

  28. D.R. :

    Quanto à credibilidade dessas pesquisas, parei por aqui:

    Se fosse ‘fake’, os físicos italianos do ENEA não teriam feito uma pesquisa de 5 anos (publicada com peer review) onde concluíram que seria preciso um laser ultravioleta de 34 TRILHÕES DE WATTS (!!!) para formar a imagem de uma só vez. Algo não só impossível na Idade Média, como até nos dias de hoje.

    Você não deve ter noção do que seja 34 TRILHÕES DE WATTS!

    Se tal energia tivesse sido usada em forma de laser para imprimir aquelas figuras toscas do sudário, não teria sobrado nada, teria vaporizado tudo instantaneamente.

    Apenas 400 Watts são suficientes para furar chapas de metal de 5mm.
    Imagine 34 TRILHÕES de Watts!!!!! Ai, ai, ai!!!!

    E me explique porque o rosto tem feições tão EUROPEIAS!!!
    Se fosse colorido aposto que teria olhos azuis. Rsrsrs!!!!

  29. MAF/Márcio,

    realmente, acho que nem eu, nem você e quase ninguém tem ideia de quanto seja tal potência.

    Porém, como eu disse, seria a quantidade de energia referente a um flash de luz laser UV (se não me engano, de bilionésimos de segundo) para formar a imagem de UMA SÓ VEZ; e não ponto a ponto usando um laser de baixa potência. Lembrando que esse flash de luz UV que marcou o tecido ainda teve que atravessar o corpo do homem do Sudário!

    Conforme o cálculo dos físicos do ENEA apresentado na conclusão do artigo:


    IT x superficie corporea = 2000 MW/cm2 x 17000 cm2 = 34mila miliardi di Watt.

    …”.

    Na verdade, alguns sites traduziram como “34 trilhões de watts” e outros como “34 bilhões de watts”. Traduzindo a expressão “34mila miliardi di Watt” em italiano para português, usando o tradutor do Google, informa 34 bilhões de watts; porém, o cálculo resulta em 34.000.000 MW (megawatts) ou 34 trilhões de watts mesmo.

    De qualquer forma, se não há tal tecnologia para se reproduzir o Santo Sudário nos dias de hoje, imagina na Idade Média?

    Vale a pena ler o artigo completo:

    http://opac.bologna.enea.it:8991/RT/2011/2011_14_ENEA.pdf

    Lembrando, novamente, que esse longo estudo de 5 anos foi feito e publicado com peer review por FÍSICOS DE VERDADE de um renomado instituto italiano, o ENEA, e não por fanáticos religiosos ou ativistas céticos metidos a cientistas de plantão.

    Para os mais preguiçosos, indico um resumo do estudo feito pelos físicos do ENEA:

    “PARA CIÊNCIA DE PONTA É IMPOSSÍVEL REPRODUZIR O SANTO SUDÁRIO”

    http://cienciaconfirmaigreja.blogspot.com.br/2012/01/para-ciencia-de-ponta-e-impossivel.html

    Confesso que não sou físico; mas, também, não sou tão burro assim. Agora, em quem confiar? Em você ou nos físicos do ENEA?

  30. MAF/Márcio,

    em tempo, sobre a questão levantada por você do porque as feições do homem do Sudário são tão EUROPEIAS e sobre a sua aposta de que, se a imagem fosse coloria, ele terias olhos azuis.

    Eu não sei de onde você tirou tais informações; o que sei é que anatomistas que analisaram o homem Sudário afirmam que ele tem aparência semita; inclusive, sangue tipo AB muito comum no povo judeu.

    E, sobre a sua aposta, ela não se sustenta; já que, mesmo que a imagem do Sudário fosse colorida, provavelmente, não daria para saber a cor dos olhos do homem do Sudário; já que eles estão fechados e cobertos com moedas da época de Pôncio Pilatos por cima (conforme tradição de sepultamento da época).

    E mesmo que fossem claros, saiba que muitos judeus têm e tinham olhos claros também. Davi, por exemplo, era ruivo!

    Uma curiosidade sobre o homem do Sudário:

    Estudos na imagem do Sudário revelaram também que o homem do Sudário tem uma pequena trança de cabelo na nuca, em forma de “rabo de cavalo”.

    E o quê isso tem a ver com o assunto?

    Ora, isso é mais uma prova de que o homem do Sudário era realmente judeu; já que isso era uma moda comum entres os homem judeus na época de Jesus.

    Algo que um artista da época medieval jamais imaginaria e sequer ousaria fazer!

  31. Maria,

    de fato, isso mostra que as cópias dos livros do Antigo Testamento não sofreram modificações severas ao longo do tempo e nem foram adulterados pelos cristãos a fim de incluir neles as profecias sobre Jesus Cristo, conforme se acreditava antes. Já que, conforme você disse, foram encontrados trechos bíblicos (como o do livro de Isaías) datados até o III século antes da era Cristã, praticamente idênticos aos textos bíblicos atuais.

    “…

    Antes da descoberta dos Rolos do Mar Morto, os manuscritos mais antigos das Escrituras Hebraicas datavam da época do nono e do décimo século da era cristã. Havia muitas dúvidas sobre a confiabilidade dessas cópias. A análise dos textos encontrados mostra que os textos hebraicos eram bastante fluidos antes de sua canonização. Há textos que são quase idênticos ao texto massorético embora haja fragmentos do livro do Êxodo e de Samuel com diferenças significativas das cópias modernas.

    Mas o Professor Julio Trebolle Barrera, membro da equipe internacional de editores dos Rolos do Mar Morto, declarou: “O Rolo de Isaías [de Qumran] fornece prova irrefutável de que a transmissão do texto bíblico, durante um período de mais de mil anos pelas mãos de copistas judeus, foi extremamente fiel e cuidadosa.”

    O rolo mencionado por Barrera trata-se de uma peça com 7 metros de comprimento, em aramaico, contendo o inteiro livro de Isaías.
    Diferentemente deste rolo, a maioria deles é constituída apenas por fragmentos, com menos de um décimo de qualquer dos livros. Os livros bíblicos mais populares em Qumran eram os Salmos (36 exemplares), Deuteronômio (29 exemplares) e Isaías (21 exemplares). Estes são também os livros mais frequentemente citados nas Escrituras Gregas Cristãs.

    Embora os rolos demonstrem que a Bíblia não sofreu mudanças fundamentais, eles também revelam, até certo ponto, que havia versões diferentes dos textos bíblicos hebraicos usadas pelos judeus no período do Segundo Templo, cada uma com as suas próprias variações. Nem todos os rolos são idênticos ao texto massorético na grafia e na fraseologia. Alguns se aproximam mais da Septuaginta grega.

    …”.

    FONTE: http://pt.wikipedia.org/wiki/Manuscritos_do_Mar_Morto

    Porém, o exemplo que citei é apenas um dentre as inúmeras profecias do Antigo Testamento sobre o Messias. Conforme bem mostrado no artigo da Wikipedia sobre “Cristo”:

    “…

    Entre os que entendem ser Jesus o Messias, seria relatado que nele foram cumpridas as profecias do Antigo Testamento. Tais como:

    Nasceria em Belém de Judá (Miqueias 5:2)
    de uma virgem (gr. phanteros) (Isaías 7:14)
    por intermédio de Deus (Salmos 2:7)
    descendente de Jacó (Números 24:17)
    da tribo de Judá (Gênesis 49:10)
    iria para o Egito (Oseias 11:1)
    surgiria da Galileia (Isaías 9:1)
    um mensageiro prepararia o seu caminho (Malaquias 3:1) clamando no deserto (Isaías 40:3)
    o Espírito de Deus iria repousar sobre Ele (Isaías 11:2)
    faria profecias (Deuteronômio 18:18)
    abriria os olhos dos cegos e os ouvidos dos surdos (Isaías 35:5)
    curaria os coxos e os mudos (Isaías 35:6)
    falaria em parábolas (Salmos 78:2)
    mesmo sendo pobre, seria aclamado rei, em um jumento (Zacarias 9:9)
    seria rejeitado (Salmos 118:22)
    traído por um amigo (Salmos 41:9)
    por trinta moedas de prata (Zacarias 11:12)
    moedas essas que seriam dadas a um oleiro (Zacarias 11:13)
    seria ferido e depois abandonado por seus discípulos (Zacarias 13:7)
    seria acusado injustamente (Salmos 35:11)
    seria ferido pelas nossas transgressões (Isaías 53:5)
    não responderia aos seus acusadores (Isaías 53:7)
    seria cuspido e esbofeteado (Isaías 50:6)
    seria zombado depois de preso (Salmos 22:7,8)
    teria os pés e mãos transpassados (Salmos 22:16)
    na terra dos seus amigos (Zacarias 13:6)
    junto com transgressores (Isaías 53:12)
    oraria pelos seus inimigos (Salmos 109:4)
    seria rejeitado e ferido por nossas iniquidades (Isaías 53:3:5)
    lançariam sortes para repartir as suas vestes (Salmos 22:18)
    o fariam beber vinagre (Salmos 69:21)
    clamaria a Deus no seu desamparo (Salmos 22:1)
    entregaria seu espírito a Deus (Salmos 31:5)
    não teria os ossos quebrados (Salmos 34:20)
    a Terra se escureceria, mesmo sendo dia claro (Amós 8:9:10)
    um rico o sepultaria (Isaías 53:9)
    assim como Jonas ficou três dias dentro do grande peixe (Jonas 1:17;Mateus 16:21;Lucas 11:30)
    Ele ressuscitaria (Salmos 30:3)
    no terceiro dia (Oseias 6:2)
    subindo também aos céus (Salmos 68:18;Atos 1:11)
    e sendo recebido pelo seu Pai, à sua direita (Salmos 110:1;Atos 7:55).
    …”.

    FONTE: http://pt.wikipedia.org/wiki/Cristo

    É lógico que poderíamos especular que muitas dessas profecias foram aproveitadas pelos autores do Novo Testamento para associar Jesus ao Messias esperado. Porém, algumas delas seriam impossíveis de serem forjadas, mesmo pelo próprio Jesus ou por seus seguidores; como, por exemplo, a profecia de sua crucificação. Mesmo porque, muitas dessas profecias sequer eram associadas ao Messias pelas autoridades religiosas judaicas da época de Cristo.

    Aliás, para a teologia católica, a Bíblia é totalmente cristocêntrica do começo ao fim; de modo que não se consegue interpretar completamente o Antigo Testamento sem o Novo Testamento:

    Veja que interessante:

    “… Ele, então, lhes disse: ‘Insensatos e lentos de coração para crer tudo o que os profetas anunciaram! Não era preciso que o Cristo sofresse tudo isso e entrasse em sua glória?’ E, começando por Moisés e por todos os Profetas, interpretou-lhes em todas as Escrituras o que a ele dizia respeito.” (Lucas 24,25-27)

    “CONHECEREIS A VERDADE E A VERDADE VOS LIBERTARÁ” (J.C.)

    “EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA” (J.C.)

  32. D.R. :

    Seus comentários sobre o Sudário referente à impressão por luz ultravioleta de alta potência ainda é inconsistente, mesmo que o pulso fosse muito breve.

    Luz ultravioleta não atravessa corpos opacos.
    Mesmo que um corpo irradiasse qualquer onda que fosse capaz de imprimir num tecido junto ao corpo, a imagem produzida apareceria um tanto distorcida para os lados no tecido aberto num plano.
    Jamais seria alongada daquela forma.

    Outro exemplo: Veja a cabeça, as duas imagens, frente e verso, se tocam pelo topo.
    Se o tecido fez a volta toda no topo da cabeça, deveria ter uma impressão mais longa ali, referente justamente à esse topo.
    Se o tecido não tocava o topo, deveria ter um espaço vazio referente à sobra de tecido.

    Olha! Aquilo é bobagem, uma relíquia mal feita apenas.

  33. “Vejam o que esse padre fez”.

    Eu vi: provou que sempre haverá seres humanos propensos a acreditar em tolices e se curvar diante de símbolos folheados a ouro.

  34. MAF,

    não são meus comentários; não sou cientista e, muito menos, físico; estou apenas postando aqui sobre a longa pesquisa de cinco anos dos físicos italianos do ENEA.

    Penso que você poderia fazer esse questionamento aos próprios físicos que fizeram tal pesquisa; ou, pelo menos, ler o artigo deles por completo.

    Pelo que me lembro, eles tentaram vários tipos de técnicas e radiações diferentes sobre amostras de linho e a que mais se aproximou (em termos de coloração, profundidade de penetração nas fibras, etc.) da imagem do Santo Sudário foi, justamente, a radiação UV.

    Tal conclusão da pesquisa, não significa que a imagem do Santo Sudário foi realmente formada por radiação UV (na verdade, até hoje os cientistas não sabem como foi formada tal imagem); apenas que, se fosse para tentar reproduzir uma imagem o mais parecida possível com a do Santo Sudário, tanto em nível macroscópico quanto em nível microscópico, utilizando a tecnologia conhecida de hoje, teria de se utilizar um laser UV de 34 trilhões de watts para reproduzir a imagem de uma só vez.

    Quanto a formação da imagem é realmente um mistério; eu suponho que todas as células do corpo do homem do Sudário irradiaram algum tipo de radiação que marcou o tecido; sendo que os raios de luz que atingiram perpendicularmente o tecido teriam marcado mais o tecido do que os que incidiram inclinados. Isso, talvez, explicaria o fato da imagem original do Santo Sudário ser tão difusa; podendo ser bem vista somente a partir de uns 6 metros de distância (imagina um artista pintar isso em negativo). Mas, isso é só suposição; para não dizer, especulação minha. Pois, se nem os cientistas de verdade sabem como foi formada, imagina eu?

    Na verdade, a formação da imagem do Santo Sudário é muito mais complexa do que parece à primeira vista, até mesmo para os cientistas. Se especula de tudo; desde que foi formada por vapores cadavéricos (porém, isso não explica o porque é uma radiografia), radiação emitida por um terremoto (também não se sustenta; pois, se a radiação tivesse vinda por baixo, somente a parte frontal da imagem do Santo Sudário teria se formado), holografia quântica, horizonte de eventos, etc. Menos que a imagem tenha sido formada por mãos humanas.

    http://shroud3d.com/home-page/introduction-holographic-observations-in-the-shroud-image-holographic-theory

    http://shroud3d.com/findings/isabel-piczek-image-formation

    Sobre esse problema da cabeça que você citou, você acha que os cientistas já não analisaram um problema tão óbvio?

    Veja que, segundo o artigo da física de partículas Isabel Piczek, que o pano do Sudário não estava enrolado na cabeça e no corpo do homem do Sudário, como uma múmia; mas que o corpo estava rígido (em estado de rigor mortis), com as pernas levemente dobradas e a cabeça inclinada, com o pano do Sudário meio que esticado sobre o corpo; de modo que muitas partes da cabeça e do corpo não encostaram no tecido. Inclusive, no momento da formação da imagem, parece que o corpo e o tecido não estavam sob a ação da gravidade; já que o cabelo não parece estar caído, não há dobras no pano, as costas e nádegas não estão achatadas, etc.

    Isso explica as muitas supostas anomalias e desproporções da imagem do Santo Sudário. Sendo que muitas dessas anomalias desaparecem quando se transforma a imagem num modelo 3D; onde dá até para ver a parte superior da cabeça e constata-se que o homem do Sudário foi coroado com um capacete de espinhos e não com uma coroa ao redor da cabeça como se acreditava antes (mais uma prova de que não é uma falsificação medieval); além da descoberta de outros objetos sobre o homem do Sudário; como bem mostrado no site “Shroud of Turin in 3D”:

    http://shroud3d.com/findings/solid-oval-object-under-the-beard

    Vale a pena ler todos os artigos deste excelente site, para ver como foi feito o complexo e trabalhoso processo de conversão da imagem para um modelo 3D e para ver o quanto é impossível o Santo Sudário ser obra de mãos humanas e uma mera falsificação medieval; e, muito menos, uma relíquia mal feita!

    Segundo muitos cientistas, a imagem do Santo Sudário pode ser qualquer coisa, menos uma fraude. Senão, o ENEA (Agência Nacional Italiana para a Energia e as Novas Tecnologias) não teria reunido 40 (!!!) CIENTISTAS E PROFESSORES de diversas especialidades e países – EUA, França, Áustria, Canadá, Dinamarca, Alemanha, México, Israel, Polônia, Espanha e Itália – para estudar os aspectos químicos, físicos, mecânicos e médicos das mais famosas imagens “aqueropitas” (quer dizer, não feitas por mãos humanas), a saber, o Santo Sudário de Turim, o manto ou “tilma” de Guadalupe e o Véu de Manoppello:

    http://cienciaconfirmaigreja.blogspot.com.br/2013/04/o-veu-da-veronica-2-o-que-dizem-os.html

  35. Barros,

    essas pessoas não se curvaram diante de um símbolo folheado a ouro; mas, sim, diante de Deus escondido sob o véu da eucaristia; onde a Igreja ensina que Cristo está presente em corpo, sangue, alma e divindade.

    E os inúmeros milagres eucarísticos existentes no mundo comprovam este dogma de fé da Igreja.

    Para que, ao nome de Jesus, se dobre todo joelho, no Céu, na Terra e no Inferno. (Fl 2,10)

Deixe um comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: