Jesus Cristo se masturbava?


Essa pergunta pode até parecer desimportante, esdrúxula, desnecessária, imbecil, ridícula, qualquer coisa, mas, acredite ou não, a resposta dela pode mudar o mundo como você o conhece.

Quando eu era garoto, durante as minhas aulas de catecismo, eu li em algum lugar que a cúria da Igreja Católica havia feito um tipo de reunião para decidir se Jesus defecava, assim como fizeram coisa igual para definir o comprimento das asas dos anjos, em outra oportunidade. Não sei se isso aí tem algum fundo de verdade, nem nunca procurei saber, mas, mesmo não tendo, esse negócio de “definir se Jesus defecava” nunca me saiu da cabeça, pela parte hilária da coisa. Imagina: um bando de velhotes com vestidos engraçados sentados em cadeiras imponentes, num salão enorme e ricamente decorado, para “decidirem” se um cara que viveu algumas centenas de anos antes deles fazia ou não fazia cocô, mais ou menos do mesmo modo como se reuniram para “decidirem” se a Virgem Maria era mesmo virgem. [Tema já abordado aqui em A Cobiçada Vagina de Nossa Senhora.]

Assim posto, logo se vê que a minha questão inicial é do mesmo nível dessas outras, talvez já debatidas pela alta cúpula da Igreja, o que deve fazer você engolir de volta todos os impropérios que já desferiu à minha insignificante pessoa.

Então… Jesus se masturbava? É o tipo de questão que se responde com “sim” ou com “não”.

Eu digo que sim, Jesus Cristo se masturbava. Como que eu sei disso? Porque eu também sou homem e sei como isso funciona. Não há nada que aconteça no meu corpo que não tenha acontecido no corpo de um outro homem que tenha vivido há dois mil anos.

E o que dirá o religioso cristão? Que Jesus não se masturbava? E será que ele também poderia me fazer o favor de explicar para onde ia todo o esperma que os santíssimos testículos dele produziram por mais de duas décadas? E explicar como ele lidava com o desejo sexual que seus hormônios lhe suscitavam?

E aqui temos que encarar as consequências de uma daquelas duas respostas: sim, Jesus se masturbava; ou não, Jesus não se masturbava.

A primeira nos leva a um paradoxo: Deus, na figura de Jesus, despiu-se completamente de sua divindade, tornou-se, de fato, homem e pecou como todo homem peca; o que lhe roubaria sua suposta santidade, enquanto mortal.

A segunda resposta nos leva a uma pegadinha celestial: Jesus, sendo Deus, não se masturbava, não tinha pensamentos “impuros” em relação à mulher (e não vamos discutir agora por que Deus sempre considerou a fêmea da nossa espécie assim tão imunda, a ponto de nos contaminar até o pensamento). Resumindo: Jesus Cristo não sentia necessidade de sexo. E por quê? Uai! Porque ele era Deus, ora bolas! Podia descer à Terra do jeito que achasse melhor e ninguém tinha nada com isso.

Exceto pelo fato de que esse detalhe tira de Jesus Cristo a sua tão apregoada “condição humana”!

Deus, então, estava só fingindo que era humano? É. É isso que parece… Fingindo que havia se feito carne. Eu acho que deve ter sido muito fácil para Jesus ter resistido às tentações da carne (e mais fácil ainda ter ameaçado os outros com o Inferno, se não seguissem o seu exemplo) se ele já veio desequipado de tudo aquilo que desperta na carne essas tentações. Deve ter sido muito fácil não “pecar”, não infringir sua própria lei, estando ele imune ao que levaria um homem de verdade a isso.

E aí eu fico pensando no que mais o sacana poderia ter trapaceado. De repente (assim como não sentia tesão), ele também desceu à Terra com seu corpo humano desenhado para não sentir dor… e todo aquele sofrimento da Paixão de Cristo original, encenada há tanto tempo como uma demonstração de fé, teria sido, também, uma encenação.



%d blogueiros gostam disto: